O Tigre não morre

01/03/2011 at 05:00 26 comentários

Sinônimo de Santa Catarina para a geração que começou a acompanhar futebol na década de 1990, o Criciúma perdeu espaço para a dupla de Florianópolis (Avaí e Figueirense) nos últimos 10 anos. No século XXI, o multicampeão Tigre de anos anteriores não renovou sua galeria de troféus com a mesma frequência com que seus torcedores estavam (mal-)acostumados. Chegou a jogar a Série A em 2003 e 2004, mas sem o mesmo brilho dos rivais manezinhos, e por duas vezes foi rebaixado à Série C (2005 e 2008). No entanto, mesmo nesse período, digamos, não tão glorioso, o Criciúma jamais deixou de ter seus momentos de grandeza. O último deles foi no domingo, quando conquistou o primeiro turno do Campeonato Catarinense derrotando o Figueirense (da Série A…) dentro do Orlando Scarpelli.

Figueirense (16 pontos) e Criciúma (15) foram os melhores times da fase “pontos corridos” do primeiro turno do Catarinense. Jogaram as semifinais, em partida única, com vantagem do empate. Enquanto o Tigre passou apertado pela Chapecoense (1 a 1), o Figueira fez 3 a 1 no Joinville, mas poderia ter feito 6 a 1 ou 7 a 1. Por jogar em casa e pelo empate, ser da Série A e ter mais time, o Figueirense era favorito para o jogo decisivo. Do outro lado, porém, estava o dono dos maiores títulos de Santa Catarina (Copa do Brasil 1991 e Série B 2002). E camisa, todos sabemos, pesa.

O Criciúma foi o primeiro time que conseguiu encurralar o Figueirense jogando no Scarpelli neste ano – nem o Avaí, único que havia roubado ponto do Figueira na casa alvinegra, chegou a dominar o clássico. A forte marcação na intermediária ofensiva organizada pelo gaúcho Guilherme Macuglia, último técnico campeão pelo Tigre (Série C 2006), dificultou a tradicionalmente boa saída de bola do Figueirense. Maicon, o cérebro alvinegro, e Fernandes, o eterno ídolo, foram completamente anulados.

Do lado tricolor, o meia prata-da-casa Roni, melhor jogador do campeonato, deu uma aula de como levar um time nas costas, mas o nome que entra para a história do primeiro turno do estadual é o do também gaúcho Mika, ex-Caxias. Contra um forte vento, ele bateu falta na gaveta, sem chance para Wilson. O um a zero foi suficiente para que o povo vestido de amarelo, preto e branco (umas 500 a 700 pessoas) pudesse pegar a BR-101 rumo ao Sul cantando e comemorando a vaga na final do campeonato e na Copa do Brasil de 2012.

A terceira ressurreição do Criciúma na década tem muito a ver com Antenor Angeloni, presidente do clube desde o início do ano passado. Dono da maior rede de supermercados de Santa Catarina (Angeloni), ele investiu pesado do próprio bolso no Tigre e conseguiu bons patrocínios, como a Seara, patrocinadora máster. Em menos de um ano, o time que quase foi rebaixado para a segunda divisão estadual (ficou em oitavo entre 10 equipes em 2010) e vegetava na Série C foi promovido para a Série B e chegou a mais uma final do Campeonato Catarinense.

As duas ressurreições anteriores, porém, servem de alerta para o já escaldado torcedor do Criciúma. Rebaixado para a Série B em 2004, o Tigre nem teve tempo para entrar em depressão: ganhou o estadual em 2005. Mas, no mesmo ano, foi rebaixado para a Série C. Em 2006, deu a volta por cima com o título da terceirona e dois vice-campeonatos estaduais (2007 e 2008), perdendo as finais em casa. Triste, mas muito melhor do que ser mais uma vez rebaixado para a Série C, também em 2008. Jogadores contratados de penca, meses com mais de 30 dias e, dizem, os encantos da noite criciumense ajudam a explicar a gangorra vivida pelo Peñarol do Carvão desde a virada do século. Tudo o que os criciumenses querem agora é que seja eterna enquanto dure essa boa fase.

A gangorra do Tigre

2004 (Desce): Eliminado na primeira fase do Catarinense e rebaixado para a Série B.
2005 (Sobe): Campeão catarinense.
2005 (Desce): Rebaixado para a Série C.
2006-2008 (Sobe): Campeão da Série C em 2006 e vice-campeão catarinense em 2007 e 2008.
2008-2010 (Desce): Rebaixado para a Série C em 2008, eliminado na primeira fase da Série C em 2009 e oitavo colocado entre 10 times no Catarinense 2010.
2010-2011 (Sobe): Promovido à Série B em 2010 e campeão do primeiro turno do Catarinense em 2011.

O Criciúma entre 1989 e 1999

1 Copa do Brasil (1991)
6 Catarinenses (1989, 1990, 1991, 1993, 1995 e 1998)
1 Copa Santa Catarina (1993)

O Criciúma entre 2000 e 2010

1 Série B (2002)
1 Série C (2006)
1 Catarinense (2005)

As fotos são do clicEsportes.

Felipe “Catarina” Silva

Anúncios

Entry filed under: Clubes, Colunas, Copa do Brasil.

O frágil sonho da engrenagem oscilante Un poco más allá del césped: a Greve de 1992

26 Comentários Add your own

  • 1. Ismael  |  01/03/2011 às 08:34

    Muita simpatia pelo tigre e seu caldeirão… e a camisa tá muito bonita!!

  • 2. Allan Garcia  |  01/03/2011 às 08:36

    Serei eternamente grato ao Criciúma pela minha primeira alegria como secador: ter vencido o Grêmio na final Copa do Brasil de 1991.

  • 3. Anônimo  |  01/03/2011 às 10:00

    Primeiro jogo da minha esposa num estádio foi no Heriberto Hülse, em 2003, quando da “Invasão”.

    Sancho

  • 4. catarina cristo  |  01/03/2011 às 10:04

    Quando tu fala das séries tais sempre falando do Brasileirão? Ou do Catarinense? Me perdi. Sou burra.

  • 5. Eduardo  |  01/03/2011 às 10:27

    Guilherme Mac fez bons trabalhos em times de menor expressao que o Tigre. Ja merecia uma chance mais sehria em um time “grande”. Acho que ele entende muito do riscado. Mas, como alguem comentou em outro post, POA ta tao cheio de bundamoles que se alguem da dupla o anuncia, ja comecam as vaias antes dele chegar no aeroporto.

    Ps: Telefone=sem acento.

  • 6. ZÉ CARLOS  |  01/03/2011 às 10:29

    É um belo estádio o Heriberto Hülse….

  • 7. gilson  |  01/03/2011 às 10:32

    Paulo da Pinta está contente aqui em Pouso Alegre.

  • 8. douglasceconello  |  01/03/2011 às 11:15

    Pelo CHARME, o Heriberto Hülse deveria sediar a Copa de 2014. Melhor estádio.

    Peñarol do Carvão é muita POESIA.

  • 9. Tiago Marcon  |  01/03/2011 às 11:18

    #2
    coisa linda aquele título

  • 10. Gabriel Severo  |  01/03/2011 às 11:18

    Gosh Darnit!!!
    We just got a “408 error” which means the website is overloaded.
    We are working to fix this as soon as possible, please check back in a few minutes.

    WTF? Quanto tenho que pagar pra ImpedCorp aumentar o limite de banda?

  • 11. Junior  |  01/03/2011 às 16:21

    Felipe, vi em um programa esportivo qualquer o regulamento do GUGÃO 2011. Os dirigentes da Federação Catarinense estão de parabéns. Se o Criciúma ganhar o 2º turno, ele NÃO será campeão, precisará disputar uma final contra o time de melhor índice técnico nos dois turnos. Ou seja, para o Criciúma, esse 2º turno não vale absolutamente NADA.

  • 12. Anônimo  |  01/03/2011 às 16:35

    Re 11

    O mesmo acontece no Paraná.

    Abraço,
    Sancho

  • 13. Felipe (o catarina)  |  01/03/2011 às 16:42

    #11

    exato, Júnior. Pro Criciúma o segundo só vale pelo seguinte: se ele ganhar, decide o campeonato em casa com vantagem de dois empates. Pode ser que outro time ganhe o segundo turno e tenha mais pontos que o Criciúma no geral, aí esse time fará a final em casa com vantagem.

    #4

    do Brasileirão.

  • 14. Junior  |  01/03/2011 às 16:56

    Felipe, ao menos ele terá essa vantagem de jogar por dois empates. No programa que assisti não falaram sobre isso, um time ganhar dois turnos e não ter vantagem nenhuma seria um absurdo.

  • 15. john smith  |  01/03/2011 às 18:27

    O pior foi o que aconteceu com o Americano em 2002, naquela epoca dos torneios regionais. Venceu a taca guanabara e taca rio, o que em outros anos lhe daria o titulo automaticamente. Teve que participar de um quadrangular com os 4 grandes do rio e chegou a final contra o fluminense, quando nao resistiu e perdeu.
    Fez ao todo 64 pontos em 28 jogos, enquanto que o flu fez apenas 47.

  • 16. LF  |  01/03/2011 às 18:30

    o macuglia treinou o inter b em 2006/07.

  • 17. marlon  |  01/03/2011 às 18:51

    Criciúma tem MUITA mulher e uma coloradagi fiel. Vi vários jogos da Liber 2006 lá – dava aula até as 10:30, pegava carona e chegava no meio do primeiro tempo.
    Até onde pude ver, ninguém na cidade torce pra Avaí ou Figueira – é Tigre e às vezes Inter ou Grêmio.

  • 18. Anônimo  |  01/03/2011 às 20:08

    Macuglia foi treinador do Coritiba de Keirrison, Henrique e Pedro Ken na série B e foi muito mal, sendo substituído pelo Rene Simões, que fez o time engrenar e subiu com facilidade. Aquele time sobrava para a série B…

  • 19. Felipe (o catarina)  |  01/03/2011 às 22:44

    #17

    sim, pouquíssima gente lá é Avaí ou Figueirense. Na real em SC nenhum time tem muita torcida fora de sua região de origem. Exceção ao próprio Criciúma em Florianópolis e Joinville, já que há muita gente do Sul do Estado morando nas duas cidades. Ou seja, não são florianopolitanos e joinvilenses que torcem pro Criciúma, mas gente de lá mesmo que mora fora.

    ah, e Criciúma tem a maior concentração de mulher bonita por metro quadrado do Sul do País. Sério.

  • 20. Magda  |  01/03/2011 às 23:25

    O que é isso, seu Felipe: “Criciúma tem a maior concentração de mulher bonita por metro quadrado do Sul do País.” Então porque não casou com uma de lá? Humpf!!!!! $ # %@ * ~ E ainda reforça: “Sério.” Tsc, tsc, tsc. Hoje vai ter rolo de macarrão (eheheheheheheh).

  • 21. marlon  |  02/03/2011 às 07:04

    hoje não é sexta, mas tive que botar uma AMOSTRA do mulherio criciumense, não tem:

    http://tinyurl.com/4j3f5u8

    ah, que saudade de ficar de BOBIÇA com as alunas, hfjkladhflsjhd

  • 22. Felipe (o catarina)  |  02/03/2011 às 08:17

    #20

    não pra mim, amor, é óbvio. Só tô dando as dicas pros solteiros.

  • 23. Junior  |  02/03/2011 às 09:17

    Marlon e F. Catarina, respeitosamente divirjo. A cidade com mais mulheres bonitas por metro quadrado é Pelotas. As morenas de lá tem um um “quê” de mulher latina, obviamente misturadas com a nossa “brasilidade”, rs. Só fui 3 vezes à Pelotas, mas sempre foi ótimo. E todas as pelotenses que conheci aqui em POA são lindas. Ah, as morenas de Pelotas…

  • 24. Guilherme  |  06/03/2011 às 10:39

    vamos meu Tigreeee

    E Criciúma tem a maior concentração de mulheres bonitas sim, é de ficar perdido, o problema é conseguir pegar hueheuheueh

    Mas se quiserem ver muilheres bonitas, um povo acolhedor e apaixonado por futebol visitem Criciúma hehehe

  • 25. Anderson R. G.  |  06/03/2011 às 10:58

    Sim, tudo isso eu pensava. Década de 90 era só tigre. Inicio 1ª década do seculo XXI, só dava dos times da capitais.
    Mas os outros times que se cuidem, O TIGRÃO VOLTOUUU e não veio para só brigar, mas sim PARA GANHAR.

  • 26.  |  07/03/2011 às 08:54

    Ainda me lembro daquele chute do Roberto Cavalo contra os bambis, se entra aquela… Talvez o SPFC não teria metade da tradição continental que tem.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Subscribe to the comments via RSS Feed


Especial – Libertadores 2011

A bola da ImpedCopa

Toco e me voy

  • Atlético-GO nos 11 primeiros jogos do returno: 14 pontos 8 hours ago
  • Corinthians nos 11 primeiros jogos do turno: 29 pontos Corinthians nos 11 primeiros jogos do returno: 12 pontos 8 hours ago
  • RT @rodrigocapelo: Quanto ganham os principais gestores de um clube de futebol brasileiro? A @RevistaEpoca publica com exclusividade. https… 17 hours ago
  • @germano_mergel Mas o apito parece ter vindo antes do chute. Mesmo assim, enorme sacanagem depois de ter deixado a… twitter.com/i/web/status/9… 1 day ago
  • Aliás, tragédia de arbitragem. Deu acréscimo até empatar (OITO MINUTOS, e tinha pedido 6) e acabou o jogo quando o Brasil ia meter o 3º. 1 day ago

Feeds

web tracker

%d blogueiros gostam disto: