En la Bombonera

23/10/2008 at 14:35 60 comentários

Em setembro do ano passado, assisti Boca Juniors x São Paulo na mítica Bombonera. De manhã, estava num sonolento café bonairense fazendo planos para o dia quando vi a manchete. Interessante. Telefonei para o Dario, um amigo colorado que estava na cidade com seu filho. Combinamos. Comprei três ingressos na platéia superior ao preço de 70 pesos cada (na época algo em torno de R$ 52,00 por ingresso). Antes, tomamos todas as precauções para não sermos confundidos com bambis. O Dario procurou ser inequívoco – comprou camisetas de jogo oficiais. Eu fui na loja do estádio e comprei uma camiseta com o símbolo do Boca e a famosa inscrição “La mitad más uno”. Se somarmos nós, mais quatro. Fomos.


Um dia ainda conseguirei fotografar de perto com foco. E em outro lembrarei de acertar a porcaria da data.

No caminho, vimos isso:

Na Argentina, os pedófilos saíram definitivamente do armário. Possuem sede própria e se expõem sem o menor pudor. Por isso, sugiro aos padres: emigrem.

Ao ver o discreto estabelecimento, Dario estremeceu e disse:

– Vamos sair logo daqui – e disparou abraçando forte seu filho.

O estádio com formato de caixa de bombons tem uma curiosa história. Nos anos 30, o Boca Juniors quis ampliá-lo, mas desejava mantê-lo no mesmo local. Pediu à prefeitura um espaço maior, porém só obtiveram negativas. Havia trilhos de trens circundando as paredes do estádio – aliás, eles as circundam até hoje – e a Ferrocarril Buenos Aires não aceitava desviar a rota. Depois de muita discussão, um arquiteto italiano do qual esqueci o nome, apareceu com a solução: crescer para cima. No Museu do Boca, há desenhos de cortes laterais das arquibancadas. O que se vê são arquibancadas notavelmente íngremes, uma sobre a outra, formando três andares altíssimos. A analogia que posso fazer é que o desenho do corte lateral parece uma basculante semiaberta vista de lado, claro. Das arquibancadas inferiores – platéias baixa e média – não se vê o céu, vê-se apenas o campo, e da platéia alta, atrás do gol, onde estávamos, temos que levantar e olhar para baixo se quisermos ver uma cobrança de escanteio batida em nosso lado. A bandeira de escanteio está quase sob nossa arquibancada… É muito alto, não há elevadores e mesmo eu, acostumado com escadas, cheguei cansado lá em cima.

Todos em pé, na ponta dos pés, para poder ver uma cobrança de escanteio a favor dos bosteros.

Quando se entra, vê-se que as platéias formam uma ferradura, completada por um edifício que a fecha. O edifício, uns vinte metros mais baixo que a ferradura, é onde ficam os camarotes e Diego Maradona, quando vai ver seu time. É um estádio antigo, velho, gasto, quase tacanho não fosse sua enorme altura. Não há local para os jogadores fazerem aquecimento; acaba o campo e já temos as paredes da caixa de bombons. Ou seja, é uma autêntica arena, tal como o Coliseu de Roma e sua irmã menor, mais bela e ainda em funcionamento pleno: a Arena de Verona. E a acústica? Eu e a minha mulher fizemos um teste em Verona: ela desceu até o meio da arena – hoje palco de muitas óperas – enquanto eu permanecia lá em cima, na última arquibancada. Ela falou baixo, mas eu a ouvi; ou seja, a Arena de Verona, ao lado da Piazza Bra, na cidade tão amada por nós, tem incrível acústica.

Quando o jogo começou, houve momentos de silêncio da torcida e o Dario me disse uma coisa meio maluca, que pude comprovar logo em seguida: ouvíamos os gritos dos jogadores! Sim, não eram só os gritos desesperados para o Richarlyson (“Dá logo, meu anjo!”), eram todos os “Porra”, “Vai”, “Chuta” dos brasileiros e, de repente, um berro do goleiro do Boca (“Leandro!!!”), chamando seu companheiro, o número 10, Gracián. Quando a torcida grita, a amplificação do som é algo impressionante, mesmo considerando-se que o estadinho recebia só 20 mil pessoas aquela noite. Dá medo, é um som muito alto e, pior, ecoa.

Abaixo do edifício dos camarotes é a quase inexistente área técnica. E o local para aquecimento do adversário? É no único cantinho sem arquibancada.

Ah, outra coisa inacreditável: o estádio não treme como os nossos, ele balança mesmo. O balanço é sentido nas pernas, no pescoço – temos que impedir que a cabeça caia, certo? – e é visualizado claramente. Pensei que minha cadeira balançasse por obra de algum “hincha de Boca” nervoso em nossa fila, mas não. Olhamos para a frente e observamos que toda a arquibancada balançava contra um gramado parado. Não sei como La Bombonera está em pé, mas está e… balança como se fosse articulada. O Dario sentiu-se tonto e eu pensei que, se os argentinos estavam tranqüilos, não seria adequado sair correndo histericamente. Afinal, se fosse perigoso mesmo, o Richarlyson estaria em alas.

Todo o nosso receio quanto ao comportamento da torcida foi infundado. Lá fora, havia grande número de policiais; dentro do estádio, todos tranqüilos e nenhuma provocação aos brasileiros que torciam contra o São Paulo e que gritavam e faziam suas piadas em português. Sei que os barras bravas deviam ser evitados e tratamos disso. Só os vi dentro do estádio, em seus lugares, atrás das duas goleiras, assistindo o jogo em pé (ali não há arquibancadas ou cadeiras). A surpresa é que a torcida do Boca é mais quieta que a colorada e seus barras mexem-se menos do que faz a Geral do Grêmio. Prova de que não os copiamos, apenas achamos que os copiamos. Todos assistem ao jogo parados, inclusive a barra. O que eles não fazem em hipótese alguma é vaiar seu time. Nunca, ninguém, dizem eles. O comportamento da torcida era igual ao nosso quando há torcedores de apenas um time. Mas quando gritam a acústica torna tudo mágico.

Quanto foi o jogo? Boca 2 x 1 São Paulo, gols de Palermo (2) e Borges, não o Jorge Luis, o do São Paulo mesmo.

Escrito por Milton Ribeiro

Entry filed under: Clubes, Contribuições, Pela América.

O herói desdichado Festim diabólico

60 Comentários Add your own

  • 1. Arbo Menna  |  23/10/2008 às 14:43

    “Na Argentina, os pedófilos saíram definitivamente do armário. Possuem sede própria e se expõem sem o menor pudor. Por isso, sugiro aos padres: emigrem.”

    huhuahuahauha, parei aqui

  • 2. Dario  |  23/10/2008 às 14:49

    Milton, agora chegou a nossa vez de torcer lá pelo nosso time.

  • 3. Arbo Menna  |  23/10/2008 às 14:53

    Milton, só conheço a caixa de bombonera dormida, nunca a vi em dia de jogo. Mas há o famigerado boato das caixas de som, q o Grêmio apropriou recentemente

    e já me contaram de pessoas q não suportaram a tontura lá em cima

  • 4. Monllor  |  23/10/2008 às 14:54

    Bota Teto que estabiliza a caixa… ao menos um professor me disse isso a milhares de anos, usando o exemplo do fuca com capô cortado

  • 5. Xavante  |  23/10/2008 às 14:55

    “Um dia ainda conseguirei fotografar de perto com foco.”

    Liga o modo MACRO. É aquele da florzinha (Richarlyson mode).

  • 6. Milton Ribeiro  |  23/10/2008 às 14:56

    Rômulo (Arbo),

    o Dario disse que estava meio tonto. Eu olhei para a cara dele com aquele olhar de “Deixa de ser guei, ô meu!” e ele ficou quieto. Mas olha, é meio assustador balançar lá em cima, sim.

  • 7. Milton Ribeiro  |  23/10/2008 às 14:57

    Obrigado, Xavante. É que evito quaisquer florzinhas quando penso no Richarlyson. Imagina se escorrego!

  • 8. Carlos  |  23/10/2008 às 15:04

    É um escombro esse estádio. E subi lá correndo, até o ultimo andar, na empolgação, e quase morri de ataque cardíaco.
    Mas vale muito a pena ir lá ver um jogo.

    E treme mesmo, muito.

  • 9. Cassol  |  23/10/2008 às 15:07

    “caixas de som, q o Grêmio apropriou recentemente”

    Cuma???

  • 10. douglasceconello  |  23/10/2008 às 15:09

    Como assim, Rômulo? A Geral também é AMPLIFICADA?

    E a Popular, Luís Felipe?

    E a XARANHÃO, Xavante?

    suadhasudas

  • 11. vlaskz  |  23/10/2008 às 15:11

    tb ja fui na bombonera e achei absurdo a proximidade do escanteio ateh o grade da arquibancada. Detalhe eh q toda a inferior eh com VIDRO em volta, somente o escanteio tem grade.
    a distancia nao deve ser 4 passos grandes das grades.
    adversario cobrando escanteio, deve sofrer ali…
    mijo, toco de cigarro, deve ser poco…

  • 12. Milton Ribeiro  |  23/10/2008 às 15:16

    Bem observado, Vlaskz.

  • 13. Arbo Menna  |  23/10/2008 às 15:20

    cassol, douglas,
    nos dois últimos jogos q fui é q vi algumas (bem poucas, é verdade) caixas de som no olímpico, viradas pra torcida, com o som (pelo q entendi) captado na Geral. As caixas não vi junto à Geral, mas do outro lado do campo, tanto do lado da arquibancada qto da social. Como quisessem trazer a Geral pra mais perto, mas não funciona muito, não, som meio fraco.

  • 14. dante  |  23/10/2008 às 15:20

    me parece óbvio que um prédio alto seja projetado pra isso mesmo, “balançar”.

    não sei a altura total da bombonera, mas UM LEVE BALOUÇAR deve ser previsto pelos arquitetos.

    algum ENGENHEIRO DE MATERIAIS que HABITA esse espaço poderia nos esclarecer.

  • 15. Arbo Menna  |  23/10/2008 às 15:21

    Vlaskz, me impressionei com isso. Não são TRÊS passos com certeza.

  • 16. Francisco Luz  |  23/10/2008 às 15:25

    Eu nunca vi jogos da arquibancada alta por lá, só da média lateral (mais ou menos onde ficam as câmeras de tv), e é bem “normal” a visão por ali — parecida com a que se tinha no Libertadores de América, por exemplo, do Independiente. O terceiro andar é que deve ser realmente diferente, como o Milton relatou.

  • 17. Francisco Luz  |  23/10/2008 às 15:28

    Se não me engano, são uns 40 metros, Dante.

  • 18. Milton Ribeiro  |  23/10/2008 às 15:31

    Olhem a foto o edifício dos camarotes (atrás, na rua, passam os tais trilhos): estamos num local muito mais alto que o prédio.

    Mas não saberia dizer em metros.

  • 19. mardruck  |  23/10/2008 às 15:31

    Um prédio alto TEM que balançar, senão quebra.

    Eu acho.

    Sou publicitário. Não sei fazer, só VENDER hahaha.

  • 20. Xavante  |  23/10/2008 às 15:32

    Me consta que a XARANHÃO ( http://www.clicrbs.com.br/blog/fotos/114695post_foto.jpg ) não tem verba para aquisição de GADGETS.

  • 21. augustorg83  |  23/10/2008 às 15:37

    arbo, essa tentativa foi feita em apenas um jogo em 2005, mas não deu certo. hoje nao é assim.

    o que notei é que nas transmissões da TV Gaúcha sempre colocam microfones próximos à Geral ou Popular. O barulho da torcida na tv está muito maior do que já foi e não é a própria que ficou mais barulhenta, pois dentro do estádio segue praticamente igual.

  • 22. Cassol  |  23/10/2008 às 15:37

    Mas bah, até o brigadiano é da Xaranhão.

  • 23. Arbo Menna  |  23/10/2008 às 15:42

    augustorg83, então tu pode me explicar “como é hoje”? porque não só a imagem das caixas era clara na minha retina, como o som que saia delas era claro para meus ouvidos

  • 24. Gralha  |  23/10/2008 às 15:45

    “A surpresa é que a torcida do Boca é mais quieta que a colorada e seus barras mexem-se menos do que faz a Geral do Grêmio. Prova de que não os copiamos, apenas achamos que os copiamos. Todos assistem ao jogo parados, inclusive a barra. O que eles não fazem em hipótese alguma é vaiar seu time.”

    Isso é fato. A grande parte da torcida é bem comportadinha, olha que era final de Libertadores. Só passaram a cantar mesmo depois do gol do (argh) Patrício. E rolam umas vaias, sim…

  • 25. fino  |  23/10/2008 às 15:47

    ta mas e ai?

    19h30 no açouge?

  • 26. dante  |  23/10/2008 às 15:47

    mas ah, patricio, até gol na bombonera já fez!

    sdlçkfsçldkfw-0sdgisdgpokslçdgkdçlfkhldçfhjk093

  • 27. Sanchotene  |  23/10/2008 às 15:48

    As caixas de som são parte de uma reforma no sistema que foi feita a MUITO TEMPO atrás. O som antes era horroroso; mal se ouvia o anúncio da escalação das equipes. As caixas não são, ou pelo menos não eram, para a Geral, mas para o cidadão do “Radio Gaúcha informa…”

  • 28. mardruck  |  23/10/2008 às 15:50

    Porra, Gralha. Não me lembra dessas coisas.
    Não vou conseguir mais trabalhar agora haha.

  • 29. augustorg83  |  23/10/2008 às 15:50

    arbo, nao sou “capo” (hehehehehehe) nem mesmo frequentador assíduo da geral, apesar de concordar com grande parte das idéias deles. mas conheço algumas pessoas mais ligadas a eles, que viajam, etc e tal.

    até onde eu sei nao existe nada de microfone e caixas de som, nunca vi elas lá.

    onde tu viu? vou ver se acho hoje.

  • 30. mardruck  |  23/10/2008 às 15:51

    Falando em galera ligada a Geral, sumiu o Beto Borracho, hein.

  • 31. fino  |  23/10/2008 às 15:51

    Sobre esse lance das caixas de som… teve UM JOGO esse ano, que, sim, “amplificaram” a geral para todo o estádio… se não me engano era a música “canto pro meu tricolor, meu unico amor…”

    No restante só usam pra informar as substituições, tocar uns AC/DC no intervalo e o hino do clube no encerramento da partida…

  • 32. Luís Felipe  |  23/10/2008 às 15:53

    tem muita gente que confunde os microfones na torcida para as TVs com os microfones na torcida para alto falantes.

  • 33. guihoch  |  23/10/2008 às 15:56

    quantas musiquinhashoch já foram cantadas pelos torcedores GREMISTAS?

  • 34. Arbo Menna  |  23/10/2008 às 16:01

    Sancho:
    bom, não sei se hj lá estarão. mas digo q é verdade q já as vi em duas oportunidades neste Brasileiro emitindo a mesma melodia do som advindo da Geral. tbm tem outras serventias, é claro. e talvez só façam, ou tenham feito, isso em jogos específicos

  • 35. Marcos  |  23/10/2008 às 16:01

    Gaúcho adora chupar uma pica de argentino.

  • 36. tiagón  |  23/10/2008 às 16:03

    valeu pelas dicas de segurança e TERRORZINHO, Mewton. mês que vem deverei ter a possibilidade de atender a um Boca x Vélez 😀

  • 37. Arbo Menna  |  23/10/2008 às 16:05

    acho q foram em dois jogos, mas o fino falou pra não deixar eu mentir sozinho q ouviu em UM. O caso é q aconteceu. Em Grêmio X Palmeiras se não me engano.
    E, augusto, disse q não vi na frente da Geral, até pq não teria mto sentido, a Geral não precisa de “incentivo”… agora, vi do outro lado da Geral, “tanto do lado da arquibancada qto do lado da social”. E só to falando isso tudo pq douglas e cassol perguntaram.

  • 38. dante  |  23/10/2008 às 16:09

    “Gaúcho adora chupar uma pica de argentino”.

    marcos [35], tu é gaúcho ou argentino?

  • 39. augustorg83  |  23/10/2008 às 16:11

    sim sim.

    bom, vou olhar com mais atenção hoje entao e ver se escuto alguma coisa.

    aliás, já estou indo para o olímpico, despacito, tomando umas aqui, outras ali.

    até.

  • 40. fino  |  23/10/2008 às 16:12

    TRABALHAR PRA QUE NÉ

    asuifhuysdasdfhagjasdf

    folguei.

  • 41. Arbo Menna  |  23/10/2008 às 16:15

    ahuahuahuahuahah. 8 e meia entrarei no estádio. dá-lhe.

  • 42. mardruck  |  23/10/2008 às 16:34

    TRABALHAR PRA QUE NÉ [2]

    Bá. Meu dia não rendeu nada.

  • 43. vlaskz  |  23/10/2008 às 16:40

    ta aqui a foto do escanteio da bombonera

    bah, deve ser muito massa ficar xingando o cobrador no peh do ouvido…

  • 44. fino  |  23/10/2008 às 16:47

    mas olha a cara de safado do rob rocker jifkaghadfgsdfasdfk

  • 45. Arbo Menna  |  23/10/2008 às 16:48

    não reconheci o JIM, é ele mesmo?

  • 46. Milton Ribeiro  |  23/10/2008 às 16:48

    É muito perto… muito perto… Hahahahahahaha

  • 47. izabel  |  23/10/2008 às 16:51

    gente, eu nunca adivinharia o que era uma patrola, mas achei qeu fosse senso comum que a bancada foi projetada para balançar.
    não só bancadas, como prédios altos, pontes, viadutos…

    como tudo na vida, há que ser flexível, se não se parte ao meio.
    o pacaembu também balança quando a torcida pula. e se eu tiver muito nervosa com o jogo, eu fico tonta com esse balançar.

    e pra vocês, que se gabavam da classificação que uma revista fez para o grenal, tá aqui essa nova: http://www.timaoweb.com.br/noticias.asp?cod_noticia=12901
    (só pra entrar no módulo 5° série também)

  • 48. Francisco Luz  |  23/10/2008 às 16:53

    CNN = futebol? nunca viu, sjdgagds

  • 49. Mateus  |  23/10/2008 às 17:51

    Fui na bomboneta na final da Libertadores de 2007. É assustador lá em cima. MUITO alto, um frio do caramba, um vento forte, e aquilo balançava como se fosse desabar a qualquer momento. A torcida é bem parecida com as nossas, em termos de apoio. Só foi foda mesmo depois da expulsão do (maldito) Sandro Goiano. Até eu me borrei todo aquela hora, fico imaginando o estado das cuecas do patrício…

  • 50. Flávio  |  23/10/2008 às 18:33

    O Olímpico também balançava no início dos anos 90. Até interditaram por causa disso. Foi um dos motivos pelos quais diminuíram a capacidade. Sobre a Bombonera, li em algum lugar que a Direção do Boca queria derrubá-la e construir um estádio novo no lugar.

  • 51. dante  |  23/10/2008 às 18:36

    sim, é o rob rocker, com sua indefectível careta imitando o BARBOSA e seu COMPANHEIRO CIGARRINHO.

  • 52. Monllor  |  23/10/2008 às 18:37

    Flácio

    Inclusive a prefeitura já doou um terreno na saída de Porto Alegre…

  • 53. Flávio  |  23/10/2008 às 18:43

    Pois é, vai ser inaugurado junto com o estádio do Corinthians…
    Mas deu no Clarín:
    http://linhaburra.blogspot.com/2006/09/bombonera-fim-vista.html

  • 54. marcelo costa  |  23/10/2008 às 23:30

    aqueles microfones são da TV para captar o som da torcida, só isso.

    não viagem.

  • 55. marcelo costa  |  23/10/2008 às 23:54

    e o Grêmio tá fazendo de tudo pra perder o campeonato.

    ou o Adilson “Capitão América” Batista nos ajuda, como o fez o Sandro “entregou a bola no gol do Reinaldo” Goiano (gremistas dominarão o mundo!), ou perderemos a liderança já na próxima rodada e só a recuperaremos com um milagre.

  • 56. Gralha  |  24/10/2008 às 08:11

    #50 Flávio:

    Eles vão ampliar a Bombonera…

  • 57. Felipe catarina  |  24/10/2008 às 09:58

    Pelo que ouvi dizer, vão ampliar a Bombonera e o projeto é de um cara de Curitiba.

    Ah, e a Ressacada também balança.

  • 58. Iuri  |  24/10/2008 às 12:37

    a Baixada aqui de Santa Maria também balançava estranhamente em alguns degraus. Até que eles ruiram em pleno Gauchão. Eu vi que não fazia parte do balanço natural das canchas.

  • 59. Prestes  |  24/10/2008 às 13:47

    “a Baixada aqui de Santa Maria também balançava estranhamente em alguns degraus. Até que eles ruiram em pleno Gauchão. Eu vi que não fazia parte do balanço natural das canchas.”

    asuhdasjdhasjkdhaskjdhaskjdhaskjhakjsldh

  • 60. Paulo  |  30/10/2009 às 21:16

    Cara a La bombonera é sinistra!!!! tenho muitos amigos argentinos , mas não tem caixa de som na Labombonera é so boato. Outra coisa é que a Barra Brava LA 12 do BOCA é a melhor torcida da America do Sul , ela não para de cantar um segundo!! Não se compara a LA12 com a Geral e a Popular do RS. Um dia quero ir na La bombonera na popular no SUPERCLASSICO , deve ser louco demias!!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Subscribe to the comments via RSS Feed


Especial – Libertadores 2011

A bola da ImpedCopa

Toco e me voy

Feeds

web tracker

%d blogueiros gostam disto: