Arquivo do Autor

O castor pirado

Depois de alguns anos patinando, o Vasco conseguiu fazer um bom time, suficiente para levar essa Copa do Brasil. A prova foi a maturidade apresentada na partida de ontem, quando a defesa mostrou enorme solidez e permitiu a Alecsandro (!) antecipar a zaga (!!!) e fazer o gol (!!!!!!) que o deixou a um empate da Copa Libertadores.

(mais…)

Anúncios

02/06/2011 at 13:17 13 comentários

Um dia nos tiraram a alegria, e não fizemos nada

Quando estive pela primeira vez em uma arquibancada para ver um jogo de futebol, o jogo importava; da segunda até à trigésima quinta, não sei se era especialmente o jogo. Há algo de espetacular no delírio de um torcedor, especialmente o delírio que faz alguém sair do conforto de sua casa para encarar o concreto, o sol e o mijo alheio – aqui, a descrição definitiva do contexto. Quando eu vejo a torcida do Peñarol emocionando o mundo antes e durante a semifinal da Copa Libertadores, sinto um cheiro de jogo que não consigo mais sentir por aqui, por que um dia resolveram nos tirar a alegria, e nada fizemos. (mais…)

01/06/2011 at 06:00 88 comentários

O despertar de um gigante

Eram mais de 30 minutos do segundo tempo na Ressacada quando a torcida do Vasco começou a cantar “o campeão voltou”. Me perguntei: “campeão de quê, cara pálida?”. Desde 2000 o time da Cruz de Malta só ganhou dois títulos, um carioquinha (2003) e a Série B (2009). Virou a quarta força do Rio. Mas aquela camisa alvinegra, a faixa diagonal e a cruz vermelha no peito têm muita história para contar. História de grandes conquistas, de um passado glorioso, de grandeza. Grandeza que há quase uma década não se via, mas apareceu na semifinal da Copa do Brasil. Com a autoridade de quem é chamado de “clube grande”, o Gigante da Colina atropelou o Avaí e está a dois passos do paraíso futebolístico sul-americano chamado Libertadores da América.

(mais…)

26/05/2011 at 12:00 28 comentários

A falta do gol final e a tragédia do cagaço iminente

O que parece ter faltado ao Santos ontem é a frieza do assassino. Ao time de Neymar, não sobrou rebolado, não faltou raça, nem determinação: porém, quando ao lado do atacante da Seleção Brasileira está um rapaz que atende pelo nome de Zé Eduardo – e que é mais conhecido como Zé Love – é impossível dizer que é um time completo. O Santos de Muricy é um grande time e um dos favoritos para conquistar a Copa, mas poderia, em um gol final, ter encaminhado uma contenda que será duríssima em La Olla. (mais…)

26/05/2011 at 07:56 39 comentários

Bom senso tira o zero do placar e pode conseguir virada histórica

O novo Ranking da Conmebol, divulgado nesta terça-feira, coloca a Liga de Quito em primeiro lugar, com o Inter em segundo e o Estudiantes de la Plata em terceiro. Os critérios agora são mais claros: valem os times que conseguiram melhor pontuação nas cinco competições apoiadas pela entidade (incluindo o Mundial de Clubes Fifa e a Copa Suruga Bank – sim, ela é oficial) nos últimos cinco anos. É um ranking mutável, que deve ter várias alternâncias de liderança ano a ano, e que está de acordo com a realidade – Liga, Inter e Estudiantes estão entre os clubes que mais figuraram pela América recentemente. Agora, só falta ser útil.

(mais…)

18/05/2011 at 12:19 29 comentários

São gritos de vamo cavalo….

…toca toca, êra êra. É assim que o Peñarol avança na Copa Libertadores da América, rumo à sexta taça.

No Centenário, o primeiro tempo mostrava um time aurinegro atacando na base do sufoco enquanto os chilenos defendiam com muita consciência, saíam bem para o ataque e até criavam chances de gol. Mas quem sabe o que é vencer ‘a lo Peñarol’ sabe que lá pelas tantas, o diabo (ou seria Deus?) rola os dados e coloca o improvável para jogar. (mais…)

12/05/2011 at 00:25 38 comentários

O Inter está morto. Longa vida ao Inter?

Quem leu o post colérico sobre Paulo Roberto Falcão pode ter se revoltado e perguntado quem sou eu, campeão do que?, para falar assim de um ídolo como é o Rei de Roma. Quem pensou isso não está de todo errado. Após o fracasso nas oitavas de final da Libertadores, sob primeira responsabilidade da comissão técnica – uma vez que o time voltou desligado do vestiário e virou um purê de batatas no segundo tempo – dá para refletir sobre esse Inter de 2011 e tentar imaginar o que sobrou para o clube. Vou deixar de lado a análise fácil que coloca o Inter como candidato ao Brasileiro e à Recopa – o Inter de Luigi quer uma mudança de filosofia, e foi punido por começar essa mudança com a Libertadores a pleno galope. (mais…)

07/05/2011 at 20:58 70 comentários

Posts antigos


Especial – Libertadores 2011

A bola da ImpedCopa

Toco e me voy

Feeds

web tracker