Seguimos todos desesperados

24/02/2011 at 12:00 19 comentários

Quis a Conmebol que o Fluminense iniciasse a Libertadores com duas partidas seguidas como mandante, e o Nacional, do Uruguai, com dois jogos na condição de visitante. Aparentemente inofensiva, a montagem da tabela fez com que, na segunda rodada da fase de grupos, uruguaios e cariocas se confrontassem no Engenhão com um medo absurdo da derrota – sem a tradicional alternância de mandos de campo, todas as contas tiveram de ser refeitas. Com apenas dez mil observadores na noite de ontem, o tricolor de Montevidéu, escalado de forma ENIGMÁTICA, aguentou os noventas minutos sem levar gols e deixou o Fluminense todo nervoso ao fim do zero a zero.

Quando estreou na Libertadores, diante do Argentinos Juniors no mesmo estádio, foram poucos os torcedores do Flu que resmungaram qualquer coisa ligada à injustiça. O Fluminense tinha sido acuado por aquela fome copera que tomou conta do clube argentino, ausente da Copa há décadas. Contra o Nacional, aparecia a oportunidade de ganhar ar no início da temporada, depois do DEBUT pouco inspirador no continente e da eliminação estadual causada pelo Boa Vista. A partida de ontem era, também, a primeira contra times uruguaios em toda a história dos tricolores na Libertadores – o que pode explicar muita coisa em termos históricos e bem pouco em uma concepção mais moderna (?).

A realidade dos que viajaram do Parque Central também não era exatamente graciosa. A pré-temporada havia sido ofuscada pelas contratações do rival Peñarol e faltaram resultados e bom futebol nos amistosos para provar que a melhor equipe entre os grandes montevideanos seria novamente o Nacional. No certame local, los bolsilludos perderam para o Fénix a última partida e empataram na estreia com o Wanderers do ex-treinador do clube, Daniel Carreño – que, ao contrário de JR Carrasco, muito provavelmente entraria no gramado do Engenhão com uma nítida retranca. Mas Juan Ramón tem uma reputação a zelar e não é por acaso que o seu River Plate, certa feita, venceu o Peñarol por 6-3 e perdeu para o Nacional pelo mesmo placar na mesma temporada.

No México, onde perdeu para o América por 2-0, o Nacional foi claramente uma equipe aberta demais. Talvez a derrota tenha até outros motivos, mas faltou qualidade para o ataque se impor no Estádio Azteca e jogadores de defesa para conter as investidas dos mexicanos. De modo que o esquema ofensivo não encontrou sentido na primeira partida do quadro uruguaio na Copa. Ontem, no Engenhão, Carrasco montou um Nacional menos fadado ao suicídio. Mesmo com três atacantes e uma possibilidade tão grande quanto arriscada de surpreender o Fluminense pelas duas pontas sempre que roubasse a bola, houve maior contenção. Nicolás Vigneri, bem mais combativo, substituiu Richard Porta, atacante de área, e Tabaré Viudez andou mais pelos últimos metros do meio-campo – setor em que rende melhor – do que perto da meta adversária. Fornaroli foi o centroavante, quando antes havia sido Santiago García.

Tudo, porém, poderia ter se alterado já aos dois minutos de partida. Na primeira investida oriental, Mauricio Pereyra, de boa atuação, arrancou pela esquerda e viu que Fornaroli se aproximava com espaços na frente da área. O passe pareceu perfeito, mas faltou um segundo para que o centroavante apenas desviasse a bola para gritar em castelhano no Rio de Janeiro. Lamentado o lance, houve um hiato gigantesco sem ocasiões de gol para o Nacional. Enquanto isso, o Fluminense chutava incontáveis vezes em direção ao retângulo de Leonardo Burián, mas sempre errou por um par de metros capaz de garantir tranquilidade aos visitantes. Apenas no final da primeira etapa Fornaroli, talvez o melhor jogador do elenco, chutou com perigo e soube armar outros dois ataques com certo potencial. Terminado o tempo inicial, nunca alguém poderia ter dito que faltaram detalhes para o gol do Fluminense.

Após o recomeço, o Fluminense seguiu dominando, mas encontrou sempre no Nacional um adversário que desarmava e espanava bem – com Coates a defesa é de outro nível – e que sonhava com o contra-ataque ideal. Que quase chegou quando Santiago “El Morro” García, nos seus primeiros minutos em campo, ganhou no corpo de Leandro Euzébio, ultrapassou o alcance das mãos de Ricardo Berna e chutou por cima do gol vazio. A quimera de Carrasco também esteve próxima aos 35 do segundo tempo, na jogada mais bonita do time na Libertadores. Mauricio Pereyra deslizou pela banda direita, cortou para o meio e cruzou na altura certa para que García enfim decretasse o 1-0 – no entanto, Berna saltou, desviou o trajeto da bola e manteve a igualdade. Do Fluminense, nada diferente – com Souza em campo, as coisas pareciam mesmo mais distantes. Juan Ramón Carrasco, levemente envergonhado, ainda pôs o zagueiro Córdoba no lugar de Viudez para garantir o ponto conquistado.

Na semana em que deixou o Clube dos 13 para cobiçar maracutaias negócios maiores, o Fluminense complicou a sua classificação na Copa Libertadores. O regulamento escrito pelo míope Nicolás Leoz brindou o Flu com dois jogos seguidos em casa justamente no início, quando todas as equipes ainda parecem travadas e qualquer fator – como o estádio – parece ser mais decisivo. Nos seis pontos disputados, entretanto, os cariocas só podem contar dois – e haverá desespero contra o América, desta vez longe do Rio. E a tabela cobra o preço das regalias de agora: nas últimas duas partidas, o Fluminense atua fora de casa. Para o Nacional, o 0-0 foi um grande negócio – hoje. Se a vitória contra o Argentinos Juniors não chegar, na próxima quarta-feira, a valentia no Brasil de pouco terá servido. Eis a Copa Libertadores, capaz de acabar com os nervos de Nacional e Fluminense em apenas duas rodadas.

Saludos,
Iuri Müller
Anúncios

Entry filed under: Libertadores.

Juarez, O Ilusionista Sociedade Esportiva e de Benemerência Palmeiras

19 Comentários Add your own

  • 1. Santi  |  24/02/2011 às 12:18

    O Flu segue muito desfalcado. O Conca jogando desse jeito, depois de cirurgia, é um desfalque em campo. O Flu é certamente a maior decepção do torneio até agora.

    Parece que Emerson, Fred e mais alguém voltam no próximo.

  • 2. Fernando Cesarotti  |  24/02/2011 às 12:24

    Emerson volta certo, Fred ainda não se sabe. Muricy e Libertadores não se bicam, sei não se não rolará uma decepção precoce.

  • 3. douglasceconello  |  24/02/2011 às 12:28

    Muita decepção esse jogo. Eu tinha certeza do empate, mas esperava no mínimo um 3 a 3.

    Luís Felipe, o JR Carrasco, teu BRUXO, está devendo. Manifeste-se. sdufhus

  • 4. Alexandre N.  |  24/02/2011 às 12:32

    Corrigindo, Iuri: Leandro Euzébio perdeu a jogada por que FUROU o chute que ia dar na bola.

    #1
    Santi, o time está desfalcado, não se pode negar. Mas o técnico também não vem ajudando em nada. Precisando da vitória, resolveu escalar o time num 3-6-1. E ainda teve a cara de pau de dizer que escalou o time num 4-4-2 britânico (aquele onde os jogadores de defesa e meio de campo jogam alinhados).

    Como eu falei pra uma amiga minha ontem, Muricy Ramalho não foi feito para a Libertadores…

  • 5. arbo  |  24/02/2011 às 12:32

    qualéqé dessa do clube dos 13, cbf, grobo e tudo mais?
    só leio impedimento [mas de ouvido peguei q cariocas e corinthians largaram fora]

    agora, BELÍSSIMO UNIFORME esse do nacional. se tiver em la paloma[not], barato, comprarei.

  • 6. Anônimo  |  24/02/2011 às 12:40

    (?)

    La Redó vive. No mais, o Iuri, 115 anos mais novo do que eu (‘tá, nem tanto, já que devo ser da patota do Ceconello), viu o mesmo jogo e o descreveu com mais talento do que eu conseguiria.

    Abraço,
    Sancho

  • 7. Gustavo  |  24/02/2011 às 14:06

    Nunca, NUNCA mencione o La Redó. (?)

    (ops)

  • 8. Vinicius  |  24/02/2011 às 14:27

    Quem ganha o Brasileirão não ganha a Libertadores. FATO.

  • 9. Anônimo  |  24/02/2011 às 14:34

    Re 8

    Que eu me lembre, há 3 exceções para essa regra: Flamengo (1981); São Paulo (1991); e Vasco (1998).

    Sancho

  • 10. Anônimo  |  24/02/2011 às 14:36

    Claro!

    É evidente que o motivo principal não é a Taça!

    A tese rubro negra coaduna com a corinthiana.

    Eles querem sair do Clube dos 13 levando cinco clubes (até mesmo rivais) de fraca expressão.

    Assim, quem vai determinar valores, resolver venda da transmissão, etc., será o Andres e futuramente a Paty, quando o Ricardo Teixeira, pasmem, tentará a presidência da Fifa, deixando a CBF com o Andres…

    Sabe quem pode nos ajudar futuramente?

    Michel Platini.

    Sim aquele grande jogador francês que está mandando na UEFA é a única solução viável para o futebol mundial.

    O Blatter deve juntamente com a alma do traficante de armas João Havellange (alma né porque o JH só falta enterrar… Por mim seria enterrado vivo junto com tantas almas malditas) indicar o Ricardo Teixeira na próxima eleição (depois da copa… não a de junho).

    Esse jornalista americano (pseudo oposição) que diz ser representante do povo é uma ameba que não sabe o que é futebol e só fala em soccer… Vai vender o esporte mais ainda… Parafraseando e contrariando o nobre deputado tiririca, pior do que tá sempre fica!

    Então, se o Michel Platini esquecer a UEFA, como tinha dito quando foi eleito, e focar na FIFA, além de rolar uma limpeza como foi feito na UEFA, estaremos evitando a vitória do maior canalha do futebol brasileiro, ou melhor o filhote do maior canalha do futebol brasileiro. O maior canalha é JH, o filhote é RT…

    ALLEZ PLATINI!

    Só ele pode salvar porque o kaiser Beckenbauer está afastado por motivos familiares e de saúde.

    Terminando, se o RT não conseguir a eleição pra Fifa, ele segue na CBF até a morte, mas, evita o corinthianismo no poder… Pelo menos o RT é um ladrão sem time que só pensa em cifras…

    E O GRÊMIO COM ISSO TUDO???

    AMIGÃO, DEPENDENDO DA REUNIÃO DE HOJE QUE O ODONE, ACREDITO EU, NÃO ESTEJA PRESENTE EM VIRTUDE DA VIAGEM PRA BARRANQUILA… DEPENDENDO DA BRIGALHADA QUE ESTÁ ROLANDO NESSE EXATO MOMENTO EM SAMPA NA SEDE DO CLUBE DOS 13… PODEREMOS TER UM RACHA POLÍTICO ENORME!

    AINDA QUE O ODONE TENHA A MAIORIA NO CONSELHO… O GRUPO DO KOFF ESTÁ NO CONSELHO DELIBERATIVO TAMBÉM! E TEM OUTRA… QUEM TEM A IMPRENSA DO POVÃO (DIÁRIO GAÚCHO) E ATÉ MESMO A IMPRENSA EM GERAL, É O GRUPO DO KOFF! O SIROTSKY É AMIGO DO KOFF… E APÓIA O ODONE PRQ O ODONE É O ATUAL PRESIDENTE… MAS É AMIGO DO KOFF…

    SE O ODONE RESOLVER SAIR JUNTO COM O G7, OK, TEREMOS COPA NA ARENA DO HUMAITÁ, TEREMOS MAIS GRANA DA GLOBO, VAMOS SACANEAR A MACACADA POR DÉCADAS PELO VEXAME DA REFORMA DO REMENDÃO, SEREMOS CAMPEÕES DE ALGUM CAMPEONATO NACIONAL EM MENOS DE 3 ANOS, ETC… MAS, O PROBLEMA É QUE LARGAR O KOFF NA MÃO É CERTEZA DE COMPRAR BRIGA COM O CÉU E O INFERNO… O ODONE SABE DISSO… AFINAL, EM 2008 ELE PENSOU QUE O KOFF TAVA MORTO E O VELHO VENCEU A ELEIÇÃO PRO DUDA…

    SEM FALAR QUE O CLIMA NO MONUMENTAL DESDE O FINAL DO ANO PASSADO É DE CONCILIAÇÃO POLÍTICA… TANTO É QUE O KOFF FOI AVALISTA DA PSEUDO NEGOCIAÇÃO DO RONALDINHO…

    MAS TUDO ISSO PODE MUDAR EM ALGUMAS HORAS EM ALGUNS DIAS…

    NÃO PODEMOS ESQUECER QUE O KOFF ASSIM COMO O KLEBER LEITE SÃO MEMBROS VITALÍCIOS DO CLUBE DOS 13, MAS, ESTÃO LÁ POR CAUSA DE SEUS CLUBES… O GRÊMIO TEM SEMPRE DOIS REPRESENTANTES (UM DIRETO QUE É O PRESIDENTE EM EXERCÍCIO E OUTRO INDIRETO QUE É O KOFF)…

    SINCERAMENTE, POR MIM O GRÊMIO FICA NO CLUBE DOS 13, O ODONE AJUDA O KOFF… A PAZ REINA NO MONUMENTAL… E COMPRA BRIGA COM CORINTHIANS, FLAMENGO, GLOBO! É TUDO QUE EU MAIS QUERIA…

    AH A ARENA NÃO VAI SEDIAR A COPA… AH O RICARDO TEIXEIRA VAI NOS SACANEAR… AH A GLOBO VAI FAZER UM DOSSIE DO GREMIO HAHAHA… FODA-SE…

    A ARENA SERÁ SEDE DA COPA MUITO PROVAVELMENTE… O INTER NÃO VAI CONSEGUIR REMENDAR AQUELA MERDA! A CRISE POLÍTICA LÁ É MUITO MAIOR… ENVOLVE PARTIDOS E MOVIMENTOS POLÍTICO EXTRA-CLUBE… TEM UM MOVIMENTO DE COMUNISTA COLORADO QUE VAI FUDER, LITERALMENTE, FUDER COM A REFORMA DO BEIRA RIO… E QUEM DESGRAÇOU TUDO FOI O PIFFERO QUE COMEÇOU A QUEBRADEIRA SEM TER CONSTRUTORA DE PARCERIA… QUEBROU TUDO E MANDOU O LUIGGI SEGUIR NA REFORMA… MAS QUE REFORMA? QUAL PROJETO? SEM PARCERIA? TEMOS DINHEIRO? SÃO PERGUNTAS COLORADAS… ELES ESTÃO SE MATANDO… O ÚNICO INTELIGENTE LÁ É O AOD CUNHA… E NÃO QUER SE ENVOLVER COM COPA…

    OU SEJA, A CBF NÃO TERÁ ESCOLHA… OU ARENA OU NADA…

    ASSIM, PREFIRO QUE O GRÊMIO SIGA NO CLUBE DOS 13 E A PAZ FIQUE NA AZENHA…

    Porém, essa viagem do Odone como chefe da delegação da seleção em Paris… Ao lado do Ricardo Teixeira… Sei não…

    guihoch

  • 11. Tiago  |  24/02/2011 às 15:13

    Eu to cagando e andando pro Beira-Rio ser sede da Copa. Acho que 99% dos colorados compartilham da minha opinião.
    A vantagem de tocar as reformas nesse momento é aproveitar financiamentos do BNDES, isenção de impostos, desvio de verbas públicas, etc. E claro, uma obra desse porte com uma construtora parceira seria mais fácil.

  • 12. gilson  |  24/02/2011 às 16:38

    Fluminense com típica campanha de campeão, em 2008 vimos que campanhas avassaladoras de nada valem nesse campeonato. Ou vocês acham que o Cruzeiro aguenta o tranco até o fim?
    E sobre o jogo ontem; eu gostei, Fluminense jogou com um time que sentou na defesa e que é muito bom em fazer isso (e tem bem mais cancha na Copa).
    Ainda por cima conseguiu ficar sem tomar gol, o que já é um avanço.

  • 13. Frei  |  24/02/2011 às 16:50

    Tocar flauta por ter o “estádio da Copa” é patético.

    Não importa de que lado ela venha.

  • 14. Gustavo  |  24/02/2011 às 16:58

    “A vantagem de tocar as reformas nesse momento é aproveitar financiamentos do BNDES, isenção de impostos, desvio de verbas públicas, etc.”

    Sério, a gente não pode achar isso legal.

  • 15. Rudi  |  24/02/2011 às 17:19

    O desvio de verba pública que vai ajudar a construir o estádio do teu time (seja lá qual for, isso vale pra todos) é a grana que vai faltar numa ambulância ou numa uti que fará alguém morrer na porta de um hospital ou a caminho sem atendimento…
    Não é assim que as coisas devem ser

  • 16. Tiago  |  24/02/2011 às 17:24

    O pessoal aqui realmente não entende sarcarmo…

  • 17. Zé Carlos  |  24/02/2011 às 17:55

    Cada clube tem que defender o seu e pronto, Fábio Koff é tranqueira. Quanto ao Flunimed, esse ai vai dançar na 1 fase.

  • 18. Ernesto  |  25/02/2011 às 00:29

    Flauta pela sede da copa é da estirpe Pifferiana. Mas pelo que dizem por aqui, a arrogância é estritamente colorada. Não dá pra entender.

    Hahshahsasahash “comunistas colorados”. Papo de agente da CIA, de EMBAIXADOR, ou do WIKILEAKS.

  • 19. Matias Pinto  |  25/02/2011 às 02:56

    “Mauricio Pereyra deslizou pela banda direita, cortou para o meio e cruzou na altura certa para que García enfim decretasse o 1-0 – no entanto, Berna saltou, desviou o trajeto da bola e manteve a igualdade.”

    Este trecho valeu a leitura!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Subscribe to the comments via RSS Feed


Especial – Libertadores 2011

A bola da ImpedCopa

Toco e me voy

  • Atlético-GO nos 11 primeiros jogos do returno: 14 pontos 8 hours ago
  • Corinthians nos 11 primeiros jogos do turno: 29 pontos Corinthians nos 11 primeiros jogos do returno: 12 pontos 9 hours ago
  • RT @rodrigocapelo: Quanto ganham os principais gestores de um clube de futebol brasileiro? A @RevistaEpoca publica com exclusividade. https… 17 hours ago
  • @germano_mergel Mas o apito parece ter vindo antes do chute. Mesmo assim, enorme sacanagem depois de ter deixado a… twitter.com/i/web/status/9… 1 day ago
  • Aliás, tragédia de arbitragem. Deu acréscimo até empatar (OITO MINUTOS, e tinha pedido 6) e acabou o jogo quando o Brasil ia meter o 3º. 1 day ago

Feeds

web tracker

%d blogueiros gostam disto: