Peñarol x Nacional

28/03/2008 at 15:04 15 comentários

Para os menos íntimos do futebol charrúa, Montevidéu limita-se a Peñarol e Nacional, clubes mais viotoriosos do país e adversários tradicionais em batalhas na Copa Libertadores.

A rivalidade de ambos é fundamental no imaginário do torcedor uruguaio. Quando a seleção local começou a perder espaço no cenário internacional, Peñarol e Nacional, com seus seis títulos mundiais e oito da Libertadores, mantiveram Montevidéu como um dos grandes centros futebolísticos da América do sul. Considerando que quase todos os uruguaios torcem para um dos dois clubes, o país inteiro se viu na elite internacional até a década de 1980.

Pos isso, Carboneros (ou Manyas, como são conhecidos os peñarolistas) e Bolsos (ou Tricolores) entram em atrito em tudo o que puderem. O caso mais curioso é sobre a data de fundação do Peñarol. O clube se diz herdeiro do CURCC (Central Uruguayan Railway Cricket Club, criado por funcionários da empresa ferroviária), fundado em 1891. Em 1913, a empresa tirou o apoio da equipe, e os dirigentes mantiveram o departamento de futebol com o nome Peñarol. Para os torcedores aurinegros e a imprensa em geral, Peñarol e CURCC são a mesma equipe.

O Nacional não aceita essa versão. Fundando em 1899, o Trico afirma que o CURCC fechou as portas, e alguns tricolores e dirigentes fundaram um clube novo em 1913. Assim, o Nacional seria mais velho e teria mais títulos uruguaios que o rival. Para reforçar sua tese, os Bolsos criaram a Comissão do Decanato, em 1937. Objetivo: recolher evidências de que o CURCC foi extinto. A questão é tão importante que a comissão existe até hoje, e o Nacional se diz o “decano do futebol uruguaio”. A entrada do Estádio Parque Central tem essa inscrição, e o endereço do clube na Internet é http://www.decano.com.

Nos últimos anos, os dois clubes perderam muito de sua força. Desde a década passada, o empresário Paco Casal toma conta do futebol uruguaio. Dono do vínculo dos principais jogadores do país e da televisão que paga pela transmissão do campeonato nacional, o agente nascido em São Paulo e criado em Montevidéu passou a ter os clubes em suas mãos. E isso é ruim para os grandes, que não têm autonomia suficiente para atender às exigências dos torcedores e da imprensa e vivem em constantes crises. No Apertura 2007, o Nacional foi o quinto colocado e o Peñarol, o 11º.

Trecho da matéria “O passado é hoje”, de Ubirtatan Leal, que está na revista Trivela de março.

Aconselho muito a leitura de todo o texto. Ubiratan fala ainda da relação de Montevidéu com o futebol e dos estádios, além de dar dicas fatais para quem pretende se aventurar na banda oriental.

Saudações,
Douglas Ceconello.

Entry filed under: Colunas.

Boca estréia na Copa Galo e Cruzeiro

15 Comentários Add your own

  • 1. Luís Felipe  |  28/03/2008 às 15:16

    Ubiratan Leal é a melhor coisa que tem na Trivela. Além de saber muito – ele é quase um obcecado pelo conhecimento do futebol – não é arrogante e é fiel à verdade factual.

    A Trivela perdeu muito quando se “associou” a Leonardo Bertozzi, mas ainda bem que não perdeu a sua essência investigativa. A prepotência e intransigência de alguns ainda não contaminou a revista, graças a deus.

    Essa matéria promete. Comprarei a revista.

  • 2. Francisco Luz  |  28/03/2008 às 15:34

    LF = semeador de discórdia, ahkgdsgd

    Está muito boa mesmo a matéria, e o bom é que trata de todos os times da cidade na primeira divisão. Virou guia de viagem para o final do ano.

  • 3. Flávio  |  28/03/2008 às 17:38

    A revista já saiu, tem o Eduardo Silva na capa. De fato, a matéria é muito boa.

  • 4. Luzardo  |  28/03/2008 às 18:48

    Não li a matéria que está na revista, mas o Ubiratan já tinha explorado esse tema aqui: http://www.gardenal.org/balipodo/2005/02/divagacoes_futebolisticas_em_m.html

  • 5. Luzardo  |  28/03/2008 às 18:51

    Opa, agora que eu vi que o texto que indiquei não é assinado pelo Ubiratan, mas tá no site dele.

  • 6. Milton Ribeiro  |  28/03/2008 às 23:35

    Porra, pensei que estava alucinando. Li no Google Reader e não me dei conta do itálico… Já li esta merda, mas como pode?

    É a idade, é a idade.

  • 7. Marcos SL  |  29/03/2008 às 00:39

    Gostei do texto, mas esta matéria é impagável. No país do cricket o futebol começa a levantar suas asinhas…

    http://www.trivela.com/Conteudo.aspx?secao=54&id=18827

  • 8. Douglas Ceconello  |  29/03/2008 às 03:04

    hshusuhsuh]

    Sem querer, dei um DRIBLE na memória do Milton.

  • 9. FERN  |  29/03/2008 às 19:38

    AINDA NÃO LI A MATÉRIA, MAS DE PRONTO ESPERO QUE TAMBÉM TRATE DA HISTÓRICA DIVISÃO DO FUTEBOL URUGUAYO:

    MONTEVIDEO vs INTERIOR

  • 10. Flávio  |  30/03/2008 às 11:09

    Essa seção da Trivela trata das CAPITAIS do futebol, portanto, somente os clubes de Montividéu são mencionados.

  • 11. Sanchotene  |  31/03/2008 às 13:05

    FERN, tu lembras quando abriram o campeonato nacional aos clubes do interior?

    Outra, o campeonato de seleções departamentais continua existindo? Era popularíssimo!

  • 12. Sanchotene  |  31/03/2008 às 13:06

    O Rio Grande do Sul acabou com essa divisão entre capital e interior em 1961. O primeiro campeão do torneio unificado foi o Internacional.

  • 13. FERN  |  31/03/2008 às 16:03

    Sancho, ouveram algumas tentativas de copas nacionais, o LF que é mais FACTUAL do que eu pode EXPLICAR melhor.

    os torneios da OFI continuam tendo vida própria e não sei por que os clubes do interior do Rio Grande não embarcam nesta em vez de ficar 6 meses do ano inativos, pois tem a Copa El Pais que reúne vários clubes charrúas em grupos e segue o mata-mata e esta copa sempre está aberta ao exterior pois até clubes do Paraguai certa vez à jogaram.

  • 14. augusto  |  31/03/2008 às 18:03

    a matéria é boa, mas peca mortalmente ao não mencionar a venda de CHURROS nos estádios uruguayos.

  • 15. FERN  |  31/03/2008 às 18:36

    outra coisa que faltou foi uma discussão que envolve as rivalidades do Prado, entre Wanderers, Bella Vista e River Plate, principalmente, darserneros e bohemios, pois os riverenses tendem á se intitularem como sequencia do antigo River que jogou no tempo do amadorismo, logo ele seria 4 vezes campeão uruguayo, mas em geral ninguém alé dos próprios torcedores levam tal informação EN SERIO e se estabelece a ordem de títulos que coloca o River como virgem, pois até o Papal ja levou sua glória pra sua casa, menos mal que em nª de HINCHAS os darseneros só perdem pro Wanderers e os do Bella Vista são bem inferiores, e em vitórios em clássicos então, vem a redenção o River Plate ganha de ambos, 5 mais que Los Vagabundos e 10 mais que Papal, nª estes que colhi com alguns darseneros, LOGO não sei de sua veracidade, AJUDAÍ-LF!!!!!!!!!!!!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Subscribe to the comments via RSS Feed


Especial – Libertadores 2011

A bola da ImpedCopa

Toco e me voy

Feeds

web tracker

%d blogueiros gostam disto: