Cores da literatura sul-americana

20/01/2010 at 06:00 93 comentários

Recentemente, o Universitario, do Peru, atual campeão nacional, homenageou o escritor Mario Vargas Llosa, nomeando-o sócio honorário do clube. O autor ficou ENCANTADO com a atitude de los cremas e confessou seu amor incondicional ao clube, prometendo segui-lo hasta la muerte. E aí reside a novidade: poucos são os escritores identificados com clubes de futebol.

O escriba peruano, nascido em 1936, portanto já tendo pitado mais de meio maço de vida, contou que em sua juventude chegou a integrar as categorias de base do Universitario, tendo inclusive jogado com a camisa crema no estádio Nacional. Descartou, contudo, qualquer possibilidade de se tornar presidente do clube. Llosa candidatou-se à presidente do PAÍS em 1990, mas foi derrotado.

Mas poucos são os escritores CANÔNICOS identificados profundamente com os clubes de futebol, independentemente do país. Aqui no Brasil, no entanto, é provável que Machado de Assis tenha passado um pó de arroz para disfarçar sua negritude e dar umas braçadas no elenco de REMO do Fluminense.

Aliás, é do Tricolor um dos escritores FAMOSOS mais vinculados a uma agremiação. Apostaria três ESTRIBILHOS que Nélson Rodrigues nunca viu um jogo de fato, mas soube imaginá-los como ninguém. Também deixou uma obra que, entre outras maravilhas, nos permitiu ver Milla Christie vestindo a carapuça do demônio ao encarnar a Engraçadinha. Um torcedor de respeito, portanto.

Mas e continente arriba, abajo, afora e adentro, por quem torceriam os nobres narradores? O Nacional do Uruguai apresenta uma linha ofensiva de respeito, com Eduardo Galeano e Mario Benedetti, que faleceu em 2009 e cujo interesse pelo balompié rendeu esta desde já inesquecível entrevista.

Benedetti não se contentava apenas em torcer para os tricolores. Chegou a experimentar um pouco do veneno: “era golero, aunque muy malo. Me gustaba jugar en ese puesto, porque representa una figura especial dentro del equipo. Aunque con razón, muchos dicen que es el peor de los puestos. Cuando los compañeros meten un gol el arquero no puede festejarlo con ellos porque está muy lejos, y cuando le convierten uno está resignado a soportarlo en soledad”.

Quem também gostava de trotear pela cancha, além de viver às voltas com tigres e livros de areia, era Jorge Luís Borges, torcedor do Newell’s Old Boys. Justo ele, a última pessoa no mundo que eu imaginaria chutando uma pelota. Ainda na Argentina, Júlio Cortázar, naqueles momentos em que não estava num engarrafamento na auto-estrada do sul, dedicava sua paixão ao Banfield. Osvaldo Soriano, escritor e jornalista, era torcedor do San Lorenzo.


Soriano disfarçado de Maradona

E se precisássemos forçar uma relação entre escritores e clubes? Certamente o mais flamenguista de todos seria Stendhal, como sua confissão transbordante em O vermelho e o negro. Substituiríamos Julien, o herói sofrido e sem caráter, por ZICO gritando com seu joelho torcido, e ninguém perceberia a diferença.

O Álvares de Azevedo, tuberculoso até não poder mais e vivendo de amores impossíveis, sem dúvida empunharia a bandeira do Atlético-MG, com seu sofrimento e tragédia sem fim. E o seu colega de GERAÇÃO, o sensível Casimiro de Abreu, usaria a mesma camisa de Ricky Richarlyson. Imaginem que lindo o Morumbi inteiro cantando:

Borboleta dos amores,
Como a outra sobre as flores,
Porque és volúvel assim?
Porque deixas, caprichosa,
Porque deixas tu a rosa
E vais beijar o jasmim?!

Saudações,
Douglas Ceconello.

Anúncios

Entry filed under: Clubes, Colunas.

Brothers in arms Montevideo por uma Copa

93 Comentários Add your own

  • 1. Zé Carlos  |  20/01/2010 às 06:36

    Ai sim fomos surpreendidos novamente….

  • 2. vicente v.  |  20/01/2010 às 07:24

    fiquei imaginando gabriel garcia marquez vibrando com WILLIE TIBURÓN.

  • 3. Luís Felipe  |  20/01/2010 às 08:04

    Gabo certa vez escreveu uma coluna para dizer que assistiu um jogo do Tiburón contra o Millonarios de Bogotá – com HELENO DE FREITAS nas fileiras azuis.

    —–

    CHOREI com o poema.

  • 4. Guto  |  20/01/2010 às 08:11

    hahhaha

  • 5. Prestes  |  20/01/2010 às 08:17

    “Ai sim fomos surpreendidos novamente….” (2)

    Sensacional.

  • 6. Lucas Cavalheiro  |  20/01/2010 às 08:34

    uaheuaehaeuahu

    Ceconello anda inspirado nas “férias” futebolísticas.

    Mas cometeu um erro GRAVE nesse texto: linkou Milla Cristie. Demorei uns 30 minutos pra voltar ao texto, entre 12 videozinhos no youtube, playboy, vip, etc, e ainda depois vi mais alguns videos relacionados de Presença de Anita (Engraçadinha 2, o retorno) com, sempre ele, Tripé Mayer mandando pra dentro.

  • 7. dante  |  20/01/2010 às 08:38

    “una de las condiciones esenciales del hinchaje es la pérdida absoluta y aceptada del sentido del ridículo”

    bá, sensacional essa coluna do gabo. ele fica comparando os atletas daquele jogo a ESCRITORES [“Y qué gran crítico de artes habría sido Dos Santos –que ayer se portó como cuatro– cortándole el paso a todos los escribidorcillos que pretendieran llegar”].

    gênio.

  • 8. Guilherme  |  20/01/2010 às 09:07

    Vargas Llosa é um ótimo escritor.

    Quem matou Palomino Montero é muito massa.

  • 9. dante  |  20/01/2010 às 09:23

    esse achei MÉDIO, guilherme.

    bom mesmo é “pantaleão e as visitadoras”.

  • 10. pretinho babylon  |  20/01/2010 às 09:44

    Achei um DESPAUTÉRIO não mencionar José Lins do REGO (flamengo até morrer) e – em uma prova cabal de que a paixão escarlate embota o HIPOTÁLAMO – um ESTETA do quilate de Eduardo Bueno, que sempre colocou seu HISTRIONISMO a serviço do clube da imortal jaqueta tricolor.

  • 11. Flávio  |  20/01/2010 às 09:55

    Drummond era Vasco. Outro grande poeta, João Cabral de Melo Neto, era torcedor do América do Recife (?!), mas chegou a jogar no juvenil do Santa Cruz, além de ter escrito um poema sobre Ademir da Guia. Rubem Fonseca também é vascaíno. Scliar diz que torce para o Cruzeiro daqui. Veríssimo é colorado. Graciliano Ramos não gostava de futebol.

  • 12. Matias Pinto  |  20/01/2010 às 09:57

    Acho bem díficil o JL Borges ter torcido para algum clube, logo ele que DETESTAVA fútbol…

    Em tempo, a família do UNIVERSAL João Simões Lopes Neto era ligada ao EC Pelotas, enquanto que Moacyr Scliar é um dos felizardos que seguem o EC Cruzeiro, de Porto Alegre.

  • 13. Prestes  |  20/01/2010 às 10:08

    Essa história do Scliar torcer pro Cruzeiro me cheira a balela.

    Acho que o lance de o Érico ter simpatia pelo Cruzeiro gerou uma modinha entre os escritores.

    O Carlos Nejar é outro q diz que é Cruzeiro.

    Acho q os caras não curtem mto futebol, ou torcem para algum time da Dupla, mas não querem ficar identificados.

  • 14. mardruck  |  20/01/2010 às 10:24

    Foda é que o Borges não devia VER muitos jogos.

  • 15. douglasceconello  |  20/01/2010 às 10:31

    TE LIGA, Pretinho.

    Desprezei a dupla Gre-Nal de propósito.

    E o Eduardo Bueno é um bom jornalista e historiador, mas está longe de se encaixar no QUADRANTE da literatura. Na verdade, segundo as minhas concepções (BEM GAY esta frase, tenho noção), nem o Luís Fernando Veríssimo é um grande escritor.

    E, se não citei mais escritores-torcedores, foi porque não me vieram à cabeça na hora ou porque não sabia de suas PREDILEÇÕES.

  • 16. Frank  |  20/01/2010 às 10:37

    Se o Scliar é Cruzeiro ou não, pouco me importa, desde que isso continue servindo de inspiração para obras como A Colina dos Suspiros…
    Eu achei bacana…

  • 17. Flávio  |  20/01/2010 às 10:47

    Quando falaram para o Borges que a Copa de 78 seria na Argentina, ele teria comentado: “futebol? deve ser bom, já que foi inventado pelos ingleses”. Borges era um grande anglófilo.

  • 18. Godo  |  20/01/2010 às 10:59

    Ruy Castro é rubro-negro mais que assumido, assim como Chico Buarque é tricolor.

  • 19. fino  |  20/01/2010 às 11:07

    Peninha não é nem escritor, nem jornalista e nem historiador…

    é HUMORISTA e co-fundador da filosofia COPERA IMORTAL

  • 20. douglasceconello  |  20/01/2010 às 11:08

    Tá, Chico Buarque escreveu só uns seis parágrafos de literatura.

    Piazzolla era RACING, mas não entrou, também por ser MÚSICO.

  • 21. Fernando Cesarotti  |  20/01/2010 às 11:18

    Moacir Franco é o palmeirense mais ilustre que me vem à mente agora. Ou seja: PERDI COMPLETAMENTE.

  • 22. fino  |  20/01/2010 às 11:18

    tudo puto

  • 23. Prestes  |  20/01/2010 às 11:25

    Milton Ribeiro é colorado.

  • 24. Rudi  |  20/01/2010 às 11:25

    Cesarotti

    José Serra
    Joelmir (e Mauro) Betting
    Aguinaldo Rayol
    Ratinho
    Bola (pânico)
    Simoninha

    lembro desses

  • 25. Lol (de férias até a 2a fase da libertadores)  |  20/01/2010 às 11:28

    GUIHOCH, o poeta maldito, é gremista e não foi mencionado.

    Por falar nisso, que fim levou o Cunergundes, o Mulato Frajola?

  • 26. Licurgo - O gaúcho EMO  |  20/01/2010 às 11:29

    O Guri de Uruguaiana é gremista.

  • 27. Leo Garcia  |  20/01/2010 às 11:36

    O escritor chileno Roberto Bolaño (não, não é o Chaves), quando perguntado para que time torcia, tascou essa:

    ¿Cuál es su equipo de fútbol favorito?
    -Los que bajaron a segunda y luego, consecutivamente, a tercera y a regional, hasta desaparecer. Los equipos fantasmas.

    entrevista completa aqui: http://encontrarte.aporrea.org/teoria/perfiles/95/

  • 28. marcelo benvenutti  |  20/01/2010 às 11:45

    O Viggo Mortensen torce pro San Lorenzo.

  • 29. marcelo benvenutti  |  20/01/2010 às 11:54

    http://www.futebolinterior.com.br/news.php?id_news=25641

    Estrelas! Saiba quais celebridades torcem por seu time!

  • 30. Frank  |  20/01/2010 às 12:01

    Olha só nesse site indicado pelo Benvenutti…

    Grêmio – (…) Humberto Gensingre (vocalista da banda Hengenheiros do Hawai)…

    auahfduahfdauha

  • 31. marcelo benvenutti  |  20/01/2010 às 12:06

    16. Prestes | 27/08/2009 at 21:44

    O Ypiranga é o time do Jorge Amado, não??

    Todo escritor torce ou finge que torce prum time desses. Aqui em Poa tem uma meia dúzia que diz que é do Cruzeiro.

    E a Zélia Gattai diz que torcia pro LEÔNICO. Melhor time.

  • 32. Rudi  |  20/01/2010 às 12:07

    Palmeiras – Leão Lobo

    CESAROTTI – EXPLIQUE-SE

  • 33. Fernando Cesarotti  |  20/01/2010 às 12:07

    Rudi, convenhamos que nenhum desses é um Gay Talese, né?

  • 34. Rudi  |  20/01/2010 às 12:15

    ok, Leão Lobo não é Talese… mas de resto…

  • 35. Álisson  |  20/01/2010 às 12:26

    A palavra sensacional e a menor referência a Gabo, na mesma frase, é uma enorme redundância.

    E sim, que texto sensacional.

  • 36. marcelo benvenutti  |  20/01/2010 às 12:27

    Eso es el fútbol: http://www.youtube.com/watch?v=hjfMEFMTaTY

  • 37. Álisson  |  20/01/2010 às 12:35

    E chama logo o RSVP, já que falaram em Pantaleón.

  • 38. Gustavo  |  20/01/2010 às 12:49

    Lindíssimo texto do García Marquez (não vou chamar ele de ‘Gabo’ pois não sou íntimo – só li 2 livros dele). Se o Sant’Anna escrevesse minimamente parecido com isso sobre o Grêmio, estaria feliz.

  • 39. Olga  |  20/01/2010 às 13:23

    “Apostaria três ESTRIBILHOS que Nélson Rodrigues nunca viu um jogo de fato, mas soube imaginá-los como ninguém.”

    Acho que você tá certíssimo, Douglas. Ele inclusive enxergava mal pacas.

    o jornalista Genetton Moraes Netto, fez uma entrevista (sensacional!, diga-se) com o GRANDE Nélson Rodrigues, marcada exatamente na hora em que aconteceria um jogo da seleção brasileira, Brasil x Peru, o que fez o jornalista pensar que teria sido um engano. Que nada, engano nenhum! O Nélson deu a entrevista com a televisão sem som. Palavras do Genetton:

    “Fui testemunha ocular de uma verdade inapelável: Nélson Rodrigues era um cronista tão perfeito que nem precisava ver o jogo. O resultado da partida, as escaramuças dos jogadores, os esquemas táticos, todas essas bobagens não passavam de detalhes secundários aos olhos do gênio. A Nélson Rodrigues importava a escalação do adjetivo certo na frase certa. Pouco interessava a distribuição de beques ou atacantes no retângulo verde. O relato dessas banalidades é tarefa que cabe aos “idiotas da objetividade” – estes pobres seres que só são capazes de enxergar a rala superfície dos fatos.”

  • 40. Olga  |  20/01/2010 às 13:28

    Desconsiderar vírgula inadequada separando sujeito do verbo, por favor. O primeiro comentário do ano tem que sair mais ou menos certinho.

  • 41. Guilherme  |  20/01/2010 às 13:32

    .9

    É melhor esse? Não tô ligado. Lerei.

    Outro que eu li e achei legalzin foi aquele da Travessuras da Menina má, que é o mais recente, acho.

  • 42. teaser  |  20/01/2010 às 13:47

    LÊ JÁ.

    e depois vê o filme.

  • 43. Paulo Torres  |  20/01/2010 às 14:08

    Entre os escritores mineiros, poucos declaram torcida por algum time. Sei que o Roberto Drummond era atleticano, porque era também cronista esportivo – foi ele quem cunhou a expressão “China Azul” para a torcida do Cruzeiro, muito usada pelas bandas de cá.

    Paulo Mendes Campos era Botafogo, acho que Fernando Sabino também o era, mas seu irmão Gerson Sabino, jornalista, foi um americano histórico, se vangloriava de ter sido goleiro dos juvenis do Coelho e tudo mais.

  • 44. zen  |  20/01/2010 às 14:55

    Náutico – Eduardo Campos (Governador de Pernambuco), Otto
    (cantor e marido da Alessandra Negrini)

    cantor e marido da alessandra negrini

    hehe

  • 45. izabel  |  20/01/2010 às 15:13

    #43
    e o que significa “china azul” (nunca tinha ouvido falar)

    prestes, acho que o jorge amado era fluminense. o irmão dele, pelo menos, é.

    ========
    douglas: o poema no final foi matador.

  • 46. zen  |  20/01/2010 às 15:39

    #44

    china azul é por causa da população da torcida do cruzeiro, ainda mais nesses dias de galo minguante (abraço, trema)

  • 47. Tiago Mesquita  |  20/01/2010 às 15:40

    O Roberto drummond era atleticano doente. Ele chamava os cruzeirenses de “refrigerados”

  • 48. Fernando Cesarotti  |  20/01/2010 às 15:43

    43
    Ex-marido.

    44
    Seria por causa da grandeza da torcida do Cruzeiro, tanto torcedor que seria como a China que tem tanta gente.

    Rudi,
    A resposta anterior tinha sido feito antes da citação do Leão Lobo. Mas ele deve torcer tanto por futebol quanto, sei lá, o drag queen do Big Brother. E, de resto, estamos falando de escritores de livros, e não de fofocas…

  • 49. dante  |  20/01/2010 às 15:51

    zen, minguante nunca teve trema!

  • 51. Rudi  |  20/01/2010 às 16:04

    Cesarotti, não quero que explique vc não lembrar de um “escritor” quero que vc explique o fato de uma personalidade…. (procurando eufemismos correspondentes a relativa homossexualidade do cara… er… não encontrado) dessas torcendo pro seu time…

  • 52. rafael botafoguense  |  20/01/2010 às 16:17

    botafogo comanda nisso também.

    Adilson Rodrigues Pires
    Augusto Frederico Schmidt (poeta)
    Carlos Eduardo Novaes
    Carlos Heitor Cony
    Clarice Lispector (poetisa)
    Edgar Carlos de Amorim
    Fernando Sabino (Escritor)
    Franklin Delano
    Gláucia Carvalho Santoro
    José Carlos Barbosa Moreira
    Olavo Bilac (poeta)
    Otto Lara Rezende (Poeta)
    Paulo Dourado de Gusmão
    Paulo Mendes Campos (Poeta)
    Tavinho Paes (Poeta e letrista)
    Vinicius de Moraes (Poeta)

    POTÊNCIA LITERÁRIA.

  • 53. izabel  |  20/01/2010 às 16:22

    “botafogo comanda nisso também”
    TAMBÉM.

  • 54. rafael botafoguense  |  20/01/2010 às 16:32

    potência de ídolos e craques do futebol mundial.

    jorge amado era bangu.

  • 55. Rudi  |  20/01/2010 às 16:32

    Adilson Rodrigues Pires
    Augusto Frederico Schmidt (poeta)
    Carlos Eduardo Novaes
    Edgar Carlos de Amorim
    Franklin Delano
    Gláucia Carvalho Santoro
    José Carlos Barbosa Moreira
    Paulo Dourado de Gusmão
    Tavinho Paes (Poeta e letrista)

    admito, esses aí eu não faço a menor idéia de quem são

  • 56. rafael botafoguense  |  20/01/2010 às 16:39

    nem eu,só colei o que vi num site ai.

    menos o augusto frederico schmidt,que já foi homem forte no botafogo inclusive selando a fusão de 1942.

  • 57. fino  |  20/01/2010 às 16:53

    cala boca seu esgoto

  • 58. Álisson  |  20/01/2010 às 17:16

    Se o assunto for literatura suda, assunto que não domino tanto quanto gostaria mas do qual gosto muito, recomendo fortemente a autobiografia de Pablo Neruda, “Confesso que vivi”.

  • 59. rafael botafoguense  |  20/01/2010 às 17:18

    num torra fino..porra.

  • 60. Álisson  |  20/01/2010 às 17:19

    Já do Gabo, muito se fala de “Cem anos”, mas, eu ainda prefiro “Notícia de um sequestro”, que é bom pracaramba!

  • 61. dante  |  20/01/2010 às 17:32

    “cem anos” é imbatível, melhor livro do mundo.

    RETRATE-SE, álisson.

  • 62. dante  |  20/01/2010 às 17:33

    “nem eu,só colei o que vi num site ai.”

    aslklaçsflçsadkjlçs

  • 63. Rudi  |  20/01/2010 às 17:37

    crônicas de uma morte anunciada

  • 64. Luís Felipe  |  20/01/2010 às 17:42

    O Borges dizia detestar futebol, mas nós achamos uma reportagem que fala sobre como ele se encantava por um time do Newell’s de tempos idos.

  • 65. rafael botafoguense  |  20/01/2010 às 17:49

    o carlos drummond torcia pro time que jogava o fausto,portanto ele foi: Bangu,Vasco,Barcelona,Young Fellows,Nacional e Flamengo.

  • 66. Marcelo  |  20/01/2010 às 17:52

    Ouvi dizer que Clarice Lispector torcia pro Botafogo por causa do Mané Garrincha. E o mais gozado é a escritora qudno escalada para fazer entrevistas, em muitas ela não fazia pois estava sem vontade. A mais clássica foi com o Pelé. Ela não quis entrevistar Pelé. Gostaria de imaginar que entrevista daria se realmente acontecesse.

  • 67. Antônio  |  20/01/2010 às 17:57

    #52 – Carlos Heitor Cony é torcedor do Fluminense.

  • 68. rafael botafoguense  |  20/01/2010 às 18:03

    po esses site são foda,tava lá luis fernando verissímo,eu sei que ele torce pro botafogo no rio,mas é colorado,o cony deve ser misto também.

  • 69. izabel  |  20/01/2010 às 18:24

    falando em literatura e depois de um post sobre ‘hinchada unida’, onde vi alguns comentários que eu acho bem preconceituosos em relação às torcidas organizadas (não me refiro às barras argentinas), vejo um exemplo do quão ilustrada é a nossa PM. essa que supostamente nos protege:
    Che Guevara é vetado pela PM
    A torcida Guerrilha Azul surgiu em 2002, quando o Atlético Monte Azul ainda estava na Série B1, a 4.ª Divisão do futebol paulista. Além do nome, foi escolhido também seu símbolo: o líder revolucionário Che Guevara, um guerrilheiro. Tudo a ver com a torcida.
    Porém, a partir de agora, a imagem não poderá mais ser vista nos estádios de São Paulo. “Fomos informados pela diretoria que o comando da Polícia Militar de Ribeirão Preto proibiu qualquer coisa que caracterize apologia à violência”, conta surpreso o presidente Marcelo Cardoso.
    O major Francisco Mango Neto, da PM de Ribeirão Preto, tenta amenizar. “Não foi uma proibição, foi apenas uma orientação. Daqui a pouco alguma torcida pode aparecer com uma imagem do Bob Marley ou com uma folha de maconha na bandeira”, justifica.
    ● A. P.
    http://www.estadao.com.br/estadaodehoje/20100117/not_imp497025,0.php

  • 70. Fernando Cesarotti  |  20/01/2010 às 18:36

    De fato o Palmeiras deve ser o único time com torcedores de preferência sexual pouco ortodoxa.

    Ou seja, vai à merda, Rudi. ashgfahssgah

  • 71. rafael botafoguense  |  20/01/2010 às 18:39

    ahahahaah que polícia doente!!!!!

    quero ver fazer o mesmo com a do são paulo que também tem o che como símbolo (do cruzeiro e flamengo também,mas acho que só em são paulo que a polícia proíbe essas coisas,vide bandeirão,sinalizadores…).

    tem uma torcida do figueirense que se chama BOBGUEIRA,estariam fudidos.

  • 72. Titi  |  20/01/2010 às 19:41

    #69

    Na torcida do Pelotas (17/01/2010) tinha um trapo com bob Marley no fumace! Alem de bandeiras da Jamaica.

    Se nao me engano na torcida do Figueirense tb tem … alias uma TO deles se chama Bobgueira.

  • 73. aloncio  |  20/01/2010 às 20:52

    Que mania carioca tem de achar que todo brasileiro torce por seus times. Jorge Amado era Leonico, time da sua cidade, Ilhéus e que em tempos idos já chegou a ser campeão baiano. Há apenas uma foto de JA com uma camisa do Bangu, em uma entrevista que ele revela sua admiração pelo clube devido sua origem mais popular que os demais times do Rio. Quanto a Luís Fernando Veríssimo, autor do texto “Se eu tiver dormindo não me acorde” o Brasil inteiro conhece sua paixão pelo colorado.
    Antes que eu esqueça: JOÃO UBALDO RIBEIRO maior escritor brasileiro vivo é VITÓRIA

  • 74. Felipe (o catarina)  |  20/01/2010 às 21:58

    “Que mania carioca tem de achar que todo brasileiro torce por seus times. Jorge Amado era Leonico, time da sua cidade, Ilhéus e que em tempos idos já chegou a ser campeão baiano.”

    ok, mas também não devemos nos esquecer que algumas subcelebridades que vão pro Ridijaneiro logo dizem que simpatizam com um time local, talvez pra se sentir parte da turminha global.

    e, cara, eu tenho uma Placar em que o Jorge Amado aparece usando uma camisa do Ypiranga de Salvador. Acho que era o time dele. E o Leônico, salvo engano, também é de Salvador.

  • 75. rafael botafoguense  |  20/01/2010 às 22:12

    #79 amigo,não sou carioca,sabia que o jorge amado torcia prum time da bahia sem ser os 2 grandes,mas não tava afim de pesquisar ahah,mas ele de fato gostava do bangu.

    sobre o verissímo eu já disse que era colorado,mas ele se diz torcedor do botafogo também .

  • 76. Prestes  |  20/01/2010 às 23:08

    Pois é, Felipe, Iza e Benvenutti,

    Eu também tenho essa placar daquela época que tinha duas páginas com torcedores ilustres devidamente trajados com o manto de seu clubes e aparece o Jorge Amado com a camisa do Ypiranga, e a Zélia Gattai vestindo a camisa do inolvidável LEÔNICO, temível inimigo do PICA-PAU.

  • 77. Prestes  |  21/01/2010 às 00:11

    Ah, sim, e o Leônico é mesmo de Salvador.

    Aliás, a crise do futebol soteropolitando atingiu até os pequenos. Cadê o GALÍCIA, CARAJOOO???

  • 78. Luís Felipe  |  21/01/2010 às 00:17

    Polícia Militar de SP nasceu ontem.

    bandeiras do Che e do Bob Marley aparecem nas arquibancadas desde que o mundo é mundo. Até bandeira do BIN LADEN já teve.

  • 79. rafael botafoguense  |  21/01/2010 às 00:25

    que eu já vi:
    do botafogo:aquele beberrão dos simpsons e o seu madruga;
    do flamengo: mao tse tung e che;
    do vasco:stálin e lula;
    do flu:pedro bial,cartola.

  • 80. Gustavo  |  21/01/2010 às 07:49

    “Cem anos” é amplamente excelente. Livro completamente louco. O li viajando para a Colômbia, o que aumentou a emoção.

  • 81. Rudi  |  21/01/2010 às 08:47

    bandeira do Homer Simpsons???

    ganhou meu respeito

    e o flu tem bandeira também do JÔ SOARES (Deus, os perdoai, eles não sabem o que fazem)

  • 82. dante  |  21/01/2010 às 09:26

    o time se chama L E Ô N I C O.

    o “ínimigo do pica-pau” se chama L E Ô N C I O.

    para de beber, prestes.

  • 83. Rudi  |  21/01/2010 às 10:22

    DAS COISAS MAIS DIVERTIDAS DO MUNDO

    era sacanear um colega de serviço chamado LEÔNCIO em função do picapau

  • 84. Alexandre N.  |  21/01/2010 às 10:27

    #79 e #81

    Eu como torcedor do Fluminense abomino por completo essas duas bandeiras (Jô Soares e Pedro Bial). Estes cidadãos não trazem nada de valor à história do clube. E um deles ainda faz vergonha dando faniquito igual uma tresloucada na rua por causa da perda da Libertadores de 2008.

  • 85. Felipe (o catarina)  |  21/01/2010 às 10:38

    pqp, bandeira do Jô Soares e do Pedro Bial é muita falta do que fazer…

  • 86. Álisson  |  21/01/2010 às 12:49

    Re 61.

    Me retrato dante. “Cem anos” é muito bom!
    Só que tem muita gente só fala de “Cem anos” e esquece que o cara era simplesmente um gênio, tem muita coisaa boa além desse livro.

  • 87. y  |  21/01/2010 às 12:58

    RETRATO-ME QUER DIZER

    NAO COMECA FRASE COM PRONOME OBLIQUO PORRA

    ISSO IRRITA-ME MUITO SABIA?

    NAO FACA MAIS ISSO

    PERDOO-TE DESTA VEZ MAS SO

    QUE TAL ERRO NAO SE REPITA

  • 88. dante  |  21/01/2010 às 12:59

    obrigado, álisson. HAROLD BLOOM agradece. [ns]

    #82: enfiei um acento sem o menor sentido em “inimigo”.

  • 89. Álisson  |  21/01/2010 às 13:54

    Aceito de bom grado a correção, “y”. Apenas utilize acentos da próxima vez.

  • 90. Rafael P.  |  21/01/2010 às 14:13

    Uma vez eu vi uma foto do chico mendes com a camisa do grêmio

  • 91. y  |  21/01/2010 às 15:15

    OS ACENTOS SAO DISPENSAVEIS

    O QUE IMPORTA E A GALHARDIA NO METODO DE ESCRITA

    FAZ PARTE DO CAPSLOCKISMO EXTREME

  • 93. aloncio  |  22/01/2010 às 22:17

    alguém aí já ouviu falar de algum escritor que seja bahia ou melhor, jahia?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Subscribe to the comments via RSS Feed


Especial – Libertadores 2011

A bola da ImpedCopa

Toco e me voy

  • @igorbiscaia Só temos a confirmação que será em solo nacional, nos Estados Unidos do Brasil. 11 hours ago
  • @HenriqueKonig Quadrangular será disputado nos dois maiores estádios da cidade, São Januário e Laranjeiras. 11 hours ago
  • Temer discursará na abertura do quadrangular entre Brasil, União Soviética, Zaire e Iugoslávia, na capital do país, o Rio de Janeiro. 11 hours ago
  • RT @facury9: @impedimento (se o campoenato termina antes de começar ele seria campeão) 12 hours ago
  • Uma estatística realmente inútil? Se o Atlético-GO cair, será o 2º ano seguido que o LÍDER DA ORDEM ALFABÉTICA antes de começar é rebaixado. 12 hours ago

Feeds

web tracker

%d blogueiros gostam disto: