Não fez falta o brilho das estrelas (de)cadentes

21/02/2011 at 12:30 47 comentários

Apontado pela comunidade internacional como a final antecipada da Taça Guanabara graças à ALTIVA conquista de vaga do Boavista diante do Flumilionário no sábado, o clássico entre Flamengo e Botafogo foi marcado pela negação das virtudes cariocas em favor de uma NOJENTA abnegação em marcar – o futebol carioca é nosso playground, nossa fita VHS com jogos clássicos. Qualquer competitividade deve ser sempre repudiada.

Dos candidatos a destaque, apenas Loco Abreu não fugiu à responsabilidade, embora seu carisma e seus cojones tenham sido insuficientes para que a squadra jejeña alcançasse a vaga. Na primeira etapa, muito equilíbrio e pouca LANTEJOULA. O Botafogo posicionava sua meia-cancha de forma ESPARTANA, com Arévalo, Somália e Renato Cajá transpirando para manter a zaga formada por três zagueiros longe de qualquer perigo. As laterais eram ocupadas pelos maus inquilinos Alessandro e Márcio Azevedo, este último com aproveitamento absolutamente lamentável, embora a bola teimasse me procurá-lo e até uma bicicleta o desvairado tenha arriscado.

No time rubro-negro, as socialites Thiago Branca de Neves e Ronalbundudinho Gaúcho arrastavam-se pelo campo com aquele seu ar BLASÉ, promovendo um joguinho ordinário de passes burocráticos e matando à míngua o não mais comprometido Deivid. Mesmo Léo Moura, sabidamente o melhor jogador da Gávea, esteve ausente. Nesse quadro de desespero profundo, os lances mais perigosos saíram de bola parada. No gol do Flamengo, aos 15 minutos, Angelim aparou cobrança de escanteio e testou cruzado.

Mas Tio Jejão não se dá por vencido. No intervalo, sabiamente tirou Márcio Azevedo para colocar Éverton e assim dar maior poder de ESCAPE e velocidade no ataque. O resultado mostrou-se fulminante e o empate veio logo no recomeço, quando Loco Abreu concluiu de direita, cruzado, de dentro da área, e ficou lá ESTÁTICO, comemorando internamente, esperando o abraço do qual era merecedor. O Botafogo deixou de virar nestes primeiros quinze minutos de segunda etapa, que foram a sua idade de ouro no clássico.

A reação de Luxerley Van der Burgo demorou, mas não tardou. Mandou a campo NEGUEBA, sacando Deivid e empurrando Ronaldinho para enganar no ataque. O jovem serelepe surgido no útero da Gávea provocou uns vinte minutos de pânico e alarde pelo lado esquerdo da defesa botafoguense, escorregando entre zagueiros e minotauros e configurando-se no grande destaque flamenguista da contenda, ainda que todas as iniciativas tenham sido abortadas por Jeferson, um goleiro fadado a se destacar nas derrotas.

Com a igualdade mantida, a decisão, assim como em momentos cruciais da humanidade, aconteceu nos pênaltis. Os primeiros a cobrar pelo Botafogo foram Antônio Carlos, Éverton, Somália e Renato Cajá, que após partida atípica na carreira voltou a ser o mesmo. Todos os alvinegros estavam absolutamente desesperados quando colocaram a bola na cal. Negros ficaram brancos e brancos viraram vapor. Os últimos três perderam as cobranças e privaram o mundo de presenciar novamente Loco Abreu brincando com o destino.

Os flamenguistas Léo Moura, Renato e Fernando, claramente mais seguros e determinados, converteram todas e contaram com as luvas adocicadas de Felipe para pegar duas penalidades e assustar Cajá, que chutou a última para fora. Assim, brindaram as pessoas de bem evitando que Ronalegrinho Gaúcho convertesse a derradeira cobrança e puxasse para si uma conquista que não passou por ele.

As fotos são da Agência Lance.

Saudações,
Douglas Ceconello.

Anúncios

Entry filed under: Estaduais.

Uma vitória do futebol O exército dos 18

47 Comentários Add your own

  • 1. Gustavo  |  21/02/2011 às 12:55

    Cecco, sempre GÊNIO. Lindo texto.
    Realmente era impossível que aquele CAJÁ tivesse virado BOM de repente.

  • 2. Anônimo  |  21/02/2011 às 12:58

    Imaginem o que seria com o Ronaldinho jogando essa bolinha no Olímpico? No Rio, é rei! Assis sabe o que faz…

    Sancho

  • 3. izabel.  |  21/02/2011 às 13:10

    sempre gênio.
    “Jeferson, um goleiro fadado a se destacar nas derrotas.”

  • 4. Godo  |  21/02/2011 às 13:19

    There’s only one Ronaldo.

  • 5. alemao  |  21/02/2011 às 13:32

    2. no fim, o assis é q é gremista…sabe a draga q tá o mano e tratou de deixá-lo o mais longe possível do olímpico…hahaha.
    assis pra presidente. NÃO. Nem brincando.

  • 6. Roger  |  21/02/2011 às 13:50

    Douglas mestre.

    “squadra jejeña” é sensacional!

  • 7. fino  |  21/02/2011 às 14:00

    Thiago Branca de Neves e Ronalbundudinho areareareareareggsdffffffffffffgggggggggggggggggghhhhhhhhhh

  • 8. Carlos Lima  |  21/02/2011 às 14:06

    “Thiago Branca de Neves e Ronalbundudinho ” esses termos as vezes meio que “estragam” o texto.

    mas aqui é o mesmo que eu penso: “evitando que Ronalegrinho Gaúcho convertesse a derradeira cobrança e puxasse para si uma conquista que não passou por ele.”

    se o ronaldinho bate o último… o GE.com ia estampar: Ronaldinho levo mengo as finais

  • 9. Frei  |  21/02/2011 às 14:12

    O problema não seria o GE.

    O problema seria a matéria do Régis Rosing.

  • 10. Alexandre N.  |  21/02/2011 às 16:09

    Aqui vai um pouco da minha amargura: A bola pune. E a retranca TAMBÉM.

    Começo a crer que Muricy é um Celso Roth com grife…

  • 11. douglasceconello  |  21/02/2011 às 16:29

    Grato, FELLAS.

    Pô, CarlAMARGOs, relaxa aí.

    shdfusds

    Uso termos porque quero deixar clara minha contrariedade com essas pessoas.

    Izabel, pior que sempre que o Jeferson se destaca, há umas tragédia. Na GLORIOSA vitória diante do Fluminense, semanas atrás, ele errou tudo e o Botafogo ganhou.

    Em relação a Assis, dou o mesmo conselho que as vós dão em relação ao DIABO: evitem citar o nome, vai que ele aparece.

    Pior que eu queria muito ver o Abreu batendo pênalti, mas isso provavelmente acarretaria em ver Ronaldinho decidir a peleia e ganhar maior espaço no NOTICIOSO do que a LÍBIA.

  • 12. Carlos Lima  |  21/02/2011 às 16:39

    Correio: Jogadores do Chiapas reservam noitada em casa norturna de Porto Alegre

  • 13. rafael botafoguense  |  21/02/2011 às 16:56

    el negro jeffe catou paca contra o flu,ceconello. para de mentir.

    o que podemos tirar de conclusão disso tudo é que meias canhotos não sabem bater penaltis.

  • 14. Alexandre N.  |  21/02/2011 às 17:03

    #13

    Sei não, RB. Tudo é muito relativo. O Conca por exemplo não perdeu pênalti nenhum no ano passado.

  • 15. rafael botafoguense  |  21/02/2011 às 17:06

    mas perdeu na final da libertadores. o que anula todas as cobranças certeiras.

  • 16. izabel.  |  21/02/2011 às 17:12

    boa e rápida resposta pro #14, botafoguense.
    mas o renato, do fla, converteu o dele.

  • 17. Gustavo  |  21/02/2011 às 17:15

    O Joel é um Roth carioca.

  • 18. Alexandre N.  |  21/02/2011 às 17:24

    #15

    Porém, na mesma final de Libertadores, Cícero (também canhoto) foi o único do time tricolor a converter o pênalti.

    Ajuda a jogar a sua teoria no chão?

  • 19. rafael botafoguense  |  21/02/2011 às 17:48

    merda. o zico tinha que ser canhoto.

  • 20. Olga  |  21/02/2011 às 18:10

    “Os últimos três perderam as cobranças e privaram o mundo de presenciar novamente Loco Abreu brincando com o destino.”

    Ceconello, na mosca!, foi justamente isso o que mais me doeu!

  • 21. Gregório  |  21/02/2011 às 18:17

    botafogo es el cagon?!?!?!?!?!?!?!?!?!?!?!??!?!?!??!?

  • 22. rafael botafoguense  |  21/02/2011 às 18:41

    nooooooooooooo

  • 24. Jackal  |  21/02/2011 às 22:31

    Quem bateu o primeiro pênalti do Botafogo foi o Márcio Rosário.

  • 25. Sancho  |  21/02/2011 às 23:12

    Sobre um possível racha nos direitos de transmissão, a verdade é que a venda pode terminar não sendo em um único bloco, separando as equipes em diferentes emissoras. Ora, para Grêmio, Inter e Atlético Mineiro (o Cruzeiro está com Corinthians e Flamengo e fica de fora do argumento) a exposição na TV aberta, pela Globo, é ridícula. Passam nunca, e quando passam, é regionalizado. O risco de retaliação pela Globo existe, mas vale lembrar que quando esses jogam com exclusividade pela Copa do Brasil e Libertadores, a emissora puxa jogos do Paulista, Carioca ou Brasileiro para o meio-de-semana e ninguém vê esses times fora das praças de praxe. Nesse sentido, para esses clubes irem para a Record por mais dinheiro faz todo o sentido do mundo!

    Se houver um racha, e o direito de transmissão de alguns clubes competir a Globo e outros a Record, a composição ficaria mais ou menos assim:

    Globo (8) – Botafogo, Flamengo, Vasco, Corinthians, Santos, Palmeiras, Coritiba e Cruzeiro.
    Record (7) – Atlético-MG, Atlético-PR, Bahia, Fluminense, Grêmio, Internacional e São Paulo.

    Estão na série A, mas não são do C13: Avaí, Figueirense, Atlético-GO, América e Ceará. Esses, eu não faço idéia do que aconteceria com eles. Provavelmente, esses negociariam com ambas as emissoras para permitir que jogos seus sejam transmitidos por qualquer uma delas, dependendo do adversário.

    Do C13, estão na Série B: Guarani, Goiás, Portuguesa, Sport e Vitória. Tampouco faço idéia de como isso os afetaria.

    P.S.: Não sou contrário a um racha nesses termos, não…

  • 26. Serramalte Extra  |  21/02/2011 às 23:28

    Sancho, eu tou mais preocupado é em saber como ficaria o pay-per-view no caso da Record levar o DILMÃO, já que provavelmente os jogos do Grêmio continuarão não passando na TV aberta…

  • 27. Serramalte Extra  |  21/02/2011 às 23:30

    tipo… se acontecer o tal “racha”… as emissoras só transmitiriam os jogos ENTRE os times “delas”? Aí fodeu de vez, com o aberto e com o pago…

  • 28. Sancho  |  21/02/2011 às 23:43

    Serra,

    Essa disputa é exclusiva para a TV aberta. São 3 contratos diferentes: aberta, fechada e PPV.

  • 29. Sancho  |  21/02/2011 às 23:45

    Re 27

    Provavelmente, sim. Se não, não seria racha, mas as duas emissoras teria direito compartilhado de transmissão.

  • 30. Serramalte Extra  |  21/02/2011 às 23:45

    hmmm, então que se matem hehehe

  • 31. Sancho  |  21/02/2011 às 23:45

    Re 27

    Provavelmente, sim. Se não, não seria racha, mas as duas emissoras teriam direito compartilhado de transmissão.

  • 32. Sancho  |  21/02/2011 às 23:47

    Grêmio com numeração fixa:

    1- Victor
    2- Gabriel
    3- Paulão
    4- Rafael Marques
    5- Fábio Rochemback
    6- Gilson
    7- Vinicius Pacheco
    8- Adílson
    9- Borges
    10- Douglas
    11- Lúcio
    12- Marcelo Grohe
    13- Mário Fernandes
    14- Vilson
    15- Neuton
    16- Diego Clementino
    17- Fernando
    18- Maylson
    19- Carlos Alberto
    20- Matheus
    21- Leandro
    23- Bruno Collaço
    24- Escudero
    25- Rodolfo
    26- Saimon
    27- Willian Magrão
    28- Mateus Magro
    29- Júnior Viçosa
    30- Busatto
    31- Roberson
    32- Pessalli
    33- Mithyuê
    34- Lins
    35- Wesley
    36- Dener
    37- Emerson
    38- Edílson
    99- André Lima

    Alguns jogadores têm número diferente exclusivo para a Libertadores:
    19- Júnior Viçosa
    21- André Lima
    22- Carlos Alberto

  • 33. Serramalte Extra  |  21/02/2011 às 23:47

    mas… e a grana que a globo adiantou, como fica?

  • 34. Sancho  |  21/02/2011 às 23:50

    Re 33

    Se bem negociado com a Record, devolve-se…

  • 35. douglasceconello  |  22/02/2011 às 00:12

    #27

    “Aí fodeu de vez, com o aberto e com o pago…”

    Serramalte, é muito pecado numa frase só.

    sdhfusdhs

  • 36. Felipe (o catarina)  |  22/02/2011 às 00:49

    Fútbol para Todos no Brasil djá!

  • 37. Felipe (o catarina)  |  22/02/2011 às 00:55

    acho que o Sancho tocou num ponto importante. Nego fala que “na Globo tem mais exposição”, mas a exposição dos times fora de RJ-SP é ridícula. Mesmo aqui em SC, que é do lado do RS e tem bastante torcedor de Gre-Nal, passam poucos jogos dos times gaúchos (não que eu ache isso ruim, acho que tem que passar jogos dos catarinenses, mas vcs entenderam), a não ser que esses joguem contra paulistas e cariocas. Time mineiro, então, quase nunca. Então, que visibilidade é essa?

    Acredito, no entanto, que os nanicos (nós, Figueira, Ceará, etc.) vão acabar correndo pra onde os times de RJ-SP forem. Não sei o porquê acredito nisso, mas é o que acho. E o tal do “feeling”, não tem?

  • 38. Felipe (o catarina)  |  22/02/2011 às 00:57

    *É o tal….

  • 39. Felipe (o catarina)  |  22/02/2011 às 01:00

    tem gente que vai reclamar que seria muita grana pra um país que ainda não consegue matar a fome de todos investir em futebol, mas, se houvesse um plebiscito, acho que talvez a maioria (eu, inclusive) apoiase a ideia de algo como foi feito na Argentina. Vai do conceito que temos do futebol: é só um esporte? Um entretenimento? Um negócio privado? Um patrimônio nacional? É uma boa discussão.

  • 40. Carlos  |  22/02/2011 às 09:12

    #39
    Catarina, o q foi feito na Argentina foi populismo podre, com o dinheiro do contribuinte. Sinceramente, sou MUITO contra.

    Além disso, sempre teremos um azbox salvador.

    ASLKDJSADJASJKLDLASJKDJKASKDASJJ

  • 41. Rudi  |  22/02/2011 às 10:04

    Mas se tiver essa divisão aí, quando jogar um time da globo x um time da record ninguém passa o jogo então?

  • 42. Flávio  |  22/02/2011 às 10:29

    A ideia é que a tv que tem os direitos do time mandante exiba o jogo.

  • 43. Gustavo  |  22/02/2011 às 11:41

    Coisa incrível é que nas transmissões do SporTV do campeonato brasileiro, no domingo às 18:30, as chances de ser um jogo do Santos são de 80%. Nunca entendi isso.

    Interessante é que pelo menos, continuaria 1 grande carioca, 1 grande paulista, 1 grande mineiro e 1 médio paranaense, no grupo do clube dos 13.

  • 44. Sancho  |  22/02/2011 às 12:21

    A delegação do Grêmio para Barranquilla:

    Meta
    1- Victor
    12- Marcelo Grohe

    Defesa
    2- Gabriel
    3- Paulão
    4- Rafael Marques
    6- Gilson
    13- Mário Fernandes
    15- Neuton
    23- Bruno Collaço
    25- Rodolfo

    Meia-Cancha
    5- Fábio Rochemback
    7- Vinicius Pacheco
    8- Adílson
    10- Douglas
    11- Lúcio
    18- Maylson
    22- Carlos Alberto

    Ataque
    9- Borges
    19- Júnior Viçosa
    21- André Lima

    Não viajaram: Escudero (entorse no tornozelo), Vilson (gripe), Fernando (dores musculares), Clementino (dores musculares) e Matheus (opção do treinador).

  • 45. Felipe (o catarina)  |  22/02/2011 às 14:25

    #40

    não tenho dúvidas, Carlos, que foi também uma medida populista. Mas nos cinco dias que fiquei lá (tudo bem, base
    científica zero) conversei com uns bugres que gostaram da iniciativa. Antes só passava jogo na TV a cabo e em um canal que, pelo que entendi, ainda era no estilo PFC (ou seja, o camarada tinha que pagar de novo).

    #42

    ouvi dizer que os dois clubes são “os donos do espetáculo”, não somente o time da casa, portanto, nesse caso o jogo seria transmitido pelas duas emissoras. Mas não lembro onde foi que ouvi isso (Juca Kfouri, talvez).

  • 46. Gustavo  |  22/02/2011 às 16:12

    #45: Felipe, a Argentina foi de 8 a 80. Saiu de uma situação em que SÓ canais fechados transmitiam o campeonato e foi para uma realidade que SÓ os canais abertos públicos o transmitem. Deixa uma puta margem pra manobras populistas por parte do governo (o LF já escreveu bastante sobre isso).

    Inclusive, não sei se tu chegaste a notar isso, mas durante a transmissão do jogo na TV Pública, a ESPN fica transmitindo imagens DA TORCIDA, com uma narração radiofônica. Uma coisa BIZARRA (mas que eu já tinha visto na Europa…).

  • 47. Urs  |  23/03/2011 às 02:01

    Ahahahah

    Como doi a dor-de-cotovelo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Subscribe to the comments via RSS Feed


Especial – Libertadores 2011

A bola da ImpedCopa

Toco e me voy

  • Atlético-GO nos 11 primeiros jogos do returno: 14 pontos 9 hours ago
  • Corinthians nos 11 primeiros jogos do turno: 29 pontos Corinthians nos 11 primeiros jogos do returno: 12 pontos 9 hours ago
  • RT @rodrigocapelo: Quanto ganham os principais gestores de um clube de futebol brasileiro? A @RevistaEpoca publica com exclusividade. https… 17 hours ago
  • @germano_mergel Mas o apito parece ter vindo antes do chute. Mesmo assim, enorme sacanagem depois de ter deixado a… twitter.com/i/web/status/9… 1 day ago
  • Aliás, tragédia de arbitragem. Deu acréscimo até empatar (OITO MINUTOS, e tinha pedido 6) e acabou o jogo quando o Brasil ia meter o 3º. 1 day ago

Feeds

web tracker

%d blogueiros gostam disto: