Fake Tales of São Paulo

28/07/2008 at 12:25 86 comentários

O Grêmio fez por merecer sua permanência na liderança do Campeonato Brasileiro, mas não a merece.  Eu cantei a pedra na redação quando vi a tempestade que encharcava Porto Alegre ontem: “Vamos ter um jogo típico de Gauchão”. Ainda não li as desculpas para o empate por 1 a 1 com Palmeiras, mas tenho certeza que o toró encabeça a lista das razões para o “tropeço”.

Para começar, é inaceitável que o clube da Azenha tenha desaprendido a jogar nessas condições. Tudo bem que o sistema de drenagem do campo fracassou miseravelmente e evitou os três pontos em um jogo no qual o Grêmio teve tudo para fulminar o elenco de altíssimo nível do Palmeiras. Isso pelos critérios dos paulistas, claro.


“Segura o tchan que tu não é a última bóia no mar”. Foto: Mauro Vieira/ZH

Mas vamos ao que interessa. Uma das vantagens de ser gremista é saber reconhecer todos os níveis de limites técnicos que um time – ou jogador – podem apresentar. Tudo bem, Anderson Pico marcou um belo gol  e salvou a pátria. Mas, se alguém da diretoria do Grêmio lê o Impedimento, avise ao magrão que ele não é o único patinho de borracha na banheira que virou o Olímpiico.

As principais jogadas do Palmeiras durante o jogo vinham pela lateral-esquerda – sempre desguarnecida, pois Pico se bandeava para a frente e deixava um buraco de minhoca sempre que os paulistas subiam ao ataque por ali.  Fora isso, ainda tentava jogadas para impressionar a torcida – como a tentativa de encobrir o goleiro Marcos com um chute todo guenzo do meio-de-campo e cruzamentos de trivela que iam parar na linha de fundo.

Outro ponto negativo foi a volta de Tcheco à sua velha forma. Não sossegou enquanto não recebeu um cartão amarelo por reclamação. Sem contar os cruzamentos e escanteios que passavam por trás da linha de fundo. Se é para continuar com isso, melhor mandar de volta para os Emirados Sáderes.

Eu não fui ao primeiro jogo contra o São Paulo, no Morumbi, por uma razão muito simples: Sexy Hot. Mas preciso admitir que, apesar de alguns percalços, o Grêmio faz o que deve ser feito no Brasileirão: marcar pontos.

Confesso que achei curiosa uma declaração do ex-lateral do Inter Elder Granja, de que “se formos para cima eles vão se assustar”. O Palmeiras foi a Porto Alegre achando que ia tocar uns três a zero. Pena que jogou como se fosse o Lajeadense – esperando o Grêmio para tentar algum contra-ataque e descolar um gol, que foi o que aconteceu aos 17 minutos do segundo tempo.

O mais interessante do pênalti convertido por Alex Mineiro foi que ele não fez aquela frescura da paradinha – provavelmente por ter estudado o goleiro Victor. Depois disso, o locutor da Globo não parava de falar no “pulo” que os paulistas dariam com o resultado parcial.

Isso me remete ao o quê o Palmeiras pode apresentar no campeonato. Falam muito do elenco, que é qualificado e tal, mas ter como referência técnica o goleiro Marcos, aquela farsa pipoqueira chamada Valdivia e Diego Souza escalado no lugar realmente certo desafia minha imaginação quanto ao futuro do time – sem contar que Alex Mineiro deve sair do clube.

O esquema todo é uma farsa. Enquanto escuto flauta deles porque o Grêmio tem tradição de contratar refugos como Makelele e Paulo Sérgio, Luxemburgo sequer consegue escalar Diego Souza na função onde massacrou São Paulo e Santos pela Libertadores, no ano passado.

O Grêmio pode não ir longe, mas as perspectivas do Palmeiras são muito piores. Eles se iludiram com o ruralito local e, como o São Paulo, acham que é uma questão de tempo até que liderem o campeonato.

No ano passado, o Grêmio ficou de fora da Libertadores porque simplesmente faltou perna a partir de setembro, outubro, por causa do terror tocado na Libertadores. Agora, podem até falar que mais tarde o time vai cair de produção.

É, pode ser. Mas vejo no time um padrão de jogo desde o jogo contra o Flamengo que me assegurou a permanência na Série A, em 2009. Depois, a virada sobre a Portuguesa na base da raça e o massacre contra o Cruzeiro – no qual o time foi quase perfeito em todos os fundamentos, para meu espanto.

Não vou mencionar a goleada sobre o Figueirense porque, enfim: catarinas. Mas a questão principal continua: é preciso pontuar em todos os jogos, seja em casa ou fora. O Grêmio tem mostrado essa regularidade – só duas derrotas em 15 rodadas. E os outros?

Colaboração de Rodrigo Alvares, jornalista fugitivo, segundo dizem. Mas pode ser encontrado no blog A Nova Corja, que criou e edita há mais de quatro anos.

Entry filed under: Brasileiro, Clubes, Contribuições.

Grêmio empata, mas segue solito na ponta Para Sempre

86 Comentários Add your own

  • 1. izabel  |  28/07/2008 às 12:45

    “Uma das vantagens de ser gremista é saber reconhecer todos os níveis de limites técnicos que um time – ou jogador – podem apresentar.”
    só dos gremistas? que inveja de vocês!

    título mais adequado ao post: “fake tales of POA”.

  • 2. fino  |  28/07/2008 às 12:53

    Bah, mas tá aí o Ernesto gremista que eu me refiria !!!

    Onde estava esse galo cinza (ns) esse tempo todo?

    Abrir mão de postagens frequentes desse loki é validar minha teoria de que a ditadura colorada MACULA os leitores do blog.

    akdjlsfkjfajksdfajajhsdfa

  • 3. Gabriel  |  28/07/2008 às 12:56

    que inveja de vocês![2]

    eu li e não iria nem comentar, acho que o que está em negrito deve ser considerado ironia.

  • 4. izabel  |  28/07/2008 às 13:01

    Gabriel, depois que comentei pensei que deve ser ironia.
    daí, o único comentário que posso ME fazer é: que falta de senso de humor, hein? culpa da ressaca.

  • 5. Rômulo Arbo Menna  |  28/07/2008 às 13:02

    discordo

  • 6. Titi  |  28/07/2008 às 13:04

    Ele ta fugindo do Polimero! hehehehe

    No mais, bom texto. Tb sou da teoria da acumulacao de pontos … tem que somar pontos em todos os jogos.

    PaRmera veio aqui pra nao perder. Na semana foram 4 em 6 ptos.

    De quinta a domingo + 4 ptos no minimo.

  • 7. Rômulo Arbo Menna  |  28/07/2008 às 13:05

    ah, discordo do post, em geral…
    agora vou ler o penúltimo, q deve fazer mais sentido…

  • 8. Guilherme  |  28/07/2008 às 13:29

    Alguém lembra de alguma vez que o Grêmio já foi líder do Brasileiro? Tô achando tudo muito surreal. Acho que vamos ser campeões. Sério.

  • 9. Luzardo  |  28/07/2008 às 13:30

    É. Bem que o colaborador poderia aproveitar sua vasta experiência corjística e falar da eleição no Grêmio.

  • 10. Caxias  |  28/07/2008 às 13:37

    Eu te pego, cara!

  • 11. dante  |  28/07/2008 às 13:48

    o texto, no geral, é “bom” [aspas, aspas].

    mas o valdívia pode ser tudo, mascarado, mau-caráter, peladeiro, etc.

    menos pipoqueiro.

  • 12. alemao  |  28/07/2008 às 13:49

    [8] é a 1ª vez nos pontos corridos

  • 13. silent  |  28/07/2008 às 13:50

    a questão é: posts de forasteiros não dão audiencia
    aseiughasuiehguiahseiughasegaisuehgiuashegiuhaseg

    então to comentando algo absurdo pra engordar a lista
    e tentar salvar os membros honorários.

  • 14. Luciano  |  28/07/2008 às 14:00

    Alemão, acho que ao final da 1ª rodada de 2006 ficamos em 1º lugar…

  • 15. Gabriel Teixeira  |  28/07/2008 às 14:04

    Post altamente bairrista.

  • 16. Prestes  |  28/07/2008 às 14:05

    Somar pontos em todos os jogos pode dar segunda divisão. Time que empata todas acaba com 33,3% e cai.

    Nos pontos corridos tem é que ganhar.

  • 17. Francisco Luz  |  28/07/2008 às 14:14

    O Inter tinha, até 2006, um cálculo de que 10 pontos em 15 garantiriam sempre um lugar na parte bem de cima da tabela. Os pontos extras, além deste pacote, seriam o diferencial para o título.

    Isso significa três vitórias e um empate a cada cinco jogos, ou os 66% de aproveitamento que o Grêmio tinha depois do jogo do Flu. Acho que é um cálculo válido, e lamento que tenham esquecido isso no Beira-Rio.

  • 18. Tiago Medina  |  28/07/2008 às 14:15

    Se o Perea fosse um atacante regular, o Grêmio seria sério candidato ao título. Mas ele faz 5 gols a cada 15 jogos. Aí complica…

  • 19. tiagón [zurrando]  |  28/07/2008 às 14:19

    não entendi direito o texto.

  • 20. Gustavo  |  28/07/2008 às 14:47

    EU VOU TE ACHAR, CARA!

    Concordo que o Pico falhou defensivamente, ontem. Neste quesito o Felipe foi mais eficiente. Eu entendo que “saber reconhecer todos os níveis de limites técnicos que um time – ou jogador – podem apresentar” é uma especialidade do gremista, Izabel. Pode acontecer e certamente acontece em outros times também, mas nós temos sido EXPERTS nesta arte.

    É mais ou menos saber diferenciar níveis de ruindade como HORRÍVEL, HORROROSO e DEMENTE MANCO.

  • 21. Caue  |  28/07/2008 às 14:58

    “O Grêmio pode não ir longe, mas as perspectivas do Palmeiras são muito piores. Eles se iludiram com o ruralito local e, como o São Paulo, acham que é uma questão de tempo até que liderem o campeonato.”

    Palmeiras = Inter, há dois anos jogam o Brasileiro como um fabicano no início de semestre de monografia…

  • 22. Gustavo Portela  |  28/07/2008 às 15:05

    “Tudo bem que o sistema de drenagem do campo fracassou miseravelmente”

    Bah, tche, com a chuva que tava ou chamava a Nasa pra projetar a drenagem ou cobria o olímpico.

  • 23. Daniel Cassol  |  28/07/2008 às 15:09

    Atenção, pessoal.

    Apaguei o comentário polêmico e os outros que se seguiram a ele, porque não foi o Rodrigo quem fez. Foi algum sujeito extremamente criativo, que em vez de colocar seu nome entra aqui com outros pseudônimos.

    Grato.

  • 24. Luís Felipe  |  28/07/2008 às 15:09

    bah, limparam o comentário mais comprometedor da história

  • 25. Gustavo  |  28/07/2008 às 15:14

    É… ele certamente sabe que QUEM TEM, NÃO TEM ACENTO.
    gjaçsldkf

  • 26. fino  |  28/07/2008 às 15:21

    E a torcida do Grêmio fez tudo errado ontem: aplaudiu o Sex in The City e vaiou o Diego Souza… tsc tsc

  • 27. Carlos  |  28/07/2008 às 16:07

    Fino: tb achei idiota…pq não aplaudiram o diego souza?…muita idiotice…

    Beto: Como é o esquema em curitiba???? Mandam ingresso aqui pra POA? Meu irmão faz pós lá e quer ir no jogo….qualé q é?

  • 28. Gustavo  |  28/07/2008 às 16:19

    A vaia ao Diego Souza deve ter sido pela forma como ele saiu, indo direto pro Palmeiras. A galera gritou “vendido”, inclusive.

  • 29. fino  |  28/07/2008 às 16:55

    Mas aí que tá a memória fraca da torcida…

    quem acompanha futebol sabe a novela que foi a saída dele por causa da birra do Benfica… ele dizia o tempo todo que queria ficar no Grêmio…

    sem contar que, diferente da Tcheca véia e do Sandro Goiano, esse sim fez a diferença na Libertadores do ano passado…

    e depois pelo brasileiro ainda meteu isso aqui http://www.youtube.com/watch?v=XKXz867K3iY / http://www.youtube.com/watch?v=Y5OWf0fJSlo

    “Joguei no Flamengo, Benfica, Fluminense e nunca vi uma coisa tão apaixonada como essa torcida do Grêmio, ela vem pro estádio, apóia o tempo todo… e nesse quase um ano que to aqui, nunca vi vaiar nenhum jogador…”

    O cara respeita o Grêmio e falou isso abertamente…

  • 30. Guillermo  |  28/07/2008 às 17:13

    OFF-TOPIC: http://globoesporte.globo.com/Esportes/Noticias/Futebol/espanhol/0,,MUL703503-9845,00.html

    Ah… Rodrigo EU VOU TE ACHAR CARA!!!! heehehe

    DÁ-LHE GRÊMIO!!!

  • 31. leandro rizzi  |  28/07/2008 às 17:27

    Pra quem sabe quando o Douglas faz aniversário, cabe presentea-lo com essa:

  • 32. Pedro Jr  |  28/07/2008 às 17:29

    8. Guilherme | 28/07/2008 at 13:29
    Alguém lembra de alguma vez que o Grêmio já foi líder do Brasileiro? Tô achando tudo muito surreal. Acho que vamos ser campeões. Sério.

    Liderou a primeira rodada do campeonato de 2006, batendo o curintia por 2 x 0.

    29. fino | 28/07/2008 at 16:55

    quem acompanha futebol sabe a novela que foi a saída dele por causa da birra do Benfica… ele dizia o tempo todo que queria ficar no Grêmio…

    E tu acreditou?? Acho que ele só falou que queria ficar no Grêmio pra não dar mto na cara. Com o prêmio-assinatura que o D Souza ganhou, até o Danrlei diria…

  • 33. dante  |  28/07/2008 às 17:33

    bá, leandro, QUERO AGORA essa camiseta.

    compra e me manda! asdçlksalçksalçdalsklas

  • 34. Gustavo  |  28/07/2008 às 17:44

    Concordo com o Pedro Jr. Não dá pra acreditar em “amor” de jogador…

  • 35. fino  |  28/07/2008 às 17:46

    tá bom então.

    eu acredito.

  • 36. Beto Borracho  |  28/07/2008 às 17:59

    Carlos,

    Não faço a mínima idéia. A direção liberou três ônibus (com ingresso) para a Geral, hoje à noite fechamos as listas e encaminhamos para a PRF.
    Aconselho a ligar para o Grêmio e pedir informações, mas com certeza será vendido ingresso lá.
    Sobre o jogo é tranqüilo, existe um respeito entre as torcidas de Grêmio e Coritiba, já que as organizadas eram amigas.

  • 37. Felipe catarina  |  28/07/2008 às 18:10

    tive um primo que foi goleiro do Lajeadense na década de 1990 (André Leizer).

  • 38. Felipe catarina  |  28/07/2008 às 18:20

    “Não vou mencionar a goleada sobre o Figueirense porque, enfim: catarinas. ”

    tadinho, deve ter algum trauma de infância…

  • 39. Flávio  |  28/07/2008 às 20:01

    Tirando o Inter-05, nenhum time gaúcho acreditou até hoje que pudesse vencer o Brasileirão por pontos corridos. Inter e Grêmio jogam pela vaga na Libertadores. Aqui ainda existe a ilusão de que se houvesse formulismo a Dupla teria mais chances de conquistar o título. Tenho minhas dúvidas. Na época do mata-mata, também perdíamos (quase) sempre. Desde os anos 90 o futebol paulista domina o Brasileiro, seja em que fórmula for.

  • 40. Paulo Sanchotene, RS  |  29/07/2008 às 14:25

    Nunca entendi e vou continuar sem entender o porquê de não se cobrir o gramado com lona em dias de chuva. Antes do jogo, basta descobrir a cancha, que estará seca. Por mais que chova, a drenagem funcionará por 2h, 2h30min. Sem a lona, caiu água por mais de DOZE HORAS sobre o relvado desprotegido. A solução é tão simples que me assusta porque nunca tenham feito…

  • 41. Paulo Sanchotene, RS  |  29/07/2008 às 14:28

    Notava que o texto não era do Impedimento. Possui um estilo e humor diferente, e as citações políticas são levemente de direita…

  • 42. Paulo Sanchotene, RS  |  29/07/2008 às 14:30

    O que mais aproxima esse artigo de um texto impedimentístico são as provocações baratas e gratuitas que sempre atingem o alvo como os comentários da Izabel (1) e do Felipe Catarina (38) comprovam…

  • 43. Paulo Sanchotene, RS  |  29/07/2008 às 14:31

    Não se pode mais escrever “38” entre parênteses?!

  • 44. Paulo Sanchotene, RS  |  29/07/2008 às 14:33

    Re 39:

    Flávio, alguém só joga pelo título lá nas rodadas finais. Por enquanto, só se joga para escapar do rebaixamento o quanto antes…

  • 45. izabel  |  29/07/2008 às 14:58

    sanchotene, se empolgou nos comments, hein?
    # 40: quando uma solução é muuuito simples e ninguém (incluindo especialistas) pensou no assunto, muito provavelmente ela não chega a ser uma solução ‘brilhante’. pra onde iria a água que a lona apara? evaporação? não. sistema de drenagem, então? é o que, teoricamente, todo o gramado do olímpico deveria ter. aliás, ao que parece, até tem, mas não funcionou.

    sobre as provocações gratuitas, não acho que aproxima este post dos textos dos blogueiros daqui. é um outro estilo, recheado de arrogância. talvez fruto do que você considerou levemente de direita.
    acho que foi isso que me incomodou e provocou meu primeiro comentário.

  • 46. Paul  |  29/07/2008 às 15:19

    Sancho, 41:
    “citações políticas” onde?

  • 47. Luís Felipe  |  29/07/2008 às 15:23

    confesso que reli o texto para procurar essas citações.

  • 48. Gustavo  |  29/07/2008 às 15:28

    visitem http://www.novacorja.org
    Obrigado.

  • 49. Gustavo  |  29/07/2008 às 15:33

    Tu achaste, LF? Tou boiando…

  • 50. Paul  |  29/07/2008 às 15:33

    Gustavo 48: descobriste o OUVIDO DA MINHOCA, como diria o meu pai. Leio a NC desde seu primeiro post.
    O Sancho fala de citações políticas NO TEXTO DESTE POST.
    Um abraço, e de nada.

  • 51. Alisson Coelho  |  29/07/2008 às 15:43

    Onde Paul?
    Ctrl C Ctrl V no trechos por favor.

  • 52. dante  |  29/07/2008 às 15:49

    “citações políticas são levemente de direita”.

    rodrigo alvares, o popular SURUBA, é LEVEMENTE petista.

  • 53. Paul  |  29/07/2008 às 15:49

    Hum… Vocês estão querendo me confundir?
    Alisson, por favor, releia o meu comentário de nº 46.

  • 54. Alisson Coelho  |  29/07/2008 às 15:51

    Levemente petista?

    Existe algum petista “leve”??? hauhsahsuhasuahsuhausaushauhs

  • 55. Paulo Sanchotene, RS  |  29/07/2008 às 15:53

    De verdade, citação política só há uma: “Emirados Sáderes”.

    Izabel, não me cabe defender o texto, mas ele não é arrogante. Ele é provocativo, mesmo. O que tu chamas de arrogância é flauta; pura flauta. E flauta não é de direita, nem de esquerda. É flauta de quem está por cima contra quem está por baixo. Amanhã, isso muda; flauteantes e flauteados serão outros. Só a flauta é constante…

    Sobre SP – Desde 1993, que há ao menos um clube paulista entre os dois primeiros do campeonato. São Paulo é o centro político, cultural e econômico do país. O Grêmio, agora, é o bastião da Resistência. Somos os anti-“balada”, os anti-“meu”, os anti-“intão”, os anti-“…eindo”. Intão, cê tá me entendeindo?! Fíndu ano, o Grêmio qué i pra balada, meu! Sabe-se lá até quando isso dura, aproveitemos pois. Hoje, mesmo, o PVC, na ESPN Rio-SP (Brasil, enfim), descartou o Grêmio entre os postulantes ao título. E lá estava o Palmeiras. Só nos resta continuar somando pontos, exatamente como o Alvares colocou.

    Sobre SC – Provocação regional, sem maiores conotações importantes. Estávamos há cinco jogos só perdendo para esses mesmos “catarinas”. Há 3 anos, só OUVÍAMOS tudo, calados. Ganhamos, goleamos. Agora agüentem.

    Infelizmente, vocês se perderam na superfície e deixaram de perceber pontos importantes no texto, como os belos comentários sobre Pico e Tcheco; o fato de colocar que a goleada é passado e valeu os mesmos três pontos que outros jogos; que o Grêmio está no nível dos demais clubes da parte de cima da tabela; e que mercia ter vencido a partida de domingo. O resto é bobagem, divertidíssima bobagem para quem lidera o campeonato…

  • 56. Paulo Sanchotene, RS  |  29/07/2008 às 15:55

    A citação é, originalmente, “de direita”, pois remete negativamente ao Sr. Emir Sader, famoso intelequitual de esquerda.

  • 57. Paul  |  29/07/2008 às 16:01

    Sancho, não se perca na superfície… hehehehe!

  • 58. Paulo Sanchotene, RS  |  29/07/2008 às 16:02

    Sobre a lona, ela é comum em canchas de tênis e de beisebol…

  • 59. izabel  |  29/07/2008 às 16:18

    paulo, EU achei arrogante. e, pra jogar uma bomba aqui, em geral acho as ‘flautas’ dos gremistas beeeem arrogantes. olha que eu não fazia idéia que aí grêmio é o time que chama o outro de macaco. mas dá pra sacar logo pelas flautas.
    e o cara (levemente petista ou não) sem querer carrega isso nos seus textos.
    eu até conheço o suruba (agora que o dante colocou o nome). de um encontro ou dois, mas conheço, e acho bem gente boa e nada arrogante.

    sobre SP: só pra deixar claro, eu falo ‘oxente’ e ‘meu rei’. ‘balada’ e ‘meu’ já comecei a falar também. e não tenho nada contra. se morasse no RS, também não me ‘avexaria’ de sair falando ‘tche’ e ‘bah’. gosto de chimarrão também. odeio engenheiros da havai.
    sobre a cobertura da mídia (opinião do PVC), concordo totalmente com você. mas não posso ignorar o fato de que, no começo do ano, teve um post aqui com milhões de comentários em que gremistas e colorados NÃO DEMONSTRARAM A MÍNIMA DÚVIDA que o título da Copa Br tava entre um dos ‘co-irmãos’. eu fiquei pianinho, porque meu corinthians ainda engatinhava.
    da mesma forma, me parece que na mídia daí estava bem colocado que o inter tava com o melhor elenco do brasil este ano, embora eu não tenha lido uma linha sequer citando isso nos jornais daqui.
    bairrismo: típico de baianos, pernambucanos, paulistas, cariocas, gaúchos…

    sobre a lona: as quadras de tênis são bem menores que o campo de futebol, e o jogo pode ser paralizado ou adiado intermináveis vezes. sobre beisebol, não posso opinar pois não sei se eles cobrem o ‘outfield’ também.
    mas, falando sério, a idéia era que o sistema de drenagem do campo funcionasse, e acho que o olímpico tem esse sistema

  • 60. Paulo Sanchotene, RS  |  29/07/2008 às 16:56

    Izabel, regra básica de interpretação dos comentários do Sanchotene: quando parecer aburso, há grande chance de ser bobagem, mesmo. É o caso da “resistência”. Não é para levar a sério. Como é que o Grêmio vai ser contra o sotaque paulista?!

    O “macaco” é como gambá, bâmbi e porco. Cansei de explicar que inexiste racismo. Mas, como ninguém quer entender, eu deixo pensar o que quiserem. Hoje em dia, é dever ver racismo em tudo, mesmo…

    O gremista não é diferente de nenhum torcedor de futebol. O problema é que havendo milhões de gremistas, a quantidade de idiotas é proporcional.

  • 61. Paulo Sanchotene, RS  |  29/07/2008 às 16:58

    Por fim, uma coisa é a imprensa local ser bairrista; outra é uma que se pretende nacional…

  • 62. dante  |  29/07/2008 às 17:40

    sobre o porco e o gambá eu não sei, desconheço até onde os citados gostam da ALCUNHA. mas BAMBI não tem NADA a ver com macaco, porque me parece pejorativo ao extremo – menos pro RICKY…

    eu acho bem legal o termo [“macaco”], mas os negros colorados que lêem o blog podem dar suas opiniões. conheço muitos que sentem “orgulho”.

    ***

    sobre o “emirados sáderes”, sancho, talvez o suruba tenha feito uma referência ao personagem de andré dahmer [www.malvados.com.br, que é simplesmente sensacional].

  • 63. André K.  |  29/07/2008 às 18:14

    Sancho,

    O PVC admitiu que nao inclui o Gremio entre os candidatos por pura teimosia.

    entre os termos mencionados, faltou lembrar do “coxa branca” para o coritiba.

  • 64. Junior  |  29/07/2008 às 18:15

    “O “macaco” é como gambá, bâmbi e porco. Cansei de explicar que inexiste racismo. ”
    Discordo totalmente. É evidente que o termo “macaco” é racista. Pode até ser que TU PESSOALMENTE não seja racista, nem tenha intenções racistas ao usar esse termo, mas o termo é racista, sem dúvida.

  • 65. Anônimo  |  29/07/2008 às 18:18

    explica por que é racista entao

  • 66. Paulo Sanchotene, RS  |  29/07/2008 às 18:56

    Dante,

    Eis o problema. Quando alguém se vê como negro, branco, mulato, índio, bugre, amarelo, está sendo racista, pois se coloca dentro desses parâmetros. A única diferença entre quem pensa que “todas as raças são iguais” e “a minha raça é melhor que as outras” é de grau. O problema está na aceitação do próprio conceito de raça, o qual não sobrevive à menor tentativa de definição.

    Um abraço.

  • 67. Roger  |  29/07/2008 às 19:01

    Não conheço o vivente. Mas o texto é bom.

    E vamos combinar que SURUBA é um apelido muito afudê! (sem trocadilhos por favor)

  • 68. izabel  |  29/07/2008 às 19:59

    regra básica de interpretação dos comentários do Sanchotene: quando parecer aburso, há grande chance de ser bobagem, mesmo.
    entendi, Sanchotene. tranqs. eu também não tava falando TÃO séria. só achei importante frizar que eu não sou paulista. tenho meu próprio bairrismo, e adoro ser baiana.
    macaco” é como gambá, bâmbi e porco. Cansei de explicar que inexiste racismo
    acredito que HOJE EM DIA não seja racismo. mas nasceu sendo, e dá pra ouvir certo resquício do preconceito passado. acho que, em muito, deixou de ser racista justamente pelo orgulho dos macacos, gambás e porcos.
    mas ó, eu ouço muuuuuuuitos comentários aqui em sampa, principalmente dos bambis, falando pejorativamente dos ‘pobres’ (não pretos) que torcem pro corinthians. existe o preconceito, sim.
    (em tempo: tem corintiano que não gosta de ser chamado de gambá.)
    e também não consigo entender pq já aceitamos ser chamados de gambás, porcos e macacos e os bambis teimam em rejeitar a melhor alcunha que os descreve.
    ah, e tem uma música de torcida que eu gosto muito (principalmente porque ela é cantada nos momentos do jogo em que você realmente acha que vai infartar) que fala “corintiano, maloqueiro e sofredor, graças a deus!”. e essa música surgiu justamente no morumbi, a torcida dos bammbis começou a gritar a primeira parte ‘provocando os sofredores’, daí a fiel começou a responder o ‘graças a deus’ e pegou.
    O problema é que havendo milhões de gremistas, a quantidade de idiotas é proporcional.
    concordo plenamente. mas é bom ter essa frase em mente quando quiser dizer que ‘corintiano é tudo baderneiro’ e generalizar a atitude dos idiotas que invadem campo e ameaçam jogador.
    Por fim, uma coisa é a imprensa local ser bairrista; outra é uma que se pretende nacional…
    argumento definitivo.
    acho bom tentar tratá-la como local. e VIVA O IMPEDIMENTO – a resistência.

  • 69. dante  |  29/07/2008 às 20:15

    sancho, concordo, e estendo esse pensamento à SEXUALIDADE referida no começo do comentário.

    em nenhum momento falei sobre raça. falei sobre esses APODOS, que têm uma carga maior de preconceito do que “porco” e “gambá”. quis apenas usar o PENSAMENTO REINANTE, pra que se entendesse.

    de qualquer forma, cada um deles, a sua maneira, tem uma carga de significados, o que os torna específicos. os colorados “gostam” do termo, mesmo que seja “racista” [o TERMO, não o USO]. os paulistas certamente RECHAÇAM.

    e por aí vamos.

    salu2.

  • 70. dante  |  29/07/2008 às 20:20

    sobre o comentário da izabel, que deve estar ONLINE saljksadfklj, se essa quantidade de idiotas for mesmo proporcional, flauta gratuita mode completamente on, entre todos os torcedores idiotas de todos os times do globo terrestre os que estão em maior número são os flamenguistas [oi] e os corintianos, as maiores torcidas do brasil, flauta off. heh

    : P

  • 71. Flávio  |  29/07/2008 às 20:29

    Izabel, Emirados Saderes não é uma alusão ao Rei Emir do Dahmer. É um trocadilho com o nome do petelho-mor Emir Sader mesmo. E é óbvio que chamar os colorados de macacos era um insulto racista. Assim como o urubu do Flamengo. A torcida rubro-negra, espertamente, adotou o apelido desde o início, esvaziando a provocação dos rivais. Coisa que os colorados também fizeram com o macaco dos anos 90 para cá. E porco era, pelo menos na época da II Guerra, um apelido ofensivo para os italianos.

  • 72. izabel  |  29/07/2008 às 20:49

    acertou, dante.
    ó só, nem foi flauta gratuita. é o que ocorre mesmo. estatística básica.

  • 73. Luís Felipe  |  29/07/2008 às 22:25

    Quando alguém se vê como negro, branco, mulato, índio, bugre, amarelo, está sendo racista, pois se coloca dentro desses parâmetros.

    olá, Ali Kamel, tudo bem?

    vamos relativizar o racismo juntos, para dizer que ele não existe?

  • 74. Sanchotene  |  29/07/2008 às 23:57

    LF, lê de novo, pois se vê que não entendeste. Eu não relativizei o racismo; eu o defini.

  • 75. Gustavo  |  30/07/2008 às 09:00

    Acho que os palmeirenses adotaram o “porco”. Eventualmente eles mesmos não gritam “porco, porco”?

  • 76. Flávio  |  30/07/2008 às 09:07

    Sim, adotaram o porco. Assim como o Inter adotou o macaco.

  • 77. Junior  |  30/07/2008 às 16:13

    O fato de alguns torcedores colorados adotarem o termo “macaco” não invalida o racismo daqueles torcedores gremistas que insistem em ofender os torcedores colorados. O cerne da questão não é a palavra “macaco”, mas a intenção. Quando um colorado comemora a vitória do Inter dizendo: “hoje foi o dia da macacada”, é lógico que ele não tem a pretensão de ofender ninguém, pelo contrário, está sendo irônico. Por que o Sóbis raramente era chamado de “macaco”, ao contrário dos jogadores negros , que são constantemente chamados de “macacos”? Continuo afirmando que muitos gremistas não são racistas e mesmo quando utilizam o termo “macaco”, não o usam com conotação racial. Entretanto, boa parte dos gremistas utilizam o “macaco” com intenções racistas, basta observar a comunidade do Grêmio no Orkut. Mas essa idiotice não é exclusiva do RS, acho ridículo o canto “ela, ela, ela, silêncio na favela”, utilizado pelas torcidas rivais do Flamengo, entre outras idiotices espalhadas pelo Brasil.

  • 78. Paulo Sanchotene, RS  |  30/07/2008 às 18:51

    Júnior,

    Eu acho estranho colocarem toda a carga de culpa para um lado e esquecerem dos colorados que não aceitam o apelido por racismo, afinal “macaco” seria coisa de negro e eles não seriam. E esses colorados existem, sim!

    Até parece que racismo (que, sim, Luís Felipe, é MINORITÁRIO) é exclusividade azul…

  • 79. Paulo Sanchotene, RS  |  30/07/2008 às 18:53

    Outro detalhe, “silêncio na favela” NÃO pode ser colocado como exemplo de racismo…

  • 80. Prestes  |  30/07/2008 às 19:14

    Acabar com a polêmica é simples: basta a torcida do Grêmio não usar mais o termo.

  • 81. Paulo Sanchotene, RS  |  31/07/2008 às 10:07

    Bobagem, Prestes. Isto é futebol, não se pode querer que se deixe de aplicar um termo por ele ser depreciativo. Um torcedor SEMPRE se referirá ao rival em tom depreciativo. Para um gremista nada é mais degradante que o termo COLORADO. E aí? Proíbe-se de usar esse termo também?

  • 82. Prestes  |  31/07/2008 às 15:05

    Pois é, mas o termo “macaco” só é depreciativo, porque é uma forma pejorativa de se referir ao negro. Macaco não é um termo como o burro, ou o porco, que são ofensas comuns e não precisam necessariamente de um contexto histórico, ele só ganha tom depreciativo quando é racista. Logo, se usam o termo macaco afim de ofender, trata-se de uma ofensa racista, embora a grande maioria chame colorado de macaco por hábito, por herança de outros tempos.

  • 83. Prestes  |  31/07/2008 às 15:07

    “Um torcedor SEMPRE se referirá ao rival em tom depreciativo. Para um gremista nada é mais degradante que o termo COLORADO”.

    A diferença é que racismo é crime.

  • 84. Paulo Sanchotene, RS  |  01/08/2008 às 19:05

    Prestes, nem toda a forma de racismo é crime no Brasil.

    Um exemplo: eu me achar negro ou branco ou mulato ou índio ou bugre ou amarelo, não seria crime. Isso É racismo na medida que, assim agindo, eu me diferencio – ou me aproximo – dos demais através do conceito de raça; mas NÃO é crime.

    Outro exemplo: o Brasil divide oficialmente seus cidadãos por raça, mesmo que para fins meramente estatísticos. Agora, divide até para fins políticos, pois determina-se os beneficiários de políticas públicas de ações afirmativas pela sua raça. Isso é estatística racista, isso é política racista, mas não são crimes.

    Portanto, mais cuidado ao dizer que racismo é crime. Não é sempre. Há gigantescas exceções.

    Eu disse que não ia falar mais do porquê “macaco” não é racismo, mas vou abrir uma exceção.

    Tchê, caso fosse racismo, ela levaria em consideração algum critério racial, mesmo o mais arbitrário (no caso, o único possível). Entretanto, todos os colorados são tratados de forma igualitária pela alcunha de “macaco(a)”; sem exceção. Não importa sexo, credo, raça, nacionalidade, naturalidade, profissão, idade, etc. Não interessa a cor da pele do colorado, ele será chamado de “macaco”.

    Mais. Nenhum gremista é “macaco”. NENHUM! São todos iguais; sem exceção. Não importa sexo, credo, raça, nacionalidade, naturalidade, profissão, idade, etc. Não interessa a cor da pele do gremista, ele NÃO será chamado de “macaco”, pois “macacos” são os colorados.

    Não há nada MENOS racista que o “macaco” utilizado para denominar os adeptos do Internacional.

    Entendeu, agora?

  • 85. Leonardo  |  07/08/2008 às 22:23

    Impedimento só será levado a sério quando for processado pelo Wianey Carlet.

  • 86. karlah  |  06/07/2009 às 10:16

    que inveja EN?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Subscribe to the comments via RSS Feed


Especial – Libertadores 2011

A bola da ImpedCopa

Toco e me voy

Feeds

web tracker

%d blogueiros gostam disto: