Lição de moral

29/10/2008 at 06:37 87 comentários

O gordo Salvador Cabañas tem o passe mais caro do futebol mexicano. Foi o que disse esta semana o site ajugar.com.mx, com base em consultas a empresários, clubes e consultorias do país. Claro que não vai acontecer, mas o fato poderia servir de lição para CERTA imprensa brasileira que ainda insiste em simplesmente chamá-lo de gordo, mesmo que ele tenha emagrecido. Talvez pudessem aprender a se informar antes de sair por aí despejando suas opiniões.

Goleador no Chile em 2003 e no México em 2006, artilheiro de duas Libertadores consecutivas e eleito melhor jogador das Américas pelo uruguaio El País no ano passado, Salvador Cabañas, para a imprensa brasileira, era apenas um cabeludo obeso vestido de amarelo que viria visitar o Maracanã no mês de maio. O resultado é do conhecimento de todos.

Eu sempre estive longe, bem longe, de ser um especialista em futebol sul-americano antes de ser ACOLHIDO pelo Impedimento. Continuo longe, aliás, mas digo que é bem tranqüilo acompanhar minimamente um campeonato, saber quem são os melhores times e os jogadores destacados, ver gols e partidas e, antes de um confronto de brasileiros contra nossos vizinhos, gastar um breve tempo na frente do computador para conhecer o adversário que vem do noroeste da Bolívia. A Internet facilitou muito, ainda que eu tenha a impressão de que antigamente se sabia muito mais sobre o futebol dos países da América do Sul do que hoje em dia.

Preconceito, desinformação e uma boa dose de colonização mental permitem com que estes LACAIOS DO IMPERIALISMO (cf. Hora do Povo) que andam atrás dos microfones sigam desferindo suas DIATRIBES sobre o que acontece do lado de lá das nossas fronteiras, enquanto escalam de frente para trás todo o time Sub-17 do MANCHESTER CITY.

O Paraguai, de Cabañas, é um exemplo. Ainda hoje há quem faça TROÇA do selecionado albirrojo, apesar da liderança incontestável nas Eliminatórias vir sendo construída deste o início da competição.

Mas tudo pode sempre piorar.

Outro dia, no jogo entre Venezuela e Brasil, um comentarista de Porto Alegre insistiu durante o restante da semana na idéia de que torcedores brasileiros haviam sido obrigados a tirar a camiseta canarinho no estádio e que isso tinha algo a ver com o “momento que vive” aquele país. Não bastou um torcedor brasileiro, entrevistado pela rádio do comentarista, ter dito que as coisas que aconteceram no jogo da Venezuela não são piores do que as que acontecem no Brasil. Também não se ouviu que a confusão ocorrida no último Gre-Nal, com alguma participação da Polícia Militar, tenha tido a ver com o “momento” que vive o Rio Grande do Sul.

Mas é claro que é mais cômodo dizer que a Venezuela vive uma ditadura e que um time do EQUADOR não pode fazer frente a um grande clube brasileiro numa final de Libertadores. É assim, desrespeitando o que nos é estranho, que muita gente se surpreende quando o Sport Recife elimina o Internacional. Afinal de contas, qual seria a força de um time de BAIANOS contra uma esquadra quase européia?

O único time sul-americano conhecido e respeitado é o Boca Juniors, mas até nisso há o problema da desinformação. Exaltam tanto o time da Bombonera que soa inimaginável que o time liderado por Renato Portaluppi seja capaz de abatê-lo. Na véspera do jogo do Internacional pela Sul-Americana ainda tinha cronista exaltando as qualidades do time que possuía Palermo e Palácio, mesmo que a dupla estivesse no departamento médico. De qualquer forma, mesmo o Boca não escapa de um tipo de preconceito, baseado numa suposta identidade nacional vocacionada para a catimba. Basta que um jogador argentino pare em frente da bola numa cobrança de falta que a velha argentina já é evocada. Tem até estudo acadêmico sobre isso.

Se há quem diga que o futebol explica o mundo, não sou eu quem dirá que a reação que temos diante de equipes do continente não guarda semelhanças com as noções que construímos sobre os países vizinhos, seus povos, seus problemas e seus governantes. Talvez a atitude de desprezo em relação, por exemplo, à possivelmente melhor seleção paraguaia de toda a história seja o mesmo que dizer que estes “bugres” não têm direito de um aproveitamento mais justo da energia de Itaipu. O preconceito está na raiz de tudo.

Então é assim que, num momento extremamente moralista, encerro este meu ARRAZOADO na certeza de que não estará de acordo com o que pensam todos – e esta nem é a intenção. Até o Impedimento – escrevedores e leitores – precisa melhorar nesta questão, esquecendo-se um pouco do que se passa na província e erguendo a visão um pouco mais pra longe. Nem que seja até ali em Santa Catarina.

Um abraço,
Daniel Cassol

Entry filed under: Colunas, Pela América.

O Pastor e o banquinho Cafungando na prancheta

87 Comentários Add your own

  • 1. Rudi  |  29/10/2008 às 06:53

    na saída do serra dourada em goias x inter a policia pediu que nós tirassemos a camisa pra evitar confronto… qual o problema com isso?

  • 2. Gustavo  |  29/10/2008 às 07:39

    Cassol, acho que o teu “manifesto” vai ter o mesmo efeito que soco em ponta de faca… Vocês vêm pautando a imprensa grande, mas eles não vão mudar de comportamento agora.

  • 3. joão carlos  |  29/10/2008 às 07:43

    putz, eu vinha pensando nisso esses dias, especificamente no caso de algum time brasileiro não chegar às finais da sula: o dito PAÍS DO FUTEBOL provavelmente, nesse caso, não verá transmitida a final da copa…
    acho que o brasileiro médio, ou a imprensa, ou ambos, gosta mesmo é de PROPAGANDA DA NIKE, não de futebol…

  • 4. André K.  |  29/10/2008 às 08:51

    Pra mim, esta abordagem da catimba argentina é pura desinformação. Por exemplo, Se o Palmeiras vai enfrentar o Inter, o reporter pergunta para os Palmeirenses “como parar o Alex, Nilmar, etc…”. Quando vai enfrentar um argentino e Reporte tenta disfarçar sua ignorancia com esses preconceitos, do tipo “catimba argentina” e etc.

    mudando um pouco de assunto:
    http://globoesporte.globo.com/Esportes/Noticias/Times/Botafogo/0,,MUL840703-9861,00-EM+NOTA+OFICIAL+BEBETO+PEDE+EXPLICACOES+A+CBF+POR+MUDANCA+NO+JOGO+CONTRA+O+.html

  • 5. Ingrid  |  29/10/2008 às 08:53

    O problema com a Venezuela é que o Chávez é mau, pega um pega geral, come criancinhas e pretende escravizar o mundo com sua ditadura sanguinolenta.
    ¬¬

    E sim, pode não se chegar a lugar algum com o que o Cassol mais uma vez brilhante, escreveu. Mas vale lembrar que a mudança deles não acontecerá antes da nossa.

    Eu imagino que aí pelo Sul a coisa seja talvez, um pouco menos pior, mas o que acontece é que o brasileiro sempre foi talhado, aceitou e desenvolve muito bem o pensamento (?): “não somos latinos.”

  • 6. Saracura  |  29/10/2008 às 09:07

    Ingrid,

    Isso me lembra uma engraçadíssima música do Cuarteto de Nos “No somos Latinos”…

    Fica aí a dica

  • 7. Ingrid  |  29/10/2008 às 09:11

    “yo me crié acá en la suiza del sur”
    HAHAHAHAHAHHA

    Realmente…

  • 8. Gabriel  |  29/10/2008 às 09:34

    Concordo. Virarmos as costas pra América Latina no futebol é o reflexo da nossa cultura, por demais norte-americanizada. A escolha pelo futebol europeu, por exemplo, se dá pelo espetáculo que ele proporciona. Aqui nós gostamos do espetáculo, não das metáforas. Para mim, o Impedimento é o site de maior valor justamente porque corre pro abraço das metáforas e entende o futebol como um símbolo, como uma projeção, como uma crônica da vida – e por isso dispensa a cobertura minuto-a-minuto. O Douglas e o Daniel, especialmente, são mestres nesta arte.

  • 9. saulo  |  29/10/2008 às 09:56

    A imprensa brasileira insiste em chamá-lo de gordo, mas ele meteu foi gol nos times brasileiros na Libertadores e na seleção brasileira.

    SAULOBOTAFOGO.BLOGSPOT.COM

  • 10. Gralha  |  29/10/2008 às 10:03

    futebol é BIZNESS, todos falam da Europa pq lá corre mais grana. Aí chegamos naquela conversa de FUTEBOL-NEGÓCIO DAS ZUROPA vs FUTEBOL-ROMÂNTICO DAS VÁRZEA e por aí vai. no final das contas, o que alimenta a máquina de fazer dinheiro são nossas canchas acanhadas + campos de areia africanos….

  • 11. Gustavo  |  29/10/2008 às 10:24

    Gurizada, vou discordar de uma coisa: a nossa cultura, aqui no Brasil, é certamente muito mais EUROPEIZADA do que AMERICANIZADA. Visitem o Chile, Equador, Colombia, Venezuela, América Central e México. Aí vocês terão a idéia do que é AMERICANIZAÇÃO de fato.

    Vou até mais além: em termos futebolísticos, nenhum país sulamericano se salva, em termos de conhecimento e acompanhamento dos campeonatos europeus. O pior de tudo é que a gurizadinha mais nova está mais apegada à UEFA. Basta ver a quantidade insana e ofensiva de camisetas de Barcelonas, FC Portos e Chelseas que se vê por aí.

    Na minha época era bem menos.

    A maioria dos “seguidores do Impedimento”, de fato, valoriza mais o sulamericano sobre o restante do mundo. Mas somos uma minoria absoluta, não se iludam.

    No mais, é comum a queixa dos brasileiros em relação ao baixo conhecimento de europeus e americanos sobre nosso país, o que deixa margem para preconceitos e mitos, como selva em todo o país, etc. Muito conveniente essa reclamação do Cassol, que apenas comprova que nós fazemos a MESMÍSSIMA coisa em relação aos nossos vizinhos e a “continentes desconhecidos”, como a África e a Ásia.

  • 12. joão carlos  |  29/10/2008 às 10:40

    sem falar q o cristão encontra até camisetas do TOGO pra vender, mas do URUGUAI, ou mesmo do CHILE, é muito mais difícil…

  • 13. fino  |  29/10/2008 às 10:54

    PQP, mas é marrento esse Renato Gaúcho !

    http://video.globo.com/Videos/Player/Esportes/0,,GIM902563-7824-EM+RENATO+GAUCHO+SE+PREPARA+PARA+ENFRENTAR+O+GREMIO+PELA+PRIMEIRA+VEZ,00.html

    Se bem que a sinuquinha e o churras na lage com a galera ficaram muito preza jskfadjsdanasd

  • 14. Andreas  |  29/10/2008 às 10:55

    Preconceito, desinformação e uma boa dose de colonização mental permitem com que estes LACAIOS DO IMPERIALISMO (cf. Hora do Povo) que andam atrás dos microfones sigam desferindo suas DIATRIBES sobre o que acontece do lado de lá das nossas fronteiras, enquanto escalam de frente para trás todo o time Sub-17 do MANCHESTER CITY.

    Quase chorei de tanto concordar.

    Temos o melhor futebol do mundo, mas continuamos agindo como se fôssemos uns índios colonizados, daqueles que trocavam suas mulheres por espelhinhos.

    Para nós, jogar na Europa é uma espécie de atestado de qualidade. Pouco importa se no México há um cabeludo feioso que joga muito mais do que 70% dos jogadores em atividade no Velho Continente. O importante é estar na Europa.

    Quebrem as duas pernas do Cristiano Ronaldo, por favor. E as do Robinho também.

  • 15. Luís Felipe  |  29/10/2008 às 10:58

    a televisão explica muita coisa.

    se passasse o campeonato argentino na BAND em horário nobre, tenho certeza que acharíamos camisetas do Newell’s em proporção semelhante às do Liverpool, nos camelôs da praça XV.

  • 16. Andreas  |  29/10/2008 às 10:59

    Aliás: o mesmo princípio de mente colonizada explica a badalação em torno de D’Alessandro. Gurizadinha colorada quer, mesmo, é ter um Real Madrid colorado. Pouco importa se o D’Alessandro só tenha jogado BEM, MESMO, no Gre-Nal. O importante é que, bem, D’Alessandro é jogador de seleção, tem os mais altos SKILLS do Winning Eleven, jogou na Europa e bla bla blá.

    Enquanto isso, o Grêmio ruma para o tricampeonato com REINALDO no ataque.

  • 17. Ingrid  |  29/10/2008 às 10:59

    Quebrem as duas pernas do Cristiano Ronaldo, por favor. E as do Robinho também.

    [2]

  • 18. izabel  |  29/10/2008 às 11:15

    clap, clap, clap.

    brilhante, Cassol.

  • 19. fino  |  29/10/2008 às 11:20

    Olha, eu acho natural que a BADALAÇÃO esteja onde o dinheiro está. Às vezes, essa resmunguice contra o MAINSTREAM me soa muito CAMPUS DO VALE…

    —————-

    Mas o que eu queria falar era desse vídeo que tá no globoesporte hoje

    http://video.globo.com/Videos/Player/Esportes/0,,GIM902563-7824-EM+RENATO+GAUCHO+SE+PREPARA+PARA+ENFRENTAR+O+GREMIO+PELA+PRIMEIRA+VEZ,00.html

    Pqp, como é marrento esse Renato Gaúcho. Se bem que a sinuquinha e o churrasco na laje com a galera deixaram a reportagem bem preza asdjlfjljlaklas…

  • 20. Gralha  |  29/10/2008 às 11:25

    Andreas…

    #14 – a verdade é que somos uns índios colonizados pois os europeus vem aqui com duas balas xaxá e levam quem eles querem. Olha o Douglas Costa… o cara joga 2 jogos – nada de muito espetacular – e tem ao menos 2 times querendo pagar 80 MILHÕES… Daí o guri aparece no anúncio da Nike, no Winning Eleven e toda a pirralhada só quer saber dele… com o Pato foi a mesma coisa.

    #16 – não posso concordar mais. A badalação vai onde o dinheiro está. D’Ale vale 8 milhões de alguma coisa??? Todos os holofotes nele… o Grêmio da ISL era igual.

    No dia da criança, fui comprar uma camisa de fut pro meu sobrinho de 8 anos… fora os comuns (Madrid, Manchester, Milan), tinha Villarreal, Fiorentina, Palermo – camisa rosa, CÉOS – Racing Santander, Chievo… sociedade capitalista é isso aí. Vamos revolucionar tudo, ANARQUIA uaaaaaah [tá, parei.]

  • 21. João  |  29/10/2008 às 11:25

    Maravilha!

    Venceremos…

  • 22. Arbo Menna  |  29/10/2008 às 11:27

    “Quebrem as duas pernas do Cristiano Ronaldo, por favor. E as do Robinho também.”
    q coisa ridícula de se dizer.

    acho muito importante as colocações do cassol, tão importante q pede um cuidado melhor pra não se varar pros lados extremos, como aponta a frase acima, ou do q nota fino sobre afirmações q soam mto campus do vale. tô sem tempo pra mais divagações, o texto merece mtas. mas tinha q salvar as duas pernas do cristiano ronaldo, no sentido menos homossexual e mais metafórico da expressão. é possível haver excelente, respeitável e APLAUDÍVEL futebol na Europa, tanto qto aqui e alhures.

  • 23. Andreas  |  29/10/2008 às 11:30

    Fino: a critica ao MAINSTREAM (hehe, ótima palavra) não tem nada a ver com posições ideológicas típicas do Campus do Vale.

    É apenas uma questão de opinião.

    Acho, sinceramente, que o Brasil tem diversos jogadores anônimos que jogam tanto quanto um Cristiano Ronaldo. Acho, também, que Cristiano Ronaldo não jogaria LHUFAS se estivesse num Campeonato Brasileiro. O nível aqui é muito superior, sinceramente.

    Fora isso, eu sou um devorador de Big Mac’s.

  • 24. fino  |  29/10/2008 às 11:38

    Arbo, na verdade eu tava falando da disponibilidade de camisetas, da televisão e do winning eleven…

    O post do Cassol em si, ao meu ver, tem mais a ver com a cobertura esportiva preguiçosa dos tupiniquins… que, sabemos, vai a reboque na BADALAÇÃO e negligencia coisas mais importantes, prefirindo dar destaque para o fato do Robinho baixar as calças dos campanheiros, por exemplo…

    É a sociedade do espetáculo e piriririririri, mas aí já vamos entrar em muita semiótica e campus do vale dreams…

    E hoje eu só quero saber de Gremio x Cruzeiro;

  • 25. Andreas  |  29/10/2008 às 11:48

    O post do Cassol em si, ao meu ver, tem mais a ver com a cobertura esportiva preguiçosa dos tupiniquins… que, sabemos, vai a reboque na BADALAÇÃO e negligencia coisas mais importantes, prefirindo dar destaque para o fato do Robinho baixar as calças dos campanheiros, por exemplo…

    Concordo plenamente, também.

  • 26. Arbo Menna  |  29/10/2008 às 11:52

    “Acho, sinceramente, que o Brasil tem diversos jogadores anônimos que jogam tanto quanto um Cristiano Ronaldo. Acho, também, que Cristiano Ronaldo não jogaria LHUFAS se estivesse num Campeonato Brasileiro. O nível aqui é muito superior, sinceramente.”
    HAUHAUHAUHAUHAUHAUHAUHAUHAUHAUAHUAHAUHUAHA

    Cada um com a sua opinião, cada um com seu humor.

    Fino, creio q te entendi. O q eu tentei fazer foi tirar a discussão dos extremos, e acho q o q tu quis dizer com campus do vale e aquela outra referência ao cristiano ronaldo representam extremos, possivelmente opostos, certamente não antípodas.

  • 27. Andreas  |  29/10/2008 às 11:53

    Arbo: tu realmente achas que o futebol europeu é melhor do que o brasileiro?

  • 28. izabel  |  29/10/2008 às 12:06

    O post do Cassol em si, ao meu ver, tem mais a ver com a cobertura esportiva preguiçosa dos tupiniquins… que, sabemos, vai a reboque na BADALAÇÃO e negligencia coisas mais importantes, prefirindo dar destaque para o fato do Robinho baixar as calças dos campanheiros, por exemplo…
    concordo.
    e minhas palmas foram, sobretudo, para esse aspecto.
    ___
    Arbo, eu concordo com o Andreas.
    Não entro nessa de que o ‘campeonato brasileiro tá nivelado por baixo porque nossas estrelas estão na europa’. não mesmo.
    _____
    e o fino, sempre querendo tumultuar.
    ehehehee

  • 29. Andreas  |  29/10/2008 às 12:10

    Em março de 2007, eu entrevistei o Jorge Machado.

    Fiz exatamente essa pergunta pra ele: “A debandada geral de jogadores para a Europa não compromete a qualidade do nosso futebol aqui?”

    Ele quase riu da minha cara. E com razão. A “linha de produção” de jogadores, no Brasil, é muito, muito grande. Há jogadores habilidosos em todos os cantos. Prova disso, segundo ele, é que à medida que os anos passam a Europa vem comprando cada vez mais jogadores brasileiros – e por preços cada vez mais altos.

    Se houvesse, de fato, uma piora na qualidade do nosso futebol, o movimento seria inverso. A procura seria menor e os preços de venda, idem.

    Eu acredito nas leis do mercado.

  • 30. Vitor VEC  |  29/10/2008 às 12:14

    Certamente o Rômulo Arbo tentou inferir que, eventualmente, o Villarreal tem um bom time.

    Salvo alguma falha mnemônica das minhas conversas no Olímpico, Nico e arredores com ele, víamos que o problema não é tanto a questão ‘Europa vs. Sudamérica’ e sim, ‘Megalomania dos ditos grandes clubes europeus vs. A rapa’.

    Quer dizer, a questão é que se classifica um Chelsea da vida pelo valor pago pela transferência de cada um de seus jogadores e não pela verdadeira qualidade técnica destas figuras.

    Assim sendo, o Palermo é uma regular esquadra italiana e creio que não faria tão feio nos campeonatos daqui. O que não aconteceria de forma alguma seria o título ir parar nas mãos do Milan com 12 rodadas de antecedência, como alguns querem fazer supôr.

    No mais, não são muitas as pessoas capazes de identificar fatos, ainda que de almanaque, sobre o resto de Latinoamérica, mesmo que fáceis como, por exemplo:
    Quem foi o diretor técnico que dirigiu a Argentina por mais tempo?

    Mas também não creio que haja muitas pessoas em condições de responder a mesma pergunta sobre o selecionado brasileiro.

    E era isso.
    Saúdos,

  • 31. izabel  |  29/10/2008 às 12:14

    who is jorge machado?

  • 32. Vitor VEC  |  29/10/2008 às 12:19

    Em tempo, Jorge Machado é empresário do ramo muito ligado ao Inter, creio.
    Salvo outro engano mnemônico, ele foi um dos articuladores da salvação colorada do rebaixamento em 2002, quando o Paysandu teoricamente entregou o resultado pro Inter escapar da segundona.

  • 33. Titi  |  29/10/2008 às 12:27

    sim … ele era dono de metade daquele time … o FC nao tinha $$$$ e o Machado que montou o time do inter … na parceria (do bolso).

  • 34. Titi  |  29/10/2008 às 12:28

    P.s.: metade foi “modo de dizer” …. era quase todo o time.

  • 35. Gralha  |  29/10/2008 às 12:31

    mazááá, VEC ressurge em grande estilo!!!

  • 36. Arbo Menna  |  29/10/2008 às 12:38

    deusdocéu!
    “tu realmente achas que o futebol europeu é melhor do que o brasileiro?”
    tu realmente achas q eu disse isso?
    eu ri (se foi do riso q veio a inferência bizarra) porque tu pegaste o cara q está cotado entre os três da Europa, colocaste hipoteticamente o cara no campeonato brasileiro e disseste q nesse CENÁRIO ele jogaria LHUFAS. É isso q tô chamando IR AO EXTREMO. É isso q DESAJUDA a discussão.
    Bom, pelo menos isto serviu para me dar a alegria de voltar a ver VEC por aqui (abraço, valeu a mensagem), e ainda por cima entendendo o q eu digo. Quando teremos a honra de um post?

  • 37. Arbo Menna  |  29/10/2008 às 12:40

    ah, izabel…
    “Não entro nessa de que o ‘campeonato brasileiro tá nivelado por baixo porque nossas estrelas estão na europa’. não mesmo.”

    eu tbm não. espero ter me fazido entender no comment acima.

  • 38. Junior  |  29/10/2008 às 13:05

    O post 36 do Arbo foi perfeito. Não podemos ser “extremistas latino-americanos”, rsrsrs. O C. Ronaldo é muito melhor que 99% dos jogadores que estão no campeonato tupiniquim, que sim, está nivelado por baixo. Está nivelado por baixo porque antes só as estrelas e os bons jogadores iam para o exterior. Hoje, até o Aloisio e o Marcinho (ex-Flamengo) vão embora. Vocês viram quem eram os 3 jogadores de meio campo do Palmeiras no jogo contra o Fluminense? Eram Pierre, Jumar e Evandro. Hoje, o Cruzeiro lamenta profundamente e com motivos, a ausência do Fabricio, um volante absolutamente comum. O deslumbramento com os Chelseas, Milans, Barcelonas é ridículo, mas não podemos nos enganar e achar que o atual Campeonato Brasileiro tem um bom nível técnico. Ele está emocionante, o que é bem diferente.

  • 39. fino  |  29/10/2008 às 13:12

    iza

    é que quando pequeno eu queria ser HOMEM BOMBA (ns)

    ksadfksdfakjsafd

  • 40. Prestes  |  29/10/2008 às 13:14

    “resmunguice contra o MAINSTREAM me soa muito CAMPUS DO VALE…”

    MAINSTREAM??? Mas é um alienado, subserviente aos interesses do Capital esse Fino.

  • 41. Prestes  |  29/10/2008 às 13:15

    No mais, concordo integralmente com o texto cassolista.

  • 42. Francisco Luz  |  29/10/2008 às 13:18

    Rentería >>> C. Ronaldo.

    Tá, folguei. É claro que não se pode extremar, mas o texto do Cassol me pareceu bastante pertinente.

  • 43. fino  |  29/10/2008 às 13:23

    Po Prestes, votei na Lulu!

    dasfysdfauh8asdsdfajiosdfa

  • 44. fino  |  29/10/2008 às 13:25

    (mentira)

  • 45. Andreas  |  29/10/2008 às 13:27

    Arbo: entendi.

    Mas por favor, não me leve tão a sério assim… O meu EXAGERO (reconheço) foi apenas uma tentativa de de ilustrar o que eu penso de forma bem-humorada. Se preferes que eu me expresse de forma mais objetivo, aí vai: no Brasil, o futebol é muito mais qualificado do que na Europa.

    Pronto.

    Ah, sim: cuidado com as interpretações ao pé da letra. Senão daqui a pouco tu vais estar literalmente procurando vacas em brejos.

  • 46. Álisson  |  29/10/2008 às 13:30

    Rentería >>> C. Ronaldo (2) Forever!!

    haushaushuahsuahsuashuahsuahsuash

    Júnior, esse campeonato só está emocionante pra vocês!!!
    Pra mim, deu o que tinha que dar, hahahahahahahahahha.

    Texto do Cassol, perfecto!

    Acho que a discussão não é de nível técnico.
    Dentro de um ou dois anos a gurizadinha vai jogar com times do Catar no Winnig e andar com camisetas dos times dos Emirados, podem anotar aí!

    Carlos, já falei no outro post, mas não sei se tu leu.
    O homem de amarelo e azul apareceu lá em casa. Quase foi trucidado pelo meu pequeno fila bóia, mas entregou DVD.

    Valeu! Vou ver essa semana, depois comento!

  • 47. Prestes  |  29/10/2008 às 13:30

    No entanto, esse tipo de texto sempre gera alguns comentários que caem em um detrimento exagerado do futebol europeu. Acho que foi o LEVISTRÔ que disse que “eu não sou eu sem o outro”. É por aí, o futebol latino-americano necessita de auto-afirmação e não consegue fazer sem destratar os europeus.

    Porém, creio que ambos se complementem – embora a coisa venha favorecendo mais os europeus. Nas principais ligas européias tu vê o profissionalismo em campo. E não é só pelos estádios bonitinhos, não. Lá os jogadores possuem todos os fundamentos, senão de forma excelente, mas todos sabem chutar, passar, cabecear, marcar e fintar. Tu não vê os “peidinho de véia” que os caras dão aqui, ou passes fáceis sendo desperdiçados de forma horrorosa, que dá nos nervos do vivente. Jogador que vai pra lá adquire mais inteligência pra jogar e se aprimora em fundamentos. No entanto, os sul-americanos agregam muito ao futebol de lá pela capacidade de improviso. O que um tem, outro não tem.

    Por outro lado, o que o futebol daqui ganha com isso?? Até agora com os clubes quase nada. A não ser quando jogadores voltam pros nossos clubes com um passe melhor, mais inteligência pra jogar, compreensão maior de tática e de marcação – vide Fernandão.

    É verdade, ainda assim, mais perdemos que ganhamos. Nas seleções tenho a teoria de que o amplo domínio brasileiro (1994 a 2002) é fruto de improviso + conhecimento adquirido na Europa, ligado ainda ao fato de os europeus tenham deixado um pouco de lado a formação de jogadores. Agora, o desinteresse dos nossos craques, mais a intromissão de mercados que não acrescentam nada aos nossos jogadores (como o russo, ucraniano, árabe) tem piorado o rendimento da seleção, enquanto os europeus estão correndo atrás do prejuízo que tiveram em termos de seleção.

  • 48. Prestes  |  29/10/2008 às 13:34

    No mais, sugiro que pensemos também em contratar europeus. Petkovic é um jogador de altíssimo nível e veio pra cá. Poderíamos começar simbolicamente com craques em fim, pero no mucho, de carreira, tipo o Nedved ou o Vieira.

  • 49. Titi  |  29/10/2008 às 13:38

    Tu acha que eles viriam? E o custo?

  • 50. Junior  |  29/10/2008 às 13:40

    Queria realçar esse trecho:
    “É assim, desrespeitando o que nos é estranho, que muita gente se surpreende quando o Sport Recife elimina o Internacional. Afinal de contas, qual seria a força de um time de BAIANOS contra uma esquadra quase européia?
    O Cassol foi perfeito nesse ponto. Alguém viu a capa do Segundo Caderno da ZH de ontem? A manchete era “Porque me Ufano” e a reportagem era sobre um livro de fotografias de paisagens do RS (obviamente um lançamento da RBS). Ao ler aquilo, me lembrei de um trecho da música “Terminal Guadalupe”, da banda também chamada Terminal Guadalupe, de Curitiba. O trecho é uma crítica à Curitiba e ao Paraná, mas serve perfeitamente para POA e o RS:
    “Onde começa e acaba o mito que traz perfeição?
    O meu palpite é uma certeza
    A tal cidade européia só existe na ficção
    E você diz que é uma proeza
    Casebres se espalham pelos bolsões
    Gambiarras interligam os novos grotões
    Enquanto os burocratas cumprem bem o seu papel
    A paisagem que fascina é artificial
    O tiro no pé da mídia convencional
    Que vende esta província como um pedaço do céu”

  • 51. Prestes  |  29/10/2008 às 13:42

    Titi, se o cara souber usar isso, o cara lucra.

  • 52. Junior  |  29/10/2008 às 13:42

    Álisson, eu sou colorado, não me ofende! (provocação de 5ª série, rsrs)

  • 53. Álisson  |  29/10/2008 às 13:48

    Falando em mercado, hoje tem acontecido um novo fenômeno.

    As festas de Adriano, Ronaldo e Ronaldinho. A gana por dinheiro de Robinho na saída do Real e outras peripécias de brasileiros, tem feito com que torcedores de vários clubes europeus REJEITEM a contratação de brasileiros.

    Li em algum lugar que no sites de notícias os torcedores do Real não queriam Douglas Costa nem de graça por conta do que o Ronaldinho e Robinho fizeram na Espanha.

    Futebol é realmente um negócio. Ninguém quer um produto aparentemente muito bom mas que vive dando problema. Aos poucos o mercado europeu, para brasileiros baladeiros, vai diminuir.

  • 54. Álisson  |  29/10/2008 às 13:50

    Júnior, mil desculpas por esta heresia!

  • 55. izabel  |  29/10/2008 às 13:51

    valeu, vec e titi.

    arbo, entendi agora.

    “Tu não vê os “peidinho de véia” que os caras dão aqui, ou passes fáceis sendo desperdiçados de forma horrorosa,”
    tá prestes. e puyol é um grande zagueiro, o rooney é o the great striker, aquele altão meio garfanhoto titular de seleção, o figo uma maravilha, rafa marques desejo de cosumo, beckham não tem precedentes, beletti é um lateral excepcional.
    sem exageros: prefiro meu coringão da série B.

  • 56. Gralha  |  29/10/2008 às 13:59

    Suíça do Sul

    usahuhsuhauhuhduhauhsuas

  • 57. Prestes  |  29/10/2008 às 14:02

    Não falei que ninguém lá era grande zagueiro, Izabel. Só falei que chutam melhor e passam melhor na média. Aqui são raríssimos os jogadores que sabem chutar. Erramos muitos passes, nossos zagueiros não têm tranqüilidade para sair jogando, preferem dar chutões. No entanto, quando é para fazer uma jogada de movimentação, de tabela curta, de enganar o adversário com um toque fazemos melhor. E nossos jogadores têm muito potencial, tanto que vão pra lá e se destacam. Eu acho um absurdo, uma falta de profissionalismo um jogador de futebol não saber chutar, no Brasil é raro alguém saber chutar.

  • 58. Arbo Menna  |  29/10/2008 às 14:08

    andreas, q bom q me entendeu. achava importante q não houvesse um desvio de rota nesse belo texto do cassol.
    a questão toda não é de se fortalecer um “mercado interno”? mas existe mercado interno para o futebol sulamericano no brasil? não. o impedimento tá dentro de um movimento pra criar isso? quero acreditar. mas obviamente vemos muito indo contra. o grosso da mídia, o grosso da cultura, mto do q expressado já pelo cassol, vai contra.

  • 59. Carlos  |  29/10/2008 às 14:09

    Alisson:

    ãrrã. Depois comenta o q tu achou do filme.

    Câmbio.

  • 60. Francisco Luz  |  29/10/2008 às 14:11

    Concordo contigo nisso, Prestes.

    E o pior é que a solução parece simples.

    Para escanteios, por exemplo, eu mandaria o meu melhor cabeceador simular um pulo na altura da marca do pênalti. Ia comprar um poste e pintar uma faixa vermelha na mesma altura, colocaria o APARATO na cal e diria pro cobrador: AFUNDA ESSA MARCA.

    Mesma coisa com chute a gol. Pô, quando eu tava na escola, a gente conseguia acertar os paninhos nos ângulos só com treino. Por que esses vagabundos não fazem isso hoje?

  • 61. Andreas  |  29/10/2008 às 14:12

    Izabel: falando sério, sem exageros, esse Corinthians que jogou (e ainda joga) a Série B tinha totais condições de disputar o título da Série A.

    É mais time do que o Cruzeiro, o Flamengo e o QUIÇÁ do SPFC. Regula com o Grêmio.

    Mas levaria uma saranda do Inter. Sabe como é: contra times bons, o Inter dá shows inacreditáveis.

  • 62. Carlos  |  29/10/2008 às 14:13

    Dante:
    Zaitgaist adendum????????????? não me diz q já lançaram o 2 dessa naba…

    Essa coisa de lançar parte 2, 3, 4, 5…PQP…não dá pra querer…

  • 63. Junior  |  29/10/2008 às 14:15

    Izabel, não dá para ser radical e considerar que todo jogador europeu é pior que o nosso. Desses que tu citaste:
    Puyol – Só joga porque é prata da casa. É o Edinho catalão.
    Rafa Marquez – Bom jogador, nada além disso. Mas é latino, entra no nosso time naquelas peladas de fim de ano, de América contra Europa. Tem uma habilidade não muito comum aos jogadores de defesa da Europa.
    Figo – Ex- jogador, sem mais.
    Beckham – Em vias de ser um ex-jogador. Mas no auge, era muito bom (embora nunca tenha sido craque, como alguns diziam), foi o principal jogador do Manchester na Tríplice Coroa deles (Liga dos Campeões, Camp. Nacional e Copa da Inglaterra) era o protótipo do jogador europeu que o Prestes citou. Chutava bem, raramente errava passes, colocava a bola onde queria e era um jogador tático. Mas não tinha nenhum improviso.
    Rooney – Seria titular da seleção brasileira hoje. É melhor que Robinho e Luis Fabiano.

  • 64. Prestes  |  29/10/2008 às 14:17

    Assino embaixo do Junior nas definições de todos os jogadores.

  • 65. Andreas  |  29/10/2008 às 14:19

    Eu acho (só acho), Arbo, que o texto do Cassol diz respeito a uma coisa bem específica, que é o deslumbramento da imprensa brasileira com o que vem das zoropa.

    Ocorre que esse deslumbramento não é gratuito. Ele apenas reflete algo que vem sendo feito há décadas. Pois há MUITOS anos nos acostumamos a ver nossos melhores jogadores indo para lá. Lembro até hoje de ver reportagens no Jornal Nacional que mostravam nada mais, nada menos, do que um de tantos DRIBLES SENSACIONAIS do Romário no PSV. A imagem que ficava era justamente essa: os bons estão lá, não aqui.

    Pois eu acho que os bons estão aqui. Óbvio que quase todos eles acabam indo para lá. Mas a nossa capacidade de REPOSIÇÃO é simplesmente insuperável. A nossa qualidade se mantém (ou até aumenta, se analisarmos o caso de um ponto de vista LIBERAL)

    Como tu podes ver, é quase impossível dissociar o mote do ÓTIMO texto do Cassol dessa discussão acerca da qualidade do nosso futebol. Uma coisa leva à outra, praticamente.

    Mas te entendi, claro que sim.

  • 66. Prestes  |  29/10/2008 às 14:19

    Não sei se o Rooney seria titular por que tem outros jogadores, como Imperador, Nilmar (outro que não sabe chutar), Guilherme, do Cruzeiro (esse sabe e vai meter gol hoje se Deus, Alá, Iemanjá, Ogum, pedi pra todos já, ahwh\hjshshhgsadgs).

  • 67. Andreas  |  29/10/2008 às 14:20

    Junior: perfeito no #63.

  • 68. Junior  |  29/10/2008 às 14:35

    Uma coisa que esqueci de comentar. O texto do Cassol serve para diversas áreas da sociedade brasileira, não apenas para o futebol. Há coisa mais ridícula do que decoração de Natal com neve, como ocorre na maioria dos shoppings centers? Na rua, a temperatura está em 35 graus e dentro dos “shopingues”, neve. Na Barra da Tijuca, há uma réplica da Estátua da Liberdade. Aqui em POA, existe uma padaria famosa que se chama “Barbarella Bakery”. A maioria absoluta dos prédios novos tem nome em italiano, francês ou inglês. Seria quase impossível o futebol ficar livre dessa pagação de mico.

  • 69. Andreas  |  29/10/2008 às 14:54

    Em tempo: apesar do nome, a Barbarella Bakery faz, seguramente, os melhores pães de Porto Alegre.

  • 70. dante  |  29/10/2008 às 15:15

    carlos: sim.

    se tu quiser, me manda por mail o que achou do 1.

    e já te aviso: NÃO VÊ o 2. tu vai pedir demissão e nunca mais vai dormir.

    COMO EU.

  • 71. Prestes  |  29/10/2008 às 15:16

    “Em tempo: apesar do nome, a Barbarella Bakery faz, seguramente, os melhores pães de Porto Alegre.”

    Nunca ouvi falar. Onde é que fica?? Não que eu fosse comer em um reduto da capitalismo ianque, asuhdsjkdhjkdash

  • 72. Junior  |  29/10/2008 às 15:24

    Fica na Dinarte Ribeiro, no Moinhos de Vento. Perto da famigerada Calçada da Fama, ou como diria uma amiga: “Silicon Valley”.

  • 73. Prestes  |  29/10/2008 às 15:25

    Ahh, então deve ter os pães mais caros de Porto Alegre, isso sim.

  • 74. Junior  |  29/10/2008 às 15:39

    É provável, Prestes, nunca entrei lá. Imagino que se o vivente pedir dois cacetinhos lá, é fuzilado com os olhos. Cacetinho na Barbarella Bakery deve ser “Little Bread”.

  • 75. Andreas  |  29/10/2008 às 15:41

    Prestes: vai por mim, os pães são realmente sensacionais. É o tipo de padaria que falta em Porto Alegre, mas sobra em São Paulo.

    A dona é formada em PANIFICAÇÃO (!!!) por uma universidade italiana (européia = melhor em tudo, super bom e super legal).

    Falando sério: é bom, mesmo.

  • 76. Arbo Menna  |  29/10/2008 às 15:45

    boas observações, Junior! tbm havia pensado nisso (#68).

    agora, to quase acreditando q o dante pediu demissão

    e resenha por mail NÃO VALE… queremos todos os comentários, viu, carlos e alisson, aqui no impedimento/comentários, o seu, o nosso canal de comunicação-ão-ão

    dante, to cada vez mais curioso… carlos, manda esse filme pelo gralha q te pago aquele dvd, só me diz qto antes

  • 77. Arbo Menna  |  29/10/2008 às 15:46

    silicon valley auhauhauhauhauahuahuahuahuahuah
    usarei

  • 78. Cassol  |  29/10/2008 às 15:57

    Pão é tudo igual.

  • 79. Gustavo  |  29/10/2008 às 16:04

    Ouvi falar de uma tal de Mercopão, em Petrópolis. Padaria uruguaia.

  • 80. Andreas  |  29/10/2008 às 16:07

    Cassol DIZIMOU a discussão sobre os pães, hahaha.

  • 81. Junior  |  29/10/2008 às 16:17

    Cassol, mas o pior não é em relação a pães, mas em relação à água. No 1º grau eu aprendi que água é insípida, não tem gosto. Então, por que pagar caro por uma água mineral francesa? Na verdade, eu sei o motivo, ficar segurando (e mostrando, é lógico) a garrafinha.

  • 82. Andreas  |  29/10/2008 às 16:31

    É simplesmente INSANO pagar R$ 7,50 por 350 ml de EVIAN.

    Nos meus tempos de guri lá em Montenegro, jogávamos bola com os pés descalços num campo de terra VERMELHA (dá-lhe!). Duas horas depois, invadíamos uma construção para beber água direto de uma mangueira toda suja de cimento. Primeiro saía aquela água morna, dormida dentro da mangueira debaixo do sol. Depois ela ia esfriando, esfriando até se tornar a água mais refrescante que havia neste continente.

    Ou seja: Cristiano Ronaldo é uma farsa.

  • 83. Arbo Menna  |  29/10/2008 às 16:44

    agora q está tudo entendido entre nós (uiui), Andreas, assino embaixo desse teu comentário aê. obrigado por trazer à tona memórias tão boas.
    lembrei tbm da água do BEBEDOR do colégio, com finos toques de FERRUGEM.

  • 84. Junior  |  29/10/2008 às 16:59

    “água do BEBEDOR do colégio, com finos toques de FERRUGEM.”
    Arbo, esqueceste de citar que água de bebedor do colégio também tinha o aroma do perfume da guria mais gostosa do colégio, que passava e quase provocava torcicolos, embora ela nunca nos desse atenção, só para o pessoal do 3º ano, rsrrsrs.

  • 85. izabel  |  29/10/2008 às 19:17

    junior, concordo com suas definições dos jogadores.
    (menos rooney, acho luis fabiano melhor. e robinho joga em outra posição).
    fiz uma contra-ponto pra frase de “lá não tem passe pro lado, ninguém erra chute”. ou pro quanto sensacionalizam alguns craques (beckham, figo). na média, nossos times fazem frente aos times deles. tire milan/chelsea/inter e lembre da grande maioria (fiorentina, sporting, machester city e etc) não são melhores que coritiba, flu, inter (pra ficar na parte do meio da tabela)
    se tem lugar pra rafa marques, tem pra elias/fabinho/cristian (meus volantes). se tem lugar pra puyol, tem lugar pra william/chicão (meus zagueiros). se tem lugar pra robinho, tem lugar pra dentinho e herrera. entendeu?

  • 86. Luís Felipe  |  29/10/2008 às 20:53

    nem li o resto, mas achei o comentário 16 ridículo.

  • 87. Prestes  |  30/10/2008 às 09:48

    “lá não tem passe pro lado, ninguém erra chute”.

    Quem disse isso?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Subscribe to the comments via RSS Feed


Especial – Libertadores 2011

A bola da ImpedCopa

Toco e me voy

Feeds

web tracker

%d blogueiros gostam disto: