Los de Abajo – G.A. Farroupilha

23/02/2011 at 06:00 55 comentários

“Eu existo em Satolep
E nela serei pra sempre
O nome de cada pedra
E as luzes perdidas na neblina
Quem viver verá que estou ali”

Vitor Ramil

Ninguém escreve ao Coronel


Não há nada mais povoado em Pelotas do que o sebo da Praça Sete de Julho, distante três quadras do Theatro Guarany. Em diminutos metros quadrados, juntam-se vinis que talvez nem toquem mais, Playboys de outros tempos e moedas romanas perdidas no sul do sul. E livros, de gêneros variados e em enorme quantidade, dispostos no largo campo de visão de Nei, o dono do estabelecimento. Pelas mãos do livreiro, um porto-alegrense radicado em Pelotas há décadas, passa a documentação não-oficial da história da cidade.

Manuscritos antigos, versos do poeta Lobo da Costa, retratos da velha Santa Casa de Misericórdia e as coberturas de outrora do Diário Popular. Havia, também, traços de futebol entre os estreitos corredores. Flâmulas de Brasil e Pelotas, discos com os seus respectivos hinos, os grandes esquadrões emoldurados e edições da Revista Esportiva repercutindo os clássicos Bra-Pel dos anos 50. Do Farroupilha, nada – “dá para contar nos dedos o material que vi do Farroupilha em dez anos de sebo”, conta Nei. O Farroupilha parece ser anterior aos sebos.

Nas cercanias da mesma praça, surge o leito da Avenida Duque de Caxias, que atravessa a cidade até chegar ao bairro Fragata, ele próprio uma cidade à parte. Mais populoso do que dois municípios com equipes na primeira divisão – Lajeado e Veranópolis – e praticamente do tamanho de Ijuí, o Fragata abriga cerca de oitenta mil habitantes e referências apenas suas. É no bairro que se sustentam o Cemitério Ecumênico São Francisco de Paula, o 9º Batalhão de Infantaria e o Estádio General Nicolau Fico, a cancha do Grêmio Atlético Farroupilha – entre os quais há conexões tácitas.

O antigo Regimento, hoje Batalhão, fundou seu clube esportivo em 1926. Manteve o nome por quinze anos, e foi como Grêmio Atlético 9º Regimento que o tricolor dominou o futebol pelotense nos anos 30, brigando por dois anos consecutivos com os grandes de Porto Alegre pelo título do estado. Na Capital, em 1934, deixou a taça nas mãos do Inter e o dedo no rosto do juiz após levar 1 a 0 com um gol que surgiu de um pênalti inexistente – “se não nos roubarem no ano que vem, seremos campeões gaúchos”, teria dito o então presidente do clube derrotado, o Tenente Garry Martins de Lima, quando convidado a discursar solenemente na entrega da premiação no Estádio dos Eucaliptos.

No ano seguinte, com o recado dado e ecoado pelo Rio Grande, novamente um pênalti foi marcado contra o Regimento no jogo de desempate, contra o Grêmio, no Timbaúva, do Força e Luz. Mas o goleiro Brandão desviou a penalidade e os pelotenses se impuseram por 2 a 1, com gols de Cardeal – o centroavante de só um pulmão e que vestia sempre um gorro vermelho – e Cerrito. O time foi acompanhado por um único repórter da Rádio Pelotense, que transmitiu a final por um telefone. Os jogadores que regressaram a Pelotas num barco-vapor tiveram um destino em comum – há um mausoléu para os campeões do Campeonato Farroupilha de 1935, ano do centenário da Revolução, no cemitério do bairro Fragata.

O título valeu o novo nome quando, em 1941, Getúlio Vargas decretou que as instituições esportivas abertas para civis não poderiam ter alusões militares em seus registros. Vinte e três anos depois, em 64, assumiu o clube pela primeira vez quem se tornaria a maior representação do Farroupilha dito moderno – o Coronel Ewaldo Poeta, hoje com 84 anos. Ainda nos anos 60, Poeta é transferido para Brasília, onde integra a Guarda Presidencial em 1969, já na Ditadura Militar – e volta a Pelotas para assumir o Farrapo em 1973. Desde então, não se afastou mais da diretoria, quase sempre ocupando o cargo máximo. Não há dirigente vivo no Rio Grande do Sul há mais tempo que Poeta no manejo de alguma equipe.

Na temporada que se inicia, Poeta, o diretor de futebol César Lima e “mais uns poucos dirigentes abnegados” apressaram a construção da equipe muito em razão da volta da Terceirona, onde o clube esteve de 1999 a 2001. Costumeiramente, o Farroupilha é sempre um dos últimos a se preparar para a Segundona – e isso no clube ninguém nega – fato que vinha se refletindo nas classificações. No ano passado, o Fantasma foi o 25º colocado das 26 equipes. A montagem do grupo, desta vez, teve início em novembro, mas a apresentação só se deu em janeiro – trazer os jogadores em dezembro, com as folgas de final de ano, geraria um prejuízo “desnecessário”, segundo César, para a instituição. No plantel, aparecem nomes com enorme rodagem no interior, como o meia Manga e o zagueiro Aládio.

A estratégia para testar o time foi a de aceitar convites de amistosos e não realizar nenhuma partida no Nicolau Fico. O Farroupilha rodou muito pela Zona Sul em fevereiro – foi ao Chuy uruguaio, a Santa Vitória do Palmar, a Pedro Osório e a Camaquã. Venceu apenas contra o combinado pedro-osoriense, ainda no início do mês. Algumas das dificuldades do Farrapo na pré-temporada parecem tão duras quanto a grama do Rio Branco de Santa Vitória – para as camisetas para 2011, nenhum patrocínio ainda foi acertado, com exceção da parceria da FGF com a Claro. Para Ewaldo Poeta, a solução é “bater perna por Pelotas”, porque o tricolor encontraria investidores e amigos dispostos a colaborar.

César Lima lamenta que parte da resistência pode passar pela própria figura do Coronel Poeta – “alguns empresários da cidade dizem que não colocam dinheiro no Farroupilha ‘enquanto ele estiver lá’. E quando o Coronel não estiver aqui, vão deixar de ajudar porque eu, ou qualquer outro, somos remanescentes deste tempo?”. Quando se forem os dias de Ewaldo Poeta à frente do Farroupilha, podem faltar garantias para prosseguir – admite o diretor de futebol, que ainda não vê alternativas para a ausência de Poeta. Se deste futuro pouco se sabe, para parte da imprensa o presente do Farroupilha já é tido como um assunto velho que não vende mais. Em partidas distantes da cidade, é comum nenhuma rádio comparecer.

No último dia 16, o Nicolau Fico recebeu a visita de um representante da Mega Sports, empresa parceira da FGF que fez o material esportivo de parte dos times da Segundona. A viagem se deu pelo desconhecimento das cores do Farrapo – a fábrica trocou o amarelo do clube pelo laranja, alterando um uniforme visto há sete décadas. A camiseta reserva também pouco diz ao Fantasma – não se utiliza da tradicional faixa tricolor e, apenas em vermelho e verde, lembra o São Paulo da cidade vizinha e rival. É este esquecimento que o Farroupilha precisa evitar nos próximos anos – destino que parece guardar três dúvidas para o clube. Como se manterá depois do Coronel, se pertencerá ao Fragata ou à cidade – e, principalmente, se esta cidade ainda quer contar a história viva do Farroupilha.

Iuri Müller e Maurício Brum

Anúncios

Entry filed under: Pelo Interior, Reportagens, Segundona Gaúcha.

O exército dos 18 Raposa em cancha reta

55 Comentários Add your own

  • 1. Marimas  |  23/02/2011 às 06:24

    Atuante fantasma!

  • 2. arbo  |  23/02/2011 às 08:27

    bravo

    esse general aí, entrevista nele

  • 3. Anônimo  |  23/02/2011 às 08:39

    Certa vez entrei num táxi em Pelotas e perguntei ao motorista: Brasil ou Pelotas?

    Ele respondeu seco: Sou Farroupilha.

    – Mas então o senhor é do Frataga!

    Ele abriu o sorriso e disse: Sou, sim. Lá todo mundo é Fantasma!

    Sancho

  • 4. Anônimo  |  23/02/2011 às 08:43

    Tchê,

    Futebol só sobrevive se apoiado na comunidade. Isso, claro, não é responsabilidade apenas do clube, mas é também do clube. Esses clubes estariam em melhor situação se tapados de patrocínio de empresas do tipo “Açogue do Seu João”, “Padaria da Dona Maria”, “Fruteira do Seu Zé”, “Colégio do Bairro”, etc.

    Sanchotene

  • 5. Anônimo  |  23/02/2011 às 08:50

    Que me perdoem o Brum e o Müller, que me desculpe o Impedimento, mas esta é a melhor matéria no melhor saite do mundo:

    http://www.segundonagaucha.com/2011/02/os-guerreiros-de-gravatai.html

    Não vale pelo texto, mas pelo gancho! A foto é perfeita.

    Sancho

  • 6. dante  |  23/02/2011 às 09:26

    FANTÁSTICO texto, iuri e maurício.

    parabéns!

  • 7. Vinicius  |  23/02/2011 às 09:31

    Só porque 3 posts passados pedi sobre o Farroupilha! 🙂

  • 8. Cassol  |  23/02/2011 às 09:58

    Mas que férias bem aproveitadas desses dois.

  • 9. m  |  23/02/2011 às 10:15

    excelente, pessoal.

    e que baita apelido é FANTASMA. por que, hein?

  • 10. Paul  |  23/02/2011 às 10:37

    Báh, ganhar do combinado pedro-osoriense não conta, MEU IRMÃO jogou essa partida.

    Sério.

  • 11. Carlos  |  23/02/2011 às 10:52

    Mais um da série sensacional dessa dupla.

    Parabenza.

  • 12. LAEFarinatti  |  23/02/2011 às 11:05

    O Farrapo vive O Outono do Patriarca.

  • 13. dante  |  23/02/2011 às 11:28

    “Que me perdoem o Brum e o Müller, que me desculpe o Impedimento, mas esta é a melhor matéria no melhor saite do mundo”

    VAZA, LARÁPIO!

  • 14. Francisco Luz  |  23/02/2011 às 11:59

    Que sensacional, Iuri e Brum. Dá para ver que vocês aproveitam bem a vida conjugal, huahsusah.

    Falando sério, mais um puta texto.

    E porra, o Aládio tá no Fantasma. Incrível.

  • 15. Lucas Cavalheiro  |  23/02/2011 às 12:45

    típico texto que tu vai lendo, lendo, lendo e espera não chegar no fim.

  • 16. Felipe (o catarina)  |  23/02/2011 às 12:49

    Marquinhos, ex-Inter, 20 anos, chega por empréstimo ao Avaí. O que dizem desse guri?

  • 17. arbo  |  23/02/2011 às 12:53

    até ano passado só tinha ouvido falar bem, mc cata
    tinha gente q pedia o guri no time titular
    acho q DAR-SE-Á bem com o xará

  • 18. Anônimo  |  23/02/2011 às 13:01

    Dante não percebeu a POESIA do troço…

    😉

    Abraço.

  • 19. Duda  |  23/02/2011 às 13:06

    E a briga do Clube dos 13? Solucao: fundar uma liga sulamericana, Sul+Uruguais+Argentina+Chile+Paraguai?

  • 20. arbo  |  23/02/2011 às 13:20

    cadê o FERN numa hora dessas?

  • 21. FERN  |  23/02/2011 às 13:30

    siempre por ay arbo…

  • 22. Anônimo  |  23/02/2011 às 13:45

    Eu substituo o FERN, por enquanto.

    Se a FGF se defiliar da CBF e se juntar à AUF, o resultado é… Liga Pampa!

    Poderiam convidar a FCF, também.

    Teríamos uma Primeira Divisão com: Nacional, Peñarol, Danúbio, Defensor, Liverpool, River Plate, Grêmio, Internacional, Juventude, Caxias, Brasil, Avaí, Figueirense, Criciúma, Joinville e Chapecoense.

    A Série B teria: El Tanque Sisley, Wanderers, Cerro, Rampla, Tacuarembó, Miramar Misiones, Pelotas, Bagé, Guarany, São José, Ypiranga, Marcílio Dias, Imbituba, Concórdia, Brusque e Metropolitano.

    A Série C seria dividia em 3:

    Uruguai – Bella Vista, Fénix, Central Español, Racing, Cerrito, Atenas (San Carlos), Rentistas, Cerro Largo FC (Melo), Boston River, Durazno, Maldonado, Rocha, Juventud (Las Piedras), Sud América, Plaza (Colonia) e Huracán.

    Rio Grande do Sul – Cruzeiro, Novo Hamburgo, Lajeadense, São Luiz, Canoas, Veranópolis, Santa Cruz, Inter (Santa Maria), Porto Alegre, Gaúcho, Passo Fundo, Riograndense (Santa Maria), 14 de Julho, Glória, Farroupilha e Rio Grande.

    Santa Catarina (só juntei o que achei no wikipedia): Atlético Tubarão, Camboriú, Caxias (Joinville), Juventus, Hercílio Luz, Atlético de Ibirama, Porto, Joaçaba, Próspera, XV de Outubro, Blumenauense, Caçador, Navegantes, Oeste, Pinheiros (Timbó) e Videira.

    Torneios de ano inteiro!

    Sancho

  • 23. Santi  |  23/02/2011 às 13:54

    Bravo! Mais um grande texto. Parabéns!

  • 24. iurimuller  |  23/02/2011 às 14:03

    #9
    O Farroupilha ganhou o apelido de fantasma porque o estádio fica perto do cemitério mencionado no texto.

    #10
    Os amistosos de fato não foram grande coisa. Perderam para o Rocha, da Segundona uruguaia, no Chuy, e empataram com o Rio Branco em Santa Vitória do Palmar. No último teste, 1-1 com o Guarany de Camaquã, que está em outra chave na B.

    #22
    Por que juntar Santa Catarina na história? Imagina o HERCÍLIO LUZ viajando para jogar contra o HURACÁN DEL PASO DE LA ARENA.

    E mais uma vez agradeço sinceramente pela leitura e pelos comentários. A situação do Farroupilha me pareceu tão sensível quanto a do Gaúcho, embora menos emocionante, talvez – até porque as coisas parecem estar a ponto de mudar bruscamente no Nicolau Fico.

  • 25. Vicente Fonseca  |  23/02/2011 às 14:35

    Sensacional, como sempre. Parabéns.

    Vale lembrar que o Farroupilha esteve recentemente na Primeira Divisão do Gauchão, em 2005 e 2006, enquanto o Pelotas habitava a Segundona. Ganhou inclusive do Grêmio no Olímpico, 2 a 1, única derrota do time campeão de 2006 em todo o campeonato. Incrível a degringolada em tão pouco tempo.

  • 26. Lucas Cavalheiro  |  23/02/2011 às 14:51

    Desculpem o OT, mas eu não resisto:

    TIBURÓN! TIBURÓN! TIBURÓN! TIBURÓN!

    http://www.facebook.com/pages/Las-Porristas-del-Junior-de-Barranquilla/142988402407689?sk=photos

  • 27. Tiago Marcon  |  23/02/2011 às 15:00

    Vitor Ramil MESTRE
    texto absolutamente MATADOR. Vida longa ao glorioso e visceral futebol do nosso interior

  • 28. Anônimo  |  23/02/2011 às 15:02

    Re 24

    Por alguns motivos: é um estado simpático, permite mais tarde acrescentar o Paraná, fica mais fácil para achacar dinheiro da RBS. Essas coisas…

    Abraço.

  • 29. Anônimo  |  23/02/2011 às 15:03

    Re 26

    O entra-e-sai no quarto do Renato deve estar grande!

  • 30. Eduardo  |  23/02/2011 às 15:16

    “…o dedo no rosto do juiz após levar 1 a 0 com um gol que surgiu de um pênalti inexistente – “
    só não compro a camisa porque tem vermelho…

    agora, já em 1934 roubavam prá dupla GREnal… que coisa…

    belo texto dessa dupla….

  • 31. arbo  |  23/02/2011 às 15:24

    “mais tarde acrescentar o Paraná”
    NOT

  • 32. Anônimo  |  23/02/2011 às 15:54

    Complementando o 22 e o 28

    Se a FGF se defiliar da CBF e se juntar à AUF, o resultado é… Liga Pampa!

    Poderiam convidar a FCF e a FPF, também.

    Teríamos uma Primeira Divisão com 16 clubes: Nacional, Peñarol, Danúbio, Defensor, Grêmio, Internacional, Juventude, Caxias, Avaí, Figueirense, Criciúma, Joinville, Coritiba, Atlético/PR, Paraná e Cascavel (que é para a Dupla jogar lá).

    A Série B teria também 16 clubes: Liverpool, River Plate, Cerro, Rampla, Brasil, Pelotas, São José, Ypiranga, Chapecoense, Marcílio Dias, Brusque, Metropolitano, Operário, Cianorte, Iraty e Paranavaí.

    A Série C seria dividida em 2:

    Uruguai/RS – El Tanque Sisley, Wanderers, Tacuarembó, Miramar Misiones, Bella Vista, Fénix, Central Español, Racing, mais 8 gaúchos.

    SC/PR – 8 catarinenses e 8 paranaenses.

    A Série D seria totalmente regional, com 4 torneios (UY, RS, SC e PR)

    Torneios de ano inteiro! E o Huracán del Paso de la Arena só enfrentaria o Hercílio Luz se ambos estivessem na “A” ou na “B”, Iuri!

    😀

    Abração,
    Sancho

  • 33. Anônimo  |  23/02/2011 às 16:04

    Ressalva: não me levem a sério, por favor!

    Sancho

  • 34. dante  |  23/02/2011 às 16:06

    sancho, percebi TOTALMENTE a poesia do troço.

    mas linkar outro texto depois dessa GOLEADA do iuri e do maurício é deveras dispensável.

    ; ]

  • 35. Junior  |  23/02/2011 às 16:34

    Excepcional o texto, como sempre.
    Uma dúvida: não foi no Fragata que foi criada a 1ª escola de samba do RS?

  • 36. Anônimo  |  23/02/2011 às 16:35

    Agora queremos matéria sobre o trio-de-ferro uruguaianense!

    Sancho

  • 37. douglasceconello  |  23/02/2011 às 17:14

    Sensacional obra dos PIBES DE OURO, novamente.

    Que camisa foda essa do Farroupilha. Conforme Sancho falou ali, acho que a saída seria buscar soluções no próprio bairro, tanto no que se refere a patrocínios quanto para desenvolver o espírito de COMUNIDADE que gira em torno do clube, cravando as cores do Fantasma na ALMA da população.

    Se 3% do bairro de 80 mil pessoas adquirir o hábito de ir ao campo, a situação já melhora drasticamente.

  • 38. arbo  |  23/02/2011 às 17:26

    e é só uma questão de hábito mesmo. em porto alegre já nos quedamos seguidamente catando pulga em cachorro no sábado à tarde.

  • 39. Felipe (o catarina)  |  23/02/2011 às 18:21

    #24

    é, nada a ver juntar SC com o resto. A gente faz o nosso próprio campeonato, que vai ser bem mais mais legal, viu, Iuri? hjsahajahsdjk

    pô, Iuri, outro ano a Chapecoense teve que ir pra ALTO ARAGUAIA (MT) e o Joinville jogou um jogo da Série D em MANAUS (em MANAUS!!!!). De Tubarão pro Uruguai dá pra ir de bicicleta.

  • 40. iurimuller  |  23/02/2011 às 18:51

    #25
    Vicente, a maior parte da dívida MODERNA do Farroupilha vem de 2006, o último ano na primeira divisão. Segundo o atual diretor de futebol, a folha de pagamento naquele ano era altíssima e seria vencida em parceria com um empresário ligado ao BMG de Pelotas – o negócio do cara furou, ele fugiu da cidade e o Farroupilha ficou com a bomba inteira nas mãos.

    #39
    Felipe, só não sei até onde a realidade do futebol do interior de Santa Catarina se parece com a do RS e do Uruguai. Me falta um conhecimento do PANORAMA daí. De repente nem é uma boa para os times catarinenses entrar nesta. No mais, vida longa ao Hercílio Luz (ns).

    Salu2

  • 41. Felipe (o catarina)  |  23/02/2011 às 19:11

    Iuri, num campeonato que envolveria 31 milhões de pessoas (equivalente: Canadá) e um PIB de mais ou menos R$ 575 bilhões (10% menos que a Argentina, por aí) em um território que não é tão grade assim – pouco menor que a Turquia (cerca de 740 mil km2) -, os clubes pequenos talvez tivessem mais grana pra se manter do que é nossa realidade hoje em SC. E a ideia do Sancho, pelo que entendi, seria regionalizar. Ah, contei com o Paraná também.

    A propósito, texto excelente, como sempre.

  • 42. Vicente Fonseca  |  23/02/2011 às 19:56

    Tá explicado então, Iuri.

    Como sugestão de pauta, gostaria de saber mais sobre a extinção do glorioso São Borja, time da minha terra paterna. É longe pra cacete, mas vai que vocês se pilham… hehe

    Parabéns mais uma vez, grande trabalho gurizada!

  • 43. Neco Müller  |  23/02/2011 às 20:24

    O começo da liga Pampeana poderiam ser pequenos torneios de verão e inverno. Os times do interior deveriam apostar nos jogadores uruguaios e vice versa. Exemplo o River Uruguaio levou alguns para lá. Daqui alguns anos com a integração férrea com os hermanos, haveria excursão para assistir Tacuarembó x Riograndense da Boca do Monte , que tal. Sonhos de verão.

  • 44. Prestes  |  23/02/2011 às 20:25

    Catarina, não me vem com time do Paraná.

  • 45. marlon  |  23/02/2011 às 21:39

    bá, baita texto. essa dupla es fueda.

    mas e D’Ale não joga hoje?? alaputcha. Zé Robernight armando? Sexxxy bebeu LEITE DE ONÇA, só pode.

  • 46. Felipe (o catarina)  |  23/02/2011 às 21:59

    #44

    Atlético, Coritiba e Curitiba seriam bons reforços pro nosso campeonato imaginário. Times grandes, cidade grande…

  • 47. Anônimo  |  23/02/2011 às 22:54

    Re 43

    O nome que o FERN é sonoro, mas geograficamente equivocado. O nome da região que engloba o RS e o Uruguai é a BANDA ORIENTAL do Rio Uruguai. Os nomes mais apropriados seriam “Liga Oriental” ou “Liga Criolla/Crioula”.

    A “Pampa” fica na Argentina.

    Sancho

  • 48. FERN  |  24/02/2011 às 13:28

    sancho, lá no iniciu era um torneio con alcunha de Oriental e o outro de Pampa, não lembro se liga/copa ou elite/ascenso, mas era… depois mudei ñ sei bem pq…

    http://www.ligapampa-uy.blogspot.com

  • 49. Anônimo  |  24/02/2011 às 15:50

    Só para avisar, é permitido torneios supranacionais. Há uma liga (NASL), inclusive, com times de três federações diferentes: USA, CAN e PUR. Na liga australiana, subordinada a AFC, há uma equipe da Nova Zelândia (subordinada a OFC).

    Clubes do RS poderiam participar do campeonato uruguaio, mas não poderiam ficar com as vagas…

    Sancho

  • 50. FERN  |  25/02/2011 às 13:23

    sancho, pra ñ ir tão lejos, FA e clubes galeses…

    sempre lembrando que o jogo nunca deveria ser considerado NACIONAL!!!

  • 51. Rudi  |  25/02/2011 às 13:26

    #50

    inclusive esse ano PARECE que o Cardiff tem chances reais de subir para a Premier League… ia ser do caralho um time galês chutando os traseiros…

    (e sim, eles não jogam na liga de Gales por serem muito mais fortes que os outros times da mesma)

  • 52. J Petry  |  25/02/2011 às 13:30

    O Swansea também! E eles tem um torcedor que também é Colorado!

  • 53. Rudi  |  25/02/2011 às 13:40

    é o cara que escreve no blog do torcedor do inter no GE, né?

  • 54. Maurício Brum  |  28/02/2011 às 00:25

    São Paulo de Rio Grande 6-0 Farroupilha na abertura da Segundona. O favoritismo ao rebaixamento do Fantasma sendo confirmado logo de cara. Cruel.

  • 55. Junior II  |  29/04/2011 às 19:07

    E o Farroupilha acabou classificando-se para segunda fase, e escapando da Terceira Divisão !!
    Sobrou para os clubes de Bagé !!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Subscribe to the comments via RSS Feed


Especial – Libertadores 2011

A bola da ImpedCopa

Toco e me voy

Feeds

web tracker

%d blogueiros gostam disto: