O dia em que o homem mordeu o cachorro

10/02/2011 at 05:00 80 comentários

Na noite desta quarta, rodada inaugural da fase de grupo da Taça Libertadores da América, único jogo da noite, o Fluminense conseguiu a façanha de tomar dois gols de cabeça de um jogador de 1,62m.

O nanico Neill voou em campo

Aprendi, na faculdade de jornalismo, que a verdadeira notícia acontece quando os fatos surpreendem o curso natural da existência. No jargão das redações, quando o homem morde o cachorro. Aos 43 minutos do primeiro tempo de Fluminense 2×2 Argentinos Juniors, no Engenhão, o cão sentiu a dentada humana. Franco Niell, um verdadeiro petiço em forma de atacante argentino, subiu sozinho na área tricolor após falta batida ao lado da área, mirou a bola e cabeceou para baixo. A bola roçou ligeiramente nas pernas de Diguinho e entrou macia no contrapé do goleiro Diego Cavalieri. Era como se o pandeiro batucasse o sambista, o pastel fritasse a Dona Maria.

O Bicho não saiu na frente do campeão brasileiro por acaso. O Flu sentiu o nervosismo da competição e, acima de tudo, sentiu os desfalques. Quem não sentiria a falta do centroavante Fred em campo? Suspenso por dar uma cabeçada no árbitro Carlos Amarilla na final da Sulamericana de 2009, o goleador deu lugar a Rafael Moura, “bom centroavante ruim”, como definiu o mestre Douglas Ceconello.

Rafael Moura fez os dois gols de empate do jogo e todo centroavante que faz um par de gols por jogo (na sua estreia contra o Botafogo, o He-Man marcou outros dois, são quatro em duas partidas pelo Fluminense) merece nota 10. Mas ele não é Fred, um atacante que incomoda o tempo e sabe largar a bola para quem vem de trás. Coincidência ou não, o Conca que troteou no gramado do Engenhão não foi o mesmo do Brasileiro. Mas o rapaz vem de cirurgia no joelho, é compreensível.

O problema é que as ausências se multiplicam no Fluminense. Emerson, o companheiro de ataque de Fred nos melhores momentos do tricolor em 2010, também está fora por lesão. Muricy, um treinador dado a paixões ardentes por jogadores questionáveis, optou por Willians em vez de Araújo no ataque, que foi tão efetivo quanto uma colher para fatiar costela. Na zaga, o bom Leandro Euzébio, eleito melhor zagueiro pela esquerda no Brasileirão do ano passado, estava fora, com dores no tornozelo. O genioso André Luis foi escalado, aquele mesmo defensor perturbado que uma vez tomou o cartão amarelo das mãos do árbitro quando jogava pelo Botafogo.

Na falta do futebol tricolor, o Argentinos Juniors reestreou na Libertadores depois de 25 anos com gana. Tomou conta das ações da meia cancha e cutucou o Fluminense do jeito que pode, incluindo a catimba. Aos 10 minutos, a torcida pó-de-arroz já vaiava o bom goleiro Nicolás Navarro, que entrou decidido a ganhar qualquer segundo disponível na reposição de bola. Aos 42min, Carlos Torres já havia amarelado o goleiro por ficar de biriri no tiro de meta. Os argentinos, mesmo antes da partida, se diziam muito satisfeitos com o empate. Mas, com espaço para jogar, se arriscaram a vencer o jogo. Embora a TV tenha anunciado o Bicho num inusitado 3-4-3, acredito que o técnico Pedro Troglio tenha sido um pouco mais comedido, recuando Oberman e deixando Salcedo e o pequenino Niell lá na frente, o que já é uma ousadia para uma equipe que veio para arrancar um ponto e voltar feliz para o La Paternal.

Aos 36min, antes do gol do petiço, o Bicho havia armado um contra-ataque rápido pela direita. Niell, Cavalieri e Gum se abalroaram na área, a bola caminhou em direção ao gol na ponta dos pés e, instantes antes de cruzar a cal, André Luis deu um bicão pra longe. Revi o lance 10 vezes e até agora não sei se foi gol, mas o Olé se apressou em determinar que o clube argentino foi roubado.

Logo depois, veio o gol do baixinho. O Flu voltou do intervalo com mudanças, Rodriguinho no lugar de Willians, como se Muricy tivesse se arrependido da escolha original. Mas o que mudou mesmo foi o gol de empate, aos 12 min, com Rafael Moura aparando um cruzamento de Carlinhos. O Tricolor finalmente acordou e quase virou no minuto seguinte. Entretanto, o time portenho foi cancheiro, paciente, como se frequentasse a Copa todos os anos. O volante Juan Mercier distribuiu umas caneladas e bolas redondas pela intermediária, um jogador para se prestar atenção.

Numa dessas jogadas que premia apenas os pacientes, aos 26min, Salcedo foi trotando com a bola na ponta direita e ganhando jardas, até que achou espaço para cruzar na área e colocar a bola no fedor. A bola caiu na cabeça de Niell de novo, que fechava no segundo pau. Ela quicou dentro do gol e saiu. O jogador não correu, só abriu os braços e eu, por alguns instantes, não acreditei que o Fluminense pudesse ter levado mais um gol de um ANÃO. Mas era isso mesmo: Argentinos 2×1 Fluminense, o leão tirando sarro do palhaço, a cerveja confessando dores-de-cotovelo ao corno.

Muricy tirou André Luis e apostou no meia Marquinho. Funcionou. Em dois minutos, o Tricolor pressionou de um lado a outro, a pelota voou sobre Rafael Moura uma vez, mas na segunda acabou na rede de novo. Claramente satisfeito, o Bicho segurou o placar enquanto o Flu seguia erguendo a bola para Rafael Moura. Mas o atacante é He-Man e não Super-Homem e não pode fazer milagres.

Mesmo com o inesperado empate, o Fluminense ainda tem mais dois jogos em casa no primeiro turno do grupo 3 e pode encaminhar a classificação com tranquilidade, sobretudo se recuperar os desfalques a tempo de receber o Nacional no dia 23, no Engenhão. Fred é certo que volta. Basta não deixar o nervosismo tomar conta do pedaço. Hoje, depois do segundo gol, a torcida vaiava Diego Cavalieri. Não é por ai, minha gente, ainda mais em estreia de Copa.

No lado do Bicho, são só alegrias. Conseguiu tirar pontos do time mais forte do grupo e volta para casa com um ponto heroico. Mais: provou que está com o olhar altivo depois do desmanche de 2010, rebote do título do Clausura. No dia 24, recebe o América no estádio Diego Armando Maradona, pronto para fechar a segunda rodada com quatro pontos. Salcedo e Niell fazem afinada dupla de ataque de uma equipe que, se ainda não é boa, está muito a fim de seguir mordendo o dono.

Aos lances:

A foto é do Olé.

Saludos,

Alexandre de Santi

Anúncios

Entry filed under: Libertadores. Tags: , , , .

Especial Libertadores – Grupo 3 Especial Libertadores – Grupo 7

80 Comentários Add your own

  • 1. Luís Felipe  |  10/02/2011 às 06:46

    Oberman x He-Man

    Overman x He-Man

  • 2. Guilherme  |  10/02/2011 às 06:47

    O Argentinos Juniors não jogava libertadores há 25 anos?? Po, e eu achei que era um time médio pra grande. Não foi dali que saíram Maradona, Redondo, Sorin e Riquelme?

  • 3. Guilherme  |  10/02/2011 às 06:51

    E sobre a seleção do Marketeiro Menezes, é incrível como ele pode escalar um time ridículo perder merecidamente da Argentina e França e não se ouvir um pio.

    Se fosse o DUNGA, teriam amaldiçoado até a 5a geração. Não adianta, técnico de seleção tem que ser bom de entrevista e o importante mesmo é que o Lédio Carmona aprovou a escalação.

  • 4. Guilherme  |  10/02/2011 às 06:52

    Corrijam-me se eu estiver errado, mas acho que o Dunga jamais perdeu dois jogos seguidos como técnico da seleção.

    Fora “protagonismo de jogar futebol”! O que quer que isso signifique.

  • 5. Emedinapf  |  10/02/2011 às 07:03

    Preferi assistir um filme do que acompanhar o gauchão… Aliáa, não recomendo “um filme sérvio”… Doença tem limite.

  • 6. Lucas R Souza  |  10/02/2011 às 07:06

    O Dunga realmenre perdeu pouco, mas perdeu quando não poderia perder, jamais. Agora é a hora de perder!!!

  • 7. Luís Felipe  |  10/02/2011 às 07:31

    o Argentinos Juniors é um clube de bairro com uma das melhores categorias de base da história do futebol argentino.

    Seria uma Portuguesa do futebol argentino, digamos.

    Quanto aos gols do Niell, Danny Morais foi contratado pelo Flu?

  • 8. Fernando Cesarotti  |  10/02/2011 às 07:31

    Também achava que não, mas o Dunga perdeu duas seguidas uma vez: 0-2 Venezuela, amistoso, e 0-2 Paraguai, eliminatórias.
    Antes dele, o último tinha sido o Falcão em 90

  • 9. Fernando Cesarotti  |  10/02/2011 às 07:36

    Quanto ao Cavalieri, ele é o melhor goleiro revelado pelo Palmeiras desde o Marcos, melhor que o Deola e o Bruno, que ficaram no time. Ele até tem uma deficiência nas bolas altas, errou no segundo gol, mas o GUM, também, que marcação, hein?

  • 10. Guilherme  |  10/02/2011 às 07:42

    .7

    Entendi. Bota categoria de base nisso.

    .8

    Foi em 2008 isso né? Mas enfim, o ponto é que se tivesse sido o Dunga que tivesse escalado renato Augusto, Elias e Jadson, teriam crucificado e empalado o anão.

  • 11. Sidney Mirandão  |  10/02/2011 às 07:56

    Só farei comentários secundários:

    1 – Então o jargão jornalístico é uma espécie de Reversal Russa?

    2 – Muito bom texto, mas segundo consta, o verbo é abalroar e não albarroar. Em todo caso, é um verbo excelente.

  • 12. Alexandre N.  |  10/02/2011 às 07:58

    Até agora eu ainda não entendi o que mantém André Luiz como primeira opção para a defesa quando algum dos titulares não pode jogar.

    O lance do segundo gol foi uma vergonheira ó. Edinho (o tal intransponível) demora a fazer o passe e chuta em cima do argentino. A bola sobra mais pro André Luiz, que não chega a tempo de dominar a bola e perde meio que na estourada. Não satisfeito, ele ainda tenta dar combate no atacante argentino e AJEITA a bola para o cruzamento. Sem contar as outras bizonhices.

    Como não adianta reclamar do muricybol, pelo menos faço um apelo: Se vai ficar nessa, pelo menos põe o pessoal pra treinar cruzamento. O segundo gol saiu justamente de uma bola péssimamente cruzada pelo Marquinho.

    Sei não. Depois de ontem fico com a mesma preocupação dos corinthianos quanto a esta Libertadores…

  • 13. Tiago Marcon  |  10/02/2011 às 08:14

    massa o texto. é surreal mesmo tomar dois gols de uma tampinha de garrafa como aquele. Mas cmom é chato jogar contra time argentino na Liber…

  • 14. Godo  |  10/02/2011 às 08:21

    Roubaram um gol e omitiram um pênalti grotesco no primeiro ataque dos herdeiros de Maradó. Juizão garantiu esse empate faceiro pro Flu.

    E eu também achei falha CLAMOROSA do arqueiro tricolor a bolinha que chegou pra cabeçada mortal de Neill no segundo gol. Mas, convenhamos, parece que jogar bola alta na zaga do Flu é o novo passatempo da sua viagem.

  • 15. Alvaro  |  10/02/2011 às 08:21

    Tão tudo querendo entregar a rapadura pros mexicano

  • 16. Vinicius  |  10/02/2011 às 08:54

    que bonito ver o Argentinos Juniors jogando a Copa.

    Ainda terei sorte em ver o Chacaritas e o Quilmes(novamente) na Copa.

  • 17. alemao  |  10/02/2011 às 09:10

    parabéns ao fotografo…ficou muito massa a foto! agora lerei o texto

  • 18. Anônimo  |  10/02/2011 às 09:18

    Sobre o lance da gol/não-gol, eu não tenho certeza, mesmo. Reparem no desenho da página 33 (31 do texto): http://www.fifa.com/mm/document/affederation/federation/lotg_en_55753.pdf

    Sanchotene

  • 19. Anônimo  |  10/02/2011 às 09:25

    Até agora não aceito que após gol do Rafael Moura, o sistema de som do Engenhão não toca:

    HE-MAN! Pampampampampampampam! HE-MAN!

    Sancho

  • 20. Lucas Cavalheiro  |  10/02/2011 às 09:39

    Eu já me acho baixinho pra jogar futebol de campo, tendo 1,67.

    O tampa ali tem UM E SESSENTA E DOIS. Pela madrugada.

  • 21. Gerhardt  |  10/02/2011 às 10:05

    escutei esses dias q a FIFA recebeu a tecnologia e suas dezenas de soluções para o lance capital. demorou.

  • 22. Gustavo  |  10/02/2011 às 10:06

    A bola tem que passar inteira pra ser gol. Pela foto tirada de dentro da goleira, parece que sobrou um TIQUINHO. Pode ser que, se avançarmos a imagem em UM FRAME, a bola passe inteira.

    Agora, honestamente, qualquer árbitro que tivesse validado o gol não seria crucificado em lugar algum.

  • 23. arbo  |  10/02/2011 às 10:14

    pois é, pelo link do sancho parece até q não foi gol.
    bom resultado, no entanto. aquele salcedo continua bom jogador.

  • 24. Anônimo  |  10/02/2011 às 10:21

    No domingo, termina a pré-temporada. E a temporada já começa quente…

    Eis a seqüência de jogos do Grêmio:

    17.2 – Oriente Petrolero (c)
    20.2 – Quartas-de-Final, Piratini (c)
    24.2 – Junior (f)
    27.2 – Semifinal, Piratini (c) [caso se classifique]
    3.3 – León (c)
    6.3 – Final, Piratini (c) [caso se classifique]

    Um monte de jogos em casa, mas essa ida-e-volta à Barranquilla em meio a uma possível “Semana Gre-Nal” é para f*d&r o c! do palhaço.

    O Inter joga um dia antes e em Porto Alegre.

    Será que o Grêmio arriscaria colocar os reservas nas quartas-de-final? E no Gre-Nal?! Ou, quem sabe, em Barranquilla?

    Sancho

  • 25. Alexandre de Santi  |  10/02/2011 às 10:28

    Sidney,

    Verdade, é abalrroar.

    Maldiat deslexai da madurgadda.

    Corrigido.

  • 26. Anônimo  |  10/02/2011 às 10:32

    Seria tão loucura colocar reservas na Libertadores? O Grêmio deixaria os 11 titulares treinando em Porto Alegre, e mandaria 14 jogadores para a Colômbia com missão de trazer um pontinho heróico.

    Se ganharmos do Oriente na estréia, me parece que haveria mais dano em ser eliminado da Taça Piratini do que uma simples derrota para o Junior na Fase de Grupos.

    Sancho

  • 27. arbo  |  10/02/2011 às 10:41

    “Ou, quem sabe, em Barranquilla?”
    não delira, sancho

  • 28. Anônimo  |  10/02/2011 às 10:41

    Re 25

    É com um ‘r’ só, Santi. Só dobraria a letra se fosse entre duas vogais.

    Abraço,
    Sancho

  • 29. arbo  |  10/02/2011 às 10:42

    “Se ganharmos do Oriente na estréia, me parece que haveria mais dano em ser eliminado da Taça Piratini do que uma simples derrota para o Junior na Fase de Grupos.”

    não, sancho

  • 30. Anônimo  |  10/02/2011 às 10:48

    Re 27

    Por que seria delírio? Seria sacrificar um jogo fora de casa da Fase de Grupo, em que os titulares não são garantia de sucesso, em favor de disputar com força máxima um clássico em que é vencer ou voltar para casa.

    Ademais, o título da Piratini coloca o Grêmio nas finais do Estadual (que ocorrerão em 8 e 15 de maio), o que permite se dedicar a Libertadores por DOIS MESES inteiros praticamente sem nenhuma outra preocupação.

    Sancho

  • 31. Carlos  |  10/02/2011 às 10:50

    SAncho drogado.
    Reservas na liber nem pensar.

    Ontem me prestei a ver o jogo do Brasil com narração de Galvão Bueno e comentários de Caio (aquele cara do SPORTV q comenta é um débil mental, não dá pra aguentar).

    Como é bom ser relacionado com a imprensa…o time não jogando BOSTA nenhuma e o Galvão: “o time tá jogando bonito, solto, etc etc”…

    Dae Caio, o comentarista mais bundão do mundo me larga a pérola: “tá faltando o neymar, um cara q pega a bola e resolve tudo”. (certamente ele não viu Argentina x Brasil, sub-20).

    O brother menezes tá me saindo uma bela porcaria.

    E vi Uruguai x Argentina, torcendo MUITO pro uruguai…que beleza. Da-lhe celeste.

    E é impressão minha (paranóia), ou o pessoalzinho da bandeirantes q vivia o dia inteiro botando pau no gauchão….depois q passaram a chamar de gauchão COCA-COLA, eles tão pianinho pianinho…o gauchão pra eles virou um “baita teste” pro resto do ano (Oliveira, Daniel – apito final 2011)

    Que beleza a imprensa….

  • 32. Anônimo  |  10/02/2011 às 10:56

    Re 29

    O que vale na Libertadores é se classificar, Arbo. Primeiro ou segundo, pouco importa. Esse negócio de melhor campanha é balela. Numa decisão em ida-e-volta, a chance de se classificar jogando a primeira ou a segunda em casa é 50%. Não faz diferença nenhuma.

    O Junior deve ganhar do Leon e do Oriente em Barranquilla. Uma derrota lá apenas nos deixaria sem vantagem (e isso vale, inclusive, se perdermos com os titulares). Se igualarmos a série contra o Junior (1 vitória para cada) e termos vantagem sobre os outros (4 ou seis pontos), terminamos esta fase entre 11 e 15 pontos conquistados. Mais do que suficiente para classificar, talvez em primeiro, e em boa posição geral inclusive.

    Mas Deus proíba dar prioridade para uma decisão estadual, um clássico, sobre uma partida de pouca significância na Libertadores, não é mesmo! Isso, sim, seria insano…

    Sancho

  • 33. arbo  |  10/02/2011 às 11:00

    sancho, tem q responder?
    -ganhar do oriente na estreia seria mto bom, mas não garantiria nada.
    -ir pra colômbia com os titulares q “não são garantia de sucesso” é essencial pra q eles entrem no clima da liber o qto antes para q sejam, o qto antes e minimamente, garantia de sucesso.
    -enquanto isso, treinamos en serio aqueles q ficarem em porto alegre. temos time pra fazer frente, ué. temos q ter.
    -a liber em primeiro lugar. sempre.

  • 34. arbo  |  10/02/2011 às 11:04

    “O que vale na Libertadores é se classificar, Arbo.”
    POIS É, SANCHO.
    em 2007 um gol cagado do lucas na estreia, em asunción, nos deu vitória na estreia q nos garantiria vaga apertadíssima (quase a perdemos no último lance do último jogo da primeira fase) para as oitavas – num grupo, digamos assim, de poucos NOMES.
    “O Junior deve ganhar do Leon e do Oriente em Barranquilla”
    POR FAVOR, não faça isso, acho q tu conhece melhor futebol q isso. o grêmio tem q ir com força máxima em todo jogo de libertadores. até pra classificar bem, sim.

  • 35. arbo  |  10/02/2011 às 11:05

    palavras repetidas, me acode, renato ns

  • 36. Quintana  |  10/02/2011 às 11:26

    Esse Carlos é figura. Fala, fala da rádio do meu primo Cláudio Quintana Cabral, mas insiste em ouvir. hasahhashashahsahsasasasha

  • 37. Gerhardt  |  10/02/2011 às 11:27

    idéia bizarra essa de reservas na LA Sancho.

    não esqueçamos q temos Roth para nos ajudar do outro lado.

    obviamente a classificação geral tem uma grande diluição do sentido de poderio dos times, pois existem grupos muito díspares,
    mas ficar nas metades de cima, a cada chaveamento pelo menos pode trazer as decisões para casa.

  • 38. rafael botafoguense  |  10/02/2011 às 11:49

    esse pedro troglio só monta timezin maneiro. quase fez o gimnasia ser campeão,copou com o cerro e quase o levou a final da suda e agora taí no aaaaaj na liberta.

    só queria comentar isso.

  • 39. Anônimo  |  10/02/2011 às 11:57

    Arbo,

    Todo o exercício -e isso não é uma discussão, mas um exercício- parte do princípio que haverá Gre-Nal em 27 de fevereiro; algo que só pode ser levantado hoje por hipótese.

    Aceita a hipóetese, eu direi o que acontecerá concretamente caso ela venha a acontecer, Arbo. O Grêmio jogará na quinta em Barranquilla, viajará na sexta, descansará no sábado e jogará o Gre-Nal no domingo. Enquanto o Inter, jogará na quarta em Porto Alegre, descansará na quinta, se preparará na sexta e no sabádo, e jogará o Gre-Nal no domingo.

    Isso, evidentemente, é uma vantagem para o Internacional. É garantia de vitória? Não, mas é uma vantagem. A pergunta que eu me fiz foi: “e caso não se desse tal vantagem?” Para não se dar essa vantagem, o único jeito é poupar os titulares da partida na Colômbia. Não pode ser mais, porque só há 25 inscritos na Libertadores, teriam que ser 11, mas é o único jeito.

    A segunda pergunta é “o que significa jogar com os reservas na Colômbia”. A primeira implicação é “jogar com reservas na Libertadores”, o que todos sabemos é vedado pela Constituição, pelo Estatuto do Torcedor, pela Declaração Universal dos Direitos Humanos, é crime hediondo tipificado no Código Penal, heresia máxima pelos dogmas aceitos nas tradições judaica, católica e mussulmana, causa maior do Aquecimento Global, e principal motivo pelo qual os maias acreditavam que a humanidade se extinguiria em 2012. Verdadeiro sinal apocalíptico!

    Eu quis apenas relevar esses problemas, e tratar a possibilidade dentro de um plano meramente deportivo; se me permitem. Talvez eu tenha me adiantado, porque isso é caso de uma decisão que não resulta de de um planejamento antecipado, mas que depende das circunstâncias de momento (e a vitória contra o Oriente é só mais uma). O principal ponto a ser ressaltado é o quanto essa possível vantagem vermelha para o clássico (me) incomoda.

    Abraço,
    Sancho

  • 40. arbo  |  10/02/2011 às 12:08

    claro q “permito”, sancho. permita-me q ache delírio. eu havia entendido toda a tua hipótese, tuas perguntas e sugestões de respostas. só não concordo com elas. não porque seja “vedado pela Constituição” jogar com os reservas e toda aquela série de ironias q elencou, mas pq será apenas o segundo jogo da liber e não o EVENTUAL último jogo em que EVENTUALMENTE um time, já estando classificado, pode se dar ao luxo de jogar com reservas na sua competição principal, para poder jogar com os titulares num jogo da importância de um clássico.

  • 41. arbo  |  10/02/2011 às 12:09

    #39 muÇulmana

  • 42. Anônimo  |  10/02/2011 às 12:20

    Re 41

    Pois é, me confundi. Olhei agora no VOLP. Em minha defesa, dos idiomas que conheço, só em português se escreve com “c”…

    Sancho

  • 43. Tiago Marcon  |  10/02/2011 às 12:56

    #31
    Tempo atrás o Galvão lançou um vinho em SP e lá estavam váriias figuras, entre eles o Mano Menezes. Nada como ter amiguinhos no quarto poder (imprensa)

  • 44. Carlos  |  10/02/2011 às 12:58

    #36
    Prazer, Quintana. Pede pro teu primo se aposentar.

    Eu ouço pra me irritar, e pra me divertir nas vezes em que uns e outros falam merda sem parar por lá.
    Isso q a concessão daquela joça é minha, nossa, tua.

  • 45. Frank  |  10/02/2011 às 13:05

    Sancho…

    Posso até entender essa tua preocupação… porém, acho que o parágrafo 5° da Constituição de 88 proíbe que se entre com reservas na Liber, confere?

    Cara, seria NONSENSE total entrar com reservas na Liber no confronto que promete ser o mais encardido para priorizar o gauchão enquanto do lado de lá eles jogam boa parte do campeonato com o time B… ou seja, duvido muito que a perda da PIRATINI signifique muita coisa para ambos os lados envolvidos…

  • 46. Frank  |  10/02/2011 às 13:05

    ops, ARTIGO 5°…

  • 47. Anônimo  |  10/02/2011 às 13:29

    Amanhã tem Junior-Tolima em Barranquilla pelo FARCÓN 2011/1.

    Sancho

  • 48. Luís Felipe  |  10/02/2011 às 14:33

    #31

    EXATAMENTE, Carlos.

    É constrangedor ver a forçação de barra em cima do ‘jogar com alegria’, sendo que o futebol apresentado ontem foi pouco mais que medíocre.

    Um adendo: Alexandre Pato.

    Como me incomoda, esse jogador. Eu acho ele muito bom, tem tudo para ser um craque, faz gol a rodo no Milan, ajudou um time de velhos a ser líder do Italiano.

    Mas joga COMPLETAMENTE SEM TESÃO.

    Ele parece que joga com ENFADO.

    Parece que não tem sangue.

    Ontem, se tivesse o AFÃ de um Ronaldo no seu ponto alto, teria esmagado a zaga da França. e ele TEM qualidade pra isso.

  • 49. Titi  |  10/02/2011 às 14:36

    #6

    NAO EXISTE hora de perder! Papinho furado.

    O Mano Menezes ainda nao chegou em um final …. para PERDER.

    O Dunga ganhou tudo o que disputou ate a CM. E perdeu por VARIOS motivos onde ele foi o MENOS culpado.

  • 50. Flávio  |  10/02/2011 às 14:57

    Bah, mas vocês julgam toda imprensa esportiva brasileira pelo Galvão Bueno. Vi várias críticas ao Mano Menezes por aí, inclusive à convocação – cinco dos jogadores chamados têm o mesmo empresário que ele. A verdade é que até hoje não se achou alguém capaz de fazer a função do Ganso. Mano testou ali sem sucesso Carlos Eduardo, Ronaldinho, Elias e Hernanes. Sem a dupla do Santos (vocês podem detestar os dois, mas são nossas duas únicas promessas de craque; se vão confirmar? não sei) e o Kaká (se vai voltar a ser o mesmo jogador de 2007-2008? não sei) a Seleção perde muito em qualidade.

  • 51. Junior  |  10/02/2011 às 15:56

    “O Dunga ganhou tudo o que disputou ate a CM. E perdeu por VARIOS motivos onde ele foi o MENOS culpado.”

    Assistiu Brasil x Holanda? Entre muitas coisas, ele conseguiu a PROEZA HISTÓRICA de ser eliminado e fazer apenas DUAS substituições. Certamente, ele pensou que na estréia da Copa de 2014 o Brasil iria poder fazer 4 substituições, já que ele poupou a 3ª na África. E o time jogava bem, estava goleando a Holanda para não precisar fazer a última substituição.

    “Como me incomoda, esse jogador. Eu acho ele muito bom, tem tudo para ser um craque, faz gol a rodo no Milan, ajudou um time de velhos a ser líder do Italiano.”
    “Parece que não tem sangue.”

    O que me incomoda é essa coisa de “guerreiro”, “raça”, “dedicação extrema” do futebol atual. Como dizia o meu avô, antes o ídolo era o jogador habilidoso, hoje é aquele que só sabe dar carrinho. O Douglas do Grêmio sofre com a torcida, enquanto o Paulão é idolatrado.
    Eu quero que um jogador de futebol JOGUE futebol, só isso. O que me incomoda é ver o Leandro Damião não conseguir dominar uma bola, fazer um esforço tremendo para jogar futebol. O que me incomoda é não conseguir ver o Guto driblar o adversário. Jogadores como o Pato me dão prazer de ver futebol.
    Eu prefiro 100 vezes o Messi ao Tevez por uma única razão, o Messi é craque, não é um bom jogador esforçado.

  • 52. Gabriel R.  |  10/02/2011 às 16:21

    Cocordo MUITO com o junior na segunda parte e discordo muito na primeira! O melhor jogo(tempo) do brasil na copa foi contra a holanda, o primeiro tempo foi impecavel, ai fudeu tudo no segundo, mas a imprensa detonou ele tanto, que hoje qualquer derrota na seleção é lembrada como a era dunga, uma puta sacanagem.

    o pato joga muito, demais, pode ser melhor do mundo com certeza, e para isso ele não precisa dar um carrinho sequer, jogadro bom não é jogador voluntarioso e sim jogador que cumpre sua função com maestria.

  • 53. arbo  |  10/02/2011 às 16:30

    bá, e eu discordo mto da segunda parte do Junior. primeiro pq ele não entendeu o q o LF quis dizer (já q o argumento não se relaciona com o q o LF falou), e segundo pq douglas “sofre” no q tem q sofrer e o paulão é ovacionado sim por um exagero, mas não seria assim se ele fosse SÓ raça… não é

  • 54. arbo  |  10/02/2011 às 16:34

    “Eu quero que um jogador de futebol JOGUE futebol, só isso.”

    “o pato joga muito, demais, pode ser melhor do mundo com certeza, e para isso ele não precisa dar um carrinho sequer,”

    pois é, mas jogador não tem q ter vontade apenas pra “dar carrinho, urrar, suar sangue e blablablá”. tem q ter vontade e correr atrás pra mostrar o q sabe. eu entendo bem o q diz o LF, a bola do pato tá ali, mas ele fica se fazendo pra mostrar. comment gay off

  • 55. arbo  |  10/02/2011 às 16:39

    quem não dá pra aguentar mais é o robinho. dios mio…

  • 56. Junior  |  10/02/2011 às 16:55

    Arbo, eu entendi o que o LF escreveu. Qual o problema do cara ser “frio” ou “blasé” (comment gay – utilizando um termo teu). Não gosto dessa generalização em que todos precisam ser iguais. Para usar outro exemplo local, o Kleber (lateral-esquerdo) é um jogador da estirpe do Pato. E daí? é o melhor lateral-esquerdo que eu vi jogar no Inter. O Pato resolve a vida para o Milan e joga muito, mas não faz o perfil raçudo. O Romário também nunca foi um jogador raçudo, inclusive sempre foi muito menos participativo sem a bola que o Pato. O Pato ao menos marca a saída de bola, o Romário nem isso fazia. Eu criticaria jogadores como o Pato se eles fizessem “corpo mole”, o que não é o caso. Cada um tem a sua personalidade. Acho muito chato esse tipo de cobrança que o LF fez.

  • 57. arbo  |  10/02/2011 às 17:06

    bom, sigo achando q não entendeu (talvez aí eu não tenha entendido) o LF, pq ele não pede q o pato seja um jogador diferente, mas, em síntese, assumisse o papel, o grande papel, q ele tem o potencial pra assumir. na seleção.
    entendo q seja vago isso, mas talvez melhor q seja – colocamos palavras e se tem uma confusão instalada.

  • 58. arbo  |  10/02/2011 às 17:10

    e eu quis dizer instaurada hehe

  • 59. Ernesto  |  10/02/2011 às 17:36

    Aqui ó, mantenham a coerência, rapazeada. Se acham que o Dunga errou na copa, que falem desse treinador de agora. Amigo da mídia sim, não ganhou de ninguém decente até agora – tomou tufo nos dois jogos de verdade.

    Sem contar que também foi substituir aos 44.

    E por favor, não sou fã numero 1 da canarinho, mas pelo bem dos brasileiros, coloquem zagueiros decentes. Foi de corar de vergonha ver o baile que um cara da frança deu naquele David Luiz. Maior invenção até hoje. Mais até que Afonsão artilheiro mor da europa.

  • 60. Luís Felipe  |  10/02/2011 às 17:41

    Junior, não quero que o Pato dê carrinho e mostre raça.

    Quero que ele tenha mais VOLÚPIA. Quero que ele parta pra cima do zagueiro a dribles, como o Ronaldo fazia, e ele sabe fazer. Veja: ele é um tremendo finalizador, mas falta criar o gol para ele mesmo.

  • 61. Carlos  |  10/02/2011 às 17:51

    #60
    Bah, concordo MUITO.

    Até comentei com dona denise (que não deu a minima, diga-se de passagem) q eu tenho um azar do caralho. Nunca vi o Pato jogar a bola q tanto se fala dele. (não vejo campeonato europeu nem amarrado, nada contra, só não tem nada a ver comigo).
    Acho exatamente o q o LF falou…parece q o cara tá entediado no campo…não precisa dar carrinho, pontapé e o cacete…precisa ir com tesão (ui) pra cima dos caras.

  • 62. Serramalte Extra  |  10/02/2011 às 18:09

    “O Flu sentiu o nervosismo da competição e, acima de tudo, sentiu os desfalques.”

    O principal desfalque do Flu foi o HEBER ROBERTO LOPES.

  • 63. Pedro  |  10/02/2011 às 18:45

    Parem de colocar a culpa nos técnicos (que na maciça maioria são realmente ridículos). Toda a temática Seleção Brasileira passa por um detalhe que as pessoas em geral ignoram: o Brasil já não tem jogadores tão superiores aos demais países. Tem bons jogadores em maior quantidade, isso é inegável, mas poucos deles estão acima dos grandes jogadores de outras seleções de primeira linha. Nunca mais teremos uma Copa tão fácil como a de 2002.

  • 64. Junior  |  10/02/2011 às 18:50

    Ele fez isso, partiu para cima duas ou três vezes do Mexes, que o desarmou. Ele pode não ter conseguido por FALTA de qualidade, não por falta de tentativa. E ele faz essas tentativas com regularidade no Milan. Discordo da comparação com o Ronaldo, o Ronaldo era muito mais centroavante de área que o Pato. O Ronaldo criava as jogadas para si mesmo, o Pato é melhor em criar as jogadas para um centroavante de referência. Um ataque Ronaldo e Ibrahimovic provavelmente não daria certo, os dois “bateriam cabeça”.Vocês querem mudar a personalidade dele. Ele SEMPRE será um jogador frio, o que mais ajuda que o atrapalha. Por essa frieza, com apenas 17 anos, ele fez o que o Rafael Sóbis não conseguiu no Mundial: marcou o gol quando a chance aparecer. Reafirmo que essa exigência que ele seja voluntarioso é inócua, ele nunca vai ser. Por outro lado, é como pedir ao Kleber do Palmeiras calma e prudência. Não vai dar certo, “cada um sabe a dor e a delicia de ser o que é” (Veloso, Caetano; 1885). Um comentarista espanhol disse que se um telespectador observasse apenas a movimentação do Romário no Barcelona sem a bola, dormiria em 10 segundos entendiado. Assim como o Pato, o tesão dele não era o jogo de futebol, mas a bola. Obviamente, não estou comparando a qualidade de ambos, apenas as características.

  • 65. Anônimo  |  10/02/2011 às 19:03

    O carlos andou perguntando sobre clássico para ver. Eis um:

    http://eju.tv/2011/02/los-goles-del-clsico-cruceo/

    Sanchotene

  • 66. arbo  |  10/02/2011 às 19:47

    massa, sancho

  • 67. Carlos  |  10/02/2011 às 20:36

    #65
    Q afude sanchoooo…show de bola…

  • 68. Titi  |  10/02/2011 às 23:05

    #51

    Cara … Depois que o MELHOR goleiro do mundo falha; coisa que NINGUEM nunca esperava. Depois que o Felipe Melo fez aquela M; sem Elano e sem Ramirez … ia colocar quem? Nem se botasse o PELE (?) o time ia reagir. O JC ja admitiu a culpa pela falha, o Felipe Melo pediu desculpas pela rateada, e a culpa continua sendo do Dunga?

    Tenho que concordar com o Ernesto … pq nao falam do Mano Menezes? Amigo da imprensa? Nesse caminho ele nao chega na Copa. Sera o melhor pra ele. Nao desejo a ninguem estar na pele do treinador de 2014.

    Fazia tempo que nao perdiamos pra Argentina!

  • 69. Eduardo  |  10/02/2011 às 23:18

    reservas na liber? nem no playstation….

  • 70. Zé Carlos  |  11/02/2011 às 06:25

    Flu não passa da 1 fase, vai levar couro. Muricy e Luxemburro não tem perfil de Libertadores, nunca terão.

  • 71. Anônimo  |  11/02/2011 às 08:18

    Re 68

    O Brasil perdeu porque o goleiro que nunca falha, falhou; e o time que nunca treme, tremeu. Aquele segundo tempo é inexplicável. Tudo bem que os holandeses contaram com a complacência do árbitro para descer o sarrafo sem serem importunados, mas os jogadores eram experientes o suficiente para não entrar na onda. Entraram. E cada um reagiu do seu jeito, enquanto o Felipe Melo deu aquela bordoada e foi expulso, houve quem sumiu do jogo, quem já se atirava na primeira olhada atravessada do adversário, quem não conseguia dominar uma bola ou passá-la direito, etc.

    E isso que o PT terminou SÓ 1-0. Tinha espaço para mais…

    Sanchotene

  • 72. Gustavo  |  11/02/2011 às 10:38

    OMG
    Sancho, quem te lê está acostumado às teorias loucas que tu costuma lançar, algumas bem interessantes – como aquele lance de ir medindo o campeonato brasileiro pelos pontos que falta pra livrar do rebaixamento, depois pra conseguir a vaga pra Liber e depois pro título…

    Agora, jogar a Libertadores com reservas é a ideia mais DOENTE que eu vi este ano, até agora. Fosse em detrimento do campeonato brasileiro seria até compreensível. Agora, por causa do GAUCHINHO? Fala sério.

    E não é verdade esse lance de que não importa como tu classifica pra segunda fase. Não faz toda a diferença do mundo, mas ajuda classificar em primeiro, de preferência melhor que os demais primeiros colocados. Quer melhor exemplo que 2009 que, por causa disso, o Grêmio, com um time LIXARENTO, só pegou baba até a semifinal, quando levou uma TUNDA do Cruzeiro (que nem campeão foi).

  • 73. Sancho  |  11/02/2011 às 11:03

    Re 72

    Se você acha “gauchinho”, é um direito seu. Mas quando o time chega na final, é estádio lotado, é clima de decisão, e quando ganha é festa e mais festa. Quando perde, o que se vê é reclamação, corneta, e demanda por cabeças. Talvez você não tome parte em nenhuma das duas atitudes, mas não se pode negar que é isso que acontece. No mais, não se trata de um jogo qualquer, mas de um Gre-Nal; o qual você pode não gostar também, mas isso é um problema seu…

    Sobre 2009, foi sorte; nada além. Não se tem segurança nenhuma que se vai pegar mais babas terminando em cima na tabela.

    Abraço.

  • 74. Gustavo  |  11/02/2011 às 11:11

    #73: Eu fui pra final ano passado. Afinal, de Grenal eu gosto. Mas isso não diminui o ABISMO técnico entre a dupla e os demais clubes do Gauchão (ou Gauchinho, mas soa meio fresco).

    Não se tem segurança de babas, mas aumenta CONSIDERAVELMENTE as chances. Sem dizer que garante segundo jogo em casa, o que é uma BAITA vantagem, especialmente na final. Nem todos aproveitam essa vantagem, mas ficou especialmente clara neste confronto entre Corinthians e Tolima.

    Eu não acho que o Gauchão deva ser extinto, só acho que a dupla não deveria participar. Ponto. A qualidade do campeonato aumentaria muito se ela não participasse.

  • 75. Gustavo  |  11/02/2011 às 11:30

    Importante ressaltar: é altamente improvável que dê Grenal na quarta-de-final, mais provável é na semi. Ok, é um exercício hipotético: se der Grenal nas quartas, time titularíssimo em AMBOS jogos. Se der outro confronto nas quartas, daí é time misto, com a galera tirando o pé (o que deve ser suficiente para ganhar).

    De qualquer forma, o grupo precisa viajar inteiro pra Colombia, pois vários jogadores que têm participado destas partidas do Grêmio no interior jogarão as partidas da Libertadores também. O negócio é jogar a partida das quartas, tomar um banho revigorante e embarcar pra Barranquilla, ouvindo Shakira no iPod.

  • 76. Junior  |  11/02/2011 às 13:30

    Só para terminar o caso Dunga, de minha parte. Antes da Copa, todos os que não gostavam do Dunga apontavam dois erros crassos que ele estava comentando. Não levar um reserva ao menos algumas características em comum com o Kaká (já que ele vinha de lesão) e apostar no Felipe Mello. O Felipe Mello era uma bomba relógio, já havia feito inúmeras besteiras praticamente iguais à besteira que fez contra a Holanda. Apesar de todos os avisos, o Dunga foi teimoso e insistiu nesses erros. O Kaká não jogou nada contra a Holanda e o substituto mais parecido tecnicamente com o Kaká era o Júlio Baptista! E quanto ao Felipe Mello, os comentários são desnecessários.

  • 77. arbo  |  11/02/2011 às 15:08

    concordo com o junior acima. e o sancho, espero q tenha lido meus argumentos.

  • 78. Anônimo  |  11/02/2011 às 15:48

    Arbo,

    Eu li. Mas eu me prometi que só volto a conversar sobre o assunto a partir do dia 21/2, se for o caso. Abri uma exceção acima para explicar novamente porque eu levantei a hipótese.

    Abraço,
    Sancho

  • 79. Anônimo  |  11/02/2011 às 15:50

    Re 76

    Junior,

    Essas eram as críticas PERTINENTES ao Dunga. Mas elas não eram nem 5% de tudo o que se falou dele…

    Abraço,
    Sancho

  • 80. arbo  |  11/02/2011 às 15:53

    ah, percebi teu silêncio mas não tinha entendido a “abertura de exceção”.
    abraço.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Subscribe to the comments via RSS Feed


Especial – Libertadores 2011

A bola da ImpedCopa

Toco e me voy

Feeds

web tracker

%d blogueiros gostam disto: