O que o Grêmio aprendeu com Marcelo Rospide

29/03/2010 at 11:37 81 comentários

O interino vitaminado que foi um dos melhores treinadores do Grêmio nos últimos anos não é lá um gênio do futebol, nem um virtuose incompreendido pelas massas. Rospide, na verdade, sempre foi um cara simples que fazia o simples, o que lá pelas tantas pode até gerar uma espécie de compaixão dos jogadores – “pô, meteram esse cara numa fria, esperando o Autuori, vamos jogar por ele” – mas nada que se possa dizer que é um treinador afirmado. Entretanto, mais com sua presença do que com suas ações, Rospide conseguiu transformar aquilo que chamam de “cara do Grêmio”: menos jogadores ruins e raçudos, mais jogadores qualificados formados na base.

Com o ajustado time desse ano, Silas bebe de uma fonte que foi gerada por Rodrigo Caetano, Julinho Camargo e outros profissionais competentes, mas que teve em Rospide a sua torneira. Depois da crise financeira que quase levou o Grêmio à falência completa, a aposta nas categorias de base deveria ser questão de ordem. Deveria. O problema é que antes da falência, houve a pujança, e na pujança os próceres que comandaram o Grêmio no início dos anos 00 achavam que categoria de base era perda de tempo. Afinal – diziam os sábios – se a gente forma um Ronaldinho levam embora mesmo…

Chegou o ponto em que o Grêmio não tinha dinheiro e nem base. Estava sem nenhuma perspectiva recente. Restou, então, apelar para o método tentativa e erro – o Grêmio contratava no bastantão, cestas e mais cestas de jogadores medíocres, para ver se dali tirava um bom atleta. De Michells, Alessandros Lopes e Raones, saía de vez em quando um Evaldo; de Leonardos Inácios, Yans, Carlos Arangios, volta e meia surgia um Tcheco.

Baseado nessa possibilidade, que era apenas a única, foi construída uma imagem do Grêmio que a rigor, nunca existiu. Era o Grêmio raçudo e aguerrido dos jogadores medíocres que se superavam. O Grêmio não precisava de craques, nunca precisou! Dinho, Goiano, Rivarola, todos pernas de pau. Essa história de grandes jogadores é coisa de maricas. Treino é jogo e jogo é guerra. Raça, carrinho, chutão, é assim que o Grêmio sempre ganhou. E a história de Gessy, Renato, Alcindo, entre outros jogadores diferenciados, ia para o ralo. Se revisou a história, praticamente.

Os resultados até que foram bons, para o que se desenhava. O Grêmio, afinal, chegou numa final de Libertadores, com um time que figuraria talvez em uma nota de rodapé de sua história (Saja, Patrício, William, Teco, Lúcio; Gavilán, Lucas, Diego Souza, Tcheco; Carlos Eduardo e Tuta), tudo levado pela força estranha da camiseta que só funcionaria com a mediocridade. O problema é que o tempo passou, e olhando para trás, o torcedor viu boas campanhas, mas nenhum título importante.

O Grêmio de 2010 ainda não é favorito ao Campeonato Brasileiro, e não me atrevo a dizer que é na Copa do Brasil, por ser o mais traiçoeiro de todos. Porém, o Grêmio de 2010 tem algo que faltou em quase todos os times que vestiram a tricolor nos últimos 10 anos: potencial. É um time que fez boas contratações (Hugo, Leandro) e que pode deixar todas elas no banco, para que sejam desenvolvidos no campo os potenciais de Maylson, Mithyuê, William Magrão, Adílson, Bruno Collaço. Pode ser que no futuro, todos eles sejam uma farsa: mas no presente, estão dando conta do recado.

Nada disso foi Rospide quem ensinou ao Grêmio. O Grêmio, porém, viu em Rospide um pouco da sua história. A história de taças, que foi construída por jogadores que eram mais do que ruins e raçudos. Uma epifania que está fazendo o clube seguir adiante.

Até a vitória,
Luís Felipe dos Santos

Anúncios

Entry filed under: Gauchão.

Boa noite, cinderela. Até mais, Edu A morte e a morte de Armando Nogueira (carta aberta)

81 Comentários Add your own

  • 1. Guilherme  |  29/03/2010 às 11:41

    Bah LF. MELHOR texto.

  • 2. Gustavo  |  29/03/2010 às 11:51

    Parabéns pela leitura da situação, LF. Mandaste muito bem.
    Até me arrisco numa afirmação: o principal arauto dessa imagem de “raça” é o sr. Eduardo Bueno.

  • 3. alemao  |  29/03/2010 às 11:52

    Certo q isso é algum tipo de maquinação para desestabilizar o time. Daqui a pouco o Hugo lê isso, vai se achar uma boa contratação, e fazer um beicinho dizendo q não tem a grife do mailson…já vi tudo

  • 4. Gustavo  |  29/03/2010 às 11:54

    Do time da final da Libertadores, somente dois jogadores, no máximo 3, eram diferenciados: Lucas e Diego Souza (e, com algum esforço, Carlos Eduardo). Um deles (ou dois, dependendo da leitura) eram da base.

  • 5. Frank  |  29/03/2010 às 11:55

    Concordo em termos…

    O Grêmio das conquistas históricas sempre teve jogadores talentosos, mas também tinha os pernas-de-pau que carregavam o piano e serviam mais para conter o ímpeto dos adversários do que para produzir para o time.

    Bem, o problema é que só esses últimos forjaram o pressuposto que é a base do pensamento mágico reinante no Olímpico nos últimos anos: não precisamos de craques, só de raça e imortalidade…

    O problema desse time atual é que ele é um dos mais CAROS DA HISTÓRIA gremista… se dispensassem o Hugo, o Batoré, o Rocambole e mais umas nabas que não valem o que comem, esse time ia ter uma perspectiva mais otimista para finalmente ganhar algum título de expressão (Sulamiranda não vale)…

    Ah sim: não mostra esse texto pra GERAL…

    hahahasfiohfoihsfh =D

  • 6. Gustavo  |  29/03/2010 às 11:55

    #4 Esqueci de incluir o William, baita zagueiro.

  • 7. Jean Mello  |  29/03/2010 às 11:56

    taqueopario…chorei aqui no trabalho!

    Somente um ressalva. Dinho era um jogador técnico…dava bota e sabia passar e CHUTAR A GOL. Coisas que hoje em dia não se exige mais do centro-médio.

  • 8. Roberto Cavalo  |  29/03/2010 às 11:59

    Bom time é aquele que dosa raça e categoria (Cleber Machado).

  • 9. Guilherme  |  29/03/2010 às 12:00

    .4

    Eu já acho o Carlos Eduardo o melhor de todos eles. Disparado.

  • 10. Sancho  |  29/03/2010 às 12:03

    O texto está muito bom, mesmo. As figuras da “raça” e do “grito” nasceram praticamente filhas das circunstâncias; e acho que o LF foi muito feliz em mostrar isso.

  • 11. Guilherme  |  29/03/2010 às 12:09

    Eu já acho que o verdadeiro estilo de jogo do Grêmio não é o da porrada e ganhar a qualquer custo. Eu vejo a seleção brasileira de hoje jogando no estilo do Grêmio, inclusive. É futebol 100% e com dedicação, marcação, mas com QUALIDADE.

    TODOS os grandes times do Grêmio sempre tiveram jogadores muito técnicos. A diferença é que no Grêmio só ser técnico não basta.

  • 12. Gustavo  |  29/03/2010 às 12:11

    #9: o Carlos Eduardo mostra FINEZA no trato com à bola, mas era prematuro chamá-lo de jogador diferenciado à época. Já o Lucas e o Diego Souza já o haviam provado.

  • 13. Frank  |  29/03/2010 às 12:13

    #11

    Mazah, quem diria que o time do Dunga ia jogar no estilo gremista hein…

    Seguindo essa lógica, o ANÃO aprendeu bem com o imortal…

    ahiahoihdfoia

  • 14. Francisco Luz  |  29/03/2010 às 12:16

    5: QUALQUER time que venceu QUALQUER coisa tinha uns pernas-de-pau junto para ajudar na contenda. Em 1976, o Inter tinha o VACARIA como lateral-esquerdo, para citar um único exemplo.

    Nenhum time é formado 100% por talento.

  • 15. Gustavo  |  29/03/2010 às 12:17

    #14: um bom exemplo de time que só tinha FILÉ e não ganhou foi a seleção de 82.

  • 16. Felipe (o catarina)  |  29/03/2010 às 12:19

    essa é pro Douglas relembrar seu velho ídolo:

    http://video.globo.com/Videos/Player/Esportes/0,,GIM1236552-7824-EM+GOLEIRO+CESAR+SILVA+E+O+ARTILHEIRO+DO+AVAI+NO+CAMPEONATO+CATARINENSE,00.html

  • 17. Guilherme  |  29/03/2010 às 12:19

    .12

    Na época já dava pra ver que ele tinha potencial pra se tornar diferenciado.

  • 18. Guilherme  |  29/03/2010 às 12:21

    .13

    COM CERTEZA o dunga segue os passos do Felipão. Acho bem claro isso.

  • 19. Gustavo  |  29/03/2010 às 12:21

    #17: Tá Guilherme. O Taison também tem (tinha) potencial pra se tornar diferenciado. Entendeu agora?

  • 20. Guilherme  |  29/03/2010 às 12:24

    Sério, o Carlos Eduardo sempre foi muito superior ao Taison.

    Mas entendo o que tu quer dizer.

  • 21. guihoch  |  29/03/2010 às 12:26

    andreshow mode on

    ESCREVERIA BEM MELHOR SOBRE O GRÊMIO QUE O LF

    HAUSHSHSHSH

  • 22. Carlos  |  29/03/2010 às 12:30

    #15
    Serginho era perna de pau naquela seleção de 82.

    Fora isso, só filé.

    Belo texto, LF.

  • 23. Roger  |  29/03/2010 às 12:33

    Bah, agora fudeu tudo!
    A maldição nunca falha.
    E além disso, não vejo tanto potencial assim .
    É time pra brigar, no máximo, pela Copa do Brasil.

  • 24. Frank  |  29/03/2010 às 12:38

    #14

    Aham, isso é ÓBVIO, mas vá falar para certos setores da torcida gremista…

    O problema deles é quando tu junta a falsa ideia de que se pode ganhar títulos só na raça e no bafo na nuca proporcionado pela torcida com o BAIRRISMO que grassa aqui pelos pampas…

    Assim, o “VERDADEIRO” futebol gaúcho seria o da pegada, da garra inesgotável, etc… Tchê, não aguento esse papinho…

  • 25. guihoch  |  29/03/2010 às 12:39

    TEM UM ESPECIAL NO GLOBO ESPORTE DO A. NOGUEIRA, volte pra home depois e vejam os outros

    “Gol de letra é injúria; gol contra é incesto; gol de bico é estupro.”

    http://globoesporte.globo.com/Esportes/Noticias/Futebol/0,,MUL1548994-9825,00-DEZ+FRASES+INESQUECICEIS+DO+MESTRE+ARMANDO+NOGUEIRA.html

  • 26. guihoch  |  29/03/2010 às 12:59

    “O esporte é uma das mais ricas manifestações de vida que eu conheço. Contém todas as virtudes e todos os pecados da criatura humana, dos mais sublimes aos mais subalternos”

    sabia muito

  • 27. Alexandre Perin  |  29/03/2010 às 13:09

    Excelente texto. É uma porrada na “Política da Mediocridade”, que é endeusada sempre que falam bem da Batalha dos Aflitos. Infelizmente o Grêmio está achando seu caminho.

  • 28. Frederick Martins  |  29/03/2010 às 13:10

    O Lucas de 2006 era diferenciado. O de 2007, tenho minhas dúvidas.

  • 29. arbo  |  29/03/2010 às 13:25

    #7 Jean, não leia aquilo exatamente como palavras DO Luís Felipe…

    no mais, por onde anda o TECO? era mto bom e se machucou no auge…

  • 30. Lorenz  |  29/03/2010 às 13:30

  • 31. luisfelipe  |  29/03/2010 às 13:34

    olha só, tem uma parte meio irônica…o dinho, até envelhecer, era um jogador de bom trato com a bola. Mas que bom que gostaram.

  • 32. Kleiton  |  29/03/2010 às 13:47

    #23
    “É time pra brigar, no máximo, pela Copa do Brasil.”

    Mas é o único torneio que me interessa esse ano, à exceção do Brasileirão, que NUNCA ganharemos no formato de pontos corridos.

    Ganhando a Copa do Brasil, tá mais que bom.

  • 33. Topolski  |  29/03/2010 às 14:07

    Carlos Eduardo é muito mais jogador que Diego Souza e Lucas. Lucas que em 2007 praticamente não jogou. Foi pra uma seleção sub-20, se machucou e voltou na final não jogando um ovo.

    E, por favor, Teco é um dos zagueiros mais enganadores que passaram pelo Olímpico nos ultimos anos. Que cara ruimm, tanto que foi dispensado do Botafogo no fim do ano.

  • 34. Pato  |  29/03/2010 às 14:07

    #29
    Auge?? Estava começando. Nem chegou perto do auge.

  • 35. Jean Mello  |  29/03/2010 às 14:25

    #29
    sim…perdoo pois o texto está ótimo…mas que é um sacrilégio ver alguém chamando Dinho de perna de pau…

    o Teco voltou depois do Cruzeiro foi para o Botafogo ano passado, mas se machucou(pela enésima vez) , e não joga nenhuma partida desde o ano passado.

  • 36. Prestes  |  29/03/2010 às 14:32

    O time de 2008 já tinha WM e Rafael Carioca – dois volantes técnicos e da base – como motor; Pico e (nem sempre) Mationi nas laterais e o Léo na defesa.

  • 37. Frederick Martins  |  29/03/2010 às 14:50

    “Carlos Eduardo é muito mais jogador que Diego Souza e Lucas. Lucas que em 2007 praticamente não jogou. Foi pra uma seleção sub-20, se machucou e voltou na final não jogando um ovo.”

    Perfeito.
    Sem falar que o DS foi contratado para ser segundo volante, e nunca jogou bem nessa função. Quando era recuado ou ocupava a meia esquerda, fazia corpo mole e desaparecia. Quando jogava na meia direita, destruía nos jogos.

    Quando o Carlos Eduardo se lesionou no meio da fase de grupos da Liber, todo mundo sentiu a falta do cara ali na frente (até porque as opções imediatas eram Everton e Ramón). Quantas vezes o Inter sentiu a falta do Taison em 2009?

  • 38. dante  |  29/03/2010 às 15:03

    “Quantas vezes o Inter sentiu a falta do Taison em 2009?”

    ainda sentimos, fred.

  • 39. Phoenix  |  29/03/2010 às 15:03

    O time de 2007 era mais fraco que o de 2010, sem dúvida, mas não vejo nenhum jogador no time de 2010 com a qualidade de Lucas e Carlos Eduardo. Nem Mário Fernandes, nem Magrão, Adílson, Me2ê ou quem quer que seja. Douglas é bom, Borges é matador e Victor é seleção, mas é goleiro.
    Outra grand evatagem do time de 2007 é que era treinado pelo Mano. Esse sim o melhor treinador em atividade no Brasil.

  • 40. mardruck  |  29/03/2010 às 15:12

    2007 o Lucas não jogou nada.
    Só decidiu contra o Cerro, se machucou e já eras.

  • 41. Jader Anderson  |  29/03/2010 às 15:13

    Ótimo texto…

    Ainda bem que o nacional querido rompeu a maldição do impedimento… posso dormir tranquilo

    hehehehe

  • 42. Jader Anderson  |  29/03/2010 às 15:14

    Em 2007 lucas foi banqueado por SANDRO GOIANO… e com justiça…

    Mas quem jogou mesmo em 2007 foi o gavilán…

  • 43. arbo  |  29/03/2010 às 15:17

    Verdade, Pato#34, expressão infeliz. Enfim, tava fechando tremendamente bem a zaga William-Teco. Saiu jogando muito, na minha opinião. Depois da lesão não mais acompanhei.

  • 44. Guilherme  |  29/03/2010 às 15:17

    .42

    Bah, Gavilán é pior que o Ferdinando umas mil vezes.

  • 45. Jader Anderson  |  29/03/2010 às 15:34

    #44 não acho mesmo…

    pelo menos pelo que assisti da liber 2007

    Mas cada um cada um… tu acredita que o CE era melhor que diego souza quando eu penso ao contrario…

  • 46. natusch  |  29/03/2010 às 16:02

    #44

    Bah, uma coisa dessas machuca as vistas do vivente, na boa. Comparado com Ferdinando, Gavilán (que era um jogador bem humilde tecnicamente) vira o novo Nilton Santos.

    O texto em si é perfeito. Na época do aniversário da Batalha dos Aflitos escrevi no Carta na Manga um texto bem parecido em ESSÊNCIA, ou seja, LF apenas CONCORDOU COMIGO =P

  • 47. Rudi  |  29/03/2010 às 16:08

    drops

    uma pena:
    http://globoesporte.globo.com/Esportes/Noticias/Times/Palmeiras/0,,MUL1548140-9872,00-FLORENTIN+EXPALMEIRAS+MORRE+EM+ACIDENTE+DE+CARRO+NO+PARAGUAI.html

    isso é assustador:
    http://colunas.globoesporte.com/primeiramao/2010/03/26/eike-batista-tem-planos-de-criar-fundo-e-investir-no-futebol/

  • 48. Jader Anderson  |  29/03/2010 às 16:19

    Melhor nem falar rudi…

    Basta lembrar do resultado do Danta-Bahia… meu deus

  • 49. Germano  |  29/03/2010 às 16:52

    #3 “Daqui a pouco o Hugo lê isso …”

    auehauoehoahue, de-maaaaaaaais

  • 50. Guilherme  |  29/03/2010 às 16:56

    Acho que o Gavilán nunca acertou um passe.

  • 51. Phoenix  |  29/03/2010 às 17:13

    Na Liber-2007 o Gavillan jogou muito!
    Até passe acertava.
    E concordo que o Lucas jogou pouco em 2007. Mas que tem mais qualidade que qualquer um do time de 2010, isso tem!
    E o Teco era um mero rebatedor de bolas, bom na bola aérea. Jogou bem na Liber porque o William era um monstro na zaga! tanto que nunca mais jogou em lugar nenhum. Nem antes, nem depois (o depois, graças às lesões, principalmente).

  • 52. Topolski  |  29/03/2010 às 17:16

    o Teco era um terror nas bolas aéreas, não tirava uma.

    E o Diego Souza até jogou mais que o Cadu na libertadores em vários jogos. Mas hj não há comparação, tanto que o Cadu ta com um olho na copa e o DS o Dunga nem quer lembrar que convocou.

    E eu não acho que o Gavillan tenha jogado tanto, mas ele entrou no lugar do EDMISLON, o que qualificou muito o time.

  • 53. rafael botafoguense  |  29/03/2010 às 17:44

    “O futebol não aprimora os caracteres do homem, mas sim os revela.”

    “O Botafogo é bem mais que um clube – é uma predestinação celestial.”

    VALEU ARMANDO.

    agora entendo pq o botafogo joga hj.Só pra homenageá-lo.

  • 54. Guilherme  |  29/03/2010 às 17:48

    Eu sei que a torcida do grêmio amava o Gavilán, mas era uma daquelas paixões cegas, assim como com o Amato. A torcida do Grêmio costumava ser que nem xina da fronteira, falou espanhol e ela se arreganhava toda.

    Graças a deus já passamos dessa fase.

    Eu eu acho que o Carlos Eduardo não fez uma Libertadores tão boa como o Diego Souza, que foi mais decisivo. Mas o CE tem mais futuro pela frente, na seleção inclusive.

  • 55. alemao  |  29/03/2010 às 17:55

    Q paixão q a torcida tinha com o Amato? Talvez com o outro perna de pau, q agora é técnico q esqueci o nome…o volante q veio junto nessa época.

    O Amato me dava vergonha. E o Gavillan, não sei…tb não fazia parte desse amor todo

  • 56. Germano  |  29/03/2010 às 17:59

    O lance do Gavillán foi diferente, eu lembro. Na fatídica final, quando tudo já estava perdido mas ninguém admitia, Gavillán foi aquele que mostrou garra e quis ganhar aquela peleja. O resto aceitou e o contraste criou o “herói”.

  • 57. Roberto Cavalo  |  29/03/2010 às 18:00

    AMATO? Esse cara foi a maior enganação da história.

    (bom,não dá pra esperar muito de alguém que se destacou no pujante futebol ESCOCÊS, mas cumpre destacar que a torcida não tinha nehuma paixão por ele)

  • 58. arbo  |  29/03/2010 às 18:01

    Bá, acho q o Teco complementava bem o William (claramente superior, concordamos). e ainda fazia uns golos lá na frente.
    e é desnecessária a comparação DS x CE, em 2007. os dois comeram a bola, foram ótimos em suas posições.

  • 59. arbo  |  29/03/2010 às 18:04

    to rindo mto nesse site (nem tanto com esta q posto)
    http://www.revistapiaui.com.br/herald/post_41/Primeiro_Congresso_Nacional_de_Manchetes_do_Jornalismo_Esportivo_termina_com_otimismo.aspx

  • 60. Germano  |  29/03/2010 às 18:05

  • 61. Guilherme  |  29/03/2010 às 18:07

    Bah, sério galera. O Amato era OVACIONADO no Olímpico quando chegou. Eu lembro que eu ia nas sociais e aplaudia também. Depois de um tempo todo mundo viu que ele era ruim e pararam com a puxação de saco castelhana.

  • 62. Gerhardt  |  29/03/2010 às 18:22

    eu aqui,
    baita texto.

    o time de agora não define o ano. ele é apenas um rascunho para o bem ou para o mal.

    ao Grêmio temo faltar apenas UM único homem, um predestinado na casamata, tal qual foi MANO, ao qual cada vez q revejo nas hostes curintchenas, lamento.

    alguém abriu o forno qndo ele estava aqui, na hora q todos pediam, mas não na que a natureza determinava.

    eu ainda naõ consigo saber se SILAS é um profeta ou um engodo.

  • 63. Mateus  |  29/03/2010 às 19:12

    Bah, na boa, Gavillán sempre foi uma naba, INCLUSIVE na LA 2007. É só falar espanhol e dar uns carrinhos que a galera se arreganha. Eu tremia de MEDO cada vez que ele (tentava) dominar a bola…

  • 64. almilano  |  29/03/2010 às 19:51

    Grêmio será campeão Gaúcho com sobras e sucumbirá perante os dançarinos do Santos na semi da Copa do Brasil.

    Baita texto mesmo, parabéns.

  • 65. juliano  |  29/03/2010 às 20:22

    o volante que agora é técnico, era o astrada…

    mas ele já jogou (quer dizer, eu acho) bola alguma vez na vida

    já o amato era um TUTA piorado, campeonato escocês é pior que campeonato cearense…

  • 66. Rafael Chat  |  29/03/2010 às 20:56

    Grande texto

    Tem um lado do estádio (à direita) habitado por adolescentes que acham que o Grêmio começou em 2005.

  • 67. Eduardo  |  29/03/2010 às 21:30

    belo texto… não concordo com tudo, mas faz repensar na história recente tricolor… só senti falta da referência aos 50 jogos em casa… aliás, antes do fatídico jogo contra o Goiás, alguém sabe qual tinha sido a última derrota? se não me engano, fazia um bom tempo também…

    Amato, Astrada, ???….. argh! época funesta….
    bom mesmo eram os tempos do “Danlaba Mendes” (acho que era assim que se chamava aquela “jóia”)

  • 68. Eduardo  |  29/03/2010 às 21:33

    #63
    será que se o Ferdinando ou o Rocca chegarem dando “Buenos dias” a galera manera nas vaias??

  • 69. Serramalte Extra  |  29/03/2010 às 23:33

    Danlaba MENDI. Era um Rentería sem graça, ou seja, nada.

  • 70. Guilherme Dias  |  29/03/2010 às 23:35

    #63:

    O Gavillan nao conseguia dar passe de mais de 5m nem fudendo.

  • 71. Pato  |  29/03/2010 às 23:50

    Gavillam jogou muito na partida contra o Santos no Monumental. Aliás, aquela partida foi um banho de bola.
    (ok, ok, a segunda partida foi um horror).

  • 72. Sancho  |  30/03/2010 às 00:00

    Totalmente desnecessário disputar a última rodada. Poderíamos iniciar os mata-mata já!!

  • 73. Sancho  |  30/03/2010 às 00:01

    RE 71

    O segundo tempo!

  • 74. Felipe Reck  |  30/03/2010 às 00:21

    Bá, grande texto… eu realmente acho estranha essa espécie de revisionismo que fizeram com a história do Grêmio.. parece que o Grêmio sempre foi o time dos jogadores ruins e raçudos. Sendo que eu cresci ouvindo falar de Aírton, Calvet, Ênio Rodrigues, Ortunho, Alcindo, Gessi, Sérgio Lopes, Éder, Alberto, Joãozinho, Ancheta, André Catimba, Éder, Everaldo… e na minha infância via os jogos do “Grêmio-Show”, de Valdo, Cuca etc.

    E nos últimos tempos, mesmo quando o Grêmio tem ótimos jogadores no time (Lucas, Carlos Eduardo, Rafael Carioca, William Magrão, Diego Souza, Réver, Ânderson), sempre é mais valorizada a “garra”, a “imortalidade”, sempre o discurso é o dos “jogadores médios e esforçados”. Ê papinho palha…

  • 75. Guto  |  30/03/2010 às 09:20

    #74

    também não é assim.

    Todos esses jogadores que tu citaste sempre foram mto valorizados pela torcida, especialmente os guris que vieram da base – a torcida valoriza os medianos esforçados porque, afinal, é só o que temos. Tá cheio de naba que não se esforça, e tem os que correm para compensar a ruindade. O que vamos fazer?

    Mas nem por isso deixa de aplaudir jogadores técnicos, como Lucas, CE, R. Carioca,Andershow, como foi com o Douglas Costa, e como é agora com o Mário Fernandes e o M2E.

    Espera-se ansiosamente pela gurizada da base nas arquibancadas do Monumental.

    Acho que tem um certo exagero nessa visão de vcs…

  • 76. Guilherme  |  30/03/2010 às 09:57

    .75

    Bah! Bah! Em que mundo tu vive?

    Lucas, Douglas Costa, Maylson, Polga, Eduardo Costa são os melhores exemplos de jogadores da base do Grêmio vaiados insistentemente pela torcida, que em contraponto, baixava as calças pra qualquer sotaque castelhano.

    Como eu disse, graças a deus essa desgraceira acabou. Mas ignorar o que aconteceu é cegueira.

  • 77. Gustavo  |  30/03/2010 às 13:11

    #76: Acabou por ora.

  • 78. Guto  |  30/03/2010 às 13:28

    O Douglas Costas vaiado? Eu não me recordo disso, muito pelo contrário. Mesmo qdo não entrou e não jogou nada não foi vaiado. Era aplaudido sempre que entrava em jogo.

    Polga? nem lembrava desse sujeito.

    O Maylson sim foi vaiado, porque entrava e saía dando chutão para qlqr lado, completamente torto. Sem contar que conseguia cair sozinho com a bola. Justo.

    Rafael Carioca foi vaiado?Carlos Eduardo? Nunca.

    Eduardo Costa…tu te referes ao volante? De boa, se for isso, tá de brincadeira né? Esse é teu exemplo de jogador técnico?

    Amato, Astrada e cia vieram com toda a pompa para o Grêmio, anunciados como grandes contratações por dirigentes e imprensa. Óbvio que antes da torcida descobrir que eram uns nabas em fim de carreira eles eram aplaudidos. Eram pintados como grandes craques, que tu esperas?

    Nego gosta é de arranjar qualquer desculpinha esfarrapada e achar pêlo em ovo para criticar a torcida do Grêmio. Até aqui, credo.

  • 79. Guilherme  |  30/03/2010 às 18:51

    Sim, o Douglas saiu com muxoxos pelo menos algumas vezes. Chamaram o guri de peladeiro e não sei o que mais. Ele com 17 e começando a carreira.

    Polga e Eduardo Costa eram bons volantes que chegaram na seleção inclusive, e eram vaiados a torto e direito. Lucas (outro de seleção) foi muito vaiado, só porque se machucou e demorou um pouco pra voltar a jogar no nível dele de novo.

    Carioca e Carlos Eduardo (que era chamado de peladeiro no começo por muita gente) foram exemplos de jogadores que começaram a jogar bem logo de início, nem deram tempo da torcida implicar com eles.

    Para o torcedor de um nível de inteligente maior do que de um macaco, seria natural ter mais paciência com o Maylson que é um prata da casa e participava de todas as seleções de base, do que dois argentinos que nunca ninguém nem ouviu falar. Mas a torcida do Grêmio é imbecil, vaia os da casa e se arregaça pra qualquer argentino.

  • 80. Gustavo  |  31/03/2010 às 09:59

    Acho que a do Inter não é diferente neste aspecto.

  • 81. Cebola  |  03/04/2010 às 04:08

    Carlos Edurado é craque seus bestas, se tivessem trasido um centroavante melhor ou inteiro, pois o Tuta tava a meia boca, aliás nunca esteve em forma, mas não o Marcel que trouxeram para o brasileiro.né. a coisa tinha sido diferente na Libertas, Bando de lerdos. Fomos a final da libertadores SEM ATAQUE,lembram do come e dorme Amoroso? Comeu uma vaga esse inútil. Ninguém lembra isso ao comentar asneiras.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Subscribe to the comments via RSS Feed


Especial – Libertadores 2011

A bola da ImpedCopa

Toco e me voy

Feeds

web tracker

%d blogueiros gostam disto: