Top 10 humilhações do Sport Recife

05/02/2009 at 11:24 75 comentários

Digníssimos navegantes e amantes da bola, sinto desapontá-los. Dez humilhações não constam nas prateleiras das minhas lembranças do bravo Leão da Ilha. Quiçá elas se acumularão em algum ponto futuro – e isolo na madeira ao invocar o tucanês ludopédico do malassombro Cláudio Coutinho. Alguém pensou em arrogância? Abandonemos as obviedades, por favor… Mas, tudo bem, sigamos com o desafio. Com humildade e esforço hercúleo, elenco os piores acasos do meu glorioso Sport Club do Recife, mesmo sabendo que ficarei com a cabeça a prêmio, jurada por pai, filho, cachorro e toda Torcida Jovem. Das fatalidades que trago abaixo, algumas foram vividas de corpo presente, outras consideradas pelo peso histórico. Feito este breve preâmbulo, tirem seus sorrisos do caminho que eu quero passar com as minhas dores…

10 – Santa Cruz 1 x 0 Sport (Campeonato Pernambucano, 11/04/2007)

Última partida do Sport no Pernambucano de 2007, justamente no famoso “clássico das multidões”. Este derbi, no entanto, ficou mais conhecido como o “jogo do cabaço”. O Leão vinha invicto na competição, virado num “mói” de coentro, pronto para repetir pela quarta vez a façanha de conquistar o estadual sem nenhuma derrota (as outras ocasiões foram nos anos de 1917, 1941 e 1998). Já entramos em campo como campeões antecipados, é bom que se diga. Talvez por isso tenhamos jogado de forma tão relaxada. Aí, mó fi, além de levantarmos o caneco, levamos também no meio dele. Com um gol do chupa-sangue Marco Antônio (ou seria, nesse caso, chupa-cabra?) e contando com a ajuda do juiz, que não marcou um gol legítimo rubro-negro, o Santa derrotou o Papai da Cidade no Arruda. Terminada a peleja, já viu, né?! Pense na felicidade das pestes! Escuto até hoje: “o cabaço voou!”, “cadê o meu cabaço?”, “só gosto de cabaço de leoa!”, entre outras loas impublicáveis. Coisas da torcida do canal. Assistam o vídeo abaixo e confiram o nível.

9 – Sport 1 x 2 Santo André (Campeonato Brasileiro da série B 15/05/2005)

O que deveria ser uma tarde de festa transformou-se numa catástrofe no jogo de comemoração do centenário do Leão. Na Ilha do Retiro, o Sport perdeu por 2×1 para o Santo André, que não teve pena de acabar com a alegria dos mais de 27 mil torcedores que estiveram presentes no estádio. Os algozes paulistas foram Cristiano Brasília (ex-jogador leonino) e Rodrigão. O Sport chegou a empatar o jogo através do atacante Rinaldo, mas não conseguiu transformar em mais gols as oportunidades criadas. O ano foi péssimo para o time da Ilha que, além de ter perdido o Campeonato Pernambucano para o rival Santa Cruz, só não caiu para a série C graças ao critério de números de vitórias (uma a mais que o Vitória-BA, primeiro junto a linha de degola do rebaixamento – sorry, Franciel!).

8 – Náutico 3 x 3 Sport (Campeonato Pernambucano, 08/12/1991)

Qualquer resultado contra o Náutico que não seja a vitória, considero uma tragédia. Nas circunstâncias desse empate então… O jogo, primeiro das finais do Pernambucano de 1991, foi realizado no Arruda, palco do outro arqui-rival Santa Cruz. E eu tava lá, acompanhado do amigo fotógrafo Pio Figueiroa. Na verdade, não fomos diretos pro jogo, pegamos os portões abertos no segundo tempo, depois de termos ido a uma roda de capoeira que freqüentávamos ali nas imediações do “Mundão” (como os torcedores do Santinha carinhosamente chamam seu estádio). Quando corremos em direção ao jogo, por volta dos 25 minutos do segundo tempo, o Sport batia os alvi-rubros pelo placar de 3 x 1, com a torcida leonina já gritando olé e fazendo a maior festa. Mal adentramos nas arquibancadas, segundo gol timbu! Nos olhamos com desconfiança. E quando a peleja já se encaminhava para o seu término, tomamos o golpe de misericórdia: o zagueiro Freitas, que já tinha feito o primeiro gol das barbies (e que jogava com a cabeça raspada, uma promessa pela conquista do segundo turno), deixou tudo igual, colocando a pressão para o último jogo que ocorreria na Ilha do Retiro – tivemos um(a) final feliz, fomos campeões. Mas esse clássico foi uma coisa incrível e, desde seu desfecho, passamos, eu e o referido amigo, a esquentar nossos pés logo que nos ocorre a idéia de ir a campo.

7 – Sport 0 x Gama 2 (Campeonato Brasileiro da série B, 10/09/2005)

Outro da mesma série B citada acima. Esse foi o derradeiro jogo da competição e, conforme já relatei, o Sport só não foi para o inferno da terceira divisão por causa do número de vitórias (aceite novamente minhas desculpas, bravo Franciel…). Lembro que foi uma jornada inteira torcendo e secando os outros times que jogavam simultaneamente. Era um olho no padre e o outro em várias missas… Não me recordo de angústia maior em minha memória futebolística – atuando em casa, na Ilha de Lost, precisava de um sofrimento desse?! Ao final, gracias, o alívio e a gréia (zoação em pernambuquês): o rubro-negro é o único do trio de ferro pernambucano que jamais colocou os pés na terceirona!

6 – Três em um: Íbis 5 x 4 Sport (Campeonato Pernambucano, 28/08/1947); Íbis 2 x 0 Sport (Campeonato Pernambucano, 30/11/1952); Íbis 1 x 0 Sport (Campeonato Pernambucano, 10/05/1970)

Eu não era nascido em nenhuma delas, mas três derrotas para aquele que é considerado “o pior time do mundo” dispensa comentários. Valem pelo folclore. Ps.: todos os três grandes de Pernambuco já apanharam do Pássaro Preto, e entre eles, diga-se de passagem, o Náutico é o seu maior freguês: 4 lapadas!

5 – Sport 1 x 1 Santa Cruz (Campeonato Pernambucano, 16/08/1987)

De novo o Santinha. Desta vez, mesmo sendo um empate, o desfecho foi mais doloroso: era uma final e o resultado deu o bicampeonato pernambucano ao tricolor do Arruda. O Sport saiu na frente, mas o nosso zagueiro Eraldo, numa cabeçada contra o próprio patrimônio, igualou o placar – ah! Traste! Cabeça-que-mamãe-sofreu! Vi com meus olhos, triste presença… Foi nesse jogo que o então presidente do Santa Cruz, Zé Neves, tentou batizar a Ilha do Retiro de “Casa dos Festejos”. O tempo tratou de lhe calar a boca…

4 – Grêmio 2 x 1 Sport (Copa do Brasil, 02/09/1989)

Finalíssima da primeira edição da Copa do Brasil. Após um 0 x 0 na Ilha do Retiro, o time gaúcho garantiu a taça ao ganhar o último jogo por 2 x 1 num Olímpico com público superior a 60 mil pessoas. O Grêmio abriu o placar logo no início do jogo através de Assis. Ainda assim, o Sport chegou a sentir o gostinho do título com um gol contra do goleiro Mazaropi (no empate com gols o caneco era nosso!). No entanto, no segundo tempo, Cuca (ele mesmo que hoje é técnico) decretou a vitória gaúcha numa bobeira do sistema defensivo do Leão. Tivemos que esperar 19 anos para sermos campeões desta competição. Sobrou pro Coringão…

3 – Palmeiras 2 x 1 Sport (Copa dos Campeões 25/07/2000)

Em torneio disputado na cidade Maceió, perdemos a oportunidade de nos tornar campeão dos campeões do Brasil e de, mais uma vez, marcarmos presença na Libertadores. Tínhamos um ótimo time, no qual figuravam craques como Bosco, Adriano, Nildo, Leonardo, entre outras feras (no mesmo ano terminamos o Brasileirão em 5º lugar). Nesta final, o Palmeiras fez um primeiro tempo melhor e abriu dois gols de vantagem. Na segunda etapa voltamos com mais raça, mas esbarramos na grande atuação do goleiro Sérgio. O tento de honra só chegou aos 41 minutos, tarde demais para uma reação.

2 – Marília 7×1 Sport (Campeonato Brasileiro da série B, 27/04/2004)

O Estádio Bento de Abreu foi o palco do maior sacode que o campeão brasileiro de 1987 já tomou na vida. Nem em dia de treino o goleiro Bosco (o mesmo que continua sendo o eterno reserva de Rogério Ceni no São Paulo) foi buscar tantas bolas nos fundos das redes. A partir dessa tragédia, nunca mais faltaram produtos Marília nas residências dos tricolores e alvi-rubros pernambucanos. Agüentamos a pulha da enterrada do biscoito até os dias que correm.

1 – Sport 2 x 1 Flamengo (Campeonato Brasileiro, 31/03/1982)

Vocês acharão estranho terminar essa lista de tragédias com uma vitória. Mas esse triunfo teve o sabor da mais amarga derrota. Como tinha sido batido pelo clube carioca na primeira partida no Maracanã por 2 a 0, o Leão da Ilha precisava de um placar superior a dois gols de diferença nesse jogo. Eis que por volta dos 30 minutos do segundo tempo, quando o placar já marcava 2 x 1 para o time pernambucano, o meia Edson Ratinho arrematou um chute cara a cara com Raul, então goleiro do Flamengo, que espalmou a bola, fazendo-a correr PARALELA à linha de fundo. Bebeto, nosso ponta esquerda, cruzou a pelota voltando e o próprio Ratinho colocou no fundo das redes. Só nesse momento, após todo desenrolar do lance, o auxiliar Almir Laguna levantou a sua bandeira. Sabe o que ele marcou? Escanteio para o Sport! Como se a bola tivesse saído antes do cruzamento. As câmaras mostraram que a bola sequer ficou em cima da linha, mantendo-se totalmente dentro do campo. O juiz, Oscar Scolfaro (não precisam mais temê-lo, já se aposentou!), confirmou o tiro de canto. Foi uma das maiores gatunagens já vistas num campo de futebol. Até os cronistas cariocas ficaram constrangidos. Esse jogo traumatizou o cineasta Lírio Ferreira que, conforme me confidenciou, desde então nunca mais teve a mesma relação com o esporte bretão. Só pra vocês terem uma idéia, o homem das películas (cinema de verdade!), no calor de sua revolta, vendeu uma enorme bandeira rubro-negra que possuía para seu irmão, nobre tricolor coral, que só fez emendar mais uma faixa de tecido branco no pano negociado…

Nobre contribuição enviada pelo notório Roberto Azoubel, a.k.a. Doutor Estranho.

Anúncios

Entry filed under: Clubes, Contribuições, top10.

Noveletto admite Gre-Nal do Centenário Que falta faz o Abelão, que saudades do Portaluppi

75 Comentários Add your own

  • 1. Fernando Cesarotti  |  05/02/2009 às 11:33

    Acho que o 3 ficaria mais completo se incluísse o fato de que o Palmeiras era treinado por MURTOSA.
    Agora, depois do Avaí, todas as tragédias e humilhações parecem brincadeira de criança.

  • 2. Anderson Fraga  |  05/02/2009 às 11:52

    Que roubalheira essa numero 1 heinhô Batista!

    Agora, depois do Avaí, todas as tragédias e humilhações parecem brincadeira de criança. [2]

  • 3. Leo Ponso  |  05/02/2009 às 11:52

    Pensei a mesma coisa. Nem se rolar top 10 do Íbis bate-se o do RAUAI.

  • 4. André K  |  05/02/2009 às 11:57

    Mesmo juiz, mesmo campeonato, mesma equipe beneficiada:

    GRÊMIO 0X1 FLAMENGO

    Campeonato – Brasileirão de 1982 (3º jogo da final)
    Data – 25.4.82
    Estádio – Olímpico (Porto Alegre)
    Árbitro – Oscar Scolfaro (Brasil)

    O tricolor gaúcho buscava o gol do empate – e do título – quando o centroavante Baltazar cabeceou no alto do gol flamenguista. Para impedir o tento, o rubro-negro Andrade meteu a mão na pelota. Pênalti? Não para o juizão Oscar Scolfaro, que mandou o jogo seguir dizendo que o toque foi do goleiro Raul. Mas, como a gente vê na imagem, o arqueiro estava caído na hora do lance…

    http://mundoestranho.abril.com.br/esporte/pergunta_287267.shtml

  • 5. Yuri  |  05/02/2009 às 12:40

    Eu já tinha ouvido falar dessa roubalheira de 1982, mas não existem vídeos!! Uma pena.

    PS: O Avaí perde a mística quando algum galináceo fizer o Top 80 do Atlético Mineiro (e ainda vai faltar um monte).

  • 6. vignoli  |  05/02/2009 às 12:42

    CLARO. Escretes com títulos internacionais do nosso país tem grandes humilhações, o SPORT, não. Claro, claro.

  • 7. Matias Pinto  |  05/02/2009 às 12:47

    É IMPERIOSO que flamenguistas, atleticanos e galinhas-pretas mandem suas listas para a ImpedCorp. Tenho dito!

  • 8. col  |  05/02/2009 às 12:51

    Cara, interessante a lista. Mas uma derrota simples fora de casa, para Palmeiras e Gremio, nao parece qualificar-se como humilhacao, independente da explicacao.

  • 9. Luís Felipe  |  05/02/2009 às 12:58

    na minha cabeça, ser violentamente prejudicado pelo juiz não é humilhação. Mas essa é a minha cabeça.

  • 10. Yuri  |  05/02/2009 às 13:19

    Bom, já sabemos então que ser rebaixado UM MILHÃO de vezes já nem conta como humilhação para um torcedor do Sport. Bom saber que há clubes que encaram o rebaixamento com naturalidade.

  • 11. gilson  |  05/02/2009 às 13:28

    9 # Tenho notado que muitas citadas “humilhações” na verdade seriam “derrotas que o torcedor não engole”. No caso da seleção, discordei da derrota para Hungria e Holanda porque eu não sinto dessa forma, foram derrotas para escretes tidos como bons (ao contrário de 82, mas daí já é outra estória). Mas para o pessoal que não é do centro-sul maravilha, perder dessa forma (roubo acintoso, ao menos foi alegado assim) pode ser uma humilhação, se a gente pensar que o contrário nunca aconteceria. No fim das contas os caras saíram do sudeste, os roubaram dentro de casa, e até onde sei, esta estória não é tão famosa quanto, por exemplo, a do Galo de Reinaldo e Cerezo; o que implica dizer que nem há reconhecimento de uma alegada “injustiça”. Achei válido por isso, e está muito massa esta série das humilhações.

  • 12. Cardoso  |  05/02/2009 às 13:50

    #7. Humilhação pra flamenguista é ser campeão sem ajuda da arbitragem. Como isso é raro de acontecer, vai ser difícil fazer um top 10 framengo…

  • 13. Eduardo De Nardi  |  05/02/2009 às 13:53

    Eu acho que a TOP 1 do Sport deveria estar entre as TOP10 do Flamengo. Assim como uma das maiores humilhações do Corinthians foi gastar uma fortuna com ajuda de uns safados em um time, e ainda ter que fazer uma armação de anulação de jogos, algo “nunca visto antes na história deste país”, para ganhar um título.
    Mas se roubarem descaradamente para nosso time fosse uma humilhação, o Flamengo só ia ter isso nos seus TOP10.
    ABS

  • 14. Eduardo De Nardi  |  05/02/2009 às 13:55

    Ah, e apesar de colorado, essa do cara tirar com a mão o gol do Grêmio tá disponível no Youtube e é ABSURDO. Roubo descarado.
    ABS

  • 15. Carlos Simon  |  05/02/2009 às 14:01

    ganhei o sorteio e serei o árbitro do Gre-Nal.

    prevejo choro e ranger de dentes.

  • 16. Gustavo Chá Mate  |  05/02/2009 às 14:03

    #1 Acho que o 3 ficaria mais completo se incluísse o fato de que o Palmeiras era treinado por MURTOSA.

    Sim, e tinha TUTA no ataque.

  • 17. Gustavo Chá Mate  |  05/02/2009 às 14:04

    HAHAHA, melhor comentário esse fake do Simon!

  • 18. Eduardo Krause  |  05/02/2009 às 14:21

    Ainda estou me recuperando do comentário do Carlos Eugênio.

  • 19. Fernando Cesarotti  |  05/02/2009 às 14:35

    Re #16
    O Tuta chegou depois, na Copa dos Campeões o Palmeiras tinha PRÓCERES do naipe de BASÍLIO, TITI e o não menos glorioso ALBERTO, que dois anos depois seria campeão com o Santos.

  • 20. Prestes  |  05/02/2009 às 14:36

    Titi, campeão gaúcho com o Caxias em 2000. O Palmeiras contratou o zagueiro PAULO TURRA tb não?

  • 21. Dokstra  |  05/02/2009 às 14:44

    caro col (comment 8), concordo com o comentário. mas, como expliquei no textinho introdutório, 10 humilhações não constam no nosso livro de memórias…

  • 22. Leandro Vuaden  |  05/02/2009 às 15:04

    Por que eu nao entrei para o sorteio?

  • 23. Sanchotene  |  05/02/2009 às 15:13

    Re 15:

    E o Inter acaba de vencer o clássico!

  • 24. Eduardo Zobaran  |  05/02/2009 às 15:23

    Pô, cara. Vou reescrever as humilhacões do Botafogo e acrescentar: “Nossas humilhações são infinitamente piores dos que as Top 10 humilhações do Sport”. Vai virar Top 11.

    Essa do Marília merecia taça, medalha e chuva de prata no fundo.

  • 25. Álisson  |  05/02/2009 às 15:28

    Ooooooo Vuaden, tu é moderninho demais!

    GreNal é peleia e reclamação, tem que ser o EUGÊNIO.

  • 26. Carlos Simon  |  05/02/2009 às 15:40

    Vuaden, não entraste por que meu amigo Chico está ganhando o patrocínio da Gumex. São 10 mil reais mensais para me escalar nos jogos mais importantes, como grenais, finais e Brasil de Pelotas. Deixa crescer o teu cabelo e arranja um avalista, daí podes negociar em outro nível.

    Sanchotene, aí é que tu te enganas. Preciso reformar imediatamente minha moral com o lado tricolor da cidade. Sabes que na África do Sul, a Fifa já disse que terei de me hospedar ao lado do Gaúcho da Copa. Aguentar aquele mala já não é fácil; aguentar corneta daquele mala então vai ser pior ainda. Podes crer que o teu Grêmio terá boas notícias domingo.

  • 27. Junior  |  05/02/2009 às 15:44

    “Deixa crescer o teu cabelo e arranja um avalista, daí podes negociar em outro nível.”

    gdfgsdfadfafad

  • 28. Yuri  |  05/02/2009 às 16:56

    ‘a Fifa já disse que terei de me hospedar ao lado do Gaúcho da Copa. Aguentar aquele mala já não é fácil…”

    Essa matou a pau.

  • 29. Felipe catarina  |  05/02/2009 às 17:20

    “Agora, depois do Avaí, todas as tragédias e humilhações parecem brincadeira de criança.” [3]

    Desafio qualquer atleticano de Minas a fazer melhor. rsrsrsrs. E até entendo que o Sport pode não ter humilhações em nível doméstico, já que dá de relho em Santa e Náutico, mas com certeza já deve ter sofrido derrotas humilhantes em torneios nacionais. Difícil acreditar que isso não tenha acontecido.

    A propósito, eu não comentei naquele post do Avaí porque fazia tempo não entrava na net e só agora vi os comentários inteiros (por sinal, hilários). Mas, respondendo a uma questão: não, eu não inventei absolutamente nada. Pelo contrário, até omiti algumas coisas pro meu amado time não passar VERGONHA perante a audiência do Impedimento. hahuahaha

    Douglas, é verdade: um ano depois de eu começar a acompanhar o Leão ele foi rebaixado pra segundona catarinense. Sem contar que no ano anterior ele tinha perdido a final do estadual pro Brusque, o que equivale mais ou menos a Inter/Grêmio perdendo final do Gauchão pro Veranópolis. Além disso, eu já vi a Chapecoense (é “a” Chapecoense, não “o” Chapecoense, como diz a grande imprensa) ser campeã catarinense mais vezes (2) que o Avaí (1). Pra não fazer feio, eu sempre digo que lembro do título do Avaí de 1988, daí pelo menos empato com a Chapecoense. Mas eu fiz 4 anos uma semana antes de o Avaí ganhar aquele título, então obviamente não lembro de nada.

    E Franciel, fico muito aliviado em saber que o Vitória foi o primeiro do mundo a ser eliminado duas vezes no mesmo campeonato. Meus amigos figayrenses já nem me enchem mais o saco depois que souberam dessa.

    A propósito, hoje tem clássico, no excelente horário das 22h (sim, quinta às 22h, por causa do pague-pra-ver), no Scarpelli. Estarei lá.

    Abs.

  • 30. Prestes  |  05/02/2009 às 17:25

    E à propósito: horário ESDRÚXULO de Inter e CANOAS (NELSINHO; 2009) hj, hein??

  • 31. Flávio Chubes  |  05/02/2009 às 18:18

    juiz roubando pro Flamengo na década de 80? daqui a pouco o amigo vai falar Ronaldo Fenômeno tava num motel com 3 travecas.

  • 32. Flávio Chubes  |  05/02/2009 às 18:22

    aliás, é engraçado como a moçada azul-danoninho de BH fala do Galo como se nunca tivessem levado de 9 a 2 ou como se, num domingo à tarde da década de 80, eles não preferissem estar na Faixa de Gaza a estar no Mineirão.

  • 33. reciferock  |  05/02/2009 às 19:29

    A a 1. primeira lembrança como rubro-negro pernambucano foi esse “Sport 2 x 1 Flamengo”.

    Meu avô morava pertinho do Arruda, todos eram tricolores… fui levado pro jogo e virei rubro-negro.

    g!

  • 34. Krause  |  05/02/2009 às 20:25

    Coluna semanal do Carlos Eugênio Simon no Impedimento já!

  • 35. beretta  |  05/02/2009 às 21:20

    [ OFF ]

    D’Alessandro

    http://coloradana.blogspot.com/2009/02/de-gandula-craque.html

  • 36. Anônimo  |  05/02/2009 às 21:29

    TE CUIDA ALEX.

  • 37. col  |  05/02/2009 às 21:30

    TE CUIDA ALEX.

  • 38. Luís Felipe  |  05/02/2009 às 21:36

    te cuida Alex.

    se o Taison fizer mais uns 28 gols, tu perde o posto de jogador mais detestado.

  • 39. col  |  05/02/2009 às 21:38

    Cara, Taison e Nilmar>>>>>>>>>>>>>>>>>Alex e Nimar

  • 40. Luís Felipe  |  05/02/2009 às 21:45

    eu acho engraçado q para dizer q o alex é ruim, vale dizer “fez vinte gols contra ninguém”.

    Aí o Taison faz dois contra a ULBRA EM CASA e vira titular.

  • 41. Flávio  |  05/02/2009 às 22:09

    Os dois tinham que ser titulares, com o D’Alessandro e o Nilmar. Mas o sistema de cotas para volantes no futebol gaúcho não permite, mesmo num time em que os laterais são mais defensores do que alas.
    “Pior” que Sandro, Walter e Giuliano são os melhores da Seleção sub-20. Mas o único que vai ter chance aqui é o Sandro, que tem a “sorte” de ser volante.

  • 42. col  |  05/02/2009 às 22:41

    #40,

    Diferencas basicas entre Taison e Alex: brio, forca fisica, velocidade, vontade de jogar pelo Inter etc.

    Sim, Taison marcou contra morto. E o Alex, quantos gols tem em 2009?

  • 43. col  |  05/02/2009 às 22:42

    Alex no meio = suicidio contra times medios/bons.

    O cara nao tem competitividade para jogar na meia cancha. Se a gente estivesse vivendo nos anos 70, talvez teria espaco no meio.

  • 44. Flávio  |  05/02/2009 às 22:45

    Bah… Alex só começou a jogar como “atacante” (na verdade, meia ofensivo num 4-5-1 enrustido) em 2008. Antes, foi meia, “3º volante” e até lateral-esquerdo…

  • 45. Francisco Luz  |  05/02/2009 às 23:10

    Alex no meio = suicidio contra times medios/bons.

    Inter 2 x 0 Libertad, Inter 2 x 1 São Paulo.

  • 46. col  |  05/02/2009 às 23:28

    Sacanagem, neh? E quantos outros jogos o Inter jah jogou?

  • 47. col  |  05/02/2009 às 23:29

    Jorge Wagner + Tingas = operadores de milagres.

    hahauhuhaaa

  • 48. Francisco Luz  |  05/02/2009 às 23:53

    Inter x Estudiantes na Argentina… sem Guiña, destaque-se.

    Mas tudo bem. Quero que ele seja vendido e renda um bom dinheiro para nós, pois acho que o Taison vai assumir tudo de boa.

  • 49. EGS  |  06/02/2009 às 01:20

    Eh obvio que o Sport teve humilhacoes piores do que as relatadas aqui, mas o Doutor Estranho quis omitir, certo.

    E aguardo top ten do Nautico, a.k.a A VERGONHA DO RECIFE.

  • 50. Fernando Cesarotti  |  06/02/2009 às 07:24

    Re #20:
    Sim, Paulo Turra. Eu não consegui achar a ficha técnica desse Palmeiras x Sport, mas eu leio o Palmeiras e volto aos nada saudosos anos 80.

  • 51. Fernando Cesarotti  |  06/02/2009 às 08:18

    Jesuizamado, Xico sá nos cita:
    http://www1.folha.uol.com.br/fsp/esporte/fk0602200915.htm (só pra assinantes da Falha)

    Vai chover audiência agora.

  • 52. Francisco Luz  |  06/02/2009 às 09:19

    Ctrl c ctrl v para quem não é assinante, Fernando.

  • 53. Daniel Cassol  |  06/02/2009 às 09:26

    XICO SÁ

    Humilhados e ofendidos

    ——————————————————————————–
    O jovem torcedor tricolor, de tanto triunfar, não suporta mais a decepção de uma bola nas costas do destino
    ——————————————————————————–

    AMIGO TORCEDOR , amigo secador, tem ser humano hoje em dia, como um são-paulino mais jovem, por exemplo, que é incapaz de mascar o jiló de uma derrota. Simplesmente não faz ideia do que seja conviver com o revés, com o desgosto, com o travo rotineiro da desgraça ludopédica, com o desábito da vitória, como disse João Cabral sobre o seu América, time a quem emprestou seu futebol como um clássico beque, arrojado com o jogo como seria depois com as palavras.
    O tricolor, de tanto ver triunfar seu clube, não suporta mais a decepção de uma bola nas costas do destino. Mesmo no certame bandeirante, tão chutado para o mato por torcida e cartolagem, a ideia de perder é inaceitável. Ora, o gozo da vitória permanente vicia mesmo, contamina qualquer criatura, por mais humilde que seja, do pecado da soberba.
    Meu amigo, você aí, fã de Santos, Palmeiras, Corinthians, sabe o que é passar quase seis meses sem voltar para casa mascando o jiló da derrota? Você do Rio, flamenguista, tricolor, botafoguense e vascaíno, tem a mínima ideia do que falamos? Claro, estou tratando do agora, não vale recorrer ao urubu do Henfil e lembrar o rubro-negro de Zico e elenco. Mas não puxei essa toada para falar das zangações do Muricy, que, humaníssimo que é, desacostumou- -se com a vida e perdeu, como a torcida, a capacidade de saber perder. O motivo é outro, grandioso, épico, bíblico até, diria este cronista alimentado nas tetas profanas do exagero. Amigo são-paulino na flor da idade, você que não sabe o que é voltar do Morumbi, na melancolia do lusco-fusco domingueiro, arrastando a cachorrinha magra dos ofendidos e humilhados, preste atenção no que digo, pois o que recomendo será útil daqui para a frente.
    Falo da ótima ideia do blog Impedimento, brava publicação gaúcha, que começou a listar, com direito a belíssimas crônicas, as dez principais humilhações dos times brasileiros. Você aí, jovem tricolor, entra lá e vai saber que no passado não foi essa moleza toda torcer pelo São Paulo.
    O Matias Pinto lembra lá, por exemplo, além de uma derrota antiga para a gloriosa Linense, um desgostoso Cobreloa 3 x 1 SPFC, idos de 1987, Estádio Municipal de Calama, resultado que empurrou o clube do Morumbi para a lanterna. No “top 10 das grandes humilhações”, como é chamada a série, tem o Fernando Cesarotti, em texto grego para lá de tragicômico, contando que estava num motel quando o Palmeiras foi rebaixado em 2003. Sim, aquele embate com o Vitória. Pior é que o cara, mesmo com o Porco na Segundona, ainda conseguiu, prega ele, cumprir com as obrigações testosterônicas com a mulher.
    Já o Roberto Azoubel, chamado de Doutor Estranho, solta a pena, escrita finíssima, e narra as dores do nosso Sport. Destaque para a peleja que ficou conhecida no Recife como “o jogo do cabaço”: a derrota de 1 a 0 para o Santa Cruz, perdendo a chance de ser campeão invicto em 2007. Outro rubro-negro contemplado é o baiano, com Franciel Cruz, qual um Gregório de Mattos, fazendo a troça dos infortúnios do Vitória.
    E assim segue a lista. Imagine as desgraças do Botafogo. Nem é bom pensar, meu caro alvinegro. E você, amigo, quais suas grandes decepções com o ludopédio?

  • 54. Fernando Cesarotti  |  06/02/2009 às 09:30

    E agora o mundo saberá onde eu estava na tarde de 17/11/2002, e nem vai adiantar Dona Camila não ler o Impedimento…

  • 55. Francisco Luz  |  06/02/2009 às 09:43

    Fernando Cesarotti | 06/02/2009 at 09:30

    E agora o mundo saberá onde eu estava na tarde de 17/11/2002, e nem vai adiantar Dona Camila não ler o Impedimento…

    HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAH

    Pô, Xico Sá manja nada de sofrimento. Não falou do Avaí.

    http://www.folha.com.br/impedimento, registrem.

  • 56. Prestes  |  06/02/2009 às 09:49

    Bah, que afudê!

  • 57. Prestes  |  06/02/2009 às 09:49

    col >>>>>>>>>>>>>>>>>>>>> mandarins

  • 58. Zobaran  |  06/02/2009 às 09:51

    Eu fui pegar a Folha para dar um confere e atestar a veracidade da informação. Tô bôlá-sa-po.

  • 59. Gustavo  |  06/02/2009 às 10:31

    E vamos nos preparando para nova invasão… dessa vez, de brasileiros.

  • 60. Gustavo  |  06/02/2009 às 10:32

    Algo me diz que tu vais ter problemas sérios em casa, Fernando. A tua senhôra te esperas com o CUTELO.

  • 61. izabel  |  06/02/2009 às 12:01

    parabéns pela citação!
    maaaaaaaaaaaaaaaassa. dá-lhe impedimento.

    uma vantagem (e desvantagem ao mesmo tempo) é que saiu na coluna do chico sá. creio eu que a coluna dele não deve ter muito ibope.ainda não entendi o hype que ele conseguiu pra ser colunista de futebol na folhasp. acho que quem pega o jornal pra ler sobre futebol deve pular o que ele escreve, e os que querem literatura devem ir direto na ilustrada.

  • 62. Junior  |  06/02/2009 às 14:24

    Izabel, eu sou da turma que lia direto o Xico Sá quando meu pai assinava a Folha. O Xico Sá e o Torero fazem o que David Coimbra (editor de esportes da ZH) pensa que faz, trazer algo novo à enfadonha cobertura esportiva. O Xico Sá tem duas frases fantásticas:

    “Só o chifre humaniza um canalha.” E a melhor de todas:
    “Homem que é homem não sabe a diferença entre estria e celulite.”

  • 63. vignoli  |  08/02/2009 às 13:16

    Ainda acho um absurdo a FALÁCIA de que estas são as maiores humilhações do Sport. (Quase) manchou o quadro.

    Alguém que não sabe rir de si mesmo é um sintoma claro de que, embora com toda a presunção, no fundo, sabe que é MENOR. [devo ter lido em algum livro de auto-ajuda bagaceiro]

  • 64. Godo  |  09/02/2009 às 12:21

    Eu já mandei minhas top 10 do Fla, porém, não foi postado aqui… é da vida.

  • 65. catarina  |  09/02/2009 às 16:51

    Bom, só acho que a #10 devia ser a número 1. Porque esse era o time do Santa Cruz que nos levou à Série C, à desgraça do terceiro rebaixamento seguido.

    Mas vale tbm dizer que jogos como o jogo do cabaço se repetem COM FREQUENCIA. que a coisa não entra no Arruda para não tropeçar, como ontem.

    Viemos do nada, de não ter patrocinador, do estádio estar interditado, de não estar classificado nem pra Série D do brasileiro. Ficamos quase quatro meses sem jogar, começamos do zero. Ontem, o bandeirão que subiu tinha três cores, estamos em segundo no campeonato, prontos pra beliscar.

    a coisa achou que ia comemorar o primeiro turno antecipado dentro do Arruda. Já mandei fazer uma faixa de 20 metros escrito “AQUI DENTRO, NÃO!”

  • 66. rosa  |  10/02/2009 às 18:11

    vignoli
    se tu não vê a dor e delícia de rir de si mesmo dentro do nosso delicioso orgulho rubro-negro-do-Recife é que a falta de humor está no olho de quem lê…

  • 67. gustavo  |  12/02/2009 às 14:25

    “craques como Bosco, Adriano, Nildo, Leonardo”

    ??????????????????????????

  • 68. Expedito Paz  |  17/02/2009 às 01:08

    Eu estava nesse jogo do centenário contra o Santo André. Além de tudo, ainda choveu pra caramba durante o jogo…

  • 69. Rogério Tomaz Jr.  |  18/02/2009 às 18:20

    Devo encontrar o Xico Sá no carnaval… se tivesse a camisa do Impedimento iria doar a ele…

  • 70. Andre  |  03/03/2009 às 17:37

    Pô, mas a humilhação de 1982, vocês devolveram em 1987, tirando o título brasileiro do Flamengo. O Sport é o único time do mundo que jogou a SEGUNDA DIVISÃO e acabou campeão da PRIMEIRA!
    Isso merecia constar nos vexames…
    Abraço Corinthiano (Sem ressentimentos)

  • 71. Ramiro  |  03/04/2009 às 16:40

    só Deus sabe quantas vezes ouvi essa história de 82 do b~ebado do meu pai.

    estive nos jogos 9 e 3, ó tristeza

  • 72. andreyzão  |  26/04/2009 às 03:59

    Bonus round:

    Ter que entrar na justiça COMUM pra ganhar (ROUBAR) FORA DE CAMPO, um título que NUNCA foi seu. 🙂

  • 73. Anônimo  |  01/05/2009 às 15:16

    para o 72: pior é querer tomar a taça depois de se recusar a entrar em campo. que time mais frouxo esse do rio. por causa dele, (nós) tricolores e alvirubros pernembucanos sofremos com a arrogâcia rubro-negra (aliás, isso parece uma característica comum entre os times com estas cores…).

  • 74. .  |  18/05/2009 às 21:29

    PREZADOS.

    Tal como há uma seção dos “Dez maiores vexames” dos clubes, aqui no Impedimento, humildemente proponho mais uma lista. Menos gloriosa, mas não menos polêmica:

    OS CINCO MAIS IMPACTANTES ERROS DE ARBITRAGEM A FAVOR E OS CINCO MAIS IMPACTANTES ERROS DE ARBITRAGEM CONTRA CADA CLUBE.

    E aí, moderadores, topam?

    Abraços.

  • 75. rogerpowersenai na area  |  17/08/2010 às 09:47

    o sport e o melhor time de pernanbuco mas se torcida ganhasse o santa ja estava na serie a mas o sport e foda so esta presizando de agumas ajuda do meu campo para a frente mas e assim mesmo começad o0 mas depois se ajeitamos e damos o reviravolta

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Subscribe to the comments via RSS Feed


Especial – Libertadores 2011

A bola da ImpedCopa

Toco e me voy

Feeds

web tracker

%d blogueiros gostam disto: