Esse ingresso eu teria prazer de pagar

25/09/2009 at 13:55 68 comentários

Belíssima foto tirada do Flickr do usuário acnegri

Dois programas falavam de futebol na noite da província, ontem. Um deles conversava com Leandro Ávila, ex-volante de Vasco e Botafogo, que hoje faz estágios com Paulo Autuori. Lá pelas tantas, lembraram que ele era do Dom Bosco, que tinha um convênio com o Vasco e cujo campão de futebol está acabando em prol de alguma especulação imobiliária – e todos lamentavam isso. Em outra rádio, os portentosos locutores exaltavam a chegada da Copa do Mundo e do seu legado.

Nenhuma relação aparente, a menos que se pare para pensar um pouco.

É claro que o campo de futebol do Dom Bosco não tinha exatamente uma função pública. Não se pode negar, entretanto, a sua função social. Brabo é sustentar um hectare perdido de grama no meio da cidade, com tanta gente muito a fim de construir um arranha-céu e pagar centenas de milhares de reais por isso. Nem dá pra chamar isso de ganância: na nossa situação, quem iria manter um campo de futebol podendo vender o imóvel? Até o Inter, que é rico, está despachando os Eucaliptos por causa disso.

Só que quando lemos que o BNDES está colocando 3 bilhões de reais em empréstimos para o poder público construir portentosas arenas para a Copa, não há como não ter um questionamento. Tipo, a FIFA realmente precisa dessas arenas? Coberturas maravilhosas, estruturas de 300 milhões de reais? Dia desses, falando do que o Beira-Rio precisava para ser um estádio da Copa, o diretor de patrimônio falou no estacionamento, nas cadeiras e na melhoria das cabines de imprensa. Duvido que tudo isso custe centenas de milhões de reais. Cobertura? O Velodróme sediou a Copa de 1998 em Marselha e continuou descoberto.

E se o BNDES exigisse, de quem pegar os empréstimos, uma coisa bem simples: que esses governos que vão construir arenas dediquem um par de hectares para campos de futebol? Com manutenção constante por cinco anos? Para uso de guris que só vão aprender a dar um lançamento de 30 metros se entrarem em alguma escolinha?

Parece clichê dizer que o investimento público necessário mesmo é no esporte de base. Além do mais, ser contra a Copa é quase lutar contra os moinhos: ela vai vir e não parecemos ter forças para impedir isso. Dá, porém, para fiscalizar, e principalmente exigir um pouco de bom senso dessa gente. Campinhos de futebol pra gurizada. Coisa simples, nem exige muitas construções, muito esforço.

Como eu vou ter que pagar ingresso mesmo, prefiro que seja para uma várzea que divirta piás desocupados do que para cadeiras estofadas de turistas, bebendo uma Bud e comendo Snickers nos intervalos.

Até a vitória,
Luís Felipe dos Santos

Anúncios

Entry filed under: Colunas.

Nosso mau olhado aos favoritos da Sula A perfeição é uma meta defendida pelo Júlio César

68 Comentários Add your own

  • 1. Prestes  |  25/09/2009 às 14:26

    É a tal da contra-partida, que nunca acontece.

  • 2. Atilio  |  25/09/2009 às 14:51

    Bela reflexao.

  • 3. Yuri-cavaleiro em chamas  |  25/09/2009 às 15:14

    Tipo, a FIFA realmente precisa dessas arenas? Coberturas maravilhosas, estruturas de 300 milhões de reais?

    Precisou de VINTE arenas em 2002?? Claro que não. É tudo política e money talks.

  • 4. Andreas  |  25/09/2009 às 15:14

    Não entendi. O investimento nos estádios públicos da Copa vão impedir que a piazada continue batendo bola nas várzeas?

  • 5. Prestes  |  25/09/2009 às 15:20

    Não entendeu mesmo, uhsuhsadhsasahudhusad

  • 6. rafael botafoguense  |  25/09/2009 às 15:31

    num entendeu pq é burro.

  • 7. dante  |  25/09/2009 às 15:35

    andreas: QUAIS várzeas, se é justamente isso que o texto questiona?

    “cujo campão de futebol está acabando em prol de alguma especulação imobiliária”

    “E se o BNDES exigisse, de quem pegar os empréstimos, uma coisa bem simples: que esses governos que vão construir arenas dediquem um par de hectares para campos de futebol?”

    HA TU CAPIU?, como diria minha NONNA.

  • 8. Junior  |  25/09/2009 às 15:51

    Estudei no Dom Bosco. O campo virou um estacionamento (até uns anos atrás). Não é função do BNDES exigir que os governos dediquem um par de hectares para campos de futebol, o BNDES é BANCO, mesmo que público. Além disso, já é obrigação dos governos (nas três esferas de poder público) propiciar a prática esportiva, não é necessário reforçar o que já é obrigação.
    Andreas, o investimento nos estádios públicos da Copa não vai impedir que a piazada continue batendo bola nas várzeas, mas impedirá que os milhões de reais investidos em estádios sejam aplicados em coisas muito mais necessárias para a população, como saúde pública, educação e segurança.

  • 9. saulo  |  25/09/2009 às 15:54

    Mais uma vez, o texto ficou muito bom.

  • 10. Luís Felipe  |  25/09/2009 às 16:17

    até entendo que não é função do BNDES exigir.

    mas a união poderia colocar uma exigência direta de contrapartida na construção das arenas. Para uma arena, tantas praças, tantos parques e tantos campos de futebol. Exigência direta, sem rodeios.

    a emenda 29, que exige cumprimento de percentuais do orçamento na saúde, não é cumprida por causa dos rodeios.

  • 11. Prestes  |  25/09/2009 às 16:28

    “o investimento nos estádios públicos da Copa não vai impedir que a piazada continue batendo bola nas várzeas, mas impedirá que os milhões de reais investidos em estádios sejam aplicados em coisas muito mais necessárias para a população, como saúde pública, educação e segurança.”

    Por isso mesmo é que tem que haver uma JUSTIFICATIVA, ou uma SATISFAÇÃO ao público quando tu constrói uma estádio, especialmente nos estádios ESTADUAIS, muitos da Copa são estaduais. Nesses sim vai grana pública mesmo.

    O Engenhão, por exemplo, seria usado para fomentar o atletismo no Rio de Janeiro depois do Pan. Agora tá lá, sendo usado pelo time do cheirador de virilha, o que não é nenhuma contra-partida ao público.

  • 12. Junior  |  25/09/2009 às 16:30

    LF, eu concordo contigo, mas ressalto que isso já é obrigação dos governantes. Todos nós sabemos que há inúmeras coisas que os governantes brasileiros deveriam fazer se efetivamente quisessem o bem-estar da população. Mas falta aquela frase mágica: VONTADE POLÍTICA (a todos governantes, quaisquer que sejam os partidos políticos).

  • 13. Anônimo  |  25/09/2009 às 16:35

    #6

    Numa boa, rafael botafoguense.
    LAMBE meu sovaco.

  • 14. rafael botafoguense  |  25/09/2009 às 16:44

    meu time é esperto q se fodam os otários desnutridos que ficam correndo de lá pra cá, no mais parem de usar meus adjetivos contra mim criem os seus,façam como o 13,só que ele é cagão e não põe nome hahahahahaa

  • 15. Matias Pinto  |  25/09/2009 às 16:50

    O rafael botafoguense me faz ter saudades do finado Beto Borracho…

  • 16. Junior  |  25/09/2009 às 16:58

    Uma justificativa sempre será encontrada, tais como, a construção do estádio gerará xxx mil empregos, trará xxx mil turistas que deixarão xxx milhões de dólares em nosso estado, etc. Os empréstimos do governo gaúcho à GM se baseiam nesses critérios, que são absolutamente discutíveis.
    Só um esclarecimento, o plano inicial era entregar o Engenhão à iniciativa privada após o PAN, outros equipamentos esportivos é que deveriam (e tudo ficou na teoria, como sempre) fomentar o esporte nacional. Após o PAN foi feita uma licitação e o Botafogo venceu (até porque era o único concorrente, só assim o Botafogo ganha algo, ghjfhfjdksdfd). O aluguel do Engenhão é ridículo, se eu não me engano é 40 mil reais ao mês, o caro é a manutenção do estádio, principalmente porque a pista de atletismo precisa estar em boas condições de uso, como previa o edital. Pelo que eu me lembro da época, o Engenhão custa 200 mil reais ao mês em manutenção.

  • 17. catarina cristo  |  25/09/2009 às 17:05

    A arena da copa aqui fica a 20 Km do centro do Recife. Isso numa cidade em que as pessoas costumam ir apé para os estádios, que são nos bairros.

    Eu mesma moro a 10 quarteirões de MECA (aka Arruda).

    O campo do Náutico fica num bairro nobre. E já ouvi que eles querem ficar com a arena que vai ser construída, manter o prédio da sede e vender o campo pra construção de imóveis.

    Aparentemente, Fifa serve mais às empreiteiras do que ao futebol.

  • 18. Cocô escroto  |  25/09/2009 às 17:06

    #15

    Era eu no #13. Obrigado pela DEFERÊNCIA.

  • 19. Cocô escroto  |  25/09/2009 às 17:14

    “O aluguel do Engenhão é ridículo, se eu não me engano é 40 mil reais ao mês, o caro é a manutenção do estádio, principalmente porque a pista de atletismo precisa estar em boas condições de uso, como previa o edital. Pelo que eu me lembro da época, o Engenhão custa 200 mil reais ao mês em manutenção.”

    Poderiam distribuir ENXADAS para Leandros Guerreiros e Castillos da vida para que CAPINASSEM. R$ 200 mil de manutenção é absurdo.

  • 20. Prestes  |  25/09/2009 às 17:15

    “(a todos governantes, quaisquer que sejam os partidos políticos)”.

    Não é bem assim. Se faltar vontade para uma boa parte, já complica toda a vontade dos outros.

  • 21. Lila  |  25/09/2009 às 17:18

    Não sei por quê vocês ainda dão ouvidos ao botafoguense. O cara mora em MG. Certamente não faz idéia da desgraça que é chegar ao Enchenão e nem deve fazer idéia do elefante branco que aquele estádio é.

    E outra coisa nessas arenas: quase todas ficarão longe das áreas mais urbanas da cidade. Serão templos do nada assim que a Copa acabar. O Engenhão – que foi construído para o Pan – já amarga essa realidade. Diferente do Maracanã, um local de fácil acesso, ao Engenho de Dentro só se chega de trem ou ônibus. Qualquer 5 mil pessoas e a situação já está insuportável…

  • 22. Lourenço  |  25/09/2009 às 17:23

    Eu não quero ser o capitalista cínico-realista, mas não dá para concordar. A FIFA não faz a Copa no Brasil para o Brasil. Fomentar campinhos é uma preocupação válida, mas não é incumbência da responsável por organizar talvez o maior evento do mundo atual. Não devemos ver os comedores de Snickers como culpados da falta de condições básicas no Brasil. Pelo contrário, tomara que o evento seja um modelo para atrair gente de fora para cá, gastar dinheiro aqui, enfim.

    Saindo um pouco da tua crítica do texto, que não é contrária à Copa no Brasil, só pode achar ruim ter uma Copa aqui quem tem uma visão estática da economia. Os benefícios são muito maiores do que os altos investimentos, até para os guris que jogam no campo com goleirinhas de chinelo.

  • 23. Junior  |  25/09/2009 às 17:28

    Prestes, o Brasil é uma das principais economias do mundo, falta vontade política para investir no que realmente é importante para a população, o problema não é dinheiro.
    Um acréscimo ao que a Lila escreveu sobre as “Arenas Fifa”. Um amigo foi à Copa da Alemanha e disse que nos dois estádios em que ele foi, só era possível chegar de carro, táxi ou ônibus até 2 km do estádio, o trecho restante era preciso ser feito a pé. Não sei se os ingressos “vips” permitem que se chegue de carro até perto do estádio.

  • 24. arbo  |  25/09/2009 às 17:29

    gostei do texto do LF. faz tu pensar no simples (como a bela foto). tem umas coisas simples pracaralho q fariam bastante diferença.
    e o S do BNDES é de social…

  • 25. arbo  |  25/09/2009 às 17:38

    “Não devemos ver os comedores de Snickers como culpados ”
    não li nem um pouco assim

    “só pode achar ruim ter uma Copa aqui quem tem uma visão estática da economia.”
    e quem tem uma visão política desencantada (feita correta)

  • 26. rafael botafoguense  |  25/09/2009 às 17:59

    ÉPICO…

  • 27. fino  |  25/09/2009 às 18:02

    Nem arenas, nem várzeas…

    O ponto de encontro da Copa em Porto Alegre, todos sabem, será o restaurante Fino Maravilha Choripan & Beer.

  • 28. Prestes  |  25/09/2009 às 18:05

    Falta sim, Júnior, mas não de todos.

    Esse teu pensamento fomenta uma bola de neve. O cara pensa q político é tudo igual, aí vota em qqr um, não cobra nada e a coisa só se reproduz.

  • 29. fino  |  25/09/2009 às 18:10

    Tem umas manchetes no globoesporte que são de lascar

    ” Enfim, a liberdade”

    De volta contra Timão, Hernanes conta que se sentiu como um inocente preso no Reffis

    —————

    Só eu acho que a pessoa queria ter escrito REFÉM ao invés de INOCENTE?

  • 30. Prestes  |  25/09/2009 às 18:33

    Olha só que merda que foi a saída do Magrão.

    Se ele tivesse no Inter, com certeza seríamos o clube menos prejudicado com a convocação.

    Galo, Fla e Palmeiras vão perder a maior referência ofensiva. O Grêmio vai ter q jogar com Marcelo Grohe.

    O São Paulo tem bons zagueiros no grupo, mas o Miranda com certeza é o melhor.

    O Inter, com Magrão, seria o único tranquilo. Agora vai ter q ir de GLAYDSON.

  • 31. Junior  |  25/09/2009 às 18:50

    Pois justamente por cobrar bastante dos governantes é que eu percebo a falta de vontade política para resolver os problemas desse país. Acompanho com atenção cada governo que entra. Quando algum constrói um hospital, uma escola, entre outras coisas, ele é saudado, sendo que isso não é nada mais que sua obrigação.
    E eu não escrevi que os políticos são todos iguais. Escrevi que falta vontade política a todos os governantes, sem exceção. Por exemplo, nenhum presidente fez até hoje a reforma primordial desse país, a reforma política. E por que não? Não interessa a nenhum presidente fortalecer os partidos, é muito mais fácil negociar (seja honestamente ou desonestamente) individualmente com cada deputado ou senador do que fazer uma negociação ideológica. Ao invés de termos 5 ou 6 partidos fortes, o Congresso é uma sopa de letrinhas, com partidos sem ideologia nenhuma. E Sarneys, Renans, Simons, etc., se tornam “coronéis” locais, com eleições garantidas sempre e atuando apenas pelos seus próprios interesses.
    Tanto o governo FH quanto o Lula possuem/possuíram maioria no Congresso, mas é mais interessante deixar tudo em banho-maria, o proximo presidente que se vire.
    Prestes, cite 3 GOVERNANTES com vontade política para resolver as eternas carências do Brasil, do RS ou de POA.

  • 32. Sanchotene  |  25/09/2009 às 20:01

    Re 22

    Deveria ser uma preocupação de Estado, oras…

  • 33. Andreas  |  25/09/2009 às 20:13

    Eu ia explicar o que eu não tinha entendido. Mas o Lourenço (#22) acabou explicando involuntariamente.

    O que os campinhos de várzea têm a ver com a Copa? Nada. As prefeituras deveriam construí-los e mantê-los independentemente do que acontece no “plano copístico”. É um troço básico, foda-se a Copa.

    Daí que não entendi essa aparente contradição entre ao investimento na Copa e o investimento em campinhos.

    O BNDES poderia exigir campinhos? Poderia. Mas por quê? A função do BNDES não é e nunca foi tapar os buracos e omissões das prefeituras. Da mesma forma, a não-exigência dos campinhos jamais impediu as prefeituras de construí-los.

    Isso, pra mim, é uma coisa quase nonsense.

    Por que o BNDES não exige que as prefeituras, sei lá, DISTRIBUAM SOPA aos desabrigados como contrapartida aos empréstimos?

    Enfim, não entendi. Mas ao contrário do que prega o rafael botafoguense (#6), eu sei por que não entendi. Burrice seria não saber.

  • 34. Lourenço  |  25/09/2009 às 20:29

    #33 Tu fizeste referência a mim e explicaste muito melhor que eu, só posso ratificar.

  • 35. Sanchotene  |  25/09/2009 às 20:35

    Re 33, 34

    O BNDES não é QUALQUER banco! Seus empréstimos correspondem às políticas públicas adotadas pela União. É aí que a Copa e a várzea se entrecruzam…

  • 36. John  |  25/09/2009 às 20:53

    Rafael Botafoguense: vai tomar no olho do teu cú.

  • 37. matheus  |  25/09/2009 às 22:46

    sobre a poesia dos gramados estudantis, bom, estudei 9 anos da minha vida no rosário e muito lavrei laterias velozes e mais habilidosos no campão de areia do colégio
    hoje vejo que, junto com obras megalomaníacas na rua irmão josé otão (acho que era esse o nome), o campo de tantos sonhos erguidos a gritos de gol e honra e joelhos ralados na pura brita da vitória acabou se tornando impunemente estacionamento, que miséria.

    me lembro que, à época, as chapas do gremio estudantis, em discurso eleitoreiro, visitavam as salas e diziam que nao prometeriam algo suntuoso e impossível financeiramente como GRAMAR o campão. me pergunto se não deveria ter, junto com mais alguns outros lunáticos, ter formado uma chapa unicamente com esse propósito

  • 38. matheus  |  25/09/2009 às 22:47

    acima, gremio estudanTIL e menos um ter ali, que sobrou.

  • 39. Marimon  |  25/09/2009 às 23:43

    Lendo o #22 descobri que tenho uma visão estática da economia.

    Aliás, descobri que tenho UMA VISÃO da economia, o que já é um baita negócio.

    Vlw a sexta feira.

  • 40. col  |  25/09/2009 às 23:49

    Acho que os politicos brasileiros jah aprenderam a licao da Africa do Sul.

  • 41. Lourenço  |  26/09/2009 às 00:16

    #39 Desculpa se pareceu pedante demais, não era isso mesmo. Só que os benefícios da Copa não são só num primeiro momento, não basta ver o lucro em hotéis e tal, tem que ver as oportunidades que isso gera, as obras que ficam, os empregos que geram mais consumo, etc.

  • 42. Luís Felipe  |  26/09/2009 às 08:39

    Lourenço, primeiro que eu não coloquei na Fifa essa obrigação.

    Segundo que eu não acho que a Copa é ruim. Aliás, considerando que ela vai rolar igual, é uma discussão besta essa. Só acho que o tal “legado” da Copa poderia ser melhor aproveitado.

    Terceiro que eu não coloco em discussão os hotéis, os empregos gerados e o movimento nos aeroportos. Eu coloco em discussão uma coisa muito simples: vão investir milhões de reais no futebol para arenas fechadas com ingressos muito caros, que serão pagos, em parte, pelo povo. Então que invistam um ou dois MILHARES de reais em colocar mais locais para a prática do esporte nas cidades. Uma relação direta: para cada arena, 10 praças, 5 parques, 3 campinhos de futebol.

    É só isso.

  • 43. Luís Felipe  |  26/09/2009 às 08:42

    não entra nenhuma visão macroeconômica aqui. Entra uma relação muito simples e direta de onde será investido o dinheiro.

    a Arena de Recife não precisa ser coberta, não precisa ter o lado de fora espelhado, não precisa ter muitos dos floreios que serão construídos nela. Para ser FIFA, ela precisa de muito menos que o projeto, só para dar um exemplo.

    Então peguem esses floreios todos e, por obrigação, invistam em algo que será realmente útil para a população local. O legado da Copa pode ser muito bom, sem dúvida. Com esse tipo de coisa, ele será ainda melhor.

  • 44. Prestes  |  26/09/2009 às 09:45

    To com o Luis. É simples, basta que se exija isso e pronto.

    Como ele mesmo diz, nós vamos pagar o ingresso, que vejamos pelo menos jogos num campinho de várzea.

    Ok, eu sei, é muita poesia. Mas um elefante branco tipo o Engenhão também não é nenhuma esperteza do ponto de vista mais racional possível.

  • 45. Prestes  |  26/09/2009 às 09:46

    “Por exemplo, nenhum presidente fez até hoje a reforma primordial desse país, a reforma política.”

    Não sabia que presidente fazia reforma política sozinho.

  • 46. Prestes  |  26/09/2009 às 09:48

    “Prestes, cite 3 GOVERNANTES com vontade política para resolver as eternas carências do Brasil, do RS ou de POA.”

    Não citarei por que o papo vai se encaminhar prum lado partidário. Mas tem um aí que 80% da população brasileira crê que se encaixa nisso.

  • 47. Sanchotene  |  26/09/2009 às 10:29

    Re 46

    O fato de se acreditar não quer dizer que tenha. Todo caso, acho a pergunta simplista demais; como se a vontade de um pudesse resolver problemas…

  • 48. Rudi  |  26/09/2009 às 10:43

    temos um pais com uma estrutura politica muito fechada, uma constituicao que previu isso, talvez ate para continuar atendendo a “classe”

    claro que falta vontade politica, mas nao eh soh o q falta

  • 49. Logan  |  26/09/2009 às 10:48

    A fonte nova fica num bairro central de Salvador.
    Agora, quem faz o evento é o país, o problema é que nesse caso, o torcedor não é priooridade mesmo, os interesses são outros, eu estava vendo um especial sobre olímpiadas na sportv e eles comparavam o pan do rio com o de mar del plata (não tenho certeza se era essa a cidade) e como o rio que teve muito mais investimentos, não conseguiu aproveitar a estrutura após o evento, e mostrando como essa outra cidade conseguiu, mesmo tendo bem menos investimentos.
    E tem um movimento dos cidadãos de chicago a favor da olímpiada, dá uma olhada: http://www.chicagoansforrio.com/

  • 50. Prestes  |  26/09/2009 às 11:21

    “O fato de se acreditar não quer dizer que tenha.”

    Nem eu disse isso.

  • 51. Sanchotene  |  26/09/2009 às 11:33

    Re 50

    Mas deste a entender, Prestes…

  • 52. Prestes  |  26/09/2009 às 12:05

    Pois é, é que se o cara tem 80% de aprovação, o cara que discorda tem q reconhecer q está em franca minoria.

  • 53. Sanchotene  |  26/09/2009 às 12:47

    Isso nunca foi problema. Volto a dizer, número não dá razão…

  • 54. Frank  |  26/09/2009 às 14:46

    Concordo que a reflexão feita pelo LF é muito boa…

    Um dia perguntaram para o Beckembauer o que ele achava do futebol brasileiro. Ele disse que a diferença fundamental entre nós e os europeus é que lá eles não têm essas várzeas nas quais nascem muitos craques, eles não batem uma bolinha na rua jogando com bola de meia… Aí é que tá, uma verdadeira instituição nacional já praticamente perdeu a guerra contra a especulação imobiliária desenfreada que afeta qualquer grande cidade…

    Agora, talvez os problemas se colocam quando se pensa o esporte como política pública, o que nunca foi e certamente continuará sem ser mesmo com a Copa, ou se vierem as Olimpíadas pro Rio… nenhum governo jamais pensou no fomento ao esporte, por isso é até uma discussão bizantina… os governantes fazem os investimentos pontuais, torram grana pra valer nesses megaeventos esportivos, mas ninguém pensa naquele moleque que tá batendo uma bola no terrão ali do lado… certamente, não será agora que isso irá mudar…

  • 55. Junior  |  26/09/2009 às 14:50

    Prestes, esse cara teve o meu voto, teria novamente se pudesse ser candidato, está fazendo um bom governo, mas poderia fazer muito mais. Poderia utilizar o seu apoio popular e a base no Congresso para fazer as reformas que o Brasil necessita há décadas.
    É evidente que UM governante sozinho não conseguirá mudar nada, mas ele precisa ser o indutor das mudanças estruturais. A partir dele e de suas atitudes é que serão reunidas as condições para alterar estruturas viciadas e enferrujadas. Mas ele necessita estar disposto a liderar essas mudanças.
    A comparação é invevitável com o Obama, que mesmo correndo o risco de ficar desmoralizado logo no começo de seu governo com uma derrota retumbante, está propondo a reforma do sistema de saúde público americano, algo que os outros presidentes não quiseram fazer (alguns por ideologia, como Bush pai e Bush filho, outros por medo, como o Clinton). É lamentável que a Coréia do Sul, mesmo com sérias limitações geográficas e com população muito menor, tenha evoluído tanto, ao passo que o Brasil cresça numa velocidade apenas mediana.
    Rudi, a vontade política é o passo fundamental, obviamente só isso é pouco, há inúmeras outras coisas a se fazer, mas sem ela, as desculpas serão sempre as mesmas e a situação brasileira ficará inalterada.

  • 56. Frank  |  26/09/2009 às 14:51

    Tô com o Prestes aí, nem tanto por achar que o CARA, com toda essa aprovação, tem uma certa legitimidade popular, mas sim pra discordar do Sancho…

    haoiahoahaohoaoha =D

  • 57. Frank  |  26/09/2009 às 15:03

    #55

    Já em relação à regulação da economia e do sistema bancário, se formos partir desse teu ponto de vista, parece faltar vontade política ao Obama…
    Mas aí é que tá… essa estrutura toda é praticamente impossível de ser mudada apenas pela vontade de um ou de outro governante… sem querer fazer paralelos a partir de realidades totalmente diferentes, a economia mostra bem que não é só vontade política que é necessária para que se efetuem mudanças significativas… têm muitos interesses envolvidos para que tudo continue como está, e os caras que estão lá no poder legislam quase sempre em causa própria… o furo é mais embaixo, têm coisas que simplesmente apresentam muitas dificuldades e complexidades para serem resolvidas… alguns caras da ciência política dizem que a democracia, nos moldes ocidentais, é um belo jogo de cena para legitimar o uso do poder em nome de poucos, e aí eu tendo a concordar com eles… existem fatores que um presidente, ou qualquer outro detentor de cargo público, simplesmente não faz por ver as dificuldades imensas que contrariar interesses poderosos traria…

  • 58. Leo Garcia  |  26/09/2009 às 16:19

    Achei o ponto de vista muito interessante do texto, concordo com vários pontos, exceto aqui:

    “Cobertura? O Velodróme sediou a Copa de 1998 em Marselha e continuou descoberto.”

    Pô, o Beira-Rio coberto é uma maravilha para todos os torcedores. Ninguém gosta de tomar chuva na cabeça o jogo inteiro, e por isso que o público é ridículo nesses dias. Pode ter certeza que a chuva não vai afugentar tanto.

    E as outras modernizações do estádio são imprescindíveis. Ou faz isso ou espera mais uns 15, 20 anos e tem que demolir o estádio (como vão fazer com o Olímpico).

    A sacanagem dessa história toda são os elefantes brancos que vão construir para depois virarem uns Sessinzões (com grife) da vida. Li na Folha de SP que só estádio de Brasília vai custar mais dos que as reformas juntas do Beira-Rio, do Morumbi e da Arena da Baixada. E estes estádios continuaram sendo usados, diferentemente de um grandioso estádio em Manaus, por exemplo. Quem vai jogar lá? O São Raimundo?

  • 59. Frank  |  26/09/2009 às 17:27

    O pior foi o processo de escolha das sedes… Manaus e Cuiabá possuem clubes no máximo na série D, o que vão fazer com essas arenas lá? Show da Ivete Sangalo? Goiânia tinha o Serra Dourada, Belém o Mangueirão, dois bons estádios que precisariam apenas de algumas reformas… mas parece que quem escolheu as cidades gosta mesmo é de contratos polpudos, certamente para superfaturar essas obras gigantescas…

  • 60. joão carlos  |  26/09/2009 às 20:47

    o cara SÓ tem apoio no congresso porque não fez o que todo mundo tinha medo que ele fizesse.

  • 61. Prestes  |  26/09/2009 às 22:00

    Concordo com o Sancho, número não dá razão. Só dá pra dizer que nem todo mundo está tão cético assim como o Junior, achando que ninguém tem vontade política.

    Até por que vontade política é um termo complicado. Os políticos podem ter vontade de fazer um monte de coisa. O diacho é que muitas, ao se cogitar, já rola um furdunço na imprensa.

    Tem toda uma conjunção de fatores, não basta tu ter vontade de prender um corrupto, por exemplo, se o Gilmar Mendes não tem. Não basta tu criares um piso salarial para os professores se os estados não cumprirem, e por aí vai. E não estou me referindo especificamente ao Governo Federal, o mesmo vale pra qualquer cargo executivo ou legislativo. Não basta ter vontade.

  • 62. Logan  |  27/09/2009 às 07:23

    Acho que antes da vontade política, existe a nossa parte da culpa nessa história, um país que elege governantes do naipe de yeda cruzes, josé sarney, fernando collor, maluf, acm neto e cia. limitada realmente não tem nem moral pra cobrar, tudo bem, a gente pode, e deve cobrar, mas antes vamos votar com consciência pelo menos, por mais que falem o voto é a nossa única maneira de influenciar diretamente nessas coisas.

  • 63. Lourenço  |  27/09/2009 às 11:29

    Achei o texto demagogo. Ainda que o Luiz não tenha dito explicitamente que comedores de Snickers eram culpados pela ausência dos campinhos, o texto caminha para apontar essa “contradição”. O que tem que se ter em mente é que a Copa deve ser organizada para ser uma grande Copa, ponto. O resto vem em paralelo, obras, recursos para questões sociais. Tentar vincular no “só dou dinheiro se fizer campinho” é demagogia. Daí a visão estática da economia. A melhor maneira de termos melhorias sociais para a coletividade é termos uma Copa modelo, que atraia gente. Assim, teremos os resultados que todos os países vem tendo com esse modelo de Copa-espetáculo, com superávit para todos os que investiram e com recursos para investir, não só em campinhos, mas em muitas outras coisas tão importantes quanto.

    Tu pode não ter dito isso, mas que fique claro: achar que é ruim para o Brasil sediar uma Copa é um argumento extremamente elitista.

  • 64. Logan  |  27/09/2009 às 11:51

    Aí eu te pergunto Lourenço, em que a Copa tem sido boa para a África do Sul? Que é ainda mais carente do que nós tanto em infraestrutura quanto em condições de vida. E justamente por isso, supostamente deveria ser ainda mais beneficiada.

  • 65. Rudi  |  27/09/2009 às 12:48

    oportunamente vi uma chamada que a FIFA esta construindo 20 ou 25 centros de esporte, educacao e saude na africa (continente inteiro, nao pais)
    se vao fazer e se vai dar certo eu nao sei, mas eh uma ideia
    vincular obrigatoriamente acho que nao eras, mas com certeza eh algo que nao custa quase nada pra FIFA

  • 66. Lourenço  |  27/09/2009 às 14:05

    #64
    Olha, tchê, eu não estou acompanhando de perto a Copa na África, mas não tenho dúvidas de que, mesmo antes da Copa, vários empregos, sobretudo para os de escolaridade mais baixa, estão sendo criados. A FIFA tem exigências extracampo que a África teve ou terá de atender, e a oportunidade de faturar com o evento fará com que o país venha a atender essas exigências. Na Copa das Confederações, reclamaram muito da estrutura viária e hoteleira, por exemplo. Até lá, essas questões terão de ser resolvidas. Passada a Copa, as obras e oportunidades ficam no país.

    Ou a gente pode usar o argumento pseudopopular e dizer: o Brasil não tem que gastar com uma Copa aqui, há outras mil necessidades aqui.
    O fundo elitista diz: é, realmente, Copa tem que ficar só nas nações de primeiro mundo.

  • 67. Logan  |  27/09/2009 às 14:30

    Cara, até pouco tempo atrás os operários fizeram greve lá porque além de estarem recebendo um salário de miséria ainda estavam atrasando, que exigências são essas?
    Aliás a prórpia FIFA não é pra ter lá essa credibilidade toda. se não me engano, o Juca Kfouri postou no blog dele uma lista dos membros da comissão que iria selecionar as sedes brasileiras, além do próprio Ricardo Texeira, que dispensa comentários, os outros membros todos com algum tipo de denúncia nas costas, até venda de ingressos falsos e camisas falsas na copa da alemanha teve.

  • 68. Chico  |  27/09/2009 às 20:05

    Concordo com o texto e acredito que ele não esta sendo contra a Copa do Mundo aqui no Brasil.
    Acho que benefícios serão gerados sim pela realização da Copa aqui, como investimentos em transporte e geração de empregos.

    O problema que acontece realmente é sim o descaso de nosso representates e certo cinismo. Explico:

    Podemos querer culpar quem trabalha no setor imobiliário, as construtoras que não podem ver um campo de futebol no centro da cidade e já querem terraplanar e colocar um préido de 30 andar e ganhar alguns MILHOES. Mas esse é o trabalho deles, vivem disso e se eles tem o dinheiro para investir e o interesse, não podemos reclamar pois estão no direito deles.

    Quem deveria lutar pela permanência e a existência de campos de futebol espalhados pela cidade, pelos bairros, com condições mínimas para praticar futebol, são os nossos representante, e mais diretamente os representantes municipais, incluindo no plano diretor da cidade áreas públicas destinadas ao esporte.

    Só o que vemos é um descaso total de nossos governantes com tais políticas destinadas ao esporte.
    Mas agora,que em época de preparação para Copa do Mundo todos eles aparecem dizendo que estão “lutando pelo esporte brasileiro” trazendo a Copa do Mundo para cá. Estão sim, “lutando” por interesses de poucas instituições e empresas.

    E a Copa pode trazer muitos benefícios sim, mas não vejo benefícios para o próprio FUTEBOL!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Subscribe to the comments via RSS Feed


Especial – Libertadores 2011

A bola da ImpedCopa

Toco e me voy

  • KANNEMANN acaba de fazer seu PRIMEIRO GOL com a camisa do Grêmio. Tricolor vai metendo 3x0 no Atlético-PR no 1º tempo. 1 hour ago
  • E agora leva um golaço de Barrios. 1 hour ago
  • Na Copa do Brasil, Atlético Paranaense acaba de perder um tiro livre indireto na entrada da PEQUENA ÁREA do Grêmio. 1 hour ago
  • Final do Apertura chileno de 2006. Bravo jogava pelo Colo Colo. Acabaram campeões nos pênaltis (4x2) contra a Universidad de Chile. 1 hour ago
  • Já que o tema do dia é Claudio Bravo pegando pênaltis, lembrança daquela vez que ele defendeu uma cavadinha APÓS te… twitter.com/i/web/status/8… 2 hours ago

Feeds

web tracker

%d blogueiros gostam disto: