Montevideo por uma Copa

20/01/2010 at 12:22 65 comentários

Racing Club de Montevideo

Se o presente do Racing Club de Montevideo, “la Academia” do Uruguai, é recheado com confrontos internacionais e sonhos finalmente alcançados, o que podemos ressaltar dos seus primórdios é a estranheza dos seus primeiros ápodos: primeiramente, o time que sempre foi verde e branco era chamado de Yuyito, para logo se tornar Guaycurú – ainda quando habitava o bairro Reducto de Montevideo. Mas em 1920, um ano após a fundação, o quadro adota o nome de Racing Club de Montevideo, que perdura até o dia mais atual. Em 1941, os que mantinham o pavilhão racinguista em pé resolveram excursionar em busca de uma nova sede. Já chamado de cerveceros, muito provavelmente pelo espírito desbravador adquirido por seus torcedores depois de uns poucos goles (?), o Racing se fixa em Sayago, bairro ferroviário da capital uruguaia.

As cercanias acabaram por gerar uma rivalidade acirrada com o Liverpool, do bairro Belvedere, que também fica POR ALI. Mesmo destrinchando a sala de troféus do clube, você só encontrará algumas taças da segunda divisão profissional (cinco, para ser exato) e três MEDALHAS da Divisional Intermédia, que no período amador ocupava o papel de divisão de acesso do futebol uruguaio. Mas na Libertadores nem só os recuerdos bonitos giram os placares. Nesta semana, o escrete que já teve MAZURKIEWICZ em seu arco viaja ao Equador, onde disputará a Copa Pacífico como preparação para a estréia na Libertadores – dia 27 de janeiro, contra o Júnior de Barranquilla, na Colômbia. Confrontando-se com alegres equipes equatorianas, o técnico Juan “El Ingeniero” Verzeri espera armar um time encardido para a primeira e possivelmente última Libertadores que o Racing participa.

Parque Osvaldo Roberto

O estádio do Racing lembra o dos Eucaliptos, de Santa Maria. A réplica oriental supera o templo do Riograndense apenas por mil lugares: quatro milhares podem abarrotar as arquibancadas do Parque Osvaldo Roberto (pior nome), em Montevideo. Osvaldo Roberto, a saber, teria sido o mais influente dos fundadores do Racing. Tudo isso, no entanto, passará batido durante a Libertadores, já que o clube deve mandar os seus jogos no Estádio Centenário.

Club Atlético Cerro

A participação na Libertadores de 2010 é o regalo que o ineditismo dedicou ao Cerro. A equipe branca e celeste de Montevideo só tem participação assegurada no Grupo 5 da competição porque, pela primeira vez em sua história, levantou uma taça na primeira divisão. Foi a última Liguilla, torneio no qual os seis melhores clubes da temporada se desossam na briga por vagas continentais. Campeão, o Cerro superou naquela ocasião Racing, River Plate, Liverpool, Defensor e Nacional para obter a vaga direta na maior das Copas. Foram 86 anos sem festejos, período em que inclusive o rival de todos os dias, o Rampla Juniors, comemorou um campeonato nacional. A Liguilla, então, determinou o grito de campeão de uma torcida que não sabia como comemorar um campeonato.

Passada a euforia da conquista, o Cerro viu o seu primeiro elenco ganhador se esfacelar com o vento montevideano. O primeiro a sair foi o treinador Eduardo Acevedo, que assinou com o Nacional – clube por qual foi o campeão do último Apertura. Para a banda tricolor também migraram o volante Mathias Cabrera, destaque técnico daquele time, o lateral Christian Nuñez e o zagueiro Gonzalo Godoy. A raiva dos cerrenses com a supremacia financeira do Nacional deve estar tocando o céu – e a Libertadores está aí para possibilitar um – ainda que improvável – confronto direto. Mas o que mais deixou saudades na Villa Del Cerro foi o centroavante – e esse o Nacional não levou.

Monumental Luis Troccóli

Imponente em um bairro pobre, apto a abrigar quase trinta mil almas e com histórias internacionais no seu currículo – para um cuadro chico de Montevideo, o Monumental Luis Troccóli é, no mínimo, surpreendente. Inaugurada em agosto de 1964, a cancha teve como sua primeira sensação a goleada do seu dono diante de um dos gigantes do outro lado do rio, o River Plate. Naquela tarde, o Cerro venceu por 5-2 e encheu todas as tribunas até o ar deixar de existir no último dos espaços. Em uma competição em que TIME deve faltar, o estádio poderia ser o ponto forte do Cerro – basta a Conmebol autorizar a utilização do Troccóli e deixar as arquibancadas espaçosas do Centenário apenas com o Racing.

Club Nacional de Fútbol

Ao Nacional, foi ofertada a missão de ter o real compromisso com o sucesso uruguaio na Copa – Cerro e Racing são desconhecidos para o público estrangeiro e se encontram desacreditados em solo oriental. De modo que a maior probabilidade da taça voltar a Montevideo se dá em caso de triunfos encadeados por parte do tricolor do Parque. Ver o quadro grande com chances mais largas, porém, não é novidade na Libertadores: em 2010, o que muda é a força do clube tradicional que busca o título. O Nacional presente no Grupo 6, de Banfield, Deportivo Quito e Monarcas Morelia, é provavelmente o time mais forte que a instituição formou nos últimos dez anos.

Os uruguaios confirmam os múltiplos talentos da equipe e apontam com um dedo atento para a sagacidade ofensiva do tricolor. Especialmente para o Impedimento, Martín Ocretich, redator do blog Fanáticos Del Mate, analisa o escrete de Eduardo Acevedo: “Bueno, a ver. Nacional armó el plantel hace 6 meses con un ojo puesto en esta Copa. En el Apertura desplegó un buen futbol, con sobresalientes actuaciones del argentino Matute Morales y del juvenil Nicolas Lodeiro. Algún que otro desajuste defensivo, típico de los equipos que van mucho al ataque. Al tricolor lo pondría en el lote de los que van a hacer ruido en la Copa, junto con algunos de los brasileros (Corinthians, Flamengo, Inter), y Estudiantes y Velez, de Argentina”. Chupa, São Paulo.

Gran Parque Central

O palco do Nacional é conhecido: todos já pararam de pé diante da TV da sala ou deixaram um copo flutuando num desses bares da vida para se embasbacar com a festa proporcionada por bandeirolas sem fim naquele estádio acanhado. O Gran Parque Central inclusive deve ser mais utilizado na Libertadores de 2010 – ao menos é a tendência de um clube que ano após ano investe em melhorias para a sua cancha. Mas isso todos sabem. Interessante é saber o quanto de TRAGÉDIA aparece, ainda que de forma implícita, na história do Parque Central.

A primeira e mais famosa ocorreu em março de 1918, quando Abdón Porte, zagueiro titular do “Bolso” por incontáveis temporadas, se suicidou no círculo central do gramado – no horizonte do velho ídolo, não havia nem céu e nem deuses. Foi a forma encontrada pelo zagueiro para impedir a sua já decretada decadência futebolística. Em abril de 1920, outra morte banhou de vermelho o campo do Nacional. Os políticos José Battle y Ordoñez e Washington Beltrán haviam iniciado uma discussão a partir dos editoriais dos seus respectivos jornais, “El Día” e “El Pais”. Decidiram, então, por resolver as desavenças em um duelo de pistola. Separados por vinte e cinco passos, José Battle foi mais rápido que Beltrán na grama do Gran Parque. A terceira é bastante atual. Em 1996, uma briga entre torcedores de Nacional e Cerro nos arredores do estádio resultou na morte de Daniel Tosquellas, de 31 anos, simpatizante do tricolor.

Saludos,
Iuri Müller.

Anúncios

Entry filed under: (Louco de) Especial La Copa 2010, Libertadores.

Cores da literatura sul-americana O extasiante retorno à normalidade

65 Comentários Add your own

  • 1. Frank  |  20/01/2010 às 12:29

    Ótimo post, ainda mais trazendo detalhes sobre os estádios…
    Iuri foi a melhor contratação da ImpedCorp em DÉCADAS…

  • 2. mardruck  |  20/01/2010 às 12:44

    Convém notar também que a hinchada do Cerro é completamente demoníaca.

  • 3. m  |  20/01/2010 às 13:14

    taí um evento que poderia ser mais frequente: políticos duelando com pistolas nos principais estádios do país.

  • 4. augusto  |  20/01/2010 às 13:39

    E o tal lateral direito Gonzalez, do Bolso, que dizem estar na lista de reforços do Grêmio, que tal é? Alguém sabe? LF? Iuri?

  • 5. juanca py  |  20/01/2010 às 14:28

    Equipos que se denominen “Cerro” estan condenados a no ganar titulos internacionales…y a ser co-protagonistas siempre…
    olimpia: ben stiller
    cerro: owen wilson

  • 6. Deluca  |  20/01/2010 às 14:32

    #5

    ETERNO.

  • 7. Rudi  |  20/01/2010 às 14:39

    Ben Stillar – casado com Christine Taylor

    Owen Wilson, já pegou Demi Moore e Kate Hudson

    não acho tão ruim assim

  • 8. Iuri  |  20/01/2010 às 14:52

    Augusto

    O “Tata” González não é lateral direito, para começo de conversa. É volante e sempre foi. Atua por ali para quebrar o galho – assim como tem sido no Grêmio que começa 2010.

    Mas é bom jogador, marca forte e tem um passe decente. Foi titular durante o Apertura vencido pelo Nacional, e marcou inclusive o gol do título. Disputou a última Copa Libertadores pelo Boca Juniors.

  • 9. fino  |  20/01/2010 às 15:00

    CADE O BANNER DO TEVAH, CARAIO!!!

    klflçkopasfdkjlçasdfkklçasdf

  • 10. augusto  |  20/01/2010 às 15:25

    iuri, por supuesto, a solução só pode ser uma improvisação. vi este golo no youtube e no más não encontrei jogadas dele. a ver.

  • 11. rômulo arbo  |  20/01/2010 às 15:30

    aguante orientais! (mas só depois do tiburón)

  • 12. Zé Carlos  |  20/01/2010 às 15:32

    Times ruims dos caralhos, esses dois vao cair na primeira fase

  • 13. Zé Carlos  |  20/01/2010 às 15:32

    Times ruiNs dos caralhos, esses dois vao cair na primeira fase

  • 14. dante  |  20/01/2010 às 15:48

    “Mas o que mais deixou saudades na Villa Del Cerro foi o centroavante – e esse o Nacional não levou.”

    desculpe a ignorância, mas quem levou então, iuri?

    ***

    acho que o luis troccólli não poderá mesmo ser usado:

    “Copa Santander Libertadores 2010: el estadio de Cerro (URU) no albergará partidos

    La Confederación Sudamericana de Fútbol comunicó a la Asociación Uruguaya de Fútbol que el estadio del club Cerro de Montevideo no podrá ser utilizado para los partidos oficiales de la Copa Santander Libertadores 2010.

    Tras una revisión del mencionado escenario se llegó a la conclusión de que necesita mejoras sustanciales para adecuarse a las reglamentaciones vigentes.”

    [do site da conmebol]

    ***

    FANÁTICOS DEL MATE, melhor nome.

    ***

    “taí um evento que poderia ser mais frequente: políticos duelando com pistolas nos principais estádios do país.” [2]

  • 15. Francisco Luz  |  20/01/2010 às 16:16

    Santiago Silva era o atacante e foi para o Banfield, SASSO.

  • 16. izabel  |  20/01/2010 às 16:38

    off topic total (para um post muito bom) mas acho que vale citar:
    http://globoesporte.globo.com/Esportes/Noticias/Basquete/0,,MUL1455912-15060,00-EUA+CRIAM+LIGA+SO+PARA+JOGADORES+BRANCOS.html

    eu caio do cavalo com essas.

  • 17. Jader Anderson  |  20/01/2010 às 16:42

    #5

    Gaitei

    haehehehehae

  • 18. Rudi  |  20/01/2010 às 16:46

    2 coisas a refletir (com TODO CUIDADO do mundo)

    1 – SE existe um argumento baseado em questão de segurança por causa da idiotice de UM jogador, é simples, BANE o Gilbert Arenas do esporte, o basquete é um jogo de contato e dá briga mesmo, o que ele fez não se justifica, mas isso é um grande exagero

    2 – MUITO VAGAMENTE veio em minha cabeça um paralelo à política de cotas existente aqui e em outros países, ao contrário (ATENÇÃO, BIRRENTOS DE PLANTÃO – não estou defendendo nem atacando nada, apenas achei uma situação parecida, em virtude de quase não terem brancos jogando na NBA atualmente, inclusive isso sendo assunto de um CLÁSSICO do cinema [Homens brancos não sabem enterrar – com participação, se não me engano, do Larry Bird])

    2.1 – AO MESMO TEMPO temos que lembrar que se hoje os negros são maioria absoluta nos clubes dos EU & A, até 4, 5 décadas atrás, o basquete também sofria com o racismo, que lá é bem mais explícito do que o brasileiro (sim, caro cara-pálida, existe racismo aqui, por vezes é velado, mas existe), com segregação de ligas e tudo mais, e – por ser um jogo de contato, força física e velocidade, os negros – em grande parte – conquistaram essa maioria SIMPLESMENTE POR JOGAREM MAIS

    enfim, daria uma boa reflexão

  • 19. Ernesto  |  20/01/2010 às 17:01

    Luz, eu sei que você é bruxo, é irmão
    mas preciso fazer uma correção

    Não era o Santiago Silva, mas o Bogossian
    Foi para o Newels, o artilheiro do amanhã

  • 20. Álisson  |  20/01/2010 às 17:13

    Ernesto, a tua versão porra louca era mais divertida que essa de poeta!

  • 21. Francisco Luz  |  20/01/2010 às 17:14

    Bah, isso aí. Fiquei pensando no artilheiro do Apertura e lembrei do SSilva. Perdi total.

  • 22. rômulo arbo  |  20/01/2010 às 18:06

    parece q o grêmio fechou em definitivo com o douglas

  • 23. Frank  |  20/01/2010 às 18:15

    #18
    Sem querer te CORNETEAR Rudi, mas para mim, talvez a diferença é que as cotas para negros, por exemplo, NÃO impedem que as pessoas de outras origens entrem nas demais vagas.
    Uma liga EXCLUSIVA é o cúmulo do preconceito, relembra os piores momentos do Apartheid…

  • 24. y  |  20/01/2010 às 18:50

    douglas = pecho frío

    mau negócio do grêmio, o que não é novidade nenhuma

    #5:

    já chegou cinema no Paraguay????

    hahahaha… brincadeira. Paragua é foda, fornece coisa boa pró Brasil, e democratiza os productos que seriam mais caros… valeu.

  • 25. y  |  20/01/2010 às 18:52

    TORCI PRO OLÍMPIA CONTRA O SÃO CAETANO EM 2002

    FALEI.

  • 26. Lobo  |  20/01/2010 às 18:53

    Gol do Pelotas, agora 1 x 0 no JU!

  • 27. ben  |  20/01/2010 às 18:58

    o iuri é o único bom do impedimento.

  • 28. rafael botafoguense  |  20/01/2010 às 18:59

    isso ai pelotas mate o juventud viado…

    y,também torci pro olimpia.

  • 29. y  |  20/01/2010 às 19:00

    #27:

    HAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA

    ALGUÉM FALOU A VERDADE

    IURI NOS POSTS E Y*RI NOS COMENTÁRIOS. Comando total.

  • 30. owen wilson  |  20/01/2010 às 19:00

    concordo com o ben.

  • 31. y  |  20/01/2010 às 19:07

    #28:

    eu temia que o São Caetano tornasse-se um SANTOS, por isso torci contra… hahahhaha

    nem foi pela Libertadores em si, foi por medo de surgir um novo Santos. Se bem que o velho Santos não assusta ninguém, mas enche o saco.

  • 32. Lobo  |  20/01/2010 às 19:09

    2 x 0 para o Pelotas. Maicon Sapucaia (> Tcheco)

  • 33. rafael botafoguense  |  20/01/2010 às 19:10

    eu torci contra,senão ia aparecer um monte de mulambo chato(pleonasmo),dizendo que até o são caetano tinha libertadores.

  • 34. Caio  |  20/01/2010 às 19:58

    No Uruguai as peleias se resolvem na bala, como deveria ser.

    “Chupa, São Paulo” foi sensacional…

  • 35. Lobo  |  20/01/2010 às 20:07

    1,2,3 dá-lhe LOBÃO!!!

  • 36. Lobo  |  20/01/2010 às 20:09

    3 x 0 para o LOBÃO!!!!

  • 37. Lobo  |  20/01/2010 às 20:29

    Final: Juventude 1 x 3 Pelotas

  • 38. David  |  20/01/2010 às 20:57

    Muito afudê esse uniforme da UNIVERSIDADE.

    Uma mistura de post-it com lumicolor.

  • 39. Zé Carlos  |  20/01/2010 às 21:01

    #38: Vá se foder

  • 40. Manoel  |  20/01/2010 às 21:11

    Nacional nomá!!! Dale Bolso!!!

  • 41. FERN  |  20/01/2010 às 21:29

    OBS. LA HINCHADA DE CERRO ES LA MAS GRANDE DE LOS CLUBS CHICOS DEL URUGUAY

  • 42. FERN  |  20/01/2010 às 21:34

    OBS. EL OTRO ARCHRRIVAL DEL RACING DE MDEO ES FÉNIX, MAS QUE EL NEGRIAZUL LIVERPOOL…

  • 43. Rita Apoena  |  20/01/2010 às 21:39

    ******* intervalo nos chutes *******

    Essa noite eu sonhei que jogava futebol com vocês. E eu nem era perna-de-pau. E o Ernesto corria fazendo rimas. E o Zé Carlos chamava todo mundo de fio da puta. Tinha o Ceconello, o Iuri, o Frank, o Francisco, o Manuel, o Branco… eu acho bem que tinha todo mundo, um dando chute no outro, sem um pingo de dó 🙂 Acho que foi um jeito do meu sonho dizer muito obrigada.

    ******* pronto *******

  • 44. ben  |  20/01/2010 às 21:45

    iuri dos comentários, eu te odeio e espero que não me relacionem a ti

    corintiano imundo e fedorento

  • 45. ben  |  20/01/2010 às 21:55

    mas que vergonha.

  • 46. Francisco Luz  |  20/01/2010 às 22:47

    Trabalha, moderação.

  • 47. fino  |  20/01/2010 às 23:14

    Me lembrei de um trecho do Cidade de Deus em que o DADINHO tá completamente transtornado:

    Zé Pequeno: “Vamu lá toma a boca do CENOURA, porra!”

    Bené: “Esquece o Cenoura, o Cenoura é gente boa..”

    Zé Pequeno: “Gente boa o caralho, é um filho da puta..”

    Bené: “Todo mundo é filho da puta pra ti”

    Zé Pequeno: “Filho da puta sim!”

    Bené: “Tá precisando arrumar uma namorada, Zé…”

  • 48. Prestes  |  20/01/2010 às 23:27

    Bah, nem comeci a ler o post e já vou elogiar.

    Aquela primeira foto é tua, Iuri???

    Coisa sensacional aquela meia dúzia de torcedores em chamas!!!

  • 49. Prestes  |  20/01/2010 às 23:32

    Aliás todas as fotos estão geniais. O que eu já li do post também!!!

    AGUANTE!!!

  • 50. Prestes  |  20/01/2010 às 23:47

    SENSACIONAL!

    IURI COM I É MTO GALO VÉIO!!!

  • 51. Luís Felipe  |  20/01/2010 às 23:59

    46. Francisco Luz | 20/01/2010 at 22:47

    Trabalha, moderação.

    —-

    Corneteia, diletante!

  • 52. Rudi  |  21/01/2010 às 08:54

    Franco (no 23)

    eu só coloquei pontos pra refletir, também sou radicalmente contra uma liga exclusiva, além de apartheid é estupidez

    Davi (no 38)

    eu JURO que ontem eu vi um cara com camisa do PORTO ALEGRE aqui em BRASÍLIA, tive medo eterno, terror e pânico, mas a sua definição é perfeita, mistura de post-it com lumicolor mesmo

  • 53. Rudi  |  21/01/2010 às 09:21

    sem contar que a tal “LIGA EXCLUSIVA’ é um puta tiro no pé, pois como falei antes ali, no basquete, pela imposição física, é natural o negro levar vantagem, ser melhor jogador, raros são os brancos que conseguem jogar em “nível mundial” tipo Larry Bird…

    ou seja, essa liga será mais fraca, e se um dia jogar contra um time “dito” normal, vai tomar pau

  • 54. Frank  |  21/01/2010 às 09:56

    #53

    Assino embaixo, Rudi…

    #43

    Belo sonho… só acho que, pelos comentários que rolaram na última ImpedCopa sobre Douglas ET CATERVA, eu seria mais chutado do que distribuiria chutes…

    ahoadfhfdahpfanfaak

  • 55. Phoenix  |  21/01/2010 às 10:37

    #53 Discordo.
    Mesmo levando os melhores, desde 1994 (Dream Team original) os EUA não levam um mundial de basquete.
    Em 98, ficaram em 3° lugar (Iugoslávia campeã)
    Em 2002, ficaram em 6°, tomando um sacode de um bando de time em casa (foi em Indianápolis). A Iugoslávia – ?? – foi de novo campeã.
    E em 2006, ficaram de novo em 3° lugar. A Espanha foi campeã.
    Ou seja: levaram pau de times europeus, formados eminentemente por jogadores brancos.

  • 56. Rudi  |  21/01/2010 às 10:50

    como eu disse, fisicamente POUCOS JOGADORES brancos podem acompanhar o nível

    coincidentemente, essas seleções reuniram alguns desses jogadores

    mas uma LIGA INTEIRA formada apenas por brancos com certeza tomaria pau dos caras da NBA

    e sim, eu sei que a imposição física é maior nos pivôs e ala-pivôs, mas mesmo um armador não pode ser mirrado, e tem que ser muito ágil

  • 57. Gustavo  |  21/01/2010 às 12:19

    Não podem permitir a abertura de algo assim, pelo menos não de forma oficial. Se os magrão branquelo quiserem se juntar pra jogar PELADAS de basquete, aí não tem como negar.

  • 58. Rudi  |  21/01/2010 às 12:32

    concordo, mas no momento que se dá status de LIGA… abre precedentes

    daqui a pouco teremos a liga brasileira de basquete japones

    a liga coreana de basquete uruguaio

    a liga austriaca de basquete judeu

    e por aí vai

  • 59. y  |  21/01/2010 às 12:43

    “daqui a pouco teremos a liga brasileira de basquete japones”

    JA EXISTE E CHAMA-SE BEISEBOL

  • 60. Ernesto  |  21/01/2010 às 14:00

    Esse recado vai pro Alisson, que falou de mim
    tudo bem tranquilo, não fico mal por algo assim

    Mas meu bruxo, muita calma, não fique irritado
    afinal de contas, como diria o ditado
    “que se retire o incomodado”

    Velhinho, tranquilo, não sei porque tua raiva típica de italiano
    nunca ouviu falar que é impossível agradar a gregos e troianos

  • 61. Iuri  |  22/01/2010 às 01:26

    Prestes

    A foto da hinchada do Racing e a da bandeira do Cerro são minhas. Em julho passado estive em Montevideo e acompanhei três jogos em dois dias:

    Racing 1-1 Liverpool, na cancha do Defensor
    Defensor 3-0 River Plate e Nacional 1-3 Cerro, ambos no Centenário

    Muchas gracias pelo incentivo.

    Grande abraço

  • 62. Thiago Ciaciare  |  22/01/2010 às 17:23

    Lodeiro é passado. Foi para o País da Luz Vermelha !

  • 63. Diego del Parque  |  05/03/2010 às 01:50

    ABDÓN PORTE

    Sin Nacional y el fútbol, sus únicas guías, la vida para Porte no tenía sentido. No hay actividad, al menos en estos extremos del planeta, tan subyugante y pasional como el deporte, y en particular el fútbol. Por él en la madrugada del 5 de marzo de 1918, ABDÓN PORTE se pegó un tiro en el medio de la cancha del Parque Central, al saber que su ciclo en el Club Nacional de Football, llegaba a su fin. Hizo una carrera brillante, campeón Uruguayo con la tricolor en 1912, 1915, 1916, 1917. Titular en 207 partidos, número inusual para la época. Fue Campeón Sudamericano con la celeste en 1917, tuvo todos los laureles. Pero su día más glorioso fue el 11 de noviembre de 1917. Ese Día en la cancha del Parque de los Aliados (actual pista de atletismo) tras empate con el C.U.R.C.C., su Nacional conquistó la ˜Copa Uruguaya en Propiedad˜. La hazaña era singular, y como tal la celebró.
    Abdón Porte no lo podía creer. Desde el mismo Parque de los Aliados, tres mil personas en aplauso constante, con voces fervorosas y elevando gritos de victoria, saludaban el paso de los campeones, que iban en una carroza descubierta. Y su nombre estaba en el aire de la tarde. Su corazón parecía estallar, y al final ya nada escuchaba – ni los sones de la banda que abría camino, porque su emoción podía más.
    En 1918 entrevió el ocaso, entonces si tuvo en sus ojos la terrible melancolía que debe haber dominado a los indios, al saber que se extinguían. Intuyó que lo suyo iba a tornarse pesado.
    La directiva decidió correr a Alfredo Zibecchi al centro. Porte era reemplazado, sería un suplente, un hombre de reserva.
    El 5 de marzo de 1918, como en los días de sus hazañas, se dirigió al centro de la cancha del Parque Central. En lugar del grito de la hinchada, vibró un estampido que puso fin a su vida. Pocas horas después, en medio de la fría mañana de aquel 5 de marzo, el perro del encargado de la cancha del club encontró el cuerpo inerte de Porte. Este lo llevó casi a rastras a su dueño, Severino Castillo, al círculo central de la cancha donde yacía el cuerpo del mediocampista con sangre en el lado izquierdo de su camisa, el revólver con el que se disparó en el corazón y dos cartas dentro de un sombrero de paja: una dirigida al presidente de Nacional y otra a un pariente.
    En la primera misiva, Porte se dirigió a José María Delgado (presidente tricolor) en los siguientes términos:
    “Querido Doctor Don José Maria Delgado. Le pido a usted y demás compañeros de Comisión que hagan por mí como yo hice por ustedes: hagan por mi familia y por mi querida madre. Adiós querido amigo de la vida”.
    Además, debajo se su firma recordó a su querido Nacional:
    “Nacional aunque en polvo convertido / y en polvo siempre amante. / No olvidaré un instante / lo mucho que te he querido. / Adiós para siempre”.

  • 64. BOLSO  |  25/04/2010 às 19:56

    Dale Nacional en la Copa.

  • 65. Luis Fernando Deleón  |  09/07/2010 às 10:58

    É importante dizer que o Gran Parque Central foi o campo onde se jogou o PRIMEIRO PARTIDO DE UMA COPA DO MUNDO, nao foi no Centenario como muitos devem pensar e sim no Parque Central, desde essse día em 1930 em diante é que se joga a Copa do Mundo.
    Grande el Club Nacional de Football !!

    Parabéns pelo blog. lamentavelmente descubrí ele reçem…. =(

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Subscribe to the comments via RSS Feed


Especial – Libertadores 2011

A bola da ImpedCopa

Toco e me voy

  • Já garantiu dois e tem um terceiro (CSA) com tudo na mão. E também o Confiança vivo, ainda que precisando de façanha. 8 hours ago
  • Nordeste pode ser a primeira região a subir mais que 2 times juntos em uma edição da C, desde que adotaram a fórmula atual (2012). 8 hours ago
  • O São Bento na B também seria notícia, é claro, mas do São Bento se espera menos do que um clube que é gigante em seu estado. 8 hours ago
  • Um eventual acesso do CSA seria um feito enorme: sem contar a bagunça da João Havelange, time não joga acima da terceira divisão desde 1992. 8 hours ago
  • Hoje subiram para a B 2018 o Sampaio e o Fortaleza. Outras vagas são definidas amanhã e segunda, mas São Bento e CSA têm ampla vantagem. 8 hours ago

Feeds

web tracker

%d blogueiros gostam disto: