Os mestres do picadeiro

25/05/2011 at 02:13 70 comentários

O que o futebol de salão (futsal é coisa de preguiçoso) nos proporcionou em sua miserável trajetória de esporte INTRAMUROS infelizmente não está circunscrito à vivência no balcão das copas de ginásio ou à presença magnânima de MANOEL TOBIAS (que está para Falcão assim como Pelé está para Neymar).

Até onde me recordo, e isso nunca acaba bem, o futebol do PARQUET e da bola antes pesada que se encharcava e arrebentava tendões e só era chutada pelos maiores bacamartes que já viveram sobre a terra, para meu desespero, nos apresentou aquela detestável raça do jogador que vibra quando afasta uma bola para a lateral ou quando chama no solavanco um atacante FUGIDIO, além do goleiro que se esgarça em convulsões de euforia após defender uma conclusão qualquer.

Demorou somente uns quinze anos para que nossos brilhantes atletas percebessem que estão cercados por uma flora densa de câmeras que durante os noventa minutos lhes açoitam com o cipó da imagem digital e levam seus espectros toscos para os televisores e capas de jornal de todo o universo. Como hoje no futebol profissional não há mais uma alma forjada no paralelepípedo – com oito anos já assinaram com o NEWCASTLE – e todos são propensos aos mais ordinários estrelismos, perceberam que, não marcando gols, precisavam aparecer de outra forma.

E lá vai um daqueles laterais-esquerdos com quilômetros de linguiça e bola nas costas, aos 39 do segundo tempo, segurando aquele empate cumpridor, executar o mais desavergonhado dos balões para a arquibancada. E bate no peito, curva os braços, brinca de HULK, implora para que o cameramen que desliza sobre TRILHOS o flagre mostrando como é homem por simplesmente ter chutado uma bola inofensiva para longe. E aquele goleiro, já cansado de se limitar à última quinta parte do campo, que defende um chute e vibra como se tivesse desarmado a gigantesca granada que eliminaria a raça humana.

Uma das leis INSOLÚVEIS do futebol é que ao goleiro é concedido o direito de comemorar e ser abraçado com máscula sofreguidão pelos companheiros apenas em duas situações: ao defender pênalti e quando acaba a final do campeonato. Em todas as demais ocorrências, mesmo na mais elástica, arrojada e supra-humana das intervenções, ele simplesmente deve levantar, observar o atacante e olhar para o estádio cujo rugido comunica todos os julgamentos. O arqueiro é um gênio AVARO que domina todas as privações. É da sua índole comportar-se de forma CONTRITA.


Comemoração correta

Os jogadores de linha que comemoram esses PORMENORES do grande desfile de atrocidades e brilhantismos que compõem uma partida nada mais fazem do que mendigar faíscas de heroísmo. São todos uns pobre-diabos egocêntricos que tentam trazer para si uma mínima fração do delírio só vivenciado na hora do gol – quando, aí sim, é de BOM TOM que todos rasguem a carne com a unha e joguem fogo no próprio corpo, com álcool, sal grosso e saliva de mulheres-diabas.

Mas não. Como não amam mais a camisa que vestem – e todos sabem disso – precisam dar alguma satisfação à torcida. Então comemoram carrinhos, defesas e bagos para a arquibancada. Todos uns palhaços treinados para atuar no picadeiro, olhando com uma falsa fúria para o reflexo de suas caras pintadas nas lentes, que retransmitem todo esse vexame para oitocentos países.

Saudações,
Douglas Ceconello.

Anúncios

Entry filed under: Colunas.

A prancheta não é suficiente Mas nós não somos cavalos

70 Comentários Add your own

  • 1. Alexsander  |  25/05/2011 às 02:36

    Acho que o goleiro tem direito a um aperto de mão comedido de um zagueiro (que entende o significado filosófico de DESTRUIR o que os atacantes tentam CRIAR) quando realiza uma defesa à la Gordon Banks.

  • 2. Prestes  |  25/05/2011 às 02:40

    INSUPERÁVEL

    FECHEM A INTERNET

  • 3. thalles  |  25/05/2011 às 06:52

    Verdade. Nada mais que a VERDADE.

    E sobre os goleiros, não esqueçamos do Dida: não comemorava nem quando defendia pênalti.

  • 4. emedinapf  |  25/05/2011 às 07:38

    impedcorp deveria aumentar o pro-labore do suellen para 87 mil mensais e assim garantir o “passe”. Maior cronista vivo!

  • 5. Sancho  |  25/05/2011 às 07:53

    Eu entendo que há exagero nessas comemorações, mas acho que existe espaço para elas. Porém, o texto está genial. Parabéns, Ceconello.

  • 6. Schmidt  |  25/05/2011 às 08:21

    “futebol de salão (futsal é coisa de preguiçoso)”

    Douglas, depois desta, se um dia eu virar a casaca e resolver dar o rabo, você será o primeiro da lista. Há muito tempo que eu sonhava em ouvir alguém que é ouvido dizer isso.

  • 7. Ismael  |  25/05/2011 às 08:25

    Não sei porque lembrei do FH beijando o BÍCEPS (!!!) depois de pegar um penalti na final da LA’08…

  • 8. Alexandre N.  |  25/05/2011 às 08:27

    #4

    Sancho, pra mim este tipo de comemoração só deveria acontecer em finais de campeonato, a partir dos 40 do segundo tempo. Em qualquer outra hipóetese que não esta, torna a comemoração vazia e desnecessária.

    E Ceconello, parabéns. Sensacional o texto. Esse aí também foi um daqueles textos que precisam ser escritos em uma madrugada que foram “destravados” graças a uma cerveja? rs…

  • 9. Alexandre N.  |  25/05/2011 às 08:38

    #6

    Aquele ser patético é uma desonra para a categoria dos goleiros. Aquilo deveria tomar vergonha na cara e seguir a profissão mais indicada a ele: Servente de pedreiro.

    Sim, eu o odeio. rs…

  • 10. Celão  |  25/05/2011 às 09:01

    #6

    Pior comemoração de goleiro da história!!

  • 11. Tiago Marcon  |  25/05/2011 às 09:25

    épico!

    saudade do futebol de rua, da goleira de tijolos, da bola caída na casa da velha vizinha chata

  • 12. Tiago Marcon  |  25/05/2011 às 09:30

    Douglas deve ocupar a vaga do Scliar na ABL. Sério.

  • 13. Vitor Hugo  |  25/05/2011 às 09:35

    Fazendo gol na ImpedCopa (imossível, mas vá lá…), jogar-me-ei no mato ao lado da cancha, sem roupa, até que os MICUINS desfigurem minha pele.

    É plausível.

  • 14. Zé Kalanga 9 - Matador  |  25/05/2011 às 09:40

    INSUPERÁVEL
    FECHEM A INTERNET [2]

    Não tenho masi nada a dizer no momento. Não absorvi tudo ainda.

  • 15. Pedro  |  25/05/2011 às 09:41

    Outro tipo de comemoração ridícula: jogador que faz o gol, corre para a câmera e manda recadinhos.
    Os recados só são dignos quando feitos pelo orelhão do estádio.

  • 16. Ismael  |  25/05/2011 às 10:25

    Outra coisa descabida, na minha opinião, é jogador que comemora quando SOFRE penalti!!! O cara cai, o juiz apita e ele levanta, todo FACEIRINHO, como se tudo fosse encenação.

    Merecem levar um tostão bem dado e ser obrigados a bater o penalti no máximo 5 segundos após o golpe!!!

  • 17. m  |  25/05/2011 às 10:43

    dida eterno. pegava um pênalti, saía andando sério e dava dois tapinhas no ombro do cobrador desolado. foi o melhor em campo numa final de libertadores sem esboçar um milímetro de sorriso nos 90 minutos.

    destaque também pro HIGHTOP de manoel tobias. esse fez por merecer um calçado – apropriadamente, um TOPPER – com seu nome.

  • 18. Cassol  |  25/05/2011 às 10:45

    #5

    Bomba!

  • 19. m  |  25/05/2011 às 10:45

    é importante que todos os jogadores da copa são paulo de 2012 recebam esse texto antes de entrar em campo. TODOS os gols são comemorados das formas mais patéticas possíveis.

  • 20. dante  |  25/05/2011 às 10:49

    belíssimo texto, como de PRAXE.

    porém, CONCEDO apenas esse tipo de comemoração [porém um tanto mais discreta] aos goleiros em certos momentos de um jogo [após os ’40, como citado pelo #7].

    considero defesa = gol, por mais PARADOXAL que seja.

  • 21. dante  |  25/05/2011 às 10:51

    agora, uma coisa REALMENTE patética é o cara fazer um gol, correr pro abraço e no meio do caminho se DESVENCILHAR dos companheiros, algumas vezes com xingamentos, pra ir mostrar um CORAÇÃOZINHO pras câmeras.

    lamentável.

  • 22. douglasceconello  |  25/05/2011 às 11:03

    #5 Schmidt, OBRIGADO. Mas podemos continuar sendo BONS AMIGOS. sdauifsi

    #6 Ismael, time que me SEGURAR para não citar esse cidadão NOMINALMENTE no texto. Prova que estamos em sintonia.

    #7 Alexandre N, era uma ideia que há tempos PULULAVA em minha cabeça, mas de fato só nesta MADRUGA consegui tempo para rabiscá-la.

    Agradeço pelas considerações elogiosas. Isso só prova que estamos todos numa cruzada pelo retorno da dignidade ao campo de jogo.

  • 23. Breadss1  |  25/05/2011 às 11:13

    Desculpe, achei o texto muito bem escrito, porém inútil. Não vejo nenhuma diferença entre o goleiro que comemora e o que não comemora. Isso é de cada um e, na minha opinião, não é motivo para críticas. Querer aparecer para as câmeras é muito importante, eu diria EXTREMAMENTE importante, no futebol de hoje. Se você não aparece, você não tem bons contratos, não é valorizado e pode acabar em um time da 2ª divisão do interior daquela cidadezinha.

  • 24. col  |  25/05/2011 às 11:25

    O que mais me irrita sao as encenacoes de falta.

  • 25. FERN  |  25/05/2011 às 11:47

    #5, juasjuasjuas!!!!!!!!!!!!!!

    concordo com o texto, mas tb com o sancho qua o espaço, pero o que realmente não vale são as palhaçadas feitas pela atual classe de players que em nada tem que ver com com a história da comunidade do football…

    agora futsal, sim* futsal, beach soccer, soccer fem, são todos uma grande merda, assim como os sports estadunidenses só são válidos como passatempo, pois ESPORTE eh coisa que só grego sabe inventar…

    e JOGO só os britânicos tiveram ALMA o suficiente para desenvolver!!!

    *FOOTBALL além do association só o RUGBY, o union.

  • 26. col  |  25/05/2011 às 11:56

    Esporte mesmo eh o curling.

    http://www.youtube.com/
    watch?v=dXeXNHRPMMI

  • 27. Mustaine  |  25/05/2011 às 12:08

    Texto genial. Tudo o que eu pensava está resumido aí. Jogador que comemora uma bola pra lateral se acha o superman quando faz um gol numa final de um campeonato paulista. Por isso que temos tantos caras que se acham a última bolacha do pacote no futebol. O maior exemplo é o Carlos Alberto.

  • 28. Antônio  |  25/05/2011 às 12:22

    Discordo completamente. A emoção de praticar um esporte, seja ele futebol ou não, é justamente absorver e vivenciar cada lance. Ora, se um zagueiro só puder comemorar quando marcar um gol, que graça terá desarmar o adversário, uma vez que ESSA SIM é sua função em campo? Em tendo cumprido o objeto supracitado, é compreensível que comemore seu êxito com furor. Fosse o contrário, a folclórica frase “bola pro mato, que o jogo é de campeonato” não teria sentido algum. Não obstante, todos a repetem o tempo todo.

  • 29. Cícero  |  25/05/2011 às 12:24

    MEUDEUS, MUSTAINE! ME DÁ UM ABRAÇO.

    Aquecimento pra impedcopa, mais um texto pra ser colado no teto do quarto e ser lido todo dia antes de dormir.

    #DIDA
    o Dida não comemorava nem quando ganhava TÍTUULO. O homem era uma máquina, maior goleir ode todos.

  • 30. Alexandre N.  |  25/05/2011 às 12:26

    #26

    O problema do Carlos Alberto é o ego. Futebol ele tem. Joga muito mesmo. O foda é que quer jogar pra ele. Se ele tivesse a cabeça boa, constaria nas listas da seleção de qualquer treinador…

  • 31. douglasceconello  |  25/05/2011 às 12:50

    #27

    Antônio, aí é que está. A comemoração deve ser a exceção dentro do campo. É claro que o jogador fica FACEIRO ao cumprir sua função, mas precisa engolir a comemoração até o gol ou o final do jogo. sdhufds

    No mais, acho que estas comemorações estapafúrdias são um fenômeno recente. A meu ver, isso é coisa de PEREBA. Não me lembro de um grande jogador comemorando bico para a lateral.

  • 32. Antônio  |  25/05/2011 às 13:10

    #30

    Bueno, talvez a congruência de nossas ideias esteja no fato de que não há mal nenhum em ser vibrante dentro de campo, até como uma forma de desestabilizar o adversário emocionalmente.
    Mas, agora vendo por outro prisma, realmente concordo que correr pra abraçar o técnico só porque deu um bico na bola não condiz com a finalidade do futebol.

  • 33. Branco  |  25/05/2011 às 13:19

    Na minha opinião essas comemorações de roubadas de bola, etc. são uma resposta à torcida, que cada vez mais exige raça dos jogadores.
    O cara que dá um balão pra fora e bate no peito, está tentando mostrar a torcida que ele é um jogador de raça.

  • 34. Leonardo  |  25/05/2011 às 13:28

    Não vejo problema em um zagueiro comemorar um bico pra lateral aos 44 minutos do segundo tempo ou um goleiro comemorar um penalti defendido, desde que seja algo que venha de dentro (uiui), algo natural…

  • 35. Guilherme L.  |  25/05/2011 às 14:15

    “[…] mesmo na mais elástica, arrojada e supra-humana das intervenções, ele simplesmente deve levantar, observar o atacante e olhar para o estádio cujo rugido comunica todos os julgamentos. O arqueiro é um gênio AVARO que domina todas as privações. É da sua índole comportar-se de forma CONTRITA.”

    Meu Deus…. Sensacional

  • 36. Plinio  |  25/05/2011 às 14:17

    Como um paraquedista da nuvem de blogs do GRÊMIO, foi escandalosamente feliz aterrisar no (em) Impedimento e ter contato com o texto totalmente fora do mainstream da mídia esportiva, tanto a oficial quanto de opinião. O estupor foi tanto que tive que rever conceitos científicos que dizem que um colorado não pode escrever frases tão bem acabadas, e principalmente, que façam sentido. Mesmo que cientificamente seja um absurdo completo (conexões com uma certa linha filosófica que cresceu com o final da World War I) não posso deixar de voltar com uma frequencia estranhamente repetitiva.

    Simplesmente espetaculoso!

    Abraço Douglas! (do cara que perturbou por semanas até conseguir um trapo com a estampa do Valderrama).

  • 37. Felipe o Canoense  |  25/05/2011 às 14:41

    “O arqueiro é um gênio AVARO que domina todas as privações”.

    Como jaqueta 1 desde meus 5 anos de idade, fiquei emocionado.

    Bala pra cacete o texto!

  • 38. Lucas Cavalheiro  |  25/05/2011 às 14:55

    Argentinos, de um modo geral, nasceram para a comemoração.

    Vide D’Alessandro na Libertadores 2010, naquele gol de calcanha do Alecsandro contra o SPFC no Morumbi.

    Desde já maior comemoração.

    Baita texto. Vai pro livro aeahela

  • 39. izabel.  |  25/05/2011 às 15:27

    CLAP CLAP CLAP

    “Os recados só são dignos quando feitos pelo orelhão do estádio.”
    afçafaçfçajf

    e Dida eterno.

  • 40. Felipe (o catarina)  |  25/05/2011 às 16:23

    bom pra caraglio. Capo, pode bater no peito e comemorar na frente do computador. ahjsjhdjhakh

    outro dia o Renan do Avaí, um bom goleiro mas com caráter ainda em formação, comemorou uma bola que foi NA TRAVE. Vergonha alheia.

    as menções a Dida, ao orelhão do estádio e aos abobados que estapeiam-se com os companheiros pra comemorar um gol fazendo coraçãozinho também mercem aplausos.

  • 41. Godo  |  25/05/2011 às 16:37

    “Não me lembro de um grande jogador comemorando bico para a lateral.”

    PALAVRAS DA SALVAÇÃO

  • 42. Godo  |  25/05/2011 às 16:38

    Comemoração de goleiro é xingar a mãe da zaga inteira.

  • 43. Felipe - ALVINEGRO DO ESTREITO  |  25/05/2011 às 16:39

    #39, Xará, ia citar exatamente o goleiro do teu time, além de alguns laterais e cabeças de área, em momentos que presenciei no triste Clássico SEDEX da semifinal do returno, e em um (raro) momento ENXUTA de quarta-passada. Acho que essa doutrina vem do Pastor, ops… técnico de vcs. Nosso Pastor, ops de novo… técnico não incita esse tipo de SOBERBA. No mais, texto GENIAL.
    Abraços

  • 44. Bruno Lorenz  |  25/05/2011 às 16:45

    #20
    Pior raça de jogador.

    #30
    Concordo.
    Sou prova viva. Comemoro até um lateral bem cobrado aksjfljkaskfj

  • 45. Eduardo  |  25/05/2011 às 16:47

    sensacional. deixem essas comemorações para o Volei, ou basquete….
    futebol é GOL … e carrinho bem dado!!!

  • 46. Alexandre N.  |  25/05/2011 às 16:51

    Falando em carrinho…

    Caso eu quebre a perna de alguém na ImpedCopa, por favor, não fiquem chateados. Não será de maldade… rs

  • 47. Bruno Lorenz  |  25/05/2011 às 16:52

    Aliás, deveríamos FILMAR todas as comemorações de GOLOS da próxima Impedcopa, para posterior análise de CARÁCTER dos jogadores, a ser utilizada como parâmetro de aceitação nas inscrições da 5ª copa.

  • 48. Alexandre N.  |  25/05/2011 às 16:54

    #46

    HASHAHAHAAHAHAHAHAHAHA..

    Boa idéia! hehehehehe…

  • 49. douglasceconello  |  25/05/2011 às 17:02

    Caras, momento de maior tensão da minha vendo em um campo foi na hora de cobrar os pênaltis na ImpedCopa.

    Sou muito favorável à ideia do Bruno Lorenz. Quem fizer coraçãozinho será condenado a comer GRANOLA e tomar suco de beterraba.

  • 50. Felipe (o catarina)  |  25/05/2011 às 17:02

    #42

    é que jogar no Avaí é foda, o cara se emociona com qualquer coisa mesmo. É muita paixão. ajhdjasdhjahh

    brincadeiras à parte, acho exagero também. O Cássio, o Marcinho Guerreiro e o Renan são campeões em fazer isso.

    Achava massa em 1999-2000 quando o Avaí tinha Cuca de treinador e Alex Rossi de ixtrovante. Quando o Alex fazia um gol ele corria espumando e com os olhos arregalados pro banco de reservas e trocava SOCOS (é sério) com o Cuca. Melhor comemoração da história da Ressacada.

  • 51. Álisson  |  25/05/2011 às 17:24

    O cidadão que faz coraçãozinho com as mãos deveria ter os dedos AMPUTADOS.

    Texto sensacional, daqueles de colocar no livro, que o Suelen ainda vai editar com as melhores crônicas do Impedimento.

    Ah, o Haduken do Damião foi bastante digno.

  • 52. Álisson  |  25/05/2011 às 17:25

    Ah, Manoel Tobias era uma ponta de alegria para nós colorados dos anos 90. O time de salão do Inter era uma máquina. Já o de campo…

  • 53. jp  |  25/05/2011 às 17:28

    essa do jogador que corre, as vezes em direção à torcida, as vezes às câmeras, ou ao técnico, estapeando e xingando os colegas que tentam o abraçar sempre foi a comemoração (!?) que mais me intrigou..
    . será que passa pela cabeça dele que, se os colegas o abraçarem, o juiz vai reiniciar o jogo e ele não terá tempo para fazer a comemoração planejada?? Vai entender…

  • 54. Junior  |  25/05/2011 às 17:34

    Concordo muito com o texto, só faço uma retificação:
    “Como não amam mais a camisa que vestem”

    O Claudio Duarte falou algo muito verdadeiro dia desses:

    “os jogadores da minha época eram absolutamente iguais aos de hoje. A única diferença é que nós recebíamos menos e não tinhamos chance de ir para a Europa. Nunca existiu esse negócio de amor à camiseta, a gente jogava só por dinheiro”

    Daqui há uns 20 anos, provavelmente vamos dizer que os jogadores de 2031 não tem amor à camiseta como na época do Damião, do Victor, etc.

  • 55. Tulio  |  25/05/2011 às 17:51

    Lembrando o Damião, o camisa 9 com comemorações “elaboradas” já era um clássico que ia se perdendo no passado.

    Damião está ai para honrar a herança de Viola e Túlio Maravilha.

  • 56. FC  |  25/05/2011 às 18:01

    Texto ponderado e correto. Infelizmente, nos dias atuais, a lógica e os valores não mais impera.

    O que vale agora é o mkt e os momentos de chamar atenção. O picadeiro está em todos os lugares.

    Agora, por favor, parem com esta histórinha de Dida…
    Goleirinho mequetrefe, sem personalidade que jogou extraordinariamente 1 vez: na final da Copa do Brasil-96. E SÓ.

    Mas só ficou conhecido, por pegar 2 penaltis que Raí (“pede pra sair”) bateu bambiando no mesmo jogo e porque jogava no time dos favores públicos e da imprensa.

    De resto, na seleção foi sempre responsável por derrotas vexatórias (Atlanta 96, Copa 2006, etc), batidas de cabeça com Gonçalves “dança da bundinha”, não defendeu
    e nenhum penalty no jogo mais importante da história de seu time na LIbertadores de 2000 e ainda foi ofuscado por DUDEK do Liverpol na final da UCL de 2005.

    Mas de fato não era presepeiro de picadeiro. Como goleiro era um excelente dublê de mudo.

    Abrax,
    FC

  • 57. Eduardo  |  25/05/2011 às 18:04

    ARÍLSON de Paula Nunes, embora tenha nos dado muitas alegrias, era um ABOBADO em comemorações… as dancinhas do Jonas eram MARCHA ATLÉTICA perto das que o “louro” fazia…

  • 58. FC  |  25/05/2011 às 18:10

    Paulo Nunes, Tulio, Viola e Damião: aprendizes de Dadá Maravilha.

  • 59. Wilson Farina  |  25/05/2011 às 19:39

    Se Manoel Tobias está para Pelé e Falcão para Neymar, seria o CHOCO o nosso Garrincha?

    Certa vez chegou ao Internacional aquele rapaz Elder Granja, que na época era meia, e na apresentação disse “o q dizer para o torcedor, como eu jogo? Ah, eu si comparo ao Raí”. A partir disso, e do alargamento lateral do meu corpo, passei a me apresentar assim pras peladas q jogo, humildemente, “eu si comparo ao Choco”.

  • 60. Carlinhos  |  25/05/2011 às 20:14

    Cícero.
    Dida maior goleiro? Não conheceu Hiran? Tinha 2 metro de altura… é o mesmo que está com 60 anos e desafiou o Renan dizendo que se rmelhor, não duvido… hehehe

  • 61. Carlinhos  |  25/05/2011 às 20:16

    Mas sei que a grandeza que tu se refere é quanto a qualidade, certamente ouviu falar de um certo Claudio André Taffarel? Esse sim era bom e as comemorações, discretas, ele só se ajoelhou em campo quando pegou o penalti da final de 94.

  • 62. Eduardo  |  25/05/2011 às 20:46

    Choco era mestre. ambidestro e usava o recurso do “chutar sem espaço”… tinha uma pancada!!! outro Monstro era o Jorginho (aquele que anos depois, anunciou ser viciado em pó) ..fez o lance mais bonito de futebol de salão que vi na minha vida… goleiro deu um passe rasteiro com a mão (da época que não podia passar do meio campo sem quicar), forte. ele, de costas pro gol adversário, só deu um “toquinho” prá bola subir, e encobrir o goleiro, que já vinha correndo, quase DEITADO para passar uma rasteira…. foi no travessão e todo o ginásio (com 5 mil pessoas) aplaudiu o lance DE PÉ, como se fosse uma ópera!!! GENIAL…

  • 63. Cícero  |  25/05/2011 às 21:23

    #59

    eu com os meus um e setenta desafio o Renan.
    o Hiran pode ser contratado depois dessas declarações que eu não fico triste. Uma das minhas maiores frustrações na infância foi não ter ganhado a camiseta do Hiran, o cara era meu ídolo.

  • 64. EMEDINAPF  |  25/05/2011 às 21:29

    Não foi o Hiran que declarou que bebia dois ENGRADADOS de cerveja???

  • 65. Cícero  |  25/05/2011 às 22:02

    #63

    se foi, então é o maior goleiro que o colorado já teve na história. Clemer que se contente com o segundo lugar.

  • 66. izabel.  |  25/05/2011 às 22:05

    Títulos:

    Campeonato Baiano: 1992
    Libertadores da América: 1997
    Copa do Brasil: 1996
    Copa Ouro: 1995
    Copa Master da Supercopa: 1995
    Campeonato Mineiro: 1994, 1996, 1997 e 1998
    Mundial de Clubes da FIFA: 2000
    Campeonato Brasileiro: 1999
    Copa do Brasil: 2002
    Torneio Rio-São Paulo: 2002
    Mundial de Clubes da FIFA: 2007
    Liga dos Campeões da UEFA: 2002/03 e 2006/07
    Supercopa Européia: 2003 e 2007
    Campeonato Italiano: 2003/04
    Seleção Brasileira
    Copa do Mundo: 2002
    Copa América: 1999
    Copa das Confederações: 1997 e 2005

    Prêmios individuais
    Bola de Prata: 1993, 1996, 1998 e 1999
    Oscar del Calcio – Melhor goleiro: 2004
    FIFPro World XI: 2005
    Segundo melhor goleiro do mundo pela IFFHS: 2005
    Terceiro melhor goleiro do mundo pela IFFHS: 2004

    Esse é Dida, o goleiro mequetrefe.

  • 67. izabel.  |  25/05/2011 às 22:09

    e aqui a comemoração CORRETA do goleiro após pegar o pênalti.
    (“só pegou dois pênaltis” … é ótimo, hein? pênaltis em lance normal de jogo, pênaltis valendo vaga na final de um brasileiro, pênaltis na casa do adversário, pênaltis batido pelo ídolo, capitão, jogador de seleção. haja má vontade com o pobre do goleiro).

  • 68. Flávio  |  25/05/2011 às 23:53

    Dida > Marcos, Ceni, J. César…

  • 69. col  |  26/05/2011 às 00:05

    #66,

    Dahuahauhauah

  • 70. Ladislau  |  26/05/2011 às 01:25

    taí o desprezível Fernando Henrique…

    e o tal do Eric Faria, já tem aquela cara de bebê chorão e ainda fala como um…”cartão amarelo pro Guerrón por mandar a torcida do Fluminense calar a boca” buááááá

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Subscribe to the comments via RSS Feed


Especial – Libertadores 2011

A bola da ImpedCopa

Toco e me voy

Feeds

web tracker

%d blogueiros gostam disto: