Torcedores de luxo

08/07/2010 at 10:30 66 comentários

Não há um só programa esportivo brasileiro que não tenha chegado à conclusão de que a final Espanha x Holanda é o supra-sumo do futebol arte. O raciocínio é simples: o jornalista vê a quantidade de meias e atacantes nos dois times, soma às suas lembranças do passado (1974 na Holanda, Barcelona e Real Madrid em qualquer tempo) e chega a conclusão de que o fino do futebol está ali. Esse raciocínio é potencializado pelo fato de Dunga ter sido o treinador do Brasil – de repente, tudo o que aconteceu no futebol mundial se resume a uma opinião favorável ou desfavorável a Dunga. Gosta da Espanha? Não gosta do Dunga. Gosta da Alemanha? Seu dunguista safado.

Por definição, o futebol brasileiro tem dificuldade em ver os adversários. Isso era compreensível quando não havia imagens e o acesso à informação era restrito, e você só poderia saber se o juiz roubou mesmo para a Hungria uma semana depois, no cinema, quando a opinião já estava formada. Hoje, isso é incompreensível. Se nossos avós viram apenas a falha do Barbosa na arrancada do Ghiggia, tudo bem; hoje, porém, os comentários sobre a Copa se resumem à reiterações filosóficas sobre uma opinião definida a respeito…da amarelinha. Daí se proliferam os clichês: a Alemanha é o time dos jovens, coisa que não temos; a Espanha a Holanda são os times da arte, que não sabemos como fazer; o Uruguai é a equipe da raça, e veja só, nem isso nós sabemos fazer.

Um colega que está na África do Sul disse que alguns jornalistas espanhóis são verdadeiros torcedores. Vão de rosto pintado no centro de imprensa, dão murros no vidro quando o time perde um gol. É da Espanha que vem um dos poucos grandes teóricos do jornalismo esportivo, Antonio Alcoba López, autor de uma grande frase: o jornalista é odiado por que é considerado um torcedor de luxo. Um torcedor que não paga ingresso, que fica próximo dos ídolos, viaja para o mundo inteiro e ainda tem o privilégio de influenciar a opinião. Alcoba escreveu isso quando a opinião era restrita a poucos, e os blogs e sites não estavam disseminados como gremlins molhados.

Um dos aspectos mais fortes do torcedor é centralizar toda a sua opinião a respeito do seu time, e ver o seu time reproduzido em qualquer outro jogo de futebol. Assim como está sendo feito com a Seleção Brasileira: ontem, Galvão Bueno chegou até a citar a corrida que Dunga deu para o vestiário, contrapondo à atitude de Joachim Low, que teve como primeira atitude cumprimentar Del Bosque.

Eu compreendo que os hispânicos ajam como torcedores de luxo, dado o ineditismo de ver a sua seleção chegando a uma final de Copa. Não compreendo, porém, os brasileiros. Depois de ganhar cinco copas com tantos times, tantos jogadores e tantos estilos diferentes de futebol, muitas coisas já deveriam ter sido superadas. O debate imbecil sobre o que é melhor, futebol-arte ou futebol-força, que é cansativo e manjado, por exemplo. Um dia, talvez, vamos aprender que a nossa derrota nada tem a ver com má intenção, burrice, estupidez ou complô, e que nem sempre começar tudo do zero é uma boa solução depois de perder a Copa.

Até a vitória,
Luís Felipe dos Santos

Anúncios

Entry filed under: Copa do Mundo.

Se eu tivesse que escolher uma derrota Forlán é uruguaio, Messi é catalão

66 Comentários Add your own

  • 1. Cassol  |  08/07/2010 às 10:40

    É justamente o fato de o Brasil ter ganhado cinco Copas que nos torna muito malas em relação à seleção. Veja o caso da Celeste, não tem nada a ver com a garra charrua, mas com 60 anos de estiagem de glórias.

  • 2. Cunegundes, o mulato frajola  |  08/07/2010 às 10:46

    ontem ouvi um comentarista dizer que o debate futebol força x futebol arte é uma bobagem, que time bom é o que joga bem, e aí pensei, FILADAPUTA, TU GANHA 15 MIL CRUZADOS POR MÊS PRA FALAR UMA BOSTA DESTE TAMANHO, VAI TOMA NO CU SEU MERDA!

  • 3. Lol  |  08/07/2010 às 10:49

    LF, durante o período de COPA, atingiu seu ápice em qualidade de textos aqui no impediomento.

    Em outras palavras, tudo que falou desde a convocação de Dunga até agora, véspera da final, traduz exatamente o que eu acho.

  • 4. Lol  |  08/07/2010 às 10:55

    “time bom é o que joga bem”, o que me faz chegar a conclusão que time ruim é o que joga mal.

  • 5. Alexandre N.  |  08/07/2010 às 11:00

    #2 e #4

    Então, de acordo com esta pérola, esta seleção alemã é muito ruim. Nem vou usar algum time brasileiro como exemplo pra essa pérola…

  • 6. Flávio  |  08/07/2010 às 11:01

    Quais serão os programas de tv que o Luís Felipe assiste? Quais colunistas ele lê?
    Até ontem, a maior parte da crônica esportiva brasileira, inclusive os “anti-dunguistas” da mídia-má-feia-e-bobona, apontavam a Alemanha como maior favorita ao título e o time que jogou o melhor futebol da Copa.
    O que mais li sobre Espanha e Holanda é que elas decepcionaram os admiradores do futebol-arte. A Espanha porque não foi a mesma da Eurocopa, a Holanda porque trocou o jogo ofensivo pelo pragmatismo. Ambas seleções jogaram a Copa no 4-2-3-1, mesmo esquema do Brasil. Ambas seleções têm dois volantes de contenção, como o Brasil. Não vi nenhum comentarista sério dizer o contrário disso. Agora, se o cara é masoquista e acompanha Casagrande, Neto, Wianey Carlet, André Risek e Milton Neves, paciência.

  • 7. Eduardo  |  08/07/2010 às 11:30

    Pô Flávio, cita mais 6 aí… pelo menos forma um time titular…

    acho que vale citar a briga de um sujeito da ESPN chamado Jorge Ramos (tem um programa chamado Jorge Ramos e sua Banda). Há 3 anos que vejo propaganda desse programa mas nunca tinha visto inteiro (e admito, por certo preconceito, pois achei que se tratasse apenas de futebol mexicano), Aí, depois de GHA x URU, o sujeito deu uma entrevista quase chorando…. ele é “uruguaJo”.
    Foi quando outro comentarista (mexicano) entrou no debate e falou que o Luisito era um “cheater” pois estava dando um mau exemplo prás crianças, que o esporte era indigno e o “caraglio-a-maradona”… Esse Jorge Ramos SUBIU na mesa para CUSPIR na cara do sujeito (ok, exagerei), mas aí entra o ponto do “comentarista-torcedor”. Esse tipo tem 20 anos de ESPN latina e os debates posteriores foram mostrando que as pessoas estavam impressionadas pelo defesa que ele fez pelo Luisito/Uruguay. Ou seja, não importa o quanto tentemos, cedo ou tarde, mostraremos nossa IMPARCIALIDADE…

  • 8. Flávio  |  08/07/2010 às 11:47

    R6
    Eu não me referi aos “jornalistas-torcedores”, mas sim ao que ele escreveu no 1º parágrafo: que a imprensa brasileira celebra a final entre Espanha e Holanda como o “supra-sumo do futebol-arte” e que os admiradores da Alemanha foram rotulados como dunguistas.

  • 9. Álisson  |  08/07/2010 às 11:53

    Essa final entre Holanda e Espanha causará um grande prejuízo às futuras gerações que acompanharão o futebol.
    Essa será eternamente a Copa em que o futebol ofensivo venceu a força e a raça. Copa na qual Espanha e Holanda demonstraram que jogar com arte é a forma vencedora de entrar em campo e que o Brasil jogou somente a base da força, e por isso perdeu.
    E ninguém vai lembrar que o Brasil, da força, deu um banho na Holanda no primeiro tempo das quartas. Nem vão lembrar que a Holanda só venceu aquele jogo no mais puro pragmatismo. Não vão lembrar também, que a Espanha perdeu na primeira fase, em um jogo horroroso.
    E essa escrita que ficará para a história, infelizmente, é construída através da mídia.

  • 10. arbo celeste  |  08/07/2010 às 12:23

    Concordo com o LF, apenas reiterando a ressalva do Flávio no #6. Talvez o LF dê muita atenção aos programas errados, ou ele só vê muito mais que a gente (que eu, certamente), por gosto ou pelo dever da profissão. A verdade está com o torcedor: com o que pondera e com o simplesmente apaixonado; não com o fanático e não com aquele que passou a tratar o futebol apenas como um trabalho.
    Realmente não encontro na realidade o que está escrito no primeiro parágrafo. Mas se encontrasse, trataria com indiferença. Espanha e Holanda estão na final pelos mesmos esquemas que sempre colocaram duas seleções nas finais, salvo robalheiras esparsas. Às vezes só a raça salva, às vezes ela não é o bastante, às vezes o bandeirinha é infeliz, às vezes o craque aparece, às vezes meia seleção amarela. E segue o baile.

  • 11. arbo celeste  |  08/07/2010 às 12:24

    roUbalheiras

  • 12. yoda  |  08/07/2010 às 12:37

    Desculpa se já foi comentado, mas gostaria de um post analisando os editoriais do Marcos Uchôa, sobre os comentários preconceituosos, pré-formatados e direcionados a quem-interessa. Por favor, com a palavra, Impedimento.

  • 13. Y  |  08/07/2010 às 12:49

    40. Y | 08/02/2010 at 11:18

    Holanda, Sérvia ou Espanha ganharão a Copa-2010

    BRASIL NÃO VENCERÁ

    Ouçam o que digo… OLHO NA HOLANDA!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

    ****

    meu palpite para a Sérvia foi PASSIONAL, afinal, eu torço por eles mais que pro Brasil.

    Quem sabe, sabe.

    Aprendam, amadores.

  • 14. Y  |  08/07/2010 às 12:49

    72. Y | 08/02/2010 at 16:00

    OLHO NA HOLANDA

  • 15. Y  |  08/07/2010 às 12:50

    3. Y | 10/02/2010 at 00:40

    Mas, até a Coreia do Norte campeã seria melhor que o Brasil. Enfim…

    Mas voltando à frase que deu origem à toda essa querela:

    OLHO NA HOLANDA!!! OLHO NA HOLANDA!!!!!!!!!!!!!!!!!

  • 16. Y  |  08/07/2010 às 12:52

    O tempo é o senhor da razão

    Nomá.

    Na próxima, ouçam quem sabe.

  • 17. Eduardo  |  08/07/2010 às 13:06

    #7 eu entendi Flávio…
    mas na real eu queria a lista dos 11 para saber QUEM NÃO ler/escutar.. heheh
    Desses aí, quando estou mal humorado, eu leio o WC para rir um pouco e ver se ele vai comparar o Neuton ou o Mário Fernandes com o Iniesta hehehe

    de bate pronto adiciono o Zini, o Vidarte e o Theddy Correa nessa lista hehehe

  • 18. Wianey Carlet  |  08/07/2010 às 13:10

    David Villa ou Leandro Damião. O tempo dirá quem foi melhor.

  • 19. Flávio  |  08/07/2010 às 13:26

    R17
    Putz… a lista é interminável: Telmo Zanini, Sérgio Noronha (onde anda?), Chico Lang, Roberto Avallone…
    E quer dizer que Theddy Correa (?!), o eterno poeta de Astronauta de Mármore e Camila, também dá seus pitacos sobre o nobre esporte bretão?

  • 20. Leo Garcia  |  08/07/2010 às 13:39

    O maior cronista desta Copa é sem sombra de dúvidas o Octopus PAUL. Deixou Caio Ribeiro no chinelo. Sem mais.

  • 21. Japa  |  08/07/2010 às 13:40

    parei de dar crédito pro Impedimento depois do resultado do Brasil na Copa.
    Vcs poderiam parar de redigir textos criticando quem critica o Dunga. Vcs erraram… o time do dunga é merda!
    Admitam isso.
    Quem criticou o Dunga tinha e TEM razão, porque o que interessa é o resultado, e isso o dunga não conseguiu. Quem defedeu e ainda defende o Dunga, tem que repensar suas opiniões, porque o que o dunga fez, qualquer um faria – chegar às 4as é obrigação, porra.

  • 22. Japa  |  08/07/2010 às 13:41

    o Octopus PAUL deixou o impedimento no chinelo…

  • 23. Felipe (o catarina)  |  08/07/2010 às 13:44

    único comentarista digno de crédito chama-se Polvo Paul. O resto só dá palpite furado e comenta com base no resultado. O Polvo Paul prevê os resultados. Gênio.

  • 24. Cunegundes, o mulato frajola  |  08/07/2010 às 13:52

    o maior cronista de todos é o Calçagrande, pelo menos ele admite que está cheirado quando fala suas merdas

  • 25. Guto  |  08/07/2010 às 13:55

    Japa, aí não dá né?

    “porque o que interessa é o resultado”

    resultados ele teve, e de sobra. ganhou tudo antes e chegou às quartas-de-final da Copa do Mundo.

    Ou pra ti, resultado bom é só se for campeão?

    ficamos chateados em não ganhar, é claro, mas resultado por resultado o Dunga foi bem sim.

    E seja coerente rapaz. A crítica que sempre foi feita ao Dunga era porque ele SÓ valorizava o resultado – que era alcançado pelo Brasil – e a seleção só jogava pelo resultado.

    Então, se na tua visão, o que interessa é o resultado, as críticas feitas ao Dunga sobre a seleção estão erradas, e ele correto, afinal de contas, antes da Copa, os melhores resultados do Brasil foram com Felipe Melo, Gilberto Silva, Elano…

  • 26. Japa  |  08/07/2010 às 14:05

    25
    Eu li e escutei todos. Dei crédito a todos, tendenciosos ou não – todos têm direito de expressar a opinião.
    Várias críticas foram feitas ao Dunga, não só esta que tu menciona. Jogar pelo resultado não é ruim não… Quem diz isto não pode estar criticando.
    SIM, só o que interessa é o resultado. Perder jogando bem não interessa, e perder jogando mal é pior ainda.
    O dunga montou um time pra ganhar jogando mal. OK. Admito.
    “Ou pra ti, resultado bom é só se for campeão?” É ÓBVIO, MEO. Perder nas 4as tá bom pra ti?

  • 27. Gerhardt  |  08/07/2010 às 14:21

    “o brasil vai hospedar a copa” lula, o inacio.

    esse cara é uma figura

  • 28. Alexandre N.  |  08/07/2010 às 14:25

    #26

    Então, julgamos o Dunga por causa dos ultimos resultados conseguidos pela seleção. E o que fazemos com os resultados anteriores (afinal de contas, a seleção do Dunga ganhou praticamente todos os títulos que disputou antes da Copa)? Ignoramos solenemente?

  • 29. Japa  |  08/07/2010 às 14:39

    28
    Foi assim com 2006. O Parreira havia ganhado tudo, mas a derrota na copa apagou as vitórias preliminares.
    Mas se tu quiser lembrar da vitória na copa das confederações, não sou eu que vou te dizer pra fazer o contrário.

    O Uruguai perdeu tudo antes de 2010, mas o que vai ficar pra sempre é a grande participação na Copa.

  • 30. Cassiano  |  08/07/2010 às 14:45

    O japa ta triste pq o impedimento não teve nenhum post sobre a seleção do Japão, com a importancia devida e merecida (????), alias teve aquele que ela perdeu do Paraguai da linda Larissita, a verdadeira campeã da copa, mesmo longe da Africa.

    Larissa>>>>>>>>>Paul (o polvo)
    http://twitpic.com/22u5lw

  • 31. Felipe (o catarina)  |  08/07/2010 às 14:46

    antes da Copa de 1998 o Brasil tbm era o atual campeão da Copa América (1997) e Copa das Confederações (1997), mas ninguém lembra disso. Ou seja, daqui a 10 anos, só vão lembrar do Dunga como perdedor da Copa, não como vencedor da Copa América e Copa das Confederações. Concordo com o Japa nesse ponto.

  • 32. Anônimo  |  08/07/2010 às 14:47

    #19 …
    admito, nada contra a música dele (até gosto…), mas ele tem um blog sobre o inter na ZH… hehehe

  • 33. Alexandre N.  |  08/07/2010 às 14:49

    A única coisa que eu não concordo é com este clima de caça as bruxas, de forma que parece que o Dunga só errou o tempo todo.

  • 34. Eduardo  |  08/07/2010 às 14:58

    o Anônimo #32 sou eu… o algum ser irracional entre a cadeira e o teclado apagou meu nome…

  • 35. Eduardo  |  08/07/2010 às 15:03

    pior do que a caça Alexandre, será chamarem o Dunga para consertar as mancadas do Leozinho-cotovelo… enquanto o RT só balança os ovos nas primeiras classes de todas CIAS aéreas pelo mundo… atuar que é bom… NADA… certo é meu pai, em SECAR o Brasil na copa. Apoia todos esportes, mas no futebol ele SECA. tudo por culpa dessa máfia de larápios que fica acomodada atrás dos balcões das entidades só mamando o, porque não dizer, NOSSO dinheiro…

  • 36. Alexandre N.  |  08/07/2010 às 15:29

    #35

    Então, convenhamos, devemos criticar a quem de direito, não ao boi de piranha escolhido pelo Dono da CBF.

  • 37. Logan  |  08/07/2010 às 16:03

    “único comentarista digno de crédito chama-se Polvo Paul. O resto só dá palpite furado e comenta com base no resultado. O Polvo Paul prevê os resultados. Gênio.”[2]
    Falou tudo o catarina.
    Comentário de imprensa “esportiva” não é pra ser levado a sério.

  • 38. Jader Anderson  |  08/07/2010 às 16:06

    “David Villa ou Leandro Damião. O tempo dirá quem foi melhor.”

    HAEHAEHAEHAEHEAHAEHEAHAE

  • 39. Miguel  |  08/07/2010 às 16:09

    “debate imbecil sobre o que é melhor, futebol-arte ou futebol-força”

    excelente.. embora me pareça óbvio, parece que ninguem enxerga isso

    e outra, futebol é um jogo sensacional, mas não é arte.
    Quando bem jogado, considerando técnica, força, organização, preparo físico, “consciência de equipe”, pode ser agradabilíssimo de se ver(melhor ainda de se jogar). Mas NÃO É ARTE

  • 40. guihoch  |  08/07/2010 às 16:17

    exijo que o IMPEDIMENTO subsidie as fotos ( em alta definição) da larrisa e post aqui em POST ALUSIVO.

    MEUS CHEFES NÃO PARA DE RIR CARA

  • 41. Ernesto  |  08/07/2010 às 16:22

    Bah, essa do Galvão eu notei, falando do “comportamento elegante do treinador alemão. Não como uns e outros que perdem, dão as costas, e saem pro vestiário”.

    Esquece, aquele filho da puta, que quando a seleção vencia, Dunga fazia o mesmo. Pegava a mala e cuia, e ia direto pro vestiário, sem essa FRESCURA de cumprimentar adversário.

  • 42. Felipe (o catarina)  |  08/07/2010 às 16:58

    #39

    é o que eu já escrevi aqui uma vez: um contra-ataque bem armado, um carrinho bem dado, uma defesaça do goleiro, também são formas de “futebol-arte”. Mas tem gente que entende “futebol-arte” como “futebol-circense”, com pedaladas insossas e toques de calcanhar sem sentido.

    já que é moda falarem BEM de futebol europeu aqui nos comentários (o público do Impedimento não é mais o mesmo), lembro aquele gol do Podólogo contra a Inglaterra, em que a Alemanha meteu correria e trocou quatro ou cinco passes em velocidade só de prima. Puro futebol-arte, muito mais que as pedaladas infrutíferas do Bobinho.

  • 43. Cunegundes, o mulato frajola  |  08/07/2010 às 17:03

    futebol arte é que nem punheta arte, não existe mais

    antigamente, quando a gente precisava tocar uma bronha, tinha que ficar imaginando as gurias nuas, com seus pêlos expostos, macias e suculentas, deliciosas e apetitosas, era uma verdadeira arte, revista de mulé nua era praticamente igual ouro, tinha que ficar esperando pra algum guri mais velho descolar uma muquiada, e quando alguém vinha e sacava uma era o rei da patotinha

    hoje em dia, pra punhetar basta digitar no gugol “vivi fernandez” e se tem uma bronha de qualidade sem esforço, é a punheta do parreira, a punheta de resultado

    conclusão, o futebol arte e a punheta arte acabaram por causa da tecnologia, mas to feliz porque ainda conseguimos nos embriagar em esperma, alegria e gols e esse direito ninguém nos vai tirar, enquanto a zelia cardoso de mello não voltar a ser ministra da fazenda

    quack

  • 44. Carlos  |  08/07/2010 às 17:05

    Holanda, futebol arte?

    PQP.

    Esse time da Holanda é uma merda.
    Pode até ser campeão, mas continua uma merda.
    Assim como essa Espanha, tão decantada, é outra merda.
    toque pra cá, toque pra lá. toque pra cá, toque pra lá.
    Fazem um gol. toque toque toque toque toque toque.

    Vão sifudê.
    1×0 1×0 1×0 1×0

  • 45. Felipe (o catarina)  |  08/07/2010 às 17:09

    Espanha 2010 “futebol arte”:

    0x1 Suíça
    2×0 Honduras
    2×1 Chile
    1×0 Portugal
    1×0 Paraguai
    1×0 Alemanha

    6j, 5v, 0e, 1d, 7gp, 2gc

    Brasil 2002 “futebol bobo, feio e de resultados, três zagueiros, etc. tal

    2×1 Turquia
    4×0 China
    5×2 Costa Rica
    2×0 Bélgica
    2×1 Inglaterra
    1×0 Turquia

    6j, 6v, 0e, 0d, 16gp, 4gc

    reflitam sobre isso.

  • 46. Rafael  |  08/07/2010 às 17:15

    #45 Felipe.

    Essa não é aquela seleção que teve um jornalista que disse (quando do gol da Inglaterra): “Viu, enche de gaúcho na seleção e dá nisso!”

    Essa seleção também era muito VIOLENTA, porque o técnico era o GROSSO Felipão (que depois disso virou Luis Felipe Scolari).

    Em 94, 98 e 2002, o Brasil tinha jogadores pra levar 4 times pra copa, 2 com chance de ser campeão e os outros de chegar numa quarta-de-final. Hoje, mal se monta o time titular.

  • 47. Godo  |  08/07/2010 às 17:38

    Não vi – ao menos na ESPN Brasil, o que eu acompanho – menções a futebol-arte nem na Holanda, nem na Espanha.

    A voz corrente é que, apesar de estar vencendo, o time espanhol ainda não apresentou futebol digno de nota. E os próprios holandeses não curtiam muito esse time porque jogavam a la Alemanha.

    No mais, o DEBATE só existe nas próprias mesas-redondas.

  • 48. Eduardo  |  08/07/2010 às 18:07

    #36 Exatamente Alexandre, exatamente. Inclusive creio que o “Y”-mae-dinah comentou sobre o dono da bola ha uns dias atras.

  • 49. Poeta  |  08/07/2010 às 18:09

    Ui ui ui, o Y é tão inteligente.
    Que bonito.

  • 50. Felipe (o catarina)  |  08/07/2010 às 18:09

    #45

    e o único gaúcho daquele time era o RONALDINHO! O outro seria o Emerson, que se pisou antes da Copa.

    no mais, eram quatro paulistas (Marcos, Edmilson, Cafu e R. Carlos), um brasiliense (Lúcio), dois mineiros (Roque Jr. e Gilberto Silva), um paranaense (Kleberson), um pernambucano (Rivaldo) e um carioca (Ronaldo).

    “Em 94, 98 e 2002, o Brasil tinha jogadores pra levar 4 times pra copa, 2 com chance de ser campeão e os outros de chegar numa quarta-de-final. Hoje, mal se monta o time titular.”

    verdade absoluta, velho. E em 2002 eram TREZE jogadores que atuavam no Brasil no elenco. Hoje são quantos? Dois? Três?

  • 51. Miguel  |  08/07/2010 às 18:11

    o time da Espanha é muito bom, todos os placares magros foram contra times que jogaram na retranca, com exceção do Paraguai(que jogou bem pra caralho, inclusive na defesa) e do Chile(claramente jogo de comadre no segundo tempo)
    Contra a Alemanha a Espanha destruiu, não tinha espaço nenhum pra contraataque, e a Alemanha se defendeu bem tambem.

    A Holanda é realmente ruim, mas deu sorte, futebol é assim.
    Ganharam do Brasil e do Japão em lances fortuitos, poderiam perfeitamente ter perdido pro Uruguai. Eles tem dois ótimos jogadores do meio pra frente, se defendem razoavelmente bem, e fazem as faltas no momento certo.. pensando bem não são tão ruins assim, mas pra final de Copa são.
    E irrita os caras se jogando toda hora.

  • 52. Miguel  |  08/07/2010 às 18:23

    E futebol arte jamais existiu
    o futebol que pode ser chamado de arte é o moderno freestyle

    O que existiu foi um tempo em que o campo era “maior”, havia mais espaço pra dominar, pensar, mais espaço entre os jogadores, menos preparo físico, o que tornava interceptações, antecipações e divididas mais raras, era mais fácil acertar um passe, um erro de um metro podia passar despercebido, pois eram mais raras as ocasiões em que isso resultava em uma bola perdida ou dividida. Isso podia tornar mais agradável pra quem vê esperando ver plasticidade. Um espetáculo artístico é feito para o público, um jogo é feito pra seus praticantes, são coisas completamente diferentes, os espectadores chegaram depois do jogo.

    Essa dicotomia de que ataque e lances plásticos são arte e defesa, organização, e táticas para “não deixar jogar” ou anular os pontos fortes do adversário são pragmatismo chega a ser infantil.

  • 53. Eduardo  |  08/07/2010 às 18:24

    Miguel, so o Chile do Bielsa, na historia das copas, jogou no ataque contra o Brasil. E o Brasil sempre fez varios gols. No mais, ate concordei contigo.

  • 54. Carlos  |  08/07/2010 às 18:53

    Discordo Totalmente.

    Existem jogadas de defesa q são arte. Sou gremista, mas dava gosto ver um Gamarra, por exemplo, desarmando um atacante qualquer. Aquilo era artístico, o cara tinha o DOM pra fazer aquilo de forma eficiente, limpa e, pq não, linda.

    Assim como uma tabelinha pode ser artistica, plástica. Vão querer me enterrar junto da Eliza, mas aquele lance no primeiro tempo entre Robinho, Kaká e luiz fabiano, q o kaká chutou pra fora, foi arte.

    Uma coisa não elimina a outra. Pode ser jogo, pode ser arte.

    Magic Johnson jogando era arte. Michael Jordan nem se fala.

    Mas segue o baile.

    Eu era contra a seleção de 82, talvez pq ela tenha me feito passar a maior das tristezas no futebol (talvez até hoje), pq jogava pra caralho e não ganhou.
    Hj em dia eu sou totalmente a favor, até pq nas ultimas copas o nível é cada vez pior. O q é ver uma Eslovênia jogando, meu deus?

    Mas tb curto uma pauleira uruguaia, argentina, por exemplo.
    Faz tudo parte do jogo.

    E no mais, Fino, vai tomar no cu. To ficando velho, mas tu tb vai ficar. E até careca tu já tá, seu infeliz.

    açlksdkjsaçkldkçalsdkçlklçdakçldkl

  • 55. Miguel  |  08/07/2010 às 19:41

    Pode ser lindo de se ver, pode ter “talento” envolvido no troço, pode ser plástico, mas não pode ser arte.

    Isso não diminui em nada o futebol, são apenas palavras.

    A arte é feita sem um objetivo final específico, mas em geral é feita pra ser apreciada. Como a música ou a pintura.(às vezes tem um objetivo claro, comercial, mas isso geralmente anda na contramão da capacidade de arrebatamento que uma obra de arte pode causar)

    Quando um jogador faz uma jogada, ou uma antecipação, tanto faz, o objetivo é evitar o gol adversário ou fazer gols, não encantar quem vê, embora muitas vezes encante, inclusive a mim.
    Mas se esse for o objetivo, é o início do caminho para o fim.
    É perigoso quando uma coisa se torna duas, porque em determinado momento vai haver um conflito de fins(no caso a vitória e o encantamento). Quando as coisas são ajustadas PARA serem belas, algum ponto foi desajustado em relação à funcionalidade. Em algumas áreas do conhecimento humano onde a arte transita como intrusa bem vinda isso pode não comprometer ,como na arquitetura, no design de carros e móveis etc. Mas o futebol é uma competição, um jogo. E, num jogo, nos afastarmos um pouco da funcionalidade é prejudicial, pois isso é a diferença entre vitória e derrota.

    Pelo conceito oriental de arte(que inclui guerra, caligrafia etc.) o futebol pode ser considerado arte, assim como qualquer esporte, e muitíssimas outras atividades humanas.
    Mas esse conceito é completamente diferente do que chamamos geralmente de arte aqui no ocidente.

    Não vi a seleção de 82, não era nascido, mas pelo que já vi de jogos reprisados os caras jogaram muita bola, era lindo de se ver, mas era a maneira daquele time jogar. Não precisa dar o nome inadequado de arte. A arte em si – não a criatividade, nem a habilidade, nem a técnica – diminui a qualidade do futebol.

  • 56. Miguel  |  08/07/2010 às 19:45

    e Carlos, eu acho que vc entendeu errado o que eu disse. Eu não disse que defesa e organização não são arte. Eu disse que FUTEBOL não é arte. E quando pretende ser, tende a se afastar do objetivo principal que faz desse jogo tão apaixonante

  • 57. fino  |  08/07/2010 às 19:50

    o problema nem é ficar velho, mas ranzinza… jkasdfiasfdjsfd08asfdj90asfd

  • 58. Junior  |  08/07/2010 às 20:39

    Eu achava que a coisa mais chata que existia no Brasil era a oposição por alguns entre o “futebol-arte” e o “futebol-força”. Cada time tem que jogar de acordo com as características jogadores que tem e ponto final. Mas pelo jeito, virá uma pior nos próximos anos: “os dunguistas rançosos” contra “os odiadores do Dunga”. Na minha opinião, não foi um trabalho tão marcante para gerar tanta polêmica. Assim como o Parreira em 2006, ele foi muito bem antes da Copa e mal na Copa.
    Aliás, vencer a Copa das Confederações foi péssimo nos dois casos. Os treinadores ficaram com a obrigação moral de “fechar com o grupo vencedor”. O problema é que essa maldita Copa das Confederações é um ano antes da Copa, e no futebol, um ano é muito tempo. Nos dois casos, jogadores que estavam bem um ano antes chegaram muito mal à Copa (fisicamente e/ou tecnicamente) e não foram substituídos.

  • 59. Junior  |  08/07/2010 às 20:40

    *correção:
    Cada time tem que jogar de acordo com as características DOS jogadores que tem …

  • 60. col  |  08/07/2010 às 22:00

    Eu concordo com o Cassol lah no #1.

    Imaginem um hexa em 2010 e a continuidade do Dunga em 2014. A imprensa (e comunidade pebolista em geral) ficaria MUITO mas insuportavel do que jah eh hoje em dia.

  • 61. col  |  08/07/2010 às 22:02

    ” é a punheta do parreira, a punheta de resultado”

    hauhauhauahuah

  • 62. Ernesto  |  09/07/2010 às 02:17

    Aqui ó, essa história de substituição, momento. palhaçada.

    O Klose esse, fez alguns gols durante toda a temporada e chegou na copa guardou bucha.

    Dunga confiou no que se deve PREZAR em futebol. Conjunto. Talvez aqueles em má-fase, jogando juntos, num grupo que teve sucesso, ganhariam. Foi quase, ficou nas quartas.

    Substituir tambem foi falado só em relação aos palhacinhos do santos. Agora, os teóricos da salvação falam em jogadores “excepcionais”, que quando chamados nao corresponderam, ou que NÃO ESTAVAM EM SEU MOMENTO BOM – Pato, Lucas, entre outros.

    Logo, há oportunismo. Se foi igual ao Parreira, ou nao, nao sei. Na verdade, Me baseio em atuações. Quem mete 3 na italia, 4 no Uruguai – tão decantado agora, mas que na época era considerado “ruim”, ou seja, baita incoerência – e 3 lá na argentina, não pode estar JOGANDO um futebol tão DESPREZÍVEL assim.

    Então vão mamar nessa cambada que fica há 4 anos martelando nesse papinho de futebol alegria, e venham com argumentos concretos.

  • 63. Serramalte Extra  |  09/07/2010 às 02:25

    Esse time da holanda é completamente contrário à “tradição” deles, de zaga adiantada e pressão na saída de bola.

    Todos os jogadores atrás da linha da bola quando o adversário tenta jogar. No meu planeta isso se chama futebol de resultado, ou coisa pior.

    Se alguém acha que isso é futebol-arte, deve estar vendo os VTs de 74 na hora dos jogos…

    Na final a Holanda vai sofrer com essa postura, se não liberar um ou dois caras lá na frente vai acabar ficando com todo o time muito longe do gol, porque a Espanha toca muito bem – e rápido – a bola no meio.

  • 64. Fernando Cesarotti  |  09/07/2010 às 10:33

    Da licença de eu palpitar um pouco.
    1. A Espanha e a Holanda jogam numa espécie de 4-2-3-1, mas esse não é o esquema do Brasil. O Dunga usava um 4-2-2-2 em que o “2-2” da frente era um paralelogramo sem nenhum sentido, visto que o Inominável não executava, do lado esquerdo, a mesma função de apoio ao lateral, tanto na defesa quanto no ataque, que o Elano/Daniel Alves fazia pela direita – o baiano pior, inclusive (tinha que ser do Itinga, dirá Franciel). Foi isso, inclusive, que ajudou a queimar uma dezena de laterais-esquerdos.

    2. Holanda e Espanha não são times espetaculares, mas são os melhores times até agora. Acho engraçado justo o pessoal do Impedimento reclamar que a Holanda é um time que fica só esperando e espeta na hora H – e nem é só isso, no segundo tempo contra o Brasil eles foram muito melhores e podiam ter feito mais gols. Já a Espanha, é um time meio irritante com a falta de objetividade, mas é eficiente pacas – tirando o jogo contra a Suíça, conseguiu ganhar todos os outros e passar inclusive pela Alemanha, que foi completamente anulada. Özil e Schweinsteiger não viram a cor da bola.

    3. Concordo quando o Ernesto diz que o Dunga acertou ao confiar no grupo, até pq é foda entrosar time que faz 2 treinos por mês, sendo um rachão. Mas acho que esse conceito de grupo deveria ser um pouco mais amplo que 22 ou 23, pra dar ao técnico mais opções. Pra mim o maior erro do Dunga foi se fiar a um único estilo de jogo e não dar nem uma brecha para um “plano B”, ou seja, uma forma de jogar no abafa quando o time estava perdendo.

    4. A seleção de 82 é um mito já, mas se vc assiste aos jogos, principalmente à partida contra a Itália, percebe que aquele é um time com um sério problema tático, que era a falta de alguém caindo pela direita (o que virou piada, “bota ponta” e tal). Nem tanto pelo motivo ofensivo, mas no defensivo, já que o Leandro subia muito e deixava uma avenida aberta – o primeiro gol da Itália, por exemplo, sai ali, num lance em que o Leandro está recuado e não há um meia/volante na marcação do Cabrini. Além disso, era um time fisicamente mal preparado, que pregava depois dos 30 do segundo tempo. E que, naquele jogo, perdeu com justiça, porque a Itália foi melhor.

  • 65. Japa  |  09/07/2010 às 11:18

    um país com 200 milhões de habitantes cuja única vocação é o futebol, não pode se contentar com uma derrota em 4a de final.

    Derrota em semifinal é aceitável, vicecampeonato é aceitável.

    Perder em 4a de final, é fracasso. Se é fracasso, cabe ao fracassado explicar, no caso, Dunga.

    É inerente ao ato de gostar de futebol culpar o técnico. É assim nos clubes e em qualquer lugar do mundo. Se é racional ou não, não interessa.

    Me recuso a crer que não temos meio-campistas melhores que júlio baptista e kléberson. Quem afirma isso tem preguiça de pensar – e esta lista de preguiçosos é encabeçada por Dunga.

    Aliás, cagar na cabeça do Dunga já perdeu a graça. Que venha o próximo. A fila anda.

  • 66. jo  |  09/07/2010 às 18:51

    futebol não existe justiça e sim conquista – frase do maior zagueiro de todos os tempos don elias figueroa brander explica – e muito esta copa!!futebol arte é passar a bola de primeira e driblar só o necessário(viu , messi?).O brasil não foi inferior a nenhum dos finalistas da copa mas jogo de decide por 3 razoes e não por uma : 1- jogar melhor(ter mais posse de bola ,concluir mais a gol, defender-se melhor que o adversário) , 2 – juiz não prejudicar com erros fatais e , se possível , favorecer o teu time (isto foi decisivo tanto pra holanda quanto para espanha) , 3 – sorte e o imponderável acontecer (decisivo para os 2 finalistas) . Num torneio mata -mata eu incluiria uma 4 razão : pegar times mais fáceis enquanto teu adversário se esburracha em clássicos

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Subscribe to the comments via RSS Feed


Especial – Libertadores 2011

A bola da ImpedCopa

Toco e me voy

  • E o glorioso São Bento chegou à Série B nacional aos 104 anos de vida. 30 minutes ago
  • A corrida pelo título brasileiro é basicamente a lebre Corinthians tirando uma soneca enquanto 4 ou 5 tartarugas se aproximam lentamente. 37 minutes ago
  • No fim das contas, o Corinthians pode até despencar, mas o verdadeiro perseguidor é outro. 39 minutes ago
  • Já garantiu dois e tem um terceiro (CSA) com tudo na mão. E também o Confiança vivo, ainda que precisando de façanha. 22 hours ago
  • Nordeste pode ser a primeira região a subir mais que 2 times juntos em uma edição da C, desde que adotaram a fórmula atual (2012). 22 hours ago

Feeds

web tracker

%d blogueiros gostam disto: