A Guerra do Futebol

05/02/2008 at 17:20 2 comentários

Uma partida das eliminatórias centro-americanas da Copa do Mundo de 1970, no México, representou o estopim de uma guerra que durou seis dias e matou quatro mil hondurenhos e salvadorenhos. A Guerra do Futebol, entre Honduras e El Salvador em 1969, é mais um dos tristes episódios em que a bola serve de pretexto para guerras decididas em gabinetes – mas jogadas por milhares de pés descalços.

A seleção de El Salvador foi o primeiro time da América Central a disputar um Mundial, em 1970. Na Copa da Espanha, em 1982, em meio a uma guerra civil, o país serviria de sparring para a maior goleada nos mundiais: 10 a 1, diante da Hungria.

Foi o legítimo gol de honra, anotado por Zapata, porque talvez tenha sido o tento mais importante da história do futebol salvadorenho. A história deste gol foi contada por um documentário, lançado no ano passado.

A mensagem do filme é que existem países que podem se orgulhar de grandes craques, mas para El Salvador uma alegria efêmera – a classificação para o Mundial de 1970 – é seguida por uma tragédia. E um simples gol, contra dez do adversário, se transforma na maior glória do futebol do país.

Vale conferir o trailer do documentário “Uno”, que tem este site oficial.

E, sobre la Guerra del Fútbol, Eduardo Galeano escreveu o texto abaixo, no livro “Futebol ao Sol e à Sombra” .

As lágrimas não vêm do lenço

(Eduardo Galeano)

O futebol, metáfora da guerra, pode transformar-se, às vezes, em guerra de verdade. E então a morte súbita deixa de ser somente um nome de uma dramática maneira de desempatar partidas. Em nosso tempo, o fanatismo do futebol invadiu o lugar que ants estava reservado somente ao fervor religioso, ao ardor patriótico e à paixão política. Como acontece com a religião, com a pátria e com a política, muitos horrores são cometidos em nome do futebol, e muitas tensões explodem por seu intermédio.

Há quem creia que os homens possuídos pelo demônio da bola soltam espuma entre os dentes, e deve-se reconhecer que desta forma retratam bastante bem a vários torcedores enlouquecidos; mas até os críticos mais indignados teriam que admitir que, na maioria dos casos, a violência que desemboca no futebol não vem do futebol, assim como as lágrimas não vêm do lenço.

Em 1969, explodiu a guerra entre Honduras e El Salvador, dois países centro-americanos pequenos e muito pobres que há mais de um século vinham acumulando rancores mútuos. Cada um tinha servido sempre de explicação mágica para os problemas do outro. Os hondurenhos não tinham trabalho? Porque os salvadorenhos vinham tirá-lo. Os salvadorenhos passavam fome? Porque os hondurenhos os maltratavam. Cada povo acreditava que seu inimigo era o vizinho, e as incessantes ditaduras militares de um e outro país faziam o possível para perpetuar o equívoco.

Esta guerra foi chamada de guerra do futebol, porque nos estádios de Tegucigalpa e San Salvador acenderam-se as chispas que desencadearam o incêndio. Durante as eliminatórias para o Mundial de 70, começaram as confusões. Houve brigas, alguns mortos, uns quantos feridos. Na semana seguinte, os dois países romperam relações. Honduras expulsou cem mil camponeses salvadorenhos, que trabalhavam desde sempre nos plantios e colheitas daquele país, e os tanques salvadorenhos atravessaram a fronteira.

A guerra durou uma semana e matou quatro mil pessoas. Os dois governos, ditaduras fabricadas na Escola das Américas, sopravam as fogueiras do ódio mútuo. Em Tegucigalpa, a palavra de ordem era: Hondurenho: toma um lenho, mata um salvadorenho. Em San Salvador: É preciso dar uma lição nestes bárbaros. Os senhores da terra e da guerra não derramaram uma gota de sangue, enquanto os dois povos descalços, idênticos em sua desdita, vingavam-se ao contrário matando-se entre si com patriótico entusiasmo.

Anúncios

Entry filed under: Pela América.

MOMO NA BANHEIRA: Manguita Fenômeno MOMO NA BANHEIRA: O parricídio

2 Comentários Add your own

  • 1. Renato K.  |  06/02/2008 às 05:29

    /Filsofia barata on
    O grande mal deste planeta é a raça humana.
    /Filosofia barata off

  • 2. Samuel  |  27/08/2009 às 10:48

    Adorei esse site vou indicar para meus amigos, Para quem gosta de discussões sobre futebol pode acessar o http://www.futebolforum.tk

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Subscribe to the comments via RSS Feed


Especial – Libertadores 2011

A bola da ImpedCopa

Toco e me voy

  • E o glorioso São Bento chegou à Série B nacional aos 104 anos de vida. 31 minutes ago
  • A corrida pelo título brasileiro é basicamente a lebre Corinthians tirando uma soneca enquanto 4 ou 5 tartarugas se aproximam lentamente. 38 minutes ago
  • No fim das contas, o Corinthians pode até despencar, mas o verdadeiro perseguidor é outro. 41 minutes ago
  • Já garantiu dois e tem um terceiro (CSA) com tudo na mão. E também o Confiança vivo, ainda que precisando de façanha. 22 hours ago
  • Nordeste pode ser a primeira região a subir mais que 2 times juntos em uma edição da C, desde que adotaram a fórmula atual (2012). 22 hours ago

Feeds

web tracker

%d blogueiros gostam disto: