Retrospectiva 2010: O buldogue, o coringa, o mito

02/01/2011 at 05:00 48 comentários

Publicado originalmente em 1º de outubro de 2010

Na segunda um dos maiores pequenos clubes da história do futebol mundial completou 100 anos de idade, com um rol de títulos que pouco condiz com o tamanho do bairro de Liniers, onde foi gerado. O Vélez Sarsfield, um dos clubes mais importantes da história da Argentina, completou um glorioso século, e é baseado nisso que o Impedimento faz essa singela homenagem ao lembrar de um dos seus maiores ídolos: José Luís Chilavert.

O Vélez tem uma história de bairro, com rivais de bairro e pensamentos de bairro, como muito bem descreveu Vitor VEC ainda no velho Impedimento. Criado por italianos, de tal sorte que carrega em alguma das suas reservas uma camiseta com as cores da Itália (que parecem ser do Fluminense) e nas suas titulares a azzurra, foi um descendente de italianos que deu ao Vélez uma das maiores glórias da sua história: Carlos Bianchi, o Virrey, foi o artífice do título conquistado pelo clube em 1969, campeão e artilheiro do campeonato. Quase não era careca naquela época, mas faltava pouco.

Quando Bianchi voltou para as hostes do Fortín José Amalfitani com o objetivo de levar o clube a mais algumas glórias, encontrou sob as redes um maluco. Que estreou no Sportivo Luqueño com 15 anos de idade e um pouco menos do que os 1,90 que carregaria pelo resto da vida adulta. Que aos 19, foi campeão do campeonato paraguaio pelo Guaraní, e um ano depois chegaria ao San Lorenzo, onde passaria três anos de sua carreira, socando goleiros adversários, tentando cobrar faltas sem sucesso, brigando com árbitros.

“Nem todos podem ser goleiros. Dizer que eles estão lá para parar os gols é uma visão negativa, errada. O Brasil de 1982 era um grande time, mas tinha Valdir Peres. Cada vez que um time chegava no gol, marcava”

Quando chegou no Vélez Chila tinha dois gols marcados em sua carreira. O primeiro, contra a Colômbia, de pênalti, pelas eliminatórias sul-americanas de 1989, contra René Higuita.

No segundo, nos tempos de Zaragoza, levou um gol do meio campo enquanto fazia o sinal da cruz. Não teve outra oportunidade de cobrar.

O Zaragoza queria repassá-lo para alguém, o San Lorenzo não topou. Topou o Vélez de Luján Manera, em 1992, onde começaria a época mais consagrada de sua vida. A primeira conquista foi a extinta liguilla pré-Libertadores, a mesma que remanesceu no Uruguai até o ano passado. Após uma série de boas campanhas nos campeonatos, terminando em terceiro e em segundo no último de 1992, o Vélez resolve mandar embora Manera e contratar Carlos Bianchi, então um ídolo cujo trabalho como treinador era desconhecido. Bianchi só teve passagens por clubes pequenos da França antes de pegar o Vélez e ser campeão do Clausura de 1993. Naquele Clausura, Chila marcou seu primeiro gol de falta, contra Marcelo Pontiroli do Deportivo Español.

“Atualmente, como aconteceu com os dinossauros,os bons goleiros estão em extinção.”

Além de Chila, Almandoz, Trotta, Sotomayor, Cardozo; Gómez, Basualdo e Bassedas; Pico, Turu Flores e Asad fechavam o time campeão. No ano seguinte, o time do Fortín disputava a Libertadores da América como campeão, pela segunda vez em sua história. Em 1994, mais difícil foi passar pela primeira fase, com Boca, Palmeiras e Cruzeiro; nas oitavas, o Vélez despachou o Defensor Sporting e nas quartas, o MINERVÉN da Venezuela. Nas semifinais, o gigante paraguaio foi decisivo: comemorando cada pênalti, cada gol, cada defesa, inclusive a última. O Vélez venceu nos pênaltis o Atlético Junior comandado por Carlos Valderrama.

O tricampeonato da Libertadores da América estaria praticamente garantido para o São Paulo, enfrentando um time considerado pequeno em um Morumbi para mais de 100 mil pessoas, carregando duas faixas de campeão mundial sobre a camiseta e o maior time da sua história. Mas havia José Luís Chilavert, pegando pênaltis, provocando os jogadores, a torcida, sendo copeiro e por fim, campeão.

“Existe uma diferença entre ser vencedor e ser medíocre. Vencedores só pensam na vitória quando entram em um desafio. Medíocres só pensam em não errar”

Recordar essa pequena parte da carreira de José Luís Chilavert não é contar o melhor da sua história. Chilavert tornou-se o que é por ser um paraguaio vencedor na Argentina, um país com muito orgulho e arrogância em ser o que é – e por isso, tornou-se odiado por quase todos e amado demais pela sua torcida. Chila era a própria representação do Vélez: pequeno, fanfarrão, mas muito vencedor e com muita vontade de seguir sendo vencedor.

Chila, por exemplo, marcou dois dos seus primeiros gols de falta no colombiano Navarro Montoya, arqueiro do Boca Juniors e ídolo da maior torcida da Argentina. Montoya, quando perguntado sobre Chilavert, afirmou que não poderia ser comparado a um Fiat se era uma Mercedes. E recebeu como resposta:

“Eu posso ser um Fiatzinho com motor de Fórmula 1. O motor dele está perdendo óleo. Ele não é páreo para mim. Nós não estamos no mesmo nível”.

Também sobrou para Germán Burgos, que também levou alguns gols seus. Um dele, de falta, pelo Paraguai contra a Seleção Argentina, o que causou enorme polêmica. Outro deles, do meio campo.(ignorem a música)

Foi odiado no Brasil, por cuspir em Roberto Carlos, e depois se recusar a pedir desculpas.

“Você não faz amigos no campo. Você não pode deixar alguém pegar o que é seu”.

Foi genial na campanha do Paraguai na Copa de 1998, e depois, ainda gordo e folclórico, pagou alguns vales com a camisa da albirroja. Até jogar no Peñarol, em 2003, e ser campeão. Levou em 95, 97 e 98 o título de melhor goleiro do mundo, mesmo jogando na América do Sul, igualando o italiano Walter Zenga.

Na grande festa do Centenário, o Vélez homenageou Chilavert da melhor forma possível: levantando taças. Na foto acima, ele está com a Supercopa de 1996 nas mãos. Uma digna homenagem para um dos maiores goleiros sul-americanos da história.

Até a vitória,
Luís Felipe dos Santos

Anúncios

Entry filed under: Clubes.

Retrospectiva 2010: Menos por amor, mais por obrigação Retrospectiva 2010: O Racing sem uma sombra

48 Comentários Add your own

  • 1. beretta  |  01/10/2010 às 08:20

    Chilavert copero y peleador!!

    CHUPA, MUNDO!!

    EU VOLTEI!!!

  • 2. arbo  |  01/10/2010 às 08:24

    bah, não curto muito o Chilavert

  • 3. só um link  |  01/10/2010 às 08:24

    Goleiro ou é louco ou é veado.
    ñ sei se já colocaram esse link do Sessa aqui. Enfim.

    98 Vas por una ruta desierta y está Chilavert haciendo dedo, ¿lo levantás?
    Ni en pedo, le paso por arriba con el auto. A Chilavert no lo puedo ni ver, lo odio, es un bocón.

    99 ¿Nunca te lo cruzaste para decírselo?
    Lo fui a buscar una vez para pelearme. Lo escuché en la radio diciendo que el capitán de Vélez no tenía huevos para defender a los pibes, entonces en vez de enfilar para mi casa fui a Torneos, pensando que compartía la mesa de La Ultima Palabra con Niembro. Estaban al aire y me metí en el estudio. Chilavert no había ido, gracias a Dios, porque si no nos hubiéramos matado, no me importaba nada a mí. Después nos matamos por las audiciones de Vélez hasta que desde el club me dijeron que no me metiera con él. Meterse con Chilavert en Vélez es como meterse con Bin Laden viniendo de Estados Unidos.

    http://www.elgrafico.com.ar/2010/04/30/C-2599-sessa-por-calenton-me-perdi-la-seleccion.php

  • 4. beretta  |  01/10/2010 às 08:26

    Aliás, belo post, LF!!

  • 5. Anônimo  |  01/10/2010 às 09:46

    jonas, JONAS

  • 6. Felipe (o catarina)  |  01/10/2010 às 10:05

    mto bom o texto, LF. Chila é uma dessas figuras que fazem falta no futebol.

    mas tenho uma dúvida. Em todo lugar (site do clube, wikipedia, etc.), a data de fundação do Vélez aparece como 1 de janeiro de 1910 (http://www.velezsarsfield.com.ar/club/datos/). Então, por que comemorou o centenário agora em setembro?

  • 7. Arbo  |  01/10/2010 às 10:14

    Já li textos melhores por aqui…

    Essa história de babar nesses goleiros sulamericanos não existe!

    O melhor goleiro da História da América Latina foi o Dida, principalmente na época do Corinthians, não há o que negar…

  • 8. Mateus Arbo  |  01/10/2010 às 10:19

    ô mano, nada a ver isso daí! Chilavert sempre jogou muito!

  • 9. Bi  |  01/10/2010 às 10:25

    Amorzinho, todo esse mau humor é por causa daquele dente que te arranquei?

  • 10. Romulo Arbo  |  01/10/2010 às 10:44

    ficam falando muita coisa sobre goleiros da sulamerica, mas esquecem que o melhor goleiro é o holandês Van der Sar, aquele loiro gato que venceu o meu greminho na final de 95.

    quack!

  • 11. Romulo Arbo  |  01/10/2010 às 10:47

    além do mais, agora tem o Victor, que sempre faz o simples.

  • 12. Romulo Arbo  |  01/10/2010 às 10:56

    Mas que às vezes não enxerga muito bem a bola.

    Entendo.

  • 13. arbo  |  01/10/2010 às 11:00

    esses arbos aí são todos fakes de si mesmo ns

    o importante é não se abalar, libertadores é logo ali, não que eu creia que haja vontade ou perseverança nessa ideia.

    melhor não criar expectativas, elas matam de véspera.

  • 14. Romulo Arbo  |  01/10/2010 às 11:05

    se o Jonas fazer o simples nos lances que tem chance de gol, podemos ganhar o Zveitão 2010.

    e a braçadeira pro Douglas, o novo Tcheco, é a melhor coisa que aconteceu.

    Douglas e Tcheco no meio, que dupla!! Volta capitão!!

    Fino concorda comigo.

  • 15. Paul  |  01/10/2010 às 11:10

    JKAHjkashkjhsajkhsdjkahsdjk

  • 16. arbo  |  01/10/2010 às 11:10

    outro fake.

    victor, me abraça.

  • 17. Romilson Arbilson  |  01/10/2010 às 11:13

    todos los jugadores con lo “son” en el nomezito jogaran simples.

  • 18. fino  |  01/10/2010 às 11:18

    Síntese de uma era

  • 19. Arbo  |  01/10/2010 às 11:22

    Entrei agora no site e me deparei com isso tudo aí. Só o que faltava mesmo eram esses fakes meus. Na real adoro o Chilavert, acho que um dos melhores goleiros que já vi jogar. Além disso, É UM GATO. Paraguaios… ADORO.

  • 20. R^AM  |  01/10/2010 às 11:32

    sacanagem isso. tcheco e douglas são intragáveis, não sei de onde vocês tiraram que eu gosto desses sujeitos. me fazem sentir saudades do ESCALONA ns

  • 21. almilano  |  01/10/2010 às 11:34

    Porra, já não sei mais QUAL é o VERDADEIRO ARBO.

    Onde está Wally??? [ns]

  • 22. Arbo  |  01/10/2010 às 11:37

    Tá gurizada, parem com esses fakes aí, sacanagy…

    O maior goleiro da história é o Ronaldo, do Corinthians, com sua Super Coragem, seu Espírito Gladiador, Sua Entrega Altaneira, Sua Saída de Gol Mais que Demais, e seus Uniformes Super Transados e na Moda…

    quack!

  • 23. Alex (o zagueiro enciclopédia)  |  01/10/2010 às 11:42

    Uma vez, em São Sepé, fui jogar com o pessoal do exército, e nos deparamos com o Ronaldo, goleiro do Corinthians no time adversário. A gurizada toda se apavorou, porque ele batia muitas fotos com os fãs e nem ficava nervoso. Mas daí na rodinha antes de entrarmos, um mandei um Perhaps nós podemos ganhar esse jogo galera! Todos se motivaram com Louvadeuses no Cio.

    E com o grito de guerra dos fuzileiros navais, abocanhamos aqueles calhordas, com dois gols meus, um inclusive de canhota, que não é minha perna preferida…

  • 24. dante  |  01/10/2010 às 11:49

    bá, hoje tão se puxando nos fakes, uhuahuhuehuhua.

  • 25. beretta  |  01/10/2010 às 11:51

    Alex (o zagueiro enciclopédia)

    MORRI PRA SEMPRE!!!

  • 26. fino  |  01/10/2010 às 11:51

    fake, me dá uma carinha dessa parada…

  • 27. Sancho Stats  |  01/10/2010 às 12:17

    Segundo a planilha que montei hoje pela manhã, com turno e returno e depois cruzamento olímpico, o Chilavert é bem menos goleiro que o Rogério Ceni. Só fazia gol de pênalti o paraguaio.

  • 28. Cunegundes Junior  |  01/10/2010 às 12:22

    Quack, quack, quack faz o pato
    com a cara no mato
    da menina de bundinha empinada
    usa oclinhos e tem cara de retardada

    chupei os seus mamilos
    lambi sua xoxota
    lambuzei toda a calça
    inventei umas lorota

    fumei um cachimbo de crack
    zoei tudo e me envolvi com as FARC
    tinha uma sargenta que era uma delícia
    arrastei a bonitona pra gente bailar na pista

    que gostosa, que delicia, é belezura
    me apavorei com o tamanho da tanajura
    que maravilha ela pegou no meu pau
    mas que beleza, que troço sensacional

    se cê é virgem eu não tenho culpa
    só posso deixar aqui o meu lamento
    a minha história é de fuder o tempo inteiro
    e ser leitor assíduo do Impedimento

    QUAAAAACKKKKK!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

  • 29. arbo  |  01/10/2010 às 12:24

    milano, releva todos. criatividade tendendo a zero.
    “se o Jonas fazer o simples”
    diga FIZER

  • 30. Cune Junior Gundes  |  01/10/2010 às 12:25

    boicotaram meus versos, vo toca fogo aqui ooooo

  • 31. Romulo Arbo  |  01/10/2010 às 12:26

    To mordido.

  • 32. Cune Junior Gunde  |  01/10/2010 às 12:29

    riririri, sou filhote do cune pai

    quackzin

  • 33. Francisco Luz  |  01/10/2010 às 12:37

    auashsahahahahsah

    Invasão dos fakes, ahshashsahsah. Genial

  • 34. arbo  |  01/10/2010 às 12:54

    bessa e marimon identificados. possibilidade de beretta, volkart e demais colorados. agora vou ao post.

  • 35. arbo  |  01/10/2010 às 13:14

    baita post, LF. grande goleiro. calou o morumbi, nem lembrava disso.

  • 36. Arbo  |  01/10/2010 às 13:36

    Identificado mesmo só o Luciano di Camargo na última foto, segurando a Supercopa. Concordo com o Sancho, discordando. Sou quase um filósofo.
    Ass. MarimARBO

  • 37. beretta  |  01/10/2010 às 13:38

    Tchê, voltei ao Impedimento HOJE, ainda nem sei criar fakes.

    [ns]

  • 38. James Hetfield  |  01/10/2010 às 14:06

    FAK´EM ALL!

    quék

  • 39. Cunegundes Rei da Picanha  |  01/10/2010 às 14:19

    favor não usarem quack despois dos posts

    sou sensível

  • 40. rafael botafoguense  |  01/10/2010 às 14:24

    CHINCHILA FODÃO HEIN

  • 41. Leonardo  |  01/10/2010 às 16:26

    Aguante Chila!
    Aguante Fortín!
    Vamo Villa Luro!

  • 42. cassiano  |  01/10/2010 às 16:53

    Chila calou o panetone, acabou com a historinha de moruntri na época…

  • 43. cassiano  |  01/10/2010 às 16:55

    Alguém aqui ja viu isso, olhem o estadio do corintians

  • 45. catarina cristo  |  01/10/2010 às 17:16

    Massa, LF. Em casa vou ler de novo, só pra ver os vídeos.

  • 46. Cícero  |  01/10/2010 às 21:17

    q isso… a galera tá inspirada hoje.

  • 47. Caio Brandão  |  08/10/2010 às 23:30

    Belíssimo texto. O Vélez foi o primeiro clube argentino que conheci, em função da Libertadores de 1994. Cresci vendo-o como o terceiro clube da Argentina, e na década de 90 isso não era muito errado.

    Tenho outros motivos para gostar do time: a começar, pelo nome incomum, misturando um sobrenome basco com um irlandês; segundo, tais sobrenomes são o de um jurista ilustre da Argentina, que criou sozinho o Código Civil deles – e sou estudante de Direito. Por fim, o peculiar uniforme também, com esse V.

    Visitei as cercanias do Fortín em junho, e foi demais. Estava rolando Argentina x México, e eu, que já conhecia o Monumental e a Bombonera, aproveitei para tirar fotos nos arredores das canchas dos outros três grandes e dos dois pequenos portenhos que já haviam vencido a Libertadores.

    Para completar, conheci pessoalmente o Turco Asad! Foi no aeroporto de Mendoza. A delegação do Godoy Cruz ia pegar o mesmo voo que eu.

    Só uma errata: Chilavert marcou sobre Roa contra a Argentina, a despeito do título do vídeo no youtube. Dá para ver pelo cabelo tigelinha e pelo cavanha do arqueiro; o cabeludo Burgos “só” levou gol do Chila pelo River mesmo… mas foi um senhor gol, é verdade.

  • 48. gilson  |  02/01/2011 às 22:13

    cacete, das melhores sequências de comentários EVER.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Subscribe to the comments via RSS Feed


Especial – Libertadores 2011

A bola da ImpedCopa

Toco e me voy

Feeds

web tracker

%d blogueiros gostam disto: