Dois veteranos, dez times e muita briga até maio

22/01/2010 at 12:26 52 comentários

Os bons (?) e velhos Sávio, 36 anos, e Viola, 41 anos (!), são as atrações do Campeonato Catarinense 2010, o que dá uma ideia do nível da competição. É uma tentativa de atrair público para um torneio disputado num estado onde aproximadamente 0,22% da população torce para times locais e o resto divide-se entre flamenguistas, gremistas, colorados e corintianos. O Catarinão sofre também com a concorrência de outros esportes mais praticados em Santa Catarina no verão, como a farra do boi , o sonrisal, o jacaré (“surfe de peito”, para os menos íntimos) e os torneios de inteligência feminina. Caminhando contra o vento, sem lenço e sem documento, os times daqui vão duelar de foice e enxada para ver quem vai levantar o caneco do Vovô Chopão em maio.

Sávio vai defender o Avaí, atual campeão, representante catarinense na Série A e, portanto, time mais rico do estado, pois recebe as maiores cotas de TV. Por tudo isso, recai sobre o Leão da Ilha o peso do favoritismo. Como oito dos titulares do ano passado se foram, novidades não faltam. O Avaí contratou quase um time inteiro para esta temporada. Os reforços mais conhecidos são, além do Sávio, o zagueiro Émerson (ex-agente da maligna Flapress infiltrado no Botafogo) e o atacante holandês Van Dinho (ex-Flamengo e Sport). Mudança também no comando da equipe. Saiu Silas para o Grêmio, veio Péricles Chamusca do rebaixado e lanterna Sport.


O ex-menino da Gávea agora é o vovô da Ressacada

Quem também contratou de penca foi o time que mais tem condições de impedir que a taça pare na Ressacada pelo segundo ano seguido. Depois de falhar na tentativa de voltar à Série A, o Figueira contratou aproximadamente 15 jogadores. Entre eles, os argentinos Agustín Cattaneo (zagueiro), ex-Tigre, e Gastón Ada (meia), ex-Argentinos Juniors. O atacante Júnior Negrão, artilheiro do ABC na Série B de 2009 com 10 gols, e o lateral-esquerdo João Paulo, ex-Fluminense, estão entre as caras novas do Figueirense. A esperança de dias melhores, porém, está no veterano Fernandes, um meia de 31 anos que veste a camisa alvinegra desde 1999 e é o grande ídolo da torcida. Renê Weber, ex-Caxias, é o treinador.


No Scarpelli, a esperança tem sobrenome: Fernandes

Quem conhece pouco o futebol catarinense talvez não saiba mas, apesar de Figueirense (15 títulos) e Avaí (14) serem os maiores campeões estaduais, o interior é quem manda no Catarinão. Em 85 anos de disputa, o título só ficou em Florianópolis 32 vezes. Em 2010, há dois times interioranos com boas chances de levar o caneco pra casa.

A Chapecoense, de Chapecó, manteve vários jogadores do time que foi vice-campeão estadual e semifinalista da Série D em 2009, além do treinador Mauro Ovelha, que há tempo merece chance num dos grandes times do estado – foi vice-campeão estadual com o minúsculo Atlético de Ibirama em 2004 e 2005 e com a Chapecoense em 2009. Além do conjunto, outro trunfo do Verdão do Oeste é o estádio Índio Condá, onde costuma escalpelar seus adversários sem piedade. Ano passado, o Avaí levou duas flechadas lá, uma por 5×1 e outra por 3×1.

Menos conhecido que Avaí, Criciúma e Figueirense, o Joinville Esporte Clube é considerado um dos “quatro grandes” de Santa Catarina e é, dentre eles, o que está há mais tempo sem um título estadual (desde 2001). Depois de anos de bagunça e amadorismo, o JEC chegou a ficar sem campeonato nacional para jogar ano passado (perdeu a vaga na Série D para Brusque e Chapecoense), mas parece ter entrado nos trilhos novamente e venceu a Copa Santa Catarina em dezembro, garantido uma muito comemorada vaga na Série D em 2010. O destaque do Joinville é o alto, forte, trombador e goleador centroavante Lima. Fiquem de olho nele. O treinador é o uruguaio Sergio Ramírez, muy amigo de Roberto Rivellino.


JEC vem babando por um título

Os outros seis times que vão disputar o Catarinense 2010 não devem fazer mais que figuração. Podem dar alguns sustos nos favoritos o Metropolitano, de Blumenau (famoso por sua torcida feminina), e o Atlético, de Ibirama. CFZ Imbituba (sim, CFZ, do Zico…), Juventus de Jaraguá do Sul, Brusque e Criciúma não metem medo em ninguém.

Opa, Criciúma? É, isso mesmo, Criciúma. O campeão da Copa do Brasil de 1991 e bicho-papão catarinense na década de 1990 atravessa uma longa e duradoura má fase dentro e fora de campo e há quem diga até que é candidato ao rebaixamento no estadual. Contrata e dispensa jogadores na velocidade da luz, montou um time cheio de desconhecidos e conseguiu a proeza de manter um treinador durante sete meses (Itamar Schulle), incluindo a pré-temporada, para depois demiti-lo na segunda rodada do estadual, após perder para Joinville (3×0) e Atlético (3×1, em casa). O Criciúma parece ter entrado em parafuso.

Ah, e o Viola? Aos 41 anos, o rei do showbol está de volta aos gramados naturais para defender o pequeno Brusque, da cidade de mesmo nome. Uma grande jogada de marketing. Viola vai ter o salário pago pelo patrocinador do clube, a loja de departamentos Havan. Duvido que consiga fazer mais gols do que o número de reportagens já produzidas sobre ele desde que chegou a Santa Catarina. Em todas elas, o centroavante apareceu vestindo a camisa do Brusque com a marca da Havan estampada. Ou seja, mesmo que ande em campo, já deve ter valido o investimento. Faz parte, futebol de hoje em dia é assim mesmo.


Dá pra levar a sério?

Regulamento

O regulamento do Catarinense 2010 lembra um pouco o do Campeonato Carioca. Para ver quem vai comandar a boca, os 10 clubes vão se enfrentar em dois turnos. Em cada um deles, os quatro primeiros fazem as semifinais e depois as finais do turno, em jogo único, com mando de campo dos melhores colocados – que têm também a vantagem do empate. O campeão do turno enfrenta o campeão do returno na final do campeonato.

Mesmo que um time vença os dois turnos, ainda não será campeão estadual. Nesse caso, fará a final com a equipe que somou mais pontos nos dois turnos dentre as outras nove. Somente o campeão vai para a Copa do Brasil de 2010 – a segunda vaga catarinense vai ficar com o campeão da Copa Santa Catarina, que a ser disputada durante a Copa do Mundo. Os dois últimos caem pra segunda divisão.

Curiosidades

– Dentre todos os estaduais do Brasil, nenhum teve tantos campeões diferentes quanto o Catarinense. Em 85 anos de disputa, a taça já foi parar nas galerias de 23 clubes.

– O Campeonato Catarinense não costuma contar com muitos clubes tradicionais. Por aqui, nascem e morrem clubes todos os dias. Apenas Avaí, Figueirense e Marcílio Dias (rebaixado em 2009) jogam bola ininterruptamente desde a década de 1920. Um dos quatro grandes, o Joinville, nasceu ontem, em 1976. Dos 23 campeões, somente oito disputaram campeonatos profissionais no ano passado. Em 2010, o novato é o CFZ Imbituba, fundado em 2007.

– O Avaí tenta em 2010 o seu primeiro bicampeonato desde a década de 1940. O último bi avaiano foi conquistado em 1944/45. O Leão também havia sido campeão em 1942 e 1943.

– Campeã estadual em 2007 e vice em 2009, a Chapecoense é a única representante do Oeste Catarinense no estadual e, por isso, sofre demais com as viagens em um campeonato “litoralizado”. A cidade mais próxima é Ibirama, terra do Atlético, distante 415km de Chapecó. A Chapecoense vai jogar ainda em Blumenau (480km), Jaraguá do Sul (490km), Brusque (515km), Joinville (515km), Criciúma (540km), Florianópolis (550km) e Imbituba (605km).

– De todas as cidades que têm time no Catarinense 2010, Ibirama é a menor, com 17,5 mil habitantes. A população inteira da cidade cabe no estádio Orlando Scarpelli, do Figueirense, que tem capacidade para 19 mil espectadores.

– Figueirense (15 títulos), Avaí (14), Joinville (12), Criciúma (9), Chapecoense (3) e Brusque (1) são os clubes do Catarinense 2010 que já foram campeões estaduais. CFZ Imbituba, Metropolitano, Atlético de Ibirama e Juventus ainda são virgens.

Felipe Silva escreveu sobre o Catarinense a convite do Impedimento

Anúncios

Entry filed under: Colunas, Estaduais.

Peru sobe rumo ao infinito da Copa Troféu Dendê 2010

52 Comentários Add your own

  • 1. SEIA  |  22/01/2010 às 12:37

    num estado onde aproximadamente 0,22% da população torce para times locais e o resto divide-se entre flamenguistas, gremistas, colorados e corintianos.

    CHUPA MAIOR DO PARANA (larga vantagem sobre qualquer clube, ate mesmo o furacao)

    QUARTA MAIOR DE SC

    SUL E NOSSO

  • 2. SEIA  |  22/01/2010 às 12:38

    a segunda vaga catarinense vai ficar com o campeão da Copa Santa Catarina, que a ser disputada durante a Copa do Mundo.

    PQP SE EU TIVESSE POSSIBILIDADES IRIA PARA LA NAMORAL

  • 3. rodrigoluiz  |  22/01/2010 às 12:52

    de dezembro até março, tem mais torcedores do river em santacatarina do que dos tmeslocais.
    #fato

  • 4. Francisco Luz  |  22/01/2010 às 13:32

    Felipe, só por curiosidade: quais são os times de Floripa que conquistaram os outros três títulos?

    Baita relato, e as curiosidades mataram a pau.

  • 5. vicente v.  |  22/01/2010 às 13:34

    jfdsklfjdsjfçlkjasdfjsad

    eu achei que a miss balneário era burra, MAS NÃO, ela só titubeou em mostrar seu lado revolucionário:

    “bom, a maior potência do mundo…hmmm..ela deve…ee..hmm..(balança a cabeça)…se..se a gente CORTAR O COMÉRCIO com eles..hmm. bemm..”

  • 6. Ducker  |  22/01/2010 às 13:35

    Vascaíno e bambis são outras grandes pragas em SC.

    Saudoso Marcílio Dias e seu estádio Hercílio Luz, o “Gigantão das Avenidas”, onde pisei pela primeira vez em uma arquibancada de futebol, para assistir o jogaço entre Marcílio e Inter de Lajes (com chuva!).

  • 7. Guto  |  22/01/2010 às 13:40

    SEIA

    “SUL E NOSSO”

    Estás drogado?

  • 8. Felipe (o catarina)  |  22/01/2010 às 13:45

    #6

    Chico, foram esses:

    1926 – Externato
    1934 – Atlético Catarinense
    1959 – Paula Ramos

    nenhum deles joga mais futebol profissional. O Externato era um dos times do Colégio Catarinense (onde estuda a elite de Fpolis), junto com o Internato. O Atlético Catarinense desapareceu. Existe um clube amador no bairro Trindade com esse nome, mas não é o mesmo. E o Paula Ramos também fica na Trindade, mas hoje é só um clube social.

    Já que gosto de curiosidades, Paula Ramos não parece, mas era homenagem a um homem: Vitorino de Paula Ramos, político catarinense. Pouca gente sabe disso.

  • 9. SEIA  |  22/01/2010 às 13:48

    #9:

    NAO SO COLOQUEI EM VOGA A ACURACIA DAS ESTATISTICAS QUE DEMONSTRAM A IMENSA QUANTIDADE DE ALVINEGROS NA REGIAO SUL DO PAIS

  • 10. Felipe (o catarina)  |  22/01/2010 às 13:48

    opa, Externato em 1925. Em 1926 foi o Avaí.

  • 11. izabel  |  22/01/2010 às 13:48

    massa, catarina.

  • 12. SEIA  |  22/01/2010 às 13:50

    #9:

    NAO SO COLOQUEI EM VOGA A ACURACIA DAS ESTATISTICAS QUE DEMONSTRAM A IMENSA QUANTIDADE DE ALVINEGROS NA REGIAO SUL DO PAIS

    TA MAIS DIFICIL DE COMENTAR AQUI (NADA QUE ME IMPECA) POR ISSO NAO ENTRAREI EM DETALHES, MAS PROCURE AS PESQUISAS DE OPINIAO DO PARANA PRINCIPALMENTE E VERA O DOMINIO ALVINEGRO NESSE SITIO

    ENCERRO POR HOJE

  • 13. Zé Carlos  |  22/01/2010 às 13:51

    que merda tudo isso, nào é IBIRAMA. é Herman Aichinger

  • 14. vicente v.  |  22/01/2010 às 14:00

    off topic muito off topic

    porra, o moleque ficou OITO DIAS embaixo dos escombros, a galera se ferrando pra tirar ele dali. quando conseguem, o pimpolho abre os braços e solta um TÃDÃÃÃÃ. achei muito classe. COLHÕES

  • 15. Alexandre N.  |  22/01/2010 às 14:06

    O destaque do Joinville é o alto, forte, trombador e goleador centroavante Lima.

    Já pensou se o dono do texto se empolga um pouco mais pra dar adjetivos ao referido centroavante? hehehehehehe…

    Brincadeiras a parte, o texto está realmente muito bom e as curiosidades o enriqueceram mais ainda. Parabéns!

  • 16. rafael botafoguense  |  22/01/2010 às 14:19

    emerson,desejo sua morte seu puto maldito!

  • 17. Anônimo  |  22/01/2010 às 14:19

    Por incrível que pareça, Viola participou dos dois gols ontem

    No segundo ele deu UMA BICICLETA que terminou em gol.

  • 18. rafael botafoguense  |  22/01/2010 às 14:26

    ce viu a arquibancada do outro lado? mó irado tinha até um ônibus por lá.

  • 19. marcos joinville kramer  |  22/01/2010 às 14:44

    Felipe Silva, discordo de você,
    o JEC foi fundado da fusão de Caxias e América de Joinville,
    clubes tradicionais que já venciam estaduais em epocas remotas, depois houve brigas e os clubes voltaram e o JEC ficou, ok.
    Outra discirdância é que se o JEC estivesse disputando qualquer
    campeonato com regularidade, sua média de público seria
    em torno de 22 mil pessoas por jogo, uma vez que sua torcida é muito numerosa na maior cidade do estado, ok.
    um abraço.

  • 20. col  |  22/01/2010 às 15:25

    Caras, que perola!

    E recomendo muito o link ali acima dos “torneios de inteligência feminina.”

    Pergunta do Apresentador:
    – Como educar se os mandatarios nao sabem nem falar a patria?

    Resposta da candidata a miss SC:
    – Os projetos educacionais devem ser de longo prazo, e nao depender apenas de um unico mandatario.

  • 21. Roger  |  22/01/2010 às 15:50

    Seguinte: favor não colocar links pro voceentuba nos posts a menos que sejam extremamentes necessários a compreensão do fato. Ocorre que esse estrupício é bloqueado aqui na empresa e a curiosidade me mata né…

    Caso sejam linkados, favor não ficar elogiando.
    Pelo mesmo motivo, óbvio.

    Grato

  • 22. dante  |  22/01/2010 às 15:55

    uhsduihasuidha

    roger em chamas.

    DÁ PRA ENTENDER.

    catarina:

    “O último bi avaiano foi conquistado em 1944/45. O Leão também havia sido campeão em 1942 e 1943.”

    isso não é um TRETRA, galvão?

  • 23. viola  |  22/01/2010 às 15:56

    alguem que não torce pra um time do seu próprio estado só pode ser um retardado mental

  • 24. Rudi  |  22/01/2010 às 15:57

    off total sobre TRETRA

    vale MUITO a pena (não linko porque não tenho acesso aqui, mesma situação do Roger) ver um vídeo do YT tirando onda da cena da atual novela das 21 em que um médico fala que a Aline Morais (nem sei se grafei certo) ficou tetraplégica e rola um mash-up com galvão e pelé comemorando e gritando É TEEEEEETRA

  • 25. dante  |  22/01/2010 às 16:02

    SEEMS TO BE de muito MAU GOSTO, isso sim, rudi.

  • 26. col  |  22/01/2010 às 16:10

    lamentavel, Rudi.

  • 27. Rudi  |  22/01/2010 às 16:12

    acharia de mau gosto se fosse uma pessoa TRETRAplégica de verdade, caro dante, mas como aquilo tudo é uma ficção e ela tá ganhando muito bem pra ficar daquele jeito… foda-se, #euri

  • 28. Felipe (o catarina)  |  22/01/2010 às 16:15

    #21

    não, dante, são DOIS BIS. ahajhsjsj

    foi um tetra, mas 44/45 foi a última vez que o Avaí conseguiu dois títulos seguidos, ou seja, um “bi”. Tá, seria melhor ter dito que foi a última vez que o Avaí conquistou títulos em anos consecutivos, mas agora foi.

  • 29. rafael botafoguense  |  22/01/2010 às 16:34

    #22 ih alá rsrsssrs nem zuei mermão,achei manero…

    mas vai se fuder de quaquer forma.

  • 30. rômulo arbo  |  22/01/2010 às 16:36

    tá bem assim, mc cata.
    ótimo texto e a PROPOSTA da impedcorp.

    “Somente o campeão vai para a Copa do Brasil de 2010”
    2011, imagino… (no “regulamento”)

    e q coisa estranha essa de ganhar dois turnos e ainda ter q jogar final (sendo q, pra ter ganhado os 2, o time terá jogado 4 jogos no mata-ou-morre)…

  • 31. Junior  |  22/01/2010 às 16:38

    Catarina, duas perguntas:

    Vi o E. Martini jogando pela Ponte Preta contra o Santos. Ele foi mandado embora ou cometeu a burrice de trocar um time da série A por um time de série B?
    O Paulinho, volante do Inter e que estava no Figueirense, jogou bem por aí? Pergunto isso porque gostei das atuações dele nesses dois jogos do Inter B.

  • 32. rômulo arbo  |  22/01/2010 às 16:56

    bá, junior, boa pergunta essa sobre o eduardo martini. fez um ótimo brasileiro… de repente ele conta com o OCASO do avaí, por causa do desmanche. e o futebol paulista tem uma visibilidade maior… sei q ele é melhor q todos os goleiros do inter, por ex.

    ia perguntar desse péricles chamusca (não tem dado mto errado ultimamente?). pq não apostaram então nesse tal de Mauro Ovelha, hein, felipe?

  • 33. Frank  |  22/01/2010 às 17:03

    Bah, o campeonato catarinense deve ser mais emocionante que o campeonato gaúcho…

    23 clubes já levaram a taça, enquanto no RS não passam de 10 (nem sei se chegam a tanto… alguém podia esclarecer?)

  • 34. Rudi  |  22/01/2010 às 17:13

    Frank, foram 16 clubes

    http://pt.wikipedia.org/wiki/Campeonato_Ga%C3%BAcho_de_Futebol#T.C3.ADtulos_por_equipe

    mas ainda assim a concentração é muito maior

  • 35. pretinho babylon  |  22/01/2010 às 18:32

    #8

    Vitorino de Paula Ramos era um engenheiro PERNAMBUCANO que se elegeu deputado por Santa Catarina. Seu nome batizava o trapiche que servia como ponto de encontro para o grupo de amigos que em 1937 reuniu-se na Praia de Fora (atual Beira-mar Norte) com a ideia de criar uma agremiação. Daí – do trapiche, não do político – que veio a inspiração para o nome Paula Ramos.

    Curiosidade extra: os comentaristas de Florianópolis que não querem se queimar com avaianos ou figueirenses costumam dizer que são PAULAÍNOS (sim, é assim que se chama o torcedor do Paula Ramos)

    Curiosidade extra-bônus: o Paula Ramos que foi campeão catarinense de 1959 revelou Valerio Matos (considerado, ao lado de Teixeirinha, o maior craque catarinense de todos os tempos) e o goleiro GAINETE, que os gaudérios devem conhecer bem.

    Curiosidade extra-bônus-plus: o troféu e as faixas de campeão catarinense de 1959 só foram entregues ao Paula Ramos em 1999. O atraso de 40 anos aconteceu porque, na época, a federação catarinense de futebol estava sem dinheiro para comprar a taça.

  • 36. Logan  |  22/01/2010 às 18:33

    Putz aqui tem informação até, sei lá, do campeonato ACREANO de 1897.

  • 37. Logan  |  22/01/2010 às 18:34

    Aliás,

    É TEEEETRRRAAAAA!!!!!!!!!!!!!!!!!

    o3iu5porçklyuj308u3pujmtf

  • 38. Luís Felipe  |  22/01/2010 às 18:44

    PRETINHO BABYLON.

    melhor nome e melhor comentário possível.

  • 39. pretinho babylon  |  22/01/2010 às 18:46

    Em tempo:

    Em 84 edições (de 1924 a 2009; não houve campeonato em 1933 e em 1946), o Catarinão teve 24 campeões de 11 cidades – uma diversidade sem precedentes nos demais estaduais do país, conforme mostra o levantamento abaixo:

    Paulista (desde 1902)
    – 16 times de 7 cidades

    Carioca (desde 1906)
    – 8 times da capital

    Gaúcho (desde 1919)
    – 16 times de 6 cidades

    Mineiro (desde 1915)
    – 7 times de 4 cidades

    Paranaense (desde 1915)
    – 16 times de 7 cidades

    Pernambucano (desde 1915)
    – 7 times da capital

    Baiano (desde 1905)
    – 18 times de 2 cidades

    Em tempo: em 2010 o futebol catarinense comemora o seu centenário, já que em agosto de 1910 aconteceu o primeiro jogo registrado no Estado: vitória do time do Ginásio Santa Catarina (atual Colégio Catarinense) por 2 a 1 sobre um combinado de advogados de SP e do Rio que estavam em Florianópolis para prestar concurso para juiz.

  • 40. Luís Felipe  |  22/01/2010 às 18:55

    altíssimo nível, Catarina. Parabéns.

    pena que nos desencontramos nos últimos dias. Quando fui pra Floripa, tu estava na Serra. Te convidaria para discutir a fórmula do brasileiro diante de um chopp e de camarão a milanesa na Barra.

    é uma pena o Criciúma, que contratou ANDERSON PAPOULA esses dias.

  • 41. Ernesto  |  22/01/2010 às 20:22

    Cricíuma Voltará, ressurgirá como um tigre asiático.

  • 42. Prestes  |  22/01/2010 às 21:32

    O Impedimento tá dando show de informação neste começo de temporada, com o início da Libertadores e dos Estaduais!!!

    Dando um baile nos veículos grandões, porém DESENGONÇADOS!

    Parabéns!

  • 43. Felipe (o catarina)  |  22/01/2010 às 22:21

    #38

    são 23 clubes. Comerciário e Criciúma são o mesmo clube.

    #34

    desconheço essa informação de que Valério Matos é considerado ao lado de Teixeirinha um dos maiores craques de SC de todos os tempos. Só se foi o Roberto Alves que um dia disse isso. Teixeirinha OK, dizem que jogava muito, mas acho que Calico, Saul, Zenon, Lico, Nardela, Balduíno, entre outros, são considerados “mais craques” que o Valério.

  • 44. Felipe (o catarina)  |  22/01/2010 às 22:28

    #39

    pena, velho. Mas avisa quando aparecer por aqui de novo.

    A propósito, lá em Gramado fui no St. Hubertus (fondue) e no Pastaciutta (massa). Realmente muito bons. Doeu um pouco no bolso, mas show de bola.

  • 45. pretinho babylon  |  23/01/2010 às 11:39

    #42

    – Aí é questão de critério. Apesar da origem do Criciúma ser o Comerciário (inclusive usando o mesmo escudo do “Bacharel da Pelota” durante seus primeiros anos), acho meio forçado considerar que um time vá herdar, com uma simples canetada, os títulos e torcedores de outro. Mudou a razão social, a história começa do zero de novo.

    – Dos que tu citou, apenas Zenon é comparado a Teixeirinha e Valerio. Falo isso com base em a) pesquisa que realizei com 30 cronistas esportivos de todo o Estado e b) entrevistas com vários craques catarinenses de ANTANHO, incluindo os três mencionados.

    Mas isso é o de menos; o bom mesmo é ver o futebol catarinense despertando algum interesse fora das fronteiras estaduais. Por isso, antes de polemizar, quero é te parabenizar pelos teus excelentes textos.

  • 46. Lucas Cavalheiro  |  23/01/2010 às 13:11

    Muito bom relato.

    Impedmento tem conseguido manter um EXCELENTE nível nessa PRÉ-TEMPORADA.

  • 47. Fábio - Joinville  |  23/01/2010 às 18:06

    O JEC contratou o Cesar Prates. Uma dúvida, no Estatuto do Idoso tem algum artigo que obriga clubes de futebol contratarem jogadores, digamos mais experientes, é um sistema de cotas?

  • 48. Prestes  |  24/01/2010 às 10:07

    Pretinho Babylon (sensacional),

    O campenato baiano não pode ter tido campeões de apenas duas cidades. O Fluminense de Feira de Santana e o Colo-Colo de Ilhéus já venceram. Com Salvador já dá três cidades.

  • 49. Paulo Torres  |  25/01/2010 às 09:35

    Na proxima quarta então já pode rolar um momento “César Prates marcando Viola”.

  • 50. pretinho babylon  |  25/01/2010 às 14:31

    prestes,

    obrigado pela retificação. é que a fonte que consultei não ia até 2006, quando o colo-colo sagrou-se campeão baiano.

  • 51. Felipe (o catarina)  |  25/01/2010 às 21:28

    #44

    tudo bem, questão de ponto de vista. Mas pela tua lógica, os títulos do Palestra Itália não podem contar para o Palmeiras (nem para o Cruzeiro, no caso do Palestra de Minas). O Criciúma inclusive jogou de azul e branco (cores do Comerciário) até 1984, mesmo tendo mudado de nome em 1978.

  • 52. El Capitán  |  27/01/2010 às 14:04

    # 42

    E o Valdo e o Falcão?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Subscribe to the comments via RSS Feed


Especial – Libertadores 2011

A bola da ImpedCopa

Toco e me voy

  • KANNEMANN acaba de fazer seu PRIMEIRO GOL com a camisa do Grêmio. Tricolor vai metendo 3x0 no Atlético-PR no 1º tempo. 1 hour ago
  • E agora leva um golaço de Barrios. 1 hour ago
  • Na Copa do Brasil, Atlético Paranaense acaba de perder um tiro livre indireto na entrada da PEQUENA ÁREA do Grêmio. 1 hour ago
  • Final do Apertura chileno de 2006. Bravo jogava pelo Colo Colo. Acabaram campeões nos pênaltis (4x2) contra a Universidad de Chile. 2 hours ago
  • Já que o tema do dia é Claudio Bravo pegando pênaltis, lembrança daquela vez que ele defendeu uma cavadinha APÓS te… twitter.com/i/web/status/8… 2 hours ago

Feeds

web tracker

%d blogueiros gostam disto: