Há uma década, o topo da Colina

26/08/2008 at 12:27 53 comentários

Hoje o Vasco comemora a contratação de Márcio Careca e lamenta as ausências de MADSON e JONÍLSON para o próximo jogo, mas houve um tempo em que tudo era diferente. Mais especificamente há exatos 10 anos, quando o clube venceu sua primeira e única Copa Libertadores da América, após uma campanha magistral.

O grande segredo do time de São Januário para vencer a competição sul-americana foi manter a base da máquina de jogar futebol que venceu o Campeonato Brasileiro de 1997, diante do Palmeiras. As maiores mudanças aconteceram no ataque. Edmundo e Evair deram lugar a Luizão “Perna de Marido” e Donizete “Pantera”, que naquela época estavam em grande forma.

Compare os times que jogaram as finais e atente para a presença malévola de ODVAN e NASA em ambas as conquistas:

Campeão Brasileiro de 1997
Carlos Germano, Válber, Odvan, Mauro Galvão e Felipe; Luisinho, Nasa, Juninho Pernambucano (Pedrinho) e Ramón; Edmundo e Evair (Nélson).

Campeão da Libertadores de 1998
Carlos Germano; Vagner, Odvan, Mauro Galvão, Felipe, Luisinho, Nasa, Juninho, Pedrinho (Ramon), Donizete, Luizão (Alex).

Em ambas as campanhas o técnico era Antônio “Tentei-render-um-juiz-no-final-de-um-jogo” Lopes, que naquela época ainda não tinha sido embalsamado.


Ravengar

Na sua peregrinação pelas canchas sul-americanas, o Vasco defrontou-se com times de respeito desde a primeira fase. Paradoxalmente, a final acabou não sendo das mais tenebrosas.

Na etapa de grupos, os vascaínos enfrentaram o Grêmio e os mexicanos Chivas Guadalajara e América.

A classificação acabou assim, sendo que o Guadalajara bailou na curva:

1.Grêmio 12
2.Vasco da Gama 8
3.América (Ciudad de México) 8
4.Guadalajara 6

Nas oitavas-de-final, apareceu o time estrelado das Minas Gerais, batido por 2 a 1 no primeiro jogo, em São Januário. Na volta, no Mineirão, um mais do que satisfatório empate sem GUELOS.

Eis a prova da verdade.

Outra vez um brasileiro cruzava o caminho do Vasco, agora nas quartas-de-final. Desta vez foi o Grêmio, que apenas empatou em 1 a 1 no primeiro jogo, no Olímpico, sendo derrotado por 1 a 0 no caldeirão de SÃO JANUSCA. O Vasco chegava entre os quatro melhores da América.

DeusTube nos brinda com imagens destas peleias.

Se perguntarmos aos vascaínos, CREIO que a maioria afirmará que a verdadeira final aconteceu nas semifinais, diante do então temido River Plate. No Rio de Janeiro, o Vasco venceu com um justo, justíssimo 1 a 0, gol de PANTERA, marcado aos 10 minutos. No segundo jogo, em Nuñez, SORÍN anotou para os millonarios no primeiro tempo. Os torcedores já preparavam-se para o sofrimento dos penais quando Juninho Pernambucano anotou um golaço de falta, aos 36 minutos, garantindo a vaga na decisão.

Aqui a matéria de um certo programa televisivo do dia seguinte ao confronto

Na final, contra o Barcelona de Guayaquil, a esquadra da Cruz de Malta foi ARREBATADORA. Em São Januário, Luizão e Donizete marcaram dois, ainda no primeiro tempo, consolidando a vantagem. Na grande final, no Monumental Isidro Romero, a dupla de ataque marcou mais dois, também no primeiro tempo, despindo a coruja de forma inapelável e garantindo a festa pelas ruas do nosso Brasil durante todo o segundo tempo. Poucos devem saber que DE AVILA chegou a descontar.

Fechando a conta, um especial sobre a conquista, dividido em partes: um, dois e três.

E não, EURICO, eu não ignoro que em 1948 o Vasco foi campeão do Sul-Americano de clubes, mas título em preto e branco só vale quando é para o Uruguai (hsrhshs).

No mais, parabéns ao vascaínos.

Abaixo a campanha completa.

Saudações,
Douglas Ceconello.

Primeira fase

04/03/98 – Grêmio 1 x 0 Vasco
17/03/98 – Guadalajara 1 x 0 Vasco
20/03/98 – América do México 1 x 1 Vasco
26/03/98 – Vasco 3 x 0 Grêmio
03/04/98 – Vasco 2 x 0 Guadalajara
09/04/98 – Vasco 1 x 1 América do México

Oitavas-de-final

15/04/98 – Vasco 2 x 1 Cruzeiro
29/04/98 – Cruzeiro 0 x 0 Vasco

Quartas-de-final

20/05/98 – Grêmio 1 x 1 Vasco
27/05/98 – Vasco 1 x 0 Grêmio

Semifinal

16/07/98 – Vasco 1 x 0 River Plate
22/07/98 – River Plate 1 x 1 Vasco

Final

12/08/98 – Vasco 2 x o Barcelona
26/08/98 – Barcelona 1 x 2 Vasco

Entry filed under: Clubes, Libertadores.

Colón acompanha o pulo do Tigre Time dos sonhos

53 Comentários Add your own

  • 1. Luís Felipe  |  26/08/2008 às 12:33

    três coisas que eu guardo daquele ano:

    – a torcida equatoriana lançava dezenas de objetos no campo. Pedras, gelo, garrafas, etc. Lá pelas tantas o Comissário Lopes começa a pegar os objetos e jogá-los de volta. Melhor atitude.

    – o segundo jogo de Vasco X Grêmio foi num final de semana, à tarde. Foi o único jogo de Libertadores que eu vi ser realizado nessas condições. Acho que foi num sábado.

    – os dois laterais, Vágner e Felipe, não marcavam nem a sombra, mas atacavam muito bem.

  • 2. Rudi  |  26/08/2008 às 12:41

    Não merecem

    Publique-se
    Registre-se
    Cumpra-se

  • 3. André  |  26/08/2008 às 13:09

    Pois é, Douglas, o Vasco é bicampeão da América do Sul: 1948 e 1998.
    abraço

  • 4. Gustavo  |  26/08/2008 às 13:13

    Na época, me chamou muito a atenção que o Vasco foi o único time grande do Brasil que se impôs no ano do centenário, até agora. E o Grêmio tinha GUILHERME e BETO, entre outros maloqueiros. Era difícil dar certo.

  • 5. douglasceconello  |  26/08/2008 às 13:24

    Esta é uma observação interessante que eu ia fazer, mas no fim passou em branco. O Vasco foi Campeão Carioca e da Libertadores no ano do seu centenário.

    Já estou sentindo INVEJA. sadfsdfhisdf

  • 6. fino  |  26/08/2008 às 13:30

    Esse time era bala…

    Ainda ontem vi essa (http://www.youtube.com/watch?v=jtkW527v4UU) reportagem do Esporte Espetacular com todos os brasileiros campeões da Libertadores…

    na parte reservada ao Vasco tem um gol do Pantera nas finais que DEUZOLIVRE, assistam! Caco de bucha! No dia que eu fizer um gol desses, só faltará traçar a Claudia Leite, depois posso descansar em paz…

    E o Mauro Galvão tinha MUITA classe…

  • 7. izabel  |  26/08/2008 às 13:38

    esse era um timaço, mesmo.
    e eu tenho um irmão vascaíno, que praticamente me obrigava a ver os programas esportivos falando das conquistas… eu sabia a escalação do vasco de cor.

    a grande dúvida é (eu não consigo lembrar, se alguém puder, me esclareça): o Antônio Lopes sabia o mínimo da função de técnico à época. sinceramente, vcs podem aí reclamar do técnico que for, mas não há nenhum pior que o delegado. no corinthians 2005/2006, eram sempre as escalações mais absurdas (e inesperadas para o torcedor) e o posicionamento mais carnavalesco dos caras no campo.
    vi um jogo do vasco este ano (acho que contra o palmeiras) e tive arrepios lembrando do corinthians daquela época, era o mesmo (não)padrão tático.

  • 8. fino  |  26/08/2008 às 13:47

    ah, até que enfim uma matéria decente no globo.com

    http://globoesporte.globo.com/Esportes/Noticias/Futebol/Brasileirao/Serie_A/0,,MUL736607-9827,00-ACHEI+COCITO+O+VOLANTE+QUE+FEZ+KAKA+CHORAR+TENTA+FUGIR+DA+FAMA+DE+VIOLENTO.html

  • 9. douglasceconello  |  26/08/2008 às 13:53

    Izabel, nessa época do Vasco eu não sei, mas no Inter, em 1992, ele montou um time bem decente. Esse Vasco era uma máquina, mas no Grêmio ele foi BISONHO também.

    Agora, se me perguntarem da responsabilidade direta em fazer aqueles doentes jogarem, eu direi que é bem provável que tenha sido pouca, assim como acontece com todo técnico.

  • 10. Rudi  |  26/08/2008 às 13:55

    salve Cocito

  • 11. Rudi  |  26/08/2008 às 13:57

    fernandez

    celio lino
    celio silva
    pinga
    daniel frasson

    elson
    marquinhos
    mazinho

    mauricio
    gerson
    rudinei

    era esse o time? lembro de um jogo que vi, contra o ji-paraná, 9×1… se eu não me engano foi esse time q jogou

  • 12. Rudi  |  26/08/2008 às 13:58

    mas é claro que eu posso estar totalmente enganado, pois já vi que tinha o daniel costa, que não lembro em que posição jogava…

  • 13. Carlos  |  26/08/2008 às 14:00

    LF, era uma quarta…não lembro pq foi de tarde, mas faltou luz, tinha chuva e foi uma bosta de jogo.

  • 14. Carlos  |  26/08/2008 às 14:02

    izabel:
    o delegado era um bom técnico, mas acho q não fez uma versão 1.2…ae ficou defasado…mais ou menos como um Mineli…
    Aliás…tem uns técnicos q eram bons q sumiram…

  • 15. mardruck  |  26/08/2008 às 14:05

    Timaço.

    Futebol anos 90 = VIDA.

  • 16. Francisco Luz  |  26/08/2008 às 14:16

    Carlos, tem certeza? Me lembro de ter sido em um final de semana, também, pois tenho claro que vi esse jogo no meu VÔ (secação em família).

    Esse Vasco era uma máquina, realmente, e valeu a pena ter matado aula para ver a decisão do Mundial daquele ano. Foi o segundo melhor jogo que eu já vi no Japão, só perdendo para um que seria realizado oito anos depois.

  • 17. dante  |  26/08/2008 às 14:21

    bá, fino, realmente… que BUCHA mandou o PANTERA.

    mas o gol do tinga foi mais legal. alkçsjalksj

  • 18. Pato  |  26/08/2008 às 14:28

    Acho que o jogo foi em um sábado. O Palhinha “jogava” no Grêmio e ficou caindo o tempo inteiro.

  • 19. douglasceconello  |  26/08/2008 às 14:29

    Rudi, o time era Fernandez; Célio Lino, Célio Silva, Pinga e Daniel Franco; Márcio (Ricardo), Élson, Marquinhos e Caíco (Silas); Maurício e Gérson (Nando).

  • 20. Jones Rossi  |  26/08/2008 às 14:29

    Porcaria de matéria, claramente condescendente com Kaká. Cocito fez o que tinha de fazer, nada mais. O presidente do Atlético já deveria ter providenciado a estátua do Cocito, de preferência com a cena dele tentando fraturar multiplamente o garoto da Renascer.

  • 21. fino  |  26/08/2008 às 14:33

    Na real Jones, eu nem li a merda toda…

    só vi o videozinho do virgem choramingando…

    klsdfajklsdajjsdfajksdfajsdfa

  • 22. dante  |  26/08/2008 às 14:36

    pelo choro e pela camiseta do kaká dá pra se concluir que deus não é tão fiel assim.

    amén.

  • 23. Jones Rossi  |  26/08/2008 às 14:41

    O vídeo é deveras sensacional mesmo. Foi ali que o Atlético foi campeão brasileiro. Só faltou o Cocito repetir a dose em 2005, na Libertadores. Deveria ter partido o Amoroso em dois depois daquela história de MorumTRI.

  • 24. Rudi  |  26/08/2008 às 14:43

    mas daniel frasson e rudinei eram banco naquele time né?

  • 25. douglasceconello  |  26/08/2008 às 15:02

    Eles vieram apenas depois, Rudi. Acho que em 93.

  • 26. izabel  |  26/08/2008 às 15:05

    carlos, douglas, obrigada pela resposta.
    acho que o técnico pode até não ser responsáveis por fazer os caras jogarem. mas o delegado já errava na escalação.

    dante, quanta blasfêmia. claro está que deus é DA FIEL.
    torcida maior do mundo, ninguém fica de fora.

  • 27. Rudi  |  26/08/2008 às 15:06

    o jogo contra o ji-paraná foi quando?

  • 28. Prestes  |  26/08/2008 às 15:10

    O Lopes era um cara vencedor, mesmo mal no Corinthians ganhou título. Caiu no meu conceito afu – eu o tinha como ídolo de infância – quando disse que o Tinga era um jogador “conhecido por se jogar”.
    Chega uma hora que o cara fica velho demais pra lidar com a bagasserada. Até o Minelli – único treinador a ganhar três brasileiros seguidos – lembro de ver decadente, treinando o Paraná no fim dos 90.

  • 29. alemao  |  26/08/2008 às 15:45

    sim, o lopes é estranho…a impressão q se tem é q ele ficou IMPERMEÁVEL a partir (acho) desta libertadores. Não entra mais nenhum sopro de inteligência no DELÉGA…

  • 30. izabel  |  26/08/2008 às 16:06

    e por falar em inteligência dos nossos técnicos, o Mano inovou no jargão. só espero que ele saiba o que está falando (geralmente ele sabe. tou gostando -apesar das amareladas- do trabalho dele):

    “São dois jogadores que têm qualidade e podem atuar lado a lado. Eles sabem flutuar, em cima dos zagueiros”

  • 31. mardruck  |  26/08/2008 às 16:10

    O problema do Mano ainda é o “fora de casa”.

  • 32. izabel  |  26/08/2008 às 16:32

    ô, mardruck, a propósito, sei que vc não nasceu ontem, mas li aqui o que aquele estagiário zé mané escreveu ontem, sobre uma possível perseguição de gremistas por torcedores de sampa… acho que vc deve saber que era tudo alucinação, né? nada a ver mesmo, isso não tá acontecendo por aqui. (como assim uma união de são paulinos e corintianos?)

    e outra: se vc almoçou um sábado desses no “rota do acarajé” (santa cecília) com a camisa do grêmio, te vi lá. semi-reconheci por umas fotos do teu flickr, mas não tive certeza;

  • 33. Prestes  |  26/08/2008 às 16:56

    Mas olha, tchê, a entrada do Coicito foi criminosa.

  • 34. Carlos  |  26/08/2008 às 17:17

    E o Nilmar parece q vai embora…

    Lá se vai o boi com a corda…

  • 35. Caue  |  26/08/2008 às 17:19

    Futebol passou longe da Azenha naquele ano inominável, mas o Cocito foi um dos únicos a demonstrar ao menos certa dignidade naquele time.

  • 36. fino  |  26/08/2008 às 17:27

    bah, resolvi LER a matéria do Cocito…

    ABRE ASPAS

    Quero provar que sei fazer jogadas bonitas, que o Cocito não sabe só desarmar. Colocaram várias vídeos meus no Youtube em lances de habilidade.

    FECHA ASPAS

    Onde esse mundo vai parar :S

  • 37. Carlos  |  26/08/2008 às 17:30

    Esse moisés q morreu…era aquele zagueiro carniceiro q arrebentou o Zico uma vez?….jogou no bangu, se não estou BEM enganado…

  • 38. Franciel  |  26/08/2008 às 17:31

    Rapaz, depois de uns três séculos resolvi jogar na Loteca. Fui conferir agora e vi que fuii quebrado exatamente por Inter e Vasco. Fiz 12 pontos. Que sacanagem. Só aceito desculpas do time da colina se na próxima rodada ele brocar o grêmio.

  • 39. André K.  |  26/08/2008 às 17:34

    A foto abaixo não deixa o Cocito mentir sozinho:

  • 40. Titi  |  26/08/2008 às 17:46

    9, 11, 12, 6 …. quatro ultimos soteios/acertos da Loteca

  • 41. franciel  |  26/08/2008 às 17:51

    Quando Nilmar chutou aquela bola pra fora aos 90 e tantos pressenti que a sorte havia me abondonado. E, para completar, ninguém fez os 14 pontos.
    Tô virado nos seiscentos.

  • 42. Francisco Luz  |  26/08/2008 às 17:57

    Bah, sem querer cornetear pelos bons tempos que já passaram, mas o Cocito é o cara que chegou BÊBADO e com a cara BOXADA em uma das viagens do Trovão Azul.

    Sinceramente, se eu fosse gremista ia tentar não elogiar ninguém daquele time. Como colorado, eu elogio TODOS, aasjkhdas.

  • 43. izabel  |  26/08/2008 às 18:10

    mardruck, vou utilizar novamente o serviço msn do impedimento.
    pura coincidência, saiu hoje uma reportagem no jornal da tarde (deve ter saído no estadão também) que cita a feira de bolivianos no pari.
    lembro que uma vez, aqui, vc perguntou o endereço da mesma. eu não respondi porque não sabia (cheguei na feira numa pós-balada, tava meio dormindo no banco de trás do carro). mas hoje anotei o endereço: Fica na R. Pedro Vicente, que é uma transversal da Av. Cruzeiro do Sul. Lembro que fica atrás/perto do CEFET. Na reportagem, diz que cerca de 2000 pessoas frequentam o local, mas eu não acredito.

  • 44. Caue  |  26/08/2008 às 18:15

    “Sinceramente, se eu fosse gremista ia tentar não elogiar ninguém daquele time.”

    tem razão, retiro o que disse.

  • 45. mardruck  |  26/08/2008 às 18:24

    Izabel, era eu sim. Já que eu vou lá quase toda semana. E sempre com o MANTO. Melhor acarajé de SP aquele, minha vida mudou depois que descobri aquele lugar.

    E aquilo era viagem do estagiário. Saí de camisa depois do Grêmio eliminar o Santos e o SPFC ano passado, além de ir com ela no corpo ver jogo contra o Palmeiras e nem deu nada. Uso sempre e o máximo que acontece é uma corneta básica ou achar mais gremistas perdidos.

    Pra finalizar, eu não nasci ontem. Nasci ante-ontem. Tenho 19 anos.

  • 46. mardruck  |  26/08/2008 às 18:26

    Aliás, O DIVÃ de volta no Vasco.

    Agora vai!

  • 47. Flávio  |  26/08/2008 às 20:52

    [R-37] Carlos, quem quebrou o Zico foi o Márcio Nunes. Moisés jogou no Vasco e no Corinthians nos anos 70. Depois virou técnico e foi vice do Brasileirão-85 com o Bangu. Ele dizia que zagueiro de verdade não ganhava o Belford Duarte, prêmio das antigas dado aos jogadores que passassem mais de 10 anos sem expulsões.

  • 48. Carlos  |  26/08/2008 às 20:55

    ah é…valeu flávio!

    agora…o moisés batia legal sim…

  • 49. Flávio  |  26/08/2008 às 21:01

    Não vi jogar, mas ele tinha mesmo fama de baixar a ripa.

  • 50. Almir  |  26/08/2008 às 22:03

    Uma das maiores zebras da Copa, junto a Argentinos Juniors, Once Caldas e Elideú.

  • 51. Francisco Luz  |  27/08/2008 às 01:19

    Essa frase do Moisés é matadora.

  • 52. Lila  |  27/08/2008 às 10:59

    dante, quanta blasfêmia. claro está que deus é DA FIEL.
    torcida maior do mundo, ninguém fica de fora.

    pára, Bel!

  • 53. FERN  |  29/08/2008 às 10:24

    piáda lamentável esta de titulos em PB, no mas grande time o do Vasco e que centenário hein????

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Subscribe to the comments via RSS Feed


Especial – Libertadores 2011

A bola da ImpedCopa

Toco e me voy

Feeds

web tracker

%d blogueiros gostam disto: