Notas fúnebres no jornal

30/04/2010 at 16:12 32 comentários

No dia seguinte a um jogo, todo caderno de Esportes parece um grande
obituário, cheio de notas fúnebres. Nunca gostei muito dos cadernos de
esportes no dia seguinte, sempre pareceram muito tristes, uma nota
apagada da festa do dia anterior, uma Quarta-feira de Cinzas que se
repete toda quinta e toda segunda. Hoje foi ainda pior. Hoje o
carnaval parece ter terminado antes, trouxeram as Cinzas para a
Terça-feira Gorda. Ontem Santa Cruz perdeu do Náutico por 1×0 e deu
passagem pros alvirrubros irem à final com os rubro-negros.

Eu sou quem mais diz por aí “um ganha e outro perde”. Mas essa derrota
não foi como todas as outras, tantas outras que tenho que encarar
vestindo encarnado, preto e branco. Essa derrota teve um gosto de
frustração, de ovo gorado, do que podia ser e não foi. Vocês que estão
sempre de malas prontas pra Dubai provavelmente não vão entender a
sensação de ver o seu clube com um time, depois de cinco anos sem
esperança. A alegria que me deu ver o meio de campo fazer 1-2 depois
de ver tanto perna de pau enfileirado no campo, vocês não vão saber
qual é. Mas essa alegria ontem me traiu. Desfilou garbosa e brejeira
naquela bendita Sexta-Feira Santa e ontem bateu a porta na minha cara.

Os outros me dizem “mas o Santa foi longe” ou “já fizemos muito” e
“estamos melhor do que antes” e eu tenho que concordar. Mas aquela
alegria me prometia mais e esse time podia mais. Pelo menos passar
dessa semi-final, podia. E aí bater de frente com quem nos faz frente
ao invés de tropeçar nos nossos próprios pés. A derrota de ontem
trouxe de novo a amargura de todos esses anos sem direito a ganhar. E,
confesso, me foi mais triste por ter mostrado uma rachadura em quem eu
achava que era rocha.

Achava que Dado Cavalcanti era o amuleto desse time. Jovem, criado
como técnico no Santa Cruz, trazido à beira do campo em meio à crise.
Chegou com seu cabelo à escovinha e sua camiseta comemorativa como um
sopro novo. Sendo inexperiente, mas firme, tendo tirado do banco os
caras que viriam a ser a base do time, eu não podia achar que era
outra coisa, se não as GOOD VIBRATIONS que emanavam da casamata.
Ontem, um microfone enxerido me fez ouvir o que eu preferia não ter
ouvido. Me fez escutar Dado armando um time pra segurar o 0x0 e ir aos
pênaltis quando qualquer gol, para empate ou vitória, nos colocava na
final. Vi Dado sacar nosso atacante oportunista e disputador da vaga
de artilheiro para colocar um meio-campista obscuro e parecer querer
acertar à moda Joel Santana, segurando, mas comandar um time que já
tinha dado tudo diante daquele que agora era inspiração pro crime. Vi
Dado perder o tempo da bola e a rachadura na rocha também partiu meu
coração.

O campeonato não acabou, mas já acabou. Já acabou porque a novidade –
o Santa Cruz espicaçando – já não vai mais ser vista. A escrita que se
segue não tem graça, não tem surpresa, nem emoção. Desse filme eu já
vi o final.

Mas eu tenho um alento. Ao invés de dois meses sem jogar, esperando a
Série D começar, a Copa do Nordeste vem aí. Nem de longe como eu sonhei, mas a gente sonha com o Everest pra subir o morro do Salgueiro. Se for
esperar as condições ideais de temperatura e pressão, não começa
nunca. Os jerimuns se arrumam com o andar da carroça, sempre. Vai ser
assim com a Copa do Nordeste assim como está sendo para o Santa Cruz e
assim como é pra você e pra mim, todo dia. Porque aprendi a amar o
futebol quando percebi cada jogo e campeonato como uma metáfora da
vida, do universo e de tudo o mais. E Kurt Vonnegut manda dizer que tá pra
mim
.

Catarina Cristo

Anúncios

Entry filed under: Clubes, Colunas.

Amor com amor se paga Paixão incendiária

32 Comentários Add your own

  • 1. Guto  |  30/04/2010 às 16:15

    eta porra, fiquei triste agora…faça isso numa sexta não pow…

  • 2. Alexandre N.  |  30/04/2010 às 16:22

    Putz, Catarina…

    Você pegou pesado agora. Até eu fiquei triste, pois seu texto caiu como uma luva em relação a situação do meu time…

    Magoei! rs…

  • 3. mardruck  |  30/04/2010 às 16:30

    Foda.

  • 4. Cunegundes, o mulato frajola  |  30/04/2010 às 16:38

    bate na minha bunda e me chama de meu baiano

  • 5. Godo  |  30/04/2010 às 16:39

    Catarina é o melhor nome do Santinha. Titular indiscutível.

  • 6. Rudi  |  30/04/2010 às 16:39

    Catarina >>>>>> William Magrão

  • 7. Diogo  |  30/04/2010 às 16:42

    Nossa, essa Catarina tem muita classe!

  • 8. Francisco Luz  |  30/04/2010 às 16:54

    Vocês que estão sempre de malas prontas pra Dubai provavelmente não vão entender a sensação de ver o seu clube com um time, depois de cinco anos sem esperança

    Síntese do que é ser torcedor de futebol.

  • 9. Junior  |  30/04/2010 às 17:44

    Catarina é o melhor nome do Santinha. Titular indiscutível.
    (2)

  • 10. rafael botafoguense  |  30/04/2010 às 17:45

    a tragédia se consumou quando eliminaram o botafogo…

    a praga alvinegra atinge até clubes! taí o river plate…

  • 11. catarina cristo  |  30/04/2010 às 17:49

    Rafael, a praga do Santinha começou muito muito muito antes daquele jogo com o Botafogo.

    Lhe juro, gostaria muito que o nosso sofrimento tivesse começado só em abril.

    (:

    (A todos os outros, os maiores salamaleques de gratidão. Obrigada.)

  • 12. alemao  |  30/04/2010 às 17:56

    Poxa…q tristeza mesmo. Mas aquele sujeito alí da foto não é treinador, parece q tá perguntando:

    Mas é alí q faz gol mesmo?

  • 13. Bruno L.  |  30/04/2010 às 18:01

    Citou Kurt Vonnegut. E Douglas Adams.
    MELHOR CRONISTA DO IMPEDIMENTO.

  • 14. rafael botafoguense  |  30/04/2010 às 18:02

    pow mas depois que tirou o botafogo parecia mó clima de redenção,o retorno e pã…aí…

  • 15. Logan  |  30/04/2010 às 18:02

    Mas meu Vitóruia vai brocar domingo e vai ser o final de uma odisséia milenar histórica que começou no primórdio dos tempos ainda em que em longínquo mas ainda assim épico jaXVi em que nós, obviamente, bravamente, heroicamente vecemos e ASSIM SERÁ, Domingo é dia de espetáculo, apoteose, encerramente de uma épica campanha da história de guerreiros titânicos que representam o manto sagrado rubro-negro assim como se este fosse sua própria pele!

  • 16. Sancho  |  30/04/2010 às 18:08

    Re 15

    Ave! Nessa, o Jahia já foi…

    A relação do tricolor com a Fonte Nova era tão entranhada que o estádio acabou-se e o clube foi junto!

  • 17. rafael botafoguense  |  30/04/2010 às 18:09

    tetratória acho paia. se fosse vc torcia pra manter o tritória.

  • 18. Prestes  |  30/04/2010 às 18:51

    Catarina é o melhor nome do Santinha. Titular indiscutível. (3)

  • 19. Mateus  |  30/04/2010 às 18:55

    Só um alento Catarina: técnicos iniciantes erram. Mano Menezes, hoje, não jogaria a Batalha dos Aflitos hoje como jogou naquela época, por exemplo.
    Pelo que eu vi de Santa e Botafogo, esse cara aí tem futuro. Talvez não tenha sabido lidar com a responsabilidade de uma primeira obrigação, mas pode levar o Santa de volta pra onde merece.
    Um time com a torcida que tem não pode nunca ficar no porão do Brasil…

  • 20. FERN  |  30/04/2010 às 21:30

    che seu camp. ja aconteceu e ainda vai ser reeditado, e a LIGA PAMPA que reside SOLAMENTE nas mentes incendiarias…

  • 21. Marcos SL  |  30/04/2010 às 22:19

    Realmente o Santa faz jus à fama do “chega mas não leva”…Agora, tem de se tirar o chapéu para esta torcida que sofre todo ano e sempre está lá!

  • 22. Lucas Cavalheiro  |  01/05/2010 às 00:30

    Que texto supremo. E sensacional o link terradeiro.

  • 23. Guilherme  |  01/05/2010 às 09:10

    Desculpem o OFF TOPIC. Post sensacional por sinal.

    Mas o Inter está trocando o Edu pelo Diego Souza!? Meu deus que negócio da China!

    O Grêmio tem que se atravessar nessa e trazer ele pro Olímpico ontem. Primeiro porque temos jogadores muito melhores pra oferecer (Leandro e Hugo) e outra que o futebol do Diego tem MUITO mais a ver com o Grêmio do que com o Inter.

    Meira, acorda boca-aberta!

  • 24. Eduardo  |  01/05/2010 às 10:13

    “a gente sonha com o Everest pra subir o morro do Salgueiro.”
    Parabéns Catarina, diria que resumiste bem esse que é o sonho de todo torcedor a cada começo de temporada .

    off topic: se o mestre diz, quem sou eu prá discordar….
    http://globoesporte.globo.com/Esportes/Noticias/Futebol/0,,MUL1584543-9825,00-VALDERRAMA+DIZ+QUE+MESSI+E+O+MELHOR+DO+MUNDO+NA+ATUALIDADE.html

    so long and thanks for all the fish

  • 25. Pedro Junior  |  01/05/2010 às 11:41

    OFF

    SportingBet pagando 13 por 1 no 0 a 0 no Granal. Chance pra ficar rico em 90min.

  • 26. Marcio Melo  |  01/05/2010 às 12:24

    Essa copa do Nordeste não é nem de longe a que eu queria também.

    Vai atrapalhar um pouco a vida do nosso Vitória, já que vamos ter brasileiro, copa do brasil e sulamericana ainda.

    Tomara que este ano seja apenas um primeiro passo, para que a partir do ano que vem a gente possa colocar os nossos estaduais pra escanteio e fazer um Nordestão forte como antigamente!

  • 27. pablo gomes  |  01/05/2010 às 19:35

    lembro de dois amistosos (no mesmo dia) que fui ver do Santa e vi Catarina passando em minha frente. gritei, mas ela não ouviu.

    “deve ter ido comprar refri, na volta falo com ela…” pensei

    ela não voltou. depois esclareceu por email:
    “tu acha que eu ia ficar pra ver um time que o cara não acerta nem bater um lateral?”

    de lá pra cá, muita coisa mudou. Dado entrou e esse cara foi o 1º dispensando (rsrsrs). éramos 8º e chegamos a 3° como chances reais de estarmos na final.

    MAS sabe-se lá por que o Santa não quis jogar contra o Náutico… dois jogos apáticos que resultaram numa derrota que nem deu pra lamentar muito, pois parecia que o time não tinha entrado em campo.

    Ou seja, mereceu uma nota fúnebre no outro dia.
    saudações santacuzenses,

    bjo

  • 28. catarina cristo  |  01/05/2010 às 19:51

    Ei, pô, eu fiquei até o fim daquele jogo (por incrível que pareça). Eu disse que não ia pro jogo seguinte, pra não ver aquele time jogar 🙂

    Nunca tive coragem de sair no do jogo na metade, mesmo nos piores momentos. Nunca desisto, companheiro.

    Saudações tricolores!

  • 29. Walter  |  02/05/2010 às 10:28

    Que beleza de texto e de sentimentos, Catarina. Parabéns! Desistir, jamais! Naquele jogo Gallo (bom técnico, não é um qualquer) foi mais esperto que Dado, atravancou o meio de campo – ponto fraco deles – e atacou pelas laterais – ponto fraco nosso. Mas os bons ventos haverão de voltar ao Arruda, e não demora. Por enquanto, ainda são brisas oscilantes, há que buscar mais paciência no fundo do saco..

  • 30. Frank  |  02/05/2010 às 12:43

    Muito bom o texto Catarina…

    Fico pensando em como as más administrações conseguem transformar clubes tradicionais em seus estados em sombras de si mesmos.

    Certo que, nacionalmente, esses clubes não tinham tanta chance pelas desigualdades econômicas de sempre… Mas ver um Bahia (que ganhou aquele campeonato de 88 por causa da minha primeira secação INCONDICIONAL quando piá) passeando pela terceira divisão, um Santa Cruz jogando a série D, um Remo que nem sabe se consegue chegar lá na QUARTA DIVISÃO, é realmente para se lamentar… triste mesmo…

  • 31. FERN  |  02/05/2010 às 13:37

    ja EU penso que a Bahia e tb Pernambuco (pelo menos) deveriam ter campeonatos autônomos.

  • 32. Ferreirinha  |  03/05/2010 às 19:46

    Catarina, vc não é o Cristo, mas disse a verdade. Belo texto.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Subscribe to the comments via RSS Feed


Especial – Libertadores 2011

A bola da ImpedCopa

Toco e me voy

Feeds

web tracker

%d blogueiros gostam disto: