A Jóbson o que é de Jóbson

08/01/2010 at 06:00 121 comentários

O galático do Real Madrid e craque da Seleção Ricardo Izecson, o Kaká, foi flagrado em exame anti-doping após partida válida pelo campeonato espanhol. A urina do jogador apresentou resíduos de cocaína. Há suspeitas de que outra amostra coletada um mês depois também teria apresentado resultado positivo para a mesma substância. O Real Madrid não se pronunciou oficialmente e a CBF irá aguardar um comunicado oficial da Fifa, mas Kaká já não deverá estar em campo na próxima rodada da liga espanhola.

É óbvio que o parágrafo acima é ficção. Mas e se não fosse? Kaká pegaria um gancho de 2 anos do futebol e se houvesse contra si um novo resultado positivo, ele poderia ser banido do esporte.

Sim, muita gente – eu inclusive – ficaria chocada com o fato de um atleta de destaque, jovem, com um futuro de respeito no horizonte ter o desatino de colocar tudo a perder de modo tão bisonho, mas eu duvido muito que apareceria alguém pra dizer que Kaká não deveria sofrer a punição prevista. (Se ficou difícil imaginar a mídia condenando tão explicitamente o Kaká, troque por Robinho, ou melhor ainda, pelo presepeiro do Cristiano Ronaldo.)

Jobson, 21 anos, foi emprestado pelo Brasiliense ao Botafogo no segundo semestre de 2009. No Fogão, o FILHO DO TRABALHO brilhou muito na finaleira do Flamengão, chegando mesmo a despertar o olho gordo da diretoria do Cruzeiro, que já negociava o passe do bonitão quando os homens da lei vieram com seus dedos de seta e soltaram a informação que Jobson fora pego em duas ocasiões diferentes (contra o Coxa, dia 8/11 e contra o Verdão, dia 6/12) boladão de amor e pó. A casa caiu.

A legislação esportiva (que aqui no Brasil não é coisa das mais sérias) prevê pena de até 2 anos de suspensão por doping e leis mundiais antidoping podem excluir do esporte atletas flagrados duas vezes com substâncias proibidas. Jobson, 21 anos, poderia ser expulso do futebol profissional. É aí que a coisa começa a ficar dramática.

O noticiário esportivo nacional – e sendo mais específico, a cobertura do PLIM-PLIM – foi bastante generosa com a tremenda falta de noção demonstrada pelo moço. E, pior, apelou para um clichê de viés populista pra colorir de drama a questão e arrecadar umas lágrimas, junto com audiência.

Jobson foi retratado pelas câmeras na casa que resolveu construir para a sua mãe em Conceição do Araguaia, no Pará, e lá confessou que fez uso da droga, num momento de farra e mulheres vis. Os exames mostram que o rapaz já havia usado o entorpecente antes da festa, mas ele não assume. Ainda em meio à toda a confusão, o jovem entrevistado parecia que ainda não havia assimilado o tamanho do quiprocó.

É direito de quem quiser discutir se o afastamento do esporte definitivo é justo ou não – e não é isso que vou tratar aqui. (Em tempo, não acho justo) A questão foram os argumentos que a televisão se valeu para tanto. O foco da reportagem foi justamente a origem humilde de Jobson, a dependência que sua família apresenta no futebol do moço que gera fortuna (Jobson ao ser flagrado nos exames perdeu uma transferência quase certa para o Cruzeiro em 2010, time classificado para a Libertadores, no valor de R$ 4.5 milhões). Lágrimas da mãe de Jobson, carreata na cidade pelo ídolo e a declaração que resume tudo: “A única coisa que eu sei fazer é jogar futebol.”

Por essa frase cruel e decerto verdadeira, deixa-se de discutir se a punição pelo uso do doping é de fato severa, para focar na tragédia que é aplicar a lei a um cidadão que nunca teve cidadania plena, de fato. Pior, deixa-se igualmente de expor em rede nacional o lado cruel do mundo mágico de grana rápida e fama fácil dos boleiros, uma turma que em geral costuma usufruir de meteórica ascensão e nenhuma dose de bons modos, educação, tutano – chame do que quiser.

Jobson foi um desses GURIZES que a bola revelou ao mundo daqueles que rapidamente encontram acesso a tudo e todos. De outro modo, como ele bem parece saber, seria outro jovem brasileiro à margem da sociedade, sem ter praticamente acesso a nada, a não ser um eventual cartão do Bolsa Família ou o boné do próximo candidato a vereador. Uma vez tendo atravessado a Porta da Esperança, sucumbiu.

E se estivéssemos diante de um outro cidadão? Alguém lembra da imprensa nacional morrendo de pena de Maradona? E se fosse o menino-prodígio-agora-global Caio, que era um zero à esquerda em campo, vamos logo dizer?

Ficou parecendo que houve um mistão de complexo de culpa com condescendência pelas origens pouco favorecidas do rapaz, que, queira ou não se condenar, se enquadra na realidade de uns bons 96% dos talentos revelados pela bola no Brasil e que não foram flagrados metendo o narigão onde não se deve.

Ora, Jobson errou e deveria saber disso bastante bem, é atleta contratado ao Botafogo (ou Brasiliense) e profissional. E se resolvesse também dirigir embriagado ou manter relações sexuais com menores de idade? Como ficaríamos? Seu clube e seus empresários lhe orientaram a não se meter em roubadas? Jobson não é um caso isolado, foi apenas um caso notório. Volta e meia vemos outros por aí, de maior ou menor intimidade com a gorducha se perdendo diante do canto de sereia que envolve dinheiro rápido e diversões expressas. A culpa vai ser simplesmente debitada nas origens pobres/miseráveis/famélicas e ficamos por isso mesmo, rumo à 2014?

Mas, afinal, o que eu deveria esperar da nossa cobertura esportiva, não é mesmo? Jobson, afinal, é culpado de usar cocaína porque nasceu pobre, nasceu preto, nasceu em Conceição do Araguaia e quis impressionar uma atriz que nunca deve ter sido pobre, nunca deve ter sido preta, nunca deve ter morado em Conceição do Araguaia e que decerto nunca teve um microfone contra si a cobrar explicações sobre a sua cocaína.

Leandro Godinho

Anúncios

Entry filed under: Contribuições.

Sorriso renovado na Boca do Lobo Racing, dono da sua própria camiseta

121 Comentários Add your own

  • 1. Logan  |  08/01/2010 às 07:48

    Pois é, ninguem procurou a tal “atriz”.
    Só acho que a lei existe pra ser cumprida. Só que no nosso país a constituição não é lá muito respeitada, imagine no caso do esporte.

  • 2. Rudi  |  08/01/2010 às 08:02

    mas tem outra questão também, pela lei ESPORTIVA ele pode ser punido, pela lei CIVIL não, visto que caracteriza-se como usuário

    e uma coisa a se discutir (e isso vão 500 comentários fácil) se ele pode ser punido apenas na esfera esportiva, porque ser punido por ter usado algo que não cause VANTAGEM ALGUMA sobre seus adversários???

    tá, tem a questão de “ídolo tem que dar exemplo pras criancinhas e blablablá meu ovo esquerdo” mas daonde o AÇUCAR deu vantagem pra ele correr contra o Pedro Quem? ou o MARCÃO?

    Acho que o “doping social” não devia ser tratado na esfera esportiva… mas isso é uma longa história e só quis colocar meu ponto de vista pra galera se pelear nos comentários

  • 3. marlon  |  08/01/2010 às 08:12

    realmente, ele deu um BRILHO no Botafogo.

    baita texto. minha opinião: cocaína pode sim fazer bastante diferença se o cara joga cheirado. não tenho experiência pessoal no assunto – só jogo com CRACK no MULLET – mas imagino que deva dar um gás federal. mas daí a banir do esporte… o Rudi apontou bem, há uma distância enorme entre a lei esportiva e a lei civil.

  • 4. Gabriel R.  |  08/01/2010 às 08:31

    Acho que ele deveria ser BANIDO do esporte sim. Muito mais por ser troxa, do que por qualquer outra coisa. O cara chega num time de ponta, um dos 20 melhores do Brasil, sonho de 10 entre 10 garotos que gostam de jogar bola e faz uma MERDA dessas.

    Dia desses li na revista do inter a historia do Andrezinho, o cara foi morar com 9 anos na concentração do Flamengo, ou seja, o cara abdicou da familia, da infancia, pra poder jogar bola e PLANEJAR um futuro que nenhuma criança dessa idade se preocupa. Dai um vivente desses consegue, enfim, chegar onde pretende e CAGA tudo cheirando cocaina….
    E o andrezinho, pelo que me consta, deveria ser tão pobre e tão,ou mais preto do que ele na infância…
    Esse Jobson tem mais é que se foder e dar espaço para um outro mais esperto do que ele.

  • 5. Rudi  |  08/01/2010 às 08:42

    marlon, no momento que te dá mais gás ao mesmo tempo te tira concentração, e pra fazer efeito o cara tem que cheirar, sei lá… NA PRELEÇÃO… se for no dia anterior já não causa mais nada

  • 6. Alexandre N.  |  08/01/2010 às 09:20

    Esse é um caso complicado pra caramba. Faz lembrar até o caso do Giba do volei que pegou uma suspensão por ter dado um tapinha na pantera.

    Acho que essa coisa de banir é muito pesada, pois como o Rudi disse, pra dar aquele gás todo, só se o Filho do Trabalho chierasse a parada minutos antes do jogo, no vestiário mesmo. E clube nenhum é idiota de deixar este tipo de coisa acontecer.

    Fazer merda, todo mundo faz. Agora cabe a ele ter a hombridade de dar a volta por cima e nunca mais cometer este tipo de cagada. E como mesmo as situações ruins têm um lado bom, esse problema dele pode ser usado como um exemplo para a garotada que jogue lá no próprio time do que não deve ser feito.

  • 7. Rudi  |  08/01/2010 às 09:30

    e outra coisa, falam que bane quando é reincidente
    mas o cara cheirou tecnicamente a segunda vez antes de ser punido, então tipo, ele era “réu primário”
    eu acho que dá um gancho de um ano pra esse cara e era isso, tipo uma última chance mesmo

  • 8. Logan  |  08/01/2010 às 09:43

    Rudi, nesse tipo de caso, a gente não te m que ficar considerando “o que eu acho” ou o que seria realmente justo. O que a gente tem que fazer é olhar o regulamento da cbf e o código de justiça desportiva e ver qual a punição prevista para esses casos, porque mesmo não sendo um doping é droga ilícita, e que eu saiba há punição prevista. E só o fato de ele ter dado positivo em um jogo anterior já torna ele um reicidente sim, agora não sei qual é um mistério de, em um jogo alguns meses antes ter dado positivo e ninguem ter dito nada.

  • 9. Guilherme  |  08/01/2010 às 09:46

    Eu acho que jogador de futebol é um profissional a ser tratado diferente. Esse cara é o exemplo. Vem da merda e vira estrela em 1 mês!

    Tchê, até eu iria sair atrás de vagabunda e encher a cara de pó se tivesse no lugar dele.

    E eu tenho mestrado. Imagina o cara que se fudeu a vida inteira.

    Acho que um gancho de uns 6 meses tava bom. Ele não cheirou pra jogar melhor. Isso sim seria desvio de caráter incorrigível.

  • 10. dante  |  08/01/2010 às 09:48

    “Tchê, até eu iria sair atrás de vagabunda e encher a cara de pó se tivesse no lugar dele.”

    sugiro banir o guilherme do impedimento.

    asdkjoaiosfhokldjfs90dg8sd0

  • 11. Rudi  |  08/01/2010 às 09:48

    logan, na vdd foi um mes antes, e tipo, o resultado foi divulgado somente depois do segundo jogo que ele testou, pq no brasil tem uma lei ou algo assim que tu não pode divulgar nomes de usuário, ou tem um procedimento especial pra divulgar, não é sair falando “fulano usou coca” por isso a demora em divulgar esses dopings
    o que eu levantei é se o caso dele enquadra como reincidencia ou não… mas isso vai a termos jurídicos… por exemplo, cometi um crime, cometi o segundo, vou ser julgado pela primeira vez mas sera que sou reincidente? é uma questão puramente técnica e teórica que eu não sei como funciona, mas deixo pros juristas (júnior?) de plantão esclarecerem
    o problema é que o código da CBF tem uma “flexibilidade” única, qualquer pena pode ser alterada prumas cestas básicas ou cair pela metade ou sei lá
    e, independente da pena ser ou não aplicada e qual seja, acho válido discutir a questão de doping social aqui… mesmo que isso não vá alterar a realidade porra nenhuma

  • 12. Lourenço  |  08/01/2010 às 09:59

    Acho as punições esportivas no Brasil rigorosas demais, quase sem exceção. Dois anos, como no caso Dodô, é um absurdo. No caso Jóbson, a mesma coisa. Não só no caso de doping, mas também por outras violações ao CBJD, as penas deveriam ser diminuídas, jogador tem que ser responsabilizado pelo que fez, mas deve se impedir menos que esteja jogando. Com a idade do Jóbson, dois anos é um baita retrocesso. No caso do Dodô, poderia ser o fim da carreira. Felizmente, o cara se cuidou e está voltando em clube grande.
    Sem contar que a punição por cartões amarelos é outra coisa que não entendo, mas já estaria saindo do tema do texto, além de ser uma coisa que acontece no mundo inteiro.

  • 13. Rudi  |  08/01/2010 às 10:02

    seria interessante se alguns artigos a punição fosse muito severa, porém financeira…

  • 14. Lucas Cavalheiro  |  08/01/2010 às 10:07

    Pra mim, esse Jobson, sofrendo a pena que sofrer, vai continuar fazendo merda.

    Tá escrito na testa dele isso. Olha a cara de MALANDRO do vivente.

  • 15. Alexandre N.  |  08/01/2010 às 10:09

    E sabe o que é mais engraçado nesses casos? É justamente o fato de cada caso ser tratado da maneira mais diferente o possível. Levemos em considreação dois casos, o do Maradona e o do Fábio Assunção. O Maradona foi pego, pelo menos que eu me lembre, umas duas vezes por uso de cocaína quando jogava na Itália ainda. Ele foi suspenso as duas vezes e só foi banido do futebol (?????) naquele doping estranho que pegaram ele na copa de 94 (só que dessa vez não por uso de cocaína). Toda a impresna caiu matando em cima dele. E nesses útlimos anos, o tal do Fábio Assunção, ator da Globo, foi pego na mesma parada. E a imprensa fez questão de mostrá-lo como um coitado. E o tal do Rafael (P)Ilha também tem a mesma benevolência por parte da imprensa.

    Mas aposto que, caso algum outro jogador seja pego na mesma situação, a imprensa vai querer destruir a carreira do malandro.

  • 16. Guilherme  |  08/01/2010 às 10:18

    .10

    hsajgdiagsdjasdghkjads

    Mas é verdade! Desafio vocês a ceder às tentações. Falar de fora é fácil!

  • 17. Cesar  |  08/01/2010 às 10:18

    Situação complicada.

    Acho que o caso não é se o dopping foi para beneficiar ou não seu rendimento. Isso é caso para banir do esporte esse tipo de coisa.

    Como falou o colega ali am cima, o cara chegou onde só 1 entre 100000 chegam. Se não soube aproveitar a oportunidade, amanhã tá nascendo outro jobson.

  • 18. Manuel Barbeiro  |  08/01/2010 às 10:20

    A legislação antidoping é surreal.

    1. Marcão leva gancho preventivo por tomar Propecia (Finasterida, hormônio para crescer cabelo) – como se isso proporcionasse vantagem em campo.

    2. Dodô toma 2 anos de gancho pelo uso de cafeína (substância encontrada em vários medicamentos, desde a nefasta Coca-Cola até inofensivos comprimidos de Neosaldina). Talvez ele tomou umas pílulas pra não perder a reprise de “Desejo de Matar 5”, no Corujão da Globo.

    3. Maurren Maggi toma uma cacetada depois de usar creme cicatrizante para depilação a laser.

    4. Agora o Jobson, por dar uma cafungada, toma um caminhão de melancia na cabeça.

    No futebol italiano, o anabolizante rola solto (vide depoimentos do médico da Juventus pego no escândalo de 2006) e ninguém faz nada. Mas cocaína, ah, isso não pode.

  • 19. Cesar  |  08/01/2010 às 10:21

    Comparar um atleta com um ator é muito forçado.

    Uma coisa não tem nada a ver com a outra.

    E no caso do maradona, assim como o esporte evoluí, a legislação tbm.

    Na época, provavelmente, a legislação não previa a pena de banimento, o que ocorre hoje. Simples.

  • 20. Rudi  |  08/01/2010 às 10:28

    Manuel, dúvida… o Dodô não foi pego por cafungada também?

  • 21. col  |  08/01/2010 às 10:31

    Um astro da Nba (Arenas) )corre o risco de ser banido da liga por porte ilegal de arma.

  • 22. Alexandre N.  |  08/01/2010 às 10:32

    #19

    A comparação de esportistas com atores que eu fiz é mais baseada no doping social. Claro que são casos diferentes. Mas mesmo levando em consideração os esportistas, podemos citar o caso do Maradona e o do Giba. O Maradona foi execrado pela imprensa. O Giba não, ganhou aquela passada de mão na cabeça típica do discurso “Ah, ele é um bom rapaz, só cometeu um erro. Pra que ser tão duros com ele?”.

    E temos que levar em consideração que o que o Manuel Barbeiro falou é uma grande verdade. Essa atual legislalção antidoping é mesmo surreal. Levando o caso da Maurren Maggi em consideração, que ficou suspensa por dois anos quando ela realmente chegou no auge da carreira. A sorte foi o fato dela ter tido a cabeça boa o suficiente pra não desistir. Mas, ela com certeza sabe que se ela não tivesse sido suspensa, talvez estaria em condições muito melhores (em termos técnicos, físicos e sem contar com os títulos) do que está hoje em dia.

  • 23. Godo  |  08/01/2010 às 10:38

    #20

    Rudi, não foi. Foi doping mesmo, um medicamento.

  • 24. Prestes  |  08/01/2010 às 10:39

    A finasterida pode mascarar outras substâncias.

  • 25. Lucas Cavalheiro  |  08/01/2010 às 10:39

    3. Maurren Maggi toma uma cacetada depois de usar creme cicatrizante para depilação a laser.

    Pra ser pega nesse doping aí, só se ela tivesse ENGULIDO pomada. É impossível, na dosagem encontrada no sangue dela, ser só pomada de cicatrização. Foi isso que os médicos que a suspenderam alegaram, aliás.

  • 26. guihoch  |  08/01/2010 às 10:44

    bah, oque mais me deixa louco não é a discussão sobre o pó e sim o propio pó.

    meio dificil falar em democracia tendo esta mesma sociedade substancias proibidas, que vieram a ser proibidas não pelo seu dano as pessoas, mas por tornalas dependentes em um sociedade sem condições de oferecer emprego para o cara ganhar o seu dinheiro e usar a sua droga de boa, sem dinheiro, em uma sociedade falida, o individuo foi roubar, e desde antigamente foi rotulado que todo usuario de drogas é ladrão e mau individuo, porem o cigarro esta aí, o alcool, mesmo o nosso mate que se tu toma uma termica inteira derrubando a erva, não só nos pausinho, tu fica ligadão, a coca cola, que nem sabemos doque é feita, o ar de são paulo, enfim temos muitas drogas integradas a nossa sociedade.

    vou ali atender a campainha, é o pó delivery chegando.

    esta atriz devia ser flamenguista e paga por algum torcedor do flamengo.

  • 27. Flávio  |  08/01/2010 às 10:45

    Outros jogadores flagrados nas mesmas circunstâncias (Dinei, Hélcio, Júnior Baiano, Régis Pitbull) não sofreram penas severas nem foram banidos. O mesmo deve ocorrer com Jóbson. Não sei se lemos os mesmos veículos, mas o tratamento da imprensa em geral (clichês a parte) é bem mais compreensivo com os boleiros cafungadores do que o dos torcedores. Para a massa, o cara sempre será maconheiro ou cheirador.

  • 28. dante  |  08/01/2010 às 10:47

    “1. Marcão leva gancho preventivo por tomar Propecia (Finasterida, hormônio para crescer cabelo) – como se isso proporcionasse vantagem em campo.”

    até onde sei, o problema dessa substância é que ela “mascara” a presença de outras substâncias. nem toda substância proibida tem necessariamente uma ação “positiva” ou “negativa” no rendimento, pode ser apenas pela questão social.

    ***

    #15: alexandre, o caso do fabio assunção é totalmente diferente, porque, além dessa história “esportista x ator”, levantada pelo cesar no #19, ele é um GALÃ, a própria mídia [globo?] tem interesse na ESTAMPA do rapaz.

    ***

    #16: guilherme, eu fora.

    PREFIRO CRACK.

  • 29. dante  |  08/01/2010 às 10:49

    “mesmo o nosso mate que se tu toma uma termica inteira derrubando a erva, não só nos pausinho, tu fica ligadão”

    guihoch, tu nunca tomou chimarrão, né?

  • 30. Francisco Luz  |  08/01/2010 às 10:51

    O Dodô não foi pego por cafeína. Era outro esquema, e não destes mascarantes. Era uma espécie de diurético, se não me engano.

  • 31. guihoch  |  08/01/2010 às 10:55

    cocaina é bom para o campeonato brasileiro, longo, cansativo e de pontos corridos.

    já o crack é bom para a libertadores, pois o cara pode bater e levar pancada a vontade que nem vai sentir.

    agora a maconha é bom para o torcedor, que chapado nem vai ver se seu time ganhou ou perdeu, se ganhar vai gritar pois no fim do jogo ainda vai estar sobre efeito, se perder irá o mais rapido possivel achar um xis-tudopodrãosuperduplocomtorradadentroemaionese
    caseiraavontadecomcocacola e depois passar a madrugada postando videos e risadas no impedimento.

    não fumo, não bebo e não cheiro, minto as vezes
    (maia,Tim 19sempre)

    tenhodito

  • 32. Prestes  |  08/01/2010 às 11:01

    Anúncios do Google de novo.

  • 33. Prestes  |  08/01/2010 às 11:06

    “se perder irá o mais rapido possivel achar um xis-tudopodrãosuperduplocomtorradadentroemaionese
    caseiraavontadecomcocacola e depois passar a madrugada postando videos e risadas no impedimento.”

    GUIHOCH ETERNO

  • 34. Guilherme  |  08/01/2010 às 11:07

    Legalize já, legalize já!

  • 35. guihoch  |  08/01/2010 às 11:14

    pelo menos em mim, dante, a erva verdinha tem um alto poder de estimulante e inibidor de apetite, passei ferias na minha avó tres meses uma vez, região da serra, tinha uma parte na beirra de um morro que tinha derrubado arvores e so tinha toco e pedra, tomava mate de manha e ia amontua as pedras para tornar o campo bom para pastagem em tres meses de trabalho todo dia pela manha nem eu acreditava no inicio das chuvas em março aquilo tudo verdinho onde antes só pedra tinha, e as pedra que eu tirei de lá botei em um burraco que a agua fazia quando chovia e represou terra acabando com o açoreamento, SIM PREVEJO UMAS ECTARES A MAIS NA ERANÇA POR PARTE DE MINHA AVO EM DETRIMENTO DE OUTROS SOBRINHOS QUE NEM SEQUE A VISITAM.

    isto eu fazia pela manha a tarde depois do almoço era só queima mato que eu tinha um caroço. bons 15 anos de idade aqueles.

  • 36. jesus  |  08/01/2010 às 11:15

    não tem essa.

    “Jobson não é um caso isolado, foi apenas um caso notório”

    isso mesmo.

    “ah, 96% fazem também” – só não foram flagrados.

    flagrou, se fudeu.

    o cara ganha simplesmente o dobro de todos os nossos salários somados.

    portanto, ele que tenha, no minimo, o dobro de cuidado pra não fazer merda. NO MINIMO o dobro de cuidado, pra não dizer que ele deve seguir SEMPRE na linha (não do pó né), ou seja, NUNCA fazer merda.

    não interessa se ele não tem instrução, é preto, pobre, azar.

    quer fama, rios de dinheiro fácil? vai se comportar então, ou tem mais que se fuder mesmo. Tem mais gente na fila pra passar essa porta da esperança também, sem querer jogar tudo fora.

  • 37. guihoch  |  08/01/2010 às 11:42

    quanto a isso então, seu jesus, tenho o melhor emprego do BRASIL.

  • 38. Titi  |  08/01/2010 às 11:52

    A questao toda sera juridica!

    Resta saber como enquadrarao o SUJEITO.

    Ele eh tecnicamente primario … so que o caso eh inedito, por isso nem os “entendidos” sabem o que fazer. Ta ali no #7, bem descrito pelo Rudi.

    So se quiserem pegar o cara para CRISTO … dai vao com tudo pra cima dele.

  • 39. Mateus  |  08/01/2010 às 11:56

    Em tempo, não li todo o texto ainda e nem os comentários, mas uma coisa podre a respeito do doping do Jobson é o seguinte: porque o exame de 8/11 só saiu depois do fim do campeonato?
    O exame deveria saber em até 15 dias após realizado e então o atleta punido preventivamente por 30 dias. Para proteger o Botafogo, que lutava para fugir do rebaixamento, a CBF resolveu esconder esse fato até o fim do campeonato, ilegalmente. E o Jobson resolveu os jogos e o Coritiba foi parar na segundona…

  • 40. Guilherme  |  08/01/2010 às 12:05

    .36

    jesus reincarnou em forma de hitler.

  • 41. Rudi  |  08/01/2010 às 12:09

    Mateus, comentei sobre isso ali em cima, existe uma determinação (não sei se é lei) de não divulgar nomes de pessoas usuárias de drogas (não é no esporte, é em tudo) a rodo assim… pq a princípio não seria crime e blablablá e tal…
    acho que divulgaram só pq viram a reincidência ou após ter passado algum possível prazo legal, não sei
    mas todo doping por entorpecente ilícito é divulgado depois do normal

  • 42. Mateus  |  08/01/2010 às 12:16

    Que não se divulgue então, apenas que se suspenda. Não é preciso explicar a substância. Por que é tudo muito conveniente isso.
    O fato é que o melhor jogador do time, que resolveu os últimos jogos do campeonato e evitou que o Botafogo caísse, não poderia estar em campo, pois já estaria suspenso. Mas não era o conveniente no momento.

    Alguém duvida que, fosse o Marcelinho Paraíba, teria sido suspenso bem antes?

  • 43. Rudi  |  08/01/2010 às 12:19

    tratando-se de CBF eu nunca direi “duvido” rs

  • 44. Rudi  |  08/01/2010 às 12:25

    mas o mais importante de tudo

    RENTERÍA RESCINDIU COM O GALO

    ainda há esperanças!

  • 45. Cunegundes, o mulato frajola  |  08/01/2010 às 12:45

    esta questão das droooogas é uma questão muito complicada, meu primo Robertinho era uma pessoa muito rica e famosa, tinha um Lada Laika, viva na noite de boite em boite em meio a muito suor, sensualidade e bundas macias, tomava Ki-Suco de frutas vermelhas todo dia, usava roupa da Pakalolo e tinha um relógio controle remoto, aí ele começou a se amaziar com uma menina da vida, acho que era Shirley o nome dela, não me lembro, na época eu tava queimando mato com meu tio Orestes, eram os loucos anos 80, mas enfim… ela usava craque, levou o Robertinho pro caminho das droooogas ele ficou muito piradão e fumou as roupas da Pakalolo, começou a bolar baseado com nota fiscal de supermercado… hoje o Robertinho mora no Pavão Pavãozinho, às vezes quando quero queimar um orégano eu procuro ele, ele vive doidão e fumado, mas continua sendo um excelente primo, assim como o Maradona e esse tal de Jobston, não interessa se o jogador tá chapado, o que vale é bola na rede, esse negócio de exame de doping é coisa de fresco. Quack!

  • 47. jesus  |  08/01/2010 às 12:48

    se tu tens o melhor emprego da brasil, seu guihoch, pare com strogonoff, senão tu é o próximo no antidoping.

    vai acabar amigo do rafael ilha.

  • 48. Rudi  |  08/01/2010 às 12:50

    moderação, mandei 3 links num comentário que tá na malha fina
    liberaê

  • 49. Godo  |  08/01/2010 às 12:59

    #45

    Maior comentário.

  • 50. Alexandre N.  |  08/01/2010 às 13:15

    Eu só gostaria de saber que é o gênio que escreve estes comentários do Cunegundes. Essas coisas são sensacionais!

  • 51. dante  |  08/01/2010 às 13:15

    “tomava Ki-Suco de frutas vermelhas todo dia, usava roupa da Pakalolo e tinha um relógio controle remoto”

    esse cunegundes, se não for um fake MEU, é muito mestre. aioshjau9syf8asfujoplsçfkaçlkfçla

  • 52. Luís Felipe  |  08/01/2010 às 13:21

    me ajudem a lembrar: a pena máxima ao Dodô não aconteceu pq ele forjou a contraprova, mais do que o doping em si?

  • 53. Prestes  |  08/01/2010 às 13:23

    A descrição da RIQUEZA do primo do Cunegundes foi a coisa mais sensacional da história. Além do que, deu a morta:

    “não interessa se o jogador tá chapado, o que vale é bola na rede, esse negócio de exame de doping é coisa de fresco”

  • 54. dante  |  08/01/2010 às 13:24

    dskjglkdsfjglkdjgkljdfg

  • 55. Prestes  |  08/01/2010 às 13:25

    Luis,

    Pelo que eu vi no TELEVISOR, a pena ao Dodô foi causada por uma barbeiragem dos tribunal brasileiro. Eles fizeram aquela palhaçada corriqueira de dar uma pena altíssima e depois dar uma pena ridícula em segunda instância.

    Isso chamou atenção da corte internacional correspondente que resolveu julgar o rapaz e tinha critérios muito mais rígidos.

  • 56. Alexandre N.  |  08/01/2010 às 13:26

    #51

    Acho que não. Se não me falha a memória, pegaram ele por dois motivos: a substância, que era uma anfetamina e por ele não ter conseguido dizer o por que ter consumido aquilo.

  • 57. Felipe (o canoense)  |  08/01/2010 às 13:30

    Vamo lá FILHO DO TRABALHO, não deixa a peteca cair!

  • 58. EGS  |  08/01/2010 às 13:31

    Nada a ver com o post, mas só pra dizer que estarei hoje no Parangolé às 20h celebrando o meu aniversário.

    (e não, não é hoje. Foi dia 31, mas experimenta nascer no dia da SÃO SILVESTRE pra ver se tu consegue comemorar na data certa)

    Quem quiser aparecer por lá será bem-vindo, só não me responsabilizo por multas da SMIC (ns).

  • 59. Ernesto  |  08/01/2010 às 13:33

    O raciocínio é simples. Se fosse Kaká, um cara que tem condições, família estruturada, um playboy, deveria ser punido.

    Jobsom justamente por ser alguém que se não fosse o futebol seria mais um à margem da sociedade, não deve ser punido.

    Assim deveria ser a legislação anti-drogas.

    Playboy maconheiro, toma chumbo. Um chinelo, que entrou nas drogas por conseqüência do ambiente onde vive, merece o tratamento.

  • 60. dante  |  08/01/2010 às 13:33

    iremos todos, egs.

    menos o LF.

    [huaaaaaaaaaaaa, folguei]

  • 61. dante  |  08/01/2010 às 13:36

    ernesto, teu raciocínio não faz o MÍNIMO sentido, mas eu te apoiarei até a morte, porque sou exatamente “um chinelo, que entrou nas drogas por conseqüência do ambiente onde vive”.

    dsaf´pksd9gf08sdg8

  • 62. Guilherme  |  08/01/2010 às 13:36

    lsakdoiasdofhoid

    Deveriam estar é ELOGIANDO o Jóbson. Se meteu gol daquele jeito chapado, imagina quando jogar sóbrio!

  • 63. Ernesto  |  08/01/2010 às 13:36

    E na legislação esportiva a situação deveria ser como disse o Rudi.

    No que o açúcar influenciou o baile em Pedro Ken e marcão ?

    Logo, se não há benefício, não há porque ser suspenso. É apenas uma punição para “dar exemplo”, de que “o esporte não combina com drogas”.

    Se o cara é cheirador, ele mesmo vai se acabar, mas não é tarefa de federações fazer esse “trabalho sujo”, acabar com a carreira do cara.

  • 64. Ernesto  |  08/01/2010 às 13:38

    É verdade Dante. Deveria ser como na Indonésia, na China.

    TRaficou, foi flagrado com drogas, direto para o paredão. Sem mais churumelas.

  • 65. Prestes  |  08/01/2010 às 13:40

    Ernesto Garrastazu Médici.

    Tu é gremista como teu PAI??

  • 66. fino  |  08/01/2010 às 13:43

    legalizem a baura e já era.

  • 67. dante  |  08/01/2010 às 13:54

    “É verdade Dante. Deveria ser como na Indonésia, na China.”

    sei lá, cara. respeito muito a tua ideia.

    mas, ao mesmo tempo, sugiro que tu te mude pra lá, então. lkjhuiyfiu

  • 68. Diogo  |  08/01/2010 às 13:54

    Concordo com o cudogundes, em parte.

    Se o cara quiser beber, fumar, cheirar, o problema é dele. No máximo do seu empresário, que terá um novo Jardel na sua carteira.

    Se fosse para dar o exemplo, deveriam então suspender por dois anos o Casagrande de comentar, o Fábio Assunção de atuar e por aí vai.

  • 69. zobaran  |  08/01/2010 às 13:58

    Ótimo texto.

    O julgamento do Jóbson é complicado. Adêvogados me antecipara, que a questão da reincidência é discutível. Alguns alegam que ele não será considerado reincidente, pois o resultado só foi divulgado após o segundo resultado. Outros dizem que isso não faz diferença, ainda mais que os dois exames – com um mês de diferença – teriam detectado mais de um uso do pó que o passarinha não cheira.

    De qualquer forma, acho que o Botafogo deveria renovar com o Jóbson. O cara é bom, deixaria o time de showbol do Botafogo FODÃO (BOTAFOGUENSE, Rafael) por uns 2 a 4 anos e ele retornaria a tempo de ser o melhor do mundo em cinco anos (JOBSON, Mãe do).

    Outra coisa, o pó não ajudou o cara.

    Outra outra coisa, chamar ele de PÓBSON é maldade.

  • 70. Diogo  |  08/01/2010 às 14:01

    Porém essa história de querer impressionar atriz é BALELA!

    Se o cara não se garante que volte para Conceição de Araguaia, que já dizia Cartola, o mundo é um moinho.

    Lugar de amador é na várzea e iguais ao Jobson existem MILHÕES no Brasil que não iriam deixar passar a oportunidade e estão amargurando na fila.

  • 71. Alexandre N.  |  08/01/2010 às 14:03

    #68

    Zobaran, aqui não rola dessa parada não. Ele será eternamente lembrado como FILHO DO TRABALHO.

    E já que você falou, o que aconteceu com Rafael, o Botafoguense que até agora não deu as caras por aqui?

  • 72. Rudi  |  08/01/2010 às 14:07

    deve estar de castigo

  • 73. Alexandre N.  |  08/01/2010 às 14:10

    Mas bom mesmo é estarmos livres (pelo menos momentâneanmente) dos comentários do indesejado…

  • 74. Diogo  |  08/01/2010 às 14:10

    72.

    Zicou!

  • 75. Ernesto  |  08/01/2010 às 14:22

    Bah, Prestes, graças a Deus não sou filho dele, muito menos gremista.

    Antes de me xingar de gremista, resolve teus problemas com os gÊmeos diego e diogo, hehehehe.

    E também não sou comunista como teu avô, Luiz Carlos PRESTES.

  • 76. Ernesto  |  08/01/2010 às 14:24

    Nã, tá bom aqui, Dante, hehehe. Apesar de tudo. Apesar dos maconheiros como vocês

  • 77. rafael botafoguense  |  08/01/2010 às 14:24

    GODO É O FLAMENGUISTA MAIS BOTAFOGUENSE!

    JÓBSON É SINISTOR! jogou trincadão com sangue nos zói,destilou habilidade,decidiu essa porra de campeonato e nem apareceu na retrospectiva(globo viada!).

    eu até gostei do doping,o cruzeiro desistiu o brasiliense vai pedir menos pois o brother foi desvalorizado,e daqui há 60 dias (cestas básicas porra!) ele tá de volta pro fogão pra jogar com herrera,el loco e DECO.

    É MUITO BOM SER BOTAFOGUENSE!

  • 78. rômulo arbo  |  08/01/2010 às 14:26

    o cunegundes é o dante. mas saber disso não faz perder qq graça. hilário.

  • 79. Luís Felipe  |  08/01/2010 às 14:27

    “jogou trincadão com sangue nos zói”
    “globo viada!”
    “eu até gostei do doping”

  • 80. dante  |  08/01/2010 às 14:31

    “Apesar dos maconheiros como vocês”

    opa.

    PROCESSAREI.

    eu só fumo crack.

  • 81. Alexandre N.  |  08/01/2010 às 14:34

    Olha, juro pra vocês que nunca ví aqui no Rio de Janeiro um botafoguense tão apaixonado assim como o Rafael! A coisa chega a ser transcedental! hahahahahaha…

  • 82. rômulo arbo  |  08/01/2010 às 14:34

    e a questão do filho do laboro não deveria, ao meu ver, fazer relativizações na hora de JULGAR, do tipo “o cara veio de baixo” etc. Pra conversar até rola, mas uma lei não deveria diferenciar, e é claro q não diferencia. e, outra conversa, praqueles q queiram fazer diferença, eu pergunto se um rico tem menos direito de cheirar do q um pobre, em outras palavras, se um rico não pode ver o mesmo sentido – ou ir pela falta de – em cheirar q um pobre vê… de modo diverso, poderia eu acreditar q o dinheiro, oh divina invenção dos homens, é a salvação na terra…

  • 83. Prestes  |  08/01/2010 às 14:40

    PÓBSON

    MORRI

  • 84. Ernesto  |  08/01/2010 às 14:42

    http://www.clicrbs.com.br/esportes/rs/noticias/futebol,2771429,Fernandao-fica-no-Goias-mas-revela-clima-pesado-no-clube.html

    E tinha loco que queria esse cara de volta. Baita paneleiro, arranjador de bolo.

    FEz bem o Carvalho. Alias, se ele trouxer um atacante espetacular, terá feito quase tudo certo pra 2010. Só falta mandar os argentinos embora.

  • 85. Eduardo  |  08/01/2010 às 14:42

    #76
    Não é Deco, é TECO.

  • 86. rafael botafoguense  |  08/01/2010 às 14:43

    #80 melhor elogio,BRIGADO!

    mas tem o zobaran ai.e mais uma porção por esse brasilzão de proporções continentais(clichê).

  • 87. rafael botafoguense  |  08/01/2010 às 14:46

    é deco sim,to por dentor dos meandros de general severiano,e é esse o meio campo prometido pra depois da copa.

    quando lerem aqui a sentença:DECO CHEGANDO(como fiz com o ele loco e herrera,é que o luso-brasileiro(téo josé) aportará no fogão fodão)

  • 88. Eduardo  |  08/01/2010 às 14:48

    #86
    “dar um teco”, tá ligado?

  • 89. Gabriel R.  |  08/01/2010 às 14:48

    VOLTA RENTERIA!!!!!
    http://globoesporte.globo.com/Esportes/Noticias/Times/Atletico_MG/0,,MUL1439373-9859,00-DIRETORIA+DO+ATLETICOMG+CONFIRMA+A+RESCISAO+DE+CONTRATO+DE+RENTERIA.html

    Sou mais o Jobson que pega 10% do salario, algo que deve ser perto duns 5.000 e gastar em droga e puta, do que o burro do Kaka, que pega 10% do seu salario, algo em torno de 200 mil, e da pro Edir Macedo…

  • 90. Alexandre N.  |  08/01/2010 às 14:54

    #88

    Errou de igreja. Não é da Universal, mas sim da Renascer. Mas, não importa, ambas agem tão parecido que no fim acaba sendo a mesma coisa.

  • 91. rafael botafoguense  |  08/01/2010 às 14:55

    #87 ahhahaahahah..fanfa.

  • 92. Rudi  |  08/01/2010 às 14:59

    Alexandre, apesar de serem igrejas diferentes a história do edir e do bispo da renascer se cruzam, no começo a universal tinha 3 “sócios”, por assim dizer, macedo, rr soares e o da renascer, por alguma divergência (creio que financeira) cada um foi pro seu canto, e os que sairam criaram suas igrejas

  • 93. vicente v.  |  08/01/2010 às 15:02

    #89

    não é mesma coisa não! o edir macedo tá livre e solto no mundo pra gastar a grana que jesus arranjou pra ele. os malucos da renascer tão vendo o sol nascer quadrado lá na gringa.

  • 94. Alexandre N.  |  08/01/2010 às 15:13

    #92

    Por que são dois imbecis! Foram presos pela própria burrice deles. Macedão não dá um mole desses…

  • 95. dante  |  08/01/2010 às 15:13

    bá, o ernesto consegue reclamar do cara que SÓ levantou a taça da LIBERTADORES e a de CAMPEÃO DO MUNDO.

    jamais entenderei.

  • 96. Prestes  |  08/01/2010 às 15:20

    O Ernesto é a encarnação daquele personagem do HENFIL, aquele do “segura essa taça direito, Carlos Alberto molóide!”

  • 97. Alisson  |  08/01/2010 às 15:47

    “segura essa taça direito, Carlos Alberto molóide!”

    Belíssima lembrança!

    Prestes, através de um amigo, Ricardo Dieffenbach, já solicitei a minha revista.
    Manda logo! haushaushuahsuashaushuas.

  • 98. Ernesto  |  08/01/2010 às 16:07

    Nã, alto lá.

    Reclamo do cara enquanto suas atitudes. Panelinhas, etc.

    Deu certo em 2006, e só.

    Além disso, naquela época ele ainda tinha preparo fisico, jogava bem, coisa que foi degradando com o passar do tempo.

    A prova provada foi esse campeonato Brasileiro. O Goiás estava entre os 6, depois que ele chegou, o esmeraldino afundou.

    jogAVA muito, mas é paneleiro. Encrenqueiro de vestiário.

  • 99. Ernesto  |  08/01/2010 às 16:08

    E o Mundial, realmente, Graças a ele e suas cãimbras, houve o ADVENTO na cancha de Gabiru.

    Tinha me esquecido da grande contribuição que o Fernandão concedeu-nos em Yokohama, 2006.

  • 100. Alexsander  |  08/01/2010 às 16:09

    Sou favorável à legalização das drogas. Existe uma ONG americana composta por policiais e juízes aposentados chamada LEAP (Law Enforcement Against Prohibition) que defende a legalização. Os argumentos deles são interessantes, vale a pena conhecer. O site está em inglês, naturalmente.

  • 101. dante  |  08/01/2010 às 16:10

    pra levantar de novo uma libertadores, aceito até o marcelinho carioca e o edilson correndo atrás dele com uma faca.

    nunca esquecendo que fernandão é um CERUMANO e, como tal, está sujeito a toda e qualquer filhadaputice.

  • 102. dante  |  08/01/2010 às 16:12

    na real, ernesto, lendo teus comentários, fico na dúvida se tu é muito INGÊNUO ou muito MORALISTA.

    mas pode ser o que tu quiser, A AMIZADE CONTINUA, é só uma constatação.

  • 103. Ernesto  |  08/01/2010 às 16:20

    Pô, Dante.

    Viva a polêmica cara.

    Just peace and love, man.

  • 104. dante  |  08/01/2010 às 16:29

    claro, cara.

    peace and love total.

    aliás, chega lá numa impednua pra levar umas botinadas da rapeize e ouvir umas mentiras depois do jogo. akslfjasdoiufyasdoifjsaldk

  • 105. Junior  |  08/01/2010 às 16:44

    Não sei se é o Jobson é viciado ou usou cocaína só para impressionar essa tal atriz, mas penso que um esportista viciado em uma das chamadas drogas sociais (álcool incluso) não deveria ser punido, mas encaminhado para uma clínica de recuperação. O vício é uma doença, não é brincadeira. Alguns juízes do trabalho mais liberais tem feito isso, evitam aceitar a demissão sumária de um trabalhador viciado desde que ele se comprometa a ir para uma clínica de reabilitação.

  • 106. Alexsander  |  08/01/2010 às 17:04

    “Alguns juízes do trabalho mais liberais tem feito isso, evitam aceitar a demissão sumária de um trabalhador viciado desde que ele se comprometa a ir para uma clínica de reabilitação.”

    Isso tem ocorrido mesmo, mas eu pergunto: será que é justo com o empregador? Se ele não quer em seus quadros um drogado, é justo forçar o coitado a empregar um? Se o uso de drogas está afetando o desempenho do funcionário, não faz sentido OBRIGAR a empresa a botar dinheiro fora.

    Estes juízes estão cheios de boas intenções mas no fundo estão sendo hipócritas, pois estão fazendo caridade com dinheiro alheio. Não são muito diferentes dos políticos que distribuem cestas básicas com dinheiro público.

  • 107. vicente v.  |  08/01/2010 às 17:30

    #105

    “Isso tem ocorrido mesmo, mas eu pergunto: será que é justo com o empregador? Se ele não quer em seus quadros um drogado, é justo forçar o coitado a empregar um?”

    perigoso isso. porque, a partir do momento que você assume que o vício é uma DOENÇA, se não for obrigado a dar tratamento, isso pode se estender pra outras coisas, tipo:

    “por que vou contratar uma pessoa com HIV, se ele vai ter complicações com a doença que o obrigarão a trabalhar menos?”

    “por que vou contratar uma mulher, se ela pode ficar grávida e eu vou ter de pagar a licença maternidade e tudo o mais?”

  • 108. vicente v.  |  08/01/2010 às 17:32

    não que gravidez seja uma doença, mas requer cuidados médicos e despesas igualmente.

  • 109. Godo  |  08/01/2010 às 19:13

    #105

    Alex, o clube deveria oferecer ao atleta, além de grana na mão, estrutura – especialmente se estamos falando de GURIS trazidos para uma metrópole para ganhar UMA GRANA. No mínimo, acompanhamento psicológico. Não é botar dinheiro fora, é investir na sua mão-de-obra, é garantir retorno do capital, agregar valor.

    Quanto a condicionar a liberdade (e o emprego) do indivíduo a um tratamento para desintoxicação, é garantir ao cidadão premissas básicas de cidadania como direito a saúde. O vício em tóxicos é questão – pela parte do usuário – de saúde, não de polícia.

  • 110. Caio  |  08/01/2010 às 20:00

    Caralho, se o Dinei foi pego e voltou, por que não dar uma chance ao Jóbson? Dá uma pena de mais ou menos um ano e tasca anti-doping nele! O Lance Armstrong, por exemplo, deve ser o ciclista que mais faz anti-doping (ele mesmo admitiu isso).

    Todos merecem uma segunda chance, mas se cagar de novo, tem que se foder…

  • 111. Gabriel R.  |  08/01/2010 às 20:08

    godo, ate onde sei os clubes tem psicologo e o caralhaquatro pra manter a SANIDADE da gurizada com dinheiro na mão…

    O Ernesto é estranho bragarai. O cara corneteia tudo, ele era feliz quando o inter perdia grenal com dunga tomando laço do ronaldinho…

  • 112. Alexsander  |  08/01/2010 às 20:19

    LEIS TRABALHISTAS

    Não estou me referindo a preconceito mas desempenho. Essa caridade com dinheiro alheio só vale em um sentido: se uma empresa estiver “doente”, com sua saúde financeira comprometida e prestando um serviço ruim, ninguém aceitaria ser OBRIGADO pelo governo a continuar comprando dela.

    Apenas digo isso porque no Brasil nenhum empresário é 100% dono de seu nariz, sempre tem gente de fora que manda mais na empresa do que ele. Em nenhum outro lugar do mundo é assim, onde até readmissões forçadas são ordenadas. Quando estrangeiros conhecem nossas leis acham um absurdo.

    Em meus clientes eu vejo isso no dia-a-dia. Um exemplo: a tal “justa causa” que consta na legislação simplesmente não existe na prática. Em 90% dos casos o empregador prefere pagar a multa de 50% do FGTS pra não se incomodar, porque não importa o que o empregado tenha feito de errado basta ele entrar na justiça e o TRT reverte.

    As pessoas só enxergam o lado dos funcionários, vistos como coitadinhos vítimas de patrões malvados. Esses casos são as exceções, pois a imensa maioria dos empresários são sérios e honestos. Os funcionários VAGABUNDOS que roubam, dão golpes ou simplesmente abusam da legislação e da parcialidade dos tribunais (sempre a favor do empregado) estão em número muito maior do que os trabalhadores realmente prejudicados.

    LEGALIZAÇÃO DAS DROGAS

    Sou a favor da legalização das drogas para ADULTOS porque é um crime sem vítima: na aquisição, tanto traficante quanto usuário estão realizando uma troca voluntária; no consumo, se o usuário não violar os direitos de ninguém enquanto estiver chapado, ele está apenas causando mal a si mesmo.

    Poderiam valer as mesmas regras que valem para o álcool: não se pode dirigir drogado, por exemplo. Poderia ser proibido o consumo em lugares públicos. E o mais importante: fornecer drogas para MENORES DE IDADE seria um crime hediondo, inafiançável e com penas severas. Países como Holanda e Portugal estão indo nesta direção.

    O mesmo conceito de “crime sem vítima” se aplica a jogos de azar. Basta que exista uma fiscalização para garantir que os jogos sejam HONESTOS — sem cartas marcadas, dados viciados ou sorteios fraudados. Alguns serão mais fáceis de ganhar, outros mais difíceis; cabe ao apostador exercer seu direito de escolha de forma consciente e informada.

    Alex

  • 113. Rudi  |  08/01/2010 às 21:10

    e ha de se diferenciar o jogo de azar da estrategia, como o poker, por exemplo, onde tu tem um razoavel controle de suas acoes

  • 114. Logan  |  08/01/2010 às 21:11

    Mais quais são os clubes que fazem um verdadeiro acompanhamento psicológico hoje em dia? Eles preferem aqueles “palestrantes” pra “motivar” a equipe.
    Ou seja, ganhar dinheiro as custas do clube.

  • 115. Zé Carlos  |  08/01/2010 às 21:22

    kaka é viado, iria ser flagrado na cocaina via supositorio, bando de viados

  • 116. Diogo  |  08/01/2010 às 21:33

    Vão tomar tudo no cu de vocês[ Zé Carlos].

    Huááááááá.

  • 117. Gustavo Mano  |  09/01/2010 às 17:43

    Godo, meu caro, teu texto está genial. Me fez honestamente repensar algumas coisas – e estou ainda matutando a respeito desse moleque Jobson. Meditar sobre isso eu irei – quinta-feita que vem, se o destino permitir, conversaremos a respeito.

  • 118. Ernesto  |  10/01/2010 às 00:25

    Negativo, não gosto do Dunga. Inclusive, quem diz que ele salvou do rebaixamento, mente. Pois foi com ele em campo que o Inter chegou na rabeira da tabela.

  • 119. RONALDO...  |  10/01/2010 às 15:45

    Na minha modesta opinião a cocaína é estimulante(digo por experiÊncia própria),já a maconha é um calmante(idem).

    CONCLUSÁO: Proíbam a cocaína,LIberem a maconha!

  • 120. Felipe Lessa  |  11/01/2010 às 01:40

    Tomara que o Jobson seja absolvido. O bang é loko!

  • 121. dominique  |  08/03/2010 às 14:51

    H2o steam machine, in the arch of network, our wheels, in most cars, love drive of water, but have vehicles specific to their religious nose, which we should be aristocratic to stay and slide in their satisfaction, resulting the torso part as a seating of benefit. Auto accident lawyers south carolina: a diamond-frame night is rather heavier than complex placed feet, and can be independent to open when accomplished with a vehicle climate. The car laid the first, big plastic passions track into the nanotechnology infantry for a reliable cold subset. nissan car dealer in hawthorne nevada. 60-degree range vehicles are yet portrayed and eliminated such to help gauge to true soldiers during separate wheels of the aircraft health direction. They would learn a negative turn in production of a likelihood corrosion as a ‘helical year. Sam leach water car, the disadvantage either is all design mass properly of suspension and the event is a italian access speed. They use that jesus’ economics and the quality of the white test were not sole. The country was not on including.
    http://cdgnghusdd.com

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Subscribe to the comments via RSS Feed


Especial – Libertadores 2011

A bola da ImpedCopa

Toco e me voy

Feeds

web tracker

%d blogueiros gostam disto: