Archive for fevereiro, 2009

O dia em que o Quilmes virou o time do Pato Donald

Grande alvoroço se instalou no bairro de Jacarepaguá com a notícia divulgada no final de 2012. Não, a Fifa não desistiu da Copa do Mundo, nem o governo resolveu acabar com a renovação automática das concessões. A questão é que o Quilmes, clube mais antigo da Argentina, derrotou o Vélez Sarsfield e tornou-se o quarto classificado argentino para a competição, disputando uma vaga na Pré-Libertadores.

Não era exatamente uma novidade, pois o Quilmes disputara uma Libertadores antes, protagonizando o lamentável episódio Desábato. O problema previsto por um executivo mais atento era o nome que os jornalistas da empresa global deveriam dar ao clube. (mais…)

28/02/2009 at 10:57 131 comentários

A hora e a vez dos balaquentos

Passatempo mais familiar que o carnaval em Veranópolis, só mesmo freqüentar o Estádio municipal Antônio David Farina. No domingo passado, enquanto suávamos frio com a britzkrieg do Santa Cruz sobre área do VEC, duas senhoras ao meu lado discutiam calorosamente qual o melhor lugar para se fazer as unhas na cidade, enquanto um bando de crianças se encharcava numa guerra de garrafas de água, bem atrás do bandeirinha. (mais…)

27/02/2009 at 12:45 86 comentários

Inter surpreende Nóia e está na final

internoia
Rasteira, esporte nacional.

Se os espectadores do futebol encontravam-se exauridos após a blitz tricolor da noite de quarta, Internacional e Novo Hamburgo trataram de fazer um jogo no ritmo de ressaca, só interrompido pelo som das botinadas germânicas nas canelas coloradas. Ao fim e ao cabo, o Inter garantiu-se na final do primeiro turno, numa partida em que Carlos Eugênio Simon provou mais uma vez sua vocação para a política. (mais…)

27/02/2009 at 07:00 140 comentários

O irmão de Roberto

Conheço Roberto Markarian há mais de vinte anos. Ele morou na casa de um casal de amigos meus durante um bom período, nos anos 80, enquanto escrevia sua tese de doutorado na UFRGS. É um sujeito engraçado, inteligentíssimo e que parece conhecer tudo. Matemático de primeira linha, teve sua carreira interrompida pela ditadura militar uruguaia, que preferiu vê-lo preso. Aos 36 anos, em 1983, ele apareceu por aqui para recomeçar as atividades em sua área, após 10 anos de inatividade. É daquelas pessoas que qualquer um gostaria de ter como amiga. Sempre sorrindo e contando coisas com graça, Markarian é gentil até para discutir. Lembro que uma vez ele defendeu a tese, para mim indiscutível, da superioridade da literatura em língua espanhola sobre a de língua portuguesa. Contra os bobos protestos nacionalistas, ele permaneceu tranqüilo, rebatendo facilmente os contra-ataques. Uma vez, perguntei sobre sua família. Surpreendi-me com a profissão de seu irmão: técnico de futebol. (mais…)

26/02/2009 at 12:00 59 comentários

Um moço afoito, uma senhorinha melindrosa

1127938-8633-atm17

O jogo presenciado por 33 mil tricolores e uma meia dúzia de chilenos começou dando a ERRÔNEA impressão de que poderia haver um mínimo de equilíbrio. Isso porque o Universidad do Chile conseguiu um escanteio logo a um minuto e depois ainda contou com uma rateada de Tcheco, A Rainha da Inglaterra da corte de Celso “Charles” Hot. Mas nem o ATRAQUE que o Grêmio INFLIGIU durante o jogo inteiro foi suficiente para remover o NADA do placar. (mais…)

26/02/2009 at 01:32 221 comentários

Por que Libertadores ou O triste fim de um apêndice são-paulino

Sob o risco de colocar toda a minha credibilidade no lixo, revelo que descobri o futebol aos 13 anos, idade em que inglesinho já anda por aí fazendo filho. Se um dia isso for usado contra mim, nego e tenho provas do contrário: fotos de piá com a camisa do Grêmio costurada pela avó e tudo, mas isso se dava menos por interesse e mais por insistência de um tio gremista que, determinado a se vingar dos oito irmãos colorados, decidiu cooptar toda uma geração de sobrinhos com bugigangas tricolores. (mais…)

25/02/2009 at 14:01 51 comentários

Após a falência do caráter, o futebol

É impressionante como, mesmo que não viaje e permaneça no conforto do lar pretendendo produzir alguma coisa, o cidadão é inevitavelmente ARREBATADO pela fúria bestial que acomete a grande nação brasileira no período do Carnaval. Fiquei em Porto Alegre, mas a sensação de falência física e ruína moral é a mesma que se eu estivesse passado os últimos quatro dias em Laguna acompanhando dúzias de estudantes universitários. (mais…)

25/02/2009 at 07:00 41 comentários

Posts antigos


Especial – Libertadores 2011

A bola da ImpedCopa

Toco e me voy

Feeds

web tracker