Cinco anos de um domínio impensado

14/12/2009 at 11:00 95 comentários

Costumeiramente, o domínio do futebol uruguaio atende pelo bipartidarismo. Nos primeiros quarenta e quatro anos da Era Profissional, de 1932 a 1975, o destino das taças de primeira divisão se limitava a dois endereços: as vitrines de Peñarol e de Nacional. Em 1976, o Defensor tingiu o Uruguai com o ineditismo violeta – a improbabilidade era tanta que o elenco campeão optou por comemorar a volta olímpica no sentido contrário, o que acabou simbolizando o inesperado feito do clube do Parque Rodó. Na última década, a intromissão dos pequenos em ascensão – Danubio e Defensor Sporting – diversificou um pouco a listagem dos campeões, mas a superioridade sempre esteve com os dois gigantes de Montevideo.

Hoje, o país tem um monarca. O Nacional foi o único capaz de se organizar e recompor a sua estrutura depois da grande crise que se iniciou nos anos oitenta. Segue distante dos títulos continentais de antanho, mas nacionalmente o seu domínio é evidente. Dos dez últimos títulos uruguaios, seis foram logrados pelos tricolores. O Peñarol levou uma só taça, em 2003. No Apertura, que teve a sua última rodada disputada neste final de semana, tudo já estava decidido. O Nacional iniciou o campeonato com três pontos a menos que os demais (unidades perdidas no tribunal) e levantou a caneca com uma rodada de antecedência.

Na última quinta-feira, o “Bolso”, com um tento do volante Álvaro “Tata” González, bateu o Fénix do folclórico treinador Julio Ribas e liquidou com as fugazes esperanças do destemido Liverpool – que viu as chances de conquistar o primeiro título nacional da história morrerem em Melo, com a derrota por 1-0 diante do Cerro Largo. Mais além do bipartidarismo e da ditadura recentemente implantada pelo Nacional, a primeira divisão teve um período bastante obscuro: durante cinco anos consecutivos, apenas os quadros menores sagraram-se campeões. Foi o chamado “Quinquenio de los Chicos”.

***

Corria o ano de 1987 quando o Defensor tratou de se rebelar pela segunda vez. Se em 1976 fora o primeiro clube a romper com as rédeas dos grandes sobre a taça, em 87 tornou-se o único do seu patamar a ostentar o título de bicampeão uruguaio. Naquele ano, no entanto, a redenção futebolística ainda esteve com o Peñarol, que venceu a sua terceira Copa Libertadores – tudo graças ao gol de Diego Aguirre, no minuto 120 da prorrogação, contra o eterno vice América de Cali. Mas, nacionalmente, o que se sobressaiu foi a já famosa volta olímpica invertida.

Guiado pelo atacante Sergio “Manteca” Martínez, que posteriormente seria ídolo em La Bombonera com os seus 87 gols pelo Boca, o Defensor abriu o primeiro dos cinco títulos enfileirados que os insurgentes de Montevideo aplicariam. Foi também a última conquista do time antes da fusão com o Sporting Club Uruguay, em 89, tradicional clube de basquete do país, que agregou uma valiosa estrutura esportiva e social ao futebol do Defensor. A fusão foi tão bem sucedida que o presidente violeta do período, Eduardo Arsuaga, chegou a dizer que esse tipo de iniciativa poderia salvar o futebol uruguaio, que já se via em derrocada.

No ano seguinte, em 1988, um novo campeão alternativo surpreendia Montevideo. E não foi um logro acidental: o Danúbio daquele ano cravou a melhor campanha da década de oitenta. Somou cinqüenta e oito pontos em 24 jogos e teve o artilheiro do campeonato, o atacante Rubén “Polilla” Da Silva. A taça estava garantida com três rodadas de antecipação, mas a grande festa ocorreu no último dos enfrentamentos: no dia 27 de novembro daquele ano, o Jardines del Hipódromo suportou o maior público da sua história. O futebol exuberante dos de “La Curva”, infelizmente, teve de dividir novamente as atenções com um dos grandes, já que o Nacional venceu a Libertadores de 88.

A conquista mais impressionante do “Quinquenio” talvez tenha sido a de 1989. O último torneio da década de oitenta teve uma realização bastante acidentada: o início do campeonato foi postergado em mais de uma oportunidade, sempre por dificuldades financeiras envolvendo os clubes, e a solução foi determinar um certame de turno único. Depois de trezes rodadas, o campeão uruguaio daquele ano veio do bairro de La Teja. Comandado por Tabaré Vázquez, ex-presidente do Uruguai, o Progreso, que hoje pena na segunda divisão, levantou a taça com uma campanha surpreendentemente firme.

Fundado em 1917 com audaciosas inspirações anarquistas, o Progreso pôde, enfim, mostrar toda a sua força revolucionária no ano de 89. Venceu Peñarol (1-0), Nacional (3-1), o vigente campeão Danúbio (1-0) e lançou o artilheiro da competição, o centroavante Jhonny Miqueiro. Após idas e vindas, o Progreso desceu à segunda divisão após o término do Clausura de 2008. Naquele torneio, arrancou o título das mãos do Nacional quando, já rebaixado, bateu o tricolor em pleno Parque Central. Naquela semana, o time havia treinado apenas duas vezes. Foi a tarde mais gloriosa do clube desde 1989.

Quando o Bella Vista, um clube da região do Prado de Montevideo, que veste uma camiseta com as cores do Vaticano, se firmou no topo da tabela do campeonato uruguaio de 1990, Peñarol e Nacional devem ter notado que havia algo bastante errado no ar. Depois de Defensor e Danubio, clubes ainda menores se revelavam e, assim no más, assinavam o nome na lista antes sacra dos campeões uruguaios. No caso do Bella Vista, inclusive com uma imponente vantagem numérica: os “papales” do estádio José Nazassi abriram sete pontos do Nacional e oito do Peñarol.

O ano seguinte encerrou o período mais assustador da existência dos tradicionais. Em 1991, o Defensor superou o Nacional de Dely Valdez por um ponto e revelou Marcelo Tejera, meia que defenderia, anos mais tarde, o próprio Tricolor e também a seleção uruguaia. O terceiro título do palmarés do Defensor findou um ciclo de festa para os que pouco haviam festejado em todos aqueles anos. Apesar das conquistas internacionais, o fim da década de oitenta desvelou a decadência do futebol oriental – que, com um abrupto nivelamento no campeonato nacional, viu em suas canchas uma renovação no colorido dos campeões, o que poderia significar um empobrecimento do futebol dos grandes e um sopro de vida até então utópico para os pequenos.

Saludos,
Iuri Müller.

Anúncios

Entry filed under: Nacionais.

Brocando no fundo do Rio da Prata O furor nacionalófilo como nunca antes visto

95 Comentários Add your own

  • 1. Diogo  |  14/12/2009 às 11:25

    Que aula!

    Impedimento é isso aí, que venha algum desavisado debater futebol uruguaio comigo.

  • 2. douglasceconello  |  14/12/2009 às 11:34

    Cara, texto absolutamente FENOMENAL.

    Escreve muito, esse guri.

  • 3. Diego  |  14/12/2009 às 11:59

    Excelente texto!!! Mas faço uma ressalva, em 1987 Los carboneros levantaram o quinto caneco da Libertadores…

  • 4. Francisco Luz  |  14/12/2009 às 12:26

    Muito bom texto, mesmo. Esse período do quinquenio deve ter causado REVOLUÇÕES nas mesas de bar uruguaias.

  • 5. Jader Anderson  |  14/12/2009 às 12:53

    Bah, brilha muito no imped.

    Pelo ponto de vista apresentado no texto, peñarol campeão de liber só em 2500 d.C?

  • 6. Rudi  |  14/12/2009 às 12:58

    quero ser campeão da américa fazendo a final contra o nacional querido!

  • 7. dante  |  14/12/2009 às 12:59

    FORA DOUGLAS

    FORA LF

    FORA FINO

    AGUANTE IURI

    aksdfjskdljfs

    [bá, escreve muito]

  • 8. Milton Ribeiro  |  14/12/2009 às 13:33

    SUGIRO OUVIR O PROGRAMA DO LASIER MARTINS AGORA.

    Assunto: novo estádio do Grêmio. Quem fala: um cara do grupo do Hélio Dourado. Coisa gravíssima.

  • 9. Carlos  |  14/12/2009 às 13:44

    Impressionante!

  • 10. Rudi  |  14/12/2009 às 13:48

    Milton, conte o que acontece pra quem não está na provincia e nem pode ouvir pela Inet?

  • 11. guihoch  |  14/12/2009 às 13:50

    mas agora o I”ui”ry tem futuro mesmo, nos pos a par do referido com os autos e demais averbações, parabens

    MAS dando um tiro no off topic como sempre, que clima ESTRANHO ANDA ESTE MUNDO E O BRASIL HEIN, OU É IMPRESSÃO MINHA OU TA PRA ESTOURAR UMA GRANDE GUERRA, grupo de americano brigando com brasileiros como se estivessem na casa deles, italianos saindo de restaurantes sem pagar, ou é só no rio que a coisa descambou?

  • 12. Milton Ribeiro  |  14/12/2009 às 13:55

    Olha, é enorme.

    Eu acho que o Grêmio vai se descapitalizar durante esses 20 anos. O contrato é absurdo.

    – sócios perdem direitos
    – bilheteria é da OAS
    – Grêmio não pode treinar lá, a não ser que não prejudique o gramado…
    – Enfim, o Grêmio só fica com a grana da TV, com a grana das propagandas em camisetas, da venda de jogadores e com 7 milhões por ano.

    Fica muito pouco $. O estádio será dos caras da OAS por 20 anos. Bom, mas isso vai se trornar uma bomba a partir de agora. A ser verdade, claro…

    Olha, até eu — colorado — fiquei puto. Além do mais a OAS está metida em vários superfaturamentos por aí.,..

  • 13. Carlos  |  14/12/2009 às 13:55

    Pois é, milton…q q rolou? só peguei o fim…

  • 14. Carlos  |  14/12/2009 às 13:57

    pois é…tenho um parceria q é remido q tá bem preocupado com esse lance todo…

  • 15. dante  |  14/12/2009 às 14:01

    óbvio que sócios remidos PERDERÃO.

    o máximo que vão conseguir é a preferência em um novo contrato de adesão, e só.

  • 16. Milton Ribeiro  |  14/12/2009 às 14:04

    Cara, eu tava cagando. Liguei o rádio para passar o tempo… Me limpei e avisei vcs. Mas vai se falar muito agora.

    A não ser que o Odone consiga abafar.

    Há cláusulas incríveis. E o Olímpico está sub-avaliado. Parece que valeria quase o valor dos Eucaliptos… Eu sei lá.

  • 17. Milton Ribeiro  |  14/12/2009 às 14:06

    Ou o Grêmio PAGA os ingressos dos sócios ou os sócios pagam ou fazem um meio a meio. Tchê, é muito estranho. Será que a Gaúcha não disponibiliza cópia mp3 do programa?

  • 18. Rudi  |  14/12/2009 às 14:08

    “Cara, eu tava cagando, Liguei o rádio para passar o tempo… Me limpei e avisei vcs. Mas vai se falar muito agora. ”

    ainda bem que se limpou né?

  • 19. Milton Ribeiro  |  14/12/2009 às 14:09

    Gaúcha Repórter
    Negociação da Arena do Grêmio causa polêmica

    O consultor jurídico Gladimir Chielli traz detalhes do contrato que prevê gestão vantajosa para construtora e coloca Grêmio na situação de “usuário autorizado”
    Contrato prevê gestão vantajosa para construtora e coloca Grêmio na situação de “usuário autorizado” durante 20 anos. O advogado e consultor jurídico Gladimir Chielli explica a situação e traz detalhes da negociação.

    Para ouvir:

    http://mediacenter.clicrbs.com.br/templates/player.aspx?uf=1&contentID=90577&channel=232

  • 20. Felipe (o catarina)  |  14/12/2009 às 14:11

    Fantástico o texto. Sabia dessa história do Tabaré Vásquez no Progreso, mas não sabia que os pequenos tinham ganhado por 5 anos seguidos. Só uma ressalva: em 1987 o Peñarol levou a 5ª TLA, não a 3ª.

  • 21. zobaran  |  14/12/2009 às 14:19

    Só fiquei com uma dúvida na cabeça. Como pode o Danúbio ter sido campeão com 58 pontos em 24 jogos se, na época, a vitória valia dois pontos?

    Parabéns pelo texto phoderástico, Iuri!

  • 22. Carlos  |  14/12/2009 às 14:22

    Milton, lavou a mão?

    saçdsadkjsaçkldsakçldçklsa

  • 23. Diogo  |  14/12/2009 às 14:23

    Caras, esse Movimento “Meus Interesses” Acima de Tudo é muito do falcatrua.

    Faz tempo que estão querendo melar a construção da Arena.

  • 24. Carlos  |  14/12/2009 às 14:24

    Pois é…quem afinal tem razão nessa merda toda?

    Depois da ISL, eu sempre fico com um pé atrás nessas merdas de parcerias…quem se fode é sempre o torcedor…aposto q muito filho da puta ganhou grana preta naquela época…

    E agora? quem tem a razão afinal? Qualé a falcatrua dessa arena, quem vai levar o q, como q vai ser?

  • 25. Diogo  |  14/12/2009 às 14:28

    – Grêmio não pode treinar lá, a não ser que não prejudique o gramado:

    Os treinamentos na arena serão eventuais da mesma forma que atualmente, os diários serão no CT (para treinos cogita-se aquisição de área no outro lado da freeway de no mínimo 5 hectares)

  • 26. Diogo  |  14/12/2009 às 14:33

    “-E o Olímpico está sub-avaliado. Parece que valeria quase o valor dos Eucaliptos… Eu sei lá.”

    Hoje o preço do terreno do Olímpico está em no mínimo 80 milhões, mas está sendo reavaliado.

  • 27. Carlos  |  14/12/2009 às 14:34

    Diogo, e os sócios?

    E a bilheteria? Que fontes de renda vão sobrar pro grêmio?

  • 28. Diogo  |  14/12/2009 às 14:36

    – sócios perdem direitos:

    A OAS não tem a mínima gestão sobre o quadro social, qualquer coisa que venha ser mudada neste sentido será pelo próprio Grêmio e sancionado pelo próprio conselho. Portanto, o Grêmio pode continuar não cobrando ingresso do seu sócio patrimonial e não precisará repassar nada para a OAS nos primeiros 7 anos e somente 35% dos ingressos do mesmo durante os 13 anos restantes.

  • 29. Alexandre N.  |  14/12/2009 às 14:49

    #21

    É Zobaran, também fiquei com uma dúvida dos infernos ao ler aquilo.

    E agora, sobre a tal parceria do novo estádio do Grêmio, isso está parecendo uma daquelas famosas parcerias cu-caralho. O Grêmio e os torcedores e sócios entram com o cu. O caralho já deu rpa saber de quem é…

    #16

    CAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAGÃÃÃÃÃÃÃÃÃÃÃÃÃÃÃOOOOOOOO!!!!!!!!!!

  • 30. Francisco Luz  |  14/12/2009 às 14:56

    7 milhões por ano… quanto o Grêmio ganha hoje com o Olímpico? Alguém tem essa info?

  • 31. dante  |  14/12/2009 às 15:00

    #26:

    sei não, diogo, mas 80 MILHÕES pelo terreno me parece meio demais…

  • 32. Rudi  |  14/12/2009 às 15:01

    se for com as benfeitorias, válido, se for só o preço da terra, acho muito

  • 33. Diogo  |  14/12/2009 às 15:01

    30.

    Pelo que sei as receitas do Olímpico são entorno de 8,6 milhões por anos. Não tenho dados a respeito das despesas. Acredito que o Olímpico dê lucro, mas os meses que não há futebol, dá prejuízo.

    Na realidade, eles fizeram três estimativas:
    1) a pior possível 7,7 milhões
    2) melhor média possível 22 milhões
    3) a máxima receita possível 46 milhões

    Tais estimativas variam de acordo com o mercado. A pior possível estaria um pouco abaixo do que hoje rende o Olímpico.

  • 34. Carlos  |  14/12/2009 às 15:01

    Dante, aquela área (mais ou menos 9ha, não?) vale isso tranquilamente.

  • 35. Diogo  |  14/12/2009 às 15:07

    31.

    Não esqueça que os índices construtivos foram alterados na área do Olímpico e a OAS irá lucrar, E MUITO, com a construção de edifícios no local, bem como a valorização do Humaitá.

    Sem contar a possibilidade de isenção de impostos junto ao BNDES, que podem chegar a 10%, portanto 30milhões, [o valor previsto para a Arena está em 300 milhões]

    Aliás, esse aspecto, sim deveria ser melhor barganhado pelo Grêmio junto a OAS.

  • 36. fino  |  14/12/2009 às 15:14

    dar o rabo deve ser ruim por 10min, imagine por 20 anos…

    morra OAS

  • 38. Milton Ribeiro  |  14/12/2009 às 15:17

    Pasmem: a OAS terá 100% da renda do time em estádios adversários. Por 20 anos.

    ???

  • 39. Diogo  |  14/12/2009 às 15:19

    Hahsauhsua, falácias!

  • 40. fogo no circo  |  14/12/2009 às 15:25

    Fino, tu aguentou 9 minutos sem problemas?

  • 41. fino  |  14/12/2009 às 15:27

    Contrata-se ANALfabeto funcional.

    parabéns fogo no circo, foste selecionado.

    vire-se para que eu possa te examinar melhor, sim.

  • 42. Carlos  |  14/12/2009 às 15:28

    Se o milton diz q é ruim, é pq o contrato deve ser bom.

    çlsdkaskçdçkasdçksakdksaçdkçsakç

    Não, sério…quem tem razão nessa merdalança toda…jamais saberei.

  • 43. fino  |  14/12/2009 às 15:33

    hmmmmm

    vejo que voce possui um CUrriculo invejável…

  • 44. Milton Ribeiro  |  14/12/2009 às 15:35

    Ah, eu tb não sei quem tem razão. Mas, sabe?, desconfio sempre do Odone. Quem propôs Antônio Britto para presidente… Sei lá.

  • 45. Battaglin  |  14/12/2009 às 15:44

    Admito que seco bastante o projeto todo, até porque eu defendia que o Internacional fizesse outro estádio. Já que não fez e irá remendar, quero que o Grêmio tenha as piores consequências: dívidas, brigas internas, lepra, escorbuto, peste bubônica…

  • 46. Diogo  |  14/12/2009 às 15:46

    Bem vamos por partes;

    – O Grêmio contratou uma consultoria especializada em 2007 [ HÀ DOIS ANOS], a Amsterdã Arena Advisory, onde foram aventadas três hipóteses: reforma do Olímpico, construção de um estádio novo na Azenha e construção de um estádio novo fora da Azenha.

    – A consultoria também apontaria a formatação de estádio e a sua capacidade ideal levando em conta a relação custo/benefício.

    – No final de 2007 houve a apresentação das propostas da Odebrecht (Humaitá) e da TBZ/OAS (Azenha), que depois mudou-se para o Humaitá.

    -A proposta inicial da TBZ/OAS era a seguinte: em troca da compra do terreno no Humaitá e da construção da arena, o Grêmio deveria entregar o terreno do Olímpico e durante 20 anos haveria uma parceria entre o clube e o consórcio português, na participação dos lucros da arena na ordem de 65% para o clube e 35% para o consórcio.

    -Não haveria financiamento algum, somente um retorno financeiro aos investidores nos 35% da receita da arena por 20 anos. Esta proposta mudou com a crise mundial, havendo fuga de investidores e a saída do grupo português, permanecendo somente a OAS.

    -A construtora (com o auxílio do Banco Santander) estruturou então uma nova proposta, onde a OAS buscaria um financiamento em seu nome junto ao BNDES (apostando no PAC da Copa com a virtual participação de Porto Alegre) e bancaria os custos remanescentes. Os percentuais de participação continuaram os mesmos, porém o pagamento do financiamento da OAS seria bancado POR PARTE DA RECEITA DA ARENA.

    EIS O COMEÇO DE UM DOS PONTOS POLÊMICOS!

  • 47. Pato  |  14/12/2009 às 15:46

    Já li muito sobre o assunto e ainda não consegui chegar a conclusão alguma.
    Porém, o Chieli não deveria ter ido falar na Gaúcha. Isso é assunto para ser tratado no Conselho.

  • 48. Carlos  |  14/12/2009 às 15:50

    Bem lembrado, Battaglin…tinha um cara aqui, colorado, q escrevia um blog sobre o “remendo” q a direção tá fazendo no beira-rio….metendo o pau, diga-se de passagem…

    Alguem lembra qualé?

  • 49. Iuri  |  14/12/2009 às 15:55

    Algumas correções:

    – A Libertadores de 87 foi a quinta do Peñarol, e não a terceira.

    – Sobre a pontuação do Danubio campeão em 1988: somei o número de vitórias e acabei multiplicando por três, sendo que o peso por triunfo ainda era dois, na época. Na verdade, fez quarenta pontos.

    Gracias aos leitores atentos!

  • 50. Diogo  |  14/12/2009 às 16:02

    46.

    Continuando.

    -Para COMPENSAR o clube de uma receita líquida menor, a construtora, durante o pagamento do financiamento da OAS, não teria participação alguma na receita da arena (sendo esta toda do clube) e pagaria um valor fixo anual, reajustável, de sete milhões de reais. Este prazo de amortização pode durar entre 7 e 9 anos.

    -Ou seja, durante esta fase de amortização (por parte da OAS), o clube receberá sete milhões anuais e 100 % da receita líquida restante. Importante dizer que a garantia desta dívida NÃO será a arena, mas bens da construtora.

    — Liquidada a dívida da OAS, a construtora terá direito ao seu percentual (35%) sobre a receita líquida da arena e o Grêmio passa a ter 65% desta receita, acrescentado agora de uma receita fixa não mais de 7 milhões anuais, mas de 14 milhões por ano, um valor também REAJUSTÁVEL.

    -O ÚNICO pagamento que o Grêmio fará será a entrega do terreno do Olímpico. Não existem parcelas, prestações, aluguéis, etc, pagos pelo Grêmio. Não podemos mensurar o retorno que a OAS terá de sua participação de 35 %, pois isso depende de valores variáveis de receita que somente estão estimadas em diversos cenários, otimistas, pessimistas e realistas.

    -Porém, no caso do Grêmio, existe a CERTEZA de uma receita mínima anual de 7 milhões por um período em torno de 7 anos e 14 milhões por aproximadamente 13 anos. Portanto o Grêmio terá ASSEGURADO uma receita fixa por 20 anos.

    E AS VANTAGENS DA OAS?

  • 51. Diogo  |  14/12/2009 às 16:07

    50.

    Respondendo:

    -A OAS terá ganhos em três fontes distintas: da parceria na Arena, no complexo shopping/hotel/bloco comercial e blocos residenciais e, por fim, do empreendimento residencial na Azenha.

    -No empreendimento ao lado da arena o Grêmio não terá nenhuma participação, portanto o lucro será todo da OAS.

    -A OAS ganhou também, e muito, com o aumento dos índices construtivos em ambas as áreas.

    MAS PORQUE NÂO REFORMAR O OLÍMPICO?

  • 52. Diogo  |  14/12/2009 às 16:11

    51.

    -O Grêmio entregou um caderno de intenções às empresas interessadas com as três hipóteses (reforma, construção na Azenha e construção em outro local) e ninguém apresentou proposta para reforma, pois os cálculos (feitos pela AAA) para reforma são maiores do que a construção de um novo estádio.

    -A opção de construção na Azenha também encontrou obstáculos junto ao conselho por três motivos importantes:

    1) O risco de se demolir o estádio atual sem ter o novo pronto;
    2) Uma área pública (na Cascatinha) teria que ser doada pelo município – coisa muito complicada de se obter – e áreas lindeiras, com vários proprietários, teriam que ser compradas;
    3) A questão viária.

    Restou ao conselho escolher a melhor proposta financeira, com menos riscos.

  • 53. dante  |  14/12/2009 às 16:12

    bá, diogo: o assunto é muito interessante e tu tem CONHECIMENTO DE CAUSA, pelo jeito.

    então,

    ESCREVE UIM POST.

    sério mesmo.

  • 54. Battaglin  |  14/12/2009 às 16:18

    # 48. Carlos

    Este?
    http://www.beirario2014.blogspot.com/

    O autor agora é conselheiro. Pelo que eu leio tem feito bastante lá dentro. Pelo menos está tentando arrumar as coisas que ele criticava.

    Não sou contra todos os remendos. Os estádio ingleses, por exemplo são bons e muito velhos, alguns de 1900… Mas eles nunca pararam de adaptá-los.

    Aqui a gente faz, abandona e 50 anos depois quer reformar. Melhor fazer outros. A questão é que o Beira-rio é reformado, reformado e reformado…mas tem graves problemas de acesso, visão, estacionamento, conforto etc. Porque durante décadas não se fez nada.

    Não aumentaram a cobertura, não aumentaram o número de cabines de imprensa, não melhoraram o acesso, não fizeram mais vagas para estacionamento. Aí quando resolvem ‘adaptar’ ao desejo da senhora fifa, custa quase o preço de fazer um novo.

  • 55. Carlos  |  14/12/2009 às 16:22

    Esse ae, battaglin. Valeu.

    E muito boa (surpreendente) asçlkdsakdsakç a idéia do Dante do post sobre a Arena.

    Escreve ae, diogo. Deu pra ver q tu manja do troço, mas preciso ouvir alguém contra tb.

  • 56. dante  |  14/12/2009 às 16:25

    “mas preciso ouvir alguém contra tb.”

    serve CEM MIL SÓCIOS COLORADOS? lkas9afuiao0suf

  • 57. Diogo  |  14/12/2009 às 16:25

    53.

    Bah, tudo que sei é acompanhando blogs, fóruns e a comunidade da Arena no orkut.

    Esses dados eu retirei do Grêmio Arena:

    http://arenadogremio.blogspot.com/

    Só estou repassando, e apesar de acreditar e desejar a construção da Arena, sou um mero expectador do processo todo, sem conhecimento de fato.
    Mas uma coisa posso afirmar: essa polêmica apresentada hoje é requentada, e a maioria, infelizmente, sem embasamento. Digo, infelizmente, porque o debate é necessário, mas a falta credibilidade de uma das partes põe tudo a perder.

  • 58. Jader Anderson  |  14/12/2009 às 16:34

    Esses problemas todos são por que alguem assinou sei la… um contrato de OBSCURIDADE aonde ninguem distribui a letra fria do contrato assinado…

    o que se tem sao essas informações mesmo… já li muito esse site do arena gremio, os caras sao bons… a questão é que so bomba as coisas lá depois que a impressa requenta a discussão.

    Seria tudo mais simples se alguem da nossa amadora direção pegasse ponto a ponto e apontasse no contrato a sua contestação.

    Mas daí a RBS não teria trabalho neh? e a ZH estaria na mesma crise que os diversos jornais internacionais como o Editor and Publisher que vai fechar depois de mais de 100 anos de operação.

  • 59. Diogo  |  14/12/2009 às 16:46

    58.

    Cara, o próprio Dr. Preis foi âncora de uma reunião, no dia 28\119, ABERTA aos torcedores.

    Toda e qualquer dúvida, poderia ser repassada diretamente a ele. Mas tudo bem, vamos supor que os torcedores não estavam preparados para fazer as perguntas certas, o que é compreensível, e essa discussão não vai acabar nunca.

    Então que se pontue o contrato, na letra fria, como você disse, e já está mais do que na hora de uma resposta firme da direção do Grêmio.

  • 60. Carlos  |  14/12/2009 às 16:47

    Duda Kroeff + Resposta firme = não encontrado.

  • 61. Jader Anderson  |  14/12/2009 às 16:48

    Exato…

    Imagina que tu iria tirar um financiamento do banco… e ao inves de falar com o gerente do banco… fala sei la, com o SEU ARISIO… que então repassa as duvidas, le o contrato e assina por ti…

    Altamente propenso a riscos…

  • 62. Jader Anderson  |  14/12/2009 às 16:49

    Altamente propenso a riscos… que sentença idiota…

    “Altamente propenso a erros…”

  • 63. Manuel Barbeiro  |  14/12/2009 às 17:39

    Dos estádios nas capitais escolhidas para a Copa, só a Arena da Baixada (concluída e com pequenas melhoras), o Mineirão (com muitas reformas), o Maracanã (com muitas reformas) e o Bezerrão Stadium (com alguns ajustes) têm condição de suportar uma Copa do Mundo. O resto tem que ser aterrado.

  • 64. Rudi  |  14/12/2009 às 17:42

    Bezerrão Stadium tem capacidade só pra 20 mi,. vai ser usado apenas pra treinos (sim, gastaram aquela fortuna pra isso…)

    tio arruda tinha um projeto (não sei se não vai melar agora) de fazer um novo mané garrincha, que, ao menos na maquete, era uma beleza de estádio

  • 65. rafael botafoguense  |  14/12/2009 às 17:52

    meu time tem o estádio mais moderno e tá prontin! ahahah

    abçs

    e quem vier falando de aluguel,prefeitura,concessão e os caralho é um viadinho saltitante das pradarias.

  • 66. Mateus  |  14/12/2009 às 18:06

    Engenhão tá tão pronto que não queriam deixar fazer um clássico lá, pois o estádio não tem condições de abrigar. E ele vai ser fechado pra reformas ano que vem, não vai? Sem contar que o gramado é a QUILOMETROS da arquibancada…

  • 67. Diogo  |  14/12/2009 às 18:06

    45 e 56.

    O assunto realmente meche com a rivalidade Grenal, mas sei que, apesar da flauta, vcs não são contra a Arena Gremista.
    De minha parte, sem hipocrisia, gostaria muito de ver o projeto do inter dar certo 100%, juntamente com a Arena.
    Seria excepcional para o futebol gaúcho.

    Além do mais, ninguém está livre de ter um filho, um sobrinho , ou um neto torcendo pelo rival, indo a jogos e desfrutando, ou não, do conforto e segurança que o clube possa oferecer.

    Por isso não gostei da CACALADA do inter em fazer flauta sobre sediar a Copa, com a camiseta ” A Copa é Nossa”.

    Bah, totalmente desnecessário, e rebaixa a questão ao nível passional, ofuscando os interesses e cifras astronômicas que envolvem ambos os projetos.

    E pelo que sei, o projeto do inter não anda tão bem das pernas assim, não.

    A idéia levantada aqui, de fazer um post sobre o assunto, poderia, sim, ser aproveitada, não só por gremistas e colorados, mas por todos, pois esse assunto diz respeito as condições de vários clubes e governantes no Brasil.

  • 68. rafael botafoguense  |  14/12/2009 às 18:18

    #66 condições de abrigar tem,tanto que teve clássico vovô,botafogo e vasco e botafogo e flamengo,isso ai foi só um ko que lançaram ano passado pro flamengo jogar no maraca,tanto que já teve clássico na ilha do governador com arquibancadas tubulares,aqui em jf,volta redonda e mil estádios piores que o engenhão.

    e acho que não vai fechar não,é o maraca que vai fechar…tem até aquela musiquinha…

    ihhhhhh copa do mundo vem aí…
    e o maraca vai fechar….
    a mulambada toda chora…
    não tem estádio pra jogar

    CADE O SEU? ..CADE O SEU?

    HAHAHAHAA

  • 69. Carlos  |  14/12/2009 às 19:16

    Meu deus…
    Isso é a mesma coisa q alugar um ap no Moinhos de vento, pagar 10.000 por mês e ficar se arriando num cara que COMPROU um em Petropolis…

    Rafael, sem nenhum sentido ficar botando banca com aquele estádio no meio da favela, com média de publico de 2.000 pessoas. Fora q a manutenção deve estar sendo porquissima.

  • 70. Sanchotene  |  14/12/2009 às 19:49

    Re 12

    Tempestade em copo d’água, Milton. Pura retórica para assustar sócio.

    O Hélio tem um apego sentimental ao Olímpico (o “Monumental” do nome se deu graças a ele). Isso pesa na opinião dele e de seus seguidores sobre o assunto.

    Tudo o que estão dizendo poderia acontecer com o Grêmio permanecendo na Azenha.

    O estádio novo é parte da solução; não, do problema.

    Sócio remido, sócio patrimonial, locatário de cadeira, esses podem perder suas CONCESSÕES a qualquer momento. E só temos o “jus esperniandi”, nada mais.

    A ÚNICA pendência é com quem detém parte das propriedades do clube, como donos de cadeiras e membros de um tal de “fundo social”. Não creio que isso seja suficiente para embargar a obra, no entanto; mas sabe-se lá como um juiz se comportaria!

    A OAS vai construir um estádio para o Grêmio, sem que o Grêmio coloque UM REAL em dinheiro na obra. A OAS vai construir um estádio para o Grêmio, sem que o Grêmio seja responsabilizado patrimonialmente por possíveis pendências ou problemas na obra. A OAS vai construir um estádio para o Grêmio, com o clube tendo a única obrigação de entregar o terreno da AZENHA (a Ilha e o Cristal seguem com o clube) somente com o estádio PRONTO, ou o negócio é desfeito. E querem que eles não tenham vantagens?!

    Por favor!!!

    Se o estádio sair (o que ainda não acredito), será ÓTIMO para o clube. E, no fim, é o que realmente interessa…

  • 71. Sanchotene  |  14/12/2009 às 19:54

    Re 67

    O estádio deveria ser ÚNICO. Haver dois estádios é simplesmente ridículo. Mas vai defender isso!

    Um conhecido meu, quando era conselheiro do Inter, chegou a defender isso numa reunião. Disse algo mais ou menos assim:

    Se os nossos custos com o estádio são mesmos esses, melhor fechar, vender e alugar o Olímpico! Aposto que os custos lá são parecidos, talvez, então, que se proponha eles virem para cá e dividimos a conta. Só não podemos continuar do jeito que está.

    Hoje, ele não é mais conselheiro…

  • 72. rafael botafoguense  |  14/12/2009 às 19:54

    nem acho.

    estádio hj em dia não se constrói,o botafogo se deu mto bem em ficar com o engenhão embora seja modinha critica-lo,o problema é saber explora-lo devidamente já que aqueles inúteis que lá habitam só fazem merda e não desnvolvem nada pro estádio,mas eu espero.

    destilem recalque.

  • 73. Luís Felipe  |  14/12/2009 às 19:55

    #54

    olha só: acho que o único desses problemas que o Beira-Rio não tem é de visualização do campo. Não existe setor aberto do Beira-Rio no qual não dê para visualizar o campo inteiro. Tanto que todas as notas sobre visualização no Beira-Rio foram máximas, seja qual for o avaliador.

    aprovo a idéia de um post do Diogo sobre a Arena.

  • 74. Sanchotene  |  14/12/2009 às 20:02

    A propósito, baita texto, Iuri!

  • 75. Carlos  |  14/12/2009 às 21:04

    Ou do SANCHO…seria uma boa, até pq esse assunto da arena é bem obscuro pra mim…

    Foda q onde rola grana, financiamento publico e coisas do tipo SEMPRE tem mutreta…

  • 76. zobaran  |  14/12/2009 às 21:05

    Iuri, persiste minha dúvida (do Alexandre N. também) já mencionada no #21.

    Esse treco do estádio do Grêmio merecia um post mesmo.

    Por último…estava lendo isso (http://www.interney.net/blogs/deprimeira/2009/12/14/nacionalquerido/) e senti falta de uma referência ao Impedimento. Agora todo mundo quer idolatrar o mítico site do Nacional Querido. Quem é assinante do Impedimento já sabia disso há milênios…

  • 77. Felipe (o catarina)  |  14/12/2009 às 21:37

    e sobre a participação Pincha no Mundial amanhã? Teremos algumas linhas?

  • 78. Felipe (o catarina)  |  14/12/2009 às 22:00

    Olé fez um pequeno artigo falando sobre a ausência dos “cinco grandes” na Libertadores pela primeira vez desde 1983. http://www.ole.clarin.com/notas/2009/11/23/futbollocal/02047095.html

    sei lá, nunca estive na Argentina e não sei o tamanho de suas torcidas, mas pelo cartel de títulos, acho que Estudiantes e Vélez fazem por merecer o rótulo de “grandes” também. Vá lá, o Estudiantes, pelo menos. Só três times no continente têm mais Libertadores que eles, não é? (Boca, Independiente e Peñarol)

  • 79. matheus  |  14/12/2009 às 22:27

    acho que o rótulo de grandes se refere à concentração populacional, e não à grandeza brutal do futebol sangrante, como é o caso pincharrata.

    a capital buenos aires e avellaneda provavelmente são os grandes centros urbanos da argentina..

  • 80. matheus  |  14/12/2009 às 22:29

    até porque, o san lorenzo é tipo um cerro porteño, assim. um corintia.

    hehe.

  • 81. Alexandre N.  |  15/12/2009 às 09:09

    #72

    É sério mesmo que você acha aquele estádio de merda bom Rafael? Nunca ví uma estrutura tão porca na minha vida. Muito mal localizado, nem o estádio do Vice (São Januário), que é velho pra caceta, é tão ruim quanto o Engenhão! Sem contar que aquela merda ainda está inacabada.

    Por que eu digo que é ruim? Em primeiro lugar, aquilo não oferece conforto nenhum para os idosos. As rampas de acesso para as arquibancadas superiores são muito íngremes. E quando você chega as arquibancadas superiores, precisa subir uma escadaria mais íngreme ainda. Tanto que, a maioria dos idosos que tem a idéia de ir assistir aos jogos na arquibancada superior, sempre param no meio do caminho pra descansar. E tem alguém pra avisar este tipo de coisa pra eles? Nerm nos mais tenros sonhos deles…

    Sem contar que eu neste estádio eu ví uma das coisas mais bizarras que a engenharia poderia fazer: acima de um dos túneis de acesso às arquibancadas, o espaço entre as cadeiras e o beiral do túnel é tão ínfimo que cabem somente crianças de seis anos (no máximo) sentadas normalmente alí.

    Ainda acredito que o Caio Martins seja muito melhor do que aquela porcaria.

  • 82. zobaran  |  15/12/2009 às 10:51

    Alexandre N.,

    Você acabou de citar algumas das “lendas do Engenhão”. O estádio é bom pra caralho, confortável, bonito e seguro, e o problema não é a localização (tem trem na porta!), é a falta de adequação das vias no entorno do estádio. O estádio poderia ser altamente viável, mas o Botafogo, infelizmente, ainda não conseguiu entender como. O meu único porém com o Engenhão (Ok, não é o único) é que ele foi feito sem tentar compreender a cultura de estádio brasileiros. Mas isso na verdade também não é bem assim. É um estádio olímpico, não foi feito para ser um estádio específico para futebol.

    De qualquer maneira, foi a melhor coisa que aconteceu para o Botafogo recentemente.

  • 83. Yuri  |  15/12/2009 às 12:45

    MELHOR TEXTO DA HISTÓRIA DO IMPEDIMENTO

  • 84. Alberto Poletti  |  15/12/2009 às 12:46

    MELHOR TEXTO DA HISTÓRIA DO IMPEDIMENTO

  • 85. Alberto Poletti  |  15/12/2009 às 12:47

    PARABÉNS SÓ TE DIGO ISSO

    TÃO BOM QUE NEM LI OS COMENTÁRIOS DE MERDA DE UM BANDO DE IGNORANTES QUE NÃO SABIA DESSE PERÍODO

    EU JÁ CONHECIA ESSE PERÍODO DO URUGUAY, INÍCIO DA DECADÊNCIA, MAS CHICOS A FESTEJAR COMO NUNCA DEPOIS DE DÉCADAS DE OPRESSÃO BIPARTIDÁRIA, MAS NUNCA TINHA VISTO COM TANTOS DETALHES

    PARABÉNS Y AGUANTE

  • 86. dante  |  15/12/2009 às 12:58

    “TÃO BOM QUE NEM LI OS COMENTÁRIOS DE MERDA DE UM BANDO DE IGNORANTES QUE NÃO SABIA DESSE PERÍODO”

    ui ui ui

    SABICHÃO

  • 87. Rudi  |  15/12/2009 às 13:34

    o gurizão criado a leite de pêra acha que trocando de nome ficará impune?

  • 88. Alberto Poletti  |  15/12/2009 às 14:05

    ESSA É A INTENÇÃO, MAIS DO QUE ISSO…

    … QUINTA-FEIRA DESCOBRIREI ALGO, SE ESTE ALGO CONFIRMAR-SE, TÃO FUDIDOS ETERNAMENTE (já estão parcialmente)

    ATÉ SEGUNDA, melhor dizendo, pois tenho afazares até dia 21, mas como gajo dedicado que sou, nada me impede de frequentar meu QG nesse fim de ano.

    ATÉ SEGUNDA DESCOBRIREI, QUIÇÁ QUINTA.

  • 89. Alberto Poletti  |  15/12/2009 às 14:10

    pode me ofender otário, meu negócio é maior, tô pouco lixando para pulgas feito você.

  • 90. Rudi  |  15/12/2009 às 14:10

    caras (impedicorp) o referido ali em cima é mais do que o suficiente pruma ocorrência policial… na boa

  • 91. Alberto Poletti  |  15/12/2009 às 14:21

    que medo é esse???? credo… calma aí. hahahahaha

    essa novela (pior exemplo) não acaba tão cedo, na moral…

  • 92. Alberto Poletti  |  15/12/2009 às 14:26

    o pior é que os caras se acharam espertos por descobrir um pseudônimo que eu mesmo já entreguei há dias… hahahaha, se eu quisesse enganar, pode apostar que faria beeeem melhor.

  • 93. guihoch  |  15/12/2009 às 14:46

    poletti claramente perdeu o emprego de ajudante de papai noel e descobriu impedimento neste meio tempo

    UNICA EXPLICAÇÃO POSSIVEL

    NOIA DE FINAL DE ANO SÃO AS PIORES

  • 94. dante  |  15/12/2009 às 15:25

    “poletti claramente perdeu o emprego de ajudante de papai noel e descobriu impedimento neste meio tempo” [2]

    VOLTA GUIHOCH

  • 95. Júnior Martins  |  16/12/2009 às 22:26

    Post monstro!

    Não é sempre que escrevem besteiras por aqui…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Subscribe to the comments via RSS Feed


Especial – Libertadores 2011

A bola da ImpedCopa

Toco e me voy

  • @igorbiscaia Só temos a confirmação que será em solo nacional, nos Estados Unidos do Brasil. 11 hours ago
  • @HenriqueKonig Quadrangular será disputado nos dois maiores estádios da cidade, São Januário e Laranjeiras. 11 hours ago
  • Temer discursará na abertura do quadrangular entre Brasil, União Soviética, Zaire e Iugoslávia, na capital do país, o Rio de Janeiro. 11 hours ago
  • RT @facury9: @impedimento (se o campoenato termina antes de começar ele seria campeão) 12 hours ago
  • Uma estatística realmente inútil? Se o Atlético-GO cair, será o 2º ano seguido que o LÍDER DA ORDEM ALFABÉTICA antes de começar é rebaixado. 12 hours ago

Feeds

web tracker

%d blogueiros gostam disto: