A barba e os mullets

31/05/2011 at 11:30 61 comentários

É bonita a pós-modernidade. Ainda ontem eu, que nasci para ser gauche na vida, me flagrei concordando peremptoriamente com Onyx Lorenzoni. Eis o que disse o deputado no Twitter: “Ou Falcão acaba com a panela do vestiário ou a panela vai cozinhá-lo até ele derreter, como fizeram com Tite, Fossati e Roth”. Percebam a gravidade da coisa: se eu e você concordarmos com o parlamentar, estaremos concordando que o grupo de jogadores do Internacional derrubou os três últimos treinadores colorados, certo?

E isto tem explicação. Foi o já saudoso Rudi Armin Petry, um dos maiores dirigentes da história do Grêmio, que me deixou claro que nada é mais difícil de comandar que um grupo vencedor. Petry me disse que o ano mais complicado dos tantos em que esteve à frente do futebol tricolor foi 1984, uma temporada após a conquista da Libertadores e do Mundial. Diz que os jogadores ficam cheios de não-me-toques e encaram qualquer crítica como ingratidão. Fácil, então, explicar por que os três últimos treinadores que passaram pelo Beira-Rio tiveram dificuldades com a pasmaceira da alguns dos jogadores mais prestigiados do elenco.

Só tem um problema: a assertiva citando “os três últimos treinadores” está errada. Você, leitor que já foi correndo à caixa de comentários me cornetar: não esqueci do Mário Sérgio (foi só uma pegadinha para ver se consigo dar um MOLHO neste texto). Entre o pastor e o fumegador, houve um breve período em o malandro da língua presa, o precursor de Edmundo nos gramados e de Renato Portaluppi como treinador, foi quem tomou conta da casamata alvirrubra. E o malandro, ao contrário de Falcão, que deve cair lá pela 10ª rodada do PALOCCIÃO 2011, não sucumbiu à “panela”, ou à pura e simples falta motivação daqueles que foram convencidos pela própria direção do clube de que já ganharam tudo.

O discurso dos dois companheiros da jornada invicta é parecido. Mario Sérgio me arrebatou para todo o sempre ao declarar que jamais passará “filminho de gladiador” para seus atletas – depois de ouvi-lo dizer isto, passei a defender que ele ocupe o cargo de treinador colorado de forma vitalícia. Falcão, por sua vez, tentou usar o velho discurso de que “quem joga no (clube a sua escolha) não precisa de motivação”. Mesmo assim, o resultado prático foi muito diferente.

Confesso que Falcão tem me decepcionado. Desde que Tite perdeu completamente o controle sobre o grupo de jogadores do Inter, penso que um ex-jogador como o lendário 5 colorado tem o perfil ideal para comandar o time. É preciso alguém que tenha jogado mais que o D’Alessandro, que tenha sido mais líder que Bolívar, e assim por diante. Falcão fora um tremendo líder tanto no Inter quanto no Roma, tinha tudo para dar certo. Naquela ocasião, ele não foi contratado, mas veio o Mário Sérgio, e funcionou. Agora, tá difícil.

Falcão e Mário Sérgio são da mesma geração, mas o primeiro ficou muito tempo longe de um vestiário. O perfil do jogador de futebol mudou bastante. Aquela geração tinha craques brancos, de família remediada, e ninguém virava estrela ou milionário com DOZE anos. Para fazer um “pé-de-meia” jogando bola era preciso ter a cabeça no lugar e conseguir construir uma carreira inteira de sucesso.
Além disto, a diferença entre os dois é de estilo. Não basta saber o que falar, mas também como falar. Mário Sérgio deve entender perfeitamente o boleiro desmotivado com o treinador. Quando um técnico dava discursos que entravam por um ouvido e saíam pelo outro, enchia um quadro negro de setas, ou simplesmente não tinha malandragem para domar o grupo, o ponteiro-esquerdo que jogava DE BARBA devia ser o primeiro a se insurgir contra o treinador – ou apenas o primeiro a cair na farra.

Por outro lado, Falcão era um jogador obcecado por vencer. Onde pisou liderou grandes times, ficou pouquíssimas temporadas sem erguer uma taça. Nunca precisou de um treinador que o fizesse jogar, não apenas porque jogava demais, mas por sua própria sanha por vitórias. Deve ser difícil para ele compreender que um atleta não tenha a motivação necessária para jogar num clube como o Internacional. Como convencer estes caras então?

E o ponto é que para o Inter voltar a vencer não precisa de grandes contratações como fez parecer Falcão na entrevista que concedeu para tentar salvar a pele. O grupo pode não ser o melhor do Brasil, mas tem totais condições de lutar pelo título do PIMENTÃONEVES 2011. O que o Colorado precisa é alguém que cumpra o velho clichê de “ter o grupo na mão”, como a raposa barbuda um dia teve.

Seguindo esta lógica, vejo melhores perspectivas para o Grêmio. O que o Tricolor precisava, definitivamente, era de reforços, que estão chegando. Renato sempre teve o grupo do seu lado, tanto que até o mais rodado jogador do grupo – que teve uma carreira cheia de irregularidade e gordura trans – hoje só falta lamber as bolas do chefe nas entrevistas e se dedica como um jovem cheio de sonhos. Assim, a tendência para o Grêmio é de melhora no rendimento, contando, é claro, que o time pare de treinar no gramado sintético do Passo D’Areia, que tem causado tantas lesões musculares. Renato, como Mário Sérgio, entende quase nada de tática – e quem vai explicar o amor que um tem pelo Lins e o outro tinha pela Alan Kardec? – mas isso é menos importante. Time que joga em marcha lenta não ganha de ninguém. Simples assim.

No Inter, a bem da verdade, é preciso ressaltar que Falcão soube MANEJAR bem o grupo na final do Gauchão, quando os brios falaram mais alto diante das críticas (justíssimas, diga-se) que os atletas vinham sofrendo. Ainda tenho esperança nos mullets falconeros. Mas, caso se confirme a derrocada, não hesito em dizer: quero Mário Sérgio de volta para onde ele nunca deveria ter saído.

Um abraço,
Felipe Prestes

Anúncios

Entry filed under: Brasileiro.

ImpedCopa IV: vinheta fulminante e tabelas cabalísticas Um dia nos tiraram a alegria, e não fizemos nada

61 Comentários Add your own

  • 1. Davi  |  31/05/2011 às 11:52

    a imprensa está fazendo tudo o que o falcão quer, repercutir que o próprio comandante disse que o grupo não é qualificado o suficiente para conquistar o brasileiro.
    Falcão quer que a imprensa amasse os jogadores como fez entre os grenais finais do gaucho.
    Falcão quer que imprensa, jogadores e direção discordem dele simplesmente para no final dizer: “ENTÃO PROVEM”
    Falcão só quer dar um tapa na cara de cada um sem precisar levantar a mão ou chutar a porta do vestiário.
    Ele quer mostrar pro grupo que se não jogar futebol, não vai ganhar de times reservas, de titulares que serão rebaixados, muito menos de titulares que disputarão o título.
    E eu digo o mesmo. Se podem ser campeões, PROVEM. Porque o que estou vendo é um bando de filhinho de papai que chora nos corredores de um shopping center qualquer querendo um brinquedo novo até que consegue porque o pai não quer escândalo em público.
    Que não façam o que fizeram em 2009, que acharam que seriam campeões naturalmente até perderem para o Botafogo em casa e perceberem que teriam que ganhar as últimas 5 partidas que faltavam pra levantar a taça. Quando perceberam que teriam que jogar futebol pra ganhar as partidas, que precisavam colocar o pé pra dividir e ganhar a bola, que precisavam chutar a gol para mudar o placar.
    Futebol é simples, mas só quando os que sabem jogá-lo realmente sabem que precisa jogar o jogo para ganhar.
    PROVEM que podem, pois de discurso o torcedor já está cansado…

  • 2. Sacchet  |  31/05/2011 às 12:10

    Parabéns pelo texto e tudo que se refere a Falcão, treinadores passados, etc. Apenas acho que “sentir saudades” do Mário Sérgio é muito mais pela carência absurda de treinadores competentes que sofremos do que por qualidades da RAPOSA BARBUDA. Também vejo a fernandocarvalhodependência como uma das culpadas pelo mal momento do Inter. O clube não está sabendo (ou não soube) montar uma estrutura em seu departamento de futebol que não dependesse da mente brilhante do “homem do futebol” da vez. E igual a ele não tem outros, a princípio.

  • 3. Pedro  |  31/05/2011 às 12:17

    Apesar de não ser Colorado, acho a análise interessante. No entanto, a moral dada a Mário Sergio parece exagerada se levarmos em conta sua longa carreira como técnico.

  • 4. Guilherme  |  31/05/2011 às 12:30

    Eu já acho que o Renato já mostrou que entende o suficiente de tática. Não é um ESTRATEGISTA, mas dizer que ele não entende NADA é exagero.

    Mas eu encaro como licensa poética do texto, que tá tri bom por sinal.

  • 5. Caue Fonseca  |  31/05/2011 às 12:34

    Concordo com todas as dificuldades que esperam um técnico no Inter. O lado ruim de manter jogadores por mais do que uma ou duas temporadas é esse, a sindicalização do vestiário.

    Agora, o que o Inter deveria ter feito (e poderá ter de fazer logo ali) é procurar simplesmente o melhor treinador possível. Não há melhor forma de se impor do que mostrar que tu entende do teu trabalho, e que todo mundo vai ganhar se tu fizer ele direito. É o mesmo que qualquer profissão que envolva comandar pessoas, na real.

    Essa teoria de que treinador bom é o chefe de quadrilha dura 10 jogos, exatamente o período para qual foi contratado o Mário Sérgio. E não é por acaso que ele não dura muito mais que isso em nenhum lugar.

    Falcão era e é uma incógnita como treinador. Achei uma aposta arriscadíssima e começo a ver que estava certo.

  • 6. Diogo  |  31/05/2011 às 12:59

    “a imprensa está fazendo tudo o que o falcão quer”

    Corporativismo puro (considerando que Paulo Roberto é ex-comentarista e tal). Se começarem a falar mal do Falcão, ele começa a botar a culpa na imprensa. Ficam nessa nhanha porque nenhum dos lados quer ficar de mal com a torcida. Enquanto isso, o time afunda. Talvez por isso o clima no vestiário hoje esteja fechando.

  • 7. Flávio  |  31/05/2011 às 13:03

    Discordo de duas coisas no texto.
    1) O Inter precisa sim de reforços. Sou contra a política de terra arrasada, mas nosso elenco tem carências que não vêm de hoje.
    2) Mário Sérgio entende de tática. Deve ser o técnico brasileiro, depois do Carpeggiani, que mais manja do assunto. Mas isso não se traduz, necessariamente, em times consistentes.

  • 8. Ducker  |  31/05/2011 às 13:07

    Fica Falcão!

  • 9. Vinicius  |  31/05/2011 às 13:07

    Mário Sérgio também foi comentarista…

  • 10. Cícero  |  31/05/2011 às 13:10

    MÁRIO SÉRGIO E O 38 COMANDANDO A CASAMATA DO INTER JÁ.

    abraço. to sem tempo pra comentário longo.

  • 11. Caue Fonseca  |  31/05/2011 às 13:23

    Eita, que mania de culpar a imprensa por tudo. Não vi ninguém de bloquinho ou microfone no ataque do Ceará.

    Pra começar comentarista, em geral, não é imprensa. Ainda mais quando é um ex-jogador que vai da cabine pra casa, de onde também manda sua coluna. Imprensa = jornalista.

    No caso do Falcão, a maior rusga dele até agora foi justamente na primeira reportagem com algum tom crítico. Que nas entrelinhas mostrava o grupo do Inter preocupado com o jeitão aristocrático do treinador.

    Nessa última entrevista, a imprensa fez o que tinha que fazer: repercutiu a fala dele e, na mesma proporção, o pito que ele levou do Siegman no dia seguinte.

  • 12. Álisson  |  31/05/2011 às 13:28

    Eu concordo com quse tudo.
    Apenas acho que o grupo do Inter precisa de vários reforços. Uma defesa inteiramente nova poderia ser bom.

  • 13. Tiago Marcon  |  31/05/2011 às 13:43

    como já foi dito ali, grupo vencedor é mais foda de mater motivado e na mão. Mário Sergio é fodão pra esses casos.
    Bela análise

  • 14. Prestes  |  31/05/2011 às 13:55

    Não levem tão a sério o texto, ujhdshusdauhsauh

    Mas falando sério, na real eu concordo com o Cauê: “Não há melhor forma de se impor do que mostrar que tu entende do teu trabalho, e que todo mundo vai ganhar se tu fizer ele direito”.

    Só que, não tendo o Muricy ou o Dorival Jr. no mercado, acho que tem que ter um cara que ao menos faça o time correr.

  • 15. Prestes  |  31/05/2011 às 13:56

    No mais, ter Mário Sérgio na casamata é pura POESIA MARGINAL, hudsuhsdsdauhhu

  • 16. Vizzotto (Goleiro)  |  31/05/2011 às 14:09

    Lucidez, hoje tu atendes por PRESTES!!!!

    No mais, FICA FALCÃO [2]

  • 17. Lucas Cavalheiro  |  31/05/2011 às 14:19

    Eu sempre digo que times muito técnicos estão sempre a um passo da displicência. É a mania do boleiro de fazer só o suficiente, quando a situação está sob controle. E é exatamente o caso do Inter. Os gols pós-intervalo mostram bem isso.

    Aí tu junta um cara como o Nei/Daniel, Bolívar em fim de carreira, e alguns equívocos táticos – que todos treinadores cometem , diga-se-, e tu tem o retrato colorado.

  • 18. fino  |  31/05/2011 às 14:22

    crise =}

  • 19. Sancho  |  31/05/2011 às 14:26

    Hoje em dia, é possível conhecer e estabelecer com certa precisão o perfil de cada um dos atletas do grupo. Aqueles com tendência a acomodação pós-consagração são perfeitamente identificáveis. Junto com o cheque do bicho pelo título, que já se encaminhe o jogador a um novo clube…

  • 20. Sacchet  |  31/05/2011 às 14:27

    Bela teoria sobre times muito técnicos, Caballero. O São Paulo também é um exemplo que comprova a tese.

  • 21. Prestes  |  31/05/2011 às 14:31

    Quantos aos problemas do grupo do Inter concordo com os vários comentários que ressaltaram isto. Mas acho que, sem qualquer contratação, com este grupo atual organizado e motivado é possível ser campeão brasileiro.

    Ainda assim, friso que concordo com o Davi (# 1): pode ser que a entrevista falconera tenha sido uma estratégia pra provocar os jogadores.

  • 22. fabio  |  31/05/2011 às 14:46

    Aguardo a opinião do Luis Felipe sobre a rusga D’ale e Falcão. Só pra ver o Ernesto, EM CHAMAS, clamar coerência e xingar o PT. (ns)

  • 23. Felipe o Canoense  |  31/05/2011 às 15:16

    Falcão usa uma CORRUPTELA do Mullet, que é o SCULLET (ou algo do tipo). Careca e cabeludo ao mesmo tempo!

  • 24. Wilson Farina  |  31/05/2011 às 16:24

    Tamos vendo uma repetição bizarra de 2007. Se nao fosse a fase do Damião, teríamos repetido a eliminação na primeira fase da Libertadores e Gauchao. E claro, tem a diferença colossal q naquele ano só se fez festa pq se vinha da maior gloria da historia do clube. Agora é exatamente o contrário, se vinha do maior fiasco da historia, q nao aconteceu por acaso, mas a direção achou q tava tudo bem, manteve o treinador e o grupo, bem acomodados.

    Eu disse q deviam deixar um poster do Kidiaba dentro do vestiario do Beira-Rio, durante o ano inteiro.

    E pra fechar o raciocinio, a nhaca de 2007 só foi superada no meio de 2008, qdo se desfez a liderança do vestiario e mandaram embora Abel, Fernandao, Iarley e se escanteou o Clemer, e aí o time tomou jeito de novo.

  • 25. fino  |  31/05/2011 às 16:26

    penso que o ernesto deveria ser o comentarista oficial dos jogos da impedcopa…

    nos intervalos: stand up do guihoch

  • 26. Ladislau  |  31/05/2011 às 16:40

    Eu tb gostei do Mário Sérgio no Inter, e foi o treinador que mais “teve na mão” o grupo do Inter, o D’Ale se dava muito bem com o MS tb

  • 27. Niko  |  31/05/2011 às 16:44

    O Vesgo deveria ter assumido o comando da Nau Colorada antes mesmo do Juarez, pois ele havia classificado o clube para disputar a Libertadores 2010… Fora Paulo Roberto PARDAL!!!

  • 28. Lol  |  31/05/2011 às 17:24

    As maçãs podres da panelinha do elenco colorado, segundo fonte interna:

    O principal: Bolívar
    O grupelho: Sóbis. Tinga, Andrézinho, Índio.

    Por incrível que possa parecer, Dalessandro não faz parte dessa panela e só quer fazer o dele e ganhar campeonato.

    Além do mais, vários jogadores ainda vinculados ganhando os tubos:

    – Edu, 220 mil,
    – Bustos, 80 mil
    – etc.

  • 29. Rudi  |  31/05/2011 às 17:28

    80 mil pra dar trotezinhos ao redor do suplementar? benzadeus…
    até me finjo de lateral direito pra entrar nessa mamata

  • 30. Henrique [GFBPA]  |  31/05/2011 às 17:38

    Edu tá onde?? Treinando em separado também?? Ou tá em algum time com o inter bancando o salário??

  • 31. Roger  |  31/05/2011 às 17:40

    O MESTRE ABSOLUTO da grande area, mostrando a que veio:

    http://www.correiodopovo.com.br/Opiniao/?Blog=Hiltor%20Mombach

  • 32. Cícero  |  31/05/2011 às 18:24

    #28

    maior prova que D’Alessandro não faz parte de algum grupo foi o jogo de 2009 contra o Nautico, aonde ele ficou enlouquecido com a zaga quando tomara o golo de empate, naquele 1 x 1 no Beira-Rio nas últimas rodadas.

  • 33. Junior  |  31/05/2011 às 18:40

    “Se nao fosse a fase do Damião, teríamos repetido a eliminação na primeira fase da Libertadores e Gauchao.”

    O único jogo em que o Damião salvou a “pátria” foi contra o Peñarol. Nos demais jogos em que ele fez gol, o Inter ganhou facilmente, contra o J. Wilsterman fora de casa, Jaguares e Emelec no Beira-Rio. Além disso, ele fez 4 gols na Libertadores, o Bollatti e o Zé Roberto, 3, apenas um a menos. Não é uma crítica a ele, bem longe disso, só uma estatística. Nenhum jogador do Inter se destacou nessa Libertadores, na minha opinião.
    Sinceramente, não acho que o “grupo” (essa entidade sem rosto, mas muito citada, assim como o “mercado”, na economia) tenha derrubado o Fossati. O Inter chegou a estar perdendo por 2×0 contra o Pelotas, em casa, na final do 2º turno do Gauchão. Seria a oportunidade perfeita para derrubar o Fossati, mas o time suou sangue e virou para 3×2. O Roth não caiu por causa do “grupo”, mas por sua teimosia. O Tite sim, esse foi notoriamente derrubado pelo D’Alessandro. E apenas porque o time afundou, senão, o D”Alessandro estaria hoje em Buenos Aires. Mas como o time estava muito mal, optaram por reintegrar o D”Ale e demitir o pastor.
    Quanto ao treinador atual, seria muita burrice entrar em confronto com o Falcão, um cara apoiado pela maior empresa de mídia do RS e ídolo maior da torcida colorada. Obviamente, o Falcão não será o vilão dessa história para a torcida, mas os jogadores sim, se o confronto existir e ficar realmente sério. A responsabilidade cairá em cima deles. Sempre desconfio de dois boatos rotineiros no mundo do futebol: o grupo está contra o treinador e fulano está indo demais para noite. Na verdade, o que esses boatos encobrem são deficiências técnicas, puras e simples.

  • 34. Junior  |  31/05/2011 às 18:42

    #28, o Edu já rescindiu o contrato há algum tempo.

  • 35. Wilson Farina  |  31/05/2011 às 19:07

    #33 Mas Jorge Wilsterman fora e Emelec em casa foram jogos q ficaram fáceis por grande participação do Damião. Fosse o Alecsandro ali, poderiamos ter nos complicado.

    Mas tbm acho, a questão dos jogadores é nao jogarem bem, ou nao jogarem mais o q já jogaram. Alguns podem se recuperar, mas outros seria caso de passar no Rh mesmo.

  • 36. Junior  |  31/05/2011 às 19:51

    Usei o “Gugle”, pois tive medo de ser traído pela minha memória, tu tens razão sobre o Jorge Wilstermann, mas contra o Emelec não, Ele (ato falho, DamiãoDeus, rs) fez o 3×0, o Bollatti já havia marcado os dois primeiros.
    Uma coisa que esqueci de comentar acima, o Falcão pode ser tudo, mas não é inexperiente, tem 40 anos de futebol, o que nenhum jogador do Inter tem de vida. Se ele perceber que o grupo está realmente fazendo corpo mole e que não há como reverter isso, vai pedir demissão no momento seguinte. O Falcão não vai “queimar” o nome dele por pessoas que ele mal conhece.

  • 37. lf  |  31/05/2011 às 20:30

    grande texto, comentários idem, mas queria acrescentar uma coisa: se o inter mandar longe os reservas acomodados e economizar com a gurizada, vira candidato.

    O que mais motiva o atleta, além de grana, é a ameaça de perder lugar. Bota um lateral esquerdo guri voando nas costas do kléber pra ver se ele n
    começa a correr.

    O foda é que o inter perdeu espaço na base nos últimos 3 anos, por escolhas erradas da diretoria. Ao contrário de 2006 ou 07, em que tu encontrava jogador de grupo na base, agora tem que contratar.

  • 38. Carlinhos  |  31/05/2011 às 20:43

    Ótimos comentários, lembrem o Inter só ganhou a Liber por 3 motivos que não temos hoje, Giuliano: meia que entrava na área e fazia gols, não temos mais. Sandro: guerreiro no meio, Bolati parece uma bailarina, não dá uma chegada mais forte em ninguém. Pasmem… Taison: levava a marcação naquele correrio doido e abria espaço para os emias entrarem na área, nenhuma reposição a altura. Tirando a final, ganhamos todos os jogos no gol qualificado. Precisamos sim, de 2 zagueiros, um atacante veloz, um lateral de verdade e vergonha na cara.

  • 39. Carlinhos  |  31/05/2011 às 20:47

    ah, e um goleiro de verdade… Hiran se colocou a disposição…hehehe

  • 40. Carlinhos  |  31/05/2011 às 20:48

    Coloquem um 10 a altura de Dalessandro na concorrência, ele volta a jogar bem ou “degringola” de vez… Riquelme hein!!!

  • 41. Wilson Farina  |  31/05/2011 às 20:59

    #36 só pra insistir, hehe, esse q o Bolatti fez os 2 primeiros foi contra o Jaguares. Contra o Emelec era o ultimo jogo da primeira fase, tinhamos até risco de eliminação, primeiro tempo 0x0, vaias e tal, no começo do segundo tempo Damião escorou pro Sobis fazer o primeiro gol, e depois Damiao fez o segundo.

    #37 e 38, é bem por aí, Giuliano, Taison e Sandro (e até o Walter) foram fundamentais e nao tiveram reposição. Agora eu acho q a terra arrasada q fizeram do Inter B foi exagero, alguns ali serviriam bem agora (Derley, Juliano, Italo, Marquinhos), mas enfim.

  • 42. Felipe (o catarina)  |  31/05/2011 às 21:07

    Nem percam mais tempo. Misael é do Avaí. Entreguem a taça.

  • 43. El Cañestro  |  31/05/2011 às 22:27

    En 2005, Mário Sêr-rio fuê contratado por Grêmio para montar la equipo que disputaria la sub-primerona. Tenia un orçamiento limitado, la majoria de los rugadores acertaram por dos refeiçones calientes al dia más toda água que pudessen beber. Y una coca-cuela tchica por cada vitôria.

    Preguntado se aqueja equipo era competitiva para ganar un gran título, El Viesgo declaró que grans títulos, para Grêmio, solo venirian en diez anhos. De pronto, jo grité “¿donde firmo?” – pero nadie me ecutchô. Los ciegos de siempre quedaranse primero tchocados y, a seguir, furibundos.

    El Viesgo mirava torto, pero más distante que mutchos.

  • 44. Gustavo  |  31/05/2011 às 22:37

    Tô achando que o Falcão logo logo vaza…

  • 45. col  |  01/06/2011 às 00:17

    Show, Prestes. Soh acho que esse time sem o Renan e o Ney vira um time comum (ns).

  • 46. Rama  |  01/06/2011 às 02:04

    Baita análise, fecho tambem com o #38.

  • 47. matheus  |  01/06/2011 às 02:35

    só peço que terminem o primeiro turno na primeira metade da tabela… depois seja o que deus quiser…

  • 48. Cícero  |  01/06/2011 às 07:59

    #45
    com eles vira um circo de loco. Hahahahaha

  • 49. Cícero  |  01/06/2011 às 08:06

    #43
    Canestro falou e disse. Tá loco.

    Quem tem que pegar o chapéu é esse Siegmann Freud aí, pô, o cara é mais destemperado que o D’Alessandro. Um dirigente não pode ser a cópia caricata de um jogador “quase-craque”.

    Até o filho do Bolívar faz serviço melhor que o dele. E to nem aí se ele é o cara que quis anular o brasileiro de 2005, ou fez outro qualquer troço sem fundamento pra tentar ajudar o Inter.

  • 50. Rudi  |  01/06/2011 às 10:52

    Se todo mundo se convencesse que esse pode ser um ano sabático, pra arrumar a casa, renovar plantel, voltar a investir na base e tal, aceitando NESSE ANO um nono lugar tranquilinho e sem sal no brasileiro, dando tempo do Falcão trabalhar e dando força pra ele contra as “panelinhas” eu acho que tudo poderia melhorar…
    poucas são as coisas que a gente tem a acrescentar no nosso jogo com o futebol europeu, mas o tempo um pouco maior para os treinadores eu acho que é uma delas…

  • 51. Sancho  |  01/06/2011 às 11:19

    Re 50

    Mas se não contrataram o Falcão PARA ISSO, contrataram a pessoa errada.

  • 52. Rudi  |  01/06/2011 às 11:26

    Sancho, é o que eu também acho

    Mas cabeça de dirigente a gente nunca sabe o que sai…de repente viram ele como uma solução emergencial (como praticamente todos os treinadores são contratados no Brasil)

    Alex Ferguson treina o manchester faz 25 anos, ele foi 11º colocado no primeiro campeonato inglês em que assumiu o time, é aí que eu quero chegar.

  • 53. Junior  |  01/06/2011 às 15:42

    Mais que isso, Rudi. Ele foi contrado em 1986 e só ganhou o 1º campeonato inglês em 1993, o ano exato pode não ser esse, mas é bem próximo. E o Manchester estava na fila há tempos para ser campeão, antes que alguém diga que ele só ficou esse tempo porque o Manchester ganhava títulos todo ano.

  • 54. Ernesto  |  01/06/2011 às 16:29

    Falcão é sem pulso, e más alla de hipóteses em que supostamente foi contratado para “arrumar a casa” “cortar panelas”, etc, ele é péssimo treinador.

    Incoerente como Roth. Retranqueiro, propagou toda uma teoria de futebol ofensivo, para colocar tres volantes em casa. ´Nesse ponto entra a torcida. A torcida sem alma, que só apóia, que se deixou levar pela magalomania tão citada por aqui.

    A torcida que segue acreditando nessa dondoca, só porque jogou em priscas épocas. O time claramente está regredindo, mas ainda há os jatobás que vêem algo de esperança, ou querem tempo para um cara que faz as mesmas coisas que o crucificado – por estes que agora pedem tempo – Roth.

    Ps: Fossati não foi demitido pela panelinha. Mas por sua retanca excessiva.

  • 55. Ernesto  |  01/06/2011 às 16:31

    A unica coisa boa do Falcão é ver que pelo menos ele, o treinador, sabe que falta elenco. Mas tem que se acostumar, demasiadas opções, só na seleção, e pra lá ele não volta tão cedo

  • 56. Mandioca  |  01/06/2011 às 18:06

    #43

    Soy tu fan, amigo, escriebe muy bien.

  • 57. Cícero  |  02/06/2011 às 07:58

    #54

    sou capaz de apostar contigo que Fossati Marlboro boy só era retranqueiro por causa de um certo dirigente, que fala ABERTAMENTE que não gosta de times faceiros.

    o Fumante tinha devaneios de times ofensivos ao extremo, parecidos com Bielsa, eu ao menos acho. Ou vai ver, bebi algo muito forte no café da manhã.

  • 58. Carlinhos  |  02/06/2011 às 08:54

    #50 Interessante pensamento, nem Felipão, nem Minelli, nem o Telê faza esse time jogar sem acabar com as panelinhas… mas tem que mandar umas figuras passear, o Inter parece um asilo… O problema com o falcão é que tem dirigente que foi contra a contratação dele e agora ficam pilhando contra, vão trazer quem? Os técnicos bons estão todos emrpegados…

  • 59. Carlinhos  |  02/06/2011 às 10:27

    Começo a desconfiar desse Siegman, parece o antigo Cacalo, seja mais administrador do que torcedor, deixe a torcida por nossa conta…

  • 60. Cícero  |  02/06/2011 às 10:58

    #58

    não é questão dos técnicos bons estarem empregados. È que os técnicos que deixam os dirigetens mandarem no vestiário estão empregados. O problema do Falcão com certeza deve ser esse.

    Primeiro vai embora o Mathias, vamos ver como vai ser a debandada. Se continuar desse jeito, acho que Falcão ganha a queda de braço pra cima do Siegmann Cacalo.

  • 61. Carlinhos  |  02/06/2011 às 12:03

    #60. Faz sentido, e estou do lado do Falcão (nem é meu ídolo no Inter pois nem o vi jogar aqui), é estranho que algumas pessoas achem que o cara é somente comentarista, sempre foi um líder onde esteve, entende de futebol, de esquema tático e sabe motivar, só que os jogadores tem que se mexer, correr, lutar, vibrar, tem que ser colorado dentro de campo, de mercenários estamos cheios…

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Subscribe to the comments via RSS Feed


Especial – Libertadores 2011

A bola da ImpedCopa

Toco e me voy

Feeds

web tracker

%d blogueiros gostam disto: