Gre-Nal cruza a fronteira

28/01/2011 at 05:00 44 comentários

Para escrever sobre o GreNal do próximo dia 30, peço licença e abro o texto citando Nick Hornby em um trecho de Febre de Bola, biografia não-autorizada de todo torcedor: “Quaisquer significados que esses jogos tenham são os que você, e não a tabela da Primeira Divisão, atribui a eles.” Deste modo, o jogo válido pela 5ª rodada da Taça Piratini, 1º Turno do Gauchão 2011, tem uma importância enorme não necessariamente para colorados e tricolores, mais preocupados com as lides copeiras, mas sobretudo para santanenses e riverenses.

Não apenas por se tratar do 8º clássico disputado fora dos limites de Porto Alegre, e primeiro em território “estrangeiro”, em mais de cem anos de história, mas por representar a volta da “Fronteira da Amizade” (Sant’ana do Livramento – Rivera) ao cenário futebolístico (bi)nacional e, quiçá, mundial, respeitando o rico passado da região.

Remontando ao começo do século anterior, os clubes pioneiros se enfrentavam na incipiente Liga Uruguaya de la Frontera (atual Liga Departamental de Fútbol de Rivera), fundada em 1909, para a disputa do football pelota pata. Entre eles havia um representante brasileiro, no caso o Esporte Clube 14 de Julho que se desfiliou quatro anos após a fundação da liga, para dedicar-se ao seu próprio Citadino. No ano seguinte, os quatorzeanos receberam o já poderoso Peñarol de Montevidéu, que acabaram voltando com um empate na bagagem e outorgaram o apelido de “Leão da Fronteira” ao 14, devido à garra de seus adversários.

Na virada dos anos 40 para os 50, podemos lembrar da visita do Vasco da Gama ostentando a faixa de 1º Campeão Sul-americano de Clubes (1948) um ano depois da conquista, para enfrentar um combinado da dupla GreQua (3 a 1 para os cruz-maltinos); ou do amistoso comemorativo dos 50 anos do 14 de Julho (1952), quando os rubro-negros enfrentaram novamente o Peñarol (3 a 1 para os carboneros). Ambos os jogos foram disputados no João Martins, cancha do Leão, e contaram com alguns dos protagonistas do Maracanzzo, ocorrido nesta entresafra de futebol fronteiriço. Entre eles Barbosa e Ademir Menezes do lado brasileiro, e Máspoli e Schiaffino para os orientales.

Com a crise no setor agropecuário e a mudança de regulamento do Gauchão, em 1961, acabando com as etapas regionais, o futebol de Livramento passou por uma época de vacas magras, não podendo mais fazer frente aos clubes da capital e do centro-norte do Estado. Assim, os clubes santanenses (ao lado do 14 existiam Armour, Fluminense e Grêmio Santanense) chegaram ao limite, com escassas participações no Gauchão, Copa Governador do Estado e Torneio da Morte, desde sempre o melhor nome já dado a uma repescagem. Já no outro lado do Parque Internacional, a liga local continuava afastada dos holofotes, monopólio das equipes montevideanas, relegada ao amadorismo.

Contudo, esta situação mudou radicalmente com a escolha de Rivera como uma das sedes da Copa América de 1995. A realização de um grande evento esportivo na região foi em alto nível, pois contou com o privilégio de hospedar a seleção brasileira, atual tetracampeã mundial, por cerca de um mês. Não nos olvidemos do eletrizante Brasil 2 (4) X 2 (2) Argentina válido pelas quartas-de-final, marcado pelo polêmico gol de Túlio Maravilha. Na final, brasileiros e uruguaios se encontravam mais uma vez no mítico Centenário, mas o riverense Pablo Bengoechea, que cresceu admirando o xará Paulo Roberto Falcão, não fez jus à hospitalidade de seus conterrâneos e foi um dos responsáveis pelo 14º título sul americano de La Celeste.

Mesmo sendo um fiasco do ponto de vista econômico, a competição organizada pela Conmebol parece ter trazido novo ânimo aos clubes doble chapas. Prova disso foi a filiação do Frontera Rivera à AUF, disputando a Segunda Divisão e garantindo o acesso dois anos depois, tornando-se o primeiro clube do interior a conseguir tal feito. Durante sua curta estada (duas temporadas) na elite charrua, el Rojo de Cuaró disputou inclusive uma Liguilla pré-Libertadores, trazendo milhares de torcedores ao Atílio Paiva. Além disso, o estádio municipal foi uma das sedes do Sul-americano sub-17, realizado em 1999, e recebeu algumas partidas menores do Peñarol válidas pelo Campeonato Uruguaio e Supercopa, quando da impossibilidade de jogar em Montevidéu. Enquanto isso na Vila Honório Nunes, o colorado Grêmio Santanense se manteve durante oito temporadas (1992-99) entre os melhores clubes do Rio Grande do Sul, feito inédito entre seus rivais, ao lado do único título estadual (1937) conquistado pela cidade.

Porém, na passagem do novo milênio, vieram os rebaixamentos e conseqüentes licenciamentos e o futebol profissional voltou à estaca zero. Foram dois anos sem participações em competições oficiais, nos quais o centenário do 14 de Julho foi comemorado sem seu quadro principal. A situação foi mudando aos poucos, com a volta do Leão às competições da FGF (Série B e Copa), conseguindo resultados satisfatórios com elencos formados basicamente por jogadores fronteiriços e modestas folhas salariais.

Já o ano de 2010, com certeza, marca o renascimento da região para o planeta bola, impulsionado por empresários locais e pela cada vez maior integração binacional, esta incentivada por seus principais mandatários.
A começar pelo confronto entre Cerro e Inter, válido pela 1ª fase de La Copa, pois os villeros venderam sua localidade por um punhado de pesos a mais.

Inspirados pela seleção uruguaia e a febre mundialista, os times que dividem os corações de gaúchos e uruguaios se enfrentaram na Copa Fronteira da Paz, torneio amistoso realizado durante a pausa do Mundial. Grêmio e Nacional disputaram a Taça Hugo de Leon (3 a 1), homenagem ao filho da terra que capitaneou os dois tricolores. Colorados e manyas (empate sem gols, 2 a 1 nos pênaltis), por sua vez, mediram forças na Taça Ruben Páz, famoso meia artiguense que além de jogar em ambas equipes, foi o referencial do Frontera durante seus tempos áureos.

Apesar das seguidas trapalhadas da Federação e o desinteresse da Dupla, o primeiro GreNal do ano deve ser memorável para os habitantes da Fronteira, que sonham que suas cidades voltem a ser protagonistas dentro das quatro linhas. Que os ventos do Cerro Chato soprem nesta direção.

Texto enviado por Matias Pinto

Anúncios

Entry filed under: Gauchão, Pela América.

Assim se dança bolero Como desbotar a história

44 Comentários Add your own

  • 1. Gabriel Severo  |  28/01/2011 às 08:19

    Belo texto, bela pesquisa. Sou fã desses textos históricos.

  • 2. Rudi  |  28/01/2011 às 09:06

    Vou até a morte defender a volta das fases regionais…
    imaginem, amigos, uma fase da fronteira com
    14 DE JULHO
    GREMIO SANTANENSE
    20 DE SETEMBRO
    ARMOUR
    FERRO CARRIL
    GUARANY – BAGÉ
    GRÊMIO BAGÉ
    SÁ VIANA
    URUGUAIANA

    desses saindo um clube direto para as quartas de final do Bovinão

  • 3. Vinicius  |  28/01/2011 às 09:26

    Se o 14 de Julho e o Gremio Santanense disputassem o Campeonato Uruguaio, jogariam a Libertadores da América em seguida.

  • 4. Rudi  |  28/01/2011 às 09:34

    sim, jogariam… e digo mais, encrespariam o jogo contra vários times por aí durante a libertadores…

  • 5. Gabriel Severo  |  28/01/2011 às 09:42

    Estaduais deveriam ser só pras equipes do Interior, dando vaga à Copa do Brasil para os X melhores classificados. Enquanto isso os clubes que disputam a Libertadores disputariam as fases iniciais da Copa do Brasil que se estenderia ao longo do ano. Se a GLOBO quisesse fazer um jogo entre os dois campeões pra faturar mais um pouco, tudo bem.

  • 6. Eduardo  |  28/01/2011 às 11:45

    eu gosto do estadual, com a única mudança de que a dupla seria OBRIGADA a jogar com os reservas/time B.
    ainda assim, os salários e a infraestrutura é melhor do que os outros clubes.
    outra opção seria o interior investir em futsal, basquete, volei ou até mesmo BOCHA e deixar essa corja que domina o futebol de campo de lado.
    3ra opção é um gauchão série A com 8 times.
    Brasil
    Pelotas
    Caxias
    Juventude
    Novo Hamburgo
    Cruzeiro
    Grêmio
    Inter

    restante é só prá roubar dinheiro das comunidades. sério. futebol se tornou um esporte muito comercial. Lajeadense não tinha nem médico para o jogo contra o GRÊMIO. é verdade que merecia ter vencido o jogo, mas ainda assim falta muita estrutura (ou tem alguém roubando o dinheiro que a federação envia).

  • 7. Eduardo  |  28/01/2011 às 11:46

    se bem que o Cruzeiro só tem um torcedor (moacyr scliar). não sei se deveria ficar nesse seleto grupo… 🙂

    e que venham as pedras…

  • 8. Iuri  |  28/01/2011 às 12:04

    BAITA TEXTO.

  • 9. Rudi  |  28/01/2011 às 13:32

    Eduardo, várias cidades investem em futsal, outras investiram e não investem mais (tipo uruguaiana, ainda tem a uruguaianense, mas não no auge como era antes, de ter vários jogadores da seleção e disputar finais e tal

  • 10. Zobaran  |  28/01/2011 às 13:45

    Túlio não dominou aquela bola com o braço. Na verdade, aquilo foi a Mão de Nossa Senhora de Aparecida.

  • 11. Cunegundes Gullar  |  28/01/2011 às 14:03

    O TULIO É FODÃO, já comeu muita gente, e ele só joga ainda porque se apóia na giromba pra fazer GOL

    quack

  • 12. Junior  |  28/01/2011 às 14:23

    Recomendo totalmente o livro “Febre de Bola”. Mesmo que alguém não conheça metade dos jogadores citados, é um livro essencial para quem gosta de futebol. Os americanos fizeram um filme idiota sobre o livro, mudando o esporte tema do futebol para o beisebol, mas o pior de tudo é que o filme é uma dessas comédias românticas água-com-açúcar. O filme inglês, que obviamente trata sobre futebol, é 100 vezes melhor.

  • 13. Alexandre N.  |  28/01/2011 às 14:47

    #10

    BWAHAHAHHAHAAHAHAHAHAHAHA… Gênio!

  • 14. CAVEGOL  |  28/01/2011 às 15:10

    OOOOO O CAVEGOL CHEGOU!!!!!

    @cavegol

    twitaço de apoio a contratação do maior centroavante da história recente da Libertadores….

    Todos convocados.

  • 15. matheus  |  28/01/2011 às 15:49

    puta merda, cavegol! kjdkasjdka

    mas enfim, vim aqui só pra pedir um post a respeito da íntima relação de roberto leal com sua purt’guesa. diversos shows e tal e um restaurante. grato.

  • 16. Rudi  |  28/01/2011 às 15:53

    Roberto Leal é inclusive o compositor do hino da Lusa

    mas coisa de não mais de 10 dias saiu uma matéria sobre essa ligação no globoesporte.com

  • 17. matheus  |  28/01/2011 às 16:07

    puta, é mesmo. que maconheiro.

  • 18. Gerhardt  |  28/01/2011 às 23:13

    vagando sem destino fui ver a tabela do gauchao.
    nao da para crer na quantidade de jogos.

    a besta q inventou isso só pode ser jogador de botao.
    mas o q admira mesmo, é todos dizerem amem.

  • 19. Eduardo  |  29/01/2011 às 12:46

    #9 Rudi, cresci vendo (e jogando) futsal (na época futebol de salão) no interior do RS, na região das Missões.
    meu time de campo era o GRÊMIO e torcia para 2 times de salão locais (no clássico citadino, eu torcia contra o time do meu pai – Tamoyo – para ser adolescente rebelde, além das cores do Olímpia serem azuis, é lógico).
    lembro como eram boas as campanhas dos times de lá, fazendo até uma final do estadual (e os 2 times com jogadores DA CIDADE). Numa época de Chinesinho, Ortiz, Murruga(ou Morruga) entre outros se destacando no cenário estadual/nacional.
    hoje em dia, tem um time de campo que dá vontade de chorar. a torcida local (que já é uma meia dúzia, vai e fica com radinho na gaúcha/band/guaíba, ouvindo Grêmio e inter. só corneteia e vibra na hora do gol. como bancar um time desses?

  • 20. Junior II  |  29/01/2011 às 16:04

    Pois eu sou a favor de um campeonato gaúcho com mais datas, além dos atuais participantes deveriam estar no campeonato o Esportivo, o Rio Grande (O vovô do futebol brasileiro), o Glória e Bagé ou Guarany-Bagé, seriam 20 clubes, ao longo de mais tempo, além do Gauchão só acho importante a Libertadores, poderiam acabar com o Brasileiro, deixem só a Copa do Brasil para definir quem vai para Libertadores de forma rápida, sem atrapalhar os estaduais.

  • 21. Anônimo  |  29/01/2011 às 17:07

    Para arrumar o Gauchão é simples. Admito que possa haver soluções idealmente melhores, mas não quero complicar. Pode-se fazer melhor com o que se tem hoje. Assim:

    O campeonato seria disputado por pontos corridos, em turno único, mais uma rodada de clássicos (o que significa DOIS GRE-NAL).

    Teria ao todo 16 datas (SETE a menos que hoje), e todos os clubes fariam 8 jogos como mandantes e 8 como visitantes (neste ano, o Grêmio será mandante de 6 jogos apenas, sem contar as finais; no ano passado, foi o Inter).

    Se fosse assim já em 2011, o torneio começaria em 30/1 e só teria partidas aos domingos, terminando em 15 de maio.

    Como o Internacional teve o Mundial, a solução seria empurrar as partidas das duas primeiras rodadas para 2 e 9 de março (dois meios-de-semana sem Libertadores). A estréia colorada seria apenas em 12/2 (sábado). No domingo, já viajaria para Equador.

    Como o Grêmio tem a Pré-Libertadores, seu primeiro jogo seria transferido para 9/2. A estréia gremista seria em 6/2.

    O campeão gaúcho seria aquele que somasse mais pontos.

    É simples e garante: pré-temporada decente para os grandes; dois Gre-Nal; e Dupla no interior somente aos finais-de-semana.

    O resto do ano, seria assim:

    Um novo torneio seria disputado concomitantemente ao campeonato brasileiro. Os mesmos 16 clubes do Gauchão se enfrentariam em turno-e-returno por pontos corridos (30 datas).

    Fosse disputado este ano, o campeonato iniciaria em 21/5 (os jogos seriam aos sábados). O primeiro turno terminaria em 20 de agosto (haveria uma rodada de meio-de-semana). O segundo seria de 27 de agosto a 26 de novembro (também haveria uma rodada de meio-de-semana).

    As equipes que estão na série A e B teriam que disputá-lo com “times B” (jogos válidos pelo Campeonato Brasileiro de qualquer divisão, exceto os de mata-mata, valeriam também pelo campeonato estadual).

    O rebaixamento seria determinado pela soma dos 46 jogos da temporada (os dois torneios contariam). Os clubes das série A e B nacionais estariam imunes, e os 4 últimos dentre os restantes cairiam para a “Segunda Divisão” estadual do ano seguinte.

    FUTEBOL O ANO INTEIRO!

  • 22. Anônimo  |  29/01/2011 às 17:17

    A sugestão é minha.

    Sanchotene

  • 23. Milton  |  29/01/2011 às 18:18

    Volta com os citadinos, por favor! Menos desgaste com viagens, mais jogos para todos.

  • 24. Anônimo  |  29/01/2011 às 18:37

    A propósito, que história é essa que dividiram os torcedores por calçada na Sarandí?! Colorado não pode tomar um café na City?!

    Sanchotene

  • 25. Gabriel Teixeira  |  29/01/2011 às 20:06

    Carlos Queiroz é o novo técnico do Vasco. Sem mais.

  • 26. Norteña  |  29/01/2011 às 20:30

    O Grenal vale uma caixa da querida Norteña!!!

  • 27. Cícero  |  29/01/2011 às 20:37

    “O TULIO É FODÃO, já comeu muita gente, e ele só joga ainda porque se apóia na giromba pra fazer GOL”

    melhor comentário dele.

  • 28. Celso  |  30/01/2011 às 12:59

    Esse gre-nal é tão importante que a RBS aproveitou o dia para fazer manutenção no seu site de esporte.

  • 29. Serramalte Extra  |  30/01/2011 às 13:14

    hehe e a federação reduziu em 50% o preço do ingresso, e tá dando ingresso um extra pra quem comprou antecipado

  • 30. Guilherme  |  30/01/2011 às 19:29

    Dizem que teve um ano – 2005 – que por incompetência gremista não houve Gre-Nal. Pois nada como um dia após o outro. Se o clássico de hoje, de reservas contra time B, entrar para as estatísticas, então os dois Gre-Nais da Copa Rs de 2005 têm que valer.

    Foi ridículo, acho que foi nas Castanheiras, mas não interessa, Copa FGF é competição oficial e profissional, e não conheço Grêmio Foot Ball Porto Alegrense B, nem tampouco Sport Club Internacional B. O que há são dois clubes, que mantêm mais de um quadro para competições oficiais.

    2005: HOUVE GRE-NAL

  • 31. Guilherme  |  30/01/2011 às 19:30

    Só pra encerrar a série utopias: PEÑAROL X NACIONAL tinham que jogar em Capão da Canoa no verão, e o URUGUAI tem que ser sede do Mundial de 2030. Hay que ser.

  • 32. arbo  |  30/01/2011 às 20:26

    grenal del seculo!
    g r ê m i o

  • 33. Sancho  |  30/01/2011 às 21:22

    iiiiGANAMOS!!!!

    É o que fica. É o que importa.

    Até porque o resto, deu vergonha…

  • 34. Sancho  |  30/01/2011 às 21:23

    Re 31

    AUF e AFA já apresentaram carta de intenções à FIFA para co-sediar a Copa de 2030…

  • 35. Ernesto  |  30/01/2011 às 22:03

    Esse Muriel é lamentável, um retardado.

    Esses dias foi repôr a bola em jogo e chutou nas costas do zagueiro. Hoje, foi até a área adversáriia, quase tomamos o terceiro.

    O gol de falta era totalmente defensável. Lamentável. Até o Cesar Silva fez mais defesas em um grenal, só pra recordar, antes que os otários de plantão venham defender este patife.

  • 36. otário de plantão  |  30/01/2011 às 22:14

    Ele evitou uma goleada hoje, Ernesto

  • 37. Odone  |  30/01/2011 às 22:19

    para o próximo Grenal mandaremos os juniores…

  • 38. Ernesto  |  30/01/2011 às 23:38

    É, evitou uma goleada, duas defesas, numa cabeçada, e outra no primeiro tempo. O resto foi tudo bola em cima dele. Nada mais que obrigação. Mas, já que tu colocaste a carapuça, vai te abraçando nesse raule pra tu ver onde esse time b vai chegar.

    Contra o Inter -SM ele entregou também, mas aí o colorado teve o apito amigo do lado e o juiz anulou aquele gol que ele soltou a bola na cabeça do centroavante.

  • 39. Marciano  |  30/01/2011 às 23:53

    Os terráquios de Porto Alegre, gremistas, vivem dizendo que a imprensa é vermelha. Que engraçado, até o colunista do correio do povo, que em tese seria colorado, diz que o grenal foi ganho com justiça.

    No meu planeta, quando um volante dá aquela rosca na pelota, deixando-a intocável para o centroavante, e o outro juvenil perde um gol cara a cara, se diz que o resultado foi injusto. Vai ver os Marcianos são imparciais e eu não sabia

  • 40. Eduardo  |  31/01/2011 às 00:42

    caros, o jogo foi bom? só consegui ver o resultado.
    mesmo sendo times reserva/B, acho que deve ter sido um jogo interessante, não???

  • 41. Hiltor Mombach  |  31/01/2011 às 02:18

    Caro Eduardo,

    O jogo foi ruim. O Inter perdeu.

  • 42. Pedro  |  31/01/2011 às 10:41

    Cara, é simples: quando o Inter perde pro Grêmio, o reultado foi injusto, quando acontece o contrário foi justo. A lógica dos colorados é sempre essa.

  • 43. Rudi  |  31/01/2011 às 10:55

    Pedro

    sou colorado, ouvi o jogo apenas pelo rádio, talvez minhas impressões sejam distorcidas por isso mas… achei o primeiro tempo bem equilibrado, e no segundo o Renato via sms deu um nó tático no enderson, que não soube mudar o jogo…
    tecnicamente, um-a-um os times até se equivalem, mas a mudança pro losango no meio campo me pareceu fundamental pra prender os laterais fracos do inter e dominar o meio…
    tem gente exaltada dos dois lados, tem gente com a cabeça no lugar dos dois lados, a generalização não faz bem, caro amigo.

  • 44. Carol Moreno  |  31/01/2011 às 20:39

    Matias, um orgulho te ler nesse blog estupendo… Parabéns =)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Subscribe to the comments via RSS Feed


Especial – Libertadores 2011

A bola da ImpedCopa

Toco e me voy

  • 6 meses e 1 dia após o acidente trágico na Colômbia, a Chapecoense acaba de assumir a liderança do Brasileirão pela primeira vez na história 6 hours ago
  • Chapecoense assumindo a liderança do Campeonato Brasileiro. 6 hours ago
  • 2017 e Luxemburgo ainda tem mercado na Série A. 8 hours ago
  • RT @murilobasso: Oito anos hoje. Só restam mais dois para Wianey nos provar que estávamos todos errados: wp.clicrbs.com.br/wianeycarlet/2… 1 day ago
  • Boca em queda livre no Argentino. River, 5 pontos atrás e 2 jogos a menos, podia roubar a liderança. Aí empatou em casa hoje e estragou tudo 1 day ago

Feeds

web tracker

%d blogueiros gostam disto: