Suderj informa: seriedade 1, oba-oba 0

16/03/2010 at 06:37 152 comentários

Quando “Brazil World Tour” era um termo usado apenas pela Carmen Miranda, muita gente se apaixonou de cara pela Seleção ao assistir pela primeira vez a camisa amarela em campo,  em um estádio totalmente lotado. Da mesma forma, muita gente criou repulsa à Seleção na primeira vez que assistiu um treino sendo transmitido ao vivo –  de preferência, com humoristas do Casseta e Planeta e calças sendo baixadas em frente às câmeras. Palhaçada que, aliás, está com os dias contados.

Dunga deverá proibir a transmissão dos treinos da Seleção nesta Copa. Ao contrário dos programas, das invasões de comediantes e dos exibicionismos, Dunga solicitou à CBF que autorize apenas as transmissões em videotape, de momentos específicos, escondendo outros momentos mais importantes. Ainda não sei se a medida é válida apenas para o lugar onde a Seleção ficará ou também para a Granja Comary – que é bastante aberta – mas de qualquer forma, isso representa um enorme avanço para tudo o que chamamos de seriedade.

Primeiro que transmissão de treino é masturbação mental. O futebol vive de emoções, bolas na trave, grandes jogadas, decisões contra o relógio, e nada disso ocorre em um treino. O treino serve para jornalistas que na teoria, só trabalham quando tem jogo (comentaristas e narradores, p.ex) justificarem suas diárias e mostrarem para o patrão que sim, ele tem que investir em gente no local, pois tubo e repórter por telefone é sempre uma bosta.

Além do mais, tudo acaba virando uma grande farsa. É no treino, no dia-a-dia, que a comissão técnica descobre quem tá a fim, quem não está, quem está borrado, quem está confiante. Coloca uma câmera e um repórter do CQC na beira do campo e o Robinho logo começa a pular os cones com uma dedicação de juvenil. O jogador que adora aparecer vai treinar para a câmera, não para o técnico, o que torna a avaliação mais séria bem complicada. Isso sem falar no vasto material distribuído aos adversários. Ninguém é beneficiado numa transmissão de treino, a não ser os patrocinadores, que tem mais algumas horas de exibição das suas marcas para desocupados. Esse tempo pode muito bem ser preenchido com uma pesquisa mais apurada no Cedoc da Globo, para passar jogos antigos, entrevistas antigas, ou mesmo especiais com temas mais interessantes.

E que não venham ser hipócritas e dizer que isso atrapalha o trabalho da imprensa e a liberdade de expressão. Se alguém disser que adora transmitir ao vivo um treino, ou é doente ou é humorista.

Até a vitória,
Luís Felipe dos Santos

Anúncios

Entry filed under: Copa do Mundo.

Muito Edinho pra pouco Cirque du Soleil Vende-se cimento, jogadores e mau olhado

152 Comentários Add your own

  • 1. Luís Felipe  |  16/03/2010 às 06:40

    faltou a fonte: vi isso no @papodebola, citando ESPN Brasil.

  • 2. Sancho  |  16/03/2010 às 06:53

    Pior que transmitir, é alguém assistir um treino ao vivo comentado:

    – Agora vejam como trota Kaká…

  • 3. Gustavo  |  16/03/2010 às 08:10

    Tomara que seja respeitada esta vontade.

  • 4. Jader Anderson  |  16/03/2010 às 08:55

    Concordo, acho que 2006 foi uma lição para as gerações vindouras da seleção.

  • 5. Gabriel R.  |  16/03/2010 às 09:02

    Acho que vai depender de quem paga… Se tu entrar numa loja da vivo HOJE tu vai ver um vt rodando de um treino da seleção!

  • 6. Flávio  |  16/03/2010 às 09:27

    Não costumo assistir os treinos da Seleção, mas não é o fato de eles serem abertos ou fechados à imprensa que vai determinar o sucesso da Seleção na África.
    Nos anos 80, os treinos do Brasil eram transmitidos na tv aberta. Em 2002, a concentração da Seleção era bastante aberta para o trabalho dos jornalistas.
    Já em 74 e 78, a Seleção vivia praticamente num regime de quartel, a comissão técnica era cheia de militares (como Cláudio Coutinho). Até o presidente da CBF, Heleno Nunes, era da ARENA. Nem por isso o Brasil venceu essas copas.

  • 7. Roberto Cavalo  |  16/03/2010 às 09:34

    Mais do que só esconder o jogo, eu acho que o treino fechado é indispensável para dar ao técnico e aos jogadores o direito de lavar roupa suja na hora certa sem que isso vire manchete de jornaleco.

  • 8. Lucas Cavalheiro  |  16/03/2010 às 09:37

    Muito lúcido, lfds.
    O boleiro é, antes de tudo, um artista e, como tal, gosta de dar espetáculo. A chance de isso virar um concurso de vaidades é gigante.

  • 9. mardruck  |  16/03/2010 às 09:45

    Fica mais difícil desgostar da seleção assim.

  • 10. Carlos  |  16/03/2010 às 09:54

    LF, onde eu assino?

    Perfeito!

    Foda é aguentar jornalista de chororô na TV ou no rádio com o papo de “estão nos dificultando o trabalho, mimimimi”…

    Acontece aqui no RS. E todo mundo q foi a treino um dia sabe q esses putos ficam de gargalhada na beira do campo, e nem olham o q acontece lá dentro.

  • 11. alemao  |  16/03/2010 às 10:00

    Jader, lição facilmente esquecida a medida q o bolso do Rei da Cartolagem vai enchendo.

  • 12. Macedus  |  16/03/2010 às 10:02

    Enquanto existir a frente da CBF um verdadeiro “chefe de quadrilha” que atende por Ricardo Teixeira nada irá mudar.

  • 13. fino  |  16/03/2010 às 10:19

    “mas fulano, O TORCEDOR QUER SABER…”

    essa é a pior.

  • 14. Bruno  |  16/03/2010 às 10:24

    “mas fulano, O TORCEDOR QUER SABER…”

    é. o torcedor que saiba na hora que o time entrar em campo, ora.

  • 15. Roger  |  16/03/2010 às 10:35

    Não esperava nada diferente do anão.

  • 16. fino  |  16/03/2010 às 10:35

    Tipo ontem um cara entrevistando um carinha lá, da comissão técnica do Grêmio…

    “Tá fulano, tu já falou um monte sobre os pontos fortes do VOTORATY… quais seriam os pontos fracos desse time?”

    Porra, responder esse tipo de pergunta é dar munição pro adversário… é por essa mesma razão que fazem treino fechado. É assunto interno e ponto final.

    “Ah mas o torcedor quer saber”. Não conheço ninguém que tenha dado procuração pra repórter largar sempre essa…

  • 17. Roberto Cavalo  |  16/03/2010 às 10:43

    Lembrei de uma história emblemática.

    Na abertura do Brasileirão 2006, o Grêmio (então campeão da série B) ia receber o Corinthians (então campeão da série A) no Olímpico.

    Naquela oportunidade, o técnico corinthiano era o metrossexual Ademar Braga (quem? – http://pt.wikipedia.org/wiki/Ademar_Braga), e o técnico tricolor era o Mano Menezes.

    O Mano tinha, como ainda tem (mas no Grêmio tinha mais ainda), o hábito de esconder a escalação até o último minuto, fechar treino e não abrir o bico sobre o time até a hora do jogo.

    Provocado quanto a este sigilo, Ademar Braga disparou aquela típica de quem joga pra torcida:

    – Pô, tá escondendo o quê? O Pelé e o Ronaldinho Gaúcho? Deve ser alguma coisa muito surpreendente. Nós somos os campeões brasileiros da série A, eles estão vindo da segunda divisão.

    Resultado: o Mano colocou o Alessandro no meio campo, deu uma remexida no time e o Corinthians tomou 2 a 0 nos cornos sem ver a cor da bola.

    Moral: quem fala demais, dá bom dia a cavalo.

  • 18. Guilherme  |  16/03/2010 às 10:47

    A CBF tem uns camarotes na granja comary que disponibiliza pros patrocinadores levar quem quiserem pra assistir treino.

    Por isso que o Dunga cortou a Granja Comary e vai direto pra África do Sul treinar.

  • 19. Sanchotene  |  16/03/2010 às 10:56

    Dunga foi contratado para ganhar a Copa; recebeu carta branca para isso. Vai fazer do jeito dele, gostem ou não.

    Aliás, acho que já demonstrou mais do que suficentemente saber o que faz. Até o momento, venceu a Copa América, a Copa das Confederações e as Eliminatórias.

    Só falta mostrar um Brasil que saiba passar sobre retrancas…

  • 20. Guilherme  |  16/03/2010 às 11:00

    .19

    Mas esse é o maior trunfo do Dunga até agora. Ninguém consegue manter retranca contra o Brasil há tempos, por causa do jogo aéreo e da tática de puxar o time deles pro campo do Brasil e sair no contra-ataque.

  • 21. Guilherme  |  16/03/2010 às 11:05

    Do clicRBS:
    “A folha de pagamento do Grêmio está em mais de R$ 3,2 milhões mensais. É a maior folha de pagamento desde os ainda mal explicados dias da ISL, uma das maiores do país. Herrera, hoje no Botafogo, leva R$ 20 mil todos os meses como complemento do seu salário que os cariocas não aceitaram pagar.”

  • 22. Flávio  |  16/03/2010 às 11:06

    Em 98 e 06 o Brasil também chegou ao mundial como campeão da Copa América e da Copa das Confederações… Os treinos fechados são comuns na maioria dos grandes clubes brasileiros. Mais cedo ou mais tarde chegariam à Seleção. Só quero ver se a decisão do Dunga é para valer mesmo ou se os privilégios que a Globo e seus veículos (Sportv, por exemplo) têm não acabarão falando mais alto outra vez.
    Mas acho que estão dando importância excessiva a esses detalhes. O Brasil ganhou (e perdeu) Copas com estratégias diferentes de preparação.

  • 23. Guilherme  |  16/03/2010 às 11:10

    Flávio, acho que a principal revolução do Dunga é contra o que aconteceu em 2006. Que nunca tinha acontecido antes. Olha o que o próprio Ricardo teixeira falou esses dias:

    – Na seleção brasileira, principalmente se você estiver se preparando para a Copa do Mundo e também durante a Copa do Mundo, você tem que ter os cuidados físicos. Já disse claramente que não gostei de 2006 e vamos mudar isso. O que aconteceu lá com jogador participando de festa e chegando às 4h, 5h da manhã acabou. Foi uma outra fase. Não vai acontecer de novo quatro anos depois – disse Ricardo Teixeira.

  • 24. Lourenço  |  16/03/2010 às 11:20

    #19
    O Brasil empatou em 0 a 0 com Bolívia e Colômbia nas Eliminatórias. O Brasil tem dificuldades de jogar com times retrancados e pequenos, sim. Aliás, espero uma primeira fase mais ou menos complicada para então mostrar a que veio na hora do mata-mata, com seleções maiores.

    Apesar de achar que a transmissão de treino é só um pequeno símbolo da gandaia, pois até Portugal do Felipão tinha treino filmado em 2006, vale justamente isso, a mensagem que a decisão do Dunga passa.

  • 25. Rudi  |  16/03/2010 às 11:20

    não adianta nada disso… o simples fato de levar robinho condena a seleção a uma derrota vergonhosa pra CORÉIA DO NORTE

    GO NUCLEAR BOYS

    (NSEAE)

  • 26. Lourenço  |  16/03/2010 às 11:20

    A minha remissão, na verdade, era para o #20. Com o #19 eu concordo.

  • 27. Sanchotene  |  16/03/2010 às 11:22

    Re 22

    Em 1998, não se pode dizer que foi uma má Copa. O futebol apresentado na final destoou do resto da competição.

    Em 2006, éramos tão favoritos que o sucesso subiu a cabeça. Se querem traçar um paralelo com outra Copa seria a de 1966. Em ambas houve a convicção que era só chegar, fardar e receber o caneco. Isso não ocorrerá agora.

  • 28. dante  |  16/03/2010 às 11:23

    #21: galácticos do grêmio, quem diria. aslfdmasklfjdsaklf

    ***

    ouvi falar que a pré-copa seria feita em curitiba.

  • 29. Flávio  |  16/03/2010 às 11:24

    Guilherme,
    Teixeira tira o dele da reta e bota a culpa nos jogadores e na comissão técnica pela derrota em 2006. Como se ele não tivesse nenhuma responsabilidade. Joga para a torcida, como velho cartolão que é.
    É tradição em Copas que após cada partida os jogadores têm direito a um dia de folga, no qual fazem o que bem entendem. Uns rezam, outros visitam pontos turísticos e há ainda os passam o tempo livre assistindo jogos das seleções adversárias. Muitos vão para a balada. Vampeta falou sobre isso numa entrevista sobre a Copa de 02. Já o Romário, em 94, preferiu levar a amante para os EUA.

  • 30. Rudi  |  16/03/2010 às 11:26

    pois é flávio, mas pelo jeito que as coisas formam, acho que esse dia de folga não existirá na SAL DE AFRICA

  • 31. Jader Anderson  |  16/03/2010 às 11:30

    #18

    FOCK!

    É bom esse dunga heinho batista.

    E ninguem fez escarcéu?

  • 32. Francisco Luz  |  16/03/2010 às 11:33

    Vai ser mesmo, Dante, no CT do Atlético que precisa de complemento.

    Só depois vão para Joanesburgo. No Atlético, até onde eu sei, não há espaço para a imprensa toda ficar em volta do campo.

    Mas não vai dar nada, já que a Copa já é do Paraguay, que vai emular o ESPIRITU de Cabañas em todo mundo.

  • 33. Macedus  |  16/03/2010 às 11:33

    Dunga quer muito faturar este caneco para calar as críticas que recebeu ao longo desse tempo como técnico e tal, a CBF deu carta branca para ele e tal.

    Mesmo que ele acabe levando alguns jogadores que para mim nunca deveriam vestir a camisa da seleção Brasileira ainda acho que o Brasil fatura essa copa, mesmo porque não vejo outra seleção que realmente tenha mais chances que nós.

    Existem bons times mas sinceramente, na hora do pega-pra-capar o jeito sargentão do Dunga e o seu esquema de jogo vão preválecer na Africa.

  • 34. Flávio  |  16/03/2010 às 11:35

    Dia de folga terá de qualquer forma. A prevenção do Dunga é mais quanto a um certo clima de gandaia e oba-oba que houve em 2006.

  • 35. Sanchotene  |  16/03/2010 às 11:39

    Re 21

    Se isso é verdade, Duda e Meira deveriam ser PRESOS!

  • 36. Guilherme  |  16/03/2010 às 11:45

    .29

    Dia de folga e cervejinha é uma coisa. Gandaia e boleiro gordo chegando bêbado às 5h é bem diferente.

    Eu duvido muito que isso acontecia em 2002, por exemplo. E em 94 tem várias histórias do Dunga sendo babá do Romário também pra não deixar isso acontecer.

  • 37. Guilherme  |  16/03/2010 às 11:48

    .27

    1998 foi uma copa de MUITA sorte. O Brasil merecia ter sido eliminado várias vezes, tomava gol idiota em todos os jogos, sem nenhuma organização tática. Dizem que o Zagalo dava colete e mandava os caras bater bola nos treinos.

    Mas o Rivaldo e Ronaldo eram verdadeiros monstros.

    Dida, Aldair, Roberto Carlos e cia fazendo merda atrás (porque eram mal treinados) e Rivaldo e Ronaldo salvando na individualidade na frente.

    Não foi oba-oba em 98. Foi treinador varzeano mesmo.

  • 38. Flávio  |  16/03/2010 às 11:49

    Em 2006, Ronaldo já se apresentou acima do peso. Quanto a 94, Dunga e Romário eram amigos desde a época do Vasco. Duvido que ambos se prestariam a esse papel.

  • 39. Flávio  |  16/03/2010 às 11:54

    R27
    Concordo com o comentário, somente uma correção: em 98 o goleiro era o Taffarel, não o Dida. O time era falho taticamente. Zagallo foi um grande técnico, mas em 98 já não tinha estofo para treinar a Seleção. O poder de decisão de Ronaldo e Rivaldo, mais bons coadjuvantes como Dunga, C. Sampaio e Cafu, levaram o Brasil até a final.

  • 40. Flávio  |  16/03/2010 às 11:54

    correção: é R37…

  • 41. Guilherme  |  16/03/2010 às 12:09

    .39

    Tem razão. Taffarel mesmo.

    O time era muito bom naquela época, mas o Zagallo (que tava à frente do tempo em 70) era ultrapassado em 98. Quando pegou um time bom, e que soube se defender, a vaca foi pro brejo.

  • 42. col  |  16/03/2010 às 12:12

    Em 2002, com o Felipao, os caras transmitiam treino?

  • 43. Flávio  |  16/03/2010 às 12:13

    E ainda teve o problema com o Ronaldo… A França tinha time para vencer o Brasil em qualquer circunstância, mas que o piripaque que ele teve afetou o grupo não dá para negar.

  • 44. Flávio  |  16/03/2010 às 12:18

    #42
    Não tenho certeza, mas a concentração era bastante aberta à imprensa. Coletivos da Seleção eram transmitidos com freqüência já nos anos 80. É que em 2006 extrapolaram. A tv mostrava até os caras fazendo abdominais e pulando cones…

  • 45. Carlos  |  16/03/2010 às 12:20

    Zagalo técnico? acho q não.

    Pra mim sempre foi um forest gump do futebol…

  • 46. Guilherme  |  16/03/2010 às 12:29

    .45

    Foi o técnico do melhor time de todos os tempos em 70.

    Mas em 98 ele já tava ultrapassado.

  • 47. Sancho  |  16/03/2010 às 12:34

    Tostão sobre 1970:

    As seleções, como a brasileira, da Copa de 70, e a da Holanda, de 74, foram inovadoras e revolucionárias.

    A final entre Brasil e Itália, na Copa de 1970, mostrada pela TV, na semana passada, foi um jogo tático, o que era raro. Combinamos que, quando Jairzinho fosse para o meio, perseguido pelo marcador (a Itália fazia marcação individual), Carlos Alberto avançaria pela direita. Assim, saiu o quarto gol.

    Combinamos ainda que eu jogaria junto ao líbero, que atuava atrás de uma linha de quatro defensores. Isso impedia o líbero de sair na cobertura, como poderia ter feito nos gols de Carlos Alberto e Gérson.

    A seleção de 1970 recuava para fechar os espaços e contra-atacar. É o que veremos em quase todas as seleções na copa deste ano. Zagallo estava à frente do tempo.

    http://opovo.uol.com.br/opovo/colunas/tostao/962191.html

  • 48. Flávio  |  16/03/2010 às 12:57

    A Seleção de 70, sem a bola, já usava um esquema semelhante ao 4-2-3-1 de tantos times atuais.

  • 49. Guilherme  |  16/03/2010 às 13:11

    Re 35

    Se juntar todas as coisas desse nível que já foram feitas por essa direção, é cadeira elétrica.

  • 50. luisfelipe  |  16/03/2010 às 13:13

    tanto é que impressiona a marcação dos atacantes brasileiros naquela final. Enquanto os 4 italianos não voltavam nunca, pelé e tostão fechavam os espaços até o meio

  • 51. dante  |  16/03/2010 às 13:27

    vocês tão falando aí do zagallo em 1970… mas quem montou aquela seleção foi o joão saldanha, não?

  • 52. Paulo Silas  |  16/03/2010 às 13:27

    Por isso que eu digo que o William é bom atacante! Ele ajuda na marcação e volta pra fechar os espaços no meio.

  • 53. Lourenço  |  16/03/2010 às 13:37

    #51
    Bah, mas que maldade. Nem pela Copa de 1970 o Zagallo tem méritos. O cara é uma referência. Se vale tirar o mérito dele 1970, tem que dar o de 1994, porque também adoram tirar o mérito do Parreira e dizer que o Zagallo que “consertou” a seleção.

  • 54. Roberto Cavalo  |  16/03/2010 às 13:53

    51

    Não. O time do Saldanha era bem diferente. O Saldanha dizia que Rivelino, Pelé e Tostão não podiam jogar juntos. Este foi o grande mérito do Zagallo – juntou 3 jogadores fantásticos da mesma posição no mesmo time e os fez jogar de forma organizada.

    A seleção de 1970 era fodona, mas aqueles eram outros tempos – hoje em dia, não dá pra jogar com dois enganches como Clodoaldo e Gerson na volância, e nem com um jogador lento como o Rivelino nas beiradas. Mas, naquela época era a seleção fodona e por isso merece estar nos anais.

  • 55. dante  |  16/03/2010 às 13:58

    joão saldanha injustiçado.

    FORA ZAGALLO!

    dsókjsd09gfus9d0fg

  • 56. rafael botafoguense  |  16/03/2010 às 13:59

    ‘Jairzinho’,’Gérson’,’Zagallo’,’joão saldanha’…

    botafogo é foda hahaha…

    foi o joão sim,só que aí ,o médici queria o dadá e o joão não,daí ele proferiu aquela célebre frase,acabou demitido e o zagallo foi pro lugar dele.

  • 57. Flávio  |  16/03/2010 às 14:01

    R54
    Peraí. Tostão e Pelé jogavam juntos com Saldanha. Rivellino era reserva do Gérson. Mas antes de cair, Saldanha pensava em escalar os dois também, colocando Rivellino na meia-esquerda e Gérson como volante.
    Depois entrou Zagallo. A princípio não queria Tostão ao lado de Pelé, por ambos terem características parecidas. Preferia Roberto Miranda, que já conhecia do Botafogo, ao lado do Rei. Depois acabou se convencendo de que Pelé e Tostão era a dupla de área ideal.
    A Seleção de Saldanha jogou as eliminatórias num 4-2-4, com Edu na ponta-esquerda. Com Zagallo, virou um 4-3-3, que quando o Brasil não tinha a bola era um 4-2-3-1.
    Pelé e Tostão dizem que, taticamente, Zagallo manjava mais que Saldanha. Este teve o mérito de recuperar o moral da Seleção, que vinha em baixa desde de 66, e de forjar novamente uma identificação entre a amarelinha e o torcedor.

  • 58. Prestes  |  16/03/2010 às 14:15

    Acho que fechar o treino ou não, não é decisivo.

    O que não pode é bagunça. Depende do espírito da turma que vai pra Copa.

    Em 2006 os caras tavam cheios de pensamento mágico.

    Tanto que o melhor time do Brasil tinha Cicinho e Gilberto nas laterais e Robinho ao lado do Adriano no ataque.

    E ninguém deu bola pra isso! Ficou aquela história de quadrado mágico, que mal tinha sido testado! Era sempre o Robinho e um dos GORDOS.

    Aí enfiaram o Gordonaldo pra área e mataram o futebol do Adriano que era o cara que na época mais decidia na selelção.

    Ainda botaram dois burro velho nas laterais, um deles preocupadíssimo com seus recordes.

  • 59. Roberto Cavalo  |  16/03/2010 às 14:15

    57

    Discordo. O Saldanha não jogava com volantes. Eram centro-médios. O Rivelino era reserva do Gerson, mas nunca jogaria junto com o Gerson neste esquema. E o Tostão jogava, mas se alternava com o Dirceu Lopes.

    E o esquema do Zagallo era um 4-2-4 com variações para 4-4-2 (quando Jairzinho e Rivelino voltavam pra compor o meio) e 4-2-3-1 (quando Pelé ou Tostão voltavam). O Zagallo adorava pontas que voltavam (como ele).

  • 60. Flávio  |  16/03/2010 às 14:31

    Centromédio é o termo antigo, que aqui no RS ainda é usado. Com o Saldanha, o volante era o Piazza, que na Copa foi zagueiro pela esquerda. Gérson era o meia-armador, mas também jogava como volante. Falo da função, não que ele tivesse as características dos cabeças-de-área atuais. Antes de cair, Saldanha pensou em usar Gérson na 1ª função do meio-de-campo, com Rivellino na meia. Não teve tempo de testar, mas eles jogaram assim em 68, ainda com Aymoré Moreira.
    Dirceu Lopes era um coringa. Jogava como meia, ponta-direita, etc. Rivellino era um falso ponta-esquerda com Zagallo, mais armador do que atacante, por isso o 4-3-3. Quanto o time era atacado, todos, menos o Tostão, postavam-se atrás da linha da bola, num 4-2-3-1.

  • 61. Alexandre N.  |  16/03/2010 às 14:31

    #58

    Some isso tudo ao fato daquela cambada ser treinada por um cidadão que, taticamente, parou nos anos 80, não ia dar em outra coisa…

  • 62. Guilherme  |  16/03/2010 às 14:52

    .58

    Exato! Aí o imbecil do Parreira (que ainda não tinha entendido porque o time dele tinha ganho a copa das confederações jogando muito) tirou o Adriano e colocou o Juninho!

    Ou seja, no ataque, ele tirou um gordo parado pra por outro gordo parado na ponta esquerda.

  • 63. Flávio  |  16/03/2010 às 14:54

    O Robinho se lesionou antes da partida com Gana, por isso não virou titular.

  • 64. dante  |  16/03/2010 às 14:56

    “O Zagallo adorava pontas que voltavam (como ele).”

    bá, zagallo jogava como… como… EU!

    dante = zagallo

    FORA DANTE

    asfçlkjaf09sa8df9sidf-9sdf

  • 65. Rudi  |  16/03/2010 às 15:01

    então, eu jogo pescando na área esperando bola no pé pra chutar pro gol

    então eu jogo como o ROMÁRIO

    Rudi = Romário

    Eu fiz mais de mil gols peixe!

  • 66. Guilherme  |  16/03/2010 às 15:06

    .63

    Bah, tem razão. E a ideia era mesmo colocar o Robinho no lugar do Adriano, segundo o Terra:

    http://esportes.terra.com.br/futebol/copa2006/selecoes/interna/0,,OI1052216-EI5583,00.html

  • 67. Flávio  |  16/03/2010 às 15:15

    Adriano deve bater um tambor legal. Brigou num treino com Edmílson. Este, logo depois, sofreu uma lesão e foi cortado. Depois, quando poderia perder a posição para Robinho, o cara se lesiona.

  • 68. Jader Anderson  |  16/03/2010 às 15:18

    O adriano nao jogou um ovo em 2006 tambem… certo q era ele o bebado…

  • 69. Roberto Cavalo  |  16/03/2010 às 15:24

    68

    E quem estava sóbrio naquela copa? Nem o Casagrande estava!

  • 70. Alexandre N.  |  16/03/2010 às 15:28

    #69

    Eu estava! Passei aquele mês de copa tendo que tomar muitos ant-inflamatórios por causa de um problema muscular e com isso, a minha sagrada cerveja foi deixada de lado naquele mês.

    Reconheço que aquele foi um mês de m*rda…

  • 71. Junior  |  16/03/2010 às 15:36

    O Brasil não perdeu a Copa de 2006 por causa das noitadas dos jogadores. Isso é história da imprensa e alguns inocentes acreditam. A mesma coisa é sobre o famigerado “grupo fechado”. Nessa edição da Playboy, o Roberto Carlos contou sobre todas as farras de 2002, que foram iguais às de 2006. O Rivaldo disse o mesmo nessa entrevista para o Cosme Rímoli:

    Espera aí, Rivaldo. As baladas, as farras dos jogadores não prejudicaram?

    Cosme, vamos acabar com tanta hipocrisia. Você acha que em 2002 não tinha balada? Os jogadores não saíam depois das partidas e voltavam de madrugada? Faziam a mesma coisa que em 2006. Eu adoro o Felipão, mas falar que o Brasil ganhou por causa da Família Felipão é de uma mediocridade assustadora. Não tem essa história de Família Zagallo, Família Parreira, Família Felipão. O que importa é preparar o time com seriedade e na hora da partida o time jogar bem. O Brasil não jogou bem de novo contra a França. A defesa bobeou e o Henry fez o gol. Ponto final. Futebol é isso. Eu fico muito decepcionado porque pessoas acompanham futebol por anos, pela vida inteira e não conseguem enxergar o óbvio. O futebol é um esporte e um dia uma equipe pode estar melhor do que a outra. Mas temos a mania nas derrotas de procurar vilões. Você é inteligente. Não acha que na Copa de 2002 também não tinha vilões? Tinha. Como na Copa de 70 também tinha e as vitórias enterram tudo.

  • 72. arbo  |  16/03/2010 às 15:46

    Rivaldo?
    “…. é de uma mediocridade assustadora.”

    rivaldo?

    [as coisas podem acontecer; dentro de limites. se não ocorrem dentro de limites, algo deve suprir o excesso. em 2006 as coisas passaram dos limites e não houve o q suprisse o excesso – ou FALTA de treino, por ex.]

  • 73. Guilherme  |  16/03/2010 às 15:47

    Não soa nada como sendo o Rivaldo falando mesmo, heh.

  • 74. Logan  |  16/03/2010 às 15:49

    #71 Exagerou no negrito, marcasse só essa parte aqui ó:

    O que importa é preparar o time com seriedade e na hora da partida o time jogar bem.

    Isso (independente de balada, treino entupido de gente e o diabo que for) o Brasil FEZ em 2002 e NÃO FEZ em 2006, eu sinceramente não lembro de uma boa partida do brasil naquela copa.
    Agora o que o ricardo teixeira falou do preparo fisico também conta, porra Ronaldo chegou pesando 100kg na copa, ia jogar bola como, tendo que carregar aquela barriga?

  • 75. Raphael Zarko  |  16/03/2010 às 15:56

    esses dias alguém da seleção de 70 (pqp… memória de merda, queria muito lembrar) deu uma entrevista dizendo exatamente que o saldanha montou a seleção e já tinha a ideia de escalar todo mundo junto. aliás, fez uma comparação meio esdruxúla, ou não: disse que o zagallo teve o mérito de não mexer no que dava certo do saldanha, tal qual o lula fez bem ao manter as bases da economia de FH.
    não dá para tirar o mérito do zagallo, nem o saldanha jamais fez isso. quem leu as biografias dele sabe!

  • 76. Roberto Cavalo  |  16/03/2010 às 16:07

    71

    Vocabulário muito rebuscado para ser uma declaração do Rivaldo.

    É claro que se a seleção tivesse sido campeã em 2006 ninguém ia reclamar das baladas. Mas dizer que 2002 foi igual a 2006 no quesito putaria, é mentira.

    Há de se analisar a questão geográfica também – no Japão e na Coréia não há tantas atrações mundanas quanto na Suíça e na Alemanha, países de comportamento notadamente mais liberal.

  • 77. Junior  |  16/03/2010 às 16:10

    Logan, é esse o ponto. Pode ser treino fechado, semi-aberto ou aberto. Não vai interferir em nada se o trabalho for bem feito. O Romário já disse que levou mulheres para hotéis do Brasil em Copa do Mundo.
    Me desculpem os “dunguistas”, mas até agora ele não fez nada mais que a obrigação. Copa América e Eliminatórias são gauchões em nível de seleção, vence o Brasil ou a Argentina. O Parreira ganhou isso antes da Copa de 2006. O Brasil é o amplo favorito para ganhar a Copa, nunca antes na história desse planeta as outras seleções estiveram tão fracas (não acredito na Espanha). O Dunga é que pode perder a Copa com suas inúmeras regrinhas, ele lembra até patrão de CTG com tantas regras. E principalmente, por sua burra lealdade a jogadores fracos, como Josué e Robinho. Lealdade burra é pro meu time de várzea, onde só joga quem é nosso amigo. Na seleção, deve jogar quem é melhor, só isso. O Felipão não gostava do Ronaldo, mas o aturou durante a Copa.

  • 78. Gabriel R.  |  16/03/2010 às 16:13

    #76

    Questão Geográfica? Demais pra mim.

    Acho que o fake do rivaldo matou a charada. O jogo tem 90 minutos, um time chuta uma bola a gol e faz o outro chuta vinte e não faz. Acabou o jogo o que chutou vinte tá fora da copa. Criam-se vinte mil histórias para COMPROVAR que o time não poderia ser campeão. Futebol é momento do jogo. Se em 94 o Romário errasse o penal e o bagio fizesse hoje ele seria lembrado pelas noiitadas de 94, mas não, hoje lembramos da lesão na perna do bagio…

    É dessas idéias que nascem as “teorias da nike de 98”

  • 79. Junior  |  16/03/2010 às 16:15

    É lógico que o cara transcreveu as respostas do Rivaldo. Ou vocês acham que é o Falcão quem escreve suas colunas na ZH?

    #76, Roberto Carlos e Rivaldo estavam em 2002, se eles afirmam que houve putarias e jogadores bêbados, não sou eu que vou dizer que é mentira.

  • 80. arbo  |  16/03/2010 às 16:25

    eu não sou nem perto de dunguista (MESMO). mas acho óbvio q alguma coisa de 2006 não deve ser repetida e, por esse lado, confio q o dunga não deixará. se ocorreu em 2002 (e pode mto bem ter ocorrido, em escala maior ou menor – questão geográfica foi ótima), o felipão e a seleção foram mais foda ainda, pq souberam administrar. 2006 é q foi fake (rivaldo fake foi ótima gabriel r.). é claro q o futebol é simples, mas não é um raciocínio SIMPLISTA q vá explicá-lo. não é a incoerência do argumento X q determinará a ausência de qq argumento. o brasil poderia ter perdido pra frança, pelo mesmo placar, mas com outra história. questionar o p q da história ter sido assim ou assado É uma opção.

  • 81. Jader Anderson  |  16/03/2010 às 16:27

    arbo in flames…

    falou e disse

  • 82. Macedus  |  16/03/2010 às 16:34

    A verdade é que em 94 e 2002 a conseguiram segurar a parada para não atrapalhar no rendimento do time, mesmo o Parreira em 94 soube administrar os egos da galera e tal.

    Em 98 ja foi uma sorte a seleção ter chegado a final pois aquele time era estranho demais, como conseguiu passar da Holando só Deus sabe ..

    Em 2006 “escaralhou” tudo e o trio Parreira/Zagalo/Zico se perdeu completamente no comando daquele bando de bêbados gordos e multmilhonarios.

  • 83. arbo  |  16/03/2010 às 16:35

    [agora, Junior, fico imaginando o q é TRANSCRIÇÃO então para o tal jornalista. qtas “licenças poéticas”…]

  • 84. Macedus  |  16/03/2010 às 16:36

    Dê onde eu tirei esse trio ????

    Para de berber Macedus …

  • 85. Junior  |  16/03/2010 às 16:38

    Ao contrário do que foi escrito, a “questão geográfica” ajudou as farras, segundo o Roberto Carlos:

    http://copadomundo.uol.com.br/2010/ultimas-noticias/2010/03/09/em-2002-fizemos-pior-do-que-em-2006-diz-roberto-carlos-a-playboy.jhtm

  • 86. Paulo Torres  |  16/03/2010 às 16:41

    #76 Vampeta e Edílson acharam um PAGODE (aquela variante de samba, não o templo chinês) em Ulsan, Coreia do Sul. Ou montaram um pagode num bar lá. Ninguém era santo ali – talvez o Kaká que ainda era solteiro e tal.

  • 87. Jader Anderson  |  16/03/2010 às 16:42

    “Nós temos que louvar essa onda de seriedade brasileira.

    Dunga acabando com palhaçadinhas.

    O nosso paladino Ibsen, acabando com a gandaia falaciosa da cariocada – se a extração e os recursos advindos desta estão previstos para daqui a 20 anos, como que o dinheiro dessa atividade fará falta para a Olimpíada e Copa ?

    A olimpíada e a Copa não seriam feitas com recursos privados – Há, portanto, uma exceção à seriedade.”

    Ernesto, já disse isso várias vezes neste blog. Mas agora é inevitável a repetição.

    TU É O CARA.

    Emoldure este trecho por favor.

    Cariocas folgados…

  • 88. Sanchotene  |  16/03/2010 às 16:44

    Re 83

    Ernesto, o que os judeus têm a ver com o que estamos falando?!

    Esse seu anti-semistismo já ultrapassou a barreira do ridículo…

  • 89. Junior  |  16/03/2010 às 16:45

    Arbo, o Rivaldo não reclamou do que foi postado no blog do Cosme Rímoli, portanto não deve ter “licença poética” nenhuma, apenas correções a erros de português. E é provável que estejamos subestimando o Rivaldo ao afirmar que ele não conseguiria falar “mediocridade assustadora”, por exemplo.

  • 90. Alexandre N.  |  16/03/2010 às 16:46

    Bom, a melhor coisa que eu posso falar sobre aquele Brasil x França em 2006 é que ele não foi de todo ruim. Assumo que eu ganhei um bom dinheiro naquela partida apostando na seleção do seu Zidane…

  • 91. Sanchotene  |  16/03/2010 às 16:48

    Re 86

    Felipão não é otário. Os jogadores estavam liberados APÓS as partidas. Faziam mil e uma loucuras e ganhavam uma manhã para recuperar a ressaca. Treino regenarativo à tarde e CONCENTRAÇÃO. Na outra manhã, “pauleira” e ai de quem não agüentasse o tranco.

    Na partida seguinte, estavam todos voando novamente…

    Em 2006, era algazarra 24×7…

  • 92. arbo  |  16/03/2010 às 16:56

    Junior, não sei se ele reclamou ou reclamaria (pq a gente sabe como é a linguagem né; as coisas não são apenas oito ou oitenta, têm mtas gradações). Sei q aquilo não me parece uma transcrição – estou apenas “estimando” o rivaldo, pelas declarações q dele já ouvi. mtas sensatas, mas expressas de outros modos. aliás, o fato de não me “parecer” rivaldo, muda pouco. acredito q ele poderia ter dito o mesmo com outras palavras. discordei do q foi dito, não só do modo como…

  • 93. Junior  |  16/03/2010 às 16:59

    Sancho, em 2002 e 2006 o preparador físico era o mesmo, Paulo Paixão. A diferença é que em 2002 a seleção foi bem treinada, enquanto em 2006, o Parreira fez um trabalho ruim. As farras sempre são APÓS os jogos. Jamais iriam permitir folgas para os jogadores antes dos jogos.

  • 94. Sanchotene  |  16/03/2010 às 17:02

    Re 94

    Não é isso, Júnior. A ênfase maior deveria ser no “‘pauleira’ e ai de quem não agüentasse o tranco“. Em 2006, o pessoal levou de barbada…

  • 95. Flávio  |  16/03/2010 às 17:05

    O preparo físico não foi problema em 2006. Ronaldo já se apresentou muito acima do peso. Ainda assim, perdeu uns 5 ou 6 kilos. O problema foi mais técnico e tático do que a fubangagem, que em maior ou menor grau, ocorre em todas as Copas.

  • 96. rafael botafoguense  |  16/03/2010 às 17:12

    ‘gandaia falaciosa da cariocada ‘,parada do povo judeu…

    zarko bolará!

    prevejo.

  • 97. dante  |  16/03/2010 às 17:15

    o problema, em 2006, foi não terem levado o GUSTAVO PAPA e ITAQUI.

    e fim da discussão.

  • 98. Junior  |  16/03/2010 às 17:21

    Uma coisa que eu esqueci:
    Ernesto, além desse anti-semitismo ridículo, como escreveu o Sancho, considerar o Ibsen um paladino é difícil, muito difícil, hgfsdgfsd. Perto do Ibsen, todo cuidado é pouco. E tu estás desinformado:
    “O nosso paladino Ibsen, acabando com a gandaia falaciosa da cariocada – se a extração e os recursos advindos desta estão previstos para daqui a 20 anos, como que o dinheiro dessa atividade fará falta para a Olimpíada e Copa ?”

    A emenda do Ibsen não altera apenas os royalties futuros do pré-sal, mas altera os contratos ATUAIS. Por isso, o dinheiro fará falta ao RJ. Haverá uma longuíssima disputa judicial sobre a constitucionalidade dessa emenda caso seja mantido o texto atual.

  • 99. Sanchotene  |  16/03/2010 às 17:24

    Como a emenda beneficia Uruguaiana em detrimento de Tramandaí, eu aprovo!

    [/PUTZ!!]

  • 100. @TheRealRudi  |  16/03/2010 às 17:24

    mas junior, são os contratos atuais do pré-sal, não?
    o rio, es e municipios não recebem já uma fortuna do petróleo normal? e até onde eu saiba esse não é alterado (até tramandaí recebe uma grana só pq os tubos do TEDUT passam por lá)

  • 101. @TheRealRudi  |  16/03/2010 às 17:25

    Sancho, vá se foder, e viva tramandaí

  • 102. Roberto Cavalo  |  16/03/2010 às 17:27

    Conclusão: os jogadores podem fazer a putaria que quiserem, desde que entrem em campo e façam mais do que só arrumar a meia.

  • 103. Junior  |  16/03/2010 às 17:28

    Rudi, os contratos atuais é que importam e eles serão alterados. Os contratos do pre-sal também serão alterados, mas ninguém está recebendo esse dinheiro, até porque o pré-sal é apenas uma expectativa, ninguém sabe quanto dinheiro dará.

  • 104. Junior  |  16/03/2010 às 17:29

    Tramandaí, Osório e Imbé estão contra a Emenda Ibsen justamente porque a arrecadação deles diminuirá substancialmente caso essa emenda seja aprovada.

  • 105. @TheRealRudi  |  16/03/2010 às 17:31

    Junior, pelo que eu entendi são os contratos já firmados pelo pré-sal, independente de quanto renderá e quando, pois isso ainda não sabemos, já existem alguns contratos sobre isso

    posso estar enganado, mas pelo que li do texto da emenda, o contrato de petróleo marítimo (chamar de pós-sal é horrível) permanece igual, não?

    e vincular realização de copa e olimpiadas a essa grana é estupidez demais pra mim

  • 106. @TheRealRudi  |  16/03/2010 às 17:32

    Osório e Imbé eu não sei, mas o prefeito de Tramandaí é um agente funerário fanfarrão incompetente que está louco pra arrumar uma desculpa pra não fazer nada…

  • 107. Raphael Zarko  |  16/03/2010 às 17:37

    RB, o Ernesto (Geisel) tocou profundamente (ui…) em dois outros pontos pouco polêmicos: política e religião. Não aprovo a palhaçada do governador desse estado em que nasci, embora ele seja vascaíno, tampouco posso concordar com um cara de vida pública exemplar como é o Ibcon Dinheiro. Quanto à questão de Lula dar o braço ou o dedo ou não para Israel, o problema é dele. Não vi isso como antissemitismo nem nada parecido. Claro que o comentário “só isso que judeu sabe fazer” é uma imbecilidade. Mas quem tem teclado escreve o que quer.

  • 108. Prestes  |  16/03/2010 às 17:38

    Uma coisa que esqueci de comentar e que concordo 100% com o Luis:

    COMO É CHATO TRANSMISSÃO DE TREINO. PQP!!!

  • 109. Sancho  |  16/03/2010 às 17:41

    Só para quem tem coração e olhos fortes:

  • 110. Junior  |  16/03/2010 às 17:42

    Pior que dessa vez (e deve ser uma em mil) os políticos cariocas tem razão. Tu tens uma receita de 7x (é só um exemplo) e de uma hora para outra, a receita cai para 1x.
    “Não é possível alterar contratos. Contrato é para ser cumprido. O petróleo já está sendo explorado. Mudar a regra com o jogo em andamento não é possível”, disse o líder do governo, Cândido Vaccarezza (PT-SP). “Isso vai cair no Supremo. Ou então, o presidente Lula vai vetar”, reafirmou.

  • 111. @TheRealRudi  |  16/03/2010 às 17:43

    novo uniforme do SPFW?

  • 112. @TheRealRudi  |  16/03/2010 às 17:45

    como eu tuitei, o petróleo já extraido deve ficar como está, mas as explorações futuras devem ser divididas sim, qualquer coisa além disso é jogo político…

    outra coisa é tu ter uma renda de 7x, aparecer um petróleo que se tu ficar com todo ele te dê 700x, mas por dividir com outros estados tu fique com 22x, acho que o que tá acontecendo é isso

  • 113. Sancho  |  16/03/2010 às 17:45

    Re 111

    Na verdade, se o contrato é por prazo indeterminado, pode sim ser alterado se as condições por e para que ele foi firmado se modificaram.

  • 114. Lourenço  |  16/03/2010 às 17:47

    Sério, não quero meter banca ou nada, sempre respeito o blog e quem discute comigo, mas se ninguém do Impedimento fizer alguma coisa sobre o anti-semitismo do #83 eu paro de acompanhar o blog.

  • 115. izabel.  |  16/03/2010 às 17:48

    junior, eu concordo que é um enorme prejuízo e uma questão de difícil solução para os municípios que já contam com a receita do petroleo.
    mas o argumento que você colocou é justamente o argumento paulista que sempre impede a revisão do sistema tributário no país. daí que são paulo continua um gigante, com muito mais grana que o resto dos estados no brasil. o resultado final não é bom pra ninguém, nem mesmo pra são paulo, já que tem sempre gente vindo morar aqui e competir com empregos e aumentar o caso urbano.

  • 116. Sanchotene  |  16/03/2010 às 17:49

    Re 115

    Normalmente, o comentário é deletado. Por alguma razão, hoje, eles estão demorando mais que o usual.

  • 117. rafael botafoguense  |  16/03/2010 às 17:51

    garrincha tá nervoso em jogar pela seleção?

    – “Eu não, aqui é a mesma coisa de jogar no Botafogo, afinal só tem jogadores do Botafogo”.

    AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

    ISSO É BOTAFOGO!

    ISSO É GLORIOSO!

  • 118. izabel.  |  16/03/2010 às 17:55

    lourenço, não é só anti semitismo. o ernesto é um babaca, que xinga nordestinos (e eu me enquadro aqui), paulistas, cariocas, gremistas. é um grande idiota. eu também fico sempre bastante incomodada, e o pessoal responsável pelo blog também fica.
    mas temos que entender que aqui é mais um “freela sem dinheiro” que os caras fazem, e fazem muito bem feito e todos nós ganhamos com isso.
    eu sugiro que você tente não ler o que o cara escreve (assim como o Y). não dá pra cobrar NADA do pessoal da Impedcorp, que é atualmente a empresa mais endinheirada e bem sucedida da mídia esportiva, mas falta pessoal pra cuidar do bloqueio dos comentários.

  • 119. Junior  |  16/03/2010 às 17:56

    Rudi, o problema é que a Emenda Ibsen altera os royalties do petróleo marítimo (o chamado pós-sal). E considero justo que os estados produtores recebam um pouco a mais que os não produtores (não concordo como é hoje, onde os estados produtores ganham tudo), pois a extração petrolífera é poluente pra caramba, os estados produtores merecem alguma compensação. Imagine se ocorra algum derramamento de petróleo, o ônus será todo do estado produtor e os estados não produtores não terão ônus algum e continuarão a receber o seu dinheiro. Infelizmente, a emenda Ibsen não é equilibrada, mudou de 8 para 80.

  • 120. izabel.  |  16/03/2010 às 17:57

    lourenço, não é só anti semitismo. o ernesto é um babaca, que xinga nordestinos (e eu me enquadro aqui), paulistas, cariocas, gremistas. é um grande idiota. eu também fico sempre bastante incomodada, e o pessoal responsável pelo blog também fica.
    mas temos que entender que aqui é mais um “freela sem dinheiro” que os caras fazem, e fazem muito bem feito e todos nós ganhamos com isso.
    eu sugiro que você tente não ler o que o cara escreve (assim como o Y). não dá pra cobrar NADA do pessoal da Impedcorp, que é atualmente a empresa mais endinheirada e bem sucedida da mídia esportiva, mas falta pessoal pra cuidar do bloqueio dos comentários.

  • 121. arbo  |  16/03/2010 às 17:58

    LF, lerei o texto! aí comento (já saí falando sobre off topics…)

  • 122. @TheRealRudi  |  16/03/2010 às 18:00

    Junior, nesse ponto concordamos, o marítimo deve ter esses contratos respeitados

    Agora pelo que eu vi as áreas onde se encontram o pré-sal inclusive na maioria delas estão além das 200 milhas nauticas, ou seja, não dá pra dizer que pertencem a tal estado… por isso acho que essas tem que ser melhor divididas…

    Mas não retiro o que disse sobre o prefeito de Tramandaí

  • 123. Jader Anderson  |  16/03/2010 às 18:00

    Eu só não entendo essa história de “a copa não vai sair” atrelada a exploração do pré sal.

    Se é um dinheiro que não existe ainda, como ele pode proibir algo? se nao tivessem descoberto estariamos ralados entao?

    E outra, mesmo que modifique os contratos atuais ainda assim não impede nada nos jogos e copas. É bla bla político.

    Basta apenas a união disponibilizar o orçamento especifico para a construção das obras. Se estão usando isso pra carro chefe de campanha, vao cair do cavalo.

    O argumento do projeto é válido, deveria ter sido assim desde o inicio da exploração.

  • 124. Sancho  |  16/03/2010 às 18:01

    As águas, assim como as praias, são territórios federais, pelo que não existe -em tese- “estado produtor”; somente a União seria responsável. A emenda do Ibsen, assim, viria a corrigir essa excrescência.

  • 125. Junior  |  16/03/2010 às 18:10

    Nisso concordamos Rudi, o pré-sal é outra história, merece ser discutido posteriormente. Mas o que o Ibsen fez ao alterar as regras do petróleo marítimo foi demagogia pura. E muita gente não sabe, mas o dinheiro não será distribuído igualmente entre os 26 estados mais o DF. A divisão será de acordo com o fundo populacional (não deve ser esse o nome, não lembro o nome correto), ou seja, SP que já é o estado mais rico, será o estado que receberá mais, pois tem a maior população. E o mesmo vale para os municípios, POA receberá muito mais dinheiro que Arvorezinha.

  • 126. @TheRealRudi  |  16/03/2010 às 18:12

    essa divisão de acordo com a população pra grana do pré-sal até me parece justa… pq tipo, uma grana que seria 0,1% do orçamento de são paulo multiplicatia por 100 o orçamento de arvorezinha se fosse feita uma divisão rigorosamente igual, não dá pra esquecer que o custo de cada cidade é mais ou menos proporcional a sua população…
    mas repetindo, isso apenas pra grana do pré-sal

  • 127. Sancho  |  16/03/2010 às 18:14

    Re 124

    A idéia seria igualar “per capita”, é isso?

  • 128. Junior  |  16/03/2010 às 18:22

    Sancho, eu defendo que o valor total arrecado pelo pré-sal seja dividido por 27.

  • 129. @TheRealRudi  |  16/03/2010 às 18:28

    Junior, o acre tem 680 mil habitantes
    são paulo tem 41 milhões (arredondei)

    se dividir por 27, cada real / habitante pra sp representará 60 reais / habitante pro acre

    ou seja, proporcionalmente a população (e aproximadamente aos custos) o acre receberá em média 60 vezes mais dinheiro que sp

    isso pode ser “justo” pra fazer estados mais pobres receberem mais dinheiro que sp, tudo bem, mas podem criar ilhas de fantasia

    com os municípios a disparidade é ainda maior, imagine andré da rocha (1100 habitantes) recebendo a mesma coisa que a cidade de são paulo (11 milhões, ou seja, 10 mil vezes mais)

  • 130. Junior  |  16/03/2010 às 18:40

    SP e demais estados grandes não precisam desse dinheiro do pré-sal, conseguem “sobreviver” bem. Para eles é um “plus a mais”. Ao contrário dos estados mais pobres, em que esse dinheiro representaria uma fonte importantíssima de recursos. Obviamente uma empresa sempre vai preferir instalar-se em um estado “importante” do que no Piauí, por exemplo. É a chance de desenvolver as partes mais pobres do país.
    E o mesmo vale para as cidades pequenas. Como a prefeitura vai investir em educação em Benjamin Constant (um dos municípios mais pobres do RS) se o município não tem de onde gerar dinheiro, ao contrário de Porto Alegre.

  • 131. arbo  |  16/03/2010 às 18:43

    texto lúcido

    [dúvida: em q medida a copa será COBERTA? – ih]

  • 132. Rudi  |  16/03/2010 às 18:44

    um “meio-termo” pra isso poderia ser um piso mínimo pra esse cálculo…
    agora, destinar exatamente a mesma grana de uma cidade de mil habitantes pra uma cidade de 11 milhões causaria o seguinte: imagina o prefeito dessa cidade de mil habitantes vendo de uma hora pra outra o orçamento da cidade multiplicar por mil? a primeira coisa q ele faria seria investir em obras faraônicas, montar um time de futebol pra cidade, estádio pra 50 mil, todas essas coisas fáceis de desviar dinheiro (um exemplo foi a passagem do Sessim por cidreira), esses recursos não cairiam em educação, saúde, saneamento, moradia…
    pra melhorar as cidades pobres pode-se criar uma espécie de quociente, dividindo o dinheiro que a cidade tem direito a receber considerando os habitantes pelo indice aquele de desenvolvimento que eu esqueci o nome
    se a cidade tem esse indice 0,9 vai aumentar uns 10%
    se tem 0,5 vai dobrar…

  • 133. dante  |  16/03/2010 às 18:47

    voLLta, nova corja!

  • 134. Junior  |  16/03/2010 às 20:20

    “imagina o prefeito dessa cidade de mil habitantes vendo de uma hora pra outra o orçamento da cidade multiplicar por mil?a primeira coisa q ele faria seria investir em obras faraônicas, montar um time de futebol pra cidade, estádio pra 50 mil, todas essas coisas fáceis de desviar dinheiro (um exemplo foi a passagem do Sessim por cidreira), esses recursos não cairiam em educação, saúde, saneamento, moradia…”

    Cesar Maia, Paulo Maluf e o Arruda adoravam obras faraônicas e desviaram milhões de dinheiro público, infelizmente essa justificativa pode ser aplicada a grandes, médias e pequenas cidades/estados brasileiros(as).
    Mas a idéia do quociente é boa.

  • 135. Lourenço  |  16/03/2010 às 20:32

    #129
    Essa proposta de divisão simples por 27, desconsiderando a população, é que é demagógica. Sobretudo porque se baseia na premissa de que os estados maiores possuem melhores índices sociais, o que simplesmente não é verdade.
    Quer fazer uma divisão “social”, utiliza outros índices, não simplesmente divide por 27, prejudicando indiscriminadamente os estados mais populosos.

  • 136. fino  |  16/03/2010 às 20:51

    todos pro inferno

  • 137. rafael botafoguense  |  16/03/2010 às 20:59

    que papo cabeça hahaah

  • 138. Camilo  |  16/03/2010 às 21:52

    loco abreu não joga domingo, não consigo imaginar um assunto mais importante

  • 139. rafael botafoguense  |  16/03/2010 às 22:53

    eu consigo. joel no programa do jô hj…vai ser irado.

    e a expulsão do LOCO foi arrumada!

    TODOS TEMEM O TSUNAMI DA ÁREA!

    só falta o herrera ficar de fora,pelo julgamento,daí ficaremos sem o ataque titular

    TODOS TEMEM O ATAQUE MERCOSUL!

    mas não há de ser nada,CAIO & EDNO estarão no comando de + uma vitória sobre o rival,o ritmo mudou!

    IHHH SÓ DA FOGO!…

  • 140. rodrigo  |  16/03/2010 às 22:56

    pior do que querer transmitir um treino, só ASSISTIR.

  • 141. Luís Felipe  |  17/03/2010 às 02:01

    a pedido, apaguei o comentário #83.

    mas se querem saber, eu não concordo com o sionismo, nem acho Herzl um herói. Pelo contrário: acho que deixaram ele inventar uma das coisas mais mal-feitas da história da humanidade, ao construir o Estado de Israel da forma que foi construído – com divisão territorial irrealista, militarismo exacerbado, premissas questionáveis.

    mas enfim. Isso é pauta para outro blog.

  • 142. Jader Anderson  |  17/03/2010 às 08:56

    #139

    Sempre lúcido, LF… otimas colocações.

  • 143. Lourenço  |  17/03/2010 às 10:04

    #139
    Obrigado e te cumprimento pela decisão. Não me importo quando qualquer assunto é discutido no blog, nem quando qualquer opinião é dada, ainda que discorde fortemente e me manifeste em tal sentido. Colocações como aquela, no entanto, não merecem qualquer imunidade.

  • 144. Rudi  |  17/03/2010 às 10:14

    Lourenço no 133

    esse quociente que eu citei ali acima, usando o IDH x população (lembrei o nome da porra do índice) a meu ver é uma forma de regular a desigualdade

    mas sempre pode aparecer uma proposta melhor

  • 145. Lourenço  |  17/03/2010 às 10:29

    Rudi,
    A minha maior dificuldade, na verdade, é fazer a remissão ao comentário certo. Eu tentei responder ao comentário #128, do Júnior.

    Em síntese, concordo com a busca de alternativas, acho que a tua idéia é um bom esboço.

  • 146. Sanchotene  |  17/03/2010 às 15:04

    Re 139

    É assunto para outro blogue, mas inegavelmente ser contrário a Israel (mesmo no geral), não significa ser contrário ao Judaísmo ou aos judeus. Apesar de que assumir a primeira posição acima necessariamente deixa a pessoa na companhia do segundo time nesse ponto. E não é uma companhia agradável…

  • 147. Rudi  |  17/03/2010 às 15:09

    Sancho, talvez eu não esteja vendo as coisas da maneira mais correta, se for esse o caso perdão, mas acho que a questão que o @lfds levantou não é a pura existência de um estado para Israel, mas sim a forma como ele foi feito, meio que “na marra”
    Isso nem de perto é ser anti-judeus…
    Agora, existe também por algumas pessoas preconceito puro e simples contra o povo judaico, como o maluquinho do irã aquele que prega simplesmente o extermínio de todos os judeus…
    Posso parecer otimista demais, mas vejo uma possibilidade de diálogo, se todos largarem suas posições mais extremadas…
    Mas o mais importante é que haja tolerância dos dois lados…

  • 148. Ernesto  |  17/03/2010 às 23:25

    Tolerância que falta do lado israelense, judaico, que oprime e sufoca o povo palestino, em duas áreas minusculas, e fica fazendo beicinho se o presidente de um país gigante como o Brasil não vai visitar o túmulo de um palhaço inventor de uma palhaçada.

  • 149. Sanchotene  |  18/03/2010 às 11:41

    Re 145

    Rudi,

    Primeiro, afirmar que retirados os extremistas de parte à parte, há possibilidade de diálogo e convivência é um truísmo. O problema reside extamente no fato de que não há como retirá-los ou ignorá-los. Pelo menos, não por enquanto. Eles ainda são absolutamente dominantes, principalmente do lado mussulmano.

    Segundo, ao utilizar-se do fato de que Israel teria sido feito “na marra”, torna-se obrigatório analisar a História dos demais pólos do conflito. A conclusão será, inevitavelmente, que não há Estado que não tenha sido criado “na marra”, sido mantido “na marra”, ou sido resultado colateral de alguma “marra”. Isso não é privilégio de Israel.

    Terceiro, não faz sentindo nenhum para um cristão ou mussulmano ser inimigo dos judeus. Dentro dessas religiões, tal posicionamento é pura heresia. E deve ser culturalmente combatido.

    Quarto, os judeus já calaram seus próprios radicais, à força. Basta ver o episódio Altalena, para ficar num exemplo, assim que foi tratado um acordo de paz com os países vizinhos.

    Um abraço.

  • 150. Rudi  |  18/03/2010 às 12:05

    Sancho, posições contrárias e adversas SEMPRE vão existir…

    Agora, como calar os radicais quando eles são mais da metade da população e fundamentais na manutenção de poder dos grupos? (ou tu achas que o presidente da autoridade palestina se elegeu apenas com votos “moderados”?)

    Não vejo nenhuma solução concreta, mas sei que ela existe, e OBRIGATORIAMENTE passa pelo diálogo… e não pelo que a gente vê por aí…

    E sinceramente, conversar com quem sabe conversar e respeita opiniões e pontos de vista assim que nem estamos fazendo é tranquilão… mas o cara vê algumas coisas por aí que ele tem que fazer um esforço hercúleo pra abstrair, pois qualquer resposta obviamente baixaria o nível…

    Um abraço

  • 151. Sanchotene  |  18/03/2010 às 12:19

    Tropecei neste texto, publicado hoje (em inglês):

    http://article.nationalreview.com/428221/peace-later/clifford-d-may

    É em inglês, escrito por um americano. Logo, o Ernesto já não gostou…

  • 152. Ernesto  |  19/03/2010 às 01:40

    Ah sim, o ministro das relações exteriores realmente é um cara moderado. Muito

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Subscribe to the comments via RSS Feed


Especial – Libertadores 2011

A bola da ImpedCopa

Toco e me voy

Feeds

web tracker

%d blogueiros gostam disto: