Manual para voltar ao estádio

14/09/2009 at 14:00 59 comentários

Para voltar ao Beira-Rio depois de umas nem tão breves semanas, algumas medidas são aconselháveis. É preciso acordar por volta das dez e meia da manhã, acender um cigarro e sair para comprar um vazio bem GORDINHO. Depois, é de suma importância jogar sal na carne, colocá-la no fogo e abrir uma lata de cerveja, que é para ajudar a vida em sua fluidez e também para arremessar algum brilho contra a manhã nublada de Porto Alegre.

Apenas neste ponto, e isto é muito importante, é imprescindível lembrar-se de que existe um jogo.  Então, a gente pensa nas semanas que ficou APARTADO do estádio e das lides futebolísticas, em como é desgastante depender de radinhos, Roja Directa e outras fontes de VODU. Após castigar os caninos na PEÇA de carne e em sua infalível e ORGÁSMICA manta de gordura, é preciso sentar no sofá, jogar os pés para cima e olhar para o teto. Um homem de luzes é capaz de ver muitas coisas em um simples teto de alvenaria. Infelizmente, não é o meu caso, e só faço isso para auxiliar minha CARCAÇA na difícil missão de digerir quantidades desaconselháveis de carne.

Na saída de casa, é importante parar no mercadinho, comprar uma lata daquelas GRAÚDAS, fazer uma piadinha com o cara do caixa e sair fumando e escutando Guitar Man ao longo das ruas de calçamento com seus mendigos incansáveis. Uma corridinha até o ônibus também não é de todo mal. Tente não segurar o bolso da camisa para que as mocinhas que estão chupando Chicabon não percebam que tu é um dinossauro nascido na década de 70.

Sentar-se com o volume do MP3 a todo vapor, ignorando toda a balela do COLETIVO, também é ASSAZ interessante, bem como gritar para o motorista “VAMO LOGO QUE EU QUERO MIJAR”. Depois, é hora de olhar para o céu nublado e ter vontade de enfiar o dedo naquela NESGA de claridade para deixar passar um ocasional feixe sagrado de luz.

Antes de descer do ônibus – sozinho, como fazem pessoas de índole incorruptível, é aconselhável olhar aquela loirinha sentada ao lado do cara de rastafari e ter vontade de ameaçá-lo e dizer que a trate bem, aquele ordinário. Pisar com força no barro, olhar com desconfiança para os brigadianos e aspirar o cheiro do esgoto também é imprescindível.

Sentir a bexiga estourando e, mesmo assim, parar num boteco para cometer o último crime, sacando teus pilas e trocando pelo INVÓLUCRO abençoado, é tarefa extremamente oportuna. Então, é hora de abaixar o som do rádio e dar ouvidos ao burburinho deaqueles que nunca se cansam de cantar sua euforia – uns lunáticos, como toda espécie de torcedor. A ladainha do entorno é mais importante que o futebol propriamente dito.

Mas, acima de tudo isto, uma coisa não pode faltar: é fundamental estar usando óculos escuros.

Porque, na hora em que se entra no Beira-Rio, eles devem ser sacados com a perícia de um BUTCH CASSIDY forjado na banda meridional. Tal manobra, rápida e fulminante, permite que o vermelho e o branco fuzilem nosso CEREBELO com a potência de uma OGIVA, as cores massageando nossas retinas com o esmero de mãos TAILANDESAS.

Então, depois de seguir todos esses passos de forma disciplinada, tu pode te largar em um canto qualquer do concreto e esnobar o que aqueles vinte e dois pobres de espírito estão fazendo no campo. Pode te abandonar e agradecer aos céus por ter azeitado o fígado e a mente com as dezenas de laranjinhas e estar vendo apenas borrões vermelhos peregrinarem pelo gramado.

Pode até nem te irritar pelo fato de que teu time está entregue a um espião rival, oferecendo o campeonato de bandeja ao primeiro guaipeca faminto que aparecer.

Até porque ele um dia vai morrer, e tu e eu também, mas o Beira-Rio sempre vai estar ali, esperando para ser celebrado por futuras hordas de vagabundos iluminados.

Saudações,
Douglas Ceconello.

Anúncios

Entry filed under: Clubes, Colunas.

Estádio Olímpico dos Aflitos Guardiã de glórias

59 Comentários Add your own

  • 1. Francisco Luz  |  14/09/2009 às 14:42

    É o sétimo texto do Douglas que eu escolho para colocar na minha LÁPIDE. Vai sair mais cara do que o enterro.

  • 2. Fernando Cesarotti  |  14/09/2009 às 14:48

    Sensacional o texto, dá até vontade de mandar à merda de tão bom.

    Vá à merda, Douglas… (rs)

  • 3. Sanchotene  |  14/09/2009 às 14:55

    Os textos do Douglas só me fazem secar o Colorado com mais intensidade…

  • 4. Lorenz  |  14/09/2009 às 14:55

    “Pode te abandonar e agradecer aos céus por ter azeitado o fígado e a mente com as dezenas de laranjinhas e estar vendo apenas borrões vermelhos peregrinarem pelo gramado.

    Pode até nem te irritar pelo fato de que teu time está entregue a um espião rival, oferecendo o campeonato de bandeja ao primeiro guaipeca faminto que aparecer.”
    kajsljklgk, bom texto…

    E esse “futuras ordas” acho que se escreve HORDAS. Ou não, sei lá.

  • 5. arbo  |  14/09/2009 às 14:59

    hauhauha, mto bom, douglas

  • 6. Prestes  |  14/09/2009 às 15:28

    huhasuhdasduhasuhduhduhsdhuhuhuhdsuhuhd

    FANTÁSTICO!!

  • 7. Diogo  |  14/09/2009 às 15:30

    Um dia ainda vou na ImpedFest só para pegar um autógrafo desses caras.

    Vão se foder.

    Hshauhsuah.

  • 8. dante  |  14/09/2009 às 15:33

    verdade: HORDAS.

    de resto, MORRA, SUELLEN.

    [mas, antes, escreva mais um pouco. salkjf]

  • 9. Renan Alfaia  |  14/09/2009 às 15:36

    #3
    Desde que eu conheci o Impedimento, eu passei a SECAR incessantemente o Inter.

    Afinal, ver o Ceconello escrever isso: “Pode até nem te irritar pelo fato de que teu time está entregue a um espião rival” é de matar de rir.

  • 10. mardruck  |  14/09/2009 às 15:36

    Maior POETA vivo.

  • 11. Frank  |  14/09/2009 às 15:42

    #7

    Pior que eu também!

    Valeu Ceconello, ótimo texto para melhorar o meu humor numa tarde de segunda…

  • 12. Lucas Cavalheiro  |  14/09/2009 às 15:55

    Por textos como esse que eu passei a frequentar diariamente essa bodega.

    Um homem de luzes é capaz de ver muitas coisas em um simples teto de alvenaria. Infelizmente, não é o meu caso, e só faço isso para auxiliar minha CARCAÇA na difícil missão de digerir quantidades desaconselháveis de carne.

    Auehaueahe… imprescindível!

    Uma corridinha até o ônibus também não é de todo mal. Tente não segurar o bolso da camisa para que as mocinhas que estão chupando Chicabon não percebam que tu é um dinossauro nascido na década de 70.

    Perdi fatalmente. O meu piquezinho da Lima até a perimetral pra não perder o busão é sempre captado pelas FOFOLETES ali presentes, sempre ao som das chaves e moedas.

    bem como gritar para o motorista “VAMO LOGO QUE EU QUERO MIJAR”.

    Por cenas como essa que às vezes eu fico pensando: o futebol é ducaralho.

    E é melhor parar por aqui, porque eu vou quotar o texto inteiro.

  • 13. Eduardo  |  14/09/2009 às 16:31

    Muito Massa.
    Livro do Douglas já.

  • 14. Frank  |  14/09/2009 às 16:55

    #13

    Falando sério: é muito complicado negociar com uma editora um livro de CRÔNICAS futebolísticas?
    Cara, se eu tivesse uma editora, eu bancava facinho um livro das crônicas impedimentenses…

  • 15. douglasceconello  |  14/09/2009 às 17:01

    Bah, só um erro de digitação para cada VINTE E OITO cevas. Até que a média está boa.

    sudhsdusdhdsu

    Valeu pelas considerações, BUGRADA.

  • 16. beretta  |  14/09/2009 às 17:07

    akekalçkaleçkçalkeçakaçe

    Ceconello VIVE!!

    Maior poeta/cronista/cachaceiro/zagueirocarniceiro vivo!!!

  • 17. EGS  |  14/09/2009 às 17:21

    DOUGLAS VIVE (ns).

  • 18. Junior  |  14/09/2009 às 17:24

    “Porque, na hora em que se entra no Beira-Rio, eles devem ser sacados com a perícia de um BUTCH CASSIDY forjado na banda meridional. Tal manobra, rápida e fulminante, permite que o vermelho e o branco fuzilem nosso CEREBELO com a potência de uma OGIVA, as cores massageando nossas retinas com o esmero de mãos TAILANDESAS.”

    Verdade absoluta. É sempre emocionante entrar no túnel das arquibancadas do Beira-Rio, dar alguns passos e ver as arquibancadas tomadas de vermelho.

  • 19. fino  |  14/09/2009 às 17:30

    é bem palhoso esse douglas ceconello

  • 20. almilano  |  14/09/2009 às 17:33

    haahuahuahuahuah

    Bah, entregada básica ontem, de gremista pra gremista, de Tite para Gilberto, que coisa.

    Sorte que não pude ir ao jogo pois estava enganando uns ordinários numa proa de ORDEM por aí, e saí após as 18h.

    Mas ó, vi os lances depois, e tivemos um penalti nao marcado no Taison, infelizmente. E o gol de cabeça do Gilberto impedido.

    Arbitragem brasileira, quanto (des)nível…

    Por fim, Guina irreconhecível, como quase todo o time.

  • 21. almilano  |  14/09/2009 às 17:34

    e putz, esqueci o mais importante, o texto é simplesmente uma OBRA cara, mel dels, sensacional!!!

  • 22. Rudi  |  14/09/2009 às 17:46

    almilano, o guina esteve irreconhecível, mas ele ainda tá no crédito… acho palha galerinha (sei q não é teu caso, ok?) que fica jogando o peso da derrota naquela entregada dele… sem considera quantos jogos ganhamos nos seus desarmes

  • 23. Tiago Medina  |  14/09/2009 às 17:50

    Muito afudê!

  • 24. caco  |  14/09/2009 às 18:04

    guitar man também é du caralho, na versão do Bread e nessa nova aí…

  • 25. Alexsander  |  14/09/2009 às 18:20

    DETESTO jogos considerados “importantes” onde os torcedores modinha e os corneteiros resolvem comparecer em peso só pra ENCHER O SACO. Além de não apoiar o time, estes chatos ficam batendo boca com quem quer torcer. Domingo tinha um trio na fileira de trás que passou o jogo todo reclamando… e nos gols do INTER eles ficavam quietos. Passavam mais tempo falando de seus carros importados e outras babaquices de novos-ricos do que torcendo. Não cantaram NENHUMA música mas vaiaram o time no final.

    Na descida da rampa ouvi um desses dizendo: “Que azar, é o segundo jogo que venho, a segunda derrota. Vim contra o Corinthians e agora contra o Cruzeiro”. Sério, me deu vontade de gritar “BEM-FEITO, PÉ-FRIO FILHO DE UMA PUTA”. Se o torcedor não vai ao estádio porque não tem grana, porque trabalha na hora do jogo ou algo do gênero, tudo bem. Se não vai porque acha que o time vai perder, porque tem medo do frio ou porque vai ser o time reserva, não merece respeito.

    Tem que valorizar quem estava naquele jogo do time reserva contra o Avaí, num domingo à noite, com chuva e frio de renguear o cusco. Esse sim é o torcedor de fé, lugar de torcedor modinha e de corneteiro é em frente ao sofá assistindo pelo Pay-Per-View.

  • 26. Mateus  |  14/09/2009 às 18:25

    Tirando o exagero do Alexsander, eu fico puto que, depois de ir no Olímpico em quase todos os jogos do brasileirão e do gauchão, ter que chegar as 3 da tarde pro jogo das 22h da libertadores ou não conseguir nem entrar no estádio…

  • 27. Alexsander  |  14/09/2009 às 18:26

    PS: Não me refiro ao Douglas, naturalmente. Apenas tinha que desabafar: sempre nestes jogos LOTADOS é que os corneteiros chatos aparecem. Por exemplo: na Copa do Brasil deste ano, os corneteiros não foram no jogo contra o União Rondonópolis… foram apenas na final. Com isso deixaram de fora muito torcedor de fé que apoiou durante toda a campanha.

  • 28. Ernesto  |  14/09/2009 às 18:46

    Tá, mas e os corneteiros que tavam naquele do Avaí – meu caso. Ou naquele do Sao Paulo, 2 a 2, a cabeça do Tite quase sendo entregue ao carrasco. Ou naquele do Sport, público lamentavel tambem ?

    Esses corneteiros não tem direitos ? Do que adianta ficar só cantando, cantando, cantando, e vendo, POR UM ANO INTEIRO, um ZAGUEIRO IMPROVISADO NA LATERAL.

    Embora esse zagueiro improvisado não comprometa, é um zagueiro, não é um lateral. Mas, na minha visão, ontem nao foi algo trágico, jogo pegado, jogo igual. Definido no detalhe.

  • 29. fino  |  14/09/2009 às 18:59

    pedala dimonha!

  • 30. Prestes  |  14/09/2009 às 19:18

    Cara, o mais irritante do Beira-Rio agora é aquela porra de telão.

    O Inter tomando um balaio, aí filmam uns caras na torcida e os abobado dão tchauzinho, ficam todos DENGOSOS. Dá vontade de pegar uma metralhadora e fuzilar.

  • 31. rafael botafoguense  |  14/09/2009 às 19:43

    hahahaaha caralho o que colocam na carne deste cidadão

    BOTAFOGO NA CRUSIUS!

  • 32. André  |  14/09/2009 às 19:46

    Eu apóio fortemente um livro de crônicas do Impedimento. Vcs escrevem pra caralho e tem que tirar dinheiro dos leitores o quanto antes.

    Eu não vi o jogo porque estava tendo aula, mas sempre que eu não me concentro na partida o Inter perde. É uma punição pelo meu desleixo.

  • 33. fino  |  14/09/2009 às 19:56

    Li só agora de verdade. Bem legal teu texto, douglinhas…

    Mas essa estória de busum, lajotas das calçadas, mendigos e mp3 player já ta ficando meio repetitiva.

    Pensando bem, não curti.

    ajasfjdopasfdkasfdopkasfdkopasfdjkasfdjklasfdjklçasfd

  • 35. fino  |  14/09/2009 às 20:01

    bah mito eu vi essa sequencia de fotos mais cedo…

    muito sensancional, pior é a cara de safado do senhor à direita.

  • 36. rafael botafoguense  |  14/09/2009 às 20:10

    pior eh ela vibrando querendo mostrar raça gaucha,lamentavel.

  • 37. Lucas Cavalheiro  |  14/09/2009 às 20:14

    Faço minhas as palavras do Alex.

    Domingo havia 3 cornetas na minha volta. Só abriam a boca pra reclamar. Eu sou um corneta eventual, reclamei do Tite quando chamou o Glaydson, por exemplo.

    Mas tem loco que vai SÓ pra reclamar. Estraga o jogo do cara.

  • 38. Paul  |  14/09/2009 às 20:29

    Na hora de voltar prá casa, por pura coincidência acabei no mesmo COLETIVO que o Ccecconnello. Perguntei lá do fundão:

    “O que tu vai escrever amanhã sobre esse teu time RAPÁ?”, já imaginando um texto destilando ódio ao Tite e suas ovelhinhas.

    Aí hoje o cara vem e lê essa pérola. É quase um TAPA NA CARA.

    Vai te fuder Douglas! E não me vem com KRONEMBIER…

  • 39. Olga  |  14/09/2009 às 21:14

    Pra variar, grande texto.

    Douglas, te parafraseando, se um dia eu fosse OBRIGADA a torcer por um time no Sul, torceria pelo INTERNACIONAL.

    Mas confesso que não escuto impunemente um dos refrões mais bacanas dos hinos de futebol: “até a pé nos iremos, para o que der e vier, mas o certo é que nós estaremos, com o Grêmio onde ele estiver”.

  • 40. marlon  |  14/09/2009 às 21:14

    cara, esse governo só pode ter superfaturado os pregos da cruz [ns].

    imagina que cena antológica: em meio a um KATRINA de gravações, provas, acusações de corrupção, a desgovernada, num modelito PRENDA EMBOLETADA, morre absolutamente EM CHAMAS saídas de uma CUIA gigante.

    quem é que tá armando a agenda da góvi? o MONTY PYTHON?

    ***

    como faz meses que não vou ao BEIRA, deslizei de moonwalking até a identificação com o relato ceconéllico, li o texto o texto chingando o Tite e, estranhamente, cheguei a arrotar VAZIO.

  • 41. dante  |  14/09/2009 às 22:08

    no jogo contra o corinthians, fui de CADEIRAS e fique APAVA: galera mais xinga do que torce. é impressionante, mesmo.

    por isso que eu prefiro ir de arquibancada, e de preferência a inferior. tu sai fedendo a SUVACO DO COALHADA COM LOLÓ, mas de preferência dá pra torcer d boa/em chamas.

  • 42. EGS  |  14/09/2009 às 22:43

    Nada mais importa agora, visto que PATRICK SWAYZE morreu.

    Verei CAÇADORES DE EMOÇÃO nu enquanto fumo uma PARAFINA.

    BELLS BEACH 4EVA.

  • 43. Lourenço  |  14/09/2009 às 22:46

    Verdade absoluta. Via de regra, os jogos mais cheios não são os em que o estádio mais ajuda. Pelo menos no Olímpico, o público ideal é entre 30 e 35 mil pessoas.

  • 44. Bruno L  |  15/09/2009 às 00:36

    Façam um livro, por favor. Pra que eu possa comprar e mostrar orgulhoso para um improvável futuro filho, que terei logo após todo o tipo de comunicação pifar e voltarmos a morar em carvernas e jogar futebol com cocos e havaianas enterradas na areia.

  • 45. Bruno L  |  15/09/2009 às 00:37

    Aliás.

    Texto genial.

    Comentário 40 idem.

    bjs

  • 46. Luís Felipe  |  15/09/2009 às 01:12

    texto sensacional mesmo.

    churrasco + jogo de futebol = VIDA

  • 47. Tim Maia da Coréia  |  15/09/2009 às 01:20

    Cara… que puta texto! Fazia tempos que não comentava por aqui, mas agora fui obrigado.

    Ir ao Beira-Rio é foda! Jogo lotado, jogo vazio, com chuva, sol, frio…

    Esse manés que vão só em final e jogo bom é que não sabem o que tão perdendo…

    FORA TITE!

  • 48. Topolski  |  15/09/2009 às 02:40

    Baita texto.

    Magnifico comentário 40!

    E quem não gosta de Estádio não merece consideração. Eu fico de cara qdo não posso ir.

  • 49. marlon  |  15/09/2009 às 07:59

    gracias pelos elogios, mas não sei o que viram de genial no comment.

    de qualquer forma, quero participação nos ATIVOS [ui] da Impedicorp. nhdjfasndja

  • 50. marlon  |  15/09/2009 às 08:06

    e lendo o post sobre o Casão ali no “Ouvido da História”… caralho, nego tomava nos cano pó e heroína. achei que ele só cafungasse.

    pra tu ver como o mundo é injusto. por que o Galvão não desenvolve um vício incurável em, sei lá, cheirar SAPÓLIO e ficar AFÔNICO?

  • 51. Gabriel R.  |  15/09/2009 às 08:47

    Baita texto Douglas, lembra um dos primeiros que eu li e que desde entao entro todo dia nessa bagaça aqui…

    Alex concordo contigo, o estádio lotado é uma merda, principalmente por que ninguem canta, ninguem faz porra nenhuma. E sempre tem uns querendo se pegar a soco… E o pior é o cara, como eu, que moro do lado do estádio e que em jogo traqnuilo chego 20 min antes e fico num lugarzinho bem baixado perto da chaminé. dai quando é jogo importante, lota e o cara fica lá atrás da merda do telão, num canto fodido…

    Lembro-me dum inter e goiás,que o inter perdeu de 3×2 e deu uma pressão no goiás, naquele jogo deveria ter no máximo 10 mil pessoas que cantaram o jogo inteiro…

  • 52. douglasceconello  |  15/09/2009 às 09:33

    Olga, apesar dessa história de gostar de “ir a pé” e sei lá o que, fico EMBEVECIDO. uahssua

    Fino, ME DEIXA.

  • 53. Alexsander  |  15/09/2009 às 11:43

    Bah, Gabriel, não tem algum apartamento à venda aí no teu edifício?

  • 54. Chico  |  15/09/2009 às 14:42

    Baita texto kra.
    Parabéns

    E #50 : cheirar SAPÓLIO

    haiuhaiuhaiuahiuaia , demais

  • 55. Juliano  |  16/09/2009 às 17:10

    Muito afudê o texto!

  • 56. para kazan  |  26/09/2009 às 20:37

    gracias por el intercambio

  • 57. Bruno  |  27/04/2010 às 13:14

    Não vejo porque um texto desses poderia fazer alguém ser mais ou menos colorado. Qualquer detalhe desse texto é válido para vários estádios.

    A única particularidade do Beira-Rio é “pisar com força no barro” e “aspirar o cheiro do esgoto”.

  • 58. Bruno Lorenz  |  01/05/2010 às 00:14

    Lendo esses textos do Ceco, dá vontade de pedir pro Bail narra-los e colocar os créditos em nome de algum escritor famoso, só pra fazê-lo rodar pelo mundo através de correntes de e-mail.

  • 59. Bruno Lorenz  |  01/05/2010 às 00:17

    Bail não, Bial.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Subscribe to the comments via RSS Feed


Especial – Libertadores 2011

A bola da ImpedCopa

Toco e me voy

Feeds

web tracker

%d blogueiros gostam disto: