Delírios em vermelho e branco

06/04/2009 at 11:30 44 comentários

Coloquei nela os tênis vermelhos, estilo All Star, depois as meias soquete e um short branco. Ela dormia. Continuava dormindo ao lado da mãe quando liguei o rádio, peguei um café, abri as janelas e comecei a me vestir. A paz de espírito de ver um bebê dormindo é linda, então pensava – que pai desnaturado sou eu, acordando a menina na manhã de um sábado para caminhar quilômetros a fio no sol. Tsc. Olha a história, imbecil. Daqui a anos, ela vai entender.

Nem que seja para dar risada numa bebedeira com amigos, dizendo que o pai era tão maluco que fazia dessas. Sentia uma obrigação moral de participar da marcha do Centenário, ainda que a marcha fosse apenas uma simples caminhada até o destino. Ou talvez, uma procissão. Homens carregando santos como taças; meninas carregando bandeiras como estandartes; longas barras vermelhas e brancas, bandeiras enormes, uma banda que de tão animada, se perdeu na primeira rua. Deixou o cortejo passar e ficou lá para o final. Na frente, um trio elétrico…bem, um coletivo elétrico, cheio de personalidades e de pessoas que detinham o fabuloso poder de não precisar andar – perderam tanta coisa…

O passeio foi feito com alguns amigos. Não tinha o compromisso de encontrá-los, mas sabia que lá estariam, não por acaso liguei e os encontrei na praça, quando a procissão começava seu rumo. Morgana, minha filha, vestia a 11 que era usada por Alexandre Pato, quando ela nasceu; tão logo chegamos, pôs-se a caminhar. Não fazia muita questão de entender motivos, causas, razões, circunstâncias – a pressa dos seus pezinhos calçando 22 não era diferente da pressa daquelas milhares de pessoas, celebrando o Inter à sua maneira, de graça, andando.

Fui saudado por um, dois conhecidos, que perguntaram se eu era quem tinha idealizado a marcha. Idealizei coisa alguma. Quem teve a idéia foi um amigo em comum, o Cáli, que também teve a idéia da Popular lá em 2003 e batizou-a com o herege nome de Diabos Vermelhos. Ele dificilmente imaginava que cinco malucos unidos na Coréia poderiam ser, anos depois, cinco mil malucos debaixo de barras e bandeiras, e outros 40 mil loucos cantando as músicas puxadas por aqueles malucos. É desse tipo de delírio que se faz o futebol, não é mesmo? O delírio de uns positivistas que, presididos por um piá de 18 anos, juntaram uns estudantes e foram enfrentar um clube de seis anos de vida. Levaram dez na cola e mesmo assim, logo depois se reuniram novamente, para seguir o baile. Loucura.

Lá pelas tantas seguimos o cortejo pelo lado da sombra e do parque, debaixo das árvores. Achamos um balão e ficamos jogando, chutando, correndo atrás dele. Demos risadas, brincamos, depois o balão estourou e fomos comer picolé. O sol queimava, e daí, vamos até o final? Bom, se chegamos até aqui…minutos atrás, talvez horas, uma senhora tocava uma sineta da sacada do seu apartamento. Ela estendeu uma toalha de mesa linda, bordada, toda vermelha, para saudar o cortejo. O sorriso dela era o mesmo sorriso da minha filha, ao correr atrás do balão no parque.

Talvez fosse o mesmo sorriso de todos aqueles que um dia, nos seus delírios, imaginaram tanta coisa em vermelho e branco. Imaginaram vencer os rivais, ganhar a cidade, o estado, o país, o continente, o mundo. Imaginaram outras circunstâncias, talvez com dez em campo, talvez depois de um hepta, talvez invictos, talvez no Japão. Talvez um dia a cidade toda fosse vestida de vermelho e branco, para aqueles que não estão mais aqui olharem de trás das nuvens. Para ver que sim, esse foi um dia especial, e quem não sonhou em vermelho e branco não sabe o que está perdendo.

Um cínico diria que era só caminhar debaixo do sol, por um trajeto imenso, chegar suado num estádio quase vazio e assistir apresentações na hora do almoço. O mesmo cínico também diria que enfim, são só onze homens correndo atrás de uma bola para fazê-la passar por debaixo das traves. Pois veja você – são coisas tão banais e que, mesmo assim, nos levam a delirar tanto…

Luís Felipe dos Santos

Entry filed under: Clubes.

O primeiro dia do resto de nossas vidas Repensando o planejamento

44 Comentários Add your own

  • 1. Rudi  |  06/04/2009 às 11:41

    Genial
    invejo não estar na marcha

  • 2. Leo Garcia  |  06/04/2009 às 11:52

    Fui de ressaca com minha camisa de lã do Figueroa, suei como um porco, peguei só a parte final na frente do Gigante, tomei duas cervejas, vi um show xoxo emocionante e me diverti pra caralho.

  • 3. Thiago  |  06/04/2009 às 12:02

    Hey. Fui um dos que não precisaram andar… Porém fiz questão de registrar a visão MAGNÍFICA, ESTUPENDA, que tinha lá de cima daquele caminhão perdido num mar vermelho.

    As 181 (!) fotos, para quem quiser ver, estão aqui neste .zip de 21Mb (vale o download!):

    http://www.intermultimidia.net/arquivos/centenario/fotos/marcha.centenario.fotos.thiago.tessis.intermultimidia.zip

    Abraços e parabens pelo otimo post!

  • 4. Andreas  |  06/04/2009 às 12:25

    Belo texto. Eu devia ter escrito algo assim na minha coluna de hoje do Final Sports. Mas preferi encarnar o espírito flautista/pifferiano e fiquei numa lenga-lenga totalmente fora do contexto do Centenário.

    Me arrependi.

  • 5. Milton Ribeiro  |  06/04/2009 às 13:11

    Fiquei emocionado, seu pai desnaturado. Mas é o tipo de coisa que a Morgana vai esquecer e ficará pedindo para tu contares: eu caminhei tudo aquilo?; brincamos no parque?; o que eu dizia?; eu calçava 22?; a que horas tu me acordaste, pai?

    Demais, Luís.

  • 6. Juca  |  06/04/2009 às 13:26

    Gremista, invejei a festa em alguns momentos, admito.

    “Levaram dez na cola e mesmo assim, logo depois se reuniram novamente, para seguir o baile”.

    Acho que isso é gostar do que faz. Apesar de tudo o que se discute em torno do Grêmio, por exemplo, meu irmão mais novo foi digno de vestir a camiseta do Gremio depois do Grenal e dar uma banda tocando o hino. E dizia, faceiro:
    – Cara, eu amo esse time nas horas ruins e nas horas boas. Eu faço a minha parte que é apoiar sempre.
    Achei bacana.

    Mas, PARABÉNS aos vermelhos. Sem mais,

  • 7. Francisco Luz  |  06/04/2009 às 13:38

    Bah, genial. Invejei ainda mais não ter podido ir na marcha.

  • 8. col  |  06/04/2009 às 13:43

    Muito legal o relato.

  • 9. dante  |  06/04/2009 às 13:55

    bá, JUCA, muito legal isso do teu irmão.

    SERIA absolutamente normal, mas digo isso especialmente em contraponto aos gremistas que preferem simplesmente depositar o fracasso na conta do “o juiz roubou”.

    claro, é muito mais fácil ignorar os erros botando a culpa em UM ÚNICO ALGUÉM [roth, tcheco, juiz, direção, FGF, GANDULA, o escambau] do que aceitar a simplicidade dos fatos e admitir que um dia a gente ganha e no outro a gente perde, e que isso não pode ABALAR nossa FÉ.

    :~~~~

  • 10. Fabio  |  06/04/2009 às 14:28

    fico me perguntando:será que nesses países que o futebol não éo primeiro esporte,tipo,seilá, Nova Zelândia,Venezuela, Kiribati,o cara fica TÃO P da vida com a derrota de sua equipe ao ponto da semana se estragar, de torcer que nem um louco que chegue o próximo jogo para se reabilitar? Ou só o futebol causa essas exageradas reações?

    Será que um MILICO do TALIBÃ,lá no Afeganistão, pede pro seu superior deixar ele explodir um hotel de turistas para descarregar sua raiva do seu clube de criquete ter perdido a quinta partida seguida pro seu rival indiano?

    Ou um Hugo Chavez da vida manda desapropriar umas 8 fazendas porque o Rodriguez, seu rebatedor preferido, mais uma vez foi convocado pra seleção da República Dominicana,afastando-o dos playoffs da liga de beisebol da Venezuela?

    Eu, desde agora,já tô APAVORADO por causa desse jogo de quarta na Ilha do Retiro.

  • 11. Juca  |  06/04/2009 às 14:29

    #9

    Pois é cara… Tem uma certa personalidade o guri.
    Já meu velho tava descontrolado chamando tudo quanto era colorado de FDP pra baixo. É estranho pra cacete se tu para e analisa essas coisas.

  • 12. Álisson  |  06/04/2009 às 14:29

    Texto PRIMOROSO, sensacional.

    Invejei a caminhada que não pude ir e a parceria com a filha que eu ainda não fabriquei.
    Lembrei do meu velho, do meu avô. Gerações de colorados.

  • 13. fino  |  06/04/2009 às 14:32

    essa foi a melhor foto que eu vi da marcha até agora, dá uma noção da multidão…

    e quando o LF fica falando da filha dele, me dá vontade de providenciar um fino djúnior de uma vez, só pra começar a levar o guri nos jogos do tricolor.

    ãhn, pensando bem melhor esperar um pouco mais, vai que o guri vira colorado!!!!

    jkajasdfjksdfasdfkaffg

  • 14. fino  |  06/04/2009 às 14:35

    faltou uma virgula ali

    perdi.

  • 15. Ismael  |  06/04/2009 às 14:39

    #10

    Isso se chama TOUCA Fabio, experiência própria… tivemos que fazer picadinho de uma verde ano passado, que teimava em não sair da cabeça dos vermelhos!

  • 16. Prestes  |  06/04/2009 às 14:46

    Fino, comentei com o Luis na marcha:

    “Queria ter um filho agora, só pra trazer aquii”.

  • 17. Fabio  |  06/04/2009 às 14:47

    Ismael,

    pois é,uma touca recente, mas NUNCA pensaria em derrota contra o Sport,se meu time tivesse voando…

    Espero que o Leão da Ilha lembre que é um time médio, sem envergadura moral pra nos eliminar hehe

  • 18. Prestes  |  06/04/2009 às 14:48

    Nomá, sensacional o texto!

  • 19. Prestes  |  06/04/2009 às 14:48

    Nomá, sensacional o texto.

  • 20. Atilio  |  06/04/2009 às 14:57

    Bonito texto, como sempre.

    Alguém mais ouviu na Gaúcha, antes do jogo, os jornalistas e o Ostermann filosofando sobre o Grêmio jogar com quatro zagueiros! Eles pensavam que o Rever não ia ser adiantado pra frente da zaga e que o Souza ia continuar no meio, mesmo com a entrada do Thiego! Tá certo que o Roth é maluco, mas esse tipo de coisa não dá pra engolir. Com que legitimidade os caras pretendem nos “informar”?

  • 21. Fernando Cesarotti  |  06/04/2009 às 15:05

    Caramba, me arrepiei deveras lendo o texto, muito bom.

    Fábio, eu estou assim desde a semana passada. Tentando distrair a cabeça com outras coisas, mas bastou pensar na Ilha do Retiro e meu estômago começa a revirar. Foda esse troço de futebol.

  • 22. dante  |  06/04/2009 às 15:08

    #16: vocês não comem ninguém e depois ficam nessaí, de querer ter filho, e tal.

    [huaaaaaaaaaaaaaasçlksadlçfksdlçfkslçdkflç, folguei!]

  • 23. fino  |  06/04/2009 às 15:12

    ih, sabe nada dante…

  • 24. Álisson  |  06/04/2009 às 15:34

    Aham, bem por fora.
    Mas filho é um sonho que eu tenho. Eu poderia aproveitar a boa fase do Inter pra fazer o meu logo. É que a minha noiva é gremista (perdi) e acho que eu devo aproveitar o bom momento pra poder ter um filho colorado…

    Não sei como será a próxima década. Pela lógica ainda será nossa, mas vai saber…

  • 25. Fabio  |  06/04/2009 às 15:39

    Álisson,

    émuito amor pelo Colorado se desapegar das beldades valesineiras pra ter um filho vermelho,hein

  • 26. Pacheco  |  06/04/2009 às 15:54

    Texto muito bom. Esse cara é fera e não é de hoje.

  • 27. douglasceconello  |  06/04/2009 às 15:57

    Graaaannnde texto, Luis. Emoção incontida por aqui.

  • 28. Tim Maia da Coréia  |  06/04/2009 às 16:03

    A Marcha Colorada foi sensacional…
    Chorei três vezes pelo Colorado.
    Sábado ocorreu a segunda e a terceira vez.

  • 29. Álisson  |  06/04/2009 às 16:07

    Bah Fabio, imagina ter um filho gremista?

    Melhor viver na monogamia eterna do que ter filho gremista!

  • 30. Junior  |  06/04/2009 às 17:15

    Acho que todos nós já nos perguntamos porque ficamos tão nervosos com um simples jogo de futebol, quase a ponto de infartar mesmo sendo jovens; porque gastamos dinheiro que poderia ser aproveitado de outra forma; porque perdemos tempo acompanhando um time medíocre que não será campeão de jeito nenhum, etc. A resposta para isso está em momentos como essa Marcha Colorada. Nunca senti tanto orgulho de ser colorado e fiquei emocionado ao ver uma menina cega e algumas pessoas com dificuldades de locomoção andando naquele sol forte. Também foi emocionante ver quase na esquina da Ipiranga com a Borges um humilde funcionário de uma empresa terceirizada de uma empresa pública (acho que da CEEE) subir em seu caminhão, abrir um sorriso e vibrar como se fosse um gol ao ver os participantes da Marcha. Não gostar de futebol é muito mais racional e lógico, mas te priva de belíssimos momentos como a Marcha do Centenário.

  • 31. Lucas Cavalheiro  |  06/04/2009 às 18:41

    Sensacional o texto.

    E olha o que eu achei!!
    Caminhada do Centenário 03

    AEHAUHEAUHEAUE
    O ápice do evento.

  • 32. Tiago Medina  |  06/04/2009 às 18:43

    Certo que ela vai falar, com muito orgulho, que foi na histórica marcha dos cem anos do Internacional!

  • 33. Daniel Cassol  |  06/04/2009 às 20:11

    Vovó da Sineta > Fernando Carvalho

  • 34. Maurício  |  06/04/2009 às 21:13

    foi algo simples, mas foi foda.

    única nota negativa terem dado corda para fogaça e manuela.

    mas até isso foi divertido, vendo a massa vaiar e zoar a banca desses metidos, hshshshshs.

  • 35. Internacional Instituição centenária  |  06/04/2009 às 23:22

    Por favor, já que gostam tanto de mim, fazem marchas por mim, que achem um goleiro que saiba sair do gol, que não seja de botão.

    Que me concedam de presente um lateral direito, já que o Bolívar é zagueiro, e que ponham dois zagueiros que pulem, e não sejam cavalos cansados como Indio e Alvaro.

    Obrigado.

  • 36. juliano  |  06/04/2009 às 23:50

    achei fantastica o texto, achei a marcha algo inesquecivel assim com o show emocionante do ataque colorado no sol do meio dia

  • 37. bueno  |  07/04/2009 às 00:12

    Imagino que seja essa a velhinha da sineta:
    Caminhada do Centenário 03

    :-~~~

  • 38. bueno  |  07/04/2009 às 00:13

    Ops, cheguei atrasado…hehehe

  • 39. Willian  |  07/04/2009 às 00:32

    #37

    É essa mesmo!
    Arrancou lágrimas da galera.

  • 40. Emanuel  |  07/04/2009 às 00:40

    Do caralho, LF! Maravilhoso!

  • 41. EGS  |  07/04/2009 às 01:05

    Bah, esses textos tão me RASGANDO A ALMA. Aguardem relato daqui dos CAFUNDÓ DO KOALA (ns), onde a emoção foi grande, mesmo a distância.

    EU TE AMO, INTER QUERIDO.

  • 42. maragato  |  07/04/2009 às 08:19

    a maior demonstraçao de amor da maior e melhor torcida do mundoooo……………..

  • 43. jo  |  08/04/2009 às 20:46

    alguém lembra do centenário tricolino?POr isto é que não tem comparação…

  • 44. Luís Felipe  |  06/04/2010 às 01:20

    bah, me emocionei lendo um texto meu, o que é muito raro.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Subscribe to the comments via RSS Feed


Especial – Libertadores 2011

A bola da ImpedCopa

Toco e me voy

Feeds

web tracker

%d blogueiros gostam disto: