Casamata, um minifúndio improdutivo

19/05/2008 at 13:22 49 comentários

Meus caros amigos, estamos lascados. Antes de desejar a contratação de um meia-atacante ou reivindicar pelo retorno das cervejas aos estádios, devemos unir esforços para uma Lei Antitruste dos Técnicos de Futebol no Brasil. Porque vivemos uma situação desesperadora. Aquele torcedor que, insatisfeito, coloca-se atrás da casamata para vociferar impropérios contra o técnico do seu time pode ter razão em sua fúria, mas certamente seria acometido de um sentimento de orfandade se prospectasse por um eventual substituto. Porque temos atualmente um grupinho de senhores bem estabelecidos, e raros novos talentos aparecem para colocar fogo no circo.

Já andei dizendo pelas esquinas do mundo que a importância dos treinadores é superestimada. Continuo defendendo isto, e o farei até a morte, mesmo sob golpes de bengala dos ortodoxos. Mas isto não significa que despreze a importância do treinador para um andamento decente das coisas dentro de campo. Quando temos aquele corredor aberto num flanco do gramado, quando os meio-campistas passam menos tempo com a bola nos pés do que os gandulas, logo cogitamos a saída do “professor”. Não sei vocês, mas eu acabo desistindo depois de alguns instantes de busca no Google do meu cerebelo, porque sempre se impõe a aflita pergunta: “mas quem viria?”.

Defendo que deveríamos adotar como método a manutenção dos treinadores por longos períodos. Se um dirigente declarasse – e pudéssemos confiar nesta posição – que o técnico permanecerá no cargo por, sei lá, 10 anos, seria no mínimo um motivo a menos para nos preocuparmos. Dormiríamos tranqüilos com a impossibilidade de que Paulo Bonamigo desembarcasse no Salgado Filho de forma sorrateira, pela madrugada. Também não significa que tenhamos treinadores cuja qualidade justifique tamanha devoção institucional. Quando pensamos, apenas por exercício de raciocínio e procrastinação no trabalho, em elencar os cincos melhores técnicos brasileiros, inevitavelmente aparecem Murici Ramalho, Abel Braga, Mano Menezes. Mas não estou convencido de que seus desempenhos ou influência nas equipes que treinaram seja suficiente para que ocupem o posto. Quem os autoriza é a companhia.

Além de Felipão, que alcançou outro nível há tempos, temos Vandereli Luxemburgo, a quem deve-se fazer a grave ressalva de que sabe vender muito bem sua imagem (além de outras cositas que agora não vêm ao caso). É talvez o único que faça jus à denominação de “técnico de futebol”. De resto, entramos, e não conseguimos escapulir, de um círculo vicioso onde os novos talentos não conseguem se destacar – ou talvez nem tenham qualidade para tanto. Há anos orbitam na sombria atmosfera dos nossos mais profundos temores figuras como Jejão Mandela, Cuca, Alexandre Gallo, Leão, Geninho, Lori Sandri, VADÃO, Oswaldo de Oliveira, Ivo Wortmann, e sei lá quantos outros nomes.

No Brasil, em poucos apostaria como promissores para os próximos anos. Neste seleto grupo coloco, por exemplo, Caio Júnior e Renato Portaluppi. Alguns outros mostram excelente trabalho em times de menor expressão, mas acabam sucumbindo miseravelmente quando chegam numa agremiação de grande apelo. Muito deste fracasso pode ser debitado na conta dos dirigentes, que não têm envergadura política para oferecer amparo ao novato. Mas também agora iniciaríamos uma outra discussão, eterna e infrutífera, pois a nós resta apenas torcer e opinar. Ou difamar, quando aquele lateral-esquerdo maledetto toma a oitava bola nas costas ainda no primeiro tempo.

Como a intenção é sempre convidar todo mundo para o debate macio e a argumentação malemolente, abaixo segue a lista dos treinadores brasileiros nas Séries A e B, para que vocês mesmos avaliem a situação calamitosa.

Saudações,
Douglas Ceconello.

Série A

Atlético-MG – Gallo (que deve se apresentar logo, vindo do Figueirense)
Atlético-PR – Ney Franco
Botafogo – Cuca
Coritiba – Dorival Júnior
Cruzeiro – Adílson Baptista
Figueirense – Guilherme Macuglia
Flamengo – Caio Júnior
Fluminense – Renato Portaluppi
Goiás – VADÃO
Grêmio – Celso Roth
Inter – Abel Braga
Ipatinga – Giba
Náutico – Roberto Fernandes
Palmeiras – Vanderlei Luxemburgo
Portuguesa – Vágner Benazzi
Santos – Leão
São Paulo – Murici Ramalho
Sport – Nelsinho Baptista
Vasco da Gama – Antônio Lopes
Vitória – Vágner Mancini

Série B

ABC – Ferdinando Teixeira
América-RN – (Luís Carlos Ferreira foi demitido, MOURA, coordenador das categorias de base, assume)
Avaí – SILAS (sério, é aquele mesmo)
Bahia – Paulo Comelli
Barueri – Émerson Ávila
Brasiliense – Gérson Andriotti
Bragantino – Marcelo Veiga
Ceará – Lula Pereira
Corinthians – Mano Menezes
CRB – Roberval Davino
Criciúma – Gelson (recentemente saiu Leandro Machado)
Fortaleza – Heriberto da Cunha
Gama – Ademir Fonseca
Juventude – Zetti
Marília – Ruy Scarpino
Paraná – Paulo Bonamigo
Ponte Preta – Sérgio Guedes
Santo André – Sérgio Soares assume (Fahel Júnior saiu no final de semana)
São Caetano – PINTADO
Vila Nova – Givanildo Oliveira

Entry filed under: Colunas.

Só Náutico e Cruzeiro são 100% Pincharratas a caminho do título

49 Comentários Add your own

  • 1. elvis  |  19/05/2008 às 13:55

    meus inúteis comentários:

    Cuca – monstro do sítio do pica pau amarelo
    Giba – jogador do volei
    Leão – apresentador de TV, juntamente com o Lobo.
    Pintado – uma espécie de peixe
    Bonamigo – personagem de uma música da graforréia xilarmônica
    Gallo – outra metade da laranja de toda galinha, ainda que famoso por dormir num pau e acordar cantando.
    Mano Menezes – citação hip hop de um gênio do RS.

    desculpam aí

  • 2. Luís Felipe  |  19/05/2008 às 13:56

    é por conta dessa falta de inovação que a preparação física e a atuação dos dirigentes, na hora de contratar e levar adiante um projeto de futebol, acaba sendo determinante.

  • 3. Milton Ribeiro  |  19/05/2008 às 14:21

    Também já muito matutei sobre isso.

    Por que os clubes não formam seus técnicos? Quando X sai, entra o Y dos juniores. E por que temos que demitir os caras como se fossem perigosos leprosos? Acho que deveria haver uma comissão técnica com vários “técnicos”.

    Mas aí a torcida exigiria e demissão de todo o colegiado leproso.

    Esqueçam!

  • 4. alemao  |  19/05/2008 às 14:26

    A falta de novos técnicos tem a culpa dos dirigentes, q não acompanham técnicos novos, optando pela figurinha carimbada, q se não é ótimo, tb não é tão ruim…o famoso “água-morna”.

    Me pergunto se técnico tb não deveria sair das categorias de base… encontraríamos pessoas q são conhecidas e conhecem o clube, q acompanham a dinâmica do clube, conhecem a torcida, conhecem os futuros talentos…acho q é de se pensar numa possibilidade destas. Pega um desconhecido, vai alimentando nas categorias de base e acompanhando os resultados…daqui a pouco táca ele nos profissionais. Um desses sim, poderia ficar os 10 anos referidos pelo douglas.

  • 5. alemao  |  19/05/2008 às 14:28

    porra, milton…exatamente o q disse…hehehe

  • 6. alemao  |  19/05/2008 às 14:35

    mas poderia ser como o futebol americano. Um técnico coordena a defesa e outro o ataque. Tipo: mano menezes/celso roth treina a zaga enquanto um faceiro, sei lá, o abel coordena o ataque…

  • 7. mardruck  |  19/05/2008 às 14:36

    Gelsom é aquele bruxo do Felipão?

    Silas é bizarro demais. Um amigo meu corintiano disse que em 90, no lugar dele, devia ter ido o Neto hahahahaha

  • 8. Diogo  |  19/05/2008 às 14:42

    Pintado treinando time de SérieB?! Subiu na vida o rapaz.

  • 9. Flávio  |  19/05/2008 às 14:58

    Apesar de fracassos como Mujica e Passarella e do factóide Matthäus, ainda acho que os grandes clubes daqui deveriam apostar mais em técnicos gringos.

  • 10. Zé Carlos  |  19/05/2008 às 15:26

    Walmir Louruz

  • 11. dante  |  19/05/2008 às 15:30

    tenho MEDO [a/c regina duarte] do dia em que os dirigentes gremistas finalmente se derem conta do óbvio e trouxerem o renato.

    : /

  • 12. Flávio  |  19/05/2008 às 15:42

    “Walmir Louruz”

    Quase nos mandou para a segundona em 99.

  • 13. joão carlos  |  19/05/2008 às 15:49

    se tiver numa fase como aquela em que tava qnd veio o DE LEÓN, não dá nada, dante.

  • 14. Gustavo  |  19/05/2008 às 15:51

    O Renato prefere praia.

  • 15. douglasceconello  |  19/05/2008 às 15:53

    “tenho MEDO [a/c regina duarte] do dia em que os dirigentes gremistas finalmente se derem conta do óbvio e trouxerem o renato.”

    Bah, Dante, FICA QUIETO. shduds

    Sério, acho que pode se tornar um BAITA treinador num futuro bastante próximo.

    E concordo muito com Milton e alemao, tanto que defendi SEVERAMENTE que Leandro Machado fosse efetivado no Inter tempos atrás.

    Mardruck, sobre GÉLSON, não sei se é o mesmo da época do Felipão. Lembro que também tinha um GÉLSON que era centroavante do LAJEADENSE no início dos anos 90 e depois até jogou no Inter. Na real, podem até ser APENAS UM. Mas não lembro. Não deveria ter tomado tanta fanta com cachaça na minha adolescência. shuhsuh

  • 16. alemao  |  19/05/2008 às 16:20

    julinho camargo neles!

  • 17. alemao  |  19/05/2008 às 16:23

    E sim, estou analisando a quadra renato – gremio – roth – fluminense.
    Mandei um e-mail perguntando se a diretoria do flu não era a fim desta troca roth – renato, mas ainda não me deram resposta. Devem estar discutindo…aguardemos.

  • 18. Celão  |  19/05/2008 às 16:35

    Esse lance de treinador é esquisito…o Muricy quando veio pro Inter a primeira vez não tinha muita coisa no curriculum, tava mais prá aposta do que prá certeza.

    O problema de investir em novos profissionais é a mentalidade do brasileiro, o famoso “prá ontem”, ae acabamos ficando reféns do tio Jejão, do Claudião prá evitar rebaixamento, etc…e os que estão no posto não largam a teta de modo algum, ficam só no revezamento.

  • 19. Gustavo  |  19/05/2008 às 16:45

    É provavel que seja aquele GELSON que era bruxo do Felipão, pois ele era do Criciúma e tinha sido treinado pelo Felipão, quando ele esteve lá (e ganhou do Gremio a Copa-BR).

  • 20. Roger  |  19/05/2008 às 18:27

    Quando eu crescer, quero ser treinador de futebol.

    Profissão mais fácil do mundo de se exercer.

    Ok, mais fácil junto com jornalismo… aksdjgh

  • 21. Branco  |  19/05/2008 às 18:36

    O interessante é que sempre que um técnico assume e o time não tem um bom rendimento, ele diz que é preciso tempo para treinar e só depois de alguns meses é se deve avaliar o trabalho dele. Mas quando assume e o time já começa a ganhar, eles esquecem que precisam desse tempo pra implantar as idéias deles e ficam com o crédito pelas vitórias.

  • 22. Ernesto  |  19/05/2008 às 19:45

    O temor com o colorado é grande.

    Principalmente pela fantasia que vive o clube. Elenco enganador, direção farsante e sem resultados – 2007 e 2008 ainda não vi nada demais. Só vitórias em times de segundona e torneios curtos de dois jogos.

    Mas o pior é o temor de Abel se tornar, com a chancela de Pífio, o SIR ABEL FERGUSSON, ficando como treinador VITALÍCIO no colorado. As chances são muito grandes se depender de Carvalho, Pífio e a Popular oficialista que os apóia.

  • 23. Rogério Tomaz Jr.  |  19/05/2008 às 19:53

    O Luis Carlos Winck tava treinando (ou ainda está, num sei) o River-PI, foi até campeão estadual… chamem ele pro Grêmio! rsrsrs

  • 24. Carlos  |  19/05/2008 às 19:55

    Ernesto volta em grande estilo…
    Impedimento volta a ter graça…

  • 25. Atilio  |  19/05/2008 às 20:10

    Sempre fiquei curioso… será que o Celso é parente do Philip?

  • 26. mardruck  |  19/05/2008 às 20:18

    Faço votos pro que o Ernesto disse hahaha

  • 27. mardruck  |  19/05/2008 às 20:19

    E Renato no Grêmio com um time médio fará um ESTRAGO.

  • 28. douglasceconello  |  19/05/2008 às 20:33

    “Sempre fiquei curioso… será que o Celso é parente do Philip?”

    Não sei, mas se o Sexy fosse tão bom treinador quanto o SENHOR PORTNOY é escritor, os clubes brigavam a tapa por ele..

  • 29. Flávio  |  19/05/2008 às 20:41

    Sim. E o Tim é filho dos dois.

  • 30. Prestes  |  19/05/2008 às 21:03

    Os treinadores se queixam do “rodízio”, mas este é excelente pra eles. Quando um técnico consegue se sair razoavelmente bem em um trabalho, tendo alguma visibilidade, nunca mais faltará emprego nem polpudas indenizações. Tá aí o Macuglia, por exemplo, fez um Paulistão bom, nunca mais precisará ir bem para ter emprego nas séries A e B do Brasileiro. Tite, que ganhou uma Copa do Brasil, Roth que ganhou uma Copa Sul e uns estaduais, Cuca, que acho que não ganhou porra nenhuma, todos estes estarão SEMPRE na primeira divisão.

  • 31. Alisson Coelho  |  19/05/2008 às 21:45

    Pra se ter um exemplo da demencia que impera na casamata dos clubes é só pegar a seleção… DUNGA? PARREIRA?

    Eu não gosto do Abel. Mas vai vir quem?
    Só de pensar nos nomes citados…Wortman, Loruz, Mandela…

    Sei lá, deixa o Abel, pelo menos as loucuras dele são as esperadas!

  • 32. vag  |  19/05/2008 às 22:09

    o silas não tinha morrido de aids?

  • 33. moe  |  19/05/2008 às 22:16

    Acontece com as comissões técnicas brasileiras o mesmo que acontece com os jogadores: os bons técnicos/jogadores são poucos no Brasil, e alguma dezena/centena deles está lá fora (exceto o Jejão, que enganou uns quantos e se mandou em busca de novas descobertas etílicas).

    Me esforçando pra elencar os quantos “bons” técnicos estão lá fora, minha lista ia ter ter Felipão, Zico, René Simões, Parreira (?), Toninho Cerezo (?)…

    Ou seja, não tem muita saída. A escolha do Dunga pro comando da seleção só prova que há falta de bons técnicos por aqui. Aliás, é uma contradição nesse cenário, apostar em um novato justamente pro cargo técnico mais cobiçado. Coisas da CBF.

    Aproveitando, Zé Mário ainda vive?

  • 34. RHL  |  19/05/2008 às 23:07

    Li que o Luxemburgo teria o maior prazer de treinar a dupla Grenal. Disse ele que nunca recebeu um convite.

  • 35. RHL  |  19/05/2008 às 23:08

    Na real eu queria ver o Wianey Carley ou Ruy Ostermann como treinadores…. Porra os caras acertam todas no jornal (um dia depois), tah na hora de irem pra beira do campo. rrsssss

  • 36. Cassol  |  19/05/2008 às 23:17

    “O Renato prefere praia.”

    Pra isso tem o Lami.

  • 37. dante  |  19/05/2008 às 23:58

    “32. vag | 19/05/2008 at 22:09
    o silas não tinha morrido de aids?”

    MELHOR.

    COMENTÁRIO.

    DA.

    INTERNET.

    fechem o blog agora.

  • 38. Serramalte Extra  |  20/05/2008 às 01:29

    Nei Franco caiu. Oleg Ostapénko é o provável substituto.

  • 39. Roger  |  20/05/2008 às 07:08

    Sabia que iam citar o Alex Ferguson. O cara tem o triplo de dinheiro que todos os outros na Inglaterra, compra quem quiser, alinha todos eles naquela tatica pebolim dele (vulgo fla-flu) e os jogadores acabam ganhando pra ele. Assim ate’ o celso roth manja…

  • 40. alemao  |  20/05/2008 às 10:22

    Renato no Lami! hahahahahahah, muito boa…mas não tinha uma idéia de construir o olímpico por lá? não sei se to viajando, mas ouvi isso uma vez… Aí eu acho q ele vem…mas acho q tem q vir logo, pq no imaginário do torcedor, ele sempre será o cara q vai fazer o tricolor ganhar tudo…mas se ele vem e o time vai mal, vai ser uma puta decepção…

  • 41. Neni  |  20/05/2008 às 10:26

    bah.. esses treinadores da série B parecem todos oriundos do saudoso ELIFOOT II

  • 42. Gabriel  |  20/05/2008 às 13:20

    hahahahahahahahaha, elifoot II, muito bom, desses só o Mano Menezes tem o * do lado…

    o gallo foi pro atletico mineiro… eles tao loquinho pra cair no ano do centenario…

  • 43. Rudi  |  20/05/2008 às 13:24

    Acredito que o Macuglia tem muito futuro mesmo como treinador, e concordo com o douglas sobre Leandro Machado, também queria sua efetivação naquele tempo.
    Oleg Ostapenko fará a Cia de Ballet Paranaense ser favorita ao título..
    E uma coisa… pode parecer uma puta imbecilidade, mas já que a importância final dos treinadores não é tão forte… e sim motivacional, será que jamais alguém pensou em arriscar Bernardinho?

  • 44. dante  |  20/05/2008 às 13:50

    “será que jamais alguém pensou em arriscar Bernardinho?”

    WTF???

    enfim, fiquei pensando NUM MEDO AINDA MAIOR: se o grêmio traz o renato, o inter pode querer “responder” trazendo o dunga.

    […]

    AÍ O CARA CAI A BAIA DO CARA*.

    sdklsalçdas

  • 45. Rudi  |  20/05/2008 às 14:11

    cara, treinador é menos de 5% do sucesso de um time, FATO
    com a inteligência e capácidade do bernardinho, em 6 meses de estudos intensivos seria um dos 5 melhores treinadores de futebol do país com certeza

  • 46. Prestes  |  20/05/2008 às 14:59

    Obssessivo como é o Bernardinho ele até poderia estudar pra caralho e se dar bem no futebol depois de um tempo. Mas treinador não é 5% do sucesso de um time, Rudi. Não é mesmo. Treinador tem diversas funções importantíssimas:

    – Tem que saber quem serve e quem não serve tanto por aspectos técnicos, quanto disciplinares e psicológicos (perdedor ou vencedor).

    – Tem que saber em qual posição rendem melhor juntos estes que achou que prestam e formular um esquema tático que tente corrigir as deficiências que ainda possam haver no grupo e ressaltar as qualidades do grupo. Ainda tem que saber de que jeito explorar as deficiências do adversário e anular as qualidades deste.

    – Para fazer tudo isso tem que saber como executar os treinamentos e tem que ser ótimo observador de futebol e da vida.

    – No Brasil (apenas aqui) ainda tem que ser motivador, quase pai dos jogadores.

    É claro que jogadores inteligentes em campo também sabem enxergar essas coisas todas, mas o treinador é importantíssimo.

  • 47. Felipe catarina  |  20/05/2008 às 15:45

    O Gelson é aquele do Grêmio mesmo. Ele treinou o Criciúma em 2007, fez uma baita campanha no estadual mas perdeu a final pra Chapecoense, aí continuou na Série B, tava em segundo lugar e mandaram embora (ou ele pediu pra sair, sei lá).

    Aqui no Avaí o Silas é um felômeno. Com ele no comando, o time só levou 1 gol em 9 jogos – ganhou 6 e empatou 3. Mesmo assim, o Avaí ficou de fora da final do estadual (justo por causa daquele um gol) e já tá recebendo crítica na segunda rodada da Série B pq empatou em casa (0x0, claro) com o ABC (“toda criança tem que ler e escrever”, como completaria o Rei).

    E o Moura do América é aquele Moura calvo e com mullets que jogou em vários times do Nordeste (tipo o Sport e o próprio América) lá nos anos 1980-1990?

  • 48. Rudi  |  20/05/2008 às 16:22

    ainda assim acho que o Bernardo consegue essas características… precisaria apenas ter conhecimento tático…

  • 49. FERN  |  20/05/2008 às 20:45

    Suellen se redimiu por patrulha???

    os que não enxergam no TEC um ser importante, enxergam em quem??no 10???gshdgshdghsdghshdgsgh

    DT-Portaluppi
    AT-Danrlei

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Subscribe to the comments via RSS Feed


Especial – Libertadores 2011

A bola da ImpedCopa

Toco e me voy

Feeds

web tracker

%d blogueiros gostam disto: