Que tipo de torcedor estou me tornando

28/01/2009 at 13:32 220 comentários

cao_zerohora

“O Borg é colorado fanático, usa roupinhas autografadas pelo Fernandão e comemora os gols do Inter com latidos”
Carolina, 27 anos, dona de Borg, o cão que virou sócio do Internacional

Eu, Daniel Cassol, colorado de nascença, confesso. Era eu na arquibancada do Passo D’Areia, domingo, na torcida do São José, comendo pastel com Coca-Cola e gritando um grito estomacal na hora do gol do Junior Paulista. A única coisa a contragosto que eu fazia ali era tomar Coca-Cola.

Explico. Faltava menos de 20 minutos para o jogo e o tamanho da fila de torcedores do Internacional foi o pretexto para dar a volta na quadra e comprar um ingresso de torcedor do São José, me acomodando com desenvoltura e conforto no latifúndio de concreto que era a arquibancada da torcida local. Do alto dos meus 27 anos cronológicos – conto 67 em tarimba e disposição – queria apenas sentar e ver um jogo de futebol. Juntar-me à torcida do time mais simpático do Rio Grande do Sul me pareceu uma opção, com o charme da redundância, simpática.

Na arquibancada, prováveis moradores da região e amigos dos jogadores do Zequinha. Pela presença de duas garotas de biquíni e um sujeito de SUNGA, pude concluir que muitos ali haviam recém saído do banho de piscina.

Em campo, uma equipe organizada e tarefeira enfrentava meia dúzia de estrelas do futebol comandadas por um técnico que fala como um palestrante de auto-ajuda e tem idéias pós-modernas sobre o futebol. Em contrapartida, aos cinco minutos de jogo, Fabiano já curvava-se para ajeitar as meias, gesto característico do jogador que está cansado: impossível não se solidarizar com a causa.

Mas até ali, eu estava quieto. Limitava-me a analisar o Internacional e torcer para uma boa jogada de Fabiano e Sottilli que, acima de tudo, são bons sujeitos.

Mas o Inter jogava mal e o São José começava a merecer a vitória. Enquanto isso, D’Alessandro enchia a paciência dos adversários e no rádio os comentaristas aplaudiam a “tradicional catimba argentina”. Lá pelas tantas, Sandro Sottilli fez o que qualquer jogador com o mínimo de BRIOS faria se estivesse sendo empurrado numa barreira: deu um safanão no argentino. Agressão, bradavam os comentaristas no rádio, em chilique coletivo.

No segundo tempo, Alex simplesmente chutou um jogador do São José caído no chão e os mesmos comentaristas foram firmes no diagnóstico: o craque colorado só estava visando a bola. Quando D’Alessandro e Jonas praticaram uma luta greco-romana fora do lance, os mesmos comentaristas, como não poderia deixar de ser, consideraram inocente o argentino e culpado o jogador do Zequinha.

Eu já me sentida incomodado, apesar do bom pastel e da presença de algumas jovens ainda cheirando a cloro. O Inter se comportava com exagerada soberba e o dedo do Pastor – a grande ameaça para o ano do centenário – na composição tática da equipe deixava a tarde quente de domingo ainda mais abafada. Abafada na questão anímica, se é que me entendem.

Aí fui somando a má atuação do Inter com a onda feita pela imprensa esportiva sobre a dupla Gre-Nal, que reclama de favorecimento ao Eixo Rio-São Paulo mas adora ser favorecida contra os clubes do interior. A direção do Inter que não se desfez do Sofista da Bola. Uma meia dúzia de ARIGÓS ofendendo os torcedores do Zequinha e batendo no braço, dizendo olhem como somos machos torcendo para o Internacional. E o futebol como um todo, que está se tornando um simples divertimento para cães. Cães de raça, claro.

Por tudo isso, quando Sandro Sottilli caneteou o zagueiro Álvaro e passou para Júnior Paulista, só me restava ser levado pela pequena torcida do Zequinha e gritar um “buchaaaaaaaa!” que muitas vezes não grito nem em gol do Internacional.

Imagino que tal sentimento só acontece quando o Inter enfrenta times do interior. É como torcer para a Bolívia diante da Seleção Brasileira. Ou posso estar me tornando moralmente velho demais: prefiro ficar de fora da badalada final da Sul-Americana a deixar de assistir um jogo contra a Portuguesa debaixo de chuva.

Pouco importa. A experiência no Passo D’Areia foi interessante. Hoje à noite, se não estiver de novo junto à torcida do Zequinha, ficarei na frente da TV, gritando: “Vai, São Luiz!”

Um abraço,
Daniel Cassol

Entry filed under: Colunas.

Estaduais: viagem aos grotões do Brasil – Volume II Trago seu lateral de volta em sete dias

220 Comentários Add your own

  • 1. Francisco Luz  |  28/01/2009 às 13:35

    Vendido.

  • 2. Sanchotene  |  28/01/2009 às 13:36

    Onde me inscrevo nessa organizada, Cassol?! Eu sou “torcedor de futebol”. A opção pelo Grêmio é meramente acidental.

  • 3. Gabriel R.  |  28/01/2009 às 13:36

    Ja vai tarde secador!
    hehehehe

  • 4. Prestes  |  28/01/2009 às 13:39

    Não consigo torcer contra o Inter, mas não sou aquele torcedor cego que não enxerga nada de ruim no seu clube.

  • 5. Caue  |  28/01/2009 às 13:42

    Bem nessa. Me vi de camisa do SER Caxias xingando Amato, Antonio Lopes, Ronaldinho Gaúcho e todos os seus respectivos parentes em 2000. Sensação ishtranha, mas bacana.

  • 6. Sanchotene  |  28/01/2009 às 13:46

    Ele não estava torcendo contra o Inter, mas pelo futebol, Prestes. Ele estava contra a PALHAÇADA que o Inter fez no jogo e a cobertura estrábica de parte da imprensa.

    Eu sou partidário do “tem mais que f*d&r, mesmo”, quando o Grêmio começa com frescura; quando querendo ser os maiorais, portam-se como varzeanos.

    P.S.: Na Guaíba, que muitos dizem ser colorada, disseram que as expulsões tinham sido justas.

  • 7. beretta  |  28/01/2009 às 13:46

    #4 [2]

  • 8. Carlos  |  28/01/2009 às 13:50

    Essa desse cusco ae…PQP…coisa deprimente…

    Depois eu fico P da cara qdo num jogo do grêmio só tem cara e mulher q nem olham o jogo, de óculos escuros, chupando pirulito estilo rave…ae me chamam de véio, vai pra casa, bla bla bla…

    Estão transformando o futebol numa “várzea”, piada…não tem nem grito de “olha o mijo” mais…VSF!

  • 9. beretta  |  28/01/2009 às 13:52

    “Estão transformando o futebol numa “várzea”, piada…não tem nem grito de “olha o mijo” mais…VSF!”

    aeuoehaoeoauehauaeuohaoehuoehaouehoheaoehaehauoehoahouaehuoehoauehaouhea

  • 10. Luís Felipe  |  28/01/2009 às 13:53

    sobre a arbitragem, não vou comentar, por que sei que existe uma patrulha que diz “só o meu time é prejudicado”. Respeito pelo menos a hombridade do Cassol.

    a foto do cachorro é emblemática. Tive raiva dessa mulher quando soube. Pensei naqueles fudidos da Coréia que só conseguiam pagar ingresso quando era a 5 em dia de passe livre, e lá estava a mulher dando 20 por mês para associar o cachorro. Profundamente lamentável. Cachorro não é gente e ponto final. Isso não sou eu quem diz, são os veterinários.

    Sobre torcer contra o Internacional, talvez seja por isso que eu não consegui achar aquele jogo contra o Veranópolis em 2007 uma humilhação. O Inter tratou aquele campeonato com tamanha soberba e nariz empinado que não poderia imaginar um desfecho diferente. Fiquei triste por três minutos; depois pensei “bem feito”.

  • 11. Prestes  |  28/01/2009 às 13:54

    O Inter entrou com uma arrogância dos infernos no jogo, mas o Zequinha não entrou em campo pra jogar bola também, entrou pelo tumulto.

    Não achei a cobertura da mídia – onde acompanhei – pró-Inter, o que vi foi considerarem justa a expulsão do Alex, e acharem que o Dalessandro tá exagerando na catimba, mas que naquele lance não fez nada – o que concordo. O erro tenha sido talvez, depois da partida, serem condescendentes com as reclamações do Carvalho e do Pífio.

  • 12. Ernesto  |  28/01/2009 às 13:56

    Bah, se for listar as palhaçadas ocorridas nesses tempos de Czarvalho e piffero.

    A questão do Cão é um exmplo do que etão tentando tornar o Inter. Clube de dondocas.

    Uma gurizada que tem amora ao clube, e quando foram chamados, a ir de graça, lá EM 1997

  • 13. Prestes  |  28/01/2009 às 13:57

    “Aí fui somando a má atuação do Inter com a onda feita pela imprensa esportiva sobre a dupla Gre-Nal, que reclama de favorecimento ao Eixo Rio-São Paulo mas adora ser favorecida contra os clubes do interior.”

    Esse é ponto condenável da dupla e da imprensa.

  • 14. douglasceconello  |  28/01/2009 às 13:57

    Acho este tipo de atitude cheia de CARÁTER. E admiro muito os times do Interior que entram em campo para MOER A PAU a dupla Gre-Nal.

  • 15. Ernesto  |  28/01/2009 às 14:00

    Bah, se for listar as palhaçadas ocorridas nesses tempos de Carvalho e piffero.

    A questão do Cão é um exemplo pontual do que estão tentando tornar o Inter. Clube de dondocas, de megalomânos, de arrogantes.

    Uma gurizada que tem amor ao clube, e quando foram chamados, a ir de graça, lá em 1997, contra o VERANOPOLIS, numa segunda-feira de tarde, pra ajudar a reverter um resultado, esses agora são preteridos por um cachorro, de uma dondoca neocolorada, que provavelmete deve comparecer na Popular, esse eixo do beira-rio onde se concentram aqueles que o Cassol falou ali: “batendo no braço pra dizer o quão machos são por serem torcedores do internacional”.

  • 16. Francisco Luz  |  28/01/2009 às 14:02

    O que o Prestes disse no número 4 e o LF no 11 são mais ou menos o que eu penso.

    Até já tentei ver um jogo do Inter com um ar mais distante, mas não consigo. Só que algumas merdas são merecidas, por óbvio.

  • 17. Luís Felipe  |  28/01/2009 às 14:02

    e o disco arranhado de vinil continua tocando a mesma faixa.

  • 18. Lourenço  |  28/01/2009 às 14:03

    Legal o texto. Juntando com o que disse o Prestes, acho que o exercício a ser feito é, justamente, olhar criticamente tudo (inclusive o seu próprio clube e a cobertura que é feita sobre ele) e, ainda assim, torcer por ele. Distinguir as duas esferas (torcedor/analisador que quer conhecer e entender) é que torna o sujeito diferenciado. Não há nenhuma contradição em saber que o juiz roubou para o meu time, que tal jogador não vale o que come, que a torcida exagera e, ainda assim, amar o seu clube.

  • 19. Ernesto  |  28/01/2009 às 14:03

    só pra dizer que não há outros pontos:

    Iso 9001.

    Um time caindo pelas tabelas no brasileirao, ganhando só de times reservas e na sul-americana, um quadro de sócios, onde grande parte, em jogos decisivos, não tem acesso ao estádio, e a diretoria tão aclamada se vangloriando pelo reconhecimento ISO 9001.

    É clube ou emrpesa ?

  • 20. Guilherme  |  28/01/2009 às 14:04

    Louvável a atitude do Cassol. Eu já fiz o mesmo e odeio quando o Grêmio ganha “na malandragem”. Ainda mais dos pequenos.

  • 21. col  |  28/01/2009 às 14:04

    Tambem acho que somos “bairristas” pra caramba. Tratamos o interior assim como somos tratados por pauriocas.

    E o esse “meio de campo” do Inter para hoje? Que desgraca…

  • 22. Prestes  |  28/01/2009 às 14:04

    É tá feia a coisa no Inter, clube de dondocas realmente.

    Já entrevistei um cara responsável pela questão de sócios no Inter. A arrogância em pessoa, me esqueci o nome do sujeito. Ele dizia que só os sócios importavam e que os outros torcedores só queriam ir no jogo bom, não eram fiéis ao clube.

  • 23. Ernesto  |  28/01/2009 às 14:06

    disco de vinil e arranhado = velho.

    Melhor do que ser DVD com várias faixas e vários cães ao lado na arquibancada

  • 24. Carlos  |  28/01/2009 às 14:10

    #22
    Se serve de consolo, no grêmio a coisa tá igual.

  • 25. Francisco Luz  |  28/01/2009 às 14:10

    Eu não devia, mas…

    Ernesto, se são 80 mil sócios e 53 mil lugares, não parece meio óbvio que vai sobrar gente, mesmo?

    Assim como acontecia em qualquer jogo grande, e vai continuar acontecendo: na hora boa, todo mundo quer ir, dondocas e apaixonados, etc etc etc. Mas esse teu argumento não fez o menor sentido.

  • 26. Luís Felipe  |  28/01/2009 às 14:11

    quando o disco de vinil está inteirinho e bem cuidado, ele toca várias faixas diferentes…

  • 27. Dario  |  28/01/2009 às 14:14

    Isso é o que dá ter o Pastor da Auto-ajuda como técnico do Colorado: até os Colorados começam a torcer pelo adversário …

    FORA tite !!!!!

  • 28. fino  |  28/01/2009 às 14:16

    solta o rap DJ!

    tum tchaca tchaca tum, tum tum tum tchacatchaca tum turum tum tum…

  • 29. Milton Ribeiro  |  28/01/2009 às 14:17

    Eu conheço a dona do Borg…

  • 30. Arbo  |  28/01/2009 às 14:20

    eu conheço os donos do blog!
    perdeu! hauahuaha

  • 31. col  |  28/01/2009 às 14:20

    Vc’s lembram dela?

  • 32. Prestes  |  28/01/2009 às 14:21

    O clube que não funcionar como empresa hoje morre. Mas pensando do ponto de vista meramente capitalista, não tem nenhum sentido ter milhões de clientes em potencial teus, e só teus, e só dar bola para 70, 80 mil.

    É evidente que o fim da coréia, entre outras medidas, elevou o número de “bons consumidores” para o clube – ou seja, os que tem grana, que consomem vários produtos, que usam o estacionamento, que pagam pra família inteira ser sócia, etc.

    Mas Porto Alegre não tem gente “cherosa e limpinha” suficiente para que os clubes sempre encham os estádios com elas. Só enche em dois três jogos por ano. Isso não faz o menor sentido nem com o pensamento menos romântico. As dondocas já são sócias há anos, foram “fidelizadas”, não vão mais deixar de ser. Se forem a menos jogos, foda-se. O Beira-Rio tem que estar sempre cheio. Sempre com 50 mil pessoas.

    Qual é sentido, por exemplo, de passar quatro meses jogando o Gauchão com 12, 15 mil pessoas no estádio? Tem que fazer pacotes, parcelados, para pessoas de baixa renda e lotar a porra do estádio.

  • 33. Milton Ribeiro  |  28/01/2009 às 14:22

    Arbo 1 x 0 Milton

  • 34. Luís Felipe  |  28/01/2009 às 14:23

    Prestes,

    Mas agora tu citou um caso que não tem solução.

    Com ingressos baratíssimos, lá por 98, 99, o estádio tinha uma média de público menor que hoje.

    Criar um público cativo de 50 mil pessoas, p.ex, não depende apenas do clube. Depende das condições de segurança para a pessoa se deslocar da sua casa até o estádio, principalmente. E nunca vamos ter um público cativo desses com jogos às 22h.

  • 35. col  |  28/01/2009 às 14:24

    Prestes, sou simpatizante com essa ideia. O problema eh a implementacao dela.

  • 36. Anônimo  |  28/01/2009 às 14:25

    a foto do cachorro é emblemática. Tive raiva dessa mulher quando soube. Pensei naqueles fudidos da Coréia que só conseguiam pagar ingresso quando era a 5 em dia de passe livre, e lá estava a mulher dando 20 por mês para associar o cachorro. Profundamente lamentável. Cachorro não é gente e ponto final. Isso não sou eu quem diz, são os veterinários.

    Acho que também não é pra tanto, né Luis.

    Se o vivente tem condições de associar o cachorro e bancar a mensalidade, ele que se dane. Cada um gasta com o que quer, não é mesmo? Em nenhum lugar está escrito que rasgar o próprio dinheiro é proibido.

    Outra coisa: se os “fudidos da Coréia” não têm mais lugar dentro do estádio, a verdadeira cachorrada aí é do próprio clube, e não de uma dondoca que sustenta um Golden Retriever a base de filé mignon.

  • 37. Arbo  |  28/01/2009 às 14:25

    falando sério, gostei do texto do cassol, pq tenho certeza q faria exatamente a mesma coisa q ele.
    só diferimos qto a esse ranço com o pessoal do RJ-SP. minha postura qto a isso é mais ou menos a mesma em relação ao preconceito racial, por ex… tipo, ignoro total. ficar na ladainha aquela reclamando DO EIXO DO MAL, me rebaixa (ME parece). E o mesmo fica valendo para o MAL em forma da dupla azul-vermelha.

  • 38. Prestes  |  28/01/2009 às 14:27

    Ah, sim, o cara que mora em Alvorada não tem como voltar pra casa a meia-noite. E mesmo que tenha, o cara vai chegar lá à uma da manhã e vai ter que acordar às seis, provavelmente. Esse é um problema também.

    Com relação a 98, 99 a renda do povo brasileiro aumentou. As médias de público no Campeonato Brasileiro, por exemplo, também aumentaram muito, entre outros fatores, por causa do fim do formulismo. E no que diz respeito ao Colorado, nosso produto dentro de campo hoje é muito melhor.

  • 39. Junior  |  28/01/2009 às 14:28

    Discordo do Cassol quanto ao Sotilli, deveria ser expulso, assim como Alex foi corretamente expulso. Em relação ao D’Alessandro, quase todos os jogadores estrangeiros habilidosos estrangeiros, (cito Petkovic, Tevez e Valdivia como exemplos) tem problemas com os jogadores brasileiros. O Robinho ou o Edmundo podem humilhá-los e/ou provocá-los, mas se um estrangeiro fizer isso, é confusão na certa.
    Sobre o cachorro “sócio”, isso é mais um folclore que vai entrar para a história, em alguns anos, alguém vai comentar em um bar: “lembram do cachorro que foi sócio?”, não dá para levar isso a sério. Por exemplo, a torcida do Inter levava a “Chica” para os Eucaliptos. Além de tudo, a mulher estava pagando a mensalidade, se o cachorro fosse “sócio” por uma benesse de alguém, aí haveria razões para a crítica. Achei folclórico, nada mais do que isso.

  • 40. Andreas  |  28/01/2009 às 14:30

    Só uma observação: o comentário #36, acima, é meu. Esqueci de assiná-lo, mas foi sem querer.

  • 41. Fabio  |  28/01/2009 às 14:30

    E porque intitular de BJORN BORG o cusco?

    Porra, e o apreço por Andrez Gomes, Marcelo Filipini, Martin Jaite, ou se quisesse ficar nos famosos e TOPS, Guillermo Villas e Carlos Reutemann (ns)?

  • 42. Milton Ribeiro  |  28/01/2009 às 14:32

    Tô com o Dario e mais, acho que o Cassol merece tratamento psiquiátrico pago pelo Inter. Culpa do Tite.

    DÁ-LHE SÃO LUIZ!

  • 43. André K  |  28/01/2009 às 14:32

    Aí fui somando a má atuação do Inter com a onda feita pela imprensa esportiva sobre a dupla Gre-Nal, que reclama de favorecimento ao Eixo Rio-São Paulo mas adora ser favorecida contra os clubes do interior.

    Concordo muito com isso. No mesmo sentido o pessoal do puro futebol fez um posto faz pouco tempo:
    Então tudo aquilo que a dupla Gre-Nal reclama, tanto da imprensa como de arbitragens e CBF (STJD), praticam em escala menor (para eles) nos seus domínios
    http://purofutebol.blogspot.com/2009/01/descarga.html

    A cobertura sobre a arbitragem desse jogo foi vergonhosa.

    São José é o único time pequeno do RS que eu não consigo ter a menor simpatia.

  • 44. Eduardo De Nardi  |  28/01/2009 às 14:32

    Bah pessoal. Não entendo problema da mulher associar o cachorro. Em primeiro lugar, sou a favor da liberdade individual das pessoas. Segundo, quem ela prejudica ao associar o cachorro? Não está roubando vaga de ninguém, que fique claro. Sei lá, acho que não tem nada a ver, seria a mesma coisa que ela doar pro clube 20 pilas todo mês, só que ela exigiu uma carteirinha pro cão em troca (sem usá-la). Como colorado, acho ótimo, tomara que todos vocês associem seus animais de estimação e o clube possa, enfim, contratar o carissimo L Guerreiro para o lugar do Edinho.
    ABS

  • 45. Luís Felipe  |  28/01/2009 às 14:34

    Andreas,

    Para mim, isso é ostentação desmedida. Além do mais, ela diz que “queria contribuir para o clube”. Che, a Popular estava fazendo um esquema de sócios para pessoas sem condições, investindo parte da grana do CD para associar essa gente. Por que ela não vai lá e paga uma carteira de sócio para um desses?

  • 46. Milton Ribeiro  |  28/01/2009 às 14:35

    Fabio, o Golden Retriever é loiro como o Borg.

    Tudo bem, o Villas era quase e o Reutemann é. Mas o Reutemann é tem cara de bunda e fazia aquela coisa sem graça: disputa de motoristas.

  • 47. Ernesto  |  28/01/2009 às 14:36

    Luz,

    Não faz sentido é associar cachorro.

    E o argumento faz sentido a partir do momento em que passam a ilusão de que se associando poderão ver todos os jogos, ou ter preferncia na compra de ingressos.

    É a tipica jogada de marketing. Tão certo, arrecadando dinheiro pra trazer o Gladyson. Não discuto isso.

    Discuto só que o pessoal menos favorecido, que colocou a mão na massa pra construir o estádio, que apoiou quando conclamado a 1 pila, seja em 1997, seja em 1999, contra o Palmeiras, esses simplesmente ficaram a ver navios.

    Por isso que digo que virou clube de dondocas. Se tu perguntar coisas sobre times passados do inter pra essa mina dona do cachorro, ela não vai saber nada. Virou modinha. Essa é a questão. E com a modinha veio junto a megalomania de iso 9001 e coisas do genero

  • 48. fino  |  28/01/2009 às 14:36

    fui dar aquela cagada agora e levei junto a Zero Hora… li a tal reportagem do cão e me trancou a bosta.

    Ridículo.

  • 49. Prestes  |  28/01/2009 às 14:37

    http://letras.terra.com.br/eduardo-dusek/117822/

  • 50. Andreas  |  28/01/2009 às 14:39

    Ok, Luis Felipe, ninguém discute que ela está desperdiçando grana. Mas em que medida a atitude dela é condenável? Por causa do desperdício? Por causa do fato de que ela foi “incompetente” ao buscar a melhor maneira de contribuir com o clube? Por que ela foi egoísta ao pensar somente no próprio cachorro?

    Sei lá. Por mim, cada um faz o que quer. Posso ter inveja, posso achar idiota, posso achar estúpido, etc. Mas não posso achar que as pessoas estão sendo “injustas” por causa de atitudes desse tipo.

  • 51. Prestes  |  28/01/2009 às 14:40

    Cara, com 900 milhões de pessoas subnutridas no mundo, esse tipo de excentricidade é meio ofensiva tu não acha??

  • 52. Daniel Cassol  |  28/01/2009 às 14:42

    ATENÇÃO, PESSOAL

    Fiz uma CONVOCAÇÃO a todos ali no post sobre o Nacional Querido. Por favor, vão até lá e colaborem.

    https://impedimento.wordpress.com/2009/01/27/noite-historica-para-o-futebol-mundial/

  • 53. Arbo  |  28/01/2009 às 14:42

    Discordo do LF, concordo com Andreas e De Nardi. A mulher, ao fazer isso, não tirou o lugar de ninguém no Beira Rio. Poderia associar uma pessoa, e q esta fosse a campo. Mas aí estamos entrando num direito dela. Acho muita tempestade.

    E ainda acho q o q o Prestes falou é bem válido. Uma ação do clube para o pessoal com menAs grana. Isso deve partir do clube.

  • 54. Francisco Luz  |  28/01/2009 às 14:43

    Ernesto, concordo contigo quanto a isso, tanto que falei que essa mina fez isso só pra aparecer.

    O resto… bom, tu já provou que tem tua opinião formada, e não adianta tentar argumentar. Também acho uma merda que o pessoal que ia na Coreia não tenha mais como ir nos jogos (até acho que os ingressos deveriam ser mais baratos, já que a renda de uma partida é praticamente garantida só com as mensalidades de hoje). Mas não chego ao nível de simplesmente reclamar por reclamar pq as coisas não são mais como em 1997. Eu torço para que nunca mais sejam!

  • 55. Junior  |  28/01/2009 às 14:43

    Col, #31, por que a pergunta sobre a moçoila?

    Luís Felipe, concordo contigo que EU gastaria de forma mais inteligente e solidária (Helena, Heloisa), mas o dinheiro é dela e o mais importante é que ela estava contribuindo para o clube. O Milton conhece a dona do cachorro, ele pode nos dizer qual foi a intenção dela ao associar o cachorro, continuo achando que ela quis fazer uma brincadeira que não prejudica ninguém.

    Off-topic: Por falar em animais e tenistas, vocês viram a foto da Elena Dementieva em um zoológico de Sidney, publicada em um pasquim local? A Rússia deve ter uma fórmula secreta para produzir tenistas maravilhosas.

  • 56. Fabio  |  28/01/2009 às 14:47

    Não é porque eu tenho dinheiro sobrando que eu tenho de pagar prum cara estranho, que joga bem, no meu time lá da pelada. Se eu quiser gastar essa grana em cerveja, o problema é MEU. Não tô afetando ninguém com a minha decisão.

    Se o CLUBE, esse sim que deveria pensar em todos seus aficionados, não tenta mudar o panorama da elitização nos estádios, não serei eu que promoverei a igualdade. Não pense que eu sou favorável a retirar as pessoas humildes do espetáculo, mas não concordo de jeito nenhum com esse moralismo de cuecas

    Concordo com o INTERNAUTA que diz que não prejudicando a ninguém – nem tirando o lugar de um torcedor – não há problema nenhum, é um número a mais e um aporte a mais para o caixa do clube. Se ela quiser prestar favores sexuais e reverter a grana do faz-me-rir pro time, não irão aceitar a doação?

    E, pqp, em vez de querer pagar uma carteira de sócio para uma pessoa que tu não sabes se é merecedora, porque o CLUBE não faz uma cota de ingressos X por jogo destinados a quem tem, sei lá, renda inferior a dois salários mínimos – cadastra os caras com interesse, comprova a renda, e oferece, quem conseguiu por esse jeito, melhor.

    Reitero, quem deve se preocupar com isso é o clube.

  • 57. Arbo  |  28/01/2009 às 14:47

    “Cara, com 900 milhões de pessoas subnutridas no mundo, esse tipo de excentricidade é meio ofensiva tu não acha??”

    Eu perdi a parte em q a mulher despeja um caminhão de picanha pro borg festejar seu aniversário com os amigos?

  • 58. Arbo  |  28/01/2009 às 14:49

    junior, converse com o andré k. sobre links. ele é bom. aprenda.

  • 59. Andreas  |  28/01/2009 às 14:50

    Prestes: não acho.

    Essa lógica de “tanta gente passando fome no mundo” é simplista e romântica demais. Eu poderia usar a mesma lógica pra dizer que, com 900 milhões de subnutridos no mundo, é meio ofensivo [coloque qualquer coisa supérflua aqui].

    Aliás, nesse sentido, até mesmo o fato de que nós temos tempo (e saúde) para passar a tarde aqui discutindo amenidades em um fórum virtual sobre futebol, com computadores hiperpotentes e banda larga à vontade… enfim, até isso poderia ser visto como algo “ofensivo”.

    Outra coisa: o que é “excentricidade” pra ti? E pro Luís Felipe? Para os “fudidos da coréia”, é bem provável que assistir ao jogo da Superior, confortavelmente instalado em cadeiras com encosto, é um tipo de excentricidade. Ou quem sabe sair de um banho de piscina direto para dentro do estádio também seja… Então te pergunto: somos todos excêntricos, agora?

  • 60. almilano  |  28/01/2009 às 14:51

    Só para informação, o cachorro será “desassociado” do clube, pois existem as condições do contrato e pelo que o Inter falou é vedada a participação de “não-pessoas” no quadro social.

    Ela fez essa associação pela internet e por isso houve esse rolo todo.

    E o Inter vai lançar uma “linha Pet” com uma carteira simbólica, que custará em torno de R$ 50,00 e não dará acesso a nada

  • 61. Lila  |  28/01/2009 às 14:51

    Só vou fazer uma pergunta de bobeira, aqui, o sujeito diz que é pabrinho, mas tem 30, 40 reais pra dar por jogo. Digamos que ele vá a 2 jogos no mês, são 60, 80 terezinhas. Não seria mais esperto bancar uma associação e ir a mais jogos, mais ou menos pelo mesmo preço?

  • 62. Francisco Luz  |  28/01/2009 às 14:53

    Daqui a pouco vão falar de Palestina e Israel de novo.

    Para mim, o ridículo foi a mina querer se mostrar com essa história de cachorro. Agora, como ela quer gastar 20 pilas, para mim tanto faz como tanto fez.

  • 63. Fabio  |  28/01/2009 às 14:53

    Concordo com o Andreas,

    por que não paramos de beber nossa cerveja lá na Lima e Silva e começamos a distribuir o dinheiro que iria para o lúpulo aos menos afortunados? Simplesmente porque não é assim que se acaba com a miséria.
    Os caras que iam para a Coréia poderiam gastar aquela grana em leite para seus filhos, porque não fizeram? estavam em melhor situação do que MILHARES de pessoas que nem cinco reais tinham.

  • 64. Prestes  |  28/01/2009 às 14:54

    Discutir em blogs é supérfluo, mas não é ofensivo. Tu colocar um cachorro num posição social maior que a maioria das pessoas do teu país, pra mim, é ofensivo.

  • 65. Eduardo De Nardi  |  28/01/2009 às 14:55

    Concordo com Prestes (32) e Andreas (50), e em parte com o Ernesto e demais.
    Claro que nesses jogos de Gauchão (e demais jogos pouco atrativos) o ingresso teria que ser mais barato, para dar renda máxima para o clube. Mas esses caras da Coréia jamais assistirão a uma final novamente: (i) as finais serão sempre para sócios e com ingressos custando olho da cara; (ii) se não for assim, não disputaremos final nenhuma, só BOVINAO. Dá pra incluir os caras, sem prejuízo para o clube, mas só em jogos pouco atratativos. Independente de alguém achar isso bom ou ruim, justo ou injusto, é eficiente.
    Quanto a mulher, não me sinto apto a julgar as preferências das pessoas. Eu não gastaria o dinheiro dessa forma, seja porque tem gente passando fome no mundo, ou porque eu poderia fazer um FAROFAO bate-volta em Pinhal. Mas o dinheiro é dela, e, não prejudicando ninguém, e ainda ajudando a todos os colorados, nao posso ser contra.
    ABS

  • 66. Lourenço  |  28/01/2009 às 14:55

    É um cachorro e vai se desassociar. Na minha opinião, acabou aí. A gente tem que se importar como as pessoas estão ganhando o seu dinheiro, não como elas gastam. Claro, ressalvando o ilícito e o imoral, que não são o caso aí, na boa.

  • 67. Andreas  |  28/01/2009 às 14:56

    Francisco Luz: acho pouco provável que o objetivo seja “aparecer”, considerando-se o fato de que ela fez questão de manter o anonimato.

    Minha tese é que tem gente que é simplesmente doida por cachorro e faz tudo por eles. Essa guria deve ser um exemplar do tipo. Não é por acaso que se refere ao Bjorg como “filho”.

    Enfim, as coisas GERALMENTE acontecem por motivos mais idiotas do que aqueles que mancomunamos.

  • 68. Arbo  |  28/01/2009 às 14:57

    Acho q não há argumentos contra o q Andreas e Fabio acabam de dizer. (de forma magnífica)
    E, agora com a notícia trazida pelo Almilano, as coisas ficam mais bem acomodadas, não?

  • 69. Andreas  |  28/01/2009 às 14:59

    Prestes: qual posição social foi colocado o cachorro?

    Se eu e tu temos condições discutir coisas supérfluas em blogs sobre esportes, isso não nos coloca automaticamente em uma “posição social” diferente daqueles que não têm essas condições?

    Tudo que fazemos nos diferencia. Desde associar o cachorro no clube até pedir Heineken em vez de Sol.

  • 70. Prestes  |  28/01/2009 às 14:59

    Minha crítica é bem mais ao Inter, que vai criar uma linha PET e não criou nada para pessoas que não têm condições.

    Quanto à guria, não quero eu dizer no que os outros têm que gastar. Me incomoda é sair no jornal como algo “engraçadinho”, ou como “olha só que apaixonada pelo clube”.

  • 71. Junior  |  28/01/2009 às 14:59

    Arbo, não coloquei o link por esquecimento, valeu por lembrar.
    Aí está: http://zerohora.clicrbs.com.br/zerohora/jsp/default2.jsp?uf=1&local=1&source=a2384102.xml&template=3916.dwt&edition=11587&section=1010

    Com a quantidade de sócios que o Inter possui, um novo plano de sócios para as pessoas mais humildes obrigatoriamente não iria valer para as finais e jogos mais importantes, pois quem paga mais (e há mais tempo) certamente processaria o clube por ficar fora do estádio enquanto um novo tipo de sócio, que é mais recente e paga menos, pôde assistir ao jogo normalmente. É cruel e lamentável, mas as opções de lazer para os mais pobres são escassas, basta observar o preço de um ingresso para o cinema ou para um show.

  • 72. Cassol  |  28/01/2009 às 15:00

    Só uma coisa: a questã canina entrou de última hora no meu texto, que estava mais ou menos escrito desde segunda-feira.

  • 73. Lourenço  |  28/01/2009 às 15:00

    Essas dos 80 mil sócios colorados e um cachorro lembra aquela piada sobre o plano do Bin Laden de matar um milhão de americanos e um esquilo.

  • 74. Francisco Luz  |  28/01/2009 às 15:00

    Andreas, pode até ser. Mas se não quisesse aparecer, nem falaria, acho eu (é o que eu faria se estivesse na situação dela).

    Mas como eu disse, só achei piada o espaço dado para isso. O resto fica com vocês.

  • 75. Prestes  |  28/01/2009 às 15:01

    Tu não entende mesmo a diferença entre EU tomar uma ceva, e o MEU CACHORRO tomar???????

  • 76. Fabio  |  28/01/2009 às 15:02

    Uma pessoa ter um Ford Fusion em vez de de ter um Uno Mille é ofensivo, então, por sua lógica, Prestes, já que milhões andam de ônibus.

    O Roberto Carlos ter um relógio do valor de um apartamento na Bela Vista é um absurdo? É, o cara é um deslumbrado de repente, mas se ele não roubou a grana, conseguiu com seu trabalho (não entrando no mérito se é justo ou não), por que ele não pode comprar?

    Em vez de dar 10 pila pro flanelinha por ter a comodidade de deixar teu carro num lugar perto do estádio, pode ir num bus apertado e doar essa grana pro primeiro cara que te pedir, que SINCERAMENTE não sei quem é nem se é uma pessoa honesta, de boa índole, blablabla.

    Te associa no clube, exige nas assembléias, nos foruns, no orkut, sei lá, que o clube mude a sua filosofia, que o ingresso seja de dez reais…

  • 77. Andreas  |  28/01/2009 às 15:02

    Sim, uma coisa é fato: isso aí é uma piada pronta a respeito do Inter e seu plano de arrebanhar 100 mil sócios.

    Se chegarmos lá, quero ver quantas pessoas (gremistas, evidentemente) vão nos questionar se são 100 mil pessoas, mesmo, ou se macacos e cachorros estão incluídos na conta.

  • 78. Eduardo De Nardi  |  28/01/2009 às 15:03

    Andreas (59) e Fabio (63) disseram o que nao consegui dizer. Inveja de quem sabe se expressar. É impossível julgar valores, é a mesma coisa que tu dizeres que gostar de azul é errado. Ela gosta de gastar com o cachorro, eu com livros, fulano com placas eletronicas, ciclano com viagens, fulana com cabelo, renatinha com as unhas. Tu nao precisa ser amigo das pessoas, mas elas continuarao tendo o direito de fazer as coisas. Analogamente, amigos do blog me ajduem, alguém disse: “posso não concordar com o que você diz, mas defenderei eternamente seu direito de fazê-lo”.

  • 79. col  |  28/01/2009 às 15:03

    Junior, #55, ela foi a musa da FGF em 2008. Muito bem escolhida.

  • 80. Tim Maia da Coréia  |  28/01/2009 às 15:05

    DEVOLVAM A CORÉIA!

  • 81. Arbo  |  28/01/2009 às 15:06

    Chico, “o espaço” passou a existir exatamente PARA isso. Não deixa de ser piada, mas é importante notar. Se não houvesse o cachorro é bem capaz q criassem.

    Cassol, eu já comentei q faria o mesmo q tu, no q não TANGEU ao cão, no teu post. O futebol, como bem disse o Sancho, vem antes do Grêmio. tbm, não por ela, mas tbm, por uma questão de lógica.

  • 82. Sanchotene  |  28/01/2009 às 15:07

    Eu não aceitaria a associação de cachorros e assemelhados. Já bastam as ANTAS que freqüentam os estádios.

    Dizer que o cachorro não vai a campo, não significa que ele não ocupe espaço. Afinal, ela pode muito bem repassar a carterinha do tal Borg para um amigo ou parente.

    Aceitar esse tipo de associação é “gol contra”.

    É o troco colorado à estrela do Grêmio…

  • 83. Andreas  |  28/01/2009 às 15:08

    Eu nunca torci contra o Inter, nem mesmo quando ganhamos no apito. Mas sim, eu frequentemente me dou o direito de IGNORAR a alegria que seria proporcionada por esse tipo de vitória. É nessas horas que eu não dou bola pro Inter – e considero isso a coisa mais PECAMINOSA que eu faço como colorado.

  • 84. Luís Felipe  |  28/01/2009 às 15:10

    tá, eu não vou me aprofundar na discussão pq acho que não há o que aprofundar.

    o básico vocês esqueceram. Cachorro não é gente. NÃO. É. GENTE. Isso implica uma série de confusões sobre o que são direitos de cachorro e o que são direitos de pessoas. Associar um cachorro não é a mesma coisa que gastar dinheiro com cerveja.

    todo mundo está encontrando uma maneira de se aliviar das próprias culpas ao tomar um trago pagando ceva a 6 reais e não dar moedas pro mendigo na rua. Isso é normal e isso é classe média. Não vamos resolver todos os problemas do mundo.

    só acho que não dá para defender pessoas cujo senso crítico é tão pequeno que não conseguem diferenciar um cachorro de uma pessoa. É isso.

  • 85. Prestes  |  28/01/2009 às 15:10

    Bueno, Fabio, se tu não entende a diferença entre eu ter um Uno Mille e o meu cachorro ter tudo bem. E nem é isso que me preocupa. Tu não precisa publicar isso no jornal de maior circulação do Estado, aí sim é ofensivo. E eu não quero que meu clube faça esse tipo de coisa.

  • 86. Arbo  |  28/01/2009 às 15:10

    junior, blz. b-l-z

  • 87. Arbo  |  28/01/2009 às 15:12

    Sancho, tu o q disse aqui foi pensando q essa carteirinha era fictícia, por assim dizer, como o almilano falou mais acima.

  • 88. Prestes  |  28/01/2009 às 15:14

    Não adianta, Luis, não entendem a diferença entre um cachorro e uma pessoa. Não ouviram quando o pai explicou, aos 3 anos de idade, aí deu nisso.

  • 89. fino  |  28/01/2009 às 15:15

    Não é flauta, mas é pra botar lenha na fogueira e desviar o foco do cachorro: eu duvido que o Inter tenha 78 mil sócios pagando EM DIA.

  • 90. Eduardo De Nardi  |  28/01/2009 às 15:15

    A propósito, aquela semiifinal contra o Glória, ganhamos roubado? Como colorado, as vezes nao vejo essas cosas…
    Mesmo assim, do Corinthians e do Gremio não sinto nenhum remorso de ganhar roubado, até prefiro. Nunca me esquecerei do (baixo nivel mode on) FDP do F Costa dizendo que nao fez penalti no TInga, no Betao dizendo que foi tudo normal, levantando a taça e doscCorinthianos e gremistas nos chamando de chorões, campeoes morais etc. Aliás, Grêmio e INter são rídiculos nesse ponto, a despeito da rivalidade, deveriam se unir pra pleitear direitos. Lembro de uma notícia de ZH em 2008 do Grêmio enviar um representante a Conmebol para melar a entrada do Inter na Liberta pela janela. E o Inter aprontou umas iguais certo também, só que nao lembro ou desconheco. (Mode polemica on) Sou a favor até de estádio único para os dois. Igual a Milão.

  • 91. Andreas  |  28/01/2009 às 15:15

    só acho que não dá para defender pessoas cujo senso crítico é tão pequeno que não conseguem diferenciar um cachorro de uma pessoa. É isso.

    Até concordo, LF. Mas então que se critique o senso crítico da guria, sem a pretensão de colocá-la entre os “culpados” pela terrível exclusão do povão dos nossos estádios.

    Outra coisa: acho que gastar dinheiro com ceva é EXATAMENTE a mesma coisa que gastar dinheiro com a associação de um cachorro no Inter. Ambos os gastos são supérfluos, ambos não produzem nada de útil, ambos só se justificam pelo prazer que proporcionam ao gastador. Nós só consideramos a ceva “normal” porque todos nós fazemos questão de gastar com a ceva. É a única diferença. O problema, aqui, é a incapacidade de se colocar no lugar de quem prefere gastar com o cachorro.

  • 92. Arbo  |  28/01/2009 às 15:16

    Prestes, mesmo a carteirinha sendo DE BRINCADEIRINHA, tu segue pensando assim?

  • 93. Lourenço  |  28/01/2009 às 15:16

    Luís, eu concordo contigo que muitos “cuidados” com o cachorro de estimação são superficialidade. Mas tal conclusão pode chegar ao absurdo. Associar um cachorro é um desrespeito social porque tem gente que não consegue se associar. Mas dar comida para o cachorro também, porque tem gente que não come. Dar casa também, porque há sem-tetos. Pagar cirurgia para cachorro também, já que muitos dependem do SUS e morrem na fila. Dar roupa também, em um mundo com pessoas com frio. E esses casos, paradoxalmente, são mais graves, porque se vestir, alimentação, moradia e saúde são direitos fundamentais. Ser sócio do clube do coração não. (sim, estou sendo irônico). Mas então, qual o critério? Porque, do jeito que está, só de ter um cachorro e dar o básico para ele, em um mundo que as pessoas não tem a menor dignidade, seria um luxo pecaminoso. E olha que eu não tenho cachorro.

  • 94. Andreas  |  28/01/2009 às 15:17

    Uno Mille: o mais barato hoje deve estar custando quanto? R$ 20 por mês?

    Comparação totalmente descabida, velho. Convenhamos.

  • 95. Fabio  |  28/01/2009 às 15:17

    LF,

    culpe então sua tia distante que em vez de montar um albergue e alimentar algumas bocas famintas, compra ração para o cachorrinho traveso dela, o Lulu.
    Ou, se teu senso crítico é tão elevado assim: deixa de comer carne, cara…para cada quilo de boi morto se transformar em algo comestível pelo homem se vão 15 (ou 150?) litros de água…e os pobres irmãos da Fronteira Sul que não têm água nem para beber, muito menos para plantar.

  • 96. Francisco Luz  |  28/01/2009 às 15:17

    Arbo, ela ainda não é de brincadeira. Vai ser criado algo do gênero – mas essa é real.

  • 97. Andreas  |  28/01/2009 às 15:19

    Não esqueçam de um detalhe: ao comprar um monte de badulaques para o cachorro (tem gente que compra JÓIAS para cadelinhas, vejam só), alguém está sendo mantido no emprego. Pergunta pros operários das fábricas de jóias lá de Guaporé se eles estão “tristes” ou “ofendidos” com as dondocas que compram brincos de diamante para seus poodles… Eles estão é dando graças a deus pelo fato de que existe gente louca a esse ponto.

  • 98. Prestes  |  28/01/2009 às 15:20

    Não, Lourenço. Porque quando tu dá comida pro cachorro ele vai comer. Agora, quando tu dá uma carteirinha do colorado não vai fazer a menor diferença pro cachorro.

  • 99. Junior  |  28/01/2009 às 15:21

    A garota fez uma brincadeira, que pode ser infeliz, mas é inofensiva. Ela mentiu que os dados eram de uma criança pequena. O Inter já “desassociou” o cachorro. Esse bicho não tirou o lugar de ninguém no Beira-Rio, pelo contrário, esses 20 reais (assim como a mensalidade de todos os outros sócios, é lógico) ajudaram o Inter a sustentar crianças na escolinha do Clube. O cachorro não prejudicou ninguém, não vejo porque tanta indignação com isso.

  • 100. fino  |  28/01/2009 às 15:21

    Caras, vocês querem discutir “a índole” das pessoas, se comem caviar ou se comem pão com mortadela… o mundo tá cheio de gente imbecil e que tá se lixando pro bom senso ou pro que os outros vão pensar dos absurdos que elas fazem…

    Nem vale discutir isso aí, vai terminar na palestina de novo, com 500 comentários

  • 101. Lourenço  |  28/01/2009 às 15:21

    Mas vai fazer para o Inter. Não tem muito torcedor do Inter até de fora do país que segue pagando a mensalidade? Isso é moralmente reprovável? O problema não está aí, Prestes.

  • 102. Fabio  |  28/01/2009 às 15:21

    Não faz a menor diferença pruma pessoa ser sócia de uma equipe ou não. É supérfluo também, Prestes

  • 103. Andreas  |  28/01/2009 às 15:22

    Prestes: mas pro clube vai.

    E aí voltamos à questão central desta polêmica paralela que surgiu aqui: o clube é o verdadeiro culpado pela exclusão, e não o cachorro.

  • 104. Arbo  |  28/01/2009 às 15:22

    Não é real no sentido de q o cão não pode entrar no estádio, como sócio.
    O Andreas foi perfeito aqui:
    “Até concordo, LF. Mas então que se critique o senso crítico da guria, sem a pretensão de colocá-la entre os “culpados” pela terrível exclusão do povão dos nossos estádios.”

    Prestes e LF, vcs estão misturando coisas, me parece.

  • 105. Gustavo  |  28/01/2009 às 15:22

    Porque a guria não dá os 20 pila pra instituição de caridade?
    É mais ou menos essa a discussão, ao meu ver.

  • 106. Lourenço  |  28/01/2009 às 15:24

    Sem contar que todo clube busca torcedores com fidelidade canina.

  • 107. Prestes  |  28/01/2009 às 15:24

    O problema está em ser um cachorro. O efeito simbólico disso. Mas já falei várias vezes, minha críticia não é à guria, mas a ZH e ao Inter.

  • 108. almilano  |  28/01/2009 às 15:24

    Ao Fino, sobre o número de sócios do Inter:

    Estamos quase com 80 mil sócios e destes cerca de 75 mil estão em dia.

    Sobre a carteirinha, vou repetir: o cachorro será “desassociado”.

  • 109. fino  |  28/01/2009 às 15:26

    #108

    Milano, como faz pra saber quantos estão em dia?

  • 110. Andreas  |  28/01/2009 às 15:26

    Sem contar que todo clube busca torcedores com fidelidade canina.

    Hahahahaha, ótima!

  • 111. Eduardo De Nardi  |  28/01/2009 às 15:26

    Sugiro uma discussao sobre estadio unico para a Dupla.

  • 112. Junior  |  28/01/2009 às 15:28

    “Analogamente, amigos do blog me ajduem, alguém disse: posso não concordar com o que você diz, mas defenderei eternamente seu direito de fazê-lo”.

    Eduardo, foi Voltaire quem disse isso.

    “Porque a guria não dá os 20 pila pra instituição de caridade?
    É mais ou menos essa a discussão, ao meu ver.”

    Gustavo, porque não doamos o valor das nossas mensalidades às instituições de caridade, elas precisam mais do que os clubes de futebol. Mas é um direito nosso gastar com o clube que torcemos. O dinheiro é dela, se ela gasta licitamente, não podemos fazer nada.

  • 113. Arbo  |  28/01/2009 às 15:28

    ah sim, Prestes. podemos encontrar pessoas fazendo merda nas redações tbm. mta. aliás, qaul a porcentagem da imprensa fabrica SÓ LIXO? deve ser grande… é essa discussão? to ctgo então

  • 114. Francisco Luz  |  28/01/2009 às 15:28

    Fino, o Alemão é conselheiro.

    Gustavo, ao menos isso ela deixou claro: mesmo sendo sócia, a intenção dela era contribuir com o valor de um título novo.

    Estádio único: não, obrigado.

  • 115. col  |  28/01/2009 às 15:29

    Lourenco, #101,

    Eu moro fora e nao pago mensalidade pois os caras nao aceitam cartao de credito internacional. Pagaria a mensalidade com o maior prazer sem ter direito de ir ao estadio.

  • 116. Arbo  |  28/01/2009 às 15:29

    Junior, acho q o Gustavo não estava entrando no mérito da questão, apenas fazendo uma sínstese, e, se entendi bem, irônica.

  • 117. Lila  |  28/01/2009 às 15:31

    Como assim o dinheiro da cerveja não tá fazendo nada de útil? Quantas famílias (desde a fábrica até o bar) são sustentadas com as nossas cervejas?

  • 118. Lourenço  |  28/01/2009 às 15:32

    col,
    Pois é, já ouvi que muitas pessoas do interior, de outros locais do país e do exterior são sócias sem nunca ir. Eu não vejo problema algum nisso. Mas, que fique claro, nem o Prestes nem ninguém criticou tais pessoas. Eu só dei esse exemplo, naquele contexto, para dizer que o problema não seria pagar para alguém que nunca compareceria.

  • 119. Milton Ribeiro  |  28/01/2009 às 15:33

    Bom, o que importa é que Rosinei estará em campo.

  • 120. Junior  |  28/01/2009 às 15:35

    Prestes, o Inter lançará uma linha PET porque as pessoas gastam bastante dinheiro com animais de estimação. Eu não concordo com os gastos que as pessoas fazem com seus animais, mas o Inter está absolutamente certo em explorar esse mercado. Digo mais, o Inter e os outros clubes demoraram muito para perceber que esse mercado é lucrativo. O clube é privado, precisa de lucros, senão, o Catania vem aqui e leva nossos melhores jogadores por qualquer valor. Infelizmente, os pobres não tem mais espaço nos estádios de futebol, isso começou na Inglaterra e espalhou-se pelo mundo, é um caminho sem volta.

  • 121. col  |  28/01/2009 às 15:36

    Beleza Lourenco, soh dei um exemplo mesmo.

    Quando escuto palavras como Rosinei, Andrezinho, Michel etc…me pergunto se o FC entende mesmo de futebol.

  • 122. Andreas  |  28/01/2009 às 15:36

    Está certo, Lila. Me passei nessa. A compra da cerveja realmente tem essa utilidade econômica. Mas a associação do cachorro também tem.

    Nesse sentido, o ponto ao qual eu queria chegar (associar o cachorro é tão supérfluo quanto tomar cerveja) se mantém.

  • 123. Milton Ribeiro  |  28/01/2009 às 15:38

    Vou associar a Juno, minha pastor alemão.

    Ô, Prestes, leva ela ao jogo pra mim? Ela é adestrada. Ou seja, gastei R$ 400 para ela ser educadinha.

    (Só não entendi porque o Cassol botou a porra daquele cachorro lá. O texto não tem nada a ver com cinofilia!)

  • 124. Eduardo De Nardi  |  28/01/2009 às 15:39

    Rapaziada.
    Mesmo que ela quisesse aparecer, que ela fizesse isso só pra contar pras dondocas amigas dela no chá de sábado em Punta de Este, ainda assim, ela teria direito de fazê-lo. A gente pode espernear, achar errado, achar que ela é uma idiota, eu jamais me relacionaria com alguém assim, mas não podemos imedi-la de fazer. É nazismo. É ditadura. Porque de repente vem um cara e diz: futebol é supérfulo, acaba com isso. É perigoso.
    Do mesmo modo, cada jornal e jornalista publica o que bem entende, lê, compra, e DISCUTE o assunto quem quer. Depois de todo esse reboliço aqui, não tenho dúvidas de que o jornalista fez bem em publicar – ele vendeu jornal, o seu empregador deve estar satisfeito. Eu, como profissional, estaria infeliz no lugar dele. Mas ele foi competente, e não lesou ninguém (diferente do cara que mente, inventa). Não é essa mulher o problema do mundo, nem dela e de seus pares a responsabilidade pelos mortos de fome e excluídos dos estádios.
    ABS

  • 125. Lourenço  |  28/01/2009 às 15:39

    Na verdade, estar perto tanto de um cachorro quanto de cerveja tem o efeito de diminuir a idade mental do indivíduo

  • 126. Andreas  |  28/01/2009 às 15:39

    A propósito: tenho um salsichinha, o Franz. E almejo ter um Golden Retriever no dia em que, finalmente, puder trocar meu JK por uma casa com um patiozinho mínimo.

  • 127. Milton Ribeiro  |  28/01/2009 às 15:40

    Lourenço, por isso sou tão jovial!

  • 128. Andreas  |  28/01/2009 às 15:40

    Lourenço: mais uma vez, perfeito! Hahahahahahahah

  • 129. Prestes  |  28/01/2009 às 15:40

    Junior, nesse caso, não sou contra a linha PET. Mais faria antes o sócio popular. Bem antes, diga-se.

  • 130. Andreas  |  28/01/2009 às 15:41

    Sabe o que realmente me incomoda nisso tudo?

    O fato de que o tal cachorro ganhou uma página inteira de ZH.

    Isso sim, é lamentável.

    Jornalismo-BBB virou uma praga.

  • 131. Palmira Gobbi  |  28/01/2009 às 15:42

    Sou a favor da associação de todos os animaizinhos. Mas não soltem foguetes perto deles. Eles têm ouvidos muito sensíveis.

  • 132. Prestes  |  28/01/2009 às 15:43

    É o que me incomoda também, Andreas. Tô bem mais incomodado com o editor dessa bagaça que com a guria.

  • 133. Milton Ribeiro  |  28/01/2009 às 15:44

    Eu sei quem é a guria… Ela é semifamosinha…

  • 134. Eduardo De Nardi  |  28/01/2009 às 15:44

    As pessoas compram Andreas, assistem, se a Globo não fizer, outro faz e se torna o mais assistido (como fez o midas Silvio Santos na Casa dos Artistas). Se nós, público consumidor, temos mal gosto, os caras vão servir Big Mac em vez do Xis portugues do Cavanhas com maionese extra.
    Pena que essa lei da preferência do consumidor não vale po time, Rosinei de novo. Por que ele e o G Nery ainda veztem o manto heinhô?

  • 135. col  |  28/01/2009 às 15:45

    Alguem foi no show no Opiniao ontem??

  • 136. Eduardo De Nardi  |  28/01/2009 às 15:45

    vestem…. z bem do lado do s.

  • 137. Luís Felipe  |  28/01/2009 às 15:46

    que discussão mais católica, pelamor.

    Andreas: entre comprar um fardo de 18 latinhas e associar o teu cachorro, tu vai fazer o primeiro e não vai fazer o segundo. Por isso, há diferença. Pq tu não é um retardado mental que acha que cachorro é gente. Na filosofia, dá para encontrar um argumento delirante que vai tornar as coisas iguais; na prática, pessoas com senso crítico não fazem isso.

    Todo mundo aqui se sente culpado por ganhar bem e não gastar com coisas supérfluas; todo mundo aqui está tentando se eximir dessa culpa. Vão no confessionário, então. Quem não sente culpa nenhuma nem entra numa discussão dessas.

  • 138. Junior  |  28/01/2009 às 15:48

    Prestes, como já disse, é inviável o sócio popular. Como o clube conseguiria argumentar para quem paga R$ 20,00 ou R$ 45,00 que ele não pôde entrar na final da Libertadores porque há um espaço reservado ao sócio popular. O Internacional dependeria da solidariedade das pessoas com os mais humildes, o que tu bem sabes, é praticamente impossível de acontecer. O mais provável é que essas pessoas de classes “superiores” não paguem mais a mensalidade e deixem de ser sócias. O estádio virou um local para a classe média, o que é ruim, mas é inevitável.

  • 139. Andreas  |  28/01/2009 às 15:48

    Eduardo: sim, tu tens toda razão. A lógica é perfeita e justa, gostemos ou não. Mas o que estou dizendo é que eu não gosto. No meu ideal, o cachorrinho ganharia uma nota de rodapé. O fato de que Alecsandro chegou aqui totalmente fora de forma, e que o Ricardo Noir destruiu no último jogo do Boca… Enfim, isso sim, teria mais destaque, pelo simples fato de que me parece ser algo mais interessante pruma editoria de esportes.

  • 140. Milton Ribeiro  |  28/01/2009 às 15:48

    Bom, fui. vcs estão muito sérios hoje. Vou ali no estádio associar minha cadela e TOMAR UMAS CERVEJAS para ver o ROSINEI logo mais à noite.

    Adeus.

  • 141. Milton Ribeiro  |  28/01/2009 às 15:50

    Andreas.

    O que tu esperavas de um editor como David Coimbra?

  • 142. Arbo  |  28/01/2009 às 15:50

    eu fui col.
    ar condicionado inexistente e refri lata a 4 reais e ceva a 7. inconcebível.
    o show tava bom, embora curto.

  • 143. Lourenço  |  28/01/2009 às 15:51

    #127 Milton, combinando as duas não tem erro, né? hehe

    #128 Andreas, valeu, cara, abraço

  • 144. Prestes  |  28/01/2009 às 15:51

    Tudo bem, mas não é inviável pacotes baratíssimos para o Gauchão + primeiras fases da Copa do Brasil. Pacotes baratos para primeiro turno do Brasileiro, excluindo, digamos, o Grenal.

    Tudo bem, o filé não vai ter como dar, não tem volta. Só os sócios da modalidade antiga – eu! – vão ir a todos os jogos sempre. É um caminho muito sem volta.

  • 145. Arbo  |  28/01/2009 às 15:51

    vírgula ali. EU FUI, COL.

  • 146. fino  |  28/01/2009 às 15:52

    É muito descaso com a baixa renda… quero saber dos conselheiros aí quando o Inter vai lançar o programa BOLSA JOGO para as camadas menos abastadas da sociedade…

  • 147. Schoppenhauer  |  28/01/2009 às 15:52

    sô mais o meu cão

  • 148. Andreas  |  28/01/2009 às 15:53

    Todo mundo aqui se sente culpado por ganhar bem e não gastar com coisas supérfluas; todo mundo aqui está tentando se eximir dessa culpa. Vão no confessionário, então. Quem não sente culpa nenhuma nem entra numa discussão dessas.

    Sai pra lá, Freud. O que estou dizendo não tem nada a ver com culpa. Até porque, veja só, eu parei de beber. Não gasto nem com uma coisa, nem com a outra. Acho as duas igualmente supérfluas e igualmente certas. Mas não as pratico e, portanto, não carrego culpa nenhuma.

    Entre associar o cachorro no clube ou comprar cerveja, eu escolheria procurar um dilema mais relevante pra minha existência.

    Até poque, convenhamos, seria preciso ter complexos GRAVÍSSIMOS para se sentir “culpado” ao tomar uma ceva – ou ao associar um cachorro no clube.

  • 149. Milton Ribeiro  |  28/01/2009 às 15:54

    Ah, antes de ir embora.

    O Bjorn Borg deve entrar em campo com o time no jogo contra a Sapucaiense.

    IMPERDÍVEL.

  • 150. col  |  28/01/2009 às 15:56

    Legal, Arbo.

    Acho o estilinho deles interessante. Eles devem ter umas 10 composicoes proprias ao todo. Isso deve explicar a duracao do show. Que saudade do Opiniao…

  • 151. Lourenço  |  28/01/2009 às 15:56

    Bah, Prestes, sem querer entrar em uma discussão gigantesca, acho que essas questões de fazer promoções populares que, em tese, não são tão rentáveis para o clube, com a justificativa de serem socialmente importantes, dependeriam de subsidio público, o que já seria um outro problema. Se fossem rentáveis, os clubes já estariam fazendo.

  • 152. Schoppenhauer  |  28/01/2009 às 15:57

    AHAUHAUHAUHAUHA
    o andreas matou a pau

  • 153. Junior  |  28/01/2009 às 15:57

    Luís Felipe, há um filme (nessas horas agradeço não estar namorando, senão seria “coagido a assisti-lo) chamado “Marley e Eu”, baseado num best seller, que evidencia (na minha opinião) a importância desmedida que se dá aos animais de estimação atualmente. Mas sinceramente, para mim, que não bebo cerveja, gastar R$ 30 com uma cerveja importada também é idiotice.
    Certamente, muitos devem achar idiotice o que já gastei em CD’s. Nesse caso específico, ela contribuiu com o Inter, se eu fosse irmão dela, tentaria convencê-la a gastar com outra coisa, mas como não a conheço, prefiro que ela gaste com o Inter do que com cerveja.

  • 154. Milton Ribeiro  |  28/01/2009 às 15:58

    Schopenhauer só tem um “p”.

  • 155. Despachante  |  28/01/2009 às 15:58

    Clube não é instituição filantrópica.
    Não sei porque sempre tem esse papo de “inclusão social” usando os times. Fodam-se, o futebol é caro e uma das receitas é o ingresso. Não pode pagar, problema do cara, oras, como em qualquer outro setor da sociedade.

    Sobre preço e valores, isso é o dono do dinheiro que decide, podem passar anos discutindo aqui, mas a coisa tem o exato valor que alguém decide pagar, e por isso, associar o cachorro, ou meu ovo esquerdo, é tão importante quanto comprar um prato de comida, no momento em que eu decido comprar, porque me disponho a pagar um valor x naquele exato momento, tendo fome ou querendo associar meu testículo canhoto.

    Não existem estes conceitos morais na moeda.

  • 156. Schoppenhauer  |  28/01/2009 às 15:59

    Tu não foi, col?
    Achei q tinha ido e queria falar dos absurdos supracitados. Afora isso, acho o opinião mto bom pra shows assim. tava massa. o Amarante tava bem inspirado, o moretti se embebedou no fim, e a guria é um diferencial e tanto. quem não tava casado se apaixonou, por assim dizer.

  • 157. Francisco Luz  |  28/01/2009 às 15:59

    Que show tinha ontem no opinião? O do magrão aquele com voz de pato?

    Bah, Arbo, te larguei de mão.

  • 158. Eduardo De Nardi  |  28/01/2009 às 16:00

    Acho que dá pra fazer um programa Sócio Baixa Renda. O foda é que é, paradoxalmente, mto IMPOPULAR. Por que? Ora, tu vai dar acesso aos caras só pra carne de pescoço, e na hora do filé, o cara não vai poder assistir, seria algo do tipo: quando sobrar lugar o cara entra (de forma organizada, sem o cara precisar esperar o estádio ficar cheio ou não, OBVIO). Podem até enfeitar o plano, mas seria isso.
    Seria assim, ou algo variável disso: o cara paga 10 pila por mês. Os outros sócios tem prioridade de comprar ingresso (modalidade que compra) e avisar que vai (modalidade que não precisa comprar). Se sobrar lugar, o cara paga mais 5 por jogo, ou 2, ou 10, enfim, X por ingresso.
    Eu sou a favor. Ia incluir, mas só nos jogos menos interessantes. Mas daí vai vim o Ernesto (nada pessoal) e vai dizer que a Direção estude sacanagem com o cara que vai quando ninguém quer, que apóia o clube, que torce de verdade.
    Mas é isso ou nada. O cara sem grana só pode acessar jogo que os outros não querem, ou o clube não chega mais nas finais.
    Não é fácil agradar gregos e troianos.
    ABS

  • 159. col  |  28/01/2009 às 16:00

    Schopenhauer, eu moro alguns mil kilometros do Opiniao.

  • 160. Junior  |  28/01/2009 às 16:00

    Opa, o “Schop’s” se entregou, rsrrrrsrsr.

  • 161. Arbo  |  28/01/2009 às 16:01

    opa, me entreguei. e sabia q seria o milton a me corrigir. fiquei na dúvida, mas resolvi não ir ao gugou consultar. me vê um choPP, miltão!

  • 162. col  |  28/01/2009 às 16:01

    Mas pelo menos eu tomo cerveja “importada” a US$2.00.

  • 163. Luís Felipe  |  28/01/2009 às 16:02

    bah, é muita filosofia para ver o básico: cachorro não é gente.

    larguei.

  • 164. André K  |  28/01/2009 às 16:04

    133. Milton Ribeiro | 28/01/2009 at 15:44

    Eu sei quem é a guria… Ela é semifamosinha…

    “Entrega” de uma vez

  • 165. Paul  |  28/01/2009 às 16:05

    Muito massa o cachorrão.
    Mas o Zumbi (meu labrador preto) pode tirar o cavalinho da chuva, que eu vou é BEBER a carteirinha dele.
    Segue o baile.

  • 166. Prestes  |  28/01/2009 às 16:05

    Lourenço, não acho que se fossem rentáveis já teriam feito. O futebol no Brasil, mesmo já sendo suficientemente capitalista para excluir, ainda é muito retrógrado em administração.

    Todos os clubes ingleses têm pacotes de sócio diferentes. Os mais fudidos só vão em jogo da Carling Cup, mas convenhamos que é melhor pro cara, que ao menos pode ir ao estádio de vez em quando, e melhor pro clube, que não fica com metade de sua capacidade no estádio ociosa.

  • 167. Andreas  |  28/01/2009 às 16:10

    Alguém aí postou a foto da musa do Gauchão 2008… É ela, mesmo?

  • 168. Eduardo De Nardi  |  28/01/2009 às 16:10

    Concordo com Prestes (65). Mas como corrigir a impopularidade (De Nardi, 157) da medida?
    Do outro assunto Prestes: se tu tivesse poder, fosse o rei do Rio Grande digamos assim, tu proibiria a senhorita de associar o cão?
    ABS

  • 169. Junior  |  28/01/2009 às 16:11

    Luís, todos sabemos que cachorro não é gente. Eu e acho que todos que postam aqui jamais faríamos isso. Mas a menina SÓ fez uma brincadeira, que pode ser idiota, mas não prejudicou ninguém, o cachorro não tirou o lugar de ninguém no Beira-Rio, ao contrário, ela ajudou as finanças do clube ao pagar a mensalidade.

  • 170. Diogo  |  28/01/2009 às 16:11

    Não vou cornetear o cusco colorado.

    Até porque corre um boato na cozinha que o Grêmio também posssui sócios TV COLOSSO.

    Radiccúlo.

  • 171. Arbo  |  28/01/2009 às 16:11

    LF, acho q tu está com má vontade ou não acordou hj com mta vontade de interpretar bem as coisas. alguém aqui, te parece, põe gente e cães no mesmo patamar (afora o schopenhauer)?
    bom, parece q é essa a tua discussão, e aponta diretamente pra guria essa q o milton conhece… mas então era essa a discussão! pessoas q tratam cachorro como gente! pq não mencionou isso antes? creio q todos aqui concordariam ctgo…

  • 172. fino  |  28/01/2009 às 16:12

    bah, quem é a mina mito? digo, milton…

    aqui dá pra ver que é uma gostosa, rabão, peitão… vamooooooooo inteeeeerrrrrrrrrrrrrrr

    http://mediacenter.clicrbs.com.br/templates/player.aspx?uf=1&contentID=49075&channel=49

  • 173. alemao  |  28/01/2009 às 16:12

    Gurizada, se vcs vão ficar falando sobre fome no mundo, eu dar dinheiro pra instituição de caridade, até mesmo a mensalidade q nós pagamos pro clube é descabida, não só a do cusco.

    Ademais, ela tá pagando com o dinheiro q o coroa dá de mesada.
    Otário é o pai…como já disseram, não é dinheiro público nem nada…

    Só não quero q o Pifero conte o cachorro pra dizer q tem 100 mil sócios…

  • 174. col  |  28/01/2009 às 16:14

    Fino, #171, que backside o da moca…..

  • 175. Luís Felipe  |  28/01/2009 às 16:14

    Luís, todos sabemos que cachorro não é gente.

    tá. Então não precisa exercer todos os níveis do relativismo para tentar argumentar o contrário.

  • 176. Sanchotene  |  28/01/2009 às 16:15

    CASSOL E DOUGLAS, ABRAM SEUS E-MAILS!!

  • 177. almilano  |  28/01/2009 às 16:15

    Fino,

    Essa questão de “sócio popular” acho que já exsite. Em parte, mas existe.

    Eu, por exemplo, pago 45 por mês. Os sócios novos pagam 20 e possuem descontos de 50% nos ingressos.

    Esses sócios novos (que hoje são maioria e votarão em 2010) devem ser tratados de forma idêntica ao sócio “antigo”. Mas eu não vejo como hoje, (financeiramente falando), um clube lançar uma campanha pro cara pagar sei lá, 5 ou 10 reais por mês, pois o custo por trás disso é exorbitante. O Inter investe (e muio) em tecnologia e irá melhorar isso cada vez mais, por isso acho que seria quase impossível manter isso cobrando 5 ou 10 reais das pessoas.

    Eu gostaria muito que esse cara menos abastado pudesse ir aos jogos, mas se o cara não tem condições de gastar 20 mais 50% de entrada não terá condições de pagar 10 por mês.

    E quem define esse tipo de associação é a gestão do clube, e não o Conselho, ou seja, Conselheiro não apita nada lá heheheheheh

  • 178. augusto genz  |  28/01/2009 às 16:16

    tb fui.

    melhor seria fazer o show no bourbon country.

  • 179. Borg  |  28/01/2009 às 16:16

    AU AU AU AU AU AU !!!

    Prestes desgraçado, vou te morder!

  • 180. Luís Felipe  |  28/01/2009 às 16:17

    Arbo,

    De minha parte, chega de deriva em cima dessa palhaçada.

  • 181. fino  |  28/01/2009 às 16:18

    Valeu, milano..

  • 182. Prestes  |  28/01/2009 às 16:18

    Bah, mas é boa a dona do cusco.

  • 183. Andreas  |  28/01/2009 às 16:18

    Cachorro não é gente.

    Até onde eu acompanhei, ninguém argumentou ao contrário disso.

    Eu, por exemplo, só argumentei ao contrário dessa idéia, implícita no primeiro post do LF (#10), de que a guria e seu cachorro estão entre os “culpados” pela exclusão dos “fudidos da Coréia”.

    Talvez eu tenha interpretado mal, mas foi o que eu entendi ao ler aquele post. Enfim, agora foi.

  • 184. Prestes  |  28/01/2009 às 16:20

    “178. Borg | 28/01/2009 at 16:16

    AU AU AU AU AU AU !!!

    Prestes desgraçado, vou te morder!”

    Lhe ensinarei a utilizar pseudônimos de forma mais engraçada, em breve…Mas ninguém vai saber.

  • 185. Junior  |  28/01/2009 às 16:20

    Luís, o Arbo foi perfeito no #170, ninguém comparou um cachorro a um ser humano, tu não estás entendendo o que nós argumentamos.

    Fino, obrigado pelo link. Se essa guria não for uma “raimunda”, é deveras apreciável, como diria um amigo meu.

  • 186. Prestes  |  28/01/2009 às 16:22

    Tu vê só, Junior, como é o mundo. Pra mim vocês é que não estão nos entendendo, uahdsudashdhusahd

  • 187. Eduardo De Nardi  |  28/01/2009 às 16:26

    A propósito, não apenas ZH publicou a porcaria do cahcorro. Mas o IMPEDIMENTO também o fez. Estarão os donos da ImpedCorp vendendo o Impedimento para a poderosa RBS para suportar a crise?
    ABS

  • 188. Luís Felipe  |  28/01/2009 às 16:28

    Junior, é, o retardado mental aqui sou eu.

  • 189. Prestes  |  28/01/2009 às 16:38

    Bueno, che, vamo mudar a discussão pro Evo Morales, porque aquele post ali no Carimbo é simplesmente SENSACIONAL.

  • 190. franciel  |  28/01/2009 às 16:39

    Chega de CACHORRADA!

    Venho a esta canina tribuna apenas para, gastando minha falsa erudição, retificar a informação dada por Junior (112) de que a tal frase que prega a tolerância é de Voltaire. Não é. É de Beatrice Hall, biógrafa do referido.

    De nada.

  • 191. Arbo  |  28/01/2009 às 16:41

    Bah, LF… relaxa.. tudo foi falado na boa aqui… e o Prestes deu a morta com o comentário dele “Pra mim vocês é que não estão nos entendendo” e ainda conseguiu rir. veja como é possível. tu não é retardado, embora tenha chamado alguns pra cá, certa feita. ushuaianuncamaislinkeELES

  • 192. Luís Felipe  |  28/01/2009 às 16:43

    Cara, eu só estou tentando não discutir mais esse assunto, mas confesso que a minha última tentativa de evitar isso foi um tanto imbecil.

    e o texto do Cassol, vamos comentar hein?

  • 193. almilano  |  28/01/2009 às 16:44

    De nada Fino.

    Bem que esse dog aí podia dar “umas mordida” no Bom Pastor hehheheh

  • 194. W.  |  28/01/2009 às 16:52

    Pra o pessoal que quer saber, o nome da dona do cão é Carolina Handler. É meio que uma patricinha wannabe. É feia, mas dá pra pegar FROXO. A irmã dela é uma baita gostosa.

  • 195. Prestes  |  28/01/2009 às 16:53

    Valeu, Milton

    dsfhsudahfusdhfudifudhgpiudfhgpdiuhgpiduhgpuidhgpui

  • 196. Luís Felipe  |  28/01/2009 às 16:58

    olha só que ironia: foi candidata ao conselho por uma das chapas que apoiou a oposição.

    pega essa, Ernesto!

  • 197. Guillermo  |  28/01/2009 às 17:00

    Bjorn Borg é hoje nome de uma grife de moda. Provavelmente a dondoca não tenha a menor noção que existe um ex-tenista homònimo.

    De resto, concordo em deixar a tia pagar pro cusco ter uma carteirinha contando que ajude o clube. É imbecil, mas é o dinheiro dela.

    DÁ-LHE GRÊMIO!!!

  • 198. Prestes  |  28/01/2009 às 17:00

    Ihh, mais discussão, udhaudhudusahduhasd

    Gurizada, sugestão. Já que cachorro dá tanta retorno, tinham que criar o ImPETmento, um site de futebol só para cães apreciadores do esporte bretão, uahdusahdushdauidsuiahdusiahduiahduihauias

  • 199. almilano  |  28/01/2009 às 17:00

    Luís Felipe,

    Pelo que eu saiba só houve uma chapa de oposição, a Chapa 2.

  • 200. Andreas  |  28/01/2009 às 17:12

    O movimento MaisInter era de oposição??

  • 201. Ismael  |  28/01/2009 às 17:23

    Cara, meu primeiro sentimento ao final do texto foi de solidariedade. Honestamente, nunca me peguei torcendo contra o Inter, mas na real queria ver uma fase final de gauchão com quatro times do interior!

    E sim, sou do tipo de torcedor cego na hora do jogo… acho que todos estão nos prejudicando e todo o resto é uma m..!

    Sobre o cachorro, fecho com o Prestes! Bom mesmo era o tempo que sócio pagava R$ 20,00 e via todos os jogos (e ainda tinha ceva de verdade!)

  • 202. Junior  |  28/01/2009 às 17:26

    MaisInter era o movimento daquele cara, o Vecchio?

    Luís Felipe, calma, ninguém quis te ofender.

    Franciel, valeu por esclarecer a questão do Voltaire.

    Não imaginava que Bjorn Borg era nome de uma griffe. Vou abrir uma rede de motéis com o nome de “Sharapova”, rssrrss.

  • 203. Gabriel  |  28/01/2009 às 18:01

    Escuta, mas a coréia não foi extinta por causa do estatuto do torcedor, que proíbe as pessoas assistirem aos jogos de pé?

    O que eu odeio é a aura novo rico que acaba pegando no Inter (coroas, ramos, etc). Não a gestão. Esta acho bastante boa, ainda mais na comparação com a média no país.

    Na hora do jogo não consigo esse desprendimento de torcer PELO FUTEBOL. É muita nobreza de espírito.

  • 204. Fabio  |  28/01/2009 às 18:06

    além do SHAPE, a guria tem VOZ de gostosa

    e isso ameniza qqer discussão, ao meu ver

  • 206. Deluca  |  28/01/2009 às 20:50

    Nossa, 204 comentários!

    estaria esse post FADADO a tornar-se o segundo post-chat do Impedimento?

  • 207. EGS  |  28/01/2009 às 21:19

    Opa, nesse eu to dentro. Rumo aos 2000 comentarios?

    lakjsldajld

  • 208. Luís Felipe  |  28/01/2009 às 21:55

    bah, o MaisInter estava com uma faixa no gazebo da chapa 2.

  • 209. Eduardo De Nardi  |  28/01/2009 às 23:10

    Andrezinho foi o nome do jogo, jogou muito na minha humilde opinião.
    Sei que foi só um jogo do cafezinho, ruralito, ou bovinao, mas somado aos jogos que ele fez ano passado (me lembro de um do Paraná e mais um, o Grenal acho, ou um jogo da Sula) em que ele entrou muito bem e eram decisivos… bom, me fez pensar que tem um estilo de jogador que é banco, sempre entra bem, dá conta do recado, joga pro time, e não ao estilo Denilson Foca Amestrada, é banco, ninguém pede sua titularidade, mas é fundamental. Acho que o Andrezinho se já não é, vai ser assim no Inter. Para ele não se sentir insatisfeito, nem tristinho de estar no banco, e saber de sua importância, POST sobre os reservas mais importantes da história da dupla ou do futebol (estilo Escurinho, respeitando a diferença com Andrezinho).

  • 210. Luís Felipe  |  28/01/2009 às 23:16

    esse jogo foi um dos mais deprimentes que eu já vi.

  • 211. Eduardo De Nardi  |  28/01/2009 às 23:22

    achei bom

  • 212. Francisco Luz  |  28/01/2009 às 23:23

    Bah, típico jogo que não se tira nada de bom além do Taison e do segundo tempo do Andrezildo.

    Rosinei e Maicon simplesmente não encostaram na bola.

  • 213. Prestes  |  29/01/2009 às 00:35

    Retifiquem-se, o certo é AndréShow.

  • 214. Prestes  |  29/01/2009 às 00:38

    E o Peñarol, hein?? Que tristeza… Quando vi aquele monte de barrigudo, trajando JALDE NEGRO, pensei, cá com meus botões:

    “É o GRÊMIO BAGÉ.”

    Sério, muito triste. Time totalmente abaixo do tolerável fisicamente. Iria brigar pra não cair no Gauchão.

  • 215. Francisco Luz  |  29/01/2009 às 00:53

    Bah, os caras tão andando menos que meu primo no jogo dessa noite. E isso que o cara ficou conhecido como TUTA.

    AGUANTE CARBO CARAJO

  • 216. João Alexandre  |  29/01/2009 às 09:21

    “conto 67 em tarimba e disposição”

    hahahahahahahaha

  • 217. Pedro Henrique  |  29/01/2009 às 10:13

    Alex chutou o jogador “caido no chão”? Que jogo foi esse que você viu, amigo?

  • 218. martina  |  29/01/2009 às 14:58

    tem uma coisa que me preocupa nessa história do cachorro:
    sócio tem direito a voto. esse caso abre precedentes pra que alguém associe cachorro, gato, papagaio e o ovo esquerdo e vote por todos eles. ou entao, que algum cambista associe uma boiada interia antes de uma final de campeonato.

  • 219. Júlio  |  29/01/2009 às 15:48

    Muito bom o texto! Vamos separar em partes:
    1 – Ter cachorro sócio de clube é livre. Cada um faz o q quer com o seu $. As defesas apaixonadas do fato por alguns leitores renova as esperanças na humanidade. É sinal de q, pelo menos bem lá no fundo, eles ainda tem alguma sensibilidade para com as pessoas q não tem nada e por isso apressaram-se em fazer a defesa dos direitos da dona do cusco numa patente auto-justificação.
    2- Continuar torcendo por seu clube é legítimo. Orgulhar-se em não querer ver os interesses q movem o espetáculo é abdicar do último reduto da personalidade: a independência no pensamento.

  • 220. Ernesto  |  30/01/2009 às 09:24

    Depois eu sou o intransigente, intolerante.

    “pega essa, ernesto”.

    Eu nunca defendi Bier e cia. Só denfendo pontos da gestão miranda. E alguns argumentos do Bier em relação a 2008, que toda torcida concorda, até tu, Luis Felipe, como deixar o brasileiro de lado e tal.

    Mas tá certo, eu sou o vinil, entao tá na boa.

    Abraço ao pragmático, ao não relativista e sempre dono da verdade, LF.

    Você é o cara.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Subscribe to the comments via RSS Feed


Especial – Libertadores 2011

A bola da ImpedCopa

Toco e me voy

Feeds

web tracker

%d blogueiros gostam disto: