Considerações galináceas

27/04/2009 at 12:30 142 comentários

Aos 39 minutos, depois de já ter perdido a bola no lance, Kléber chegou aos trancos na área do Atlético Mineiro e arrematou para o seu primeiro (e único) gol na partida. Posto o 1×0 no placar, o Cotovelo Dourado começou a imitar uma GALINHA e mandar a torcida alvinegra tomar não sei onde. Naquele momento, SARTRE me mandou um SMS no qual expressava todo o seu anseio por desvendar a dignidade humana naquele jogo.

Galinha é a mãe

Eu costumo vibrar muito quando vejo esse tipo de provocação. Sempre tive na idéia que um atacante provocador vale mais que três que dormem cedo e mandam beijos pra mamãe. Só que ontem, foi diferente.

Pensei o seguinte: eu sou um torcedor do Atlético Mineiro. Ganho meu salário mínimo como operador de caixa, pego dois ônibus para chegar em casa, sustento uma família e economizei uma graninha no final do mês, a fim de pagar ingressos e feijão tropeiro para mim e para meus filhos no Mineirão. Aí, um bastardo que ganha salário com cinco zeros antes da vírgula faz um gol no meu time e se vê no direito de me chamar de galinha!

Ah, mas é claro que dá uma raiva. Dá vontade de pegar uma gaveta de caixa registradora e enfiar na boca daquele rapaz. Não por acaso, a torcida do Atlético Mineiro no Orkut dizia coisas como:

“tem que cercar, pegar e hospitalizar”
“esse cara sai na noite, sai na rua, ele não sabe com quem se meteu”

O tópico foi apagado nessa manhã, mas dá para imaginar que a vida do atacante em Belo Horizonte vai ficar complicada.

A carapuça serviu

Ok, o Kléber levou o cartão amarelo e pode até levar uma punição maior do TJD, que adora essas coisas. Tudo bem, eu acho que jogador malandro mesmo é quem aceita a provocação e fica quieto, e atleta do Galo que fosse usar a violência contra ele teria de ser muito burro, pois certamente seria expulso.

A questão é que os jogadores do Atlético não fizeram NADA. Nem tiraram satisfações. Nem um “quem tu pensa que é”, nem baixar o calção, nem uma entradinha marota por cima da bola. NADA. Seguiram andando de cabeça baixa até o meio do campo e assim permaneceram até o final dos 90 minutos, quando o placar já anotava 5×0.

Ali acho que a moral desse time do Atlético se desmanchou. Repito: não se responde uma provocação dessas com violência. Violência é burrice e cartão vermelho contra o teu time. Dava para fazer como um Riquelme faz com os árbitros – bota a mão no ombro do cara e tira satisfações, tira uma onda, humilha. Com certeza o pavio curto do Kléber acenderia e o futebol dele iria definhar até a expulsão, como ocorreu outras vezes.

Quando os jogadores do Galo ficaram quietos do início ao final da partida, passando pelas entrevistas fora do campo, a impressão que ficou foi péssima. Se o clube não tem dinheiro, se a estrutura é ruim, tudo bem – mas pelo menos apresenta alguma DIGNIDADE em campo, honra a camisa que veste.

Cara-de-pau

Pior que a provocação foi isso.

“Na saída para o intervalo, Kléber falou sobre a reação que teve depois do gol:

– (O galo) É o símbolo deles, mas não quis provocar, não. Foi apenas uma forma de comemorar com a minha torcida – explicou.”

Por favor, Kléber. Se foste homem o suficiente para debochar, também seja para assumir.

Todos os gols:

Até a vitória,
Luís Felipe dos Santos

Entry filed under: Estaduais.

Dia Mundial do Xis Bacon O Robin Hood de Tacuarembó

142 Comentários Add your own

  • 1. fabio  |  27/04/2009 às 12:43

    Sinto falta desse Kleber no Parmera

    e jogador bandido no suprassumo da definição – aquele que faz e assume – tá em falta mesmo…

    mas melhor um ladrão de galinha que um DOM Evaristo Arns dentro da cancha

  • 2. Gilson Filho  |  27/04/2009 às 12:57

    Essa “falta de malandragem” do time do atlético é inversamente proporcional à reação do Diego Souza no jogo do Santos. Ali, o cara resolveu apelar pra violência numa situação onde ele poderia facilmente sair por cima “na malandragem”. Como colorado, me pergunto o que fariam os jogadores do meu time numa situação parecida como essa…

  • 3. Lucas Cavalheiro  |  27/04/2009 às 13:02

    Discordo do texto.

    Só ver o lance do gol. O cara toma um soco na orelha, cai. Que maneira melhor de responder? Com um gol…

    Eu já fui boleiro e não recrimino ações como essa e a do Germano do Santos: jogo pegado, adrenalina lá em cima…. o cara toma um tapão nas ventas, NÃO VÊ MAIS NADA…. sobe o sangue… e dá pra ver depois da comemoração o quanto de raiva o cara acumulou naqueles 20s

  • 4. Matheus Caldas  |  27/04/2009 às 13:09

    Ridículo. É só como se pode definir tamanha parcialidade em um post.

    A torcida atleticana é muito boa em se fazer de vítima e querer resolver tudo na base da porrada. Em BH, é quase unânime a afirmação, inclusive de próprios atleticanos, de que a Galoucura tem em seus quadros de participantes uma infinidade de BANDIDOS. Não que a Máfia Azul não os tenha também, mas quase nunca queremos decidir algo na porrada.

    É muito fácil hostilizar o Kléber agora. Hostilize, senhor blogueiro, o seu presidente. É ele quem tem a maior parcela de culpa no clima de guerra tem crescido em se tratando de Cruzeiro e Galo. Foi ele que se mostrou um PRESEPEIRO ao afirmar que daria apenas 10% da carga de ingressos para a torcida Azul, medida nunca antes tomada e que não vai dar em nada em função da sacolada deste domingo. Foi ele que incitou a China Azul ao afirmar que o Cruzeiro só ganhou o jogo do 1º turno em função de uma quadrilha. E foi por causa de tamanha choradeira que Kléber desabafou ontem. Por meios desnecessários, talvez, mas que não devem ser considerados como desrespeito. Isso é do futebol e aposto que você faz quando faz um gol em uma pelada qualquer.

    Antes de se dizer blogueiro, tente olhar as coisas pelos dois pontos de vista. Porque qualquer cruzeirense, depois do que ouviu durante a fase final do Mineiro, faria o que Kléber fez. Como seu presidente mesmo disse, tudo foi culpa dele e SÓ dele.

  • 5. Matheus Caldas  |  27/04/2009 às 13:11

    E quando for comentar o clássico de fato, lembre-se do baile tático que Adílson Batista deu no Leão.

    Aí a gente pode começar a ver o porque dos 5×0. De novo.

  • 6. Luís Felipe  |  27/04/2009 às 13:12

    ser chamado de atleticano é novidade para mim.

  • 7. Matheus Caldas  |  27/04/2009 às 13:14

    Considere-se como quiser.

  • 8. Lucas Cavalheiro  |  27/04/2009 às 13:16

    Pára-quedistas no Impedimento?

  • 9. Luís Felipe  |  27/04/2009 às 13:20

    Matheus,

    Longe de mim querer pregar a moral e os bons costumes num campo de futebol.

    Agora, um gesto como esse certamente não vai diminuir a violência da Galoucura ou a raiva do presidente do Atlético.

  • 10. Matheus Caldas  |  27/04/2009 às 13:23

    Se foi pra mim a pergunta: não. Sempre leio o blog e acho ele muito bom. Escrevo pro Blá Blá Gol e sempre me identifiquei com os dois porque são visões dos torcedores para o futebol, mas com um mínimo de sensatez.

    Escrever sobre um Cruzeiro x Galo sem saber do que se passou durante toda a semana anterior ao clássico é difícil. Na verdade, sem saber do que se passou desde o último clássico.

    O problema da violência em BH é muito maior do que uma comemoração de um cara que ouviu muita merda no último mês. Passa por bandidos nas duas torcidas, inclusive nos seus quadros de direção, além das declarações infelizes de dirigentes e de decisões erradas da PM, que, por outro lado, trabalhou muito bem ontem.

  • 11. dante  |  27/04/2009 às 13:26

    muito bom o texto.

    e muito deprimente o comentário do sr. matheus caldas quando cita a “parcialidade” como se fosse um crime e quando diz que a torcida rival resolve tudo na porrada, e que a sua também faz isso, mas “menos”.

    deprimente.

    a propósito, o “blogueiro” que assina o texto é colorado, sr. matheus.

  • 12. Matheus Caldas  |  27/04/2009 às 13:28

    Não vai diminuir isso.

    A raiva do Alexandre Kalil não tem razão de ser. Se tiver, que ele guarde pra ele mesmo e não saia esbravejando à quatro cantos que o Cruzeiro só é o que é por causa de uma quadrilha na FMF. Isso é tapar o sol com a peneira e é por esse tipo de visão que o Galo está onde está hoje. Um time que vive de glórias passadas.

    Minha opinião sobre torcidas do porte da Galoucura, Máfia Azul, Independente, Gaviões, Raça Rubro-Negra, e todas as outras que só fazem diminuir o espetáculo é uma só: elas têm que acabar. Eu mesmo sou membro de uma torcida organizada, a TFC, mas que tem como mandamento o apoio incondicional ao time e o protesto, se houver necessidade, pacífico.

    O problema é que tudo que o Kléber faz tem muito mais repercussão por seu histórico. Mas quem tem acompanhado os últimos jogos do Cruzeiro sabe que o Kléber tem apanhado igual boi-ladrão e já não revida mais.

  • 13. beretta  |  27/04/2009 às 13:30

    Eu sempre soube que o LF era atleticano!!

    Huaaaa!!!

  • 14. Matheus Caldas  |  27/04/2009 às 13:31

    Dante, que parte você não entendeu? Eu disse que isso é um male e que as duas torcidas fazem isso, infelizmente.

    Por isso é necessário que se acabe com a farra de ingressos cedidos, de bandidos nos estádios e que essas torcidas são a porta de entrada de marginais pro campo.

    O post me pareceu parcial. Porque em um clássico desses, com tamanho destaque para o resultado, não se pode apenas pegar um fato e deixá-lo maior que tudo que aconteceu antes, durante e depois do clássico. Ou então, se o objetivo é discutir o que o Kléber fez, discuta-se com base também nos fatos que levaram ele a fazer aquilo. É isso que eu tô tentando mostrar.

  • 15. Matheus Caldas  |  27/04/2009 às 13:33

    Bom, portanto retiro minha crítica ao time do blogueiro.

  • 16. Franciel  |  27/04/2009 às 13:36

    Beretta,
    o problema não é o mineiro Luís Felipe ser atleticano (isto toda a Bahia e uma banda de Sergipe já sabem), o problema, repito, é ele ficar tirando esta onda de imparcial. Isto, sim, é sacanagem.

    Depois deste massacre entre irmãos, fica ainda mais atuala frase de Otto Lara: O mineiro não é solidário nem no câncer.

    5 x 0? Pra quê isto, meu jesus cristim?

    Por que estes desinfelizes das gerais não seguem o exemplo dos baianos? Ontem mesmo jogamos bola para meter muito mais de cinco. Mas, fingimos que era jogo duro e brocamos apenas por 2 x 1.

  • 17. Matheus Caldas  |  27/04/2009 às 13:38

    Franciel, cuidado.

    Você como rubro-negro baiano, se ficar de solidariedade com atleticanos, é capaz de tomar um sarrafo quarta-feira.

    Hehehe.

  • 18. Franciel  |  27/04/2009 às 13:41

    Quarta-feira vou botar o time juvenil. Eu vou lá gastar minha beleza com este negócio de Copa do Brasil, sendo que no domingo teremos a segunda etapa da Mãe de Todas as Batalhas, o glorioso e inolvidável ba X VI?

  • 19. Frank  |  27/04/2009 às 13:41

    #16
    Franciel, um fiel seguidor da LEI DE SANCHO…

  • 20. beretta  |  27/04/2009 às 13:41

    Ô Françuel, essa frase aí dos mineiros me lembrou o “Bonitinha, mas ordinária” que eu via escondido dos meus pais quando era mais piá ainda.

    E eu jurava que era “O mineiro só é solidário no CANSAS!”
    aeaeheeaheheaehaehoe

    Perdi total!!

  • 21. Matheus Caldas  |  27/04/2009 às 13:43

    Pô, o Vitória eliminar o Galo seria um belo favor.

    O Cruzeiro até faria isso, se não fosse proibido de jogar por causa da Libertas. Fica o dever para vocês, apesar que minha maior esperança é o Internacional.

  • 22. Fernando Cesarotti  |  27/04/2009 às 13:44

    Concordo com o Matheus quando ele fala que o Kléber tem o dobro de repercussão, porque era o que acontecia aqui desde os tempos da cotovelada no André Dias.
    Mas é fato que o Luis Felipe tem razão ao dizer que ele passou do ponto e, pior, negou fogo em seguida. E, não, eu não sinto falta dele aqui no Palestra, apesar de 98,5% da torcida discordar de mim.

  • 23. Luís Felipe  |  27/04/2009 às 13:45

    Porque em um clássico desses, com tamanho destaque para o resultado, não se pode apenas pegar um fato e deixá-lo maior que tudo que aconteceu antes, durante e depois do clássico.

    olha, Matheus, falo como leitor: eu prefiro ler nos blogs o que não leio nos jornais.

  • 24. Matheus Caldas  |  27/04/2009 às 13:50

    “olha, Matheus, falo como leitor: eu prefiro ler nos blogs o que não leio nos jornais.”

    Eu também, Luís. É por isso que quando escrevo, tento dar uma visão do jogo como torcedor. Até porque é muito mais da hora isso. Mas, e eu não sei se funciona assim também em POA, aqui em BH existe uma grande parte da imprensa que é totalmente atleticana. Ou seja, essa repercussão gigantesca que foi dada a um fato isolado foi um dos maiores, senão o maior, assunto aqui hoje.

    Aí tu vai ficando de saco cheio de ninguém dar o merecimento devido ao resultado do jogo, preferindo dizer que foi porque o juiz errou, ou que o Kléber vai arrumar confusão com o que fez e tenta, como eu to tentando, mostrar que não é bem assim.

  • 25. Taison  |  27/04/2009 às 13:58

    Se eu soubesse imitar uma gazela o gremio tava perdido!

  • 26. Rudi  |  27/04/2009 às 13:58

    Matheus, posso estar enganado, mas uma coisa que o LF falou foi da passividade do galo, não só quanto as provocações do kléber, mas como um todo, o jogo todo, inclusive tecnicamente…
    Comportou-se na partida como um todo assim, como uma equipe que parecia ter voltado de um encontro com Jah…
    Não acompanhei nada dessa briga de ingressos (o que por si só é uma palhaçada… o IDEAL seria que cada um fosse no jogo onde quisesse e tal, assistissem ao lado do adversário, pois são adversários, não inimigos) mas sei que um 5 x 0 sempre passa por algo mais do que a bola, quando se fala de dois times com história, camisa e divisões parecidas…
    há de se buscar algo mais para explicar tudo o que foi, mas acho que não era o intento do LF, e sim comentar sobre a passividade galinácea mesmo…
    Kléber tem a fama de marginal, isso ninguém vai tirar por um bom tempo, então qualquer coisa que ele fizer será superdimensionada… mas como o LF disse, se começou a provocar, assume…
    Vi nisso a única crítica dele a algo cruzeirense, mas se vc viu mais… lamento não ter reparado
    Ah, assim como ele, sou colorado também… por isso talvez esse estranhamento com tua reação, por não conhecer a praça, e peço desculpas novamente por escrever sem tanto embasamento, mas apenas com impressões

  • 27. m  |  27/04/2009 às 13:59

    luiz, o leandro almeida até tentou provocar uma explosão kleberzística durante o jogo, e o rapaz se conteve. mesma coisa no jogo contra o deportivo quito. talvez – TALVEZ – ele comece a usar mais a cabeça a partir de agora.

    todo mundo tá querendo tirar uma casquinha, encher a paciência, tirar o cara do jogo. por mim, como cruzeirense, tá ótima a maneira que ele achou pra desabafar: provocar os outros depois dos gols. pela libertadores na quarta-feira, depois do gol do wagner, ele foi gritar 130 impropérios na cara do infeliz que lhe deu um sopapo na cara. melhor que dar cotovelada.

    quem fala tem que estar disposto a ouvir, oras.

  • 28. Frank  |  27/04/2009 às 13:59

    #25
    Taison, tem certeza que tu não sabe?
    Não foi isso que o BOLÍVAR disse…

    ahiahaeiehai4E

  • 29. Jabba  |  27/04/2009 às 14:00

    Eu vou na contramão do politicamente correto, se punirem o Kleber vai ser um absurdo total, acho que o jogador tem o direito de comemorar um gol como quiser (fora algum absurdo, tipo dar um beijo na boca do técnico ou passar a mão na bunda do goleiro) e isso é que move o futebol, a flauta, a brincadeira.
    Se algum imbecil na torcida achar que isso é motivo para agredir alguém que não tem nada a ver com isso, tem que colocar o nego em cana e não deixar nunca mais entrar em um estádio (como fazem na Europa).
    Tem que punir é o louco aquele que tentou igualar o inigualável Darzone.

  • 30. Lucas Cavalheiro  |  27/04/2009 às 14:02

    “Aí tu vai ficando de saco cheio de ninguém dar o merecimento devido ao resultado do jogo, preferindo dizer que foi porque o juiz errou…”

    Conheço bem essa história, ahhh se conheço!

  • 31. beretta  |  27/04/2009 às 14:03

    Se eu fosse o Kléber sairia correndo, pulando e balançando o PERU que nem um pirocoptero.

    Azar de quem foi goleado.

    Agora chora neném (CROCO, Tonho – Ultramen)

  • 32. fino  |  27/04/2009 às 14:10

    Já falamos desse assunto outra vez (aqui https://impedimento.wordpress.com/2008/04/07/o-dia-em-que-a-terra-parou/) quando o Juventude desclassificou o Grêmio e o cara foi mandar a torcida azul calar a boca…

    Video da confusão aqui: http://www.youtube.com/watch?v=Z2eTGIyuiK4

    Lembro que defendi SOZINHO a reação dos jogadores gremistas…

    Violência pode ser burrice etc etc, mas é conversa pra quem toma café e discute na internet… dentro de campo a coisa é diferente e, por mais que prejudique o time, vejo mais dignidade em dar um soco na boca do filho da puta que faz esse tipo de provocação do que “bater no ombro de canto”, ou “falar com o juiz”…

  • 33. Victor  |  27/04/2009 às 14:11

    Qualquer repercussão pior que aconteça já tem a frase padrão:

    “Já pedi desculpas AO MEU TIME no vestiário”

  • 34. m  |  27/04/2009 às 14:11

    em relação à passividade, outra coisa que me impressionou: nem o LEÃO reclamou. não criticou árbitro, não xingou o kléber, não culpou ninguém; só falou que o atlético foi arrasado e ficou por isso mesmo.

    acho que o pessoal de vespasiano se conformou com a atual situação, viu?

  • 35. Rudi  |  27/04/2009 às 14:13

    pra Leão não reclamar é porque a coisa foi feia mesmo…
    mas ainda chegará o dia em que o LUXA não irá reclamar

  • 36. André K.  |  27/04/2009 às 14:14

    Mas, e eu não sei se funciona assim também em POA, aqui em BH existe uma grande parte da imprensa que é totalmente atleticana.

    Funciona

  • 37. Matheus Caldas  |  27/04/2009 às 14:15

    Meus caros, pergunto a vocês: e a comemoração do Reintería contra o Nacional do Uruguai? Os caras tavam enchendo o saco dele e ele foi lá, meteu um gol e fez aquela dancinha (bem da hora, por sinal) dele muito mais indecente do que o normal e nenhum, EU DIGO QUE NENHUM, colorado reclamou.

    É como eu digo. O Kléber ontem apanhou igual boi-ladrão de novo do Rafael Miranda. Caiu, levantou, meteu o gol e pronto. Foi aquilo lá que todo mundo viu.

    Gosto do estilo de jogo do Kléber, que apanha mais não cai, e sou a favor da forma como ele vem lidando com as provocações ultimamente. Melhor meter um gol e falar 130 impropérios do que devolver uma porretada. E se um cara toma isso pra desculpar uma agressão a outro, como disse o Jabba, tem que ir em cana mermo.

  • 38. Frank  |  27/04/2009 às 14:15

    #36
    A parte colorada, você quer dizer…

  • 39. Lucas Cavalheiro  |  27/04/2009 às 14:17

    O problema do Kléber é que a imprensa já marcou ele. QUALQUER coisa vai ser motivo pra falação.

  • 40. Titi  |  27/04/2009 às 14:18

    #25

    Nao fez gol no Gremio nem no Juventude.

    menAs.

  • 41. Dante, o viamão lotado  |  27/04/2009 às 14:18

    hein?

  • 42. Rudi  |  27/04/2009 às 14:20

    Adoramos Rentería sim, e concordo que o kléber não estava errado, mas ele já fez tanta merda, principalmente no palmeiras e no começo dele aí no cruzeiro, que qualquer coisa sobre ele todo mundo vai olhar de cara feia… talvez hoje ele esteja pagando esse preço, não fazer nada e ainda ficar com a fama…

  • 43. Lourenço  |  27/04/2009 às 14:22

    Só eu que não vejo muitos atleticanos na imprensa gaúcha?

  • 44. Matheus Caldas  |  27/04/2009 às 14:23

    Aí sim, Rudi.

    E, pra constar, eu bem que gostaria de ver um Rentería meter um gol no Galo pelo Cruzeiro.

    Aí sim.

  • 45. Rudi  |  27/04/2009 às 14:23

    Wianey Carlet eu acho que é atleticano (ns)

  • 46. Matheus Caldas  |  27/04/2009 às 14:26

    Pô, eu se fosse vocês, não me espantaria de pegar um para-quedista atleticano na imprensa de vocês.

    O cara que narra os jogos do Galo pra maior rádio de BH é gremista.

  • 47. Rudi  |  27/04/2009 às 14:26

    no começo do ano, quando o kléber tava naquelas de fazer 3 gols e ser expulso depois, fui um dos únicos aqui a defendê-lo como jogador que pudesse acrescentar algo ao cruzeiro…
    mas alertei da necessidade de colocar um freio equino nele…
    parece que fizeram isso… mas tudo vem com o tempo, vamos aguardar

  • 48. Lourenço  |  27/04/2009 às 14:31

    Uma vez o Luís Felipe disse (em outro contexto, que não lembro qual) o problema da violência no futebol não era tanto das brincadeiras e provocações, mas da intolerância do “politicamente correto”, que via na brincadeira uma ofensa, um desrespeito. Tudo virou proibido. Se eu estiver errado até aqui, desculpa, mas pelo que eu lembro era mais ou menos essa a idéia geral.

    Surpreendi-me, então, quando vi que o texto era de tua autoria, Luís. Imaginei que tu seria um daqueles que veria a atitude do Kléber como normal, até saudável. Não estou te chamando de incoerente, mas quero sim dizer como os critérios de admissão à brincadeira e à provocação são tênues, até para o mesmo analista.

  • 49. m  |  27/04/2009 às 14:32

    necessário colocar esse freio, porque eu tô espantado com a qualidade dele. que baita jogador. e pensar que ele servia de escada pro alex mineiro em 2008…

  • 50. Rudi  |  27/04/2009 às 14:36

    não falando de mãe, e nem de apelações de cunho sexual, vale toda e qualquer brincadeira… hehehe
    já diria gil vale-tudo

  • 51. Luís Felipe  |  27/04/2009 às 14:38

    Lourenço, por isso o que eu falei ali em “galinha é a mãe”. Depois que estava lendo o que os torcedores do Atlético escreviam, eu conseguia compreender a raiva.

    Mas olha só: eu não acho que existe uma correlação entre isso e a violência fora de campo. A violência fora de campo é subproduto de relações doentias entre determinados grupos, desde sempre. As brigas homéricas entre torcidas organizadas em jogos de categorias de base,que não têm mídia, divulgação ou provocação, comprovam isso.

    E também, o cara chamou todo mundo de galinha. Pô, galinha é foda.

  • 52. Francisco Luz  |  27/04/2009 às 14:40

    Mas, e eu não sei se funciona assim também em POA, aqui em BH existe uma grande parte da imprensa que é totalmente atleticana.

    Funciona, também. O principal grupo jornalístico daqui tratou com mais importância o título da Série B do Grêmio do que o vice-brasileiro do Inter em 2005. E essa celeuma para cima da derrota do Gauchão deste ano foi igual em 2006, com nego clamando abertamente — e comigo apoiando, admito — a saída do Abel do Inter.

  • 53. Luís Felipe  |  27/04/2009 às 14:41

    e outra, eu não tenho uma solução mágica, ou um compêndio sobre provocações nos estádios. Acho que tudo é muito relativo.

    tem gente aqui argumentando que o Kléber levou um soco na orelha antes de provocar. Aí, começa a fazer sentido. Assim como eu acho que se um atacante de um time que está fudido faz gol num clássico e ganha o jogo (Christian em 2003, por exemplo) eu não consigo ver o fato desse cara mandar a torcida adversária calar a boca de forma tão antipática.

  • 54. m  |  27/04/2009 às 14:43

    de qualquer forma, alguém tem que contar pro kléber sobre o caso do cris, há uns anos atrás.

    o zagueiro comemorou o título de 2004 provocando a torcida do atlético, chegou a disparar dois sinalizadores azuis em direção ao pessoal. deu uma confusão do caralho, o goleiro do galo foi atrás dele, troca de socos, o leriado todo.

    alguns dias depois, aparece o cris na mídia chorando, dizendo que estava sendo ameaçado de morte e que tavam perturbando até a família dele.

    tenso, o negócio.

  • 55. Matheus Caldas  |  27/04/2009 às 14:44

    Pô, os atleticanos chamam os Cruzeirenses de Marias como se fosse a coisa mais normal do mundo.

    O time que escolhe o Galo como mascote tem que saber que isso vai acontecer.

    E não foi a primeira vez. Paulinho McLaren, o saudoso, já tinha feito isso sem essa repercussão toda.

  • 56. Matheus Caldas  |  27/04/2009 às 14:45

    “o zagueiro comemorou o título de 2004 provocando a torcida do atlético, chegou a disparar dois sinalizadores azuis em direção ao pessoal. deu uma confusão do caralho, o goleiro do galo foi atrás dele, troca de socos, o leriado todo.”

    O sinalizador foi jogado pela torcida atleticana e o Cris devolveu.

    Mas concordo que ele tava errado de ir comemorar do jeito que comemorou. Apesar que ele pode dizer que só tava dando a “volta olímpica”.

  • 57. Rudi  |  27/04/2009 às 14:46

    não convivo em belzonte pra saber, mas pelo que ouço falar… a relação de rivalidade NA MÉDIA é bem menos sadia que a entre gremio e inter, por exemplo, o quebra-pau é muito maior e constante, mesmo quando nem jogam um contra o outro
    alguém confirma?

  • 58. Luís Felipe  |  27/04/2009 às 14:46

    se Martin McFly estivesse em campo, o Kléber não sairia dali tão fácil.

  • 59. Matheus Caldas  |  27/04/2009 às 14:48

    Confirmado.

    A rivalidade entre Grêmio e Inter é diferente. Os Gremistas não se vestem de vermelho, o papai-noel é azul e aquela coisa toda.

    Mas em BH, em dia de clássico, você, simplesmente, não pode passar em grandes concentrações de torcedores de um dos times com a camisa do outro.

    Eu mesmo vou em todo clássico, mas só coloco a camisa lá.

  • 60. Rudi  |  27/04/2009 às 14:48

    LF, desculpe mas… não entendi

  • 61. Matheus Caldas  |  27/04/2009 às 14:49

    Por outro lado, dentro do estádio não há problema, como já foi falado mais de uma vez aqui sobre os problemas de torcedores tricolores e colorados nos estádios rivais.

  • 62. Luís Felipe  |  27/04/2009 às 14:49

    http://pt.wikipedia.org/wiki/Marty_McFly

    “não…me chame…de FRANGUINHO!”

  • 63. Rudi  |  27/04/2009 às 14:50

    ah…
    agora lembrei

    o desencannes inclusive tem um anuncio que fala disso…

  • 64. Prestes  |  27/04/2009 às 14:52

    O ideal seria que esse tipo de provocação não causasse nenhuma reação violenta.

    Mas causa. Lembrem-se que o Fabricio Carvalho satirizou a águia do América-MEX, causando uma das maiores pancadarias da história da Libertadores, senão a maior. A culpa foi dele? Não. Mas tem coisas que é melhor não fazer.

    Esses dias eu vi o Washington comentando em síntese: “sempre comemorei meus gols com a minha torcida, nunca briguei com ninguém. Por isso, fui acolhido prontamente em um time que eliminei da Libr aos 47 min do 2T ano passado”.

  • 65. m  |  27/04/2009 às 14:52

    matheus, não lembrava bem da história, então dei uma procurada internética. segundo a reportagem da folha, ele buscou os sinalizadores no banco – mesmo porque aparentemente eles eram azuis, e dizem que o pessoal do atlético não gosta muito da cor.

    de qualquer forma, não confirmo.

    e acho que esse foi o primeiro clássico em algum tempo em que não morre ninguém. também não dou certeza, porque sou comentarista de blog e meu negócio é palpite.

  • 66. almilano  |  27/04/2009 às 14:52

    Kléber eterno

    [fim da gasolina] hueheuheuh

    É um treco louco esse futebol. Ontem o Maicossuel deu um “dibre” no Juan do Flamengo e levou uma falta às ganha. Com ele no chão, o Juan ainda foi lá e disse um monte de coisa pro cara.

    Aí é dose, nem “dibrar” mais o cara pode… mas é um tema polêmico, admito.

  • 67. fino  |  27/04/2009 às 14:52

    LF, acho que não entendi teu texto… e, se entendi, achei que é uma contradição atrás da outras.. ksdjksdasdf

  • 68. Matheus Caldas  |  27/04/2009 às 14:56

    Juan ontem tinha que ser mandado pro chuveiro direto.

    É M, sempre tem umas merdas dessas. Certa vez mermo eu presenciei um quebra-pau das porra na Savassi (bairro famoso aqui de BH) umas 6 horas antes de um clássico.

    O cúmulo pra mim foi um jogo Galo x Corinthians que a torcida do Galo topou com um muleque de 16 anos no busão com uma calça do Cruzeiro. Tirou o muleque do busão e bateram tanto no guri que ele morreu por traumatismo craniano.

    Isso é que é foda. Jogo nada a ver e os caras batem pelo simples prazer.

  • 69. Cacalo  |  27/04/2009 às 14:56

    Mas ONDE o Rentería escondia aquele cachimbo?

  • 70. Frank  |  27/04/2009 às 14:56

    Eu acho que estão fazendo muita tempestade em copo d´água com essa coisa toda…
    Antes, foi aquela onda porque o Cristian do Corinthians fez o símbolo da torcida do PALMEIRAS…

  • 71. Almir  |  27/04/2009 às 14:58

    Coitado do Willy Gonzer. Enquanto todos o atleticanos xingavam ou simplesmente se calavam, o narrador é obrigado a narrar quatro gols do rival…

  • 72. Frank  |  27/04/2009 às 14:59

    #68,

    Conheço o Savassi… bairro muito legal por sinal, no estilo da nossa Cidade Baixa…
    O mais legal era o pessoal de BH perguntando pra gente: “c sabonbus que pasnosavás??”
    Traduzindo: “Você sabe o ônibus que passa no Savassi?”

    ahhauahauaja… muito legal o sotaque de BH

  • 73. martina  |  27/04/2009 às 15:00

    bah, mas ninguém entra em campo pra dançar balê. eu acho que regular até provocação e comemoração de gol é transformar o futebol em frescura (que aliás, deve ser o grande objetivo do stjd). mas, se provocar, agüenta até o fim. porque engolir provocação no seco as vezes é impossível. concordo com o fino que tem bem mais dignidade num soco do que num tapinha no ombro, mesmo que isso custe um homem em campo.

  • 74. Matheus Caldas  |  27/04/2009 às 15:01

    Nop, Frank.

    A torcida do São Paulo tem como símbolo os punhos cruzados em X.

    A torcida do Cruzeiro tinha isso também, não sei porque cargas d’agua. E as torcidas organizadas de São Paulo e Cruzeiro eram coligadas, assim como a Gaviões e a Galoucura. Portanto, tanto a Gaviões e a Galoucura têm como símbolo os punhos cruzados e mandando tomar na onde a gente sabe. Por isso que a atitude do Cristian foi hostilizada. Ele comemorou daquele jeito pra torcida do São Paulo.

  • 75. Camilo  |  27/04/2009 às 15:01

    Brasil-PE contrata o volante Diego Martins

    http://www.clicrbs.com.br/esportes/rs/noticias/futebol-brasilpelotas,2489987,Brasil-Pe-contrata-volante-Diego-Martins.html

  • 76. Paulo Torres  |  27/04/2009 às 15:02

    A rivalidade em BH está sim descambando pra ignorância e falta de noção total. Coisa de sair pancadaria em show de rock em que um cara da banda usa uma camisa de um dos dois times – isso longe de qualquer clássico, sem clima nenhum de futebol na história.

  • 77. Frank  |  27/04/2009 às 15:02

    #73
    Legal mesmo é quando a torcida provoca e o jogador responde à altura…
    Lembro bem de um Juventude x Paysandu na Serra, lá pelos idos de 2002, 2003, que os polenteiros chamavam os caras de ÍNDIOS, etc e tal…
    Daí o tal do Robgol foi lá, fez um gol e lançou umas flechas imaginárias nos caras…
    ajua9haiaiah

  • 78. Frank  |  27/04/2009 às 15:05

    #74
    É a tal “União do Punho Cruzado” vs a “União Dedo pro Alto”…
    O Roger galisteu também comemorou um gol assim também…
    Mas, pelo que eu saiba, quem participa dessa união é a MANCHA VERDE, e não a Gaviões…
    Mas essa fica para os palmeirenses responderem…

  • 79. Jones Rossi  |  27/04/2009 às 15:07

    O que seria do futebol sem a incoerência?

  • 80. m  |  27/04/2009 às 15:07

    #76

    mas é só em bh? lá eu sei que o bicho tá pegando, mas no ano passado eu quase não saio vivo do serra dourada por estar acompanhado de pessoas com a camisa do cruzeiro. tipo, nenhum exagero. pra morrer ali não custava nada.

    qual a rivalidade entre cruzeiro e goiás, pelo amor de deus?

  • 81. arbo  |  27/04/2009 às 15:07

    Eu vou na linha do Prestes (perigo). Na minha cabeça deveria ser NORMAL, SAUDÁVEL e levada com HUMOR uma comemoração destas. Sem rancores e blablabla pseudojornalístico depois. Aliás, esse blablabla, q não vi mas é relatado pelo Matheus, só PIORA a situação EXTERNA de violência.
    Ocorre q a violência fora do gramado tá coisa de homo erectus, portanto, relativizando a coisa, a comemoração pode ter um efeito ruim. Mas reitero q a causa não está nela. Em si mesma, só vejo qualidades.
    O fino mencionou aquele fiasco do Grêmio em casa contra o Juventude, o q o cara do Ju fez. Fiquei putodacara, mas só pq era o meu time e estava na frente daquele loco. Se estivesse no campo ia lá dar um encontrão no cara. Mas isso são consequências (e dentro do campo) às quais deve se estar preparado para enfrentar, qdo se faz isso.

  • 82. Paulo Torres  |  27/04/2009 às 15:07

    #72: O certo é “Essônspassavassi?”

    #74: A organizada do Galo é aliada com as de Palmeiras, Vasco e Coritiba. Gaviões, ao que eu saiba, não têm amigos.

  • 83. Frank  |  27/04/2009 às 15:10

    #82
    Isso! Cara, nessa época eu namorava uma mineirinha de BH… que saudade!
    haaiahaih

  • 84. Matheus Caldas  |  27/04/2009 às 15:16

    Mas não tem sentido o Cristian fazer um gesto daquele jogando pelo Corinthians.

    Provável que a Gaviões só faça esse gesto pra enxer a cara da Independente.

  • 85. beretta  |  27/04/2009 às 15:17

    Não pode golear.

    Não pode comemorar.

    Próxima etapa:

    Torcedores deverão ficar calados o jogo todo e só aplaudirem na hora dos gols. Nada de bandeiras e/ou outros equipamentos. Assim como acontece no tênis.

  • 86. Yuri  |  27/04/2009 às 15:19

    #85: Campeonato inglês, agora??

  • 87. Matheus Caldas  |  27/04/2009 às 15:20

    #85: Campeonato inglês, agora?? (2)

  • 88. Fabio  |  27/04/2009 às 15:21

    Duas cousas:

    1) Porra, o cara não pode fazer nada que é ofensa? Sério, essa onda de motivar o adversário “porque falei que meu time é favorito” ou “porque saiu nove linhas a mais no jornal num time do que no outro durante os 10 dias anteriores ao jogo” é MUITA VIADAGEM pro meu gosto,

    2)Fernando, por que acha que o Kleber não cabe no Parmera esse ano? Acho o erro maior do Luxer, que escalava ele como AJUDANTE-DE-OBRAS e ROBIN do Alex Mineiro…

  • 89. m  |  27/04/2009 às 15:22

    no caso, kleber = cantona dando voadora na torcida.

  • 90. beretta  |  27/04/2009 às 15:22

    Ah, esqueci!!!

    Depois de Botafogo x Flamengo…

    Não pode driblar.

  • 91. almilano  |  27/04/2009 às 15:28

    Pô Beretta…

    O Campeonato inglês é organizado e a torcida lá canta MUITO durante o jogo todo.

    De resto concordo. Não pode mais golear e nem comemorar, é dose…

  • 92. Prestes  |  27/04/2009 às 15:29

    Cara, eu acho que é lindo e é do futebol, tanto a provocação do sujeito, quanto rolar uma confusão generalizada DENTRO DE CAMPO, sem torcida, por causa disso.

    Quer história mais afudê que a do Almir Pernambuquinho que, após perder o campeonato, foi pra cima de todo o time do Bangu, causando talvez a maior pauleira da história do Maracanã?

    SÓ QUE, Almir foi morto em uma briga de bar. Então, FOSSE EU jogador, seria como sou, um cara que tenta levar a vida sem brigas, não seria como o Kleber. Mas não o recrimino nenhum pouco, faz parte do futebol esses aloprados. EU que não sou aloprado, não faria.

    Mas tb acho que, tanto cabe ao centro-avante fazer com que a torcida rival queira te matar, quanto cabe aos árbitros e tribunais impedir isso. Vejam bem, não sou contra o Kleber fazer isso, mas ao mesmo tempo, as autoridades esportivas tem que dar uma aparada nas asinhas do rapaz.

  • 93. Matheus Caldas  |  27/04/2009 às 15:32

    “mas ao mesmo tempo, as autoridades esportivas tem que dar uma aparada nas asinhas do rapaz.”

    Mais?

    Se alguém cair na área numa disputa de bola e o Kléber tiver no banco de reserva, é capaz do juiz expulsar o Kléber por achar que foi ele que deu a cotovelada.

  • 94. Prestes  |  27/04/2009 às 15:32

    Acho que um amarelinho caberia ali.

    E no caso do Galo, e sua dignidade, estava um a zero, era mais o momento de responder com gana na partida.

    Mas não verei nenhum mal se os jogadores do Galo queiram quebrar o Kleber no próximo jogo. EU não faria, acho pior pra carreira dos caras, não resolve nada.

  • 95. beretta  |  27/04/2009 às 15:33

    Mas eu nao disse que era campeonato inglês.

    =S

    Assim como acontece no tênis.

    Para de fuma, Almilano!
    aaouehaoehoehoheae

  • 96. arbo  |  27/04/2009 às 15:34

    tá, o fábio no 88 falou o q eu não disse.

  • 97. beretta  |  27/04/2009 às 15:35

    O Matheus, sério, do jeito que tu fala parece que o Kléber é um anjo!

    Eu acho que de ser tri massa ter um atacante MALOQUERO!

  • 98. Luís Felipe  |  27/04/2009 às 15:40

    segundo as minhas regras, só pode provocar o adversário se não imitar galinha e se não for contra um time que ganhou um clássico nos últimos 11.

    cumpra-se.

  • 99. almilano  |  27/04/2009 às 15:41

    adasiudadhduidh

    bando de loco…

  • 100. Battaglin  |  27/04/2009 às 15:42

    Nada contra a provocação.
    Sou contra é o cara provocar, dar uma baita confusão e depois dizer que foi mal interpretado, viz. Souza na comemoração do chororô e o Kléber agora…

    Lembro de ter visto um jogo de SALÃO em que o Falcão provocava a torcida e os jogadores do time da casa invadiram a quadra e deram chutes e socos nele, que saiu rindo. Depois do jogo ele nem reclamou e confirmou que provocou e riu, dizendo que o “jogo foi legal, teve até um pouco de boxe”.

    ========

    Tema de Casa:
    Homeostase e a QUESTÃO GALINÁCEA

    NORMALIDADE TIME A><VIOLÊNCIA B

    O jogo de minas estava na normalidade recíproca até o Kléber provocar. Até ai, tudo bem.

    Só que se alguém der um soco nele, ele provavelmente dirá “não me bata, isso é errado, me provoque também, vá lá, faça um gol e imite uma raposa”.
    Muita gente, principalmente a imprensa, concordaria com tal raciocínio. Mas provocando de volta você não está igualando! Igualar TAMBÉM pode ser, no caso do Galo, mudar o patamar da discussão, e deixar a provocação, estágio escolhido pelo Kléber, para cair na violência.

    O Kléber deu o primeiro passo saindo da Homeostase, mas agora quer que os adversários só possam igualá-lo onde já está (Provocação).
    Mas por que os adversários deveriam ter esse mesmo tipo de consideração pelo equilíbrio se foi ele quem deu o passo inicial ao mudar o nível da discussão?
    O Galo não tem asas e não as bate, nem mesmo eventualmente?
    E se o Pato bota ovo, por que a Galinha não sabe nadar?
    São perguntas que ficam.

    Quero para semana que vem 3 folhas debatendo o assunto. Vale 2,0 pontos.
    Abraço.

  • 101. Battaglin  |  27/04/2009 às 15:44

    errata:
    NORMALIDADE TIME A>< VIOLÊNCIA B

  • 102. Battaglin  |  27/04/2009 às 15:45

    Há muitos problemas para escrever nos comentários…desisto.

  • 103. almilano  |  27/04/2009 às 15:45

    #100

    Viva as substâncias proibidas pela Carta Magna…

    hauhauhahahau

  • 104. Matheus Caldas  |  27/04/2009 às 15:47

    Putz, complicou demais.

    Kléber é maloqueiro mermo, cara.

    Mas também não é o Paul Gascoigne.

  • 105. Francisco Luz  |  27/04/2009 às 15:47

    Meu deus, Battaglin. Tu quis dizer ALGUMA COISA com isso tudo, ajshdjsahdsadj

  • 106. Battaglin  |  27/04/2009 às 15:48

    Vou usar outros símbolos que não sejam interpretados como HTML

    NORMALIDADE A = NORMAL B
    PROV. A = PROV. B
    VIO A = VIO B

  • 107. m  |  27/04/2009 às 15:48

    acho que o adílson não vai escalar o kléber na 2a partida.

    soares e vanderley neles!

  • 108. Luís Felipe  |  27/04/2009 às 15:50

    agora que o meu post provocou uma aula de psicologia, sinto-me satisfeito.

  • 109. beretta  |  27/04/2009 às 15:51

    Battaglin, o que tu fumou não era tabaco…

    =S

    Em plena segunda o pessoal já ta no Jah Style. Afu.

  • 110. Junior  |  27/04/2009 às 16:02

    Eu acho que o Kleber pode imitar quem e/ou o que ele quiser. Mas pessoalmente não gosto do “Cacalo e Piffero way of life”, de se preocupar primeiro com o adversário e depois com o seu próprio time. Concordo com o post 64 do Prestes e, principalmente, com a frase do Washington. Não sei se o Renteria viraria ídolo por imitar um mosqueteiro, mas ele virou ídolo por imitar o saci, um símbolo de sua própria torcida. Eu não sou anti-gremista, o que me interessa é o Inter.

  • 111. Fabio  |  27/04/2009 às 16:02

    dá pena do Galo…

    o que acontece com o Galo e o Bahia é a mesma coisa…a MIRÍADE de títulos estaduais que eles têm (haddugen, reforma) a mais que seus rivais está diminuindo afu…ainda na Boa Terra o tricolor ganha uma ou outra, mas na hora que se desossa a galinha (ns) não dá páreo com o Vitória…

    não sei se tem alguma pesquisa confiável, mas acho que há muito mais cruzeirenses entre 10 e 30 anos que atleticanos…

  • 112. Francisco Luz  |  27/04/2009 às 16:10

    O têm continua com acento em plurais.

    E a torcida do Cruzeiro é maior, sim – ao menos é o que indicam as últimas pesquisas. Está acontecendo em Minas o que aconteceu aqui nos anos 90, mas com um potencial de humilhação ainda maior, infelizmente (pra mim, que gosto do Galético).

  • 113. izabel  |  27/04/2009 às 16:19

    massa o texto, LF.

    sobre o tapa do germano no chicão, acho que não terá nenhuma repercussão, e acho ótimo isso.
    espero que a diretoria do meu time não me faça morder a língua mas, desde que o STDJ comprou um aparelho leitor de dvd, nós ainda não entramos na palhaçada bambinística de ficar enviando videos e pedindo punição por isso ou aquilo outro. o que aconteceu e o juiz não viu (ou não quis ver) fica pra trás.

  • 114. dante  |  27/04/2009 às 16:21

    off topic:

    não comerei o magrão do #41.

    e já que estamos falando em GALINÁCEOS, sugiro CISCAR UM PREGO.

    dçlksdçsdçvk

  • 115. m  |  27/04/2009 às 16:33

    #111

    há pesquisas que colocam a torcida do atlético como a terceira em minas, atrás de cruzeiro e flamengo.

    estaduais: 39 x 35 pro galo, sem contar com o de 2009 (rárárá).

    tá quase.

  • 116. Paulo Torres  |  27/04/2009 às 16:41

    39 x 34, não?

  • 117. Arruda  |  27/04/2009 às 16:42

    O Fabio matou ali no # 111. Se há um desequilíbrio muito grande entre dois rivais, eu acho que o que está por baixo vai ser muito mais sensível à provocação. Se o jogo tivesse acabado, sei lá, 3×2 para o cruzeiro, a comemoração do Kleber não teria qualquer repercussão.

    Mas o torcedor organizado que é sempre derrotado pensa assim: “se o time não corresponde dentro de campo, é nossa obrigação demonstrar fora dele nossa força.”, e é isso que estraga tudo.

  • 118. m  |  27/04/2009 às 16:50

    #116

    depende da sua visão sobre o SUPERCAMPEONATO mineiro de 2002.

  • 119. Luís Felipe  |  27/04/2009 às 16:54

    essa música “é gol, que felicidade” é muito engraçada, pq não há coisa mais ANTI-CLÍMAX que uma música em ritmo de REGGAE depois de um gol.

  • 120. Charkes  |  27/04/2009 às 17:22

    Impedimento, despeçam ess LF. Notoriamente o mais fraco dos articulistas. Textos chatos, baseados em estatísticas e pesquisas irrelevantes auxiliadas pelo amigo google. Essa do Kleber foi de matar. Coitadinho do torcedor que gastou o dinheiro da farinha de rosca para ir ao Estadio e viu o jogador imitar um galináceo. Não vão nem dormir hoje. Time que toma 5 tem mais é que ficar quieto. No mais, como alguém já disse aqui: LF, volte a opiniar sobre a 4a Divisão do Campeonato equatoriano que é o que você faz melhor.

  • 121. Gabriel R.  |  27/04/2009 às 17:40

    A questao é que parece que o proprio time do atletico ta cagando e andando pro clube…

    Me lembra até os maus momentos colorados na década de 90, ia jogar contra o juventude, tomava uma coça, apanhava o jogo inteiro e no final do jogo o volante anderson saia chorando, que ma fase!! E depois tem gente que vaia o bolivar….

  • 122. almilano  |  27/04/2009 às 17:41

    #120

    Quanto ódio no coração em plena 2a feira…

  • 123. Daniel Cassol  |  27/04/2009 às 17:51

    # 120

    Valeu, Charkes!

    Quer dizer que eu não sou o articulista mais fraco!

  • 124. Yuri  |  27/04/2009 às 17:57

    Ninguém vai falar do EXCELENTE serviço prestado pelo Simon e o Vuaden (tá aprendendo cedo)???
    Cada um inventou um penal ABSURDO… belo serviço, afinal, foram contratados, pois são de outros estados.

  • 125. Jader Anderson  |  27/04/2009 às 18:01

    #122

    Quanto ódio no coração em plena 2a feira…[2] huahuauh

  • 126. Jonas Greb  |  27/04/2009 às 18:04

    POR QUE ESSES CRUZEIRENSES MERECEM CLIMA DE LIBERTADORES!!!

    SÃO UNS BANDIDOS, UNS VIADOS! VAMO DA-LHE PAU NELES… ESSES MINERO DE MERDA! ESSE KLEBER EH UM FANFARRAO GAY!

    CLIMA DE LIBERTADORES NELES PEIXADA!!!!

    Opa, não estou na libertadores e fui eliminado pelo CSA na Copa do Brasil.

    Perdi frenéticamente,

  • 127. Godo  |  27/04/2009 às 19:11

    Curioso, esse código de ética interno dos jogadores de futebol. Maicossuel (o Maxwell brasileiro) reproduziu aquela jogadinha global de Robinho, Juan percebeu, não marcou a bola e fez a falta apenas para logo em seguida dar um chiliquinho. Mais ou menos aquilo que fizeram com o tal Kerlon Foquinha, que não podia nem levantar a bola do chão e já levava uma bordoada.

    Juan já não tem tempo de casa o suficiente pra não cair numa provocação matreira em jogo de ida de final do campeonato pra fazer valer o tal “código de honra”?

  • 128. Serramalte Extra  |  27/04/2009 às 20:16

    bah, tá foda isso…

    Lembro do Paulo Nunes em 96 comemorando um gol de bicicleta no Beira-Rio imitando saci na frente da Camisa 12, não deu nada…

    Maldita internet, sem ela as coisas não eram tão “histéricas”.

  • 129. Flávio  |  27/04/2009 às 20:47

    Pois é. O porco do Viola também passou batido em 93. O Palmeiras deu a resposta em campo: fez 4×0 no jogo de volta. E o que diriam hoje do Romário imitando um gavião para comemorar o golaço (o do elástico) marcado contra o Corinthians no RJ/SP de 99?

  • 130. Paulo Torres  |  27/04/2009 às 20:58

    E a dança da bundinha do Edmundo? (Final do carioca de 97, se não me engano.)

    E bem lembrado o Falcão do futsal. Ele é babaca, provoca mesmo, tira onda, mas pelo menos dá a cara a tapa depois. O vídeo da briga citada: http://www.youtube.com/watch?v=jvGBbhnwKaw

  • 131. manihot  |  27/04/2009 às 21:11

    O tal de Matheus Caldas reclama de um post onde segundo ele se escrever sem saber do que aconteceu durante a semana e me solta que a Gaviões e todas as grandes organizadas tem que acaba.

    Pelo jeito ele conhece bem mesmo a Gaviões, pra resumir ela à violência.

    E ainda me diz ser de uma dessas novas torcida-direito-dos-consumidores, que querem ver o jogo “em paz” e protestar “pacificamente”.

    Se bem que, pensando bem, ao vê-lo cobrar parcialidade eu já devia ter adivinhado tudo isso…

  • 132. manihot  |  27/04/2009 às 21:15

    Caralho, agora que eu li o tamanho da ASNEIRA que esse Matheus Caldas escreveu, hahaha.

    Gaviões e Galoucura tem UNIÃO? HAHAHAHAHAHA.

    E Gaviões faz punho cruzado com dedo do meio em riste? Caralho, quanta MERDA.

    O punho cruzado é símbolo da união entre Independente, Camisa 12 (Inter), Torcida Jovem Sport e Jovem Fla. A Gaviões não faz união desse tipo com ninguém, é política da torcida não fazer.

    A comemoração do Cristian foi tiração de sarro com a Independente, nada mais que isso. Que depois o Gornaldo conseguiu recriar sem dar margem pra ser punido pelo STJD.

    Sério, de onde surgem esses caras na internet que afirmam categoricamente algo que desconhecem tão completamente?

  • 133. emilio  |  27/04/2009 às 22:36

    mas por que nao tomam no cu? ein?
    por que nao tomam no cu?

  • 134. Matheus Caldas  |  28/04/2009 às 00:23

    #132

    Mermão, faz o seguinte: pega o vídeo da Gaviões querendo entrar dentro do gramado do Pacaembu pra quebrar o time todo do Corinthians depois da derrota pro River e me diz se ali são todos santos.

    No mais, você que fala muito sem saber. Eu morei em São Paulo, brother. Não na capital, mas tenho um primo que mora DO LADO do Pacaembu e sempre que têm jogo importante e o Corinthians não ganha, dá confusão. Outra: já fui em alguns jogos do seu time quando morava em Franca, perto de Ribeirão, e já vi muita confusão da organizada do Corinthians. E já vi muita confusão deles aqui em BH. Então, faz o seguinte: antes de julgar minhas opiniões, pense da onde eu tiro elas. Até porque eu já fui da Máfia Azul e sei que ela é membro da União do Punho Cruzado, como você diz. Saí porque não aguentava as badernas quando ia ver o jogo dentro da torcida.

    Agora, pensa por outro lado: o que eu acharia se um jogador do Cruzeiro fizesse o tal do Punho Cruzado com o Dedo do meio em riste só pra provocar a torcida do Flamengo? Se esse símbolo é da torcida do Galo? Estranho, né? Porque então o Cristian, um jogador do Corinthians, fez um símbolo da Mancha Verde.

    Por fim, eu me expressei mal. Não sou a favor de se acabar com as organizadas. Desde que me entendo por gente elas existem, mas só do meio de 90 pra cá que o pau começou a quebrar feio nos estádios. Prefiro que acabem com os marginais que acham bonito entrar em uma briga e dizer que acertou “30 socos num cara” porque ele era da torcida do outro time. Identifique-se, puna-se e pronto. A confusão vai diminuir bem.

  • 135. Diogo  |  28/04/2009 às 01:18

    Pau no cu do Kleber!

    E tenho dito.

    Aliás, um OFF:

    Jçlkjfçlskdfjçal.

  • 136. arbo  |  28/04/2009 às 10:24

    MTO BOA, DIOGO! tu q fez?

  • 137. marlon  |  28/04/2009 às 10:53

    AGUANTE KLEBER BANDIDO PARAGUAYO GALLINAS = PUTOS DANTE BIAMÓN LOTADO = CADA UNO EN SU CUADRADO AGUANTE CARLOS Y SUS GAFAS DE SOL CULOS DE PUTA MADRE EN CANASBIEIRAS BAMOS BAMOS A SER PUTOS GOLES WANDA NARA MAMA MI VARA AGUANTE LF

  • 138. marlon  |  28/04/2009 às 10:54

    AGUANTE KLEBER BANDIDO PARAGUAYO GALLINAS = PUTOS DANTE BIAMÓN LOTADO = CADA UNO EN SU CUADRADO AGUANTE CARLOS Y SUS GAFAS DE SOL CULOS DE PUTA MADRE EN CANASBIEIRAS BAMOS BAMOS A SER PUTOS GOLES WANDA NARA MAMA MI VARA AGUANTE LF

  • 139. dante  |  28/04/2009 às 12:35

    marlon em chamas.

  • 140. Godo  |  28/04/2009 às 14:28

    “Cada uno en su cuadrado”

    Uma camiseta com isso aí, rápido!

  • 141. Diogo  |  28/04/2009 às 15:32

    136.

    Recebi por e-mai Arbo.

    O pessoal se puxou: já tem umas 30 montagens.

    Hhehehe.

  • 142. Lucas Cavalheiro  |  28/04/2009 às 22:53

    Kléber: ‘Da próxima vez que fizer um gol, vou pedir desculpas ao goleiro’

    auheahueaheuaeu

    GENIO!
    http://globoesporte.globo.com/Esportes/Noticias/Times/Cruzeiro/0,,MUL1101864-9863,00-KLEBER+DA+PROXIMA+VEZ+QUE+FIZER+UM+GOL+VOU+PEDIR+DESCULPAS+AO+GOLEIRO.html

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Subscribe to the comments via RSS Feed


Especial – Libertadores 2011

A bola da ImpedCopa

Toco e me voy

Feeds

web tracker

%d blogueiros gostam disto: