Posts filed under ‘Reportagens’

Darío, el rompe-gargantas

“Aquí, el hincha agita el pañuelo, traga saliva, glup, traga veneno, se come la gorra, susurra plegarias y maldiciones y de pronto se rompe la garganta en una ovación.” Eduardo Galeano, “El hincha”. (mais…)

27/05/2011 at 14:08 29 comentários

Mareados pelo sacolejo do Prata

Foram mais de mil, os argentinos que investiram em lugares nos imponentes barcos da Buquebus para atravessar o Rio da Prata. Ainda houve os que se utilizaram da ponte aérea do sul e os que, por contar menos pesos nos bolsos, chegaram a Montevideo por terra. Mas o maior aglomerado dos fortineros veio pelo “Mar Dulce”, definição dada pelo navegador espanhol Juan Díaz de Solís, que passou por essas águas n’outras épocas. O perigo de conflitos com a polícia, contra certos aurinegros mais exaltados ou entre os próprios torcedores do Vélez foi dissipado na chegada: caminhavam devagar pela doca montevideana, como que enjoados pela travessia da fronteira natural entre porteños e orientales.  (mais…)

26/05/2011 at 21:37 40 comentários

Mas nós não somos cavalos

Na semana passada, talvez após uma noite mal dormida, Francisco Novelletto tomou uma decisão unilateral e resolveu provocar um licenciamento compulsório de oito equipes do Estado. Na edição 2011 da Copa Federação Gaúcha de Futebol, no segundo semestre, os rebaixados à Terceira Divisão não poderiam se inscrever. Aimoré de São Leopoldo, Atlético Carazinho, Bagé, Garibaldi, Gaúcho de Passo Fundo, Guarany de Bagé, Milan de Júlio de Castilhos e Três Passos perderam, num par de frases inesperadas, o direito de decidir seus destinos. Uma ordem vinda de cima para baixo, sem consulta aos clubes. Como numa ditadura alienante.  (mais…)

25/05/2011 at 14:10 41 comentários

Casa estranha, a duas mil léguas da minha (Parte II)

“J’aime la France parce que j’aime Brigitte Bardot”. Luciano pronuncia a frase com capricho. É o cantinho que lhe restou do francês estudado meio século atrás. Luciano amou a França porque amou Brigitte Bardot. Para entender a musa das salas de cinema do seu tempo, dedicou os quatro anos do Ginásio àquele idioma povoado de estreitezas diferentes dos outros ramos latinos. Deixou a escola em 1959, mas nunca teve chance de ir à Europa. Sem que percebesse, o esquecimento encheu de vazios o seu vocabulário. Aos sessenta e nove anos, aproveitou a viagem do time de sua cidade para disputar um Mundial Sub-15 e subiu no avião como integrante mais velho da delegação. Brinca com a utopia de jantar em Paris com sua Brigitte querida, mas, à noite, no isolamento do hotel suburbano em Nantes, contenta-se com biscoitos. E café, que pede em português alto, pausado e apoiado na mímica. “Co-po de ca-fé”. “CO-PO-DE-CA-FÉ”.  (mais…)

18/05/2011 at 15:00 17 comentários

Casa estranha, a duas mil léguas da minha (Parte I)

“Na noite de véspera de sua partida, ele ficou na cama e sentiu aquele estranho sentimento confuso que os rapazes têm quando estão prestes a partir de casa pela primeira vez, aquele medo sonolento de deixar a cama, o quarto, a casa que sempre foi a primeira base confortável da vida antes de qualquer outra coisa, a casa que é tão familiar e simples quanto um suéter velho, para a qual sempre se retorna depois de excitações e exaustões para dormir tranquilamente: e ao mesmo tempo ele sentia aquele ânimo estonteante para sair de casa – ir para estações de trem, balcões de cafeterias, cidades novas, fumaça e agitação e cheiros de vento novos e estranhos, para vistas inimagináveis repentinas de rio, estrada, ponte e horizonte, tudo sensacionalmente estranho sob céus desconhecidos”. (Jack Kerouac – Cidade pequena, cidade grande(mais…)

10/05/2011 at 06:00 37 comentários

Los de Abajo – G.A. Farroupilha

“Eu existo em Satolep
E nela serei pra sempre
O nome de cada pedra
E as luzes perdidas na neblina
Quem viver verá que estou ali”

Vitor Ramil (mais…)

23/02/2011 at 06:00 55 comentários

Los de Abajo – S.C. Gaúcho

“Por que trouxe para a minha casa a sede do Gaúcho? Por que assumi a equipe na situação mais complicada da história? Por que abri mão da minha vida familiar, do sono e da tranquilidade? Tudo por causa daquele chute do Bebeto. O Wolmar Salton estava lotado, a partida era contra o Grêmio, que até ali ganhava. Até que o Serginho escapou pela direita e cruzou para a meia-lua, onde estava o Bebeto. Ele pegou de canhota e empatou o jogo. O estádio inteiro fez um instante de silêncio. Nunca vou esquecer do som da bola batendo na rede. É por essa lembrança que eu faço de tudo pelo Gaúcho.” (mais…)

08/02/2011 at 13:03 110 comentários

Los de Abajo – G.E. Bagé

.
3 de abril de 1971, Estádio do Passo D’Areia, Porto Alegre. São José 0-1 Gaúcho de Passo Fundo.
17 de abril de 1976, Estádio da Montanha, Porto Alegre. Cruzeiro 0-1 Bagé.
12 de outubro de 1980, Estádio Estrela D’Alva, Bagé. Guarany 3-0 Novo Hamburgo.
19 de novembro de 1980, Estádio Vicente Goulart, São Borja. São Borja 2-1 Internacional.
9 de maio de 1998, Estádio Olímpico, Porto Alegre. Grêmio 1-2 Brasil de Pelotas.
.
(mais…)

24/01/2011 at 12:46 39 comentários

A Argentina vista do alambrado (Parte II)

.
y encontré el molde de unos pies
y encontré luego el molde de un cuerpo
y encontré luego el molde de unas paredes
y encontré luego el molde de una casa que era
como mi casa

Humberto Megget (mais…)

16/12/2010 at 07:00 20 comentários

Notas do Ascenso (2)

Após resgatarmos os feitos do Ferro Carril Oeste, mais Ascenso por aqui. Agora é a vez do Chacarita Juniors, outro dos times ditos menores de Buenos Aires que já esteve, em algum momento da sua existência, no mais alto escalão futebolístico da Argentina. A pesquisa, que trata dos cinco clubes da Grande Buenos Aires na Nacional B, teve grande colaboração de Pablo Picotto, redator do flamante blog portenho La Redó. (mais…)

04/08/2010 at 12:00 12 comentários

Notas do Ascenso

Buenos Aires vai além de La Boca, Nuñez e Boedo. E La Boca, Nuñez e Boedo têm algo a mais do que Boca Juniors, River Plate e San Lorenzo, futebolisticamente ainda falando. Em meio aos pesos do futebol da Primera, dos grandes que monopolizam os melhores jogadores e as maiores parcelas da torcida argentina, vive e está o Ascenso, esta dimensão paralela. Mesmo que as existências pareçam brumosas, clubes como Platense, Almagro, Almirante Brown e Nueva Chicago sempre fizeram parte da tradição futeboleira de Buenos Aires – com paixão fervorosa para os próprios aficionados ou como um elemento ruidoso do cenário para os alheios.

(mais…)

28/07/2010 at 06:00 36 comentários

“Infierno por infierno / prefiero el de la frontera”

Não vi o Uruguai campeão do mundo, nem o de 30 e nem o de 50. Da Copa América de 1995, o último grito, não me sobra nenhum registro. O Uruguai que vi em campo sempre foi o mesmo – o que faz o torcedor roer a unha quando o adversário ultrapassa a linha do meio-campo. Mas há uma aflição toda particular. Rivera, enquanto Uruguai e França duelavam, teve suas portas quase todas cerradas. Apenas os maiores free-shops, imponentes com os seus importados, mantiveram-se abertos. O norte oriental se fez celeste, assim como o diário El País tingiu toda a sua capa de azul – depois de oito anos, voltavam os charrúas a um Mundial. (mais…)

14/06/2010 at 07:00 67 comentários

Paulinho renova esperanças coloradas

Era um dia qualquer e chuvoso. Não havia jogo, não havia sequer treinamento. Mas Paulinho estava ali encostado no alambrado do campo suplementar do Beira-Rio, louco para conversar sobre futebol por horas a fio. (mais…)

11/09/2009 at 07:00 18 comentários


Especial – Libertadores 2011

A bola da ImpedCopa

Toco e me voy

Feeds

web tracker