O pirata esquecido

12/01/2010 at 06:00 70 comentários

Nesta época de furor dos departamentos de futebol, observamos os dirigentes buscando desesperadamente aqueles seres abençoados que podem reverter tragédias com um TESTAÇO certeiro no ângulo. Pois que ergam um pouquinho o olhar e vislumbrem ele, Blás Perez, o eterno Bucaneiro da Grande Área, que anda desperdiçando seu futebol no México.

Aqueles que prezam pela saúde NEUROLÓGICA certamente lembram de um centroavante PORTENTOSO que fez chover gols na Copa Libertadores de 2007. Encabeçando o setor ofensivo do Cúcuta, campeão colombiano de 2006, o pirata panamenho anotou nada menos do que OITO tentos, apenas dois a menos do que CABAÑAS, artilheiro da competição.

Pois naquele nada distante ano, o bucaneiro, nascido em 1981, levou o DOBLEMENTE GLORIOSO (sim, é o apelito do Cúcuta) a uma improvável semifinal continental. Mais do que isso, no primeiro jogo contra o Boca Juniors, Blás Perez marcou dois golaços que fariam SCARONE lamber os beiços, e os cafeteros venceram por 3 a 1.

Mas a felicidade era demasiada e para o jogo da volta a Seleção Panamenha não liberou o atacante. Essa manobra pode ter sido CRUCIAL para o desfecho do torneio, pois na Bombonera o Boca fez 3 a0 e avançou às finais, quando bateu o Grêmio. Trocando em miúdos: Cúcuta campeão moral.

Ainda no transcorrer daquela Copa, o atacante havia sido vendido para o HÉRCULES, um time espanhol fubango. Depois, levou sua CÁTEDRA para o México, que tem um futebol tão rico em dinheiro quanto pobre em espírito. Como todo bom pirata, Blás Perez aportou seu galeão fantasma no Oriente Médio, para abocanhar umas moedas de ouro, e agora está de volta à Cirilo’s Land, onde vai continuar escondendo seu futebol no San Luis.

Pois aqueles que andam jogando pedra em avião para conseguir um centroavante, que arranquem nosso querido Blás de tão inóspito território. Dirão que ele só fez sucesso no Cúcuta e até alegarão que é PANAMENHO, mas a vida, o amor e o FÚTBOL nada seriam sem a nossa crença no improvável.

Saudações,
Douglas Ceconello.

Anúncios

Entry filed under: Clubes, Colunas, Pela América.

Nostalgia de segunda Os brasileiros na Copa (Libertadores) 2010

70 Comentários Add your own

  • 1. Jader Anderson  |  12/01/2010 às 08:50

    Bah,

    Hoje de manhã vindo para o trabalho lembrei deste cara.

    “O gremio vivia tentando o blas perez… cade esse cara pensei” hehehe

    Impedimento >>>>>> Mãe Dinah

  • 2. Manuel Barbeiro  |  12/01/2010 às 08:57

    Off topic.

    Ontem vi Racing x Independiente. Dois times que prometem maltratar a bola em 2010. Parece que o campeonato argentino pode sobrar de novo pro Banfield.

  • 3. Prestes  |  12/01/2010 às 09:00

    ‘um time espanhol fubango”

    uhuhdshusauhsduhsdhusduhsdhusadhushusuhsah

  • 4. fino  |  12/01/2010 às 09:14

    cucuta é o time que foi estuprado pelo willie tiburon

  • 5. marlon  |  12/01/2010 às 09:22

    vbsdvlsdvhgca, ri da mesma coisa.

    e golazo do Bustos, também. faz pensar, por que na dupla gre-nal esses locos não jogam nada? (com exceção do Renteria). acho que sentem falta do TINTO [café].

  • 6. marlon  |  12/01/2010 às 09:23

    e djísus, que camisa bem feia. ui.

  • 7. Alisson  |  12/01/2010 às 09:39

    ‘um time espanhol fubango”

    Todo time espanhol é fubango.

  • 8. Diogo  |  12/01/2010 às 09:46

    Mazá, Ceconello embarcava no Carrossel.

  • 9. Manuel Barbeiro  |  12/01/2010 às 09:46

    @7 Eu queria que meu time fosse fubango que nem o Barcelona.

  • 10. Diogo  |  12/01/2010 às 10:01

    7.

    Você fala isso porque não conhece o glorioso TROPEZÓN.

    http://www.cdtropezon.es/

  • 11. Prestes  |  12/01/2010 às 10:08

    O Bustos tava bem no Inter, até aquele jogo contra o Sport, em que o Colorado, em plena quarta-de-final, teve que botar Derlei e Pessanha pra jogar.

    Aí colocaram o Bustos e o Jonas como culpados.

  • 12. Alexandre N.  |  12/01/2010 às 10:19

    #7

    Realmente o futebol espanhol é um tanto estranho…

  • 13. Rudi  |  12/01/2010 às 10:28

    um campeonato onde a marcação é feita 5 metros de distância do atacante é bizarro

    QUALQUER UM DE NÓS com um condicionamento físico bom ganha a zaga de um time médio tipo Osasuña da vida, dá umas botinadas em atacantes de times médios também (considerando que esses times não fazem a menor questão e nem tem expectativa de não ser goleados por barcelona e real madrid) e viramos ídolos ganhando, sei lá, 60 mil euros por mês

  • 14. Alexandre N.  |  12/01/2010 às 10:43

    #13

    Não é a toa que Romário e Ronaldo (o Fofômeno) são reis lá e nem precisaram se esforçar tanto assim…

  • 15. Luís Felipe  |  12/01/2010 às 10:43

    TROPEZÓN, hahahahaha

    Prestes, #11, pura verdade.

    só que o problema do Bustos não era SÓ esse. Ele também era pouco dedicado nos treinos. O Jonas se queimou mais que ele naquele jogo. Até não era um jogador tão ruim. Melhor que o Danilo Silva, p.ex.

  • 16. Guilherme  |  12/01/2010 às 10:50

    Esses loucos não jogam na dupla e nem no resto do Brasil porque eles não jogam nada mesmo.

    Esse Blás Perez jogou o que nunca mais vai jogar na vida. Além do mais, alguém viu os jogos inteiros ou só os golaços no fantástico?

    Moral da história é que contratar castelhano é uma merda. Um a cada mil joga alguma coisa.

    E time brasileiro gastar dinheiro com atacante não-brasileiro não acho muito inteligente.

  • 17. Manuel Barbeiro  |  12/01/2010 às 10:51

    @13 Que o campeonato espanhol não é o mais “pegado” (Geninho) do mundo, isso não é.

    Mas daí a dizer que, por isso, todo time espanhol é ruim é uma generalização besta.

    Mesmo sem ser adepto da marcação firme, quando sai da Espanha, o Barcelona costima ganhar de times adeptos da marcação dura. Foi assim contra o Estudiantes. E tem sido assim sistematicamente contra o Chelsea e os times alemães.

    E o Sevilla tem um estilo de jogo bem interessante – só aperta o adversário do meio pra trás, pra, na frente, sair em velocidade com o Kanoute e o Luis Fabiano (em enorme fase, diga-se).

    (em tempo – torço contra todos os times europeus, inclusive espanhóis, principalmente por, em regra, viver às custas de jogadores da América do Sul e da África, mas reconheço que eles têm suas qualidades)

  • 18. Sanchotene  |  12/01/2010 às 10:52

    Tchê,

    A tal de “Justiça” do Trabalho se supera a cada dia. A decisão citada no Futepoca é inacreditável. Comentei lá:

    A aplicação da multa [ao Atlético Mineiro no processo movido contra o clube pelo Ataliba em função de salários atrasados] não faz o menor sentido. Sim, o clube deu razâo à quebra contratual, mas ela foi requerida judicialmente pelo atleta. O clube não rompeu o contrato, não demitiu o jogador. Apenas deixou de pagar seus salários: o que gera um dívida referente ao pagamento dos salários. Nada mais.

    A legislação, nesses casos, permite ao atleta romper o contrato. Não considera o contrato terminado por si. Tanto que se o jogador quiser continuar no clube, pode fazê-lo, mantendo o contrato como está.

    Como o atleta solicitou justamente a rescisão contratual, ele simplesmente estaria ISENTO do pagamento da multa. Inverter tal situação e obrigar o clube a pagar ao jogador o valor da multa é simplesmente ridículo!

  • 19. Rudi  |  12/01/2010 às 10:52

    depende, há casos e casos
    o inter não soube administrar o Obinna, nigeriano aquele que tá metendo gol a rodo na inter de milão… mesmo que não jogasse tanto na época, daria pra fazer uma grana…

    e a italia, ao contrário da espanha, é um campeonato que prioriza a marcação e a tática, sem querer ser herege, mas já sendo, entre os 2 campeonatos eu acho o italiano 10 mil vezes melhor

  • 20. Guilherme  |  12/01/2010 às 10:54

    .17

    O “problema” do campeonato espanhol é que os times ruins não fazem retranca.

    Tem 3, 4 times bons e o resto é uma merda. Mas esse resto joga como se fosse um dos bons.

    É massa de assistir, mas é por isso que atacantes do real e barça deitam e rolam, silvio.

  • 21. Rudi  |  12/01/2010 às 10:57

    Manuel, talvez eu tenha exagerado um pouco, mas estou falando de times do nível de Osasuña, Bétis, Xerez, Huesta… entendo que o Sevilla, Valência, Bilbao, Villareal e Atl. Madrid estão em um nível abaixo de Real e Barça, mas acima desses, mas acabou, o resto é várzea

    Quer um exemplo? o MAIOR ídolo do Deportivo La Coruña nessa temporada é JUCA… aquele sobrinho do Carpeggiani que enganou um tempão aqui no Inter, mas nunca jogou BOSTA nenhuma

  • 22. Prestes  |  12/01/2010 às 10:58

    “Moral da história é que contratar castelhano é uma merda.”

    Diz isso pro Figueroa, Ancheta, De Leon. Villalba, Rubem Paz, Arce, Gamarra, Rivarola, Lugano, Dario Pereyra, Pedro Rocha, Romerito,…………………………………………………………………

  • 23. Prestes  |  12/01/2010 às 11:00

    A primeira merda do campeonato espanhol, para quem assiste de fora, é que as transmissões televisivas são um lixo.

    Em todos os estádios, à exceção de Camp Nou e Bernabeu, as câmeras ficam lá em cima, não dá pra enxergar porra nenhuma.

  • 24. Guilherme  |  12/01/2010 às 11:01

    .22

    Mas esses caras são exceções. Quero dizer que o mercado brasileiro é o melhor do mundo pra jogador de futebol.

    Quase sempre o brasileiro vai ser melhor que o castelhano.

    Salvo as honrosas exceções.

    Hoje no Brasil tem dezenas. Mas que presta mesmo só Guinazu e Conca. O resto enfia num saco.

  • 25. Manuel Barbeiro  |  12/01/2010 às 11:02

    A falar a verdade, dos europeus, só vale a pena assistir o alemão e o inglês. E nem tanto pela qualidade do jogo, mas pelo equilíbrio* – que não se compara, nem de longe, com o equilíbrio que há aqui no Brasil ou na Argentina (que, pra mim, têm os dois melhores campeonatos nacionais do mundo). Porque em termos de qualidade de jogo, o Brasileiro, mesmo com suas mazelas, é campeão.

    *Equilíbrio, para os padrões europeus, é ter 3 ou 4 times brigando pelo título até a metade do segundo turno dos malditos pontos corridos.

  • 26. Luís Felipe  |  12/01/2010 às 11:06

    sim, são exceções assim como os grandes jogadores brasileiros são exceções.

    é bobagem dizer que o cara é ruim por ser castelhano.

  • 27. Manuel Barbeiro  |  12/01/2010 às 11:08

    @21 Concordo. É o padrão do futebol europeu, aliás – cada país (de primeira linha) tem 2 ou 3 times bons, 2 ou 3 times mais ou menos, e o resto não presta nem pra fazer fumaça.

    O único campeonato europeu que dá pra assistir é a Champions League, mas – de novo – tirem os sulamericanos e os africanos e a qualidade cai.

    @23 Dizem os entendidos que é pra visualizar melhor o posicionamento tático. Eu acho que é pra esconder a falta de qualidade dos gajos que jogam lá. De longe, ninguém vê as caneladas.

    Posicionamento tático? Na Espanha todo mundo joga no 4-2-3-1.

  • 28. Guilherme  |  12/01/2010 às 11:14

    .22

    Mas nessa lista que tu deu não tem nenhum “grande jogador”. Talvez o Gamarra. E era zagueiro.

    E eu sei que existem castelhanos bons, mas os que clubes brasileiros CONSEGUEM CONTRATAR geralmente não valem a pena.

    Principalmente dada à riqueza dos recursos nacionais.

  • 29. Rudi  |  12/01/2010 às 11:16

    bah Guilherme, Figueroa, Arce e Lugano eram grandes jogadores sim…
    os outros, além do Gamarra, concordo que eram “apenas” muito bons

    Eu ainda acho que os clubes tinham que investir mais em jogadores africanos pros setores ofensivos…

  • 30. Guilherme  |  12/01/2010 às 11:21

    Mas só tem zagueiro nessa lista.

    O jogador castelhano quer primeiro ir pra europa, depois pra qualquer outro lugar com grana como Emirados Árabes.

    Voltando, ele prefere ir pros países de origem ou países falantes de espanhol (geralmente México e Argentina).

    Caso nenhum dos países acima o queira, daí ele se presta a vir pro Brasil.

    Agora me diz, qual a probabilidade desse cara ser bom?

  • 31. Rudi  |  12/01/2010 às 11:24

    faz o caminho inverso, jogadores brasileiros que se deram bem no futebol latino de lingua hispânica…

    iarley no boca, adão no penarol (NSFW), talvez um no méxico… acho que a proporção é mais ou menos a mesma

  • 32. Guilherme  |  12/01/2010 às 11:25

    Enquanto isso tá minado de jogador bom começando no interior paulista e carioca, santa catarina, paraná, interior de minas e nordeste.

    E esses caras tão loucos pra vir jogar no Grêmio ou no Inter. Ou qualquer time de primeira divisão.

    E só por serem brasileiros, a probablilidade deles jogaram muito é bem maior.

  • 33. Alisson  |  12/01/2010 às 11:49

    No México é mais frequente os brasileiros se darem bem…

    O Kléber Pereira eram grandão lá, esse Mathias que veio para o Inter, dizem, era considerado um dos melhores do CANCUNZÃO.
    Mas no restante da América Latina brasileiro não serve.

  • 34. Diego  |  12/01/2010 às 11:53

    Alguém tem notícia do Maxi Lopez??

  • 35. Prestes  |  12/01/2010 às 12:25

    Bah, Guilherme. Tu tá louco.

    Gamarra e Figueroa eram CRAQUES da zaga. O Figueroa em uma eleição da Placar dos 100 melhores jogadores do século XX é o segundo jogador de defesa a figurar, atrás apenas do Beckenbauer que nem é tão de defesa assim.

    De Leon, Romerito e, principalmente, Pedro Rocha, ao que consta eram SENHORES jogadores. Arce era um grande jogador, esse eu vi.

    Perfumo, zagueiro do Cruzeiro, dizem ser um puta zagueiro. O Tevez ESTRAÇALHOU por aqui. O Rincón era um MONSTRO. Ramos Delgado fez parte do maior esquadrão da história do futebol brasileiro.

    E por aí vai. Não são exceções. Do universo de castelhanos no Brasil dá uma porcentagem altíssima que obteve sucesso.

  • 36. Zé Carlos  |  12/01/2010 às 12:33

    nego ruim do cacete

  • 37. Guilherme  |  12/01/2010 às 12:34

    Mas tu tá puxando jogador do tempo do epa.

    Nos tempos atuais o Tevez é uma exceção. Aliás toda a vida do Tevez em termos de negociações é meio bizarra.

    O futebol mudou pra caralho de dez anos pra cá. E de lá pra cá só tem vindo a reba.

    Se tá difícil trazer brasileiro bom do exterior, quem dirá castelhano.

    Exceção ao Tevez, Conca e Guinazu.

  • 38. Manuel Barbeiro  |  12/01/2010 às 12:42

    @28

    Matou a pau, é isso aí. Se tivéssemos bala pra contratar Messi, Tevez, Aguero, aí sim valeria a pena. Agora, ficar se estapeando pra ter Maxi Lopez, Herrera e Escudero não dá. É melhor subir um guri da base.

    É claro que grandes jogadores estrangeiros passaram por aqui, daria até pra fazer uma seleção – Fillol, Arce, Gamarra, Figueroa e Sorín; Rincón, Pedro Rocha e Romerito; Petkovic e Tevez. Técnico: Filpo Nuñes.

  • 39. Rudi  |  12/01/2010 às 12:44

    Manuel, faltou um no teu meio-campo, coloca o Conca aí…

  • 40. Guilherme  |  12/01/2010 às 12:52

    .38

    Bah, o Manuel largou a morta.

    Exatamente o que eu tava querendo dizer.

  • 41. Prestes  |  12/01/2010 às 12:58

    É certo que hoje, com a concorrência europeia, é mais difícil puxar um jogador de seleção dos nossos vizinhos.

    Mas ainda assim, vários jogadores me serviram muito nos últimos tempos. O Renteria, p. ex., fez chover no Beira-Rio várias vezes. A passagem dele foi muito positiva. Ou o Vargas que botou o Barcelona no BOLSO no segundo tempo do Mundial. Outro que é subestimado pelos colorados.

  • 42. Manuel Barbeiro  |  12/01/2010 às 13:03

    @39 Boa, Conca, Romerito e Pedro Rocha na armação e Rincón na volância.

  • 43. Prestes  |  12/01/2010 às 13:10

    E outra: tem características que tu vai encontrar muito mais facilmente em outros países que na categoria de base.

    Por exemplo, os argentinos trabalham muito mais o passe curto, chega a ser irritante até pq não definem as jogadas. Mas enfim, é fácil notar que o Guinazu e o Dalessandro gostam de ir tocando curto até a área do adversário e sabem fazer isso. E é difícil achar um jogador brasileiro assim.

    Tanto que o Guina é o cara que mais acerta passe no Brasil segundo as estatísticas.

  • 44. Carlos  |  12/01/2010 às 13:10

    #41
    Bah, Prestes…o Renteria é mais pela galhofa e folclore…não joga absolutamente nada…
    E o Vargas…nada mais q mediano…

    É q nem neguinho q fica exaltando Maxi Lopez…jogadorzinho muito do comum…só fez “sucesso” pq é Argentino…

    Mas tb acho bobagem dizer q só tem castelhano morto…o problema é q muitas vezes a gente cai no golpe de comprar eles pelo “”””marquetchim”””…ae é um tal de “el fudedor” Lopez, “el furacon” Bustos, “el jefe” Rodriguez…é nessas q nos fudemos…

  • 45. Guilherme  |  12/01/2010 às 13:11

    Desde quando “passe curto” é uma boa/imprenscindível qualidade em um jogador?

  • 46. Prestes  |  12/01/2010 às 13:14

    Carlos, prestaram serviços ao clube. Levantaram TAÇA.

    Guilherme, me refiro aonde eles conseguem chegar com o passe curto.

  • 47. Carlos  |  12/01/2010 às 13:15

    #46…ah não…mas ae não dá…
    Se for por isso, o Gabiru tb é craque…

  • 48. Guilherme  |  12/01/2010 às 13:21

    Olha, acho o Guinazu um ótimo jogador e tudo, mas ele não chega a lugar nenhum com esse tal de “passe curto”.

    Se for comparar, prefiro o estilo do Lucas que roubava a bola, lançava no ponta em velocidade e entrava na área pra concluir.

  • 49. Flávio  |  12/01/2010 às 13:24

    A Argentina revela quase tantos bons jogadores quanto o Brasil. Garimpando, sempre se acha um Guiñazú ou Conca, que não eram tão badalados antes de chegar aqui, mas se mostraram acima da média. Agora, da Colômbia ou do Equador, mesmo os mais famosos quase sempre fracassam.

  • 50. fino  |  12/01/2010 às 13:27

    kopakosdkoasdkopasdkopasdkopa

    pela mãe do guarda, continuem!

  • 51. Luís Felipe  |  12/01/2010 às 13:32

    seleção estrangeira só da última década:

    Saja; Arce, Gamarra, Lugano e Sorín; Maldonado, Guiñazú, Conca e Petkovic; Aristizábal e Carlos Tévez.

    Fora goleiro, posição em que só reinaram medíocres vindos do exterior, ganharia o campeonato com um pé nas costas esse time.

  • 52. Francisco Luz  |  12/01/2010 às 13:33

    Depois de eras, finalmente uma discussão produtiva. Aleluia.

    Concordo com todo mundo, na real. Tem muito forasteiro (a/c Ernesto) vendido como caviar mas que não passa de um baldinho de merda perfumada, enquanto tem muito nego bom com características que não se encontram em lugar nenhum do Brasil.

    E passe curto é sempre uma ótima maneira de fazer a bola rolar, sem contar que é uma ALTERNATIVA ao que geralmente se faz por aqui. Qualquer coisa que foge do comum tem meu apoio.

    E o Guilherme TENTOU avacalhar ao dizer que só o Gamarra em uma lista que tinha NO MÍNIMO Figueroa e Pedro Rocha, hehe. Mas ENTENDI o nobre debatedor na sua cruzada contra quem usa CELESTE na bandeira.

  • 53. Jader Anderson  |  12/01/2010 às 13:37

    “el fudedor” Lopez…

    Nessa o apelido está certo carlos hehehehehe

  • 54. Prestes  |  12/01/2010 às 13:44

    Dessa seleção do Luis, SETE foram campeões brasileiros.

  • 55. Alexandre N.  |  12/01/2010 às 13:50

    Além disso tudo, temos que levar em consideração que é bom esse contato com o futebol de outras escolas. Assim o futebol brasileiro evolui também.

  • 56. Guilherme  |  12/01/2010 às 13:56

    .51

    Seleção das últimas 2 décadas tu quer dizer.

  • 57. Guilherme  |  12/01/2010 às 13:58

    .52

    asdhoafha

    Te dizer que nunca vi esses tais de Figueroa e Perdro Rocha jogar pra poder dizer alguma coisa sobre eles.

  • 58. izabel  |  12/01/2010 às 14:47

    “mas a vida, o amor e o FÚTBOL nada seriam sem a nossa crença no improvável.”

    “México, que tem um futebol tão rico em dinheiro quanto pobre em espírito. ”

    que poeta!

  • 59. rafael botafoguense  |  12/01/2010 às 17:22

    o botafogo já teve o EL LOBO agora tem o EL LOCO.

    esses apelidin são muito mala memo ahahah..

  • 60. Luís Felipe  |  12/01/2010 às 18:52

    não, guilherme, só da última década.

    em 2000 e 2001 Arce ainda era titular e grande jogador, assim como Gamarra figurou na Bola de Prata em 2005 e era craque do Flamengo no início da década.

    Aristizábal foi importantíssimo no Cruzeiro de 2003.

  • 61. Luís Felipe  |  12/01/2010 às 19:01

    dá para montar um banco de reservas qualificado aí, também.

    Jorge Valdívia, Rentería, Mascherano, Vargas, Ameli, Gavilán, Beto Acosta do Náutico, Maxi López…

    e o Navarro Montoya no gol, óbvio.

  • 62. Prestes  |  12/01/2010 às 19:10

    Marcelo Moreno entra nesse banco ae.

  • 63. Luís Felipe  |  12/01/2010 às 19:20

    boa, Marcelo Moreno.

    Diego Galván do Galo e Ávalos (campeão brasileiro pelo Santos) também.

  • 64. Junior  |  12/01/2010 às 19:40

    Acosta, Galvan, Ávalos e M. Moreno e o próprio Renteria (que só jogou bem no Inter) é forçar a barra, há vários jogadores da série B melhores que eles.
    Na real, acho essa história de seleção de jogadores formados pela dupla Gre-Nal e vendidos para o exterior, jogadores estrangeiros que passaram pelo Brasil, jogadores que chutam com o pé esquerdo e fizeram gol na lua minguante, entre outras, uma chatice retórica. Na maioria das vezes, qualquer seleção de algo vai ter bons jogadores. Por exemplo, se alguém quiser fazer uma seleção só de jogadores baianos (e vale para mineiros, gaúchos, cariocas, paranaenses ou paulistas) da última década, vai formar um time tão bom ou melhor que o time que o Luís Felipe formou no #51.

  • 65. Prestes  |  12/01/2010 às 23:15

    Aí tu forçou, Júnior. Uma seleção de jogadores baianos, ou mineiros da última década tem um universo de centenas de jogadores que são conhecidos de todos.

    Uma seleção de estrangeiros da última década que jogaram no Brasil e a gente conhece seleciona jogadores num universo que não deve chegar a cem atletas.

    E numa discussão sobre se é válido ou não contratar estrangeiros, mostrar que dá pra formar uma puta seleção entre os 50, 60 últimos que passaram por aqui vale sim como indicativo.

    Embora a discussão como um todo já peque pela generalização, afinal cada jogador, sendo estrangeiro ou não, é um jogador diferente do outro.

  • 66. Diogo  |  12/01/2010 às 23:28

    51.

    Tá tudo muito bem, tá tudo muito bom. Só não vale dizer que o Pet é estrangeiro, porque ele NÃO é.

    O Pet é mais brasileiro que o Ronaldinho, o Lúcio, o Júlio Cesar, o filho da mãe joana que joga na Finlândia, etc, etc, etc.

  • 67. Rudi  |  13/01/2010 às 08:42

    e o próprio marcelo moreno, o cara quase tão brasileiro quanto boliviano (sim, ele tinha a cidadania)

  • 68. J Petry  |  13/01/2010 às 12:11

    Ávalos é brasileiro.

  • 69. Logan  |  14/01/2010 às 08:55

    Marcelo Moreno é filho de brasileiro só que tem dupla cidadania, acho. Foi revelado pelo Vitória e vendido a preço de banana.

  • 70. Logan  |  14/01/2010 às 08:57

    revelado não, tá mais pra comprado barato e vendido barato.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Subscribe to the comments via RSS Feed


Especial – Libertadores 2011

A bola da ImpedCopa

Toco e me voy

  • Já garantiu dois e tem um terceiro (CSA) com tudo na mão. E também o Confiança vivo, ainda que precisando de façanha. 8 hours ago
  • Nordeste pode ser a primeira região a subir mais que 2 times juntos em uma edição da C, desde que adotaram a fórmula atual (2012). 8 hours ago
  • O São Bento na B também seria notícia, é claro, mas do São Bento se espera menos do que um clube que é gigante em seu estado. 8 hours ago
  • Um eventual acesso do CSA seria um feito enorme: sem contar a bagunça da João Havelange, time não joga acima da terceira divisão desde 1992. 8 hours ago
  • Hoje subiram para a B 2018 o Sampaio e o Fortaleza. Outras vagas são definidas amanhã e segunda, mas São Bento e CSA têm ampla vantagem. 8 hours ago

Feeds

web tracker

%d blogueiros gostam disto: