Um mínimo de respeito

16/06/2009 at 11:00 104 comentários

Ano retrasado, num jogo grande da Libertadores, uma amiga de longa data usava saias. Curtas, não muito, um pouco acima do joelho. “Bah, mas que perigo, hein”. “Pois é, pedi para a mãe me mandar uma bermuda”. Mulher de saia em jogo de futebol é um absurdo, pensávamos nós. No estádio, entretanto, ela foi tratada com o maior respeito. Evoluímos. Ainda não aconteceu isso em todos os lugares.

Antes de mais nada, uma ilustração do problema ocorrido em El Salvador:

Para quem não pode ver, ou quem se perdeu nos olhos verdes da apresentadora. Horas antes do início da partida entre El Salvador e México, o câmera pega um homem e uma mulher procurando lugar no estádio Cuscatlán. Acredito que eram irmão e irmã – para mim, é meio surreal pensar que o cara poderia ser o seu namorado, ou marido. A mulher está passando com uma roupa normal para o calor, blusinha, calça jeans. Enquanto passa, idiotas da torcida salvadorenha vão apalpando a moça na maior cara dura.

Vendo mais coisas a respeito de quem podem ser essas pessoas sem cérebro, encontro um blog que traz um texto de louvação à “barra” de El Salvador, intitulada “Vietnam”. Acho coisas como:

Algo parecido sucede con las mujeres. Minoría absoluta, pero las hay. Vietnam las recibe con agua, con orines, con gritos ensayados de ¡Cuuuulo! ¡Cuuuulo! Algunos parecen tan desesperados que ganas me dieron de regalarles el pase de cortesía para Kara’s. “No dejaría ir a mi hija porque manosean a las mujeres y si uno se opone lo lincha la turba”, me escribirá desde Ciudad de Guatemala Fernando Sánchez, salvadoreño emigrado hace ocho años.(tudo aqui)

Não vou aqui comentar sobre a incoerência de ser “macho” e tocar água e urina nas pessoas e ao mesmo tempo, afastar mulheres. Lembro, porém, que quando comecei a ir nos estádios o público feminino geralmente comparecia com moletom largo, calça de abrigo e cabelo preso, mesmo assim ouvindo o famoso grito de “sócio”, além das baixarias. Não preciso ser mulher para saber que metade delas não tolerava esse tipo de falta de respeito. Mesmo assim, não chegava nem perto do nível mostrado no vídeo.

Hoje, as meninas podem comparecer aos jogos de saia, nos estádios onde vou, e nada acontecer. Ainda bem. Nesse sentido, que bom que o futebol mudou.

Até a vitória,
Luís Felipe dos Santos

P.S.: Vocês entenderam que eu nada tenho contra o povo salvadorenho? Bem, se não ficou claro, fique agora. Tomara que o fato desse vídeo ser visto por muita gente, inclusive em El Salvador, ajude a mudar alguma coisa. Sei que tem gente que detesta ver o seu país servindo de mau exemplo para o mundo – nem que seja por patriotismo.

Entry filed under: Contribuições.

O Torneio Intermunicipal de Bocha Delírio e comoção em terras castelhanas

104 Comentários Add your own

  • 1. Francisco Luz  |  16/06/2009 às 11:16

    Bah, realmente nem se compara o nível que se vê de respeito hoje em dia às mulheres. Antigamente, dificilmente íamos em caravana para os jogos. Agora, geralmente vamos com mais gurias no carro do que caras. É uma prova de civilidade, sem dúvida, e cenas como a do vídeo eu só vi em puteiros até hoje.

    Agora, para manter o respeito: é SAUDÁVEL essa Inés Sainz, hein? Ela que causou FUROR na Copa de 2006: http://1.bp.blogspot.com/_mTIR6JMpzsI/STiVvrVId5I/AAAAAAAAC78/QQSQU_jGn5I/s400/normal_ines_sainz.jpg

  • 2. Cassol  |  16/06/2009 às 11:31

    Coitada da mulher ali.

    Sem moralismo, o cara que faz um negócio desses, porque os caras em volta também tão fazendo, é um completo de um imbecil.

  • 3. marcelo benvenutti  |  16/06/2009 às 11:33

    Bah, quando comecei a ir no Beira, quando entrava uma, eu disse UMA só, mulher nas arquibancadas gerava o maior tumulto. O povo todo se levantava e começava a pular e gritar: PUTA! PUTA! E o pior. Geralmente era uma puta mesmo. Abanava, rebolava e o magrão, que devia ter saído do chinaredo com ela, se matava de rir. Se o cara quisesse levar mulher, só nas cadeiras. De véu e burka.

  • 4. izabel  |  16/06/2009 às 11:36

    nem tou vendo o video, mas achei massa essa sua iniciativa, LF.
    num depoimento particular, posso dizer que nunca sofri nada desse tipo EM ESTÁDIOS.
    em ônibus urbano, normal, comum, já sim. infelizmnte. com muito nojo vi um senhor de uns bem 50 anos gozar depois de se esfregar na minha coxa e na de uma amiga, num ônibus lotado em horário de rush – a gente fica sem ter pra onde ir. a minha amiga deu um murro no velhinho (que ainda tava de olhos fechados). ele caiu em cima de outros passageiros. a gente desceu do ônibus, mas tudo ficou por isso mesmo.

    no méxico, o machismo é bem mais bizarro que aqui. nos livros de turismo já avisam que não é legal mulher ir sozinha a bares. e eu fiquei mesmo meio acanhada. mas viajei com um amigo, então foi tudo tranquilo.
    lá (e acho que no RJ também) tem vagão de metro reservado só para mulheres, para evitar esses assédios.

    em estádio: sempre fui bem tratada. e quando vou sozinha, sempre tem um marmanjo do meu lado que meio que me ‘adota’ durante a partida. eu adoro – cavalheirismo é o que há.
    nunca fui de saia (não é adequado para subir degrau de bancada), mas nunca escondi meu corpo em moletons ou camisa larga.
    em salvador eu só fui à fonte nova em jogo de seleção, justamente por esse costume ridículo de jogar copo de xixi nos outros. mas lá, pelo que eu saiba, não é contra mulher, é contra qualquer ‘babaca’.

  • 5. Rudi  |  16/06/2009 às 11:53

    iza, mais um pouco e vocês eram enquadradas no estatudo do idoso (#leisburras) hehehe

  • 6. fino  |  16/06/2009 às 11:57

    o mais bizarro é o relato do carinha ali, dizendo que quem se opõe ou repreende esse tipo de coisa pode acabar linchado pela maioria…

    tipo, COMO ASSIM??????

  • 7. Luís Felipe  |  16/06/2009 às 12:05

    Iza, legal o que tu escreveu. Aqui no RS muitos dizem que esse comportamento bem mais civilizado dos últimos anos se deve ao alto número de sócios. O que tu escreve mostra que é um padrão de comportamento, não só por isso.

    ano passado, Brasil de Pelotas X Inter no Beira-Rio, mulher não paga, 45 mil pessoas no estádio. Eu vi três gurias com roupas inadequadas para qualquer coisa, não apenas para um estádio – roupas minúsculas mesmo, quase obscenas. Ninguém fez coisa alguma. Até teve algumas piadinhas de uns caras bêbados – em grupo, claro – mas nunca, jamais próximo ao que acontecia há dez, quinze anos.

  • 8. Caue  |  16/06/2009 às 12:22

    Evoluímos, sim. E já era tempo.

    Mas confesso que ainda acho engraçado (embora saiba que não é nada civilizado) aqueles trios de gurias que desfilam antes do jogo de vestidão, em geral promovendo alguma festa do interior, sendo recepcionadas com o tradicional “ih, ih, ih, essa aí eu já comi”

    enfim, vale pelo folclore…

  • 9. izabel  |  16/06/2009 às 12:23

    LF, dizer que a ‘melhora’ é razão do número de sócios é preconceito, é achar que desrespeito é coisa de pobre e não de rico (conclusão minha, claro).
    pra você ter uma idéia, quando vou sozinha ao estádio, SEMPRE fico no meio da gaviões (onde a maioria é ‘povão’ mesmo) justamente porque me sinto melhor. como lá é o ‘bando de louco’, ver uma mulher sozinha pra ver o corinthians não é estranho. eu simplesmente não chamo a mínima atenção. na bancada oposta, onde tem mais gente ‘do meu nível’, aí sim tem uns carinhas que não conseguem mesmo não demonstrar estranhamento. mas nunca houve nada de chato. só que minha timidez natural não me deixa ficar a vontade chamando taaaanta atenção.

  • 10. fino  |  16/06/2009 às 12:24

    Vejam bem, não to defendendo essa BULINAGEM..

    Mas tem umas minas que vão pro estádio em trajes tão, hm, vulgares? sumários? Que meio que pedem…

    É aquela coisa, passar na azenha com camisa do Inter exatamente no horário em que se concentra a torcida do Gremio ou passear na favela de iphone, óculos de marca, OURO, etc e tal… tem que saber onde tá se metendo…

    Aí uma piadinha vá lá, mas esses ali do video que apalpam a peitorama como quem escolhe fruta na feira extrapolaram qualquer limite..

  • 11. Luís Felipe  |  16/06/2009 às 12:28

    claro que é preconceito. É a mesma lógica do “vamos aumentar os preços para acabar com a violência”.

  • 12. Yuri  |  16/06/2009 às 12:33

    #11:

    Só que na Inglaterra fizeram isso para acabar com o holliganismo, foi a principal tática.

    O aumento dos preços causa um ENVELHECIMENTO da torcida e uma DIVERSIDADE maior também. Basta ver aqueles monótonos estádios ingleses, com os véios e mulheres, crianças…

    Nos primeiros anos da Premier League, o ingresso aumentou 3 vezes, e declaradamente foi para combater a violência.

  • 13. Yuri  |  16/06/2009 às 12:36

    A modernização dos estádios também, claro. Inevitavelmente isso vai acontecer no Brasil, de forma gradual… e as brigas entre organizadas vão aumentar, só que menos inocentes vão se ferir, como é na Europa. O pau quebra muito, mas só entre os Ultras, em geral.

  • 14. Yuri  |  16/06/2009 às 12:51

    Quando os espectadores do futebol eram da elite, e o esporte tinha preconceito contra alguns atletas, as mulheres eram bastante presentes. E os homens de chapéu.

    Agora que está se elitizando, as mulheres estão voltando, depois de décadas.

    No auge da mulambagem, dos recordes de público, tinha menos mulheres.

    Coincidência? Obviamente não.

  • 15. nuno ramos  |  16/06/2009 às 12:52

    Para quem gosta de recordar o nosso clube em imagens, recordando as nossas vitórias e glórias, visite o Armazém Leonino. Julgo que passará alguns momentos nostalgicos. Peço desculpa pela intromissão!

    http://armazemleonino.blogspot.com

    para apaixonados por cromos,jornais antigos, relatos de futebol, revistas antigas, etc… visite!

  • 16. Yuri  |  16/06/2009 às 12:59

    #15:

    Excelente blog!!! Aquela capa do A Bola mostra como esse jornal sempre foi alinhado ao Benfica até o talo, escrevia de vermelho!

  • 17. Robson  |  16/06/2009 às 13:10

    Não sei como era antigamente, mas hoje em dia tem muita mulher no estádio.
    Eu tenho reparado que tem muita guria sem noção, vão vestidas com roupas de festa, sei lá, parece que gostam de levar as cantadas de pedreiro…

  • 18. Lucas Cavalheiro  |  16/06/2009 às 13:15

    Eu, como bom cavalheiro que sou, só grito “CHEIROOSAAA!”.

    Mas me lembro que quando vim pra Porto Alegre e comecei a ir ao Beira (idos de 2000~2001), “SÓCIOOOO!” era a piada padrão. Hoje nem um “OLHA O MIJOOO” se ouve mais, que lástima! auheuaehaue

  • 19. Robson  |  16/06/2009 às 13:18

    A que eu tenho ouvido nos ultimos meses é “Ooohhh lá em casa hein” hahahahah…

  • 20. Lucas Cavalheiro  |  16/06/2009 às 13:21

    #15

    E pensar que Cesar Prates já jogou no mesmo time do melhor goleiro do mundo da época.

  • 21. Gabriel R.  |  16/06/2009 às 13:23

    #18 a culpa é a da bebida, da falta dela…

  • 22. Eugenio  |  16/06/2009 às 13:27

    Lembro que no Beira-Rio, quando apareciam aquelas gurias com alguma faixa na pista atlética, a torcida cantava:

    “Eta, eta, eta, colorado qué lambreta”

    Lambreta = manter o respeito do blog.

  • 23. Sanchotene  |  16/06/2009 às 13:53

    Re 12

    Claro que não. O aumento do preço do ingresso se deu pela melhoria das instalações e a redução da capacidade dos estádios. Os hooligans têm totais condições de comprar os ingressos. Ainda mais que boa parte deles é jovem de classe média.

    O que os ingleses fizeram foi parar de tratar torcedor feito GADO e punir quem não apresentasse comportamento HUMANO.

    Os baderneiros, então, foram brigar noutros lugares.

  • 24. Carlos  |  16/06/2009 às 13:54

    Seguindo no rumo “motociclistico” do amigo acima…

    Tinha aquela:

    “essa não tem fedor, é lambreta tricolor”

  • 25. Sanchotene  |  16/06/2009 às 13:56

    Re 15

    Esta é uma casa portuguesa, também, por que não?! Ou seria melhor, “ora, pois”?

    Sporting-Benfica é uma rivalidade histórica. Difícil, mesmo, infelizmente, é alguém simpatizar com o clube verde lisboeta em Porto Alegre. A cidade, aqui, é dividida entre azuis e encarnados…

  • 26. Roger  |  16/06/2009 às 13:56

    Podem ter certeza que, atualmente, na Geral, isso não acontece mais.
    Já vi muito vagabundo APANHAR feito um boi de canga na Geral quando mete a mão com alguma mulher na torcida. Era um dos maiores motivos de briga lá no meio, e depois vinha um monte de imbecil da imprensa dizer coisas tipo ” é um absurdo, torcedores do mesmo time e brigando entre si, e blá, blá, blá…”
    Pois digo que o melhor comportamento ao ver uma cena dessas ai de cima é sentar o sarrafo nos vagabundo.

  • 27. Prestes  |  16/06/2009 às 14:02

    Che, que absurdo esse vídeo.

    Mas não posso deixar de dizer que essa apresentadora foi um ACHADO.

  • 28. Alex da Rosa  |  16/06/2009 às 14:05

    Hoje em dia é tranqüilo (reforma my ass) levar mulher no estádio, eu sempre levo a Fabi ao Beira-Rio. Eu li em algum lugar que o Inter DOBROU o percentual de sócias nos últimos anos, hoje a quantidade de mulheres nos estádios é muito grande.

  • 29. Rudi  |  16/06/2009 às 14:10

    Alex, desculpe se não entendi corretamente, mas estás pedindo para reformarem your ass???

    (mal a brincadeira aí…)

  • 30. guihoch  |  16/06/2009 às 14:14

    e da-lhe trabalho pro hoch

    to precisando de ferias cara

    legal o video, assim pesado para um estadio admito, mas pra quem vai a bailes funk do rio estas coisas acontecem na compra da entrada.

    cara me colocaram uma pistola na cara domingo numa de minhas andanças por lugares nunca de antes navegados, me escapei BUNITO, no mais aquele seria um lugar muito feio para o meu cerebro ficar espalhado pelo chao.

    jogão amanha, olharei mas não beberei, depois do ocorrido domingo não beberei por um longo tempo, pois quando bebo quero novas aventuras.

    a sim, direi pela ultima vez para que ainda de tempo para alguma coisa

    FORA DUNGA

  • 31. guihoch  |  16/06/2009 às 14:17

    boa rudi, ou ele estaria tentando formar uma celula biba no blog

    (reforma my ass) = maior charada da historia do impedimento

  • 32. Yuri  |  16/06/2009 às 14:19

    #23:

    Eu sei disso. O Taylor idealizou que quanto melhores fossem as instalações, o pessoal comportaria-se melhor, o que verdade em qualquer estabelecimento público ou privado. Daí a modernização, tanto que eu escrevi isso no #13.

    Mas essa é a versão oficial, o aumento no preço expulsa os antigos operários que iam nos jogos, jovens mais malucos e de baixo poder aquisitivo, etc… a média de idade nos estádios ingleses é altíssima, não tenho como confirmar, mas deve ser a mais alta do mundo!! Só tem véio!!

    Sempre há uma segunda intenção… sempre. Foi nessa época que o Murdoch, proprietário de TV, fez grana com a Premier. Coincidência as TV’s saírem no lucro enquanto o povão não entra em campo?? Quanto menos gente dentro, mais fora, na TV. O povão não abandona o time. Então, que os ricos entrem e o povão saia.

    Isso sem falar que o Rupert Murdoch tinha contactos com a Dama de Ferro, a Thatcher. Que aprovou o Relatório Taylor. Logo depois, o cara inaugurava a Sky Television no Reino Unido. Antes disso o cara tinha o jornal Sunday Times, que fazia só falar bem da Dama de Ferro.

    Ninguém disse nada errado, mas essa conspiração não deve ser ignorada.

  • 33. Lourenço  |  16/06/2009 às 14:23

    Pior é que a reação do cara que está com ela mostra que isso deve ser normal lá mesmo. Resignado, conformado, nem parece surpreso.

    Mas eu parei na apresentadora mesmo.

  • 34. col  |  16/06/2009 às 14:23

    Fiquei indignado com as imagens.

  • 35. col  |  16/06/2009 às 14:24

    Imaginem a apresentadora no estádio…

  • 36. Francisco Luz  |  16/06/2009 às 14:25

    Não acho mesmo que o aumento da presença de mulheres – e o consequente maior respeito a elas nos estádios – tenha a ver com o número de sócios. Em 2004 e 2005, quando ainda não havia os programas que existem hoje, a coisa já estava no nível de hoje.

    E bah, esse vídeo é absurdo demais, mesmo. Os caras mereciam uma bocha cada um.

  • 37. Lourenço  |  16/06/2009 às 14:26

    Ah, com história pessoal, digo que levei minha namorada ao Olímpico pela primeira vez em 2005. Lembro que dei minha camisa do Grêmio para ela (enorme), disse para ela tirar até os brincos. Não tava com medo de nada mais grave, ela é tranquila também, só não queria me constranger com um “sócio” que fosse. Ainda bem, em 4 anos nunca deu absolutamente nada, e hoje já deixo ela ir com roupas mais normais.

  • 38. guihoch  |  16/06/2009 às 14:27

    corrigindo yuri #32

    Foi nessa época que o Murdoch, proprietário de TV, EU DIRIA QUE ELE E DONO DE UM CONGLOMERADO, ou talvez de até uma fatia do mundo, vai saber.

  • 39. col  |  16/06/2009 às 14:28

    Eu queria ver os machões em ação se a mulher estivesse acompanhada da dupla Mike Tyson e Shaquille O’Neal…

  • 40. Yuri  |  16/06/2009 às 14:30

    #38:

    Com certeza, guihoch… eu só falei da TV e do jornal, mas se caísse um meteoro e rachasse o planeta, o Murdoch ficava com um pedaço. É bem por aí mesmo hahhaha

  • 41. Felipe catarina  |  16/06/2009 às 14:59

    nossa senhora, que coisa grotesca. Não lembro de ter visto nada parecido aqui em SC. No máximo assobios, gritos de “gostosa” ou aquelas cantadas de pedreiro do tipo “ah, lá em casa!”. Mas isso mais antigamente, já que hoje a turma está mais civilizada.

    agora, uma coisa que não entendi: os caras jogam mijo nas mulheres? Eles querem o quê? Só cueca no estádio? Coisa horrorosa.

    E tem nego que acha que apalpar as gurias desse jeito é coisa de “macho”. Lamentável.

  • 42. Gustavo Piardi  |  16/06/2009 às 15:14

    Lamentável. Nem merece comentários.

    Agora, tu imagina encostar nessa tal Sainz, heinô Batista?

    Acho que o velhinho da Iza ia ter um infarto só vendo a foto…

  • 43. douglasceconello  |  16/06/2009 às 15:17

    Que coisa lamentável. E o ACOMPANHANTE ali provavelmente sentindo-se o HOMEM mais desprezível de toda a jurisprudência da CONCACAF.

  • 44. Junior  |  16/06/2009 às 15:31

    Yuri, como o Sanchotene explicou, boa parte dos hooligans são de classe média, não foi o aumento do preço dos ingressos que acabou com a violência na Inglaterra, mas um tratamento digno aos torcedores, uma legislação rigorosa, que acabou com a impunidade de quem fazia badernas, além de uma mudança comportamental dos dirigentes dos clubes. Recentemente um clube (não lembro qual) anunciou que um torcedor que havia entrado em campo estava proibido de forma vitalícia de entrar no estádio. Na Copa da Alemanha, os hooligans arrumaram confusão com a polícia alemã. Quem tem dinheiro para ir à Alemanha, tem dinheiro para comprar ingresso para um jogo da Premier League.

    Como já foi dito, nos anos 90, quando comecei a ir ao Beira-Rio, era raríssimo ver mulheres, hoje é normal, felizmente. Outra babaquice que já presenciei acontece quando uma mulher está numa discussão sobre futebol e algum cara fica contrariado com a opinião dela e larga: “mulher não entende nada de futebol”. Para mim, esses caras que querem afastar as mulheres de estádio de futebol (ou de qualquer ambiente) não se garantem, tem uma homossexualidade reprimida.

  • 45. douglasceconello  |  16/06/2009 às 15:34

    Ô, MALOQUEIRADA, ainda tem VAGAS para a pelada de hoje, se alguém tiver na pilha de dar uns CARRINHOS na chuva.

  • 46. Prestes  |  16/06/2009 às 15:45

    São duas coisas diferentes a briga entre torcedores e o tratamento com as mulheres.

    Este último melhorou na mesma época em que houve uma elitização dos estádios, ao menos em Porto Alegre. O que não quer dizer necessariamente que a elitização foi a causa deste melhor tratamento.

    Agora, a briga entre torcidas tem piorado mesmo com (ou por causa da) elitização do futebol em Porto Alegre.

    Também precisamos entender que lá na Inglaterra é caro MESMO o ingresso. Aí sim, com o estádio cheio de ricaços é mais fácil mandarem matar alguém do que brigarem.

  • 47. Mateus  |  16/06/2009 às 15:54

    Minha namorada mora em curitiba e vai no Couto Pereira semanalmente, volta e meia sozinha. Nunca reclamou do tratamento e, sinceramente, tenho muito mais preocupações com a chegada e saída do estádio que com o jogo em si.

  • 48. Rudi  |  16/06/2009 às 15:55

    http://www.submarinoviagens.com.br/Viagens/Produtos/Aereo/MasterPricer.aspx?Origem=LON&Destino=BER&Data=22/7/2009&Hora=&Origem=BER&Destino=LON&Data=10/8/2009&Hora=&NumADT=1&NumCHD=0&NumINF=0&SomenteDireto=0&SomenteIda=0&Cia=&Cabine=

    “Quem tem dinheiro para ir à Alemanha, tem dinheiro para comprar ingresso para um jogo da Premier League.”

    mais ou menos né…

  • 49. Mateus  |  16/06/2009 às 15:55

    Á princípio, também mandava ela ir de moleton e BURCA, mas hoje em dia não me preocupo tanto com isso. Obviamente, volta e meia ouve uma cantada, mas nada diferente do que ouviria em qualquer bar por aí.

  • 50. Mateus  |  16/06/2009 às 15:57

    E os ingressos da Premier league não são tão caros assim. Só é praticamente impossível comprá-los para os jogos entre os grandes. Mas para quem ganha em Libra, são valores aceitáveis, se não pra ir em TODOS os jogos, pelo menos um por mês dá pra ir, sem ser rico ou ter um emprego fantástico.

  • 51. Sanchotene  |  16/06/2009 às 16:01

    Re 44

    Sem contar a Lei de Say. Houve a redução da violência e uma substancial melhora no nível de jogo; com isso, aumentou a procura por ingresso. E se aumenta a demanda, sem poder aumentar a oferta, o que sobe fatalmente é o preço…

  • 52. Rudi  |  16/06/2009 às 16:04

    Sancho, substancial melhora no nível de jogo, futebol inglês não continua sendo “bola pro cara parecido com o peter crouch na área pra ele escorar pra alguém” ??

  • 53. Prestes  |  16/06/2009 às 16:08

    Aí é que tá Mateus, não tem como ir em um jogo isolado. Existem vários tipos de pacotes, tipo todos os jogos, só premier league, só fa cup, por exemplo.

    O cara que quer ir num jogo é o último a poder comprar.

  • 54. Junior  |  16/06/2009 às 16:10

    Rudi, o Sancho tem razão. O Manchester Utd. e o Arsenal quando jogam bem, fazem um jogo muito objetivo, com troca de passes em alta velocidade que é muito legal de ver. Guardadas as proporções, é o que o Inter fazia no Guchão e no começo da Copa do Brasil.

  • 55. J Petry  |  16/06/2009 às 16:10

    #52: Não.

  • 56. Luís Felipe  |  16/06/2009 às 16:11

    houve melhora no nível de jogo, é?

  • 57. col  |  16/06/2009 às 16:14

    Pessoal do Impedimento falando sobre o melhor futebol do mundo?

  • 58. Sanchotene  |  16/06/2009 às 16:14

    Não houve, LF?

  • 59. Luís Felipe  |  16/06/2009 às 16:15

    eu, sim – falo sobre o brasileiro.

  • 60. col  |  16/06/2009 às 16:16

    Rendam-se ao futebol inglês…

  • 61. Sanchotene  |  16/06/2009 às 16:18

    Col,

    Acho que temos a aprender com eles algo sobre como salvar um campeonato decadente, mas aí a render-se, JAMAIS!

  • 62. guihoch  |  16/06/2009 às 16:19

    nietzsche falou do eterno retorno, leia o link depois de ler o resto:
    mas leia todo o link, por favor
    http://pt.wikipedia.org/wiki/Eterno_retorno

    o esporte foi criado de forma a não precisar fazer mais guerras sangrentas para resolver impasses,.

    logo esporte = solução violencia

    porem como tudo retorna a sua origem, e o link explica, o carater violento e obtuso que é inerente ao ser humano fica igualmente alienado ao carater esportivo, fazendo o retorno ao problema inicial.

    guihoch

  • 63. Junior  |  16/06/2009 às 16:19

    “Pessoal do Impedimento falando sobre o melhor futebol do mundo?”

    Dizer que houve melhora não significa que o futebol inglês é o melhor do mundo. Eu prefiro ver Coritiba x Sport do que
    Hull City x Bolton.

  • 64. col  |  16/06/2009 às 16:20

    Mas não se preocupem, com a queda dos antigos porcos capitalistas, em breve os melhores campeonatos serão disputados na China e Índia.

  • 65. douglasceconello  |  16/06/2009 às 16:20

    Futebol inglês = Gauchão com 1 bilhão de euros em propaganda.

  • 66. Rudi  |  16/06/2009 às 16:22

    Manchester = berbatov
    Chelsea = drogba
    Liverpool = kuyt
    Arsenal = adebayor
    Aston Villa = carew
    blackburn = McCarthy
    Bolton = Elmander
    Everton = saha
    Fulham – Nevland
    Portmouth – Crouch original
    man city – vassel ou bojinov
    hull = fagan
    sunderland – strokes
    wigan – mido
    west ham – dean ashton
    totteham – robbie keane e Roman Pavlyuchenko
    wolves – ward

    quase todos os times ingleses tem o seu “crouch”

  • 67. Rudi  |  16/06/2009 às 16:23

    e desses que eu citei, dúvido que 3 ou 4 sejam melhores que ADÃO

  • 68. J Petry  |  16/06/2009 às 16:30

    #66
    1. Vários dos jogadores citados não têm essa característica (Drogba, Kuyt, Saha, p.ex.)
    2. Não é a única nem a principal jogada, especialmente nos times melhores.

  • 69. Yuri  |  16/06/2009 às 16:30

    Só prá finalizar, sou contra esse aumento de preços aqui, se isso já não ficou claro. Só não podemos achar que isso foi feito na Inglaterra por pessoas boazinhas que queriam o bem da população. É preciso VER ALÉM, ver as segundas intenções nesse caso.

    Agora, que as mulheres aparecem quando etiliza-se, isso é inegável. Como eu disse, no auge da mulambagem, quando batia-se recorde de público, não tinha essa muierada. Falou procêis.

    Seriedade sempre,

    Yuri.

  • 70. L.F. Scolari  |  16/06/2009 às 16:31

    O futebol inglês é tão superior aos demais que nem eu mesmo consegui dominá-lo.

  • 71. Junior  |  16/06/2009 às 16:31

    Calma, Rudi. Se não dá para ser “baba ovo” do futebol inglês como o Col, também não dá para exagerar. Dessa lista o Drogba, Adebayor, Berbatov, Robbie Keane e Pavlyuchenko jogam 50 vezes mais que o Crouch. E o Mido é mais meio campista que centroavante.
    Pelo teu critério, Maxi Lópes e Alecsandro são os “Crouch” gaudérios?

  • 72. Prestes  |  16/06/2009 às 16:34

    sdahuduhsauhdshudshudsdhusa

    Esse Scolari foi genial, uhshu

  • 73. Francisco Luz  |  16/06/2009 às 16:41

    Futebol inglês só vale pelos gramados e pelos estádios antigos. O resto não tira o sono nem de quem torce para o Aimoré.

  • 74. col  |  16/06/2009 às 16:44

    Se não me engano o ludopédio britânico produziu nos últimos 5 anos uns 8 finalistas da Champions.

  • 75. col  |  16/06/2009 às 16:44

    7 talvez…

  • 76. Prestes  |  16/06/2009 às 16:47

    Man. Utd = Passo Fundo com grife

    (ver http://www.orkut.com.br/Main#Community.aspx?rl=cpn&cmm=5306912)

    Diabos do Planalto – A BANDA LOUCA DO VERMELHÃO

  • 77. Felipe catarina  |  16/06/2009 às 16:48

    futebol “inglês”? rá rá rá. Lá até os donos dos times são gringos. Futebol inglês mesmo não existe. Ah, sim, e tirando os quatro principais times, o nível do campeonato deles é pior que o nosso. Duvido muitíssimo que o Bolton saísse da Ressacada com menos de três buchas no lombo.

  • 78. Prestes  |  16/06/2009 às 16:51

    Link errado, husadhausdahsudahusd

  • 79. Junior  |  16/06/2009 às 16:52

    Sem falar que o futebol inglês é uma “lavanderia”. O Kia atua livremente lá, o que mostra como as coisas funcionam.

  • 80. Prestes  |  16/06/2009 às 16:57

    Isso aí é bobagem, Junior. Os caras não usam futebol pra lavar dinheiro. Primeiro por que não tem sentido lavar dinheiro com uma atividade que chama atenção do mundo inteiro. Segundo que as cifras não são tão altas assim para que um milionário possa lavar dinheiro.

    Os novos milionários entram no futebol para se inserir na alta sociedade, se legitimar com a população. Mais ou menos por aí.

  • 81. Francisco Luz  |  16/06/2009 às 17:03

    Futebol inglês de verdade o cara vê na quinta divisão, só, como bem lembrou o Felipe catarina.

  • 82. Junior  |  16/06/2009 às 17:06

    Tenho minhas dívidas, Prestes. O que explica que o Kia, o ex-primeiro ministro da Tailândia (era o dono do Manchester City até vendê-lo para os árabes), que fugiu de lá por acusações de corrupção, além de um islandês também cheio de problemas com a justiça tenham atuação tão forte no futebol inglês? O que não exclui os milionários que usam o futebol para se inserir na alta sociedade, como o pai do namorado da Diana, que é o dono do Fulham.

  • 83. col  |  16/06/2009 às 17:10

    Bom mesmo é a MSL, futebol sulamericano (dependendo da posição do satélite) TOTALMENTE ignorado pelas aventuras cibernéticas do Luís Felipe.

  • 84. Lourenço  |  16/06/2009 às 17:11

    O Brasileirão é melhor mesmo, principalmente nos jogos ruins, que são menos ruins que os jogos ruins dos ingleses. Mas não é “bola para área”, não, principalmente pelo grande número de estrangeiros. O Arsenal até pouco não tinha um único inglês no time.
    Sem dúvida é um(talvez o único) campeonato nacional europeu assistível, já que o espanhol não é competitivo e no italiano o time que faz mais de gols é multado.

  • 85. izabel  |  16/06/2009 às 17:15

    ai, gente… eu fico triste DE VERDADE lendo coisas como ‘cantada de pedreiro’. e isso escrito pelo mesmo púlbico que diz que sente saudade de certos gritos, que ‘manda’ namorada usar moleton, que acha que ingresso caro acabou com esses desrespeitos.
    dizer que a guria é sem noção e usa certo tipo de roupa… vcoês preferem mulheres de burca, é isso? ou essas sapatinhos que se vestem tipo homem?
    meu deus.

    eu trabalhava num setor que tinha muito mais mulher que homem, e nós éramos super tranquilas ‘no vestir’. e tinha um cara que sempre me tirava um sorriso do rosto, porque eram galanteios tão legais. não vou esquecer o ‘favor’ que ele me fazia sem querer, fazendo esses elogios quando eu tinha recem terminado um namoro longo e vivia meio triste.
    daí chegou um novo chefe, ‘macho pra caralho’. as olhadas e comentários do cara eram tão absurdos que a mulherada passou a usar calça jeans, camisa sem decote e largas (até o cara ser afastado). e eu ficava só pensando no galanteador gentil, que devia estar sentindo uma puta falta das mulheres defilando de pernas de fora, blusinhas bonitinhas e etc.

    sei lá, rapeize, revejam aí seus conceitos. sério que vocês preferem a companhia de machos e mulheres de roupa larga?
    quanto ao preconceito de classe, fico triste, mas um dia isso acaba. não é possível tanta cegueira/burrice assim.

  • 86. Prestes  |  16/06/2009 às 17:17

    Junior, ter um clube ajuda o cara a fazer falcatruas, por que fudendo o cara, pode-se fuder uma horda de apaixonados junto. Eu até acho que o cara pode dar uma lavadinha de dinheiro, até por que é uma atividade que envolve valores totalmente arbitrários, então dá pra superfaturar um salário de um jogador, uma compra de um jogador.

    Só que para um cara como o Abramovich, que comprou a preço de banana nada mais nada menos que boa parte do petróleo da Rússia, futebol é quase ínfimo em termos de grana.

  • 87. Micuim  |  16/06/2009 às 17:20

    Q gostosa essa apresentadora, hein !!!

  • 88. Lourenço  |  16/06/2009 às 17:20

    “que diz que sente saudade de certos gritos, que ‘manda’ namorada usar moleton”

    Contradição. Quem manda usar o moletom é justamente para não ouvir os gritos.
    Felizmente, isso não vem sendo mais necessário no Olímpico para mim.
    Dizer que a mulher deve também se preservar em um estádio de futebol não é colocar a culpa do estupro na minissaia nem justificar os tarados de El Salvador.

  • 89. izabel  |  16/06/2009 às 17:27

    lavagem de dinheiro na inglaterra, na itália, no brasil (não só o kia, mas o dinheiro do bicho).

  • 90. Rudi  |  16/06/2009 às 17:29

    Junior – 71

    Maxi Lopes não, mas jonas sim, e alexsandro também

  • 91. Junior  |  16/06/2009 às 17:31

    Iza, não sei como é aí em SP, mas aqui no RS, o jogo do bicho não gira tanto dinheiro, agora o novo “investimento” são as máquinas caça-níqueis.

  • 92. Anônimo  |  16/06/2009 às 17:33

    Uma coisa que esqueci: o RS já teve um presidente de Federação “associado” ao jogo do bicho.

  • 93. Junior  |  16/06/2009 às 17:46

    Izabel, só agora li o teu post # 85, como ele é grande, deixei para ler depois. Parabéns pela coerência e inteligência do comentário.

    * O # 92 sou eu.

  • 94. izabel  |  16/06/2009 às 18:02

    obrigada, junior.

    eu não faço a mínima idéia do jogo do bicho aqui em sampa, escrevi aquilo pensando no famoso Eurico Miranda.
    mas tem também lavagem de grana feita com empreitadas políticas, vide maracajá e carneiro, que afundaram a dupla ba-vi na bhaia.
    sério, com tanta dívida e irresponsabilidade, e ‘aquisições’ de ‘peças’ que não agradam nem treinador, nem torcedor (e nem a bola), certo que há muito roubo nisso. mas não tenho argumentos mais concretos, tipo pra convencer o preste. fica só no achismo mesmo.

  • 95. Prestes  |  16/06/2009 às 18:09

    Aí eu concordo Izabel. Prum Maracajá, tirar uma vantagem de uma transação de alguns milhões é fantástico. Só não vejo o porquê de um bilionário usar o futebol pra isso. Ou melhor, não vejo a lavagem de dinheiro como a principal motivação destes locos. Acho que usam mais para legitimar suas falcatruas.

  • 96. izabel  |  16/06/2009 às 18:12

    ô, prestes, eu procurando fatos concretos pra argumentar com você e quando eu afirmo que não seria possível você se convence?
    muito fácil.

  • 97. Prestes  |  16/06/2009 às 18:14

    É que eu me referia ao futebol inglês, ou ao Kia/Abramovich, esses locos GRAÚDOS.

  • 98. Mateus  |  16/06/2009 às 18:18

    Izabel, só pedia pra usar moletom e burca nos estádios exatamente para não ouvir todo esse tipo de coisa, que certamente não é agradável. Quando ela falou que não acontecia, não liguei mais pra isso…
    Eu sou extremamente contra as mulheres do mundo passarem a usar burcas, em todos os lugares….
    hehe

  • 99. Junior  |  16/06/2009 às 18:31

    Prestes, uso como exemplo o ex-primeiro ministro da Tailândia que foi dono do Manchester City. Ele saiu de lá ameaçado de perder o dinheiro pelas denúncias de corrupção e foi para a Inglaterra. Comprou o City, investiu um pouco e rapidamente revendeu o time para os árabes. Com a venda milionária, ele “limpou” o dinheiro. Agora, ele tem um álibi para a sua fortuna.
    O Abramovich não usa o Chelsea para lavar dinheiro, ele e outros (atuais) bilionários russos se deram muito bem com privatizações suspeitas após o fim da União Soviética. Pode-se discutir como ele obteve a fortuna, mas sabe-se de onde vem o dinheiro dele.
    O Kia é peixe pequeno. Não lembro se foi no Terra Magazine ou no blog do Juca Kfouri que foi publicada uma reportagem mostrando que o Kia é um “facilitador de negócios”. Como ele é bom de lábia e inteligente, é ele quem aparece e negocia, mas ele realmente não é dono de nada.

  • 100. igor  |  16/06/2009 às 19:39

    adoro minas.

    no jogo inter x vitória, tinha uma menina sentada sozinha na popular do gigantinho. cantava baixinho, sentia frio. assistia o jogo como um velho de rádio qualquer, ou como eu mesmo.

    a diferença das mulheres pros demais torcedores do estádio é que, vendo uma cena assim, tive vontade de dar uma flor pra ela

  • 101. Sanchotene  |  16/06/2009 às 20:04

    Para a macacada se esquentar para a partida contra o Gambá:
    TEM QUE TER ÓDIO DESSA PORRA DE CORINTHIANS
    Luiz Felipe Scolari

  • 102. Godo  |  16/06/2009 às 20:33

    Absurdo total a cena…

    Mas, convenhamos, Inesita é outra coisa. Jesus.

  • 103. Luís Felipe  |  16/06/2009 às 22:24

    #80

    Prestes, tu não pode estar falando sério. Não acredito.

    Tu conhece as histórias de Emil Pinheiro e Castor de Andrade, com Botafogo e Bangu nas priscas eras? São os precursores de Abramovich, Glazer…

  • 104. Gustavo  |  17/06/2009 às 09:22

    #101: Felipão MESTRE

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Subscribe to the comments via RSS Feed


Especial – Libertadores 2011

A bola da ImpedCopa

Toco e me voy

Feeds

web tracker

%d blogueiros gostam disto: