As bruxas estão à solta

18/01/2011 at 05:00 48 comentários

O presidente do Barcelona de Guayaquil, Alfonso Harb, encontrou, enfim, uma explicação para o fato de o clube mais popular do Equador não conquistar um título desde 1997: bruxaria. Durante uma coletiva de imprensa no dia 11 deste mês para anunciar a chegada de quatro reforços, Harb revelou aos repórteres que um jardineiro do clube encontrou enterrados no gramado do estádio Monumental Isidro Romero Carbo uma garrafa de vinho (ou de licor, segundo algumas fontes) com um líquido fétido e um boneco vestido com as cores do Barcelona (amarelo e preto) cravado de alfinetes. Nenhum de nós crê em bruxas, claro, mas que no futebol sul-americano elas existem, ah, elas existem.

Surgiram várias teorias sobre quem teria enterrado o boneco e a garrafa de vinho no gramado do estádio do Barcelona. Em uma delas, o autor da bruxaria seria o camaronês Cyrille Makanaky, que atuou no clube equatoriano entre 1994 e 1995 e depois entre 1996 e 1997, ano da última conquista dos Canarios. Seria uma vingança do camaronês por conta de salários atrasados. O mesmo motivo que teria levado, segundo outra teoria, um grupo jogadores que deixaram o clube no final da década de 1990 (no qual Makanaky não estaria incluído) a praticar a bruxaria. Por via das dúvidas, o presidente do Barcelona concedeu a entrevista coletiva segurando um quadro da Virgen Dolorosa (Nossa Senhora das Dores) e mandou fazer uma limpeza geral no estádio.


In Virgin we trust

As declaracões de Alfonso Harb causaram diversos comentários, dos sarcásticos e debochados dos torcedores riviais às sérias análises de parapscicólogos e outros entendidos das artes da feitiçaria. Já o prefeito de Guayaquil e torcedor do Barcelona, Jaime Nebot, mandou um recado ao presidente barcelonista: “A Virgem não vai fazer gols”. O treinador dos Canarios, o argentino Rubén Insúa, também não teme o poder das feitiçarias. “Respeito as crenças, mas essas coisas não afetam o rendimento da equipe.”

Não é a primeira vez, claro, que surgem histórias de bruxaria e maldições no futebol sul-americano. Um dos casos mais antigos é a “Maldição do Garabato” imposta ao América de Cali quando o clube abandonou o amadorismo em 1948. O dentista Benjamín Urrea, o Garabato, um dos fundadores do clube, opunha-se à transição para o profissionalismo e foi afastado da direção dos Diablos Rojos. Em 1979, ainda com o América virgem em títulos nacionais, Garabato contou ao jornal El Colombiano que: “Cuando me sacaron a patadas, luego de haber servido tanto al equipo, me fui a una cantina que llamaban ‘El Hoyo’, ubicada en la carrera 3ª Con calle 17 y en medio de mujeres de vida alegre, me puse a tomar trago y procedí a coger una botella de aguardiente, la apreté y la llevé en las manos hasta la parte final de la espalda y uno a uno maldije a los jugadores y directivos del América. La maldición cayó sobre el equipo, porque nunca jamás pudo ser campeón…”


O
muy amigo Garabato, que rogou praga no seu
próprio time

O assunto foi levado tão a sério que, naquele mesmo ano da entrevista, Garabato e os dirigentes do América assinaram, no gramado do estádio Pascual Guerrero, um documento no qual oficialmente foi posto um fim à maldição. Ainda em 1979, depois de 31 anos em branco na liga profissional da Colômbia, os Diablos Rojos conquistaram seu primeiro título nacional. Para assegurar que a praga tinha mesmo ido embora, no ano seguinte o jornalista Rafael Medina e o cantor Antonio del Vilar fizeram um ritual no centro do estádio para exorcizar de vez a maldição. Deu certo, e o América conta hoje com 13 conquistas do Campeonato Colombiano. Garabato, porém, morreu em 5 de janeiro de 2008 sem conseguir ver seu time do coração ser campeão da Libertadores, depois de quatro finais perdidas (1985, 1986, 1987 e 1996). Para alguns, é a prova de que a maldição não desapareceu por completo.

A Bruxa de Chascomús

Outro caso bastante conhecido é o de Dora, a Bruxa de Chascomús, cuja praga teria impedido o Quilmes de chegar à primeira divisão argentina durante 10 anos. A história começa em 1994, quando o Quilmes brigava com o Gimnasia de Jujuy pelo acesso, e os dirigentes do Cervecero resolveram pedir uma ajuda a Dora, famosa vidente e feiticeira do município de Chascomús, na província de Buenos Aires. Ela exigiu que fosse pago como adiantamento metade do valor total de 4 mil pesos que custaria o trabalho de fazer o Quilmes ganhar e o rival perder. Com a grana em mãos, previu a derrota do Gimnasia no jogo seguinte por 3 a 0. Dito e feito: Douglas Haig 3 a 0 no Gimnasia.

A bruxa foi, então, a Quilmes cobrar a outra metade de seu pagamento. No entanto, o jogo do Quilmes com o Morón naquela rodada foi adiado, e os dirigentes do clube decidiram não pagar Dora enquanto o time não jogasse e vencesse aquela partida. A bruxa de Chascomús jurou lançar uma maldição sobre o Cervecero. Uma semana depois, o Quilmes entrou em campo para enfrentar o Morón. Vencia por 2 a 1, desperdiçou um pênalti e perdeu, em casa, por 3 a 2. Nas três rodadas finais, o Quilmes somou apenas dois pontos, e o Gimnasia garantiu o primeiro lugar e o acesso direto à elite. O Quilmes foi aos play-offs e perdeu para o Instituto de Córdoba, assim como perderia mais três play-offs de acesso até 2001, para Huracán, Los Andes e Belgrano.


O lugar que aterrorizou a hinchada cervecera durante uma década

Em 2002, com o Quilmes fazendo novamente boa campanha na segunda divisão, os mesmos dirigentes de 1994 resolveram procurar Dora para fazer o pagamento e acabar com a maldição. Mas chegaram tarde: a bruxa já havia morrido. Foram ao cemitério onde ela estava enterrada e deixaram um ramo de flores em seu túmulo. Não deu certo, e o Cervecero perdeu para o Atlético Rafaela nos play-offs. Mais tarde, descobriu-se que as flores foram depositadas no túmulo errado. Desesperado, um torcedor do Quilmes foi até o cemitério, encontrou o túmulo correto e prometeu diante dos restos mortais da bruxa colocar o nome Dora na filha caso a maldição acabasse. A menina nasceu durante a boa campanha do Quilmes na temporada 2002-2003 e foi batizada Dora. Em julho de 2003, o Cervecero bateu o Argentinos Juniors nos play-offs e finalmente chegou à primeira divisão, depois de manter-se invencível dentro de casa durante oito meses. Quase o mesmo tempo que dura uma gestação.

Felipe “Catarina” Silva

Anúncios

Entry filed under: Nacionais, Pela América.

O inalienável direito de delirar O coração dentro da gaveta

48 Comentários Add your own

  • 1. Sancho  |  18/01/2011 às 07:04

    Adoro essas histórias. No beisebol americano tem várias. Algumas acabaram na década passada, mas os torcedores do Cubs, que esperam um título desde 1908, acreditam que a seca tem a ver com uma cabra que foi proibida de entrar no Wrigley Field…

  • 2. Caco  |  18/01/2011 às 07:35

    Sensacional!
    Parabéns, Felipe. É um baita texto, e uma baita pesquisa (fontes?). Pode pedir a renovação de contrato agora.
    Só o futebol sudamericano pra nos dar histórias como essas.

  • 3. Flávio  |  18/01/2011 às 08:02

    No futebol brasileiro, a maldição mais famosa é a do Sapo de Arubinha do Vasco.

  • 4. Fabricio Grzelak  |  18/01/2011 às 08:32

    Existe uma história que no estádio do café em Londrina/PR existe um bode enterrado…..

  • 5. Felipe (o catarina)  |  18/01/2011 às 09:19

    #2

    obrigado pelos elogios.

    Fontes: Olé, El Universo, El Deber, La Voz de Jujuy, site Ecuavisa, site Hincha Amarillo, Wikipédia, El Colombiano, Colombia.com, Fifa.com, Diário-Extra, RSSSF… tentei cruzar as informações em vários sites, sempre tentando ver aqueles em que os textos não eram cópia de outros. Mas, é claro, em casos de histórias como essas não dá pra querer ser muito rigoroso em apurar veracidade dos fatos já que, em essência, eles não são verdadeiros (bruxaria não existe, todos sabemos).

    As histórias, no entanto, são riquíssimas e com certeza aumentadas ao longo do tempo e publicadas em veículos da mais alta credibilidade como se fossem a versão mais fiel dos fatos. Faz parte.

    #3

    tem também a maldicão do Náutico, que só voltou a ser campeão depois de pagar uma dívida com um pai-de-santo. E o União Rondonópolis (MT) não pagou uma dívida com uma antiga lavadeira e foi vice-campeão 10 vezes antes de finalmente conseguir ganhar seu primeiro título. Mas sem pagar a lavadeira, que já havia morrido.

    Além dessas histórias, tem também uma que envolve o clássico de La Plata, sobre sementes enterradas no campo do Gimnasia que fizeram com que o Lobo não perdesse mais pro Estudiantes, mas as informações eram muito desencontradas e, como o texto ia ficar muito grande, achei que esses dois, do Garabato e da Bruxa de Chascamús, eram mais interessantes.

    #4

    tem também a história do TRATOR enterrado no Canindé. Mas é lenda, claro…

  • 6. gilson  |  18/01/2011 às 09:28

    A estória do Canindé, DIZEM, é verdade sim, mas o tratores teriam sido resgatados.

  • 7. Jader Anderson  |  18/01/2011 às 09:30

    QUE BAITA TEXTO.

    Isso que diferencia nosso futebol… as historias da mística haehehaheaheahea

  • 8. MARCELO BENVENUTTI  |  18/01/2011 às 10:02

    No Inter diziam ter a maldição da Terezinha Morango, que certo dia doente não foi atendida por dirigentes colorados e gremistas a ajudaram. Desde aquele dia virou gremista e rogou uma praga para que o Inter não ganhasse nada. Coincidiu com os anos 90 se não tô enganado. Da mesma época teve uma amarração do time do Bahia na final de 1988 do Brasileirão que dizem ter amarrado o Inter pr mais de uma década. Em contrapartida o BaDiziam ter um sapo enterrado embaixo de uma das goleiras do Beira também. hia teria pago com a deacdência até a Série C por conta disso. Tem outras. Essas lembrei de cabeça agora.

  • 9. Rudi  |  18/01/2011 às 10:02

    Tem as famosas balas de mel pra deixar o grêmio preso e doce, num grenal, acho que em 97…

  • 10. MARCELO BENVENUTTI  |  18/01/2011 às 10:09

    meu texto saiu truncado, mas, é isso daí. Tem muitas crendices envolvendo até Gauchões. E, claro, tem o Bahia nesse lance todo. O texto tá muito preza.Só a história do Quilmes já vale. Proponho um sobre os bruxedos no futebol nacional e outro no gaúcho.

  • 11. Prestes  |  18/01/2011 às 10:15

    Genial!

  • 12. Wenderson  |  18/01/2011 às 10:29

    Gostei das tetecas ali atrás.

  • 13. Flávio  |  18/01/2011 às 10:31

    Também tem o Pai Rogério de Ogum, eterno conselheiro do Luxemburgo. E o Pai Santana, lendário massagista do Vasco nas antigas.

  • 14. Luís Felipe  |  18/01/2011 às 11:00

    sensacional, catarina. Grande histórico.

    o LaRedó considerava a derrota para o Douglas Haig uma das 10 maiores humilhações do Gimnasia. Não sabia que tinha esse histórico de bruxaria.

  • 15. Vizzotto (Goleiro)  |  18/01/2011 às 11:50

    PQP!!! Que a fudê essa pesquisa.
    Parabéns, Felipe!!
    Dubaralho!!!

  • 16. Ernesto  |  18/01/2011 às 11:58

    Texto bom, ainda mais partindo do maior oportunista do RS, que dizia que a praga do “MAZEMDAY” era o fechamento da coréia.

  • 17. Gerhardt  |  18/01/2011 às 12:06

    Felipe, da onde vc tirou isso? (bruxaria não existe, todos sabemos).
    Alguns tem mais de 5 sentidos e muito poucos podem ver a malha q contorna o mundo hehe.

    Mas reconheço que no campo esportivo fica mais difícil de aplicá-la. Teria que haver um conjuntura formidável de destinos e características em comum, entre muitas pessoas.

    Mas descarte-se o termo “impossível”.

  • 18. J Petry  |  18/01/2011 às 12:10

    Ernesto (verdadeiro ou falso?), o texto é do Felipe Catarina!

  • 19. rafael botafoguense  |  18/01/2011 às 12:36

    MALDIÇÃO DE CRICIÚMA

  • 20. Felipe (o Canoense)  |  18/01/2011 às 13:38

    Minha avó “amarra” as pernas dos jogadores adversários, com um lenço daqueles de caixinha!!! Diz ela que só funciona quando tá escutando o jogo pelo rádio na Guaíba… pela televisão corta a secação!

    Véia macumbeira…

  • 21. douglasceconello  |  18/01/2011 às 14:17

    Muito massa este texto, Felipe. Minhas FELICITAÇÕES.

    Reparem que o pessoal do Barcelona posa pra foto com a VIRGEM, mas tem umas PERVA ali atrás e umas garrafas de trago em cima da mesa.

    É muito SINCRETISMO.

  • 22. arbo  |  18/01/2011 às 14:26

    afudê, mc cata

  • 23. emedinapf  |  18/01/2011 às 14:42

    Belo texto o indicado pelo Rafael (#19).

  • 24. Junior  |  18/01/2011 às 15:04

    Gostei dessa definição do velhinho torcedor do América de Cali: “mujeres de vida alegre”

  • 25. Anônimo  |  18/01/2011 às 15:31

    Nada a ver com o bom texto do Catarina, mas a coluna do Grêmio no BloGreNal já está disponível para leitura:

    “PRÉ-TEMPORADA QUE VALE”, em http://grem.io/VCbAU

    Sanchotene

  • 26. matheus  |  18/01/2011 às 16:19

    porra, sensacional

  • 27. JB  |  18/01/2011 às 17:07

    Alguma de Floripa, Felipe?

  • 28. Gabriel R.  |  18/01/2011 às 19:01

    http://globoesporte.globo.com/platb/overtime/2011/01/18/nunca-brigue-com-um-urso/

    hksjgksjhg

    muito bom!

  • 29. Anônimo  |  18/01/2011 às 19:17

    Renato disse que não vai à Rivera. Sinto o cheiro de represália do Grêmio pela redução das cotas…

    Sanchotene

  • 30. Felipe (o catarina)  |  18/01/2011 às 20:32

    #27

    de Florianópolis não lembro. Tem uma em Itajaí. No estádio do Marcílio Dias (que é da prefeitura, na verdade) tem um busto em homenagem ao Marcílio Dias, marinheiro gaúcho considerado um dos “heróis” da Guerra do Paraguai. Acontece que muitos torcedores do Marcílio acham que o busto trouxe mal agouro pro clube, que é o mais antigo em atividade na primeira divisão (1919) mas só foi campeão estadual uma vez, em 1963, e vice-campeão oito vezes.

    O texto abaixo fala sobre essa maldição do Marcílio Dias. Destaquei os melhores trechos em negrito.:

    A superstição começou durante o Catarinense de 1981, na época o busto ficava atrás do gol, de frente para o campo. Em uma partida em casa, o centroavante Caíco marcou um gol e comemorou beijando a escultura do marinheiro. Depois daquele dia, Caíco não voltou a marcar gols pelo rubro-anil. Foi então que os torcedores começaram a pedir para a diretoria retirar o busto do campo e colocá-lo de costas para o gramado. Há quem garanta que o marinheiro seca o time.

    — Ele (o busto) não pode assistir ao jogo, quando colocamos óculos ou venda nos olhos dele o Marcílio joga bem, mas quando não tapamos os olhos e ele assiste ao jogo, o time sempre perde — afirma o torcedor Antônio Carlos dos Santos, que acompanha o Marcílio há 30 anos.

    Em 1982, a escultura foi deslocada para a entrada do estacionamento do estádio, mas permaneceu virada de frente para o campo. Depois disso, o busto de Marcílio Dias já mudou de local pelo menos três vezes, mas em todas virado de frente para o campo. Desde 2003, a escultura permanece ao lado da secretaria do clube, e foi colocada de perfil para o campo.

    — O busto tem que ficar na entrada do estádio, de frente para a rua, para dar as boas vindas para o torcedor e de costas para o campo, para não ver o jogo — sugere Santos, que disse brigar com a escultura quando o rubro-anil perde o jogo.

    O ex-goleiro Mauro Ferreira, que fez história no Marcílio e defendeu o clube por nove anos (1981 a 1990), participou de toda a trajetória do chamado “mito do busto”. Para ele, a superstição faz parte da vida do clube de Itajaí, mas não interfere nos resultados do time dentro de campo. Mauro sustenta a afirmação com um exemplo de sucesso:

    — O Levir Culpi começou a carreira de treinador no Marcílio Dias. Em 27 março de 1988, o nosso time foi campeão do primeiro turno do estadual e o Levir tirou uma foto apoiado no busto de Marcílio Dias (a foto foi publicada na Revista Placar de 15 de abril de 1988). Hoje ele é um treinador de muito sucesso e competência _ argumenta.

    Superstição ou não, a verdade é que o torcedor marcilista nunca comemorou um título em casa. As últimas conquistas do rubro-anil foram a Copa Santa Catarina e a Recopa Sul-Brasileira, em novembro e dezembro do ano passado, ambas conquistadas fora do Estádio Hercílio Luz e bem longe dos olhos da escultura do marinheiro. Um bom desempenho na Série C pode ser o fim do mito do busto secador. É aguardar para ver o desempenho do Marcílio Dias na competição.

    Quem foi

    Marcílio Dias nasceu em 19 de março de 1838 em Rio Grande (RS). Foi um marinheiro da Armada Imperial brasileira. Sagrou-se herói na Batalha Naval do Riachuelo, em 11 de junho de 1865, no início da Guerra da Tríplice Aliança, quando a corveta Parnaíba foi abordada por três navios paraguaios. Marcílio Dias travou uma luta corpo a corpo contra quatro inimigos, matando dois deles, mas foi ferido. Ele morreu no dia seguinte ao confronto, em 12 de junho de 1865, aos 27 anos. O marinheiro foi sepultado com as honras do cerimonial marítimo nas próprias águas do Rio Paraná, nas proximidades da cidade de Corrientes, na Argentina, em 13 de junho de 1865.

  • 31. Felipe (o catarina)  |  18/01/2011 às 20:33

    *MAU agouro…

  • 32. Felipe (o catarina)  |  18/01/2011 às 20:38

    ah, e tem a MALDIÇÃO DO LULA:

    1 – SÃO PAULO 2003 – No dia 17 de março de 2003, Lula ganhou uma camisa do clube tricolor depois de o time apoiar a campanha Fome Zero. Logo depois, os são-paulinos foram vice-campeões paulistas ao perderem a final para o Corinthians e foram eliminados da Copa do Brasil pelo Goiás.

    2 – FLAMENGO 2004 – No dia 6 de janeiro de 2004 o petista recebeu Márcio Braga, então presidente do time rubro-negro, e vestiu a camisa flamenguista. Alguns meses depois a equipe carioca foi derrotada na final da Copa do Brasil para o Santo André em pleno Maracanã.

    3 – GUSTAVO KUERTEN 2004 – O tenista presenteou o político com uma raquete em 3 de dezembro. Nunca mais venceu um torneio profissional.

    4 – INTERNACIONAL 2005 – O presidente ganhou uma camisa do clube colorado em 5 de abril. Nesse mesmo ano, o time gaúcho chegou a liderar o Campeonato Brasileiro quando onze jogos foram anulados pelo escândalo de arbitragem. Resultado: o Inter teria sido campeão sem a anulação. Ficou com o vice.

    5 – CORINTHIANS 2006 – O petista foi ao Parque São Jorge para inauguração do Memorial do clube, no dia 27 de janeiro, e posou para fotos com uma camisa corintiana que recebeu de presente. Em seguida, a milionária equipe da MSI ficou em sexto no Paulista e foi eliminada nas oitavas de final da Copa Libertadores pelo River Plate.

    6 – SELEÇÃO E ROBERTO CARLOS 2006 – Em 20 de maio de 2006, Lula recebeu o lateral – o único atleta que disputaria a Copa daquele ano a visitar o político – e ganhou uma camisa autografada do Brasil. Pouco depois, a Seleção foi eliminada pela França. Roberto Carlos foi apontado como um dos culpados pela queda, já que seria o responsável pela marcação do atacante Henry, autor do gol.

    7 – POPÓ 2006 – Em 8 de fevereiro o presidente ganhou luvas de presente de Popó. Depois disso, o lutador perdeu o cinturão de campeão mundial dos pesos leves pela WBO e nunca mais venceu uma luta importante.

    8 – RACING-ARG 2006 – O presidente visitou a Argentina em 25 de abril. Na ocasião, ele ganhou do então presidente Nestor Kirchner uma camisa do Racing. No mês seguinte o clube quase caiu para a segunda divisão do campeonato local, ficando em 18º em um torneio com 20 participantes.

    9 – INTERNACIONAL 2007 – Após o clube gaúcho ser campeão do mundo em 2006, o deputado Beto Albuquerque presenteou Lula com uma camisa da equipe colorada. Meses depois, o time foi eliminado já na primeira fase da Copa Libertadores e o arqui-rival Grêmio ficou com o título estadual.

    10 – CORINTHIANS 2007 – Em 23 de fevereiro de 2007, os presidentes do clube alvinegro (na época, Alberto Dualib) e do Brasil se encontraram e posaram para fotos com a bandeira do time paulista. Meses depois a equipe seria rebaixada para a Série B pela primeira vez em sua história.

    11 – BOTAFOGO 2007 – Bebeto de Freiras, então presidente do clube, visitou o Palácio do Planalto para falar com Lula antes da semifinal da Copa do Brasil contra o Figueirense. Os botafoguenses foram eliminados após dois gols anulados pela assistente Ana Paula de Oliveira.

    12 – FIGUEIRENSE 2007 – Em visita ao estado catarinense, Lula ganhou uma camisa do Figueirense no dia 8 de maio. No mês seguinte o clube foi derrotado na final da Copa do Brasil pelo Fluminense.

    13 – SELEÇÃO E RONALDINHO 2007 – No dia 1 de junho de 2007, o Brasil empatou com a Inglaterra por 1 a 1. Antes da partida, Lula cumprimentou o atual camisa 80 do Milan. Depois, a Seleção apenas empatou com a Turquia e perdeu para o México. Duas vezes melhor do mundo, Ronaldinho nunca mais foi o mesmo.

    14 – BOTAFOGO 2007 PARTE II – O volante Túlio, então no clube carioca, deu uma camisa da equipe durante cerimônia de assinatura do decreto que regulamentava a Timemania. O time botafoguense era o terceiro colocado no Brasileiro e lutava pelo título. Acabou o ano em nono e foi vice carioca no ano seguinte.

    15 – MÉXICO 2007 – Em 6 de agosto de 2007, o presidente mexicano Felipe Calderón presenteou o brasileiro com uma camisa da seleção local. Resultado: o México perdeu para a Colômbia por 1 a 0, para o Brasil por 3 a 1, para a Guatemala por 3 a 2, empatou com a Nigéria por 2 a 2, venceu o modesto Panamá por apenas 1 a 0 e depois ainda perdeu para o Paraguai por 1 a 0.

    16 – PONTE PRETA 2008 – O clube ia enfrentar o Palmeiras na final do Paulista daquele ano. Corintiano, Lula recebeu uma camisa da equipe campineira no dia 25 de abril e declarou sua torcida pelo time do interior paulista na decisão. Placar final: Palmeiras 5 x 0 Ponte Preta.

    17 – CORINTHIANS 2008 – O clube alvinegro tinha vencido o Sport por 3 a 1 no primeiro jogo da final da Copa do Brasil e poderia perder por até um gol de diferença na partida de volta, quando Lula declarou que ia ver o jogo e torcer pelo título corintiano. Resultado: 2 a 0 para os pernambucanos e Sport campeão.

    18 – VASCO 2008 – Em 4 de julho de 2008, Lula recebeu Roberto Dinamite, presidente do Vasco. O azar do político levou mais uma vítima para a segunda divisão meses depois, quando o clube carioca foi rebaixado pela primeira vez na sua história.

    19 – FLUMINENSE 2008 – Lula visitou, no dia 23 de junho daquele ano, as Laranjeiras e ganhou uma camisa do time tricolor carioca. Dias depois, o Flu – que tinha a melhor campanha da Libertadores até então – perdeu a final para a LDU em pleno Maracanã, nos pênaltis.

    20 – SELEÇÃO DE VÔLEI 2008 – Antes imbatível, a Seleção Brasileira masculina perdeu o título da Liga Mundial depois da visita de Lula.

    21 – SELEÇÃO DE VÔLEI 2008 PARTE II – O presidente visitou a Vila Olímpica de Pequim, posou para fotos com o time de vôlei e afirmou que gostaria de assistir a uma partida. No mesmo dia, Bernardinho discutiu com Gustavo durante um treino e logo depois a Seleção ficou com a prata.

    22 – DIEGO HYPOLITO 2008 – Ainda nos Jogos Olímpicos de Pequim, Lula levou um pouco de sua sorte ao maior favorito brasileiro. Resultado: o ginasta se esborrachou no chão e voltou para casa sem nenhuma medalha.

    23 – KAKÁ 2008 – Melhor do mundo no ano anterior, o meia visitou o presidente Lula para dar um presente: uma camisa do Milan com seu nome. Kaká não repetiu as boas atuações que lhe renderam o título na temporada seguinte, se transferiu e foi criticado no Real Madrid. Especula-se que sofre de uma pubalgia crônica.

    24 – GRÊMIO 2008 -O time gaúcho liderava o Campeonato Brasileiro quando em 6 de novembro Lula ganhou uma camisa do clube ao receber o projeto da construção do novo estádio gremista. O São Paulo acabou sendo o campeão daquele ano e o time do Sul, vice.

    25 – FLUMINENSE 2009 -No dia 3 de fevereiro Lula passou mais uma vez pelas Laranjeiras e ganhou outra camisa do Flu. Logo depois, a equipe tricolor sofreu uma derrota inacreditável quando vencia o Duque de Caxias por 2 a 0 e levou três gols nos últimos 15 minutos.

    26 – INTERNACIONAL 2009 – O presidente do Brasil ganha uma camisa do centenário do time colorado com o número 100 nas costas no dia 12 de janeiro. O Inter só consegue conquistar o Campeonato Gaúcho, perde na decisão da Copa do Brasil e é vice do Brasileiro.

    27 – CORITIBA 2009 – O petista participou de seu terceiro rebaixamento depois que esteve com dirigentes do clube paranaense no dia 17 de setembro, no Aeroporto Afonso Pena para o pré-lançamento das medalhas comemorativas. O time alviverde caiu para a Série B, não ganhou o Paranaense e destruiu o estádio depois do rebaixamento.

    28 – FORTALEZA 2009 – Pela quarta vez o pé-frio de Lula aparece com um rebaixamento. No dia 15 de março de 2009, o presidente do conselho do Fortaleza, Jorge Mota, entregou uma camisa oficial do clube ao presidente. No mesmo ano, o time caiu para a Série C.

    29 – CHELSEA E FELIPÃO 2009 – No dia 18 de agosto de 2008, Lula recebeu o então técnico do Chelsea, Luiz Felipe Scolari, em Brasília. Presenteado com a camisa do clube inglês, Lula agradeceu. Felipão saiu de Londres sem um único título e o Chelsea ainda não conquistou a sua tão sonhada Liga dos Campeões.

    30 – BOCA JUNIORS 2009 – O presidente foi presenteado com a camisa autografada pelos jogadores logo depois de um almoço no Palácio San Martín, em Buenos Aires. No mesmo dia a equipe perdeu para o Cuenca, do Equador, por 1 a 0. Sua sorte é que já estava classificada, mas a maldição de Lula foi mais forte e o time argentino – que não perdia um jogo de Libertadores em casa há seis anos – foi eliminado pelo modesto Defensor, do Uruguai, em plena La Bombonera.

    31 – CORINTHIANS 2009 – Após o título da Copa do Brasil o elenco todo do Corinthians foi visitar Lula no dia 2 de julho. Menos de um mês depois o clube anunciou a venda de três de seus principais jogadores – André Santos, Douglas e Christian – e ficou em décimo no Brasileiro.

    32 – FLAMENGO 2009 – O time rubro-negro foi visitar o presidente após a conquista do Campeonato Brasileiro. Depois disso, não conseguiu ser campeão carioca, título que faturava há três anos consecutivos, e caiu na Libertadores diante do Universidad de Chile.

    33 – CORINTHIANS 2010 – O petista ganhou uma camisa do time relativa aos seus 100 anos no dia 23 de dezembro 2009. O time não passou nem pelas oitavas da Copa Libertadores e sequer se classificou às semifinais do Paulista.

    34 – PALMEIRAS 2010 – Durante um discurso de Dilma Roussef, no dia 10 de abril, um torcedor pediu a Lula para assinar uma camisa do time alviverde. O autógrafo do presidente ocorreu justamente dias antes dos palmeirenses serem eliminados pelo Atlético-GO na Copa do Brasil.

    35 – MARCELINHO CARIOCA 2010 – Última vítima da “maldição de Lula”, o ex-jogador presenteou o presidente com a camisa 100 do Corinthians. Alguns meses depois foi eliminado da Dança dos Famosos do programa Domingão do Faustão.

  • 33. Francisco Luz  |  18/01/2011 às 21:01

    Que post sensacional, Catarina. Parabéns.

  • 34. Carcereiro-SC  |  18/01/2011 às 21:02

    Lula molusco>>>>>>>>>> Mick Jagger

  • 35. Carcereiro-SC  |  18/01/2011 às 21:06

    Por essas e outras, sou contra dar camiseta do time do coração para políticos, celebridades e afins, só para promover o clube… garanto que depois que a imprensa sai a camisa para na mão do segurança, dos puxa-sacos, dos papagaios de pirata….

  • 36. Michel  |  18/01/2011 às 21:28

    Texto muito bom!

  • 37. Norteña  |  18/01/2011 às 21:29

    E qual maldição colocaram no meu Gremio que não ganha mais nada….

  • 38. gilson  |  18/01/2011 às 21:36

    #32 mais um fato que comprova que a utilidade do Barba é só ser presidente mesmo 🙂

  • 39. Eduardo  |  18/01/2011 às 21:48

    me fui a una cantina que llamaban ‘El Hoyo’, ubicada en la carrera 3ª Con calle 17 y en medio de mujeres de vida alegre, me puse a tomar trago … MESTRE!!!!

  • 40. Eduardo  |  18/01/2011 às 21:49

    aliás, aquela praga no MAZEMDAY, dos 11 jogadores fechando o GOL, precisa RESULTAR em 16 anos de falência colorada hehehe
    se a praga do Bahia pegou, imagina uma vindo diretamente da Mama África?

  • 41. douglasceconello  |  18/01/2011 às 23:12

    O problema do Grêmio é o dente que eu arranquei, pintei de azul e enfiei no bucho de uma preá, a QUAL joguei num bueiro da Ipiranga.

    O time só voltará a vencer quando fizerem uma NECROPSIA na preá, que já deve ter feito uma viagem subterrânea até o PINHAL, resgatarem o dente e entregarem para o Renato Portaluppi dentro de uma caixa de FERRERO ROCHER.

    ahsudahs

  • 42. col  |  19/01/2011 às 00:25

    Como diria o Fausto Silva…oh loco meu. Baita post.

  • 43. fino  |  19/01/2011 às 02:59

    la ponta, cade, su?

  • 44. Carlos  |  19/01/2011 às 10:41

    Tem uma q já contei aqui, do esposo da prima da minha coroa…o qual chamo de tio…gente finissima, grosso de bagé…
    Jogava ele no guarany nos idos de sei lá qdo (lá pelos anos 60, talvez)…
    Ele não curtia, mas viajavam sempre com eles uns negão batuqueiros…
    No primeiro jogo, trabalho dos negão…pimba, ganharam…segundo, terceiro…tudo dando certo…
    Certa feita foram jogar em Caxias…e os negão junto no onibus…
    Saíram do hotel na noite pra ir ao estádio do caxias…pra fazer o trabalho…fizeram tudo certinho e tal…voltaram pro hotel e comunicaram…”pessoal, tudo certinho…amanhã é vocês na fita”…
    Cai uma chuvarada do cacete na madrugada…….

    Jogaram no outro dia….perderam…2×1…..dae chegaram nos negões…”tá, e ae? não era infalivel o troço?”

    Um deles se vira e só fala pro colega do meu tio….”pois é….moiô, faiô”

  • 45. Marcel Moreno (ex-TMdaC)  |  19/01/2011 às 13:53

    O Xuxu pediu pra que quando ele morrer ser cremado e tocarem as cinzas dele no campo do Grêmio (resta saber se vai ser no Olímpico ou na Arena…).

    Diz ele que serão 30 anos em que o Grêmio só vai se foder!

    Huauhauhauhuhauha!

  • 46. Fernando Cesarotti  |  20/01/2011 às 23:26

    Genial o texto. Essa história do Marcílio Dias tem alho parecido no campo da Ponte, onde tem um busto do Moisés Lucarelli que ficava de costas pro campo, passou a “Ver” os jogos numa fase ruim, deu sorte mas depois foi virado de novo, depois tirado de campo, recolocado, hoje não sei como está…

  • 47. zeca  |  21/01/2011 às 07:55

    tem aquela lá da lavadeira do operario do mato grosso.

  • 48. Ícaro  |  26/01/2011 às 01:45

    Zeca, não é do Operário, é do União de Rondonópolis

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Subscribe to the comments via RSS Feed


Especial – Libertadores 2011

A bola da ImpedCopa

Toco e me voy

  • Mazzola fez o 1º e o 3º gols brasileiros na estreia de 1958, nos 3x0 sobre a Áustria. O outro foi de Nilton Santos. youtube.com/watch?v=-4cOwI… 12 minutes ago
  • Num tempo em que sair do Brasil equivalia a morrer para a Seleção, Mazzola acabou jogando a Copa de 1962 pela ITÁLIA. (na época, podia) 13 minutes ago
  • Mazzola, que era do Palmeiras, iria para o Milan depois daquilo. Em 1963, se tornaria um dos primeiros brasileiros a ser campeão da Europa. 14 minutes ago
  • Hoje é aniversário de 79 anos de José Altafini, o Mazzola, autor do 1º gol da campanha do 1º título mundial do Brasil, em 1958. 14 minutes ago
  • RT @ophilsantos: @impedimento Técnico não resolve tudo sozinho, e tomamos um Red Bull estragado, que só dá uma asa. MAS AGORA A GENTE CHE… 45 minutes ago

Feeds

web tracker

%d blogueiros gostam disto: