O exército dos 18

22/02/2011 at 05:00 48 comentários

O fato de Boca Juniors e River Plate não estarem estalando os cascos na briga pela Libertadores de América poderia nos transmitir a impressão de que o Clausura 2011 da Argentina, iniciado  há duas semanas, estaria pendendo para os gigantes adormecidos do futebol castelhano, concentrados em levantar um troféu na temporada. Pois não é bem assim. Mesmo não tendo participado de algumas edições da Copa, o que tem acontecido com cada vez com mais frequência, millonarios e xeneizes têm TOMBADO miseravelmente nas argênteas terras.

Nos últimos dois anos, por exemplo, quando apenas o Boca Juniors esteve na Libertadores (e uma vez, em 2009, sendo eliminado pelo Defensor nas oitavas), os campeões nacionais foram, na sequência, Vélez Sarsfield, Banfield, Argentinos Juniors e Estudiantes. O último título boquense aconteceu no segundo semestre de 2008. Los Borrachos del Tablón não comemoram desde o Clausura daquele mesmo ano.

E, se depender do River, é bem provável que os festejos continuem em canchas menos tradicionais, afinal a equipe treinada por Juan José Lopez, que no início do ano colocou o chorizo na mesa e mandou Ortega passear, tem uma contenda dramática pela frente, para tentar fugir do rebaixamento. E o início de Clausura já se mostrou impróprio para CARDÍACOS, com dois duelos diretos para fugir da degola, contra Tigre e Huracán (empate e vitória, respectivamente). No entanto, paradoxalmente, o FATOR CAGAZO talvez empurre os millonarios para uma campanha surpreendente.

No que diz respeito ao Boca Juniors, sob a batuta de Julio Cesar Falcioni, as esperanças são um pouco mais ENCORPADAS. Afinal, o clube trouxe nomes que se destacaram no passado recente do futebol argentino, como Erviti (Banfield) e Somoza (Vélez), além de Diego Rivero (do San Lorenzo). Também teve que receber de volta aquele ENCOSTO que atende por NOIR e estava no Barcelona do Equador.

Ao lado de Palermo, Riquelme ainda manda e desmanda, mas está com o tornozelo encarquilhado e não jogou, assim como Erviti. Na Bombonera, há o sonho de que possam compor uma grande dupla. Na primeira rodada, a gente de azul y oro levou uma gloriosa chinelada do agora grande e copero Godoy Cruz, que mesmo escalpelado pela fúria consumista após a boa campanha de 2010 meteu 4 a 1 na Bombonera. Mas a recuperação xeneiza, inclusive do goleiro García, criticado na estreia, veio com triunfo mínimo diante da Academia, no Cilindro abarrotado de racinguistas.

A liderança após duas rodadas está com o Olimpo de Bahía Blanca e o Estudiantes, ambos com seis pontos. Mas, se fosse para eleger um clube que dá mostras de que sorrateiramente buscará o título, deitaria o carimbo na jaqueta azulgrana do San Lorenzo. Único grande sem título da Libertadores, o Ciclón contratou bastante – e parece que bem. Entre outros, Ramon Angel Diaz poderá contar com Pablo Velázquez (Libertad), Jonathan Ferrari (All Boys), Matías Giménez (Boca Juniors) e Juan Manuel Salgueiro (LDU).

Pois que ganhe o San Lorenzo, então. Ou qualquer um dos outros dezessete, menos Boca Juniors e River Plate. Nada contra qualquer dos dois, em especial. Apenas pela perpetuação momentânea de um saudável e vicejante sistema de COTAS em um futebol que não merece tanta polaridade.

Saudações,
Douglas Ceconello.

Anúncios

Entry filed under: Nacionais.

Não fez falta o brilho das estrelas (de)cadentes Los de Abajo – G.A. Farroupilha

48 Comentários Add your own

  • 1. Vinicius  |  22/02/2011 às 09:49

    Eu sou um fã do futebol argentino. Modéstia a parte, sei quase tudo. rssrs

    Acho extremamente bom que não se polarize entre Boca e River. Temos muitos times tradicionais em Buenos Aires, Rosário, Santa Fé… com média a grande torcida, tradição e força, que merecem ganhar um título vez por outra. All Boys, Argentinos, Lanús, Velez, Chacarita, Ferro Carril, Platense, Atlanta, Nueva Chicago, Temperley, Huracán, Colón, Newell´s, Banfield…

    Agora, times como o Tigre, Olimpo, Godoy Cruz, Arsenal já não me agradam se forem campeões. Pouca representatividade.

    Um campeão argentino que queria ver: Atlético Mineiro – ARG, mais conhecido como Huracán. Muita torcida, estádio grande, não ganha nada desde sempre.

  • 2. Flávio  |  22/02/2011 às 09:55

    O Huracán é o Galo argentino mesmo. Quando teve chance de ser campeão – Clasura 2009 – foi vergonhosamente garfeado!

  • 3. Flávio  |  22/02/2011 às 09:56

    errata: Clausura

  • 4. Rudi  |  22/02/2011 às 10:08

    Vinícius, eu já respeitosamente discordo de ti em um ponto

    Tigre, Olimpo, Godoy Cruz e tals podem ter menos torcida, mas pelo menos não caem naquela coisa brasileira de “time de empresário”, são times com tradição e história, não vejo porque não mereceriam também lutar pelo título

  • 5. Deluca  |  22/02/2011 às 10:14

    Nenhum comentário sobre o patrocínio da TRAMONTINA no River?

  • 6. Santi  |  22/02/2011 às 10:48

    Vi parte de Godoy Cruz 2×1 LDU pela Libertadores.

    O Godoy tem bom time. Acho que vai ser uma bela surpresa nessa Copa.

    E ganhou da LDU que, convenhamos, é um dos grandes da América atualmente.

  • 7. arbo  |  22/02/2011 às 11:20

    grande texto, ceconello.

  • 8. Vinicius  |  22/02/2011 às 13:25

    Rudi, sei disso, e também concordo contigo. Mas eles realmente são pouco expressivos. Seriam times aqui como Goiás, Atlético Goianiense, Paraná Clube, Portuguesa, Londrina, Juventude, América-RN. Não são de empresários, mas também não são um Atlético-MG, Santos, Vitória, Sport, Ceará da vida.

    Acho que me fiz entender.

  • 9. arbo  |  22/02/2011 às 13:33

    o brasil não é a argentina

  • 10. Godo  |  22/02/2011 às 14:07

    Tem um aspecto muito maneiro em passear em BAs e perceber que as pessoas torcem (FRENETICAMENTE) pelos clubes de suas cercanias.

    O San Lorenzo é DONO dos corações ludopédicos de San Telmo. Achei muito massa.

  • 11. matheus  |  22/02/2011 às 14:28

    bem feito pressa porcaria desse racing. que fique mais 40 anos nessa draga máxima.

  • 12. Tiago Marcon  |  22/02/2011 às 14:34

    muito afu o texto do Ceconello

  • 13. Tiago Marcon  |  22/02/2011 às 14:40

    uma das minhas 14 fantasias profissionais é ser correspondente potenho do Impedimento. Magina só, passar temporadas em Buenos Aires indo até em treino do Godoy Cruz…

  • 14. Tiago Marcon  |  22/02/2011 às 14:42

    errata: portenho

  • 15. arbo  |  22/02/2011 às 14:50

    godoy cruz é o nome da cidade, Tiago. mas fala-se mto bem de mendoza tbm. melhor emprego.

  • 16. Junior  |  22/02/2011 às 15:12

    Muito interessante esse texto sobre a relação Paulo Odone/Geral do Grêmio. E tem a ver com o que acontece no futebol argentino.

    http://morenocarvalho.blogspot.com/2011/02/o-apice-da-conivencia-com-violencia.html?showComment=1298385936212#c3661859223286337794

  • 17. douglasceconello  |  22/02/2011 às 15:15

    Sim, é o emprego dos sonhos, tanto que esses dias nos mandou currículo o Caco Barcellos (ns).

    ushfs

    Vinicius, eu acho massa quando qualquer time com torcida, por menor que seja, ganha título. O Huracán, por exemplo, é conhecido como time dos pobres. E a torcida do Nueva Chicago é muito matadora.

  • 18. Junior  |  22/02/2011 às 15:18

    E esqueci de escrever que o mesmo está acontecendo lentamente no Inter. Brigas entre a Popular e a dissidência, chamada “Os de Sempre”.

  • 19. Tiago Marcon  |  22/02/2011 às 15:21

    Valeu arbo
    preciso mesmo de um intensivo em Buenos Aires
    Quilmes, loiras argentinas e fútboll

  • 20. Vinicius  |  22/02/2011 às 15:26

    O godoy cruz é de mendoza!

    San Lorenzo é um dos 5 grandes. Me surpreendeu a grande torcida deles nas ultimas vezes que fui.

    Estes links são ótimos!
    http://www.taringa.net/posts/deportes/3111955/Club-Atletico-Talleres-_-Un-grande.html

    http://www.lamitadmas1cba.galeon.com/productos1276324.html

    http://es.wikipedia.org/wiki/Cinco_grandes_del_f%C3%BAtbol_argentino

  • 21. Vinicius  |  22/02/2011 às 17:46

    Ceconello, eu também gosto de ver os pequenos com torcida comemorando. Mas o Tigre, o Arsenal, Olimpo e Godoy Cruz não enchem um Buquebus. 🙂 O All boys e o Argentinos também não, mas são muito mais simpáticos… 🙂

    Aliás, subi o Chacarita Juniors no Football Manager 2010 (ex-CM)… alguém joga? Infelizmente o Carvalho usou muito o jogo para garantir algumas contratações. Sério. É a melhor base de dados de jogadores do mundo, a mais completa, e num simulador. Exemplo: Ari, lateral que veio do bahia, era realmente bom no jogo, forte e tudo mais. O Danilo Rios era quase um craque também…

  • 22. Felipe (o catarina)  |  22/02/2011 às 17:56

    #17

    Chicago muito foda, melhor time. Pena que tá malzaço (terceirona). Melhor camisa que comprei em Bs. As. A do Tigre é lindona também.

    nos cinco dias que fiquei lá, me surpreendi com a quantidade de torcedores do Racing. Encontrei mais que do Boca.

    e desde aquele título do Boca em 2008, todos os torneios Clausura e Apertura tiveram só pequenos nas 3 primeiras colocações. Racing, Independiente e San Lorenzo também não fizeram nada que preste nos últimos anos.

  • 23. Rudi  |  22/02/2011 às 17:57

    aí que tá, ao contrário de portuguesas, zequinhas e tals no brasil, os times menores na argentina tem torcida por causa de uma coisa, os caras torcem só pra eles, e não fica aquela putaria de “eu sou zequinha E inter” ou algo assim

    tu jamais ouvirá de um argentino “eu sou olimpo E boca” ou “eu sou ferro carril E river”

    então esses times acabam tendo mais torcida, mesmo que não tenham títulos…

    Mas entendi sim o que tu quis dizer

    (e sim, comprei essa discussão porque simpatizo MUITO com o Tigre)

  • 24. henrique  |  22/02/2011 às 18:14

    A unica coisa que eu acho errada na Argentina, é o meu Estudiantes de La Plata não ser considerado time grande. Pelos titulos que o Estudiantes tem, não poderia ser considerado um time pequeno nunca! Meu León tem mais titulos que muitos times grandes da Argentina, da america e do mundo!

  • 25. Felipe (o catarina)  |  22/02/2011 às 18:27

    #23

    posso estar enganado, me parece que o conceito de “grandeza” deles tem mais a ver com torcida que com títulos. Pelo que já li e ouvi deles, se há um “sexto grande”, eles tendem a considerar um time de Rosario (Central ou Newell’s), porque eles têm as maiores torcidas depois dos cinco grandes. Mas eu concordo contigo, acho que Estudiantes e Vélez já podem ser considerados o sexto e sétimo grandes pelos títulos que têm.

  • 26. Vinicius  |  22/02/2011 às 18:28

    Rudi: Eu não gosto do Tigre! rsrsrsrsrs bacana.

    #22 incrementei lá minha coleção de camisas com: Argentinos Juniors, Quilmes (a mais bacana de todas, Lotto, azul marinho), Velez e Racing (2ª mais legal de todas, é Nike + Petrobras).

    Eu procurei e não achei, queria mesmo a comemorativa dos 100 anos do Chacarita. Sem patrocinio, gola com cadarço, de “malha”. >>>> http://www.sofutebolbrasil.com/ch/prod/1215/469/0/camisa-oficial-chacarita-juniors—centenario.aspx

  • 27. Gregório  |  22/02/2011 às 18:39

    rojo

  • 28. Anônimo  |  22/02/2011 às 18:54

    Os grandes são HISTÓRICOS. Como são os grandes de BUENOS AIRES (Avellaneda incluída), os times de La Plata e de Rosário não entram; como são históricos, Vélez (pelos títulos) e Huracán (pelo clássico com o Ciclón) também ficam de fora.

    No Brasil, são 12. Mesmo que o Bahia tenha entrado no CLube dos 13, mesmo que os times do Curitiba tenham conquistado títulos e permanecido longos tempos na Série A, continuam os mesmos 12.

    O mesmo vale para aqueles que se tem a impressão que deveriam ter saído…

    Abraço,
    Sancho

    P.S.: No Brasil, os 12 também são 5. Há uma sub-divisão que faz Flamengo, Vasco e o Trio-de-Ferro paulistano estarem um pouco acima dos demais. Não que eu concorde…

  • 29. henrique  |  22/02/2011 às 19:02

    #24 felipe, eu entendo que na Argentina, o conceito de grandeza tem a ver com torcida. Porem, nos ultimos anos, varias pesquisas ja vem indicando a torcida do Estudiantes como a sexta maior torcida, (embora a torcida do newell’s seja mais fanatica).e mesmo assim o Estudiantes segue sendo considerado um time pequeno! é inacreditavel !

  • 30. Felipe (o catarina)  |  22/02/2011 às 19:21

    #25

    eu tenho uma do Quilmes azul-marinho da Lotto, deve ser essa que tu tens. É linda.

    #27

    na minha opinião, time grande se faz por títulos, torcida e jogadores. O Botafogo não tem os títulos do Inter, nem a torcida do Corinthians, mas teve Garrincha, Nilton Santos, Jairzinho e outros 989 caras fodásticos em nível nacional e internacional. O Bahia equipara com o Galo em títulos, mas tem menos torcida e jogadores históricos.

    Essa minha regra pessoal, claro, é relativa. O Avaí é pequeno nacionalmente, mas tem mais títulos em SC, a maior ou segunda maior (depende da pesquisa) torcida de SC e jogadores que fizeram história no futebol do estado. Então, é grande em SC.

  • 31. Roger  |  22/02/2011 às 20:22

    Curintia ababa de se licenciar do clube dos 13, primeiro passo para sair definitivamente da associação.

    A CBF definiu que haverá um agio de 10% para o plim-plim na negociação dos direitos de transmissão

    Essa decisão da CBF pra conceder o bras/97 ao Fla, as negociações pelos direitos de transmissão do brasileirão, o racha entre os clubes e tals, tudo isso merece um post do impedimento.
    Muito pano pra manga ainda nessa história.

  • 32. Tiago  |  22/02/2011 às 20:29

    Tche, entre outros, no blog no Juca Kfouri consta:
    “está mantida a transmissão de três jogos às quartas-feiras e domingos, em vez de dois como era a ideia inicial, e o veto para o estado — e não apenas para a cidade — que for local dos jogos.”

    O que mais me chama a atenção é esse veto para o estado que for o local dos jogos. Ou seja, nada de Grêmio ou Inter na tv final de semana. É isso mesmo? Teremos que nos contentar com o futebol do Rio e São Paulo novamente?

  • 33. Felipe (o catarina)  |  22/02/2011 às 20:54

    sem transmissão pro estado sede do jogo, jamais Avaí, Figueirense, Ceará, etc., terão jogos seus transmitidos para seus estados. Cada vez mais me surpreendo com a “inteligência” dos dirigentes.

  • 34. Anônimo  |  22/02/2011 às 21:15

    Quem olha o placar, acha que o jogo do Cruzeiro foi fácil. Foi nada. Mesmo assim, enfiaram 4.

    Dois jogos, 6 pontos, 9 gols, saldo 9. E isso que é um dos “Grupo da Morte”.

    Cruzes!

    Sancho

  • 35. Felipe (o catarina)  |  22/02/2011 às 21:26

    #33

    campanha de que está fadado a terminar como primeiro colocado entre os primeiros colocados e ser eliminado nas oitavas de final pelo Junior de Barranquilla.

  • 36. Diogo Terra  |  22/02/2011 às 22:11

    #34

    Argumento a teu favor: o Vasco em 2001 ganhou os seis jogos da primeira fase, a ida e a volta das oitavas e… tomou um ferro do Boca nas quartas. Nada de oba-oba por enquanto.

  • 37. henrique  |  22/02/2011 às 22:29

    #33 ainda acredito no meu time! aquele 5×0 que tomamos no primeiro jogo, foi uma hecatombe que acontece uma vez a cada 100 anos. creio que com a pressão da torcida em La Plata vamos devolver o cassete que tomamos no brasil. VAMO PINCHAAAAAAAA!

  • 38. gilson  |  23/02/2011 às 09:20

    Texto já zicando o Ciclón com a maldição do Impedimento, ainda assim, AGUANTE San Lorenzo!!!!

  • 39. Vinicius  |  23/02/2011 às 09:35

    #30 http://images.quebarato.com.br/T440x/quilmes+a+c+suplente+azul+tamanho+xl+florianopolis+sc+brasil__30BC7F_1.jpg

    ela tem branco embaixo dos braços. “pessoalmente” é muito bonita.

  • 41. Anônimo  |  23/02/2011 às 10:28

    Cavalheiros, eu acho que o time mais “cult” da Argentina é o GIMNASIA Y ESGRIMA DE LA PLATA.

    Mais de 120 anos de história e sem nenhum título importante em nível nacional ou internacional, convivendo com um rival multicampeão e mesmo assim é o time dono de La Plata, torcida bem maior e mais fiel que a do Estudiantes.

  • 42. Felipe (o catarina)  |  23/02/2011 às 11:25

    #38

    essa aí mesmo. Como disseste, “pessoalmente” é muito bonita e veste bem. Já vi uma camisa do Vélez azul de 2010, linda no cabide, quando fui botar parecia que tava de babeiro. Não gostei.

  • 43. FERN  |  23/02/2011 às 13:19

    Rudi, existem vários clubes com HINCHADA DOBLECAMISETA, alguns dos citados acima incluso… time campeão de AMÉRICA… pra tu ver como tb eh comum, pero que em menor n° que nos campeonatos daqui, pois lá estes clubes ainda disputam a GLÓRIA LOCAL, aqui destituiram os campeonatos VERDADEIROS, em nome de uma lógica que contraria a idéia inicial do FOOTBALL!!!

  • 44. arbo  |  23/02/2011 às 13:24

    tá de brincadeira, FERN:
    ACABEI de citar teu nome, um pouco desaparecido por aqui ultimamente, no post acima. grata coincidência…

  • 45. Anônimo  |  23/02/2011 às 13:49

    O problema não os “doble-camiseta”, mas o cara torcer PRIMEIRO para o grande. Se o primeiro time for o pequeno local, não tem problema.

    Sancho

  • 46. douglasceconello  |  23/02/2011 às 17:27

    Prova de que a Maldição do Impedimento foi EXTERMINADA é que eu recém comprei uma camisa do OLIMPO de Bahía Blanca, fulgurante líder do Clausura com praticamente metade do campeonato já jogado (duas rodadas). shfsuds

    Aliás, achei que as camisas oficiais seriam mais baratas lá em Buenos Aires, ainda que saiam bem mais em conta do que aqui. No final, comprei apenas falsificadas.

    Mas me arrependi profundamente de não ter trazido a oficial do SACACHISPAS.

  • 47. douglasceconello  |  23/02/2011 às 17:30

    Esse lance dos grandes na Argentina também tem muito a ver com a época AMADORA.

    Impossível não considerar Estudiantes e Vélez grandes atualmente.

  • 48. Luís Felipe  |  26/02/2011 às 15:41

    os 5 grandes datam dos anos 40.

    a AFA queria dar poder maior de votação a alguns dos clubes fundadores. Os clubes cujos votos valeriam por 2 seriam aqueles que já tinham sido campeões, com mais de 12 mil sócios, um estádio próprio e um valor X em caixa.

    atendiam os requisitos River, Boca, Racing, Independiente e San Lorenzo.

    Tomás Ducó, já nos anos 50, conseguiu em assembléia fazer com que o Huracán, que atingiu os requisitos todos, também fazer parte dos grandes.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Subscribe to the comments via RSS Feed


Especial – Libertadores 2011

A bola da ImpedCopa

Toco e me voy

  • Mazzola fez o 1º e o 3º gols brasileiros na estreia de 1958, nos 3x0 sobre a Áustria. O outro foi de Nilton Santos. youtube.com/watch?v=-4cOwI… 7 minutes ago
  • Num tempo em que sair do Brasil equivalia a morrer para a Seleção, Mazzola acabou jogando a Copa de 1962 pela ITÁLIA. (na época, podia) 9 minutes ago
  • Mazzola, que era do Palmeiras, iria para o Milan depois daquilo. Em 1963, se tornaria um dos primeiros brasileiros a ser campeão da Europa. 9 minutes ago
  • Hoje é aniversário de 79 anos de José Altafini, o Mazzola, autor do 1º gol da campanha do 1º título mundial do Brasil, em 1958. 10 minutes ago
  • RT @ophilsantos: @impedimento Técnico não resolve tudo sozinho, e tomamos um Red Bull estragado, que só dá uma asa. MAS AGORA A GENTE CHE… 40 minutes ago

Feeds

web tracker

%d blogueiros gostam disto: