O outro

19/12/2008 at 06:30 129 comentários

Quem trabalha à noite sabe quando a cidade dorme. Naquela madrugada, Porto Alegre está acordada e tensa. De mate em punho, assisto em pé pela larga janela de vidro a carros e pedestres perambulando lá embaixo pela Erico Verissimo. Palavras de ordem e bandeiras. Eu e as baratas somos os únicos seres vivos na redação do jornal. Toca o telefone.

– Cara, eu moro ao lado daquela igrejinha na Osvaldo Aranha. Tem um colorado parado ali na frente de joelhos. Isso faz quatro horas. Não sei se ele não teve um troço.

Rezaria por outras quatro, suponho, já que o jogo é às 8h. Respondo que avisarei a Samu e resolvo fazer uma ronda de telefonemas.

– E aí companheiro, será que dá? – pergunta o primeiro patrulheiro da BM.

– Tomara que não.

Passa um pouco das 6h30min quando chegam os primeiros repórteres. Às 7h, já em torno de uma mesa com bolachas e térmicas de café com leite, o batalhão de jornalistas gremistas se prepara para uma missão surreal: editar uma edição histórica, extraordinária, torcendo ardorosamente para que ela acabe abortada e na lata do lixo. Nenhum colorado até então.

Pego umas bolachas e saio do prédio. Eu não trabalharia por nada no mundo, que é para não dar azar. Da última vez, estava na parte de venda de fotos no site do jornal, e por um incrível bug/ironia do destino tive de digitar manualmente “Inter campeão da Libertadores” como título de cada uma das dezenas de imagens à venda. A essa altura, as ruas estão desertas e chego em casa na metade do tempo habitual.

A peleia já tem 10 minutos quando me posto no sofá, sozinho, a uns dois metros da TV, como os bons jogos devem ser assistidos. Pato faz uma gracinha e leva uma bordoada. Em seguida, o Barcelona começa a atacar. Aquele sujeito com a camisa 10 catalã faz duas boas jogadas pela esquerda, mas quando a câmera foca pela primeira das 496 vezes o seu rosto, não há sangue nos olhos. A mesma cara de guri cagado de sempre.

Fim do primeiro tempo e o sono de 24 horas acordado começa a pegar. Água no fogão, erva na cuia e dois motivos de preocupação. Primeiro: há jogadores excelentes no Barcelona, mas outros lamentáveis – tenho convicção que Gudjohnsen e Puyol não pegariam time na Ponte Preta. Segundo: havia se passado 45 minutos e o Inter ainda não tinha tomado gol. Aquela coisa de que seria um massacre semelhante ao sofrido pelo América do México simplesmente não iria rolar.

No segundo tempo, lá pelos seus 20 e poucos minutos, um vislumbre de que a maionese colorada vai desandar. Fernandão se amarela todo em cãibras, Edinho quebra o nariz de Índio e o time – que à exceção de Iarley e Ceará – dá a impressão de chegará arrebentado a uma eventual prorrogação. Xavi costura a defesa como motoboy em engarrafamento e o Clemer acabará entregando. O Clemer sempre entrega.

Mas aí Puyol é Patrício, Iarley fica com a bola e eu prevejo tudo. É claro que há comemoração no prédio, mas não é de desforra. Todos ainda acreditam que algo pode dar errado. Eu mais que eles. Tenho o último momento de desespero antes de ele cobrar a falta. Fraqueza minha, eu sei, mas ofereço um contrato irrecusável de perdão, de eterna idolatria até, se aquela bola entrar. Não entra, e a Cidade Baixa ouve o “filho da puta” mais alto de sua história.

A partir dali resta deglutir a idéia feito cobra engole ovo. Ainda tenho tempo de admirar Iarley. Como é bom jogador esse filho da mãe. Jogador no sentido de entender que futebol é um jogo a ser ganho, e que as cartas da habilidade, da marra, da liderança têm momentos certos de ser postas à mesa. Viesse para o Olímpico, eu o receberia no aeroporto.

Acaba e aí sim ouço o urro incomparável. Porto Alegre vindo abaixo. Antes do ódio ad eternum ainda tenho um minutinho de compaixão por aquele traste de fita no cabelo e mãos na cintura. Se foi gremista por um dia que seja, imagino o fardo de ter podido impedir o que aconteceu e, mesmo sendo o jogador mais habilidoso do mundo, não ter conseguido. Desligo a TV e o celular que já toca sem parar. Canso. Fecho as janelas, os vidros, as cortinas e adormeço em segundos.

Quando acordo, o Inter ainda é campeão do mundo.

Sem mais,
Caue Fonseca

Entry filed under: Contribuições, Mundial de Clubes.

Equilibrando-me entre o futebol, o tênis e minha digníssima esposa Por um Natal cheio de catimba

129 Comentários Add your own

  • 1. Francisco Luz  |  19/12/2008 às 06:49

    Bah, baita texto. Quase senti pena de ti por ter que fazer o trabalho sujo na Libertadores.

    Mas só quase.

  • 2. JC  |  19/12/2008 às 08:06

    E o Grêmio traz Alex Mineiro…a luz começa a se acender no fim do túnel…mas bem de leve…

    Sobre o post, não li…

  • 3. Milton Ribeiro  |  19/12/2008 às 08:11

    Excelente. Isto é definitivo sobre Iarley e seus congêneres:

    “Como é bom jogador esse filho da mãe. Jogador no sentido de entender que futebol é um jogo a ser ganho, e que as cartas da habilidade, da marra, da liderança têm momentos certos de ser postas à mesa. Viesse para o Olímpico, eu o receberia no aeroporto.”

    Perfeito. Isto aí e todo o resto.

    E eu que pensei que os únicos gremistas que escreviam bem tinham ido para São Paulo… (Galera e Laub)

    Tá, já sei, sou um provocador!

  • 4. dante  |  19/12/2008 às 08:20

    post sensacional.

    parabéns mesmo.

  • 5. Álisson  |  19/12/2008 às 08:24

    Baita texto mesmo.

    E o legal de jogos decisivos é escurtar o som que vem de fora de casa. No jogo Grêmio e Palmeiras esse ano, minha senhora resolveu que queria caminhar e me arrastou junto. Como a minha secação era ESPIRITUAL me fui.

    Resumo: Eu cheguei em casa sabendo o resultado do jogo só pelos urros da gremista Novo Hamburgo.

  • 6. Francisco Luz  |  19/12/2008 às 08:25

    Desculpa desvirtuar os comentários, mas é sexta-feira, e o nonsense impera:

    UATEISDEBRÓDER

  • 7. guihoch  |  19/12/2008 às 08:30

    coisas da vida

    a vida da cvada volta, imaginem que, como sempre para quem me conhece, estava eu a experimentar a cidade e suas multifacetadas horas de mudanças continuas inerentes ao fato de milhões de vida se cruzarem ao mesmo tempo, uau, mas no centro, lugar de onde vivo com um frquencia iritante ate mesmo para o ritmo de um funk alucinado e psicodelico, lsd, quando subito, na frente do teatro um movimento muito grande, parei, sinfonica municipal na faixa, ingressos esgotados, todo mundo entrando, eu de fora, quando so tinha ficado eu e turistas fotografando, um mendigo vem para mim e diz, que entra dotor, eu achei um no cha é teu por 5, eei dez e agradeci, la chegando fui me informar aonde era o lugar, cara o melhor lugar do teatro foi perdido e parou na minha mão, a cadeira a31, do lado do maestro, todo mundo me olhando como um entruso, so a alta sociedade paulistana estava la, apesar de ser na faixa, olhava para orquestra sabendo que a principal atração era eu.

  • 8. guihoch  |  19/12/2008 às 08:31

    a vida é foda
    tinha me esquecido

  • 9. Luís Felipe  |  19/12/2008 às 08:33

    texto sensacional. Trabalhava na ZH?

  • 10. Luís Felipe  |  19/12/2008 às 08:40

    somando o vídeo do chico luz ao relato do guihoch, eu penso.

    pqp.

  • 11. Gustavo  |  19/12/2008 às 08:48

    Decidi que não mais lerei textos sobre o mundial do Inter. Isso não é problema meu.
    E tenho ditohoch

    ushuaiadordecotovelo

  • 12. Gabriel R.  |  19/12/2008 às 08:48

    Grande texto e grande dia. O inter todo de branco, lindo e perfeito em campo, o gol do gabiru (que foi um aborto) e a comemoração nas ruas da cidade. Na republica, ao final do dia tinha uma tia que cantava:

    “O ronaldinho achou que era mole!
    Mas era duro!
    ………(pausa em busca de uma rima)…..
    Vai se fuder filho da puta!”

    espetacular!

  • 13. Gustavo  |  19/12/2008 às 08:52

    Bah, não posso deixar de comentar: “a mesma cara de guri cagado de sempre”

    Nada mais verdadeiro. Desejo que uma PATROLA passe por cima das duas pernas dele.

  • 14. fino  |  19/12/2008 às 08:56

    Acordei no intervalo de jogo e pensei a mesma coisa…

    “Pqp, já deviam estar perdendo de 2 a 0. Fodeu.”

  • 15. Milton Ribeiro  |  19/12/2008 às 09:00

    Como leio no RSS, sempre acho que os textos são do Cassol ou do Ceconello e só lá pelo meio descubro que não são.

    Como corrigir?

  • 16. Luís Felipe  |  19/12/2008 às 09:04

    agora que eu vi, o início do texto fala em Érico Veríssimo. Claro que foi na ZH.

  • 17. Negrotcho  |  19/12/2008 às 09:25

    Bala o texto!

    “a mesma cara de guri cagado de sempre” – Disse TUDO. Há anos, buscava uma definição para essa figura…

    14. “Pqp, já deviam estar perdendo de 2 a 0. Fodeu.”

    Fino, lembro da final do Grêmio contra o Ajax. Eu tava com o mesmo sentimento que tu descreveu. Eu achava que seria um massacre, mas quando chegou o intervalo com o 0X0 e o Grêmio enfrentando os caras de frente, pensei: ” Fudeu!!”

    Mas no final, tudo deu certo… hehehehehe [brincadeira mode on]

  • 18. JC  |  19/12/2008 às 09:29

    Muito bom o texto…parabéns ao autor…

  • 19. Prestes  |  19/12/2008 às 09:30

    Muito bacana o texto.

  • 20. Prestes  |  19/12/2008 às 09:48

    http://globoesporte.globo.com/Esportes/Noticias/Times/Sao_Paulo/0,,MUL927890-9875,00.html

    Bah, uma foto ainda mais hilária do Muricy.

  • 21. dante  |  19/12/2008 às 09:50

    a vida é foda
    tinha me esquecido [2]

  • 22. dante  |  19/12/2008 às 09:52

    CLIQUE AQUI E CONFIRA A GALERIA DE FOTOS DE MURICY NA PRAIA

    MEDO.

    MUITO MEDO.

    não clicarei.

  • 23. Luís Felipe  |  19/12/2008 às 10:00

    meu deus, numa foto ele parece o KADU MOLITERNO, na outra é o mesmo Kadu com uma CADELA LAMBENDO O PESCOÇO.

    mesmo medo do Dante.

  • 24. Luís Felipe  |  19/12/2008 às 10:02

    http://globoesporte.globo.com/Esportes/Noticias/Futebol/0,,MUL929230-9825,00-PAULO+PELAIPE+EXASSESSOR+DE+FUTEBOL+DO+GREMIO+SERA+GERENTE+GERAL+DO+FORTALE.html

  • 25. Prestes  |  19/12/2008 às 10:05

    Cara que bizarra esta notícia do Pelaipe.

  • 26. Arbo  |  19/12/2008 às 10:06

    o caue sempre mata a pau. e tá começando a ser freqüente, o q é mto bom.
    não ouvi o “filhodaputa” pois gritei ao mesmo tempo pra cidadebaixa um “putaquiopariu”.

    Gabriel R., lembro q tu contou isso. hilário.

  • 27. Leo Garcia  |  19/12/2008 às 10:15

    Baita texto.

    Acho que o dia que o Inter foi campeão do mundo é uma espécie de 11 de setembro, cada pessoa tem uma história bem particular sobre esta data e conta como se fosse a mais interessante do mundo. E sempre é, mesmo quando se trata de gremistas.

    Eu estava em Yokohama. Chegamos umas 4 horas no estádio, já tinha começado a beber umas cevas antes no hotel. Por alguma razão bizarra entrei com duas garrafas de vodka absolut escondido dentro do casacão, não sei porque nem sou muito do destilado, mas acho que pelo nervosismo eu tinha que contrariar as regras japonesas.
    (…) intervalo do jogo. Uma fila kilométrica de japas vestidos de Barcelona na porta de entrada do banheiro. A porta de saída está vazia. É por ali que eu e mais uns dois colorados ingressamos. Não satisfeito com isso, começo a berrar no WC “Where is Ronaldinho? I can’t see him. Where is he? Look this is Internacional (mostrando o escudo). Internacional! A maioria dos japas fica bem assustada, acho que um deles sorri e tira uma foto, não sei. Enquanto mijo, sigo gritando coisas.
    (…) eu já mudei de lugar dezenas de vezes, agora estou sozinho na segunda fila antes do gramado. Na minha frente há só um cara da camisa 12 (um dos três que foi pro Japão), não lembro seu nome. Depois do gol do Gabiru, o cara cai em prantos e senta-se no chão de costas para o jogo. E assim permanece. Eu gritava pra ele “cara, uma falta na boca pro Ronaldinho, Puta que pariu”. Ele não dava a mínima, só chorava e chorava, já era campeão do mundo.
    Depois da jogada do Iarley na bandeirinha, subi até onde estava meu pai estranhamente com um chapéu da 12. Apito final, nos abraçamos. O sonho da nossa vida estava realizado.

  • 28. CLA.CORINTIANAROXA  |  19/12/2008 às 10:21

    # 7 / 8
    HARD LIFE heim GUIhoch…………..

  • 29. Arbo  |  19/12/2008 às 10:22

    hehehe, bala esse relato do leo garcia. q loucura.

  • 30. Prestes  |  19/12/2008 às 10:26

    “só chorava e chorava, já era campeão do mundo.”

    usahdausuashd que irado, me arrepiou. deixem eu trabalhar em paz, porra.

  • 31. Felipe catarina  |  19/12/2008 às 10:32

    eu trabalhei no dia anterior ao da final da Copa do Brasil entre Figueirense e Fluminense, fazendo matéria à tarde. Fui ao estádio, entrevistei torcedor que tava na fila pra comprar ingresso, gente que tava ali desde de manhã cedo, etc. Todos dizendo que iam ser campeões, que o Avaí tinha que se fuder, etc. e tal. Minha vontade era de mandar todos tomarem no cu, mas fazer o quê, o cara tem que ser profi. No final consegui entrevistas alguns torcedores das antigas, que tinham acompanhado o Figueira mesmo nas ruins (segunda divisão estadual, p.ex.) e que contaram boas histórias. A matéria ficou muito boa, modéstia a parte.

    Aí no dia do jogo eu não trabalhei com esporte (trabalhava numa sucursal e fazia de tudo um pouco), mas por essas coisas do destino no dia seguinte era feriado e eu tava escalado pro plantão da manhã. Minha missão era achar torcedores do Figueirense pra que eles explicassem a derrota histórica da noite anterior e como era o sentimento de ver um título tão importante tão perto ir embora. Ainda encontrei no caminho quatro cariocas com camisa do Fluminense pulando e gritando aqui no Centro de Fpolis. Era 9h30 da manhã e depois de me concederem a entrevista os caras perguntaram onde é que tinha um bar pra eles beberem.

    Felizmente hoje sou funcionário público e posso usar a camisa do meu time sem problemas. É muito foda ser repórter esportivo (eu nem era de verdade. era repórter geral e às vezes policial e esportivo) se tu és apaixonado por um time. Tens que ficar te policiando o tempo todo, te escondendo. É terrível Uma vez na Ressacada um coleguinha sacana perguntou na frente dos outros repórteres pra que time eu torcia. Disse que eu nasci em Laguna (meu pai nasceu, eu não) e torcia pro Flamengo, sem nenhuma simpatia em especial por times catarinenses. rsrsrsrsrs. É, o cara ás vezes tem que mentir pra sobreviver…

    Ah, e belo texto. Abs.

  • 32. Álisson  |  19/12/2008 às 10:57

    Temos que fazer um livro com relatos como esse do Cauê, o do leo e do Catarina. Se eu ganhar na Mega Sena eu banco.

    Agora só falta eu começar a jogar…

  • 33. Fabio  |  19/12/2008 às 11:32

    A segunda-feira pós-jogo foi uma das coisas mais estranhas que vi..auditores sempre engravatados, com aquela fatiota (imbecil, pois a maioria não sai da repartição), vestindo camisetas do Inter, trocando a sisudez por aquele sorriso grande de quem nunca tinha mostrado os dentes antes..teve um colega que foi fazer uma fiscalização naquele calor com todos botões do terno fechados, pois não quis tirar a camisa do Inter que tava por baixo.

    isso que é afudê demais no futebol

  • 34. dante  |  19/12/2008 às 12:21

    a vida é foda
    tinha me esquecido [3]

  • 35. JC  |  19/12/2008 às 12:41

    Eu lembrei, logo PERDI.

  • 36. mardruck  |  19/12/2008 às 12:44

    Perdi.

  • 37. Guilherme  |  19/12/2008 às 12:55

    O Grêmio jogou muito mais bola contra o Ajax do que o Inter contra o Barcelona.

    Pronto. Falei.

  • 38. Prestes  |  19/12/2008 às 12:59

    É verdade, Guilherme. Eram outros tempos. Demorava mais pro cara perder meio time. Fosse o time da Libertadores o Inter até poderia ter jogado.

  • 39. Marimon  |  19/12/2008 às 13:00

    Baita texto…

    Parabéns.

  • 40. Francisco Luz  |  19/12/2008 às 13:01

    O Grêmio jogou muito mais bola contra o Ajax do que o Inter contra o Barcelona.

    Pronto. Falei.

    Sugiro uma estrela. Vendo baratinho.

    ushuaiacornetaeternaessadaestrelahahaha

  • 41. Willian  |  19/12/2008 às 13:02

    #12
    Gabriel, tu trocou o final da frase da tia, era assim:

    “Chupa filho da puta!!”

    Isso seguido de alguns gestos obcenos.

    Grande dia. Noite sem dormir e desarranjo na hora do jogo.
    No final deu tudo certo!

  • 42. Guilherme  |  19/12/2008 às 13:13

    Hehe Era pra gerar indignação, polêmica, não flauta.

    É que tá passando o jogo do São Paulo contra o Liverpool e que vareio toma o SP. E de um time do Liverpool que é muito fraquinho.

  • 43. Prestes  |  19/12/2008 às 13:15

    Grêmio contrata Ruy Cabeção e Fabio Santos.

  • 44. Prestes  |  19/12/2008 às 13:15

    http://globoesporte.globo.com/Esportes/Noticias/Futebol/0,,MUL929508-9825,00-TRICOLOR+CONTRATA+RUY+E+FABIO+SANTOS.html

  • 45. Luís Felipe  |  19/12/2008 às 13:21

    o Fábio Santos é aquele que passou pelo SPFC no ano passado?

  • 46. Chico Buarque  |  19/12/2008 às 13:24

    “Inútil dormir que a dor não passa.”

    Show o texto.

  • 47. Prestes  |  19/12/2008 às 13:25

    Sim. Acho muito grosso. Mas sabe-se lá.

  • 48. Luís Felipe  |  19/12/2008 às 13:25

    #37

    claro, o Barcelona era mais time que o Ajax e o HSV.

  • 49. Leo Garcia  |  19/12/2008 às 13:30

    INTER CAMPEÃO DE TUDO:

    http://www.internacional.com.br/pagina.php?modulo=2&setor=18&codigo=8023

  • 50. Prestes  |  19/12/2008 às 13:31

    Bah, não acho aquele Barcelona mais forte que o Ajax de 95 mesmo.

    MAS, o ataque era bem mais forte, os meias de ligação, Ronaldinho e Deco, na verdade. Enquanto que a defesa do Barça era muito fraca. Então a melhor estratégia foi a que o Inter utilizou.

    Outro fator é que o Ajax não menospreza a competição, mas é dos grandes clubes europeus menos interessados. Tanto que não quis jogar duas vezes.

  • 51. Luís Felipe  |  19/12/2008 às 13:35

    tsc.

    eu pensei que um gremista ia cair na provocação e veio o prestes.

    não é meu dia.

  • 52. fino  |  19/12/2008 às 13:39

    na verdade o barcelona jogou SEM ATAQUE contra o inter néam…

  • 53. Anônimo  |  19/12/2008 às 13:41

  • 54. Francisco Luz  |  19/12/2008 às 13:41

    É outro Fábio Santos; aquele era volante, esse é lateral. Tava no Santos.

  • 55. Prestes  |  19/12/2008 às 13:41

    cara, é que eu sou um crítico da amplitude que se dava àquele time do Barcelona.

    Um time desequilibrado, totalmente frágil na defesa. O Inter esperou por que não podia tomar gol e passar a dar contra-ataque pros caras. Fez tudo certinho, como tinha que ser. Fico brabo quando dizem que o Inter foi massacrado, por exemplo. Os caras não criaram nenhuma chance. Só chutes de fora da área. Aí o Clemer pegou. Chute de fora não tem muito como marcar, o goleiro tem que pegar, e o Clemer pegou.

    Aquele time do Liverpool de 05 era mais time que o Barça e, de fato, massacrou o São Paulo. O segundo tempo inteiro se passou na pequena área do SP. E o Lugano fez uma falta no Gerrard que era pra sair preso do estádio e só levou amarelo.

  • 56. Luís Felipe  |  19/12/2008 às 13:42

    mas agora eu estou lendo um estudo que é muito divertido. Um esforço enorme de um determinado estudante para provar que o time do Hamburgo de 1983 estava entre os mais fortes da história da Europa, que era muito melhor que o Barça.

    sobre a comparação Ajax-Barça, acho que aquele Ajax tinha mais força coletiva, era um time mais coeso, embora tivesse menos talentos individuais em relação ao Barça. O time do Barça era encantador, mas não tinha uma excelência tática tão grande como o Ajax.

  • 57. Prestes  |  19/12/2008 às 13:43

    Sei que não tem a ver, falei do Liverpool para dar um exemplo.

  • 58. Francisco Luz  |  19/12/2008 às 13:43

    HAHAAH, bom vídeo.

  • 59. Prestes  |  19/12/2008 às 13:44

    Sim, o Ajax era mais time.Mais equilibrado. Aquele Thiago Motta nem farda na Impedlada.

  • 60. Luís Felipe  |  19/12/2008 às 13:49

    bah, eu acho o Thiago Motta um bom cabeça de área.

  • 61. Francisco Luz  |  19/12/2008 às 13:50

    O Hamburgo de 83 marcou menos do que a Juventus, que era a base da Itália campeã do mundo — e ainda tinha o Platini.

    Sem cornetear, mas acho que até mesmo os gremistas sabem disso, aquela foi uma das grandes zebras da história da Copa dos Campeões.

    Mas pra ninguém dar piti, é bom deixar claro que isso não diminui nada de nada de porra nenhuma.

  • 62. Arbo  |  19/12/2008 às 13:51

    pra ti ver o nível da impedinua…
    e do português falado

  • 63. Luís Felipe  |  19/12/2008 às 13:55

    o Hamburgo era o melhor time da Alemanha.

    agora, eu achei engraçado é que o estudo esse ignora, na comparação, que o HSV contou com FRANZ BECKENBAUER quando teve a mais longa invencibilidade da história da Bundesliga.

    e bom, o jogo esta aí para provar. O Grêmio era mais time que o Hamburgo.

  • 64. Prestes  |  19/12/2008 às 13:58

    Tá, mas quedê o tal do estudo??

  • 65. dante  |  19/12/2008 às 14:02

    alguém tem o contato do píffero? quero vender pro inter o passe do willian, que jogou ontem a pelada.

    aliás,

    willian 5 x 2 RESTO DO MUNDO

  • 66. dante  |  19/12/2008 às 14:05

    hilário o link do leo garcia [#49].

    mas observem esse trecho da matéria: “O evento contou com o apoio da Prefeitura Municipal de Curitiba (através da Secretaria Municipal do Esporte e Lazer) e foi fiscalizado por juízes da Federação Paranaense de Musculação Atlética (NABBA-Paraná)”.

    NABBA-PARANÁ.

    huaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa

  • 67. Guilherme  |  19/12/2008 às 14:05

    O Barcelona tava bem desfalcado no ataque, por isso não conseguiu fazer nada contra o Inter, apesar de dominar o jogo. O Inter teve a bola do gol e só.

    O Ajax tava inteiro e era um puta time. No mínimo do mesmo nível do Barcelona completo. E o Grêmio jogou de igual. Não ficou na retranca e quase ganhou o jogo. Quase perdeu também. Heh.

    Mas tem razão o Prestes quando disse que o time do Grêmio que ganhou a Libertadores e jogou o mundial era quase o mesmo…

  • 68. Guilherme  |  19/12/2008 às 14:07

    O Hamburgo sim era o mais fraco de todos esses. Concordo. Mas o Grêmio jogou bem melhor, só que time alemão é foda. A final contra a Juve se compara àquele jogo contra a Holanda em 74.

    Mas Once Caldas foi o que pegou a maior barbada, o Porto em que o Diego-só-cai era titular, e conseguiu tomar um pau.

  • 69. Sanchotene  |  19/12/2008 às 14:11

    Re 61:

    Foi surpresa, Luz, mas aí a ser uma das maiores zebras da História da Liga vai uma distância. O Hamburgo era o representante ALEMÃO naquela Copa e havia sido vice em 1980.

    Além disso, a Alemanha não é nenhuma segunda força no futebol europeu. A partir de 74, os representantes alemães sempre disputaram o título. Antes de 1983, eles tinham sido: (a) campeões em 74, 75 e 76 (todas com o Bayern); (b) vices em 60, 77, 80 e 82 (E. Frankfurt, B. Moenchengladbach, Hamburgo e Bayern); e (c) semifinalistas em 61, 64, 78, 79 e 81 (Hamburgo, B. Dortmund, B. Moenchengladbach, Colônia e Bayern).

  • 70. Francisco Luz  |  19/12/2008 às 14:12

    O Porto é mais ou menos do nível do Hamburgo, só que era o favoritão desde as semifinais. Se não me engano eles venceram o LEEDS UNITED, que hoje tá quase falido, e depois o Mônaco.

    2004 foi um ano bizarro no futebol mundial, com Grécia campeã européia, Porto e Once Caldas continentais e o Brasil vencendo a Argentina com os reservas.

  • 71. Luís Felipe  |  19/12/2008 às 14:14

    e o Santo André campeão da Copa do Brasil…

  • 72. Prestes  |  19/12/2008 às 14:14

    O Porto meteu o Chelsea rapá.

  • 73. Francisco Luz  |  19/12/2008 às 14:14

    Só li o comment do Sancho depois de publicar, mas foda-se.

    Sancho, não quis dizer zebra em termos de pouco futebol. Apenas porque bateu a Juventus, que é muito superior tanto em termos de camisa (apesar de, à época, também ser virgem), quanto o time que tinha.

    Se zebra ficou forte, pode considerar surpresa. Foi isso que eu quis dizer.

  • 74. Prestes  |  19/12/2008 às 14:24

    O Porto é bem mais clube que o Hamburgo.

    Mas esse time de 2004 era meio fraco.

    Nottingham Forrest, Aston Villa e Steaua são os únicos clubes menos expressivos que o Hamburgo a ganhar Copa dos Campeões. O Nottingham conseguiu a façanha de ser campeão inglês apenas uma vez e duas vezes campeão da Europa.

  • 75. Junior  |  19/12/2008 às 15:36

    Só discordo disso aqui: “Fernandão se amarela todo em cãibras”

    O Fernandão nunca marcou tanto na vida, até fez pênalti no Ronaldinho em um certo lance. O Abel, para variar, contrariou a lógica naquele jogo, escalou Fernandão, Iarley e Pato contra um time bem mais forte. O Fernandão foi quem se sacrificou pros outros jogarem. O Abel comete erros históricos e acertos fantásticos com as loucuras dele. No Gre-Nal do Século, mesmo com um jogador a menos, foi com tudo para o ataque. Lembro que comentei com meu pai: se o Inter perder, o Wianey Carlet vai repetir pro resto da vida que o Inter deveria jogar com mais volantes.

  • 76. Prestes  |  19/12/2008 às 15:39

    Mas um jogador profissional ter cãibras ainda durante os 90 minutos é puramente nervosismo, emocional.

  • 77. Willian  |  19/12/2008 às 15:46

    Bah Dante. Essa foi forçada.

    E concordo com o Júnior. Tanto sobre o Fernandão qto à mala do Wianey.

  • 78. Junior  |  19/12/2008 às 15:51

    Prestes, nem sempre. Principalmente quando um jogador pesado esforça-se ao máximo em dois jogos numa mesma semana, em final de temporada.

  • 79. dante  |  19/12/2008 às 16:08

    willian: NÃO FOI.

    e tenho testemunhas.

  • 80. Prestes  |  19/12/2008 às 16:09

    Tudo bem Junior, o foda é que ele era o único cara que não podia ter cãibra naquele momento. E o Indio – sabedor de que entraria Ediglê – jogou todo fiadaputa. Mas eu não tenho nenhum ressentimento com o Fernandão. Depois que o Gabiru fez o gol, tudo leva a crer que foi algo sobrenatural. O Fernandão tinha que sair e ponto.

  • 81. douglasceconello  |  19/12/2008 às 16:17

    “76. Prestes | 19/12/2008 at 15:39

    Mas um jogador profissional ter cãibras ainda durante os 90 minutos é puramente nervosismo, emocional.”

    Já disse e repito. Prestes, o destruidor de ídolos do Inter. Não perdoa ninguém.

    Bom mesmo era o Taffarel, que nunca levantou uma taça e amarelava em Gre-Nal.

    E a forma como o Inter jogou diante do Barcelona era a única possível. Agora todo mundo enxerga PORÉNS, mas na época estavam apavorados.

    Só eu tinha certeza do título. huahuaha

  • 82. Francisco Luz  |  19/12/2008 às 16:19

    Prestes é o RIBEIRO NETO do Impedimento.

    Assim, ele ter corneteado minha não-participação na NUA de ontem é um elogio.

    ushuaiabandaradioquebrigaqueporvocê

  • 83. Prestes  |  19/12/2008 às 16:21

    Meus ídolos falham, cara. Só isso. Tenho o Fernandão como um grande ídolo.

  • 84. col  |  19/12/2008 às 16:29

    baita relato.

  • 85. Junior  |  19/12/2008 às 16:35

    Prestes, é impossível controlar cãimbras, não dá para evitar. O caso do Índio é diferente, foi uma batida (valeu Edinho!), aí é possível agüentar.
    Douglas, não precisa cornetear o Taffarel também, hghgg. Ele tomou um frango em um Gre-Nal, ok. No entanto, ninguém lembra de um Gre-Nal que era decisão de turno e ele garantiu a vitória ao Inter defendendo pênaltis. Nenhum jogador colorado foi campeão na época do Taffarel, não foi apenas o Taffarel, ele não tem culpa do Inter ter tido direções horríveis. Ninguém lembra que o Inter só foi à final do Brasileiro de 87, graças ao Taffarel, que era o melhor jogador do time. Há ídolos que não são grandes vencedores. O Rivellino não venceu nenhum campeonato pelo Corinthians, o Maradona ganhou apenas um campeonato mettropolitano pelo Boca, entre outros exemplos.

  • 86. douglasceconello  |  19/12/2008 às 16:39

    Junior, NÃO SEI, NÃO.

    ashuashashuhuhuashuas

    Mas também acho Taffarel um ÍDOLO e baita goleiro – ainda que inferior a FERNANDEZ.

    Só quis comparar pra colocar o Prestes EM APUROS.

    E, Prestes, é claro que ídolos falham. Mas tu não disse que o Fernandão falhou, tu disse que ele se ABSTEVE e fugiu da responsabilidade, que não foi HOMEM, em suma. E isto quem faz são os CAGALHÕES, não os MITOS.

  • 87. Prestes  |  19/12/2008 às 16:43

    Faz parte, cara. O Fernandão foi o mais fodão contra o SP no Beira. Em Dubai jogou demais. Sempre jogou bem em grenais. Mas acho que sentiu naquela vez.

    O Ronaldo Gordo, pra mim, se cagou em 98. Hoje é o maior artilheiro da história das Copas. O que pra mim é quase ser o centro-avante mais foda de todos os tempos.

  • 88. Prestes  |  19/12/2008 às 16:43

    “Só quis comparar pra colocar o Prestes EM APUROS.”

    usadhausdhasuhdsauhdasuhdas

    Relaxa, véio. Sou amigo.

    http://www.lancenet.com.br/galerias/ivanovic/

  • 89. Fabio  |  19/12/2008 às 16:44

    Não sei porque Nottnigham me alude a Robin Hood…

    é igual a quando imagino a cara de um escritor russo me vem o rosto do Lima Duarte..

    E no Steua jogava o Hagi, Maradona dos Cárpatos, em 1986, quando ganharam do Barça por DOIS A ZERO nos PENAIS. Depois disso, provando que não só de Drácula vivia a Romênia, ainda chegou a duas semis e uma final da Champions League.

  • 90. douglasceconello  |  19/12/2008 às 16:45

    “Relaxa, véio. Sou amigo.”

    Tou mais relaxado que LAGARTO NO SOL (ns).

    Só queria POLEMIZAR forte antes de me jogar no COPO.

    ashsauhsau

  • 91. Prestes  |  19/12/2008 às 16:46

    Cara, não viu o “presente” ali??

  • 92. Francisco Luz  |  19/12/2008 às 16:53

    Cara, essa Ana Ivanovic eu lambia toda e COM SUNDAE. Que mina do caralho, putalamerda.

    Nottingham lembra Robbin Hood porque é lá que fica a floresta de SHERWOOD.

  • 93. Prestes  |  19/12/2008 às 16:54

    Ela, um pacote de bolacha maria e um litro d’água acha dá pra viver por uns seis meses.

  • 94. fino  |  19/12/2008 às 16:55

    Pois vejam só… agora que o prestes falou do gordo fenomeno…

    lembrei desse jogo aqui

    onde estavam alguns dos personagens que vcs falaram aí hoje

    metade do time do ajax
    taffarel
    e o proprio gordo

    aos 2:45 dá pra ver pq no auge, o gordo era foda, mesmo que tenha perdido o gol e amarelado na final sdkjjksdfajksdaf

  • 95. Caue  |  19/12/2008 às 16:56

    Só discordo disso aqui: “Fernandão se amarela todo em cãibras”

    Tchê, não é um texto argumentativo pra ficar aí discordando. Se narro, é verdade. A minha, mas ainda assim verdade.

  • 96. fino  |  19/12/2008 às 16:57

    kkkkkkkkkkkkkkk

    galvão: “van der saaaaaaarrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrr”

  • 97. Prestes  |  19/12/2008 às 17:03

    Cara, que jogaço esse Brasil e Holanda.

    Ronaldo tava jogando demais.

  • 98. Fabio  |  19/12/2008 às 17:05

    hm, verdade, não sabia que a floresta de Nottingham era a tal Sherwood…
    taí

    no mais, comeria dando cambalhota essa sérvia, e outras tantas russas, eslovacas e tchecas do circuito…

  • 99. Marcelo C. Brazil  |  19/12/2008 às 17:05

    Um colega de trabalho, gremista, conta de quando ele assistia o jogo, em casa, pela Sky.

    A Sky tem um certo atraso para, por exemplo, a tv a cabo.
    Pois bem, no lance do gol, quando o Indio dava uma bicuda lá atrás, ele já ouvia os vizinhos comemorar e começou a gritar em casa:

    “NÃO! NÃO! NÃÃÃÃÃÃÃO”.

    Acho que pior do que os gremistas que assitiam a partida e viram o gol, foi esse meu colega, que sabia que tinha saído o gol, ouvia todo mundo comemorando, mas não queria acreditar.

  • 100. douglasceconello  |  19/12/2008 às 17:07

    Bah, Marcelo. Daí é muita DESGRACEIRA.

    sahusahuhsua

  • 101. Caue  |  19/12/2008 às 17:09

    caralho, vcs viram ali a arrancada do Ronaldo no segundo tempo da prorrogação?

  • 102. fino  |  19/12/2008 às 17:09

    putz, comigo aconteceu o inverso na final do gauchão esse ano…

    no bar que tem embaixo da minha casa é net digital, mas chega BEM atrasado o sinal.. acima do normal até eu acho…

    então no primeiro jogo, quando o fernandão perdeu a bola no meio do campo eu já tava gritando gol no meu ap… e os colorado esperando terminar o lance lá embaixo…

    o jogo de volta eu não assisti. nem sei quanto foi. sdfjkjksdfjksdf

  • 103. Anônimo  |  19/12/2008 às 17:11

    Re 70:

    O Porto, em 2004, eliminou na ordem:
    Manchester United
    Lyon
    La Corunha
    Mônaco

    O Mônaco eliminara: Lokomotiv, Real Madrid e Chelsea.

    Nada mal, hein?!

  • 104. douglasceconello  |  19/12/2008 às 17:13

    Cara, ainda não disse aqui, mas este texto do Caue está muito bom. Talvez o melhor relato gremista do título colorado que eu já li.

  • 105. col  |  19/12/2008 às 17:14

    Que jogaco esse, Gornaldo destruindo.

    Serah que o Dunga atualmente joga mais que o Edinho?

  • 106. Prestes  |  19/12/2008 às 17:14

    Um amigo meu gremistaço daqueles, totalmente engajado na Geral, conta que ficou dormindo, mas dormindo daquele jeito, totalmente apavorado. Aí lá pelas tantas ele ouviu uns foguetórios, mas podiam ser os gremistas. Daqui um pouco ouviu o berreiro na rua e pensou: “Não pode ser”.

    Ligou a TV bem no momento em que o Fernandão levantava a taça, ihadiashdiashduashdisladhdlush

    Depois trancou todas as janelas, fechou as cortinas, ligou o ar-condicionado e ficou ouvindo um som alto. Lá pelo fim da tarde tinha um amigo secreto. Ele era meu colega de trabalho. Diz ele que não achou a casa da guria, adhausdhuakldhalushdsluhduslhdulsdh

  • 107. Prestes  |  19/12/2008 às 17:15

    Pô, Douglas, eu boto um link da Ivanovic pra ti e tu nem olha, rapá!

  • 108. douglasceconello  |  19/12/2008 às 17:33

    Olhei, sim, tchê.

    MANDA MAIS que já gastou a foto até.

  • 109. dante  |  19/12/2008 às 17:38

    bá, ela torce pro PARTZAN BELGRADO.

    lol

  • 110. Francisco Luz  |  19/12/2008 às 17:42

    Bah, se o Dante não fala nem ia ver que tem legenda.

  • 111. Prestes  |  19/12/2008 às 18:00

    Tem legenda?

  • 112. Sanchotene  |  19/12/2008 às 18:04

    Eu moro do lado da Goethe. Não sei quem foi infeliz, o fiadapu que teve a idéia de botar um telão no Parcão. Meu cunhado é colorado e estava dormindo lá em casa. Convenci-o e minha irmã a assistir o jogo na minha mãe, perto da Encol. Acordei cedo, coloquei a camisa do Barça que ELE tinha me dado, preparei o café, o mate, levantei todo mundo e saímos. Eu sabia que da macacada que se dirigia à Goethe, todos os meus amigos e conhecidos berrariam na janela, e se algo desse errado, minha sacada ficaria mais lotada que a Praça de São Pedro em dia de anúncio de novo Papa. Fugi!

    Mas uma coisa que eu discordo do Cauê é o seguinte. Eu sofri muito mais na noite da Libertadores. Mesmo se tivesse ganho o Barça, a relação Gre-Nal estaria mudada para sempre. É bem mais difícil chegar a um Mundial que o vencer.

  • 113. Branco  |  19/12/2008 às 19:34

    Bah Douglas, tu não era o único que acreditava no título. Eu fui para o estádio me considerando campeão. Na minha cabeça não existia a menor possibilidade de o Inter perder o jogo

  • 114. Branco  |  19/12/2008 às 19:35

    Em tempo, excelente o texto do Caue

  • 115. .  |  19/12/2008 às 19:57

    O Stoke City de 1885 era muito mais time do que o Aston Villa de 1911.

    Ah, vão plantar batatas.

  • 116. .  |  19/12/2008 às 20:00

    O Bangu era um timão nos anos 80, e não é nada hoje. Football é no pitch.

  • 117. Juliana de Brito  |  19/12/2008 às 22:38

    Muito bom o texto.

    Já a minha versão é parecida com a de muitos gremistas: voltei para a cama com o ar-condicionado ligado e tentei dormir. O pior foi ficar naquele estágio entre sonho e delírio com o jogo, a cara do Traírucho, o Fernandão com a taça e a cara de guaxinim do Gabiru. Putaquepariu. Acho que essas imagens me acomparam por 100 noites intermináveis.

  • 118. douglasceconello  |  20/12/2008 às 02:52

    Que bonito a gurizada abrindo o coração. hahuhuah

    Mas sério. Até as DUAS da manhã de domingo eu tava num churrasco. Os gremistas chegavam e diziam: “e amanhã, 4 a 1 tá bom?”. Eu respondia: “O Inter vai ganhar. NÃO SEI COMO, mas vai”. Tudo bem que eu tava meio BELDO, mas eu acreditava muito naquilo.

    E Sancho está certo. Nenhuma comparação com a Libertadores. Antes do segundo jogo com o São Paulo eu fiquei uma semana ENDEMONHADO, aterrorizando qualquer pessoa ao meu redor. Eu preferia ter morrido ANTES do jogo.

    Libertadores = TOPO. Prefiro ter três Libertadores que dois Mundiais. Mas isto no Fantástico Mundo de Douglas. Sei que a maioria pensa: “isto é desculpa pra passar INCÓLUME se perder o Mundial”.

  • 119. Luís Felipe  |  20/12/2008 às 12:05

    esse Brasil X Holanda foi um dos jogos mais sofridos que vi com meu pai.

    logo depois do gol do Kluivert, caiu a luz no bairro todo. Ficamos ouvindo no rádio de pilha a prorrogação e os pênaltis.

    depois dessa a gente combinou que nunca mais torceria para que uma decisão terminasse em penais.

  • 120. Luís Felipe  |  20/12/2008 às 12:06

    em tempo: eu não acreditava que o Inter pudesse ganhar do Barcelona.

  • 121. Sanchotene  |  20/12/2008 às 12:08

    Re 118:

    Escrevi isto no blogue “PHD” do Cruzeiro.Org (http://cruzeiro.org/blog/?p=3246):

    Primeiro, devo confessar que não sou um brasileiro típico. Para mim, o título mais importante é a Taça Libertadores. Não tenho o menor sentimento de auto-afirmação sul-americano.

    O Mundial de Clubes – e, sim, ele existe desde 1960 – criado pelo europeíssimo Santiago Bernabeu é uma festa.

    Perdendo ou ganhando, a temporada está intacta, e o dever, cumprido. Mas, confesso que em 1995 não gostei nem um pouco de ver os holandeses celebrando no meu lugar.

  • 122. Sanchotene  |  20/12/2008 às 12:12

    Re 119:

    A defesa do Brasil naquela Copa era MUITO ruim em jogada área, PQP!

  • 123. Luís Felipe  |  20/12/2008 às 12:17

    e olha que o Aldair, junto com o Antônio Carlos, formava a zaga que era conhecida na Europa como a melhor no jogo aéreo – reza a lenda que a Roma ficou dois anos sem levar gol de cabeça…

    o problema era Júnior Baiano marcando Kluivert.

    aliás, ZÉ CARLOS entrou naquele jogo

  • 124. Fernando Cesarotti  |  20/12/2008 às 14:21

    O que importa é que a comida preferida de Ivanovic é o sushi.

    Em 2005, dormi o quanto pude no jogo do SP contra o Liverpool. Nem quis ver, pq sabia que eles iam ganhar. Acordei com os rojões e liguei a TV com o juiz “errrrrrrguendo o braço”.

    E da Copa de 98, o jogo com a Dinamarca também foi PAVOROSO de nervoso.

  • 125. Caue  |  20/12/2008 às 20:44

    Pra mim a Libertadores (do co-irmão) foi menos sofrida pq o Inter ganhou o primeiro jogo, então tive uma semana para me preparar psicologicamente caso o pior acontecesse.

    O que, é claro, não me impediu de sofrer loucamente e montar num porco quando o Rogério Ceni largou aquela bola.

  • 126. Juliano R. da Silva  |  20/12/2008 às 21:35

    Huaeuheauhaeuhaeuhaeuhaeuhae.

    Muito bons os comentários dos Gremistas pós-Gol do GABIRU.

  • 127. Branco  |  20/12/2008 às 22:28

    Se o Douglas vive no fantástico mundo de Douglas por achar a Libertadores mas impportante que o mundial, o que sobra pra mim que acho o Brasileirão mais importante que qualquer um deles?

  • 128. augusto genz  |  21/12/2008 às 00:00

    o pior momento na minha história gremista foi a 1:50 deste vídeo: http://www.youtube.com/watch?v=pKWVHosUN_Y

    a bola que deveria ter entrado.

    ali minha história gremista mudou pra nunca mais voltar. e pra pior.

  • 129. Mau  |  03/07/2009 às 23:07

    Baita texto!
    Dentuço de mierda!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Subscribe to the comments via RSS Feed


Especial – Libertadores 2011

A bola da ImpedCopa

Toco e me voy

Feeds

web tracker

%d blogueiros gostam disto: