Valei-me São George Romero

31/07/2009 at 12:38 36 comentários

Injuriado, retorno a esta tribuna sacando do coldre um spoiler, aquele artificio muito usado por xibungos e cinéfilos (desculpe-me a redundância) para antecipar o desfecho da trama. Portanto, aviso logo à praça: Se seu negócio é ludopédio, favor voltar outro dia. O longo texto que segue abaixo não tratará de futebol.

O seguinte é este. Ou melhor, foi este.

O ponteiro do relógio marcava exatamente 17h49 quando a porra do telefone do trabalho toca insistentemente. Absorto, ignoro. Porém, a estagiária, burra, gostosa e gentil, me chama.

– Ligação para o senhor

– Diga que não estou, minha filha.

E não estava mesmo. Minha cabeça, tronco e membros continuavam voltados para a peleja entre Vitória x Avaí, que começaria às 21h no tenebroso e friorento Estádio Ressacada.

Poucos instantes, a disgramada retorna.

– Eu falei que o senhor mandou avisar que não estava (viva a inteligência!), mas a moça informou que era coisa urgente.

Diante disso, aquiesço. E ouço do outro lado da linha a voz aflita de DONA SÔNIA, a moça que trabalha lá em casa.

– Sêo Françuel, o menino tá com 39,7 de febre. Tem que levar para o hospital agora.

Havia tanto terror na sua frase, que parecia que era a referida que estava prestes a bater as botas. Por isso, ato contínuo, abandono a labuta na gloriosa, egrégia e augusta Assembleia Legislativa e desço a ribanceira já pensando em uma fórmula para adiantar o serviço. Mesmo sabendo que podia dar AZAR, avento até a hipótese de pegar carona com a MINHA VIZINHA.

Antes 19h, chego na emergência lotada do Hospital da Bahia e escuto uma estranha sinfonia de tosses e espirros.

Putaquepariu o porco espinho!

E o ponteiro do relógio dispara. 19h30, 20h, 20h30 – e nada. Exatamente às 20h48 o médico, numa leseira do cão, começa a atender meu rebento. Porém, em vez de cuidar logo da gripe, ele começa a querer saber a história toda do guri. Depois de muita prosopopéia inútil, receita nebulização e hemograma.

Pego o sacaninha pelo braço e arrasto-o pelo corredor daquele asséptico nosocômio. São exatamente 21h02 e nenhuma bandeira do Vitória naquele recinto. É muito descaso. Por isso que a saúde do Brasil tá do jeito que tá.

Mas, derivo.

Em seguida, uma enfermeira de peitos pequenos (não se fazem mais enfermeiras como antigamente) pede para eu ficar tranquilo. “Tenha calma. Vai ficar tudo bem. Não é nada grave”. Como assim não é nada grave? Já são 21h10 e não tenho nenhuma notícia sobre o jogo lá em Santa Catarina.

Pois muito bem.

Dizem que quando o satanás não aparece manda seu secretário. Olho para o lado e vejo um perneta filho da puta (por que todos os pernetas são filhos da puta?) com um fone no ouvido, bem feliz. Faço um sinal e peço, humildemente, para ele sintonizar numa rádia que esteja transmitindo a partida. “Já estou ouvindo o jogo. Tá 1 x 0 para o Avaí”, diz o sacripanta, sem disfarçar a alegria.

Então, decido acompanhar a peleja pelo semblante do desinfeliz. Poucos minutos depois e ele faz uma cara de quem está atrasado para ir no sanitário.

– O que foi? , pergunto aflito.

– O Vitória meteu uma bola na trave.

Mais um tempinho e ele abre um sorriso escroto. Avaí 2 x 0. Desisto de ficar olhando para a cara do perneta filho da puta, mas não abdico de tentar ver o resto do jogo. Procuro novamente a enfermeira de peitos pequenos. Ela me diz que o resultado do hemograma não vai demorar. “Em menos de duas horas está pronto”.

Duas horas? Caralho!

Então, apelo. “Meu filho, vou aqui fora tomar um ar. E volto já” Como ele já me conhece há 18 anos, largou. “Vai procurar um bar pra ver o Vitória, né, pai?”. Não tenho como negar. “Mas, é rápido, filho. Em meia hora estou de volta. Só vou ver a segunda etapa”. E ele. “Mudaram a regra do jogo, foi? Cada tempo agora tem apenas 30 minutos?”.

O sacana com gripe e febre e ainda fica fazendo piada…

Pergunto ao porteiro do Hospital onde posso ver o jogo ali perto.

– Vá no Botequim. É só dobrar a segunda a esquerda e, depois do quebra-mola, pegar a direita.

Chego na disgrama do recinto e vejo apenas rostos lânguidos. O telão tá passando um show de Djavan. Bem feito. Quem manda ir num lugar que se chama botequim, com ó.

Brasileiro, não desisto nunca. E mais rápido do que um Ben Johnson dopado, corro para a Rua do Canal. Antes de chegar na esquina, ouço o barulho de fogo e penso. “Agora, vai. Gol do Vitória”. Olho para o lado e lá está um corpo estendido no chão. Um cidadão tentou reagir a um assalto e foi alvejado na mão e na clavícula.

Fujo dos ladrões e finalmente chego numa budega para ver o time. Antes que pudesse passar as primeiras orientações, Victor Ramos toma um nó de menino de playground e ainda faz penalti bisonho. 3 x 0. Pra acabar de fuder a porra toda, o juiz, em vez de acabar logo o jogo, deixa a partida ir até os 45 minutos. O Avaí mete mais um.

Volto para o Hospital depois da meia-noite e ainda não tem o resultado do hemograma. Toda a equipe médica está mobilizada atendendo o rapaz (ele também era rubro-negro) que levou os tiros.

Olho para a folhinha que marca 31 de julho. Poizé. Agosto ainda nem começou.

Valei-me São George Romero!

Franciel Cruz

Anúncios

Entry filed under: Brasileiro, Clubes, Contribuições.

A covardia do treinador gaúcho Fé no São Random

36 Comentários Add your own

  • 1. Godo  |  31/07/2009 às 12:55

    Relato delicioso. A parte do baleado é histórica. Sem contar o perneta.

  • 2. Logan  |  31/07/2009 às 13:01

    Rapaza, só falou uma coisa, o time entrar em campo.

    Pior que não dá nem pra culpar o Roger, então a culpa é do Franciel e seu filho que inventou de ficar doente uma hora dessas, quem mandou? Agora receba!

  • 3. Logan  |  31/07/2009 às 13:02

    *Rapaz…
    *faltou…

    O jogo foi ontem e ainda tô tonto…

  • 4. beretta  |  31/07/2009 às 13:23

    Em seguida, uma enfermeira de peitos pequenos (não se fazem mais enfermeiras como antigamente)

    ahUHUOHauhuhuoHUhaOHOhOhouoh

    méldéls!
    MELHOR relato pra essa sexta!

    Garçom, uma cerveja pro Françuel por minha conta!

  • 5. Renan  |  31/07/2009 às 13:40

    Por conta dessa semvergonhice, o Vitória vai acabar entrando na Libertadores pela repescagem.

    Foda, viu!

  • 6. Prestes  |  31/07/2009 às 13:42

    GÊNIO!!!!!!

  • 7. Daniel Cassol  |  31/07/2009 às 13:44

    O Franciel que é o locutor das multidões.

    Aliás, provando que gaúcho não vale nada mesmo (vide post do LF), os maiores CRONISTAS do Impedimento são não-gaúchos.

    O Douglas não conta. Ele é de Cachoeirinha.

  • 8. izabel.  |  31/07/2009 às 13:45

    ahhahahhahahhaahahhaha

  • 9. Prestes  |  31/07/2009 às 13:45

    “Em seguida, uma enfermeira de peitos pequenos (não se fazem mais enfermeiras como antigamente)”

    “São exatamente 21h02 e nenhuma bandeira do Vitória naquele recinto. É muito descaso.”

    “Poucos minutos depois e ele faz uma cara de quem está atrasado para ir no sanitário.”

    “Olho para o lado e vejo um perneta filho da puta (por que todos os pernetas são filhos da puta?)”

    “Antes que pudesse passar as primeiras orientações”

  • 10. Arbo  |  31/07/2009 às 14:03

    mto mto bom. de fuder o bolão.

  • 11. Álisson  |  31/07/2009 às 14:07

    Prestes fez a seleção, texto excelente!

    Cronistas que moram acima daquele rio pedregoso que passa nas terras do meu tio estão matando a pau.

    E o perneta é o que há.

  • 12. Alexsander  |  31/07/2009 às 14:55

    Ué, os (…) da enfermeira foram censurados?

  • 13. mardruck  |  31/07/2009 às 15:10

    Gênio, sem mais.

  • 14. Mateus Borba  |  31/07/2009 às 15:18

    Parafraseando DONA SÔNIA, “Sêo Françuel, esse Vitória, humpf, ai, ai”.

  • 15. mardruck  |  31/07/2009 às 15:18

    Aliás, vi um cara com a camisa do Impedimento (azul, da Taça) no Morumbi ontem. Quem era?

  • 16. dante  |  31/07/2009 às 15:27

    mardruck, acho que era meu amigo ALEJANDRO, colombiano [!].

    confirmarei.

    de mais a mais, FRÃ SOUL EL claramente acusou o golpe e DESVIOU do assunto.

    pra fingir que é feliz, a gente até MENTE que o filho adoeceu!

    catarina 1 x 0 franciel

    [texto mais do que excelente, o melhor de todos, talvez]

  • 17. Junior  |  31/07/2009 às 15:34

    O Prestes já fez a seleção dos trechos que eu ia postar. Por isso, só digo o seguinte: GENIAL!

  • 18. Franciel  |  31/07/2009 às 15:37

    Meu povo legal, meu povo jóia, é com a alma lavada, encharcada e lacrimejada de emoção (dá-lhe Odorico) que venho mui humildemente (mentira) agrader aos imerecidos elogios e dizer ao povo de Sucupira que o relato acima, como não diria Orson Welles, It’s all true.

    Dante,
    uma correção. Não está 1 x 0 pra Catarina, não. É muito mais grave. É 4 x 0.

    Porém, assim que a ressacaDA passar, ou seja, nunca, escreverei novo texto explicando o que ocorreu na friorenta Floripa.

  • 19. rafael  |  31/07/2009 às 15:47

    François, você será processado devido ao fato de não ser politicamente correto. Falar da sensualidade das enfermeiras e chamar um deficiente físico de perneta dá mais cana que Danilo Gentili chamar afro descendente de preto.

  • 20. mardruck  |  31/07/2009 às 15:52

    Dante, o cara parecia meio ruivo. Existem colombianos ruivos?

  • 21. Francisco Luz  |  31/07/2009 às 15:54

    Perguntinha totalmente off-topic: alguém sabe o que aconteceu com o papodebola.com.br, do Edu César?

  • 22. Godo  |  31/07/2009 às 15:59

    #20

    Marduck, vão te enquadrar por discriminar os colombianos ruivos!

  • 23. Carlos  |  31/07/2009 às 16:03

    Muito bom…muito bom MESMO.

  • 24. Evanderson  |  31/07/2009 às 16:55

    Tomaram!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!! Da-lhe Bahia

  • 25. Celão  |  31/07/2009 às 17:11

    Gostei da parte da estagiária burra e gostosa, hehehe…mas o texto está muito bom mesmo. Esse baiano não tem preguiça de escrever!

  • 26. Yuri  |  31/07/2009 às 17:14

    Jogo amistoso do Sanloré no Uruguay:

  • 27. dante  |  31/07/2009 às 17:23

    bá, mardruck, acho que não.

  • 28. igor  |  31/07/2009 às 17:24

    chuuuuuuuuuuupa vitoria cagao de merda

  • 29. almilano  |  31/07/2009 às 17:25

    ahahaahahah

    Porra Franciel, relato sensacional, teus textos são excelentes.

    E me fudi no cartola por causa desse teu time sem vergonha hahahahah

    Abrasssssss

  • 30. Ed Mão  |  31/07/2009 às 17:49

    Ótimo Francis, passarei para os amigos rubro negros. Abs.

  • 31. Felipe  |  31/07/2009 às 19:50

    não vou comentar muito sobre o jogo porque o placar fala por si. E o legal é falar antes pra dar aquele expectativa. Depois que já sabemos o resultado não tem graça nenhuma.

    Mas, ô Franciel (antes que eu esqueça, belo texto de novo), até que ontem não tava tão frio. Deu uma esquentadinha em relação a quarta. Devia estar 11 ou 12 graus.

    E antes que perguntem, informo que o Ferdinando fez 6 faltas no jogo. Quem fez mais pelo Vitória fez 2.

  • 32. Serramalte Extra  |  31/07/2009 às 23:53

    mas 11 ou 12 graus é calamidade pública na Bahia!

  • 33. Vizinha do Apartamento de Baixo  |  01/08/2009 às 01:10

    “estava prestes a bater as botas”

    Alguém diz pra esse tal de Prestes parar de bater as botas, por favor, tá incomodando.

  • 34. Thomaz Molina  |  01/08/2009 às 02:22

    Belíssimo texto. E ainda com uma verdade universal (por que todos os pernetas são filhos da puta?)

  • 35. Logan  |  02/08/2009 às 10:16

    #33 Rá!

  • 36. Fernando  |  02/08/2009 às 17:29

    #15

    bah, devia ser eu. mas nao sou ruivo. nem colombiano. abraço!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Subscribe to the comments via RSS Feed


Especial – Libertadores 2011

A bola da ImpedCopa

Toco e me voy

Feeds

web tracker

%d blogueiros gostam disto: