Vencidos pelo feijão-com-arroz do Goiás

28/09/2009 at 16:31 46 comentários

O Goiás é um time muito chato. E não é porque incomoda os outros times ou, pelo menos, não só por isso. É porque tem apenas um jeito de jogar e não muda de jeito nenhum. Passam 90 minutos fazendo sempre a mesma coisa. São de uma previsibilidade gritante e, ainda assim, te ganha. Não sabem fazer muito; mas o que sabem, fazem muito bem.

O esquema do time é simples. Hélio dos Anjos, aquele mesmo, do inolvidável Grêmio de 1997, montou a equipe num 3-2-3-2: uma linha de três zagueiros, para enfrentar a dupla de ataque adversária; à frente deles, dois cabeças-de-área marcadores, que só avançam muito de vez em quando, responsáveis pela proteção da zaga e bloqueio das ações dos meias; dois alas bem abertos cuja principal função é fazer a bola chegar à linha de fundo, quase como ponteiros das antigas; um meia (ou articulador, armador, enganche; como queira-se); e dois atacantes. De fato, esse trio final – de meia e atacantes – é que te mata.

Especificamente, no jogo contra o Grêmio, o trio foi formado com três jogadores conhecidos em Porto Alegre: Leo Lima, Iarley e Fernandão. Hélio sacrificou o artilheiro do time, Felipe, para manter o esquema de jogo com Fernandão em campo. As funções eram bem definidas: Iarley era o atacante mais agudo, com liberdade para cair para as pontas e tabelar com os alas; Leo Lima jogava na “10”, mas podia aproveitar-se da altura e chegar de trás para aparecer como centroavante (assim foi o gol de empate); e Fernandão fazia o oposto, alternando entre a centroavância e o papel de segundo meia (nada diferente do que fazia no Internacional). Essa intensa movimentação é difícil de anular, e o menor descuido é suficiente para causar estragos. Com a entrada de Felipe no lugar do Fernandão, o esquema continua o mesmo, modificando apenas as funções. Como o artilheiro é um “9” fixo, Iarley exerce mais o papel que era do ex-capitão colorado.

Já Autuori colocou o Grêmio em campo no 4-4-2. Na defesa, o Grêmio jogou com 4 zagueiros, com os laterais fixos na linha. No meio, para compensar o jogador a menos no setor, o treinador gremista lançou duas “armas”: primeiro, uma variação do quadrado, já que os dois meias – Souza e Tcheco – também caiam nas alas, e os cabeças-de-área chegavam à frente; segundo, o recuo do Jonas, fechando como meia-atacante. Assim, durante muito tempo, Máxi ficou sozinho enfrentando os três defensores esmeraldinos. Em compensação, havia três jogadores gremistas para dois goianos à frente da área goiana. Não foi por acaso, portanto, que gol tricolor saiu de uma tabela entre Jonas e Souza, em que o atacante é quem lançou o meia por trás da defesa adversária. A jogada foi tão boa e tão bem executada, tanto que os jogadores do Goiás ficaram perdidos, que espanta o fato de ter sido utilizada apenas essa vez.

Durante boa parte do jogo, parecia que o antídoto armado por Autuori funcionara. Entretanto, o time foi desmoronando aos poucos e nem as substituições foram capazes de fazer o time voltar a jogar, principalmente após a virada. O problema foi perfeitamente identificável. Fracas atuações individuais de alguns jogadores minaram o jogo coletivo, e quando o Goiás tornou-se senhor da partida, ficou muito difícil para o Grêmio dar o troco; muito mais pela competência do agora vice-líder do campeonato que qualquer outra coisa. A atuação de Thiego beirou o sofrível (com participação em ambos os gols do Goiás), Adílson esteve muito aquém de outros jogos, e Rochemback justificou plenamente o porquê de ter sido dispensado pelo Sporting, não só estragando todas as jogadas em que a bola tocou em seu pé, como perdendo praticamente qualquer disputa contra Leo Lima.

A vitória do Goiás foi merecida pelo fato do time ter executado quase perfeitamente o feijão-com-arroz planejado pelo Hélio dos Anjos. Além disso, a experiência do time torna quase impossível ao adversário remontar a partida quando os goianos assumem o controle. Já a derrota gremista, a nona em 13 partidas fora de casa, passou pelas falhas individuais que minaram a atuação do time; atuação essa que iniciara promissora. As críticas ao preparo físico do time são infundadas; não faltaram as pernas que sempre sobram quando o time jogou no Olímpico. Tampouco o time perdeu a cabeça, como em diversas outras partidas fora de casa. Desta vez, a derrota deu-se exclusivamente na bola.

Com o resultado, o sonho do título segue vivo para o Goiás, apesar da incapacidade do Murici de perder pontos, mesmo que jogue sempre no limite do tropeço. Contudo, pela maneira como atua, a Libertadores em 2010 aparenta ser praticamente certa. Já ao Grêmio, apesar da busca por uma vaga na “Mais Linda” seguir em aberto, todos os sinais apontam para uma classificação na Sul-Americana. A briga parece ser, mesmo, pelo sexto lugar.

Saudações imortais,
Paulo Roberto Tellechea Sanchotene

Anúncios

Entry filed under: Brasileiro, Contribuições.

Enfim, um favorito Ouro e nó

46 Comentários Add your own

  • 1. Anônimo  |  28/09/2009 às 17:18

    1!

  • 2. Anônimo  |  28/09/2009 às 17:18

    1°!!!!!

  • 3. rafael botafoguense  |  28/09/2009 às 17:22

    seria lindo o fogão estuprar esse time sem torcida,história,idolos e titulos…porra esculachei.

  • 4. dante  |  28/09/2009 às 17:22

    esse esquema de jogo do goiás [3-2-3-2] é o meu preferido.

    no inter, seria:

    – uma linha de três zagueiros, para enfrentar a dupla de ataque adversária [3 entre esses 4: bolívar, sorondo, eller ou índio].

    – à frente deles, dois cabeças-de-área marcadores, que só avançam muito de vez em quando, responsáveis pela proteção da zaga e bloqueio das ações dos meias [guiñazu e sandro].

    – dois alas bem abertos cuja principal função é fazer a bola chegar à linha de fundo, quase como ponteiros das antigas [quer emagrecer? pergunte-me como].

    – um meia (ou articulador, armador, enganche; como queira-se) [d’alessandro ou andrezinho].

    – e dois atacantes [taison e NILMAR. lksjfklasfjl]

  • 5. Anônimo  |  28/09/2009 às 17:22

    3º!

  • 6. Daniel Cassol  |  28/09/2009 às 17:24

    No Inter, meu esquema favorito é qualquer um, desde que sem o Tite no reservado.

  • 7. rafael botafoguense  |  28/09/2009 às 17:30

    #5 hahah se fudeu.

  • 8. Francisco Luz  |  28/09/2009 às 17:36

    Daniel Cassol | 28/09/2009 at 17:24

    No Inter, meu esquema favorito é qualquer um, desde que sem o Tite no reservado.

    2.

  • 9. Prestes  |  28/09/2009 às 17:55

    Tu usaste o termo feijão-com-arroz por que fazem sempre a mesma coisa. Ok.

    Mas é também um esquema pouco comum, que agora vem começando a ganhar adeptos, no que diz respeito ao uso de três meias onde dois são ponteiros, com um meia “clássico” jogando mais centralizado.

    Especialmente pelo sucesso do esquema do Mano Menezes com Jorge Henrique, Dentinho e Douglas.

    Me agrada bastante esse esquema e eu não entendo por que o Tite nunca o utilizou, aliás entendo sim (porque é o Tite).

  • 10. arbo  |  28/09/2009 às 17:56

    aguante desdicho impedimentoso!
    aguante sacho!

  • 11. Diogo  |  28/09/2009 às 18:03

    Parabéns: vamos assumir que perdemos na bola, ao invés de colocar a culpa no preparo físico, no juiz ou no vento. Até porque o Goiás está com um ótimo time, não devendo em nada para Grêmio e inter, mesmo no quesito elenco.

    Seria ótimo ver o Goiás campeão brasileiro, para felicidade geral da galera dos pontos corridos e da torcida “o são paulo não vai levar essa não”.

    Pena que já estou vendo mandos de campo serem surrupiados e gols irregulares validados, se necessário, em prol dos BANDEIRANTES LADRÔES DE ESMERALDAS (Ernesto).

  • 12. Prestes  |  28/09/2009 às 18:07

    Se o Inter perdesse esse título pro Goiás eu não ficaria tão sentido. O mesmo vale para o Galo.

    O Palmeiras vencer só não é pior que ganhar Grêmio, SP e Corinthians.

  • 13. Prestes  |  28/09/2009 às 18:09

    O Grêmio na real, se eu não fosse colorado, não iria ficar de cara.

    Foda pra todo mundo é nessa ordem:

    1) Ganhar o SP de novo;

    2) Ganhar time paulista de novo.

  • 14. Junior  |  28/09/2009 às 18:09

    O Tite só não caiu ainda porque é protegido pela imprensa bovina. Teve uma besta que disse que o Tite não tem culpa de nada porque houve um desmanche no time. O Inter perdeu UM jogador titular (Nilmar) e um reserva (Magrão) e trouxe um zagueiro titular (Eller) nessa janela de agosto. Daí tu olha o Corinthians (que perdeu 3 titulares, André Santos, Cristian e Douglas) jogar contra o SP e percebe que o Mano Menezes já conseguiu rearrumar o time, enquanto o Pastor mesmo há um ano e meio no cargo, nem esquema definiu, muito menos um time titular. Qualquer outro treinador seria criticado duramente, mas o Pastor é absolvido sempre.

  • 15. André Baibich  |  28/09/2009 às 18:14

    Hmmm…vejo o Goiás um pouco diferente…

    O Fernandão geralmente joga como meia ao lado do Léo Lima, com o Iarley sozinho de centroavante…

    Inclusive o Hélio dos Anjos disse na coletiva de ontem que deixou o Felipe no banco porque “não podia jogar com dois atacantes e perder o meio-campo para o Grêmio”

  • 16. Yuri-cavaleiro em chamas  |  28/09/2009 às 18:14

    Se o Goiás ganhar, fica pontos corridos por mais 50 anos.

    Daí, todo mundo velhinho: “Porra, só ganham sempre os mesmos!!!”

    Daí o outro velho: “Que nada, lembra em 2009?? O Goiás foi campeão… é, o túmulo do Iarley até hoje tá de verde… com planejamento dá prá ganhar.”

    Hahahaha… se bem que se é o Flamengo com 30 anos de fila, os caras fazem mata-mata com um jogo só, e no Maracanã. Com Leonardo Gaciba apitando.

  • 17. Prestes  |  28/09/2009 às 18:15

    Embora eu não concorde com quem defende o Tite, não mais, o Magrão faz uma puta diferença, Junior.

    O Magrão era um dos 14, 15 titulares do time. Danilo Silva, Andrézinho, Sorondo são todos titulares. Não tem onze. Tu não vai encontrar onze caras que jogaram muito mais que os outros. O Andrézinho, por exemplo, acho que é o segundo, ou terceiro jogador que mais atuou na temporada, mas quando está todo mundo à disposição muitas vezes ele foi “reserva”.

    Sem o Magrão, ou Glaydson ou Maicon vão começar a jogar direto.

  • 18. rafael botafoguense  |  28/09/2009 às 18:17

    ”Hahahaha… se bem que se é o Flamengo com 30 anos de fila, os caras fazem mata-mata com um jogo só, e no Maracanã. Com Leonardo Gaciba apitando.”

    gaciba não,marcelo de lima henrique com hilton moutinho bandeirando e djalma beltrame como quarto arbitro.

  • 19. João Arruda  |  28/09/2009 às 18:27

    Como esse Rafael Botafoguense é débil mental. Parece que tem 7 anos. Que coisa…

  • 20. rafael botafoguense  |  28/09/2009 às 18:34

    hahah se foder flamenguista

  • 21. Sanchotene  |  28/09/2009 às 18:43

    Re 15

    É questão de ver qual ação foi predominante, mas a linha é tênue. Eu escrevi: “… Fernandão fazia o oposto, alternando entre a centroavância e o papel de segundo meia (nada diferente do que fazia no Internacional).

    Um abraço.

  • 22. Junior  |  28/09/2009 às 18:43

    Prestes, o Inter não será campeão ou não por causa do Magrão. Ele ficou o último mês encostado, sem fazer falta. O time se acertou com Sandro, Guiñazu, Giuliano e D’Alessandro/Andrezinho. Surpreendentemente, jogou muito contra o Avaí, mas contra o Cruzeiro voltou ao normal. Considero que ele é um jogador na descendente. O Maycon é abominável, mas o atual Magrão não é tão superior ao Glaydson.

  • 23. Sanchotene  |  28/09/2009 às 18:44

    Re 10

    Confesso que não entendi o Arbo…

  • 24. arbo  |  28/09/2009 às 18:53

    sancho, belo texto. e q como PLUSAMAIS, siga a senda de derrotas das IMpredições [A briga parece ser, mesmo, pelo sexto lugar.]

  • 25. arbo  |  28/09/2009 às 18:54

    “e q [VÍRGULA]… “

  • 26. Sanchotene  |  28/09/2009 às 19:03

    Re 9

    O Mano usa esse esquema não é de hoje, mas ele prefere o 4-2-3-1; como no Grêmio de Tcheco, Leo Lima e Hugo…

  • 27. Prestes  |  28/09/2009 às 19:03

    “mas o atual Magrão não é tão superior ao Glaydson.”

    QUÊEEEEEEE??????

  • 28. Diogo  |  28/09/2009 às 19:03

    24 e 25.

    Algum farmacêutico para traduzir??

  • 29. Prestes  |  28/09/2009 às 19:04

    “O Mano usa esse esquema não é de hoje, mas ele prefere o 4-2-3-1”

    Sim, foi com esse que ele ganhou a Copa do Brasil. Me referia aos três meias ofensivos, dois ponteiros de velocidade e um centralizado.

  • 30. Sanchotene  |  28/09/2009 às 19:06

    Re 9 [2]

    Tite usou esquema semelhante com sucesso no Grêmio de 2001 (o último grande trabalho dele), com A. Lima, Zinho, Gilberto, Marcelinho e Warley (L. Mário).

  • 31. Junior  |  28/09/2009 às 19:07

    Nos últimos 2, 3 meses, o Magrão jogou bem duas partidas, a partida contra o Avaí e a anterior. Nos outros jogou mal, tanto que foi para a reserva sem ninguém lamentar.

  • 32. Sanchotene  |  28/09/2009 às 19:08

    Compl. 30

    Gilberto, não; Rubens Cardoso!

  • 33. Rudi  |  28/09/2009 às 19:16

    Glaydson nao eh taaaaaao ruim assim, se perde pros titulares, ganha facil de maycon

  • 34. Prestes  |  28/09/2009 às 19:16

    E o Glaydson??

  • 35. Junior  |  28/09/2009 às 19:19

    Concordo com o Rudi.

  • 36. dante  |  28/09/2009 às 21:23

    pensando bem, se derem uma sequência de jogos pra algum desses 2 [glaydson e maicon], é capaz de sair ALGO – nem que seja uma breve enganação + boa venda.

    adsakufg09sdugf

  • 37. Roger  |  28/09/2009 às 22:28

    Dante pensando em faturar $$ pro time do coração, ou seja, já pode ser dirigente…

  • 38. Lourenço  |  28/09/2009 às 22:41

    http://www.clicrbs.com.br/especial/rs/dsm/19,0,2668181,Maycon-admite-que-disputa-posicao-com-Glaydson.html

    A culpa é do Tite, não sei como ele não leva o melhor grupo do Brasil ao título.

  • 39. Frank  |  28/09/2009 às 23:57

    Realmente, o Grêmio não vai passar do 6º… Bela análise Sancho…
    Aliás, para mim faz tempo que o Grêmio vem perdendo sucessivamente na bola fora de casa… não temos time para almejar muito mais do que o que temos conseguido… só estamos em 6º por causa da campanha em casa, e acredito que essa se deve a uma superação dos limites visíveis do elenco…
    Não consigo ver como podemos jogar muito bem em alguns jogos em casa, e apresentar um arremedo desse futebol na maioria dos jogos fora… ou é uma questão psicológica, e daí eu não concordo muito, ou é uma questão de postura do time, pois podemos ver como os limites desses jogadores se manifestam reiteradamente fora do Olímpico, em que a obrigação da vitória não é tão determinante para a forma como o time deve jogar…

  • 40. dante  |  29/09/2009 às 08:57

    “Dante pensando em faturar $$ pro time do coração, ou seja, já pode ser dirigente”

    não, cara.

    pensando em me livrar das CHAGAS.

  • 41. Evanderson  |  29/09/2009 às 09:37

    que bela análise.

  • 42. Carlos  |  29/09/2009 às 09:41

    Vou fazer uma previsão temerária:

    Acho q o grêmio chega na liber.

    Os outros times são tão lamentáveis que pode ser q role.

  • 43. Luís Felipe  |  29/09/2009 às 10:41

    só falam em melhor grupo do Brasil aqueles que:

    1. estão a fim de atacar a idéia de melhor grupo do Brasil
    2. estão a fim de debochar.

    mas ainda assim, se repete essa bobagem “ah, mas vocês não achavam que era o melhor grupo…” não, ninguém achava. Só que a mentira se repetiu e continua se repetindo.

  • 44. Jocir  |  29/09/2009 às 11:53

    que blog pé frio, quando o time perde saem os melhores textos, por favor mudem de estado deixem o RS sonhar!

  • 45. arbo  |  29/09/2009 às 13:54

    nada a ver, LF [43].
    eu falo sério qdo digo melhor gurpo do brasil. pega o lauro. não deixa a desejar. vai pro lateral direito: não há melhores no brasil. zagueiros – o inter tbm está bem servido. vai pro meio. dois tinham q ta na seleção argentina, o sandro acaba de voltar da amarelinha. ataque até uns dias tinha o nilmar. e, se não formos mto longe, tinha pato e, pq não dizer, afinal isto tudo aqui é uma baita tiração de sarro, os meninos diego e diogo.
    hauhauhauhauhauha

  • 46. dante  |  29/09/2009 às 13:58

    “vai pro lateral direito: não há melhores no brasil”

    ainda bem que acabou em “diego e diogo”, senão eu ia enfartar.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Subscribe to the comments via RSS Feed


Especial – Libertadores 2011

A bola da ImpedCopa

Toco e me voy

  • Tradição será interrompida abruptamente ano que vem porque na Série C os grupos são regionalizados e, se o Santa ca… twitter.com/i/web/status/9… 7 hours ago
  • Santa Cruz criando uma tradição anual de golear um time gaúcho depois de ser rebaixado. Ano passado, 5x1 no Grêmio. Agora, 5x1 no Juventude. 7 hours ago
  • @Kiromba No caso, o Ipatinga era o lanterna e foi o primeiro rebaixado. 1 day ago
  • @Kiromba 2008. Naquele ano, o Ipatinga só confirmou matematicamente a queda na 37ª rodada. 1 day ago
  • Vence o Avaí e a disputa mais quente contra o Z4 agora tem quatro times COLADOS na luta por um lugar fora do buraco… twitter.com/i/web/status/9… 1 day ago

Feeds

web tracker

%d blogueiros gostam disto: