O General Inverno dos treinadores castelhanos

31/03/2010 at 06:00 114 comentários

Quando vestir o paletó para comandar o Internacional hoje à noite contra o Cerro, Jorge “EL CARBURÓN” Fossati não estará lutando apenas por si mesmo. Assim como os RUSSOS diante do exército nazista, o uruguaio vai a campo pelear de forma árdua e diligente pela sobrevivência de uma raça, nesse caso a dos treinadores castelhanos em terra brasileira.

Em todas estas décadas de futebol, foram raros os casos de treinadores estrangeiros que prosperaram aqui neste mameluco império. Na verdade, na esmagadora maioria dos casos, viraram motivo de chacota e foram obrigados a fazer o CHECK-IN e adeus, Tia Chica. Uns poucos fizeram trabalhos meteóricos e, por motivos que nunca serão explicados ou por ENFADO, também largaram o osso.

Obviamente, isso não quer dizer que os treinadores além-fronteira não sejam capazes. Marcelo Bielsa e Carlos Bianchi são dois dos maiores comandantes dos últimos anos. Jorge Fossati também é uma grande PROMESSA, do alto de sua mocidade de 57 anos – ou ao menos era, antes de perceber que o mate é bem mais amargo do lado de cá, e ainda mais quando é a imprensa quem acomoda na cuia a sua erva com gosto de FEL.

Mas por quem exatamente o gringo estará lutando hoje? Coloquem a mão sobre os olhos como quem se prepara para ter uma iluminação e lembrem comigo.  No início de 2005, por exemplo, o VULTO De León andou pelas bandas da Azenha. Uma campanha decepcionante no começo do Gauchão e mais uma goleada de 3 a 0 para o Fluminense na Copa do Brasil sobrepujaram a força do mito, que chamuscou o ENTRECOT e voltou para o Uruguai. Foi demitido na véspera da estreia do Grêmio na Segundona, contra o Gama, em Brasília.

Bastante antes, em 1996, no lado vermelho da força, Don Elias, que era gerente de futebol, assumiu o timeco do Inter no lugar daqueles sacripanta do Nelsinho Baptista e fez uma campanha satisfatória e até surpreendente, mas não suportou a pressão de vencer o rebaixado Bragantino e acabou eliminado do Brasileiro 96. Nunca mais voltou a segurar a prancheta.

Isso para não lembrarmos de PEDRO ROCHA, bem no começo de 1996, que acabou demitido do Inter porque foi flagrado comendo um SORVETE com a marca do Grêmio. E nem adiantou apelar para o CHISTE e dizer que estava SABOREANDO o rival. Sim, gente nova e bonita, isso aconteceu. Segundo matéria da Zero Hora, ele é o estrangeiro que mais comandou o Inter, com 17 jogos. Hoje, Fossati pode igualar a marca.

Acima e aguante país a fora, Passarela assumiu o Corinthians em 2005, na época nebulosa da MSI, com pompa e circunstância. Chegou a ficar 11 jogos invicto, mas a eliminação para o Figueirense na Copa do Brasil e uma goleada de 5 a 1 para o São Paulo no início do Brasileiro demoliram a credibilidade do treinador, que dormiu o sono da bruxa e voltou para chorar as mágoas em Nuñez.

No São Paulo, em 2003, Roberto Rojas assumiu no lugar de Oswaldo Oliveira, também conhecido como a pior pessoa que já habitou o futebol. Pois Rojas carregava no currículo a façanha de ter forjado não a sua própria morte, mas um talho na cara, em 1989, naquele que ficou conhecido como o episódio da FOGUETEIRA do Maracanã. Como vivemos em um país civilizado, ela logo aproveitou para tirar a roupa e enriquecer. Rojas chegou a levar o São Paulo à vaga na Libertadores do ano seguinte, mas foi substituído por Cuca.

O que estes treinadores, entre outros igualmente mal-sucedidos, têm em comum é que todos eram de fora. A qualidade e a filosofia deles variam aos extremos. Mas o que permanece é a desolação de vermos que nenhum prosperou e que, enquanto algum castilhano não obtiver sucesso, continuaremos com nossas possibilidades restritas, apelando para o clubinho de meia dúzia de nomes batidos.

É justamente pela sobrevivência da esperança em contarmos com a diversidade, palavra da moda, e por um CONCEITO de futebol que Fossati, hoje à noite, vai se largar campo a fora, qual um LITUANO atirando um punhado de batatas em um panzer.

Saudações,
Douglas Ceconello.

Anúncios

Entry filed under: Colunas.

Menos um na lista dos que nunca caíram? O “Chino” dos arrabaldes

114 Comentários Add your own

  • 1. Zé Carlos  |  31/03/2010 às 07:40

    de Recife eu digo, excelente textto

  • 2. Sancho  |  31/03/2010 às 07:43

    Píffero:

    Estamos mal no Gauchão, mas azar do Gauchão. O campeonato que o torcedor do Internacional quer é a Libertadores.

    Claro! Superou-se na lógica. Se o Inter está mal no gauchão, isso é um problema para… o campeonato! Para o clube, isso é mal nenhum. E por que é mal algum? Porque o Internacional quer a Libertadores.

    Porque, por esse racicínio, um depende do outro; sendo totalmente excludentes. Só se f.dendo no Estadual é que se pode ser campeão da América.

    O fato de 2006 o Inter ter sido o melhor time do Estadual e campeão da América? Ignorado.

    O fato do Inter ter dado vexame no Estadual e na Libertadores em 2007? Ignorado.

    O fato do Grêmio ter sido campeão estadual e da América (e finalista da Copa do Brasil) em 1995? Ignorado.

    O fato do Grêmio ter sido eliminado nas quartas do Estadual e da Libertadores em 1998? Ignorado.

    O que Píffero faz, e que muito torcedor DOS DOIS CLUBES compram sem pensar, é isentar-se de responsabilidade. O título da Libertadores não apaga, apenas camufla um possível fracasso no Gauchão (ser vice é chato, mas não é vexame).

    O discurso correto é:uma vitória hoje e outra no domingo recolocam o Inter na trilha dos títulos do semestre; e é isso o que o clube tanto almeja quanto vai fazer. Mas para isso, precisa do apoio do torcedor, que é quem sempre carregou o Internacional para suas maiores conquistas. O rival NÃO levará o Gauchão de barbada como pensa. O Inter já demonstrou por diversas oportunidades que MANDA neste Estado e que é GIGANTE o suficiente para brigar em duas frentes“, etc.

    Poderia até fazer uma promoção que o ingresso de hoje vale para domingo.

  • 3. Flávio  |  31/03/2010 às 08:19

    Mais um título inédito para o Inter: BBB.

  • 4. Sancho  |  31/03/2010 às 08:26

    Re 3

    É impressionante a capacidade do “Campeão de Tudo” conquistar títulos inéditos. No ano passado, foram 2…

  • 5. Luís Felipe  |  31/03/2010 às 08:27

    O que irrita o Píffero, e com razão, é que a onda que desestabilizou o time psicologicamente – o número absurdo de gols perdidos no Centenário mostra isso – foi criada com base no Gauchão, o que não faz o menor sentido.

    É isso, também, que me faz crer em algo que eu não acreditava: que o Gauchão é, mesmo, um torneio para reservas e mistos, enquanto os titulares vão treinando e jogando qualquer outra coisa por aí para ganhar entrosamento.

    O Inter, tratando o Gauchão como pré-temporada e como uma justificativa para entrosar seus atletas, acabou afogado num redemoinho de idiotices por conta de dois maus resultados contra times inferiores. O ideal seria que isso não acontecesse, mas o Inter não estava preparado para a repercussão.

  • 6. Flávio  |  31/03/2010 às 08:28

    Outro gringo que fracassou aqui: Juan Mujica. Mito uruguaio, treinou o Grêmio em 87. Caiu após perder um Gre-Nal. O argentino Poy foi relativamente bem-sucedido no São Paulo nos anos 70 e 80. Mais antigos ainda e mais vitoriosos: Ondino Vieira e Filpo Nuñez. Mas, de fato, nos últimos 20 anos, nenhum técnico gringo vingou no Brasil.

    P.S.: Sancho, em 83, o Grêmio largou de mão o ruralito, mas ganhou a Liber e o Mundial. Na verdade é o contrário, um fracasso na Libertadores (ou mesmo na Copa do Brasil, vide o Inter 08-09) reduz o título estadual a sua real insignificância.

  • 7. Luís Felipe  |  31/03/2010 às 08:31

    Fleitas Solich foi o mais bem-sucedido de todos, pelo Flamengo.

    O Mujica foi outro uruguaio perseguido pela imprensa local. Dizem que era pelo seu estilo meio arrogante, de quem tinha conquistado um Mundial Interclubes e não precisava dar resposta a ninguém. Existem até anedotas sobre a perseguição que os setoristas faziam ao Mujica. O preparador físico era Esteban Gento, outro mito, que ainda está atuando. Agora, faz parte da comissão técnica do Danubio, aos 66 anos.

  • 8. Sancho  |  31/03/2010 às 08:39

    Re 5

    LF,

    Não se vive no “dever ser”. Perder no Gauchão traz tais conseqüências, e os dirigentes não gostam do Estadual por isso. Essa obrigação de vencer é uma b*sta para a cartolagem. Jogar o Brasileiro e a Libertadores, nesse sentido, é muito mais tranqüilo, pois, por exemplo, para a Dupla, ser terceiro no Gauchão é muito mais grave do que ser 10º no nacional.

    Não querem passar por essas crises por derrotas? Encarem o Estadual com seriedade; ou rebatam as críticas e sigam com o trabalho com convicção, porque se estão certos a tempestade passará. Não há outros caminhos.

    Abraço.

  • 9. Luís Felipe  |  31/03/2010 às 08:41

    Como é que tu vai encarar o estadual com seriedade se as semifinais de um turno são disputadas dois dias antes de um jogo em Quito?

  • 10. Flávio  |  31/03/2010 às 08:42

    #7
    Fleitas Solich treinou até o Real Madrid.
    Mas não dá para atribuir o fracasso dos gringos à imprensa local. Acho que é mais uma questão de adaptação a uma cultura futebolística diferente. Felipão e Luxemburgo não tiveram sucesso em gigantes do futebol europeu. Bianchi, rei na Argentina, fracassou na Roma e no Atlético de Madrid. O curioso é que antigamente isso não ocorria. Otto Pedro Bumbel, ex-Grêmio, fez certo sucesso na Espanha. Paulo Amaral foi vice na Itália com a Juventus.

  • 11. Luís Felipe  |  31/03/2010 às 08:45

    não atribuo à imprensa local, exclusivamente. Só digo que, como Fossati, Mujica também foi perseguido.

  • 12. Flávio  |  31/03/2010 às 08:50

    #11
    Mas a imprensa gaúcha também é assim com os brasileiros. Vários técnicos (de Muricy a Lazaroni, de Nelsinho Baptista a Mário Sérgio) dizem que a imprensa gaúcha é a mais corneteira do Brasil.

  • 13. Felipe (o catarina)  |  31/03/2010 às 08:54

    talvez todos já saibam, mas vai lá: o Filpo Nuñez foi o único estrangeiro a dirigir a seleção brasileira. Em um amistoso contra o Uruguai na década de 1960, o time do Palmeiras representou a seleção e ganhou por 3 a 0. Ele era o treinador do Verdão e, por consequencia, treinou a seleção naquele dia.

  • 14. Sancho  |  31/03/2010 às 08:55

    Re 6

    Flávio, é sério que você não tem noção de que isso é completamente sem sentido? Deixe-me ver se eu entendi.

    A tua premissa é que o Estadual não vale nada. Fora isso, você CONCORDA comigo. Vencer ou perder a Libertadores não guarda relação com vencer ou perder o Estadual. Afinal, se ao perder a Libertadores o título estadual revela-se insignificante; o que acontece quando se ganha a Libertadores?

    Essa é a melhor maneira de entender o que você falou; qualquer outra intepretação seria insana. Como, por exemplo, um título da Libertadores valorizaria o Gauchão; ou é melhor perder a América E o Estadual. Ambas perfeitamente possíveis para o teu “P.S.”.

    Se você quis dizer algo diferente, confesso que não peguei…

    Abraço.

  • 15. Felipe (o catarina)  |  31/03/2010 às 08:57

    aqui em SC tem um treinador uruguaio, o Sergio Ramírez, que tá há 200 anos treinando todos os times daqui e acho que nunca foi campeão (não lembro). Esse ano ele conseguiu ser campeão do primeiro turno pelo Joinville e ser demitido duas ou três rodadas depois.

    e também em SC tem um treinador ITALIANO, chamado Rafaelle Graniti (deve ter trabalhado no RS tbm), que já tá aqui há séculos. A última vez que ouvi falar dele tava treinando o Videira, da segunda divisão.

  • 16. JB  |  31/03/2010 às 09:04

    Também teve um tal de “Yustrich” ou algo assim, mas desse só o Milton deve lembrar.

  • 17. Y  |  31/03/2010 às 09:17

    só para ficar nos estrangeiros, o Corinthians já teve:

    Filipo Núñez, Daniel Passarella, Dino Sani, Armando Renganeschi, Pedro Mazzulo, Solich, Dario Pereyra, Joreca (estrangeiro que treinou a seleção, Catarina) e etc.

    Por falar no comentarista Flávio, aquele Flávio Costa foi um BAAAAITA treinador.

    Teve outro muito bom, que treinava o Fluminense, mas como era mulato, nunca treinou a seleção (era o que ele dizia), mas esqueci o nome do dito cujo.

  • 18. Y  |  31/03/2010 às 09:18

    #13:

    Joreca era português e treinou a seleção por 2 jogos, junto com Flávio Costa, em 1944

  • 19. Y  |  31/03/2010 às 09:21

    Acima e aguante país a fora, Passarela assumiu o Corinthians em 2005, na época nebulosa da MSI, com pompa e circunstância. Chegou a ficar 11 jogos invicto, mas a eliminação para o Figueirense na Copa do Brasil

    porém, nada disso se compara a um feito de Passarella: TER TREINADO O CORINTHIANS CONTRA O JAPÃO.

    Corinthians empatou com a seleção japonesa por 1 a 1, com Passarella treinando o time fumando. Deve ser por isso que se foi. FUMO dá azar.

  • 20. Y  |  31/03/2010 às 09:24

    #7:

    quantos títulos ganhou o Solich?

    Joreca foi tricampeão paulista pelo São Caeta… digo, São Paulo, recém-criado na década de 40, na época do Leônidas.

  • 21. Flávio  |  31/03/2010 às 09:24

    #14
    Sancho,

    Tu citou times campeões estaduais que foram bem em competições paralelas. Pelo que entendi, tu queria provar que a dedicação ao ruralito não impede um time de ser bem-sucedido em outras frentes. Verdade. Mas usei como contra-exemplo o Grêmio de 83, que largou de mão o estadual, já que o foco era o Mundial.
    O título da Libertadores vale por si só, qual é o mistério? A Copa do Brasil, mesmo esvaziada, vale pela vaga na Liber. O estadual, para um time grande, vale muito pouco, cada vez menos. Ex.: Inter-08. O título estadual conquistado com um 8×0 sobre o então ainda touca Juventude foi totalmente ofuscado pela eliminação poucos depois para o Sport na Copa do Brasil.

  • 22. Flávio  |  31/03/2010 às 09:28

    # 16 e 17
    Acho que o Yustrich era brasileiro mesmo. O apelido era homenagem a um antigo goleiro argentino.
    Dino Sani é brasuca nato, jogou até na Seleção.

  • 23. Y  |  31/03/2010 às 09:30

    Mas tinha cidadania italiana

  • 24. Y  |  31/03/2010 às 09:31

    tipo o Altafini

  • 25. Flávio  |  31/03/2010 às 09:36

    Pode ser. Ambos jogaram no Milan. Mas, ao contrário do Mazzola/Altafini, Dino Sani não defendeu a Azzurra.

  • 26. Guilherme  |  31/03/2010 às 09:45

    Haha! QUALQUER justificativa é válida pra mostrar a Playboy da Fogueteira do Maracanã.

    Mas eu acho que questão é cultural. Cultura Futebolística na real.

    O futebol brasileiro é MUITO diferente de qualquer outro por aí. É mais devagar, mais técnico, menos disciplinado taticamente, jogadores são mais pobres e mais ignorantes que a média aí fora mesmo na américa latina, torcida e imprensa tem expectativas diferentes do resto do mundo sobre o que é “um bom futebol”.

    Se pra jogador é meio complicado adaptar, imagina treinador, que é quem “desenha” o time.

  • 27. Guilherme  |  31/03/2010 às 09:49

    E isso inclui Grêmio e Inter, por sinal.

  • 28. Y  |  31/03/2010 às 09:51

    como ninguém se lembrou (nem eu) do Matthäus treinando o Furacão (e saindo INVICTO)???

    esse entra na categoria dos que saíram por motivos OBSCUROS, embora quem tenha visto a mulher dele disse que ela MANDOU ele sair do Brasil…

  • 29. Paulo Torres  |  31/03/2010 às 10:03

    Sérgio Ramirez é uma lenda do futebol alternativo. Foi ele o uruguaio que correu loucamente por todo o campo do Maracanã atrás do Rivelino tentando dar-lhe uns bofetões, num Brasil x Uruguai nos anos 70. (Rivelino escapou rolando eascadaria abaixo.)

    Darío Pereyra comandou o Galo em boa parte da campanha do vice brasileiro de 1999. Foi demitido após levar um 4×0 do Guarani na penultima rodada da primeira fase. Depois disso, nao chegou a ficar mais de dois meses em time nenhum exceto o Paysandu, onde comandou aquela vitória na Bombonera.

  • 30. Y  |  31/03/2010 às 10:05

    o Ramirez deu uns bofetões no Riva, mas durante o jogo… daí, o Rivelino deu um bofetaço nele, que se enfezou e saiu correndo atrás do bigodudo.

    isso foi em 1976, se não me engano

  • 31. Flávio  |  31/03/2010 às 10:18

    Omar Pastoriza, campeão da Libertadores com o Independiente em 84, chegou a acertar com Flu nos anos 80. Mas, na última hora, deu migué nos cariocas e não veio.

  • 32. Jader Anderson  |  31/03/2010 às 10:23

    #26

    Não sei daonde… quer dizer que na BOLIVIA os jogadores são mais letrados e de melhor familia? nenhum sentido…

    Agora nos aspectos táticos, vejo o brasil mais disciplinado…

    Nas expectativas eu concordo, a visao de bom futebol aqui eh diferente da rapa…

  • 33. Guilherme  |  31/03/2010 às 10:26

    É.. na Bolívia e principalmente na Colômbia eles são piores que o Brasil nesse sentido.

    Mas ninguém vai contratar um técnico colombiano, né. Tem limites.

    Mas jogadores chilenos, argentinos, uruguaios e paraguaios principalmente são conhecidos pela disciplina tática e profissionalismo. Não dizem que é por isso que jogador argentino vale mais do que brasileiro na europa?

  • 34. JB  |  31/03/2010 às 10:28

    #22 PERDI: http://pt.wikipedia.org/wiki/Dorival_Knipel

  • 35. Flávio  |  31/03/2010 às 10:53

    Brasileiros são tão ou até mais bem-sucedidos que os argentinos na Europa.
    E, tirando exceções como Edmundo, Adriano e Robinho, a maioria dos brasileiros teve e tem uma postura profissional no Velho Mundo.

  • 36. Jader Anderson  |  31/03/2010 às 10:59

    Argentinos se dão muito bem NA ESPANHA… no resto do mundo é empate com brasileiros… mas isso eh especulativo hehehehe

    Considero argentinos mais taticos… e uruguaios… quanto a paraguaios e chinelos nao posso opinar mto, logo tenho q concordoar hehehe

  • 37. Jader Anderson  |  31/03/2010 às 11:00

    *chilenos

  • 38. Y  |  31/03/2010 às 11:02

    na itália os argentinos se dão bem prá caralho, mas que os brasileiros… mas também, a argentina É uma itália, só que localizada na América e com língua espanhola.

  • 39. Flávio  |  31/03/2010 às 11:03

    Brasileiros também se dão muito bem na Espanha (Romário, Bebeto, Mauro Silva, Rivaldo, Ronaldo, Roberto Carlos, Ronaldinho, Daniel Alves, Luís Fabiano, Marcos Senna, etc).
    Muito melhor do que na Inglaterra, por exemplo.

  • 40. Gabriel Besnos  |  31/03/2010 às 11:06

    Bah, eu acho um saco ficar trocando de treinador.

    Tipo, deixa o cara fazer o trabalho dele.

    Às vezes, vendo as reações da torcida, parece que o Inter é um clube perdido, que não ganha nada e só dá vexame. Falta um olhar maior para o CONTEXTO. Se faz um bom trabalho no Beiro Rio, mas não dará certo SEMPRE.

    Tô CHULEANDO é pelo Brasileirão lá no final do ano.

    Torcer com essa pressão eterna de ganhar todos os títulos tá ficando um saco. Comunidade do orkut então é pra acabar com o dia da gente.

  • 41. Rudi  |  31/03/2010 às 11:07

    mas na inglaterra poucos argentinos se deram bem também, tevez, FORÇANDO MUITO mascherano, e antigamente não lembro de outros…

  • 42. Guilherme  |  31/03/2010 às 11:08

    Tem que ver que o Brasil tem MUITo jogador indo pra Europa. Bem mais do que argentino. E eles em geral são vendidos mais barato pra lá também.

    Parece que o Brasil é o país do mundo com mais jogadores na Liga dos Campeões desse ano.

    Não tem como ter estatística, mas vários brasileiros que jogaram na argentina sempre falam do profissionalismo de lá.

    E não é só isso. É um futebol bem mais lento e técnico o do Brasil. Isso deve pesar na hora do técnico organizar o time.

  • 43. Guilherme  |  31/03/2010 às 11:16

    Deixando claro que não tem nenhuma dúvida quanto à vasta superioridade do futebol brasileiro em relação a qualquer outro, inclusive o argentino.

  • 44. Sancho  |  31/03/2010 às 11:21

    Re 9

    LF,

    A tua pergunta bem poderia ser: como disputar com seriedade um torneio que não se leva a sério? Bom, nisso o Gauchão não é exceção, é regra. Nem a Libertadores se leva a sério. Esse teu exemplo é simplesmente baseado numa gritante incompetência da Federação.

    Ainda assim, seria possível entrar no teu jogo, mas desde que houvesse mais dados. E, mesmo aí, não haveria uma única resposta correta. O que interessa é buscar a melhor solução para vencer em ambos os torneios. Se é com força máxima num e reservas noutro, se é misto em ambos, quais jogadores jogam em qual partida, isso deve ser decidido buscando o melhor para o clube.

    Se as circunstâncias demandarem que se “abra mão” de um dos torneios, paciência. Acontece em algumas temporadas; mas noutras, não. Só que nem nessas situações, o time “B” entra para perder. E se for para usar o time “B” que ele entre em campo preparado para a partida e com ganas de vencer. Ser eliminado por negligência, em qualquer circunstância, é inaceitável.

    Abraço.

  • 45. Flávio  |  31/03/2010 às 11:21

    Acho que os jogadores sul-americanos mais caros foram brasileiros (Kaká e Robinho). A Argentina, assim como o Brasil, produz muitos bons e ótimos coadjuvantes. Mas protagonistas em clubes de ponta da Europa são poucos.
    O Messi é o primeiro em muito tempo.
    Mas o brasileiro, de fato, tem na média menos consciência profissional. Gosta de técnico “paizão”, reivindica pouco, não questiona a cartolagem…

  • 46. Gustavo  |  31/03/2010 às 11:27

    Sancho, o defensor do Gauchão!

  • 48. Guilherme  |  31/03/2010 às 11:37

    .45

    O Kaká foi a maior pechincha da história do futebol. 8 milhões de dólares. O Berlusconi chegou a dizer que ele tinha sido a melhor contratação da história do Milan, pela barganha que foi.

    Mas essa história de técnico paizão é isso mesmo. O Silas na entrevista chegou a elogiar as categorias de base do Grêmio, dizendo que os guris das delegações sabiam se “portar em público”.

  • 49. Jader Anderson  |  31/03/2010 às 11:39

    CASSOL VENDIDO

  • 50. Flávio  |  31/03/2010 às 11:45

    R48
    Eu quis dizer já na Europa, do Milan para o Real Madrid. Mas dos que saem diretamente da América do Sul para a Europa, aí os clubes argentinos vendem melhor que os brasileiros mesmo.

  • 51. Sancho  |  31/03/2010 às 11:53

    Re 21

    O título estadual conquistado com um 8×0 sobre o então ainda touca Juventude foi totalmente ofuscado pela eliminação poucos depois para o Sport na Copa do Brasil.

    Primeiro, não foi ofuscado. Pergunte ao Juventude que até hoje não se levantou da tunda. A eliminação da Copa do Brasil não fez nenhum colorado pensar “Bah! Nem deveria ter comemorado aqueles 8-1!” ou “Pensando agora, aqueles 8-1 não tiveram graça!”. Os 8-1 seguem históricos como um marco na História recente do Internacional.

    Segundo, não foi o título gaúcho o responsável pela eliminação contra o Sport (que até onde eu me lembre, foi o campeão) na SEMIFINAL da Copa do Brasil.

    Você mesmo diz que a Libertadores vale por si; não pela vaga ao Mundial. Concordo. O Brasileiro também vale por si; não pela vaga a Libertadores. E o Gauchão também vale por si, ora…

  • 52. Flávio  |  31/03/2010 às 12:02

    Tu gosta do ruralito. É uma posição tão válida quanto qualquer outra. Mas, para mim, o Gauchão é irrelevante e percebo que cada vez mais gente pensa assim. O Inter ganha o estadual, a gente comemora no domingo, toca flauta segunda, uma semana depois ninguém mais lembra. Um título da Libertadores (ou do Brasileiro) fica para a eternidade. Uma Copa do Brasil te faz sonhar com a América.
    Nenhum colorado lamentou a goleada e o título estadual de 2008, é que a eliminação na competição mais importante poucos dias depois reduziu o ruralito à sua real dimensão. Agora, se um time conquista a Copa do Brasil ou a Libertadores, nenhum torcedor vai dar bola por ter perdido o título estadual. Como o Inter em 2006. Ou o Grêmio em 83.

  • 53. Eduardo  |  31/03/2010 às 12:27

    sou da trupe que concorda que gauchão é que nem geladeira. só se dá valor quando não se tem.

    acho que os grandes do sul deveriam procurar equipes prestes a fechar as portas e abrir filiais nesses locais, para manter equipes B e disputar o regional e a taça Luppi Martins.

    Guris da base seriam aproveitados e os “Kleber Pereira” e “Fabio Rockenback” da vida iriam para esses grupos até readquirirem a forma …
    enquanto o time A faria excursões pela Europa ou outros centros para FAZER dinheiro de verdade…
    Quer viajar de avião e ficar em hotel bom? pois vai trabalhar e jogar bem para passar ao time principal.
    Os guris estariam competitivos a nível de gauchão e os “experientes” não poderiam se acomodar, com o risco de, se não correspondessem em um time B, vai pra PQP.
    quero ganhar Libertadores e Brasileiro… isso é o que deveríamos buscar com todas as forças…

  • 54. Eduardo  |  31/03/2010 às 12:29

    errata:

    estariam competitivos = seriam competitivos
    vai prá PQP = iriam para PQP

    (lapso de pensamento/escrita)

  • 55. Flávio  |  31/03/2010 às 12:37

    O Brasileiro deveria se adequar ao calendário europeu. Ou seguir o calendário solar, mas com intervalo em agosto para os times excursionarem para “internacionalizar” a marca. Os estaduais poderiam continuar, mas sem os times das séries A e B do Brasileirão. Os grandes jogariam com equipes de aspirantes ou entrariam somente na reta final para jogar 5 ou 6 partidas em mata-mata, como ocorre na Copa da Liga Inglesa.

  • 56. Cassol  |  31/03/2010 às 13:06

    Valeu, Rudi.

    Sobre o Fossati: tirando as críticas que se possa fazer ao trabalho do cidadão, parece que ele, com seu terno, seus modos e sua hombridade uruguaia, está completamente fora do lugar aqui no Brasil.

  • 57. Carlos  |  31/03/2010 às 13:10

    Fossati será demitido hoje.

    AMÉM.

  • 58. Eduardo  |  31/03/2010 às 13:27

    Atacante do Cerro (Mora) declarou ser torcedor de time da capital gaúcha, mas não mencionou qual dos 2… Natural de Rivera, ele acompanha o futebol brasileiro e fala português melhor do que o Fossati…acho que, por não dizer para a imprensa, deve ser colorado…

    #57
    o Mora é um bom jogador… estou com um palpite que será o responsável pela demissão do Fossati…

    claro que juntamente com o Walter, após os conselhos do Leandro e o penalti desperdiçado aos 42” do 2do.

  • 59. Gabriel R.  |  31/03/2010 às 13:32

    Algo me diz que o inter ganha com tranquiliadade hoje..

  • 60. Flávio  |  31/03/2010 às 13:39

    Palpite furado: Inter ganha.
    Só espero que a torcida e a direção não venham com viadagem em homenagem ao BBB…

  • 61. Viciado em Norteña  |  31/03/2010 às 13:41

    A lamentar a atitude de dar apoio a um jogador do inter. Dê minha parte, perdeu o apoio. Jogador de empresário dando uma mão para seu patrão não perder o dinheiro investido no guri.

    Lamentável.

  • 62. Viciado em Norteña  |  31/03/2010 às 13:42

    OBS. To falando do Leandro, por óbvio.

  • 63. Mateus  |  31/03/2010 às 14:01

    Sobre o Matthaus, não lembro exatamente quanto tempo ele ficou no furacão – não deve ter dado 3 meses. Mas foram 3 meses em que ele passou fazendo festa todo dia e pegando todo mundo. As histórias surgiam quase diariamente, em especial um caso com uma jornalista – que eu não lembro quem era também.

    O fato é que, ao saber de tanta festa, a mulher dele, que tinha ficado na Alemanha, puxou pelo cabresto e disse que se ele ficasse mais uma semana em curitiba ela ia pedir divórcio e levar metade da grana dele. Foi embora pra nunca mais voltar…

  • 64. Prestes  |  31/03/2010 às 14:02

    Acho que tem uma questão cultural sim.

    Por exemplo, os empates fora de casa do Inter foram corneteados, mas é comum tu ver o Boca ou o Estudiantes jogando daquele jeito fora de casa em Libertadores e ninguém corneteia.

  • 65. Sanchotene  |  31/03/2010 às 14:07

    Re 52

    Flávio,

    A questão aqui não é de gosto ou não. Se tradição é algo importante a se considerar ou que sempre de deve jogá-la no lixo em nome do progresso. Aliás, eu nem vou entrar no mérito da grandessíssima bobagem que campeonatos devem levar a algum lugar (da qual, percebo, você é adepto), isto é, o Mundial é o topo e o que importa são os degraus para chegar nele.

    O que se discute é a premissa que o Estadual atrapalha a Copa do Brasil e/ou a Libertadores. Não é nem “pode vir a atrapalhar”, o que acontece, mas a questão de que atrapalha e pronto. Você acha que atrapalha por UM ÚNICO motivo: você acha que ele não deveria existir. Uma vez que existe, atrapalha. Assim, por mais que prove que não atrapalhe ou que possa não atrapalhar, isso não te interessa.

    Se não interessa, por que debates comigo?!

    Abraço.

    P.S.: Todos os títulos entram para a História. Nenhum perdura mais que o campeonato seguinte. Nunca achei nada mais idiota que o “Somos Campeões do Mundo” da torcida do Grêmio. Sempre achei que FOMOS. Na temporada seguinte, zera tudo outra vez…

  • 66. Sanchotene  |  31/03/2010 às 14:09

    Re 55

    Flavio,

    Leia isto aqui, depois -se te interessar- me comente:

    http://cruzeiro.org/blog/calendario-brasileiro-a-inglesa/

    E, sim, fui eu quem escreveu.

  • 67. Eduardo  |  31/03/2010 às 14:15

    #61
    o Carpegianni é o mentor do Mi2ê. nem por isso o guri deve ser mal interpretado…

    ontem discutimos aqui que isso (caso Walter) faz parte de um plano diabólico, em um processo de convencimento da cabeça oca do Walter para que, na janela de agosto, na saída praticamente certa do Jonas, ele componha o ataque com o Borges…

    o xilique do guri, foi após uma janta, na casa do Leandro, com o psicólogo Souza… “Te faz de coitadinho que eles aumentam de 10 prá 15 esse teu salário”…

  • 68. Eduardo  |  31/03/2010 às 14:16

    #65
    SOMOS campeões do mundo e da Libertadores .
    Fomos campeões brasileiros, gauchos, citadino, etc…

  • 69. Rudi  |  31/03/2010 às 14:17

    sancho, fantástico, mas os outros 3 modelos estão publicados em algum lugar também?

  • 70. Sanchotene  |  31/03/2010 às 14:25

    Re 68

    Claro, claro…

  • 71. Sanchotene  |  31/03/2010 às 14:27

    Re 69

    Só consegui escrever metade, Rudi. A outra metade ficou para o final deste ano/início do ano que vem.

    O outro que consegui entregar está aqui:

    http://cruzeiro.org/blog/calendario-a-moda-europeia/

    Abraço.

  • 72. Carlos  |  31/03/2010 às 15:01

    Só pra eu entender (sou burro mesmo).

    A galera aqui do impedimento tá a favor do Fossati, é isso?

  • 73. Flávio  |  31/03/2010 às 15:01

    R65-66
    R65
    Também não acho que um título deva necessariamente levar a uma competição maior. A Libertadores vale por si só – o mundial é a cereja no bolo, como diz o outro. A Sul-americana, mesmo sendo uma competição menor, também tem seu valor, por ser um título continental e com visibilidade em toda América Latina.
    Quanto ao estadual atrapalhar ou não a Libertadores e a Copa do Brasil, acho que estamos tratando de coisas diferentes. Eu falava que, para mim, os estaduais já não significam nada para os clubes grandes.
    Tu defende a tese de que é possível sim ir bem no estadual nas duas competições simultaneamente, sem entrar necessariamente no mérito da importância do ruralito em si. Se for isso, concordo. É possível, sim. Mas ainda acho que um eventual fracasso no estadual não tem muita importância, desde que o time consiga avançar na Libertadores ou na Copa do Brasil.
    Sobre a proposta para o calendário, achei bacana o Brasileiro seguindo o calendário europeu e a Copa do Brasil com centenas de times. Só acho a Copa da Liga desnecessária. A terceira competição do país poderiam ser os supercampeonatos estaduais, reunindo os times das séries A e B do Brasileiro com os primeiros colocados dos estaduais, num torneio mata-mata com cinco ou seis datas. De qualquer forma, é muito mais racional que o que temos hoje.

  • 74. Flávio  |  31/03/2010 às 15:03

    poderia ser…

  • 75. Rudi  |  31/03/2010 às 15:06

    já defendi aqui, copa nacional com TODOS os inscritos que quiserem participar… e daí sim, etapas regionalizadas e grandes entrando em fases avançadas, pra mim a copa francesa é o melhor modelo disso…
    sobre os estaduais, poderiam ser parecidos, mas é um tipo de torneio que eu acho que precisa ter poucas datas, não mais que 10, 12, para os grandes times… e também fases qualificatórias com os outros
    ou talvez como era muito antigamente no RS, divide o estado em várias regiões, os campeões regionais se enfrentam na final (6 ou 8 regiões)
    o vencedor da “regional porto alegre” jogaria menos do que no molde atual, pq a própria regional porto alegre seria um torneio de 5/6 times também
    e as outras regionais bota todo mundo pra jogar

  • 76. Sanchotene  |  31/03/2010 às 15:29

    Re 72

    Podem achar que é porque sou gremista, mas isso não importa. O correto é o Inter MANTER Fossati INDEPENDENTEMENTE do que aconteça hoje ou domingo.

  • 77. Junior  |  31/03/2010 às 15:41

    Sancho, é possível ir bem no Estadual e Libertadores, mas os Estaduais sempre atrapalham, de uma forma ou outra. Na minha opinião, a principal complicação dos estaduais é o fato de obrigar que as pré-temporadas dos grandes clubes tenham no máximo duas semanas, ao invés de um mês, o que seria mais recomendável. Geralmente, um time grande se reapresenta na primeira semana de janeiro e já tem que estrear pelo dia 20 de janeiro. Sem falar na falta de datas, os times que estão na Libertadores jogaram em média a cada 3, 4 dias em março, o que é lamentável para um começo de ano. Os estaduais são tradicionais, mas deveriam ser bem menores atualmente, com no máximo 12 datas, o ideal seriam 10. Se o Inter for campeão da Libertadores ou Copa do Brasil, o título do Gauchão não representa nada para mim, é apenas um “plus”.

  • 78. Sanchotene  |  31/03/2010 às 15:57

    Júnior,

    O problema não são os Estaduais em si, mas a organização do calendário como um todo. Antes que venham com papinho, dois pontos: (a) os estaduais já estava aí ANTES do problema da pré-temporada começar; e (b) a Libertadores 2010 começou uma semana após os Estaduais.

    A opção por “espremer” os Estaduais “num cantinho” foi proposital. Quem estabeleceu o atual calendário são os jucakfourianos, para quem os estaduais são o que há de mais nefasto no futebol brasileiro depois do Ricardo Teixeira.

    Por mais que eu goste, infelizmente, terei que abandonar a conversa.

    Abraço.

    P.S.: (Re 73) Flávio, a Copa da Liga está ali porque foi inspirado no modelo inglês. Ademais, acho que no segundo semestre deveria haver uma Copa da Liga sem os clubes que disputam a Sul-Americana (dando 0,5 vaga para a Libertadores)…

  • 79. Sanchotene  |  31/03/2010 às 16:02

    Compl. 78

    O Campeonato Brasileiro também atrapalha a Libertadores (ou vice-versa). Os finalistas da Libertadores normalmente se cravam no Nacional por causa da utilização de reservas. O ideal seria não haver NENHUM campeonato durante a Libertadores. Todo mundo jogando BOLITA e aguardando o campeonato nacional LIMPO. Aí, nada atraplharia nada.

    Se a Inglaterra fosse o Rio Grande do Sul, os comentaristas estariam dizendo que a goleada do Chelsea sobre o Aston Villa (7-1) não valeu nada; ficou ofuscada pela eliminação precoce na Champions. Que jogar contra os timecos da Premier League não é parâmetro para ninguém; que os torcedores do Chelsea estão se enganando, etc.

  • 80. catarina cristo  |  31/03/2010 às 16:05

    #77

    “Se o Inter for campeão da Libertadores ou Copa do Brasil, o título do Gauchão não representa nada para mim (…)”

    Acho lindo isso.

    Leio e é impossível não pensar que a pobreza tem seus encantos.

  • 81. Inácio  |  31/03/2010 às 16:21

    Toda a razão, companheiro!

    PS.: Observem o Estudiantes, vai levar mais uma Libertadores. (é, de longe, o melhor tiem do torneio).

  • 82. dante  |  31/03/2010 às 16:46

    carlos, eu apoio o fossati, e apoiaria qualquer treinador* que estivesse mostrando trabalho simplesmente porque acho ruim ficar trocando de treinador a todo o momento.

    *menos o tite. aelkfjsdlkfjs

  • 83. Eduardo  |  31/03/2010 às 16:52

    #82
    ouvi dizer que se o Fossati cair, o Joel Santana é o mais cotado

  • 84. dante  |  31/03/2010 às 17:02

    #83: ouvi dizer que tu tá enganado.

  • 85. rafael botafoguense  |  31/03/2010 às 17:06

    #17 o botafogo só teve 3 técnicos estrangeiros: charles willians(inglês),nicolas ladanyi e izidor kürschner(húngaros).

    o Ladanyi foi uma dos mais importantes técnicos estrangeiros da história do brasil.Levou o botafogo ao titulo em 30,32,33,34,ainda seríamos tetra em 35 sob o comando de carlito rocha o ‘homem-botafogo’.

    o flávio costa é o recordista de títulos cariocas:8.4 pelo fla e 4 pelo vasco do expresso. O joel tem 6 e ainda tá na final,no caminho do 7º além de ter sido campeão pelos 4.

    JOEL=MITO

  • 86. Eduardo  |  31/03/2010 às 17:08

    bueno… a fonte pode não ser segura, mas a questão aqui é que o glorioso Tite não é o unico sem apoio 🙂

  • 87. rafael botafoguense  |  31/03/2010 às 17:10

    #83 RESPEITE O MITO, SEU COCÔ!

  • 88. rafael botafoguense  |  31/03/2010 às 17:12

    http://www.lancenet.com.br/botafogo/noticias/10-03-31/727267.stm?futebol-loco-abreu-pode-pegar-gancho-de-12-partidas-nesta-quarta-feira

    TJD=MEDO ai ai ai

    todos temem o tsunami da área.

  • 89. Eduardo  |  31/03/2010 às 17:22

    #87
    eu respeito…e muito… nunca ouvi sobre nenhum treinador mais vitorioso do que ele no RIO…

    já nossos co-irmãos aqui do sul… delirios com a prancheta cheia de informação confidencial…

  • 90. Y  |  31/03/2010 às 17:26

    #85:

    se tivesse ganhado 31 seria HEXA

  • 91. Y  |  31/03/2010 às 17:26

    #85:

    8 paulistas tem o Luxa e o LULA

  • 92. Y  |  31/03/2010 às 17:27

    PREPARA-TE RAFAEL BOTAFOGUENSE,

    acabei de mandar o texto que me dará a camisa do MADURA.

    dessa vez, você perde.

    BI NEM A PAU!!!!!!!!!!!!!!

  • 93. Y  |  31/03/2010 às 17:33

    hahaha… tô zoando. aprendi a nunca duvidar da sua genialidade.

    meu texto não sei se ficou bom… nem revisei. com certeza tem erro de LOGÍSTICA.

  • 94. rafael botafoguense  |  31/03/2010 às 17:41

    hhahah eu também errei a rodo,mas eles revisam.Faz parte do trabalho de logística.

    RUMO AO BI PORRAAAA!!!!!

    po,queria que ganhasse em 31,acho que já sonhei com isso.O mais triste é que o AMÉRICA foi campeão nesse ano!

    HEXA CARIOCA SEGUIDO SERIA PURO ESCULACHO.

    mas tetra é fodão também.Corre atrás vasco e flamengo!

  • 95. Y  |  31/03/2010 às 17:51

    eu pensava que o américa tinha sido HEXACAMPEÃO CARIOCA no seu texto, quando li.

    quero ler os textos da galera… vai ser mto loko.

    tô com dor na retina aqui… escrevi direto, vai tomar no cu.

    não quero ser jornalista… dá mta dor no cérebro.

    prefiro continuar a estudar Astronáutica, Matemática, Lógica…

  • 96. Y  |  31/03/2010 às 17:54

    fiquei sabendo hoje que Beto Carrero morreu

    sacanagem… eu ia matá-lo.

    os biscoitos Parati tão caro prá cacete, vá à merda. Aquele Minueto lá, tomar no cu. Achei que era barato, fui ver, UM E SESSENTA. Tomar no rabo, Beto Carrero.

    RIP

  • 97. rafael botafoguense  |  31/03/2010 às 18:10

    já morreu há um tempão esse porra ,não?

    o meu eu escrevi rapidin,não sabia o que ia escrever aí do nada apareceu a história na minha cabeça aí só digitei.

    mas acho que viajei pouco,devia ter viajado mais.

    acho que ficou meio sério.

    sei lá.

  • 98. Sanchotene  |  31/03/2010 às 18:26

    Campeões Brasileiros Invictos

    Foram conquistados, ao todo 15 títulos invictos, por 9 clubes diferentes. O pioneiro foi o Fluminense, em 1957; mas o título mais expressivo é o do Internacional, em 1979, com 23 partidas de invencibilidade. Outro feito digno de registro são as três Taça Brasil consecutivas -1963/1965- conquistas pelo Santos de forma invicta, com 13 vitórias em 14 jogos. Eis a relação dos invictos, ordenada por número de vitórias:

    – 16 vitórias
    1979, Liga – Internacional: 23j; 16v, 7e; 40gp, 13gc; 27s.
    – 8 vitórias
    2003, Taça – Cruzeiro: 11j; 8v, 3e; 29gp, 12gc; 17s.
    1995, Taça – Corinthians: 10j; 8v, 2e; 21gp, 3gc; 18s.
    – 7 vitórias
    2000, Taça – Cruzeiro: 11j; 7v, 4e; 24gp, 10gc; 14s.
    1957, Liga – Fluminense: 9j; 7v, 2e; 23gp, 11gc; 12s.
    1989, Taça – Grêmio: 9j; 7v, 2e; 25gp, 4gc; 21s.
    1966, Taça – Cruzeiro: 8j; 7v, 1e; 23gp, 7gc; 16s.
    – 6 vitórias
    1990, Taça – Flamengo: 10j; 6v, 4e; 20gp, 5gc; 15s.
    1991, Taça – Criciúma: 10j; 6v, 4e; 14gp, 3gc; 11s.
    1994, Taça – Grêmio: 10j; 6v, 4e; 13gp, 5gc; 8s.
    – 5 vitórias
    1997, Taça – Grêmio: 10j; 5v, 5e; 19gp, 12gc; 7s.
    1964, Taça – Santos: 6j; 5v, 1e; 20gp, 5gc; 15s.
    – 4 vitórias
    1963, Taça – Santos: 4j; 4v; 15gp, 4gc; 11s.
    1965, Taça – Santos: 4j; 4v; 11gp, 4gc; 7s.
    – 3 vitórias
    1960, Taça – Palmeiras: 4j; 3v, 1e; 12gp, 3gc; 9s.

    Desde 2003, não há campeões invictos.

  • 99. Sanchotene  |  31/03/2010 às 18:26

    http://campeoesbrasileiros.blogspot.com/

  • 100. Y  |  31/03/2010 às 18:33

    AGUANTE SANCHOTENE!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

    esse sim é lúcido.

  • 101. Y  |  31/03/2010 às 18:33

    e não é ironia

    AGUANTE SANCHOTEM!!!!!!!!!!

  • 102. Y  |  31/03/2010 às 18:43

    Corinthians = melhor defesa da história em invencibilidade

    AGUANTE HENRIQUE (ex-gremista que levantou a taça em pleno Olímpico)!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

  • 103. Eduardo  |  31/03/2010 às 19:05

    #102
    segundo diz a lenda, ele fechou os olhos e se imaginou vestindo a tricolor azul-preta-e-branca… 🙂
    desgraçado… eu tava lá! : (

    Henrique -> o pobre coitado foi acusado num caso estúpido (junto com o Cuca, se não me engano) de uma suíça fresca que resolveu esfregar as coxas com eles e depois se arrependeu…

  • 104. Flávio  |  31/03/2010 às 19:48

    Henrique, Cuca, Fernando e Chico. Diz a lenda que dois mataram a bola, um entrou de gaiato na história e o Cuca só ficou espiando pela fechadura e batendo uma…

  • 105. Eduardo  |  31/03/2010 às 20:55

    Fernando e Chico… isso mesmo. nem me lembrava.
    Bom , o Cuca, todos sabem onde está. O Henrique fez razoável sucesso no mosqueteiro paulista… e os outros 2?

    ?qué pasó?

  • 106. Flávio  |  31/03/2010 às 22:29

    Chico era goleiro. Reserva do Taffarel na sub-20 e do Mazaropi no Grêmio. Trocou o nome para Eduardo e despontou para o anonimato. Fernando era ponta, o “herdeiro do Renato”. Sumiu depois que quebrou a perna do Pinga.

  • 107. Y  |  31/03/2010 às 23:05

    Chico era goleiro. Reserva do Taffarel na sub-20 e do Mazaropi no Grêmio. Trocou o nome para Eduardo

    MÁQUEPORRAÉÉSSA???

    EDUARDO???? O cara chamava CHICO E TROCOU DE NOME????

    #103:

    O importante é que ele estava trajando o ARROJADO manto da SUVINIL… uhauhahauaa.

  • 108. Flávio  |  31/03/2010 às 23:59

    #107
    O cara atendia por Chico (presume-se que se cu nome era Francisco). Mas lá pelas tantas pediu para a imprensa passar a chamá-lo de Eduardo… Vai entender… Mas num país em que Paulo Isidoro e João Paulo já foram apelidos de boleiro, esse tipo de coisa não surpreende…

  • 109. Flávio  |  01/04/2010 às 00:00

    errata: seu nome…

  • 110. Sancho  |  01/04/2010 às 06:26

    Depois do 100-101, parei…

  • 111. Pedro  |  01/04/2010 às 10:11

    “antes de perceber que o mate é bem mais amargo do lado de cá, e ainda mais quando é a imprensa quem acomoda na cuia a sua erva com gosto de FEL.”

    MUITO bom! Belo texto.

  • 112. Y  |  02/04/2010 às 12:22

    #110:

    não entendi.

    se foi indirectamente positivo, que tu sejas A BEM SUADO.

    mas se foi algo negativo, ainda que de forma indirecta, tu mereces nada menos que a morte e que vá TOMAR NO CU!!!!!!!!

    nomá, sua lógica é boa, isso eu reitero. apoio-te nessa CRUZADA.

  • 113. Luís Felipe  |  03/04/2010 às 01:27

    o Chico-Eduardo esse jogou no Esportivo por um bom tempo. Teve um jogo contra o Grêmio no qual ele teve uma atuação impressionante. Foi no Olímpico e se não me engano, acabou 4 a 3. Depois de ter jogado muita bola durante 90 minutos, aos 91 ele botou pra dentro uma falta defensável do Ronaldinho.

  • 114. Luís Felipe  |  03/04/2010 às 01:29

    muito tempo depois eu ouvi que essa história do “estupro” na Suíça aconteceu pq a guria admitiu que trepou sem camisinha e contou pra mãe que morria de medo de engravidar. Daí, inventaram a história pra justificar o possível fato. Não sei até que ponto é verdade, mas nunca vou conseguir perguntar pra ela…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Subscribe to the comments via RSS Feed


Especial – Libertadores 2011

A bola da ImpedCopa

Toco e me voy

Feeds

web tracker

%d blogueiros gostam disto: