Uma mente sem passaporte

29/01/2008 at 11:19 92 comentários

Adriano de Sousa Fernandes, tenham certeza, é uma pessoa familiar a vocês, a todos nós. Ele é baiano, talvez pelos mesmos estranhos motivos que fizeram Che Guevara não nascer cubano. Mas restringir sua personalidade a limites geográficos é contrariar a principal motivação de seu maior projeto.

Do auge de seus 21 anos, ele pretende nada menos que reformular toda a composição e o calendário do futebol ao sul do continente ao agrupar times uruguaios e gaúchos em um único e rechonchudo torneio, com direito a ranking próprio e classificação para a Libertadores.

Além de comentar no Impedimento e trabalhar na elaboração e divulgação da Liga Pampa, FERN tem como ocupação honrar los hinchas do Wanderers. A partir de agora vocês conferem, em entrevista concedida por e-mail, a irreverência e o estilo inconfundível do cara que pretende reviver a nação cisplatina.

Inquisidores: Daniel Cassol e Douglas Ceconello.

Como tu foi parar no sul da Bahia (acreditávamos que ele fosse gaúcho)?
Como eu disse, nasci aqui em Valença (BA), o que certamente torna ainda mais sensacional o gremismo, gauchismo, charruismo ou como queiram.

Quando foi que te deu o estalo de elaborar uma proposta de Liga Pampa?
Bueno, creio que esta idéia não seja minha ou pelo menos não exclusivamente minha, mas o meu mérito foi tirá-la das mentes incendiárias e trazê-las à tona. Este fato me ocorreu depois da ascensão do Peninha (Eduardo Bueno) no cenário midiático nacional, lá por 2003. Vi ali a relevância do assunto, digo, vi ali que não era só meu e sim da coletividade, pelo menos de parcela da coletividade gremista.

Em resumo, o que é a Liga Pampa?
Liga Pampa é uma proposta de união do futebol de toda a banda oriental em uma liga de clubes em torno de um calendário próprio sem a interferência das federações, seja AUF, FGF ou CBF. Este projeto tem como objetivo aproveitar melhor a pujança do futebol local na cancha e na mídia pois ele é um projeto que colocaria o futebol dos clubes menores do Rio Grande muito próximo das disputas internacionais, colocaria também os clubes menores de toda a Liga Pampa, mais os dois grandes do Uruguai (Peñarol e Nacional) em um novo patamar financeiro. Por último, qualquer perda financeira dos dois grandes do Rio Grande (Grêmio e Internacional) seria naturalmente subtraída pela mais freqüente participação nos torneios sul-americanos, portanto seria rentável para todos os clubes da Cisplatina.

Contudo entretanto todavia, cresce cada vez mais entre os que me contatam a idéia de a Liga Pampa ser pelo menos no começo um substituto das datas do Gauchito e do Clausura, o que também me parece bastante interessante e muito mais viável do ponto de vista dos atuais dirigentes, e tenho certeza que SporTV e Fox brigariam pelo tal torneio, seja no modelo mas abrangente ou no mais cômodo e sucinto.

Qual foi o critério que tu escolheu para elencar os times que participariam da Liga Pampa?
Foi simples, 32 de cada federação, no caso da AUF foi ainda mas simples pois lá só tem 33 clubes profissionais então eu tirei um e pronto. No caso da FGF foi mas complicado pois aqui tem mais clubes profissionais, daí eu fui pelo critério de resultados/tradição e fui escolhendo os clubes, mas que fique claro que eu atualizo a cada seis meses para acompanhar a evolução dos clubes e não causar injustiças.

Por que a Argentina não está inserida na Liga Pampa?
È, no começo de tudo ela estava e o Paraguai também, seria sem dúvida um campeonato sensacional, do porte ou até maior que o próprio campeonato brasileiro, com muitos clubes grandes e muita disputa, mas logo tirei pois eles “argentos” são ocidentais do tal rio e tampouco precisam de revitalização do seu futebol. Isso não vale para os Guaranys e eu nem sei exatamente porque os tirei do projeto, fiquei com uma pena danada pois com 16 clubes na 1ª divisão e os seis grandes (Grêmio, Internacional, Peñarol, Nacional, Olimpia e Cerro Porteño) daria um clássico em cada uma das 15 rodadas. Seria sensacional, mas na realidade tirei porque causa das distâncias e porque envolver mais uma federação seria ainda mais complicado. Mas que fique bem claro que a idéia não é só oriental ela serve para todo o território do Brasil que se sente sub-aproveitado neste vasto império da (Via Dutra).

Se não vejamos, o futebol boliviano é tosco e menos relevante que o de Belém, mas os clubes bolivianos têm sua chance internacional e os paraenses não. Isto vale também para Salvador, Recife e Fortaleza, que ficam totalmente alijadas das disputas e da influência no cenário brasileiro. Se eu tivesse tempo faria um mesmo modelo de liga para os clubes nordestinos, se alguém se interessar o exemplo já foi dado.

Como é para um defensor da garra charrua e da Liga Pampa viver na terra de Olodum e Jorge Amado? As pessoas te atacam na rua, tu atacas ela, como é?
Bueno, é óbvio que existe uma identificação com o pampa e esta só existe pelo futebol. Foi aí que o futebol foi aprimorado nos moldes do “verdadeiro futebol”, que é aquele que foi criado nos “colleges” e organizado nos “pub’s” da Inglaterra e que foi assimilado e também desenvolvido por “carcamanos”,”germânicos” e “platinos” entre outros menos importantes. É isto que defendo, um jogo tático com pouco espaço para o indivíduo e quando este espaço existir que seja para a demonstração de bravura, pois o futebol é coletivo e é por isso que ele é o esporte mais popular, pois ele repete a vida que é difícil e complexa, nestes moldes ele se constituiu e é por isso que é ele o “verdadeiro futebol”, “pois a vida não é um tapete verde, ela é sim um gramado esburacado”.

Como tem sido a reação das pessoas que entram em contato contigo, elas são favoráveis ou contrárias à Liga Pampa?
Seja gaúcho ou charrua os contatos têm sido muy buenos, a integração da banda oriental é uma realidade pelo menos nas mentes dos que nela habitam. Eles questionam até quando tudo isto vai adiante, como se tivesse prazo coisa e tal e é com estes caras que as coisas foram sendo discutidas e aprimoradas, pois quando eu tirei a idéia do papel e passei para a net ela não era tão grande quanto é hoje, ela era fruto de uma reflexão individual e hoje ela é coletiva e portanto melhor que a idéia inicial.

Neste calendário do futebol sul-americano, onde tu encaixaria a Liga Pampa?
Sendo ela aproveitada em sua totalidade, ela teria o mesmo espaço que os outros nacionais têm no atual calendário, com a vantagem de ter além das férias completas um período de treinamentos muito mais longo que o do atual futebol gaúcho.

O vencedor da Liga Pampa disputaria a Libertadores ou iria direto para o Mundial da Fifa?
Claro que seria em La Copa, pois fazemos parte da América do Sul, e as vagas seriam as da AUF, pois esta ficaria sem calendário de clubes e teria que ceder suas vagas à Liga Pampa. É óbvio que algum acréscimo de vagas seria negociado direto com a Conmebol, pois na Liga Pampa estaria onze Copas e oito Mundiais. Eu calculo que ficaria em quatro vagas na Libertadores e quatro na Sulamericana.

Tu pretende levar adiante esta idéia, junto às federações?
Sim, mas não sei nem como e quando esta possibilidade se abriria.

Tu já tomou alguma medida prática para dar andamento à Liga Pampa?
Não, é muito cedo, para tanto seria necessário muito mais tempo para discussão do projeto, para aprimorá-lo.

Como tu faz pra tomar um mate amargo neste calor?
Eu não tomo mate, mas não sou avesso à erva, é que aqui é quente e a ceva desce muito melhor. Serve se for um bom vinho?

De León ou Ancheta?
De León só perde em minha escala de ídolos para o Renato e o Danrlei, sendo que o Danrlei na minha humilde opinião é o jogador mas relevante da história do clube. Claro que o Lara reside no plantel dos mitos.

Ivete Sangalo ou Gildo de Freitas?
asdsaffasgafgskkksdkkkk.

Ambrosia ou tapioca?
Churrasco com acarajé e depois o sanitário!

Higuita, Chilavert ou Montoya?
Chilavert, óbvio!. Ou seria o Vecchi?

Chávez ou Uribe?
Aqui está, se a gente reclama das posições sempre pró americanas que o Brasil toma, a Colômbia é uma verdadeira base estadunidense na América do Sul, sem contar que a sociedade colombiana foi totalmente corrompida pelo tráfico, até “Las FARC” cobra pedágio. Já Chávez tem vários defeitos, porém vem colocando a Venezuela em um sério processo de discussão interna e isto é sempre bueno. Se não vejamos, a dita esquerda brasileira quando questionada sobre qualquer cisão no cenário internacional, logo se coloca como solidária ao fato sempre pelo lado do oprimido, claro. Agora vai falar sobre alguma cisão no território brasileiro pra tu ver, eles declaram o “interesse nacional” acima de tudo, em resumo nossa esquerda é nacionalista e todos sabem que nacionalismo é coisa de burguês velhinho e milico. Portanto, ponto para o colega do “Inhônho, Chiquinha e o Kiko”.

Tu não tem medo de ser taxado de separatista ou, pior, desvairado?
Nem um pouco, normalmente quem coloca algum assunto sério à mesa é sempre tachado de algo e é por isso que a opinião pública não gosta da guerra por exemplo, pois a guerra é um momento de cisão clara, não é possível escondê-la debaixo do tapete. Só é preciso esclarecer que no nosso cotidiano do terceiro mundo se mata mais que nos locais de guerra deflagrada, então seríamos um crime só por existir. “O sistema produz o crime, a ocasião produz o criminoso”, é velha mas é absolutamente verdadeira.

Por que, na tua opinião, a imprensa gaúcha e brasileira fala muito pouco do futebol sul-americano, se ele está aqui do nosso lado?
Bem, no caso brasileiro me parece claro, olha pro mapa e vê a nossa posição imperial quanto ao resto do continente, isto junto à nossa tradição burguesa de se colocar sempre ao lado das posições estadunidenses e nunca de forma clara do lado das proposições sul-americanas, nos distanciam de forma cabal. Já no caso gaúcho vai além, pois falar do lado espanhol significa falar principalmente de “argentos” e “charrúas”, aí reside uma grande problema burguês, pois nestes casos os valores tão apregoados em qualquer vitória ante aos donos do Brasil (SP-RJ), seriam e são minimizados ante os rio-platenses, pois além da fronteira reside o diferente, o oposto, estranho em resumo o estrangeiro. Então, ressaltar as virtudes gaúchas seria se aproximar demais disso e isso é perigoso segundo a visão da nação, isto fica claro pra quem já ouviu um jogo por rádio contra qualquer equipe do Uruguai. Isso só melhoraria se o lado português se dividisse em algumas repúblicas, isto daria uma igualdade de forças no continente, seja na política ou no futebol, imaginem La Copa com uns vinte países para disputá-la, seria sensacional, mas isto não é possível por que nossas elites locais sempre foram acomodadas e acostumadas com o seu quinhão.

FERN, deixa uma mensagem final para a massa que te lê neste momento.
A Liga Pampa é acima de tudo uma possibilidade de pelo menos uma vez na vida os nossos clubes fazerem parte da nossa festa, da festa do nosso futebol!

Entry filed under: Entrevistas.

O que México, Peru e Colômbia querem com a Copa Pede pra sair ou Você está demitido

92 Comentários Add your own

  • 1. Francisco Luz  |  29/01/2008 às 11:39

    Maior pensador vivo. A Liga Pampa sempre terá meu apoio e será minha bandeira.

  • 2. Francisco Luz  |  29/01/2008 às 11:44

    E é incrível que o cara seja mais novo que eu. Minha vida não vale nada, lkjdasdfa

  • 3. Titi  |  29/01/2008 às 11:52

    BRAVO!

  • 4. dante  |  29/01/2008 às 11:55

    “pois a vida não é um tapete verde, ela é sim um gramado esburacado”.

    novo epitáfio pra 2008.

    FERN pra REI DA AMÉRICA.

  • 5. Titi  |  29/01/2008 às 12:04

    OFF

    Douglas!

    Sexta vou pro RJ curtir a folia do Momo, mas ainda quero a Celeste Impedimentistica tamanho G … se ficar pronta deixa guardada, por favor!

  • 6. Cassol  |  29/01/2008 às 12:36

    Se alguma boa alma for possuidora de um gravador Panasonic RR US450, ou souber como manuseá-lo, favor entrar em contato comigo pelo e-mail do Impedimento. Tenho problemas com eletroeletrônicos em geral.

  • 7. fino  |  29/01/2008 às 12:49

    dante, essa frase é do peninha…

  • 8. dante  |  29/01/2008 às 13:40

    foda-se, ouvi do FERN.

    morra, peninha.

    FERN NO PODER!

  • 9. izabel  |  29/01/2008 às 13:42

    muito bom, FERN.

    única dúvida: houve edição do texto, ou ele realmente escreveu na nossa língua?

  • 10. izabel  |  29/01/2008 às 13:46

    calma, dante.
    o que tá acontecendo?

  • 11. Cassol  |  29/01/2008 às 13:51

    Izabel, o FERN escreveu no seu tradicional portuñol esfernântico. Houve uma pequena edição, na qual procuramos preservar o estilo do rapaz. Apenas corrigimos alguns erros de digitação e inserimos algumas vírgulas e pontos, pra que os leitores pudessem tomar fôlego para acompanhar tamanha perspicácia de pensamento.

  • 12. Gustavo  |  29/01/2008 às 14:39

    O pensamento de FERN ocorre em velocidade, no mínimo, 1050x mais rápida do que a digitação, o que explica os erros.

    Além da mente brilhante, ele ainda tem a sorte de morar no lado do Morro de São Paulo.

    Inveja.

  • 13. bruno  |  29/01/2008 às 15:00

    FERN

    me disponho a discutir este projeto, te ajudando a aprimorar o mesmo. acho que, ao contrário da expressão que graças ao Impedimento já se inseriu no meu vocabulário, a Liga Pampa faz TOTAL SENTIDO.

    abrass

  • 14. Eduardo  |  29/01/2008 às 15:16

    Isso q nasceu na bahia, imagina se tivesse nascido em Tacuarembó.

  • 15. Otávio Niewinski  |  29/01/2008 às 15:55

    Não foi o FERN que deu essa entrevista. Provas:
    1) Não tem nenhum CAPS LOCK.
    2) E nenhuma citação nominal ao Pelaipe.

  • 16. Lila  |  29/01/2008 às 16:23

    Otávio, se liga: CASSOL E CECONELLO PODARAM O FERN.

  • 17. Marco  |  29/01/2008 às 16:23

    Acho que a Final da Liga Pampa, deveria ser jogara em Riveira!
    Claro que a Liga vai ter Final né! Um jogo em casa e outro fora…e a final em um jogo só. De preferência no meio do Inverno!

  • 18. Cassol  |  29/01/2008 às 16:27

    Não, Lila, o FERN foi bem mais comedido nas respostas do que costuma ser nos comentários aqui. A edição não mexeu no caroço da verve fernística.

  • 19. Lila  |  29/01/2008 às 16:31

    Cassol, como diria teu CAMARADA REPRESSOR: FERN e comedido não combinam.

    sdkgjhkfhdkjsd

  • 20. mardruck  |  29/01/2008 às 16:54

    Fenomenal!

  • 21. Roger  |  29/01/2008 às 16:54

    Na minha idade já não consigo mais crer em utopias como essa.

    Mas a idéia não é menos do que sensacional.
    Parabéns Fern.

  • 22. Idelber  |  29/01/2008 às 17:18

    Pela liga Pampa-Minas DJÁ!

  • 23. Glória  |  29/01/2008 às 19:44

    Baita Entrevista. Liga Pampa: Grande idéia. Parabéns!

  • 24. Yeda  |  29/01/2008 às 20:04

    Se eu, que sou paulista, vim parar no Piratini, pq um baiano não pode ficar se fresqueando em um estilo “charrua”, como um ventríloco do otário do Peninha, com baboseras que nem o próprio (Peninha) acredita.

    Um baiano cantando essa marra. Bah, era só o que me faltava.

  • 25. Jones Rossi  |  29/01/2008 às 20:11

    Vá te tratar, “Yeda”.

  • 26. FERN  |  29/01/2008 às 21:33

    DEPOIS DE TANTA ESPECULAÇÃO, VAI A PALAVRA OFICIAL:

    ôôôôôôôôôôôô “figo murcho” resolve teu déficite que fica bom!

    Grande Idéia; como disse antes, só trouxe à tona.

    Utopias; quem disse que creio, só acho válidas.

    Lilla; pior que é verdade, lendo agora até eu fiquei surpreso com tanta calma.

    Otávio wodka; costume questionar mas Mr: Odone.

    Marco; tu pegou o espirito da coisa.

    Bruno; tu pegou também.

    Gustavo; pode invejar!

    Izabel; para tanto, me superei.

    Dante; aproveita sorrateiramente as prévias estadunidenses e relança a campanha!

    Fino; jamais negue a fonte, só citei um pouco antes.

    Cassol; divido contigo estes problemas com eletrônicos.

    Titi; ja eu passarei as datas do momo morro de são paulo, que menos afamado que o ridijanêro mas nos propcia façanhas intercontinentais, que maravilha!

    F. Luz; a minha vida também ta uma estagnação só.

    Suellen; como pôde citar o Che?, que diabos de ranking prórpio é este?, no mas não posso reclamar.

    Liga Pampa é acima de tudo a festa do nosso futebol!
    TENHO DITO!

  • 27. Lila  |  29/01/2008 às 22:05

    Titi, traga sombrinha e galochas. Chove miseravelmente e a previsão é de MAIS CHUVA.

  • 28. JB  |  29/01/2008 às 22:13

    Fora a Yeda, todo o mais DO CARALHO!
    Shows do Jorge Drexler antes e do Nei Lisboa no intervalo!

  • 29. General Netto - desiludido com a pátria gaucha, onde até um baiano dá palpite  |  29/01/2008 às 23:28

    Liga Pampa é só sonho por uma simples questão:
    Idéia de um baiano, logo, só vai ficar na idéia, pq até o cara se mexer, o mundo já acabou.
    E também pq cargas d’água vcs acham que os uruguaios iam aceitar isso?

    Vocês realmente acreditam que os uruguaios tem algum respeito por essa falácia que é o Rio Grande do Sul?

    Tirando o pessoal da fronteira, Montevideo e o resto do Uruguai nem estão para o Brasil – lugar ao qual pertence essa bosta de estado, prova disso é que colocou uma paulista no governo.
    Quem já foi pra lá sabe. A tv deles pega canais argentinos, eles sofrem muito mais influência da Argentina em geral. Isto é histórico. O Brasil é um gigante perdido no meio do nada em uma América Latina onde todos falam espanhol, menos o país da paulistada e baianada – sejam essas de raiz, ou radicadas no RS, ou ainda com o “coração gaúcho”. E o RS, desde o tratado de ponche verde logrado graças à Pauli-Cariocada enrustida que ainda hoje infecta o estado, desejou permanecer com estes brasileiros putos.
    Destarte, Liga Pampa é sonho de baiano que não sabe do que está falando. Sonho de um trouxa, que como bom representante de seu estado, acha que a vida é um morango e que o caminho é seguir o livro do também carioca enrustido e gaymista Peninha.

  • 30. Felipe catarina  |  29/01/2008 às 23:45

    Bah (homenagem a vocês), quanto ódio no coração…

    Eu acho a Liga Pampa do caray. Vá em frente, FERN.

  • 31. Egon  |  30/01/2008 às 01:23

    PHODA!!!
    nunca esquecendo do Vitor Ramil pra trilha de qualquer coisa…
    2 fakes reprovando algo… tsc;tsc;

    abrasss

  • 32. dante  |  30/01/2008 às 08:59

    vergonha alheia e profunda ao ver alguém utilizando argumentos ridículos como “Idéia de um baiano, logo, só vai ficar na idéia, pq até o cara se mexer, o mundo já acabou”, “essa falácia que é o Rio Grande do Sul”, “essa bosta de estado, prova disso é que colocou uma paulista no governo”, “estes brasileiros putos”, etc.

    sem falar na covardia do anonimato.

    espero que tenha sido um EQÜINO a escrever isso, não um ser humano.

  • 33. Luís Felipe  |  30/01/2008 às 09:09

    Agora consegui ler a entrevista, maravilhosa.

    Sabe quem poderia patrocinar a Liga Pampa? Uma empresa aérea que fizesse a ponte Montevidéu-Porto Alegre. Agora que os gaúchos estão aproveitando o eldorado charrúa, por causa da moeda, olha o lucro que pode dar!

  • 34. Titi  |  30/01/2008 às 11:00

    Lila … ja fui avisado disso. Recebi um pedido! – Traga o sol!!! Mas aqui comecou a chover tb …

    Mas se o Momo for “duznosso” o sol aparecera!

  • 35. Lila  |  30/01/2008 às 11:30

    Titi, hoje de amanhã até deu uma ensaiada de sol, mas já fechou geral novamente. O que é bem caído, já que toda a diversão carnavalesca carioca pode ser resumida em uma única palavra: BLOCO.

    Não precisava do sol desgraçado do ano passado, mas essa chuva é de desanimar o vivente.

    Lila, a garota-carioca-suburbana-de-sainha-batucada-digital do tempo.

  • 36. dante  |  30/01/2008 às 13:56

    “Lila, a garota-carioca-suburbana-de-sainha-batucada-digital do tempo.”

    a lila tá TODA-TODA em 2008, hein? lçdasksadlkç

  • 37. Lila  |  30/01/2008 às 13:58

    é a influência maligna do carnaval, dante. já passa.
    askjhskjhda

  • 38. izabel  |  30/01/2008 às 14:52

    assino embaixo do comentário 32 do dante.

    e carnaval com chuva é bom igual, Lila e Titi. talvez até melhor.
    pelo menos lá em salvador era assim.
    aqui em sampa não tem carnaval, mas tá sobrando chuva também. chato demais.

  • 39. Lila  |  30/01/2008 às 15:22

    Bel, eu passo o carnaval de peruca o tempo todo, logo chuva não é legal. E estraga a chapinha e não tou numa vibração BETÂNIA nesse momento = P

  • 40. Titi  |  30/01/2008 às 15:30

    Estarei pelos blocos na rua com qualquer tempo … eu pretendo pegar uma praia, se o sao pedro colaborar!

    Valeu “Lila, a garota-carioca-suburbana-de-sainha-batucada-digital do tempo.”

  • 41. Lila  |  30/01/2008 às 15:44

    Titi, nos blocos mais ráipados (Simpatia, Carmelitas, Banda de Ipanema, Bola Preta) cuida com os carinhas da tequila, eles meio que são distrações pro povo que curte um furto. Outra parada: evite a muvucada do meio dos blocos, outro foco de gente querendo ganhar um celular aqui e uma graninha descompromissada ali.

  • 42. FERN  |  30/01/2008 às 16:09

    e o Neto mostrou que todo milico é idiota.

  • 43. FERN  |  30/01/2008 às 17:40

    pra quem tem idéias na cabeça e queira compartilhar:

    fernmarxsista@yahoo.com.br

  • 44. Aldo  |  30/01/2008 às 17:48

    Olha vou expressar o meu comentário desde o ponto de vista uruguaio.
    Tirando as expressões chulas vertidas pelo senhor anônimo, é verdade que o Uruguai não está nem aí para o RS (tirando a parte norte que faz fronteira com o RS, Artigas, Rivera, etc)

    No Uruguai qualquer piá sabe quem foi o campeão da 3ª divisão na Argentina, mas não tem nem ideia de quem joga no inter ou no Grêmio, nem falar de times mais ao norte tipo Pernambuco, Pará , etc.
    Ou seja que a ideia do Fern, que tem algum ponto que outro positivo está fadada ao fracasso, uruguaio nenhum vai querer dividir seu campeonato com brasileiro (para nos uruguios gaucho é brasileiro também, não diferencia de um baiano), assim que está fadada ao fracasso.

  • 45. Marcio  |  30/01/2008 às 18:05

    Também militarei pela Liga Pampa. Desde já sugiro negociações com a PLUNA, negociando o patrocínio da competição.

  • 46. FERN  |  30/01/2008 às 18:15

    concordo com algumas de suas proposições, pero os que me contatam direto de montevideo inclusive enxergam com bons olhos a ideia, certo

    Marcio é mas um soldado!

  • 47. Aldo  |  30/01/2008 às 18:23

    Plha Fern, eu já escutei uma ideia de Nacional e Peñarol ir jogar no campeonato Argentino, mas duvido que alguém acho uma boa ideia nacional e Peñarol,(mesmo neste momento contando com times péssimos) irem jogar contra o São José de POA ou o Brasil de Pelotas.
    na boa Eu gosto muito do Brasil e toudo o mais, mas a maioria dos uruguaios não diferencia os gaúchos do resto do Brasil, o que invalida a idéia. Seria como uma traição.

  • 48. Aldo  |  30/01/2008 às 18:26

    Para exemplo basta ver a escassa repercussão que tua idéia teve nas comunidades uruguaias do orkut, tipo a de Montevideo e Uruguay, ninguém respondeu favorávelmente à ideia. Aliás tem gente que nem gosta de que tu postes essas ideias nas comunidades.

  • 49. Luís Felipe  |  30/01/2008 às 19:14

    No Uruguai qualquer piá sabe quem foi o campeão da 3ª divisão na Argentina, mas não tem nem ideia de quem joga no inter ou no Grêmio

    pelo jeito, é mais fácil unir a liga de futebol de CORRIENTES com a federação gaúcha.

    nas cidades de fronteira argentina, ali para as bandas de Santa Fé, as crianças já estão torcendo para a dupla grenal. Quem disse isso foi Alexandre Aguiar, num simpósio sobre marketing esportivo. Eu não fui, mas li a repercussão numa coluna do Hiltor Mombach.

  • 50. Flávio  |  30/01/2008 às 21:15

    No início da década, cogitaram de fundir os campeonatos de Portugal, Holanda e Bélgica num só, para tentar fazer frente às ligas mais ricas. Não deu em nada.

  • 51. General Netto - desiludido com a pátria gaucha, onde até um baiano dá palpite  |  30/01/2008 às 23:31

    “uruguaio nenhum vai querer dividir seu campeonato com brasileiro (para nos uruguios gaucho é brasileiro também, não diferencia de um baiano)”

    Exatamente pela corja que quer entregar o estado aos forasteiros infectar o RS desde a os primórdios até atualmente – Yeda (Paulista), Brito (casado com uma baiana) é que o RS não logrou sucesso na sua independência, coisa que o Uruguai logrou. Por isso que gauchismo não existe mais. O RS é uma farsa. Existe uma resistência. Mas desde a traição da cariocada enrustida de 1845 o RS é Brasileiro. E escolheu ser assim. Por isso que não tem diferença em relação a Baianos.

    O que é lastimável é que essa corja exista e tenha feito essa escolha. E lastimável que o cúmulo disso é um baiano se fresqueando com idéias do Peninha.

    A prova disto é o pensamento que o castilhano nos passa.

    “Eu gosto muito do Brasil e toudo o mais, mas a maioria dos uruguaios não diferencia os gaúchos do resto do Brasil, o que invalida a idéia. Seria como uma traição.”

    Traição por ser o império Brasileiro um bando de portugueses safados que ficaram incomodando até tomar uma tunda de laço definitiva na guerra da cisplatina. E o RS, quando lutou contra este império, cedeu, e cedeu pq muitos daqui se bandearam para o outro lado. Logo, são brasileiros, e o no Uruguai nunca serão aceitos com esta cordialidade. O q eu entendo ser correto, pq
    um povo que tem dois pesos e duas medidas. Que comemora uma revolução na qual foi derrotado, justamente pelos mesmos que agora põem uma paulista no poder, não é confiável, é igual ao resto do Brasil, e não tem que ser bem acolhido em idéias esdruxulas como essas.

  • 52. Francisco Luz  |  31/01/2008 às 00:27

    Não sabia que existia internet em 1840. Puta la merda.

  • 53. Flávio  |  31/01/2008 às 08:33

    “No Uruguai qualquer piá sabe quem foi o campeão da 3ª divisão na Argentina, mas não tem nem ideia de quem joga no inter ou no Grêmio”.

    A recíproca é verdadeira. É mais fácil um gaúcho saber quem é o terceiro goleiro do Chelsea do que citar um titular do Nacional ou do Peñarol.

  • 54. Luís Felipe  |  31/01/2008 às 08:46

    General Netto, o original, não era assim tão intolerante. Mas parabéns pelo conhecimento histórico.

  • 55. dante  |  31/01/2008 às 08:51

    “Exatamente pela corja que quer entregar o estado aos forasteiros infectar o RS desde a os primórdios até atualmente – Yeda (Paulista), Brito (casado com uma baiana)”

    é, o RS “é uma farsa” PORQUE O BRITTO É CASADO COM UMA BAIANA.

    claro.

    óbvio.

    cristalino.

    aham.

  • 56. Lila  |  31/01/2008 às 09:37

    Eu acho mó maneiro ser brasileira. Especialmente na hora de brincar de war. huahahhahahahha

  • 57. Flávio  |  31/01/2008 às 09:44

    O Netto perdeu sua alma…

  • 58. Aldo  |  31/01/2008 às 11:11

    “No Uruguai qualquer piá sabe quem foi o campeão da 3ª divisão na Argentina, mas não tem nem ideia de quem joga no inter ou no Grêmio”.

    A recíproca é verdadeira. É mais fácil um gaúcho saber quem é o terceiro goleiro do Chelsea do que citar um titular do Nacional ou do Peñarol.”

    É verdade isso também, ninguém sabe no RS quem é o nº 9 de Nacional ou Peñarol, por isso digo que a idéia não pode ser bem sucedida.
    Por que pra os uruguaios (não os que moramos no Brasil que nem eu ou os da fronteira, mas a imensa maioria) do Chui pra cima é tudo igual, é brasileiro e ponto.

  • 59. dante  |  31/01/2008 às 11:31

    bom, só a título de leve comparação, vocês já devem ter recebido aqueles spams falando de antigos inventores/cientistas/PROFETAS [kasdjjksdal] que foram sempre censurados e criticados por suas idéias revolucionárias, de thomas edison e graham bell a bill gates e steve jobs.

    o pior tipo de imposição é aquela que mata uma idéia antes que ela nasça.

    pode ser que vocês NÃO GOSTEM da idéia, o que é um ponto bastante aceitável. mas querer que ela MORRA antes de TENTAR VINGAR é sacanagem.

    se não quiserem pensar positivo, pelo menos façam críticas construtivas, e não o famigerado “isso tem tudo pra dar errado”.

  • 60. Aldo  |  31/01/2008 às 11:35

    Discordo da colocação acima.

    Eu não disse que não gosto da idéia (na verdade até acho folklórica), eu estou apontando fatos objetivos que vão ao encontro frontal à idéia tal e como planteada, pois a mesma parte de um presuposto falso, qual seja a identificação cultural e histórica entre os povos do RS e Uruguai, coisa que não é tão assim(há uma pequena identificação cultural, mas como já expliquei e não vou repetir para a imensa maioria dos uruguaios do Chui pra cima é todo brasileiro sem distinção). Só isso.

    eu da minha parte não estou matando a idéia de ninguém.

  • 61. FERN  |  31/01/2008 às 12:39

    ALDO, VAI AÍ OUTRA RECÍPROCA VERDADEIRA, NA ARGENTINA NINGUÉM TÁ NEM AÍ PRO URUGUAY.

    MAS COMO É BOM CAUSAR UMA DISCUSSÃO, NO MEU PONTO DE VISTA A LIGA PAMPA JA ESTÁ CUMPRINDO O SEU PAPEL!

  • 62. FERN  |  31/01/2008 às 12:53

    ahh e no orkut a resistência aconteceu sempre na comu Uruguay e mesmo nela, no começo foi animador mas depois até pela quantidade de posts meus ele achavam que era spam, agora la mesmo ja parece entrar em uma fase de mas diálogo e civilidade.

    agora uma idéia que sem divugação alcança quase 400 votos em 4 meses e eu tenho contatos inclusive de Montevideo que são positivos, é absolutamente animador, mas eu te entendo estas certo em parte.

    NUNCA QUIS QUE FOSSE FÁCIL E NÃO SERÁ!

  • 63. dante  |  31/01/2008 às 12:53

    aldo: o fato de NÃO HAVER uma identificação [o que, em parte, eu discordo – mas, enfim] pode ser um argumento FAVORÁVEL à idéia, em tempos de “globalização” e “extinção de fronteiras”. estamos agora falando de um espectro um pouco maior.

    não sei de onde tu és, mas aqui no sul acontecem alguns intercâmbios culturais com os países do mercosul. tudo com um objetivo de uma maior integração no médio/longo prazo. neste sentido, a liga pampa teria um fundamento: não há essa identificação? taí uma boa chance de desenvolvê-la. isso não é nem um pouco prejudicial a nenhuma das culturas, ao contrário. acho que já passamos da época do “argentino é tudo canalha” ou qualquer coisa do tipo [afinal, todos sabemos que os canalhas mesmo são só os argentinos de buenos aires – sdlçksadk]. ok, brincadeirinha.

    o que não dá é ler argumentos do tipo [percebi que não é o teu caso, mas não quero deixar passar a oportunidade] “a liga pampa jamais funcionará porque a esposa do britto é baiana” ou qualquer asneira dessas.

    convenhamos.

  • 64. FERN  |  31/01/2008 às 12:58

    DANTE DECLARA GUERRA A BsAs?

  • 65. dante  |  31/01/2008 às 14:06

    não, eu gosto de lá – do pouco que me lembro, fui quando era JOVEM. dslçkaj

    declaro guerra às mentes embotadas.

  • 66. Aldo  |  31/01/2008 às 15:39

    Sim Dante eu sei que o argumento “A esposa do Britto era baiana ” é esdrúxulo. E espero que o que estou tentando colocar aqui não seja entendido nesse sentido.
    Estou tentando passar a vocês a visão do lado uruguaio, de como seria compreendida a idéia por lá. Agora eu moro no RS, mas nasci em Montevideo, e morei sempre no sul do Uruguai. E é por isso que me acho capacitado para dizer que ela não será bem recibida.
    O Brasileiro (e o Argentino às vezes também) teima em não reconhecer que o Uruguai, mesmo pequeno, é uma nação independente. Então por que iria se misturar seu campeonato com o de RS?? Com uma região om a qual não sente laços históricos profundos?? Com o país que sempre foi visto como o inimigo?? O Invasor??

    E nâo me venham falar da cultura do Pampa e todo isso que não cola. Isso só está na cabeça dalguma pessoas do RS, no Uruguai não há essa identificação.
    E o argumento da “Globalização” eu o entendo, mas não tem nada a ver com futebol que é movido a paixão, não tem nada a ver, mesmo eu sendo ferrenho defensor dessa idéia.
    vamos a ver, eu não são contra a idéia em sim, somente estou fazendo o papel de advogado do diabo mostrando como sria vista a idéia do lado Uruguaio, e com certeza posso dizer que não vai deslanchar.
    Misturar o futebol uruguaio com o brasileiro para um uruguaio é a mesma coisa que devolver a Colônia do sacramento ou coisa parecida , é uma questão de independência e orgulho nacional.
    E volto a dizer, mesmo que lhes custe a entender o uruguai é uma nação independente e não morre de vontade de se juntar nem com o Brasil nem com a Argentina como de ambos lados pensam. Se lutaram mais de 100 anos para lograr a independência. Aqui estiveram os espanhois, os ingleses, os portugueses e depois os brasileiros e os argentinos e todo mundo teve que sair .

  • 67. Aldo  |  31/01/2008 às 15:59

    Ah, tinha me esquecido de comentar que gostei que na página esteja a foto de Obdulio Varela pegando a taça Jules Rimet.
    Valeu.

  • 68. izabel  |  31/01/2008 às 16:12

    “declaro guerra às mentes embotadas.”
    que lindo. ehhhhhe

  • 69. dante  |  31/01/2008 às 16:46

    não vem puxar o saco, bel.

    [brincadeirinha, querida]

    ok, aldo, muito legal tua visão, especialmente por estar mesmo capacitado pro assunto.

    mas note este detalhe que tu mesmo mencionou a respeito do varela: não é sintomático que o impedimento, que está locado no brasil, “o melhor futebol do mundo”, tenha feito essa “homenagem” ao futebol uruguaio, que está em “decadência”? por aqui temos vários leitores “formadores de opinião” [desculpem, foi uma semi-piada] que estão aptos a mudar essa mentalidade. por que não?

    como disse o FERN, só por promover o debate a idéia já é sensacional.

  • 70. Aldo  |  31/01/2008 às 17:19

    Nada contra o debate, nem contra as utopias. só quiz deixar registrado meu ponto de vista, que acho que é bem particular por ser um uruguaio que mora no RS há um bom tempo (naturalizado até).

    E para finalizr uma frase de Sábato (que é argentino, mas resume o intuito da questão):

    “…Solo quienes sean capaces de sostener la utopia, serán aptos para el combate decisivo, el de recuperar cuanto de humanidad hayamos perdido.”

  • 71. Flávio  |  31/01/2008 às 17:30

    Creio que a admiração seja mais pelo Uruguay mítico (Celeste Olímpica, Maracanazo, Peñarol de Pedro Rocha e Spencer, Nacional de Cubillas e Ancheta) do que pelo futebol uruguaio atual. Basta ver que o post sobre os representantes uruguaios na Libertadores morreu nos sete comentários. Na boa, a Liga Pampeana pode ser vista com a simpatia que todas idéias folclóricas e quixotescas merecem, mas ela não passa disso. Se por um milagre esse campeonato saísse do papel, Inter e Grêmio só teriam a perder com ele. O dinheiro da Globo hoje é vital para os clubes daqui, por mais injusta que seja a divisão das cotas. Sem essa grana, a pindaíba imperaria. Sem falar nos outros patrocínios que fatalmente minguariam num torneio de menor visibilidade. A competitividade da dupla, sem o intercâmbio e o enfrentamento periódico contra os times do Sudeste, também diminuíra. Não sei se disputar a Libertadores com mais freqüência compensaria. Vejam o Nacional, o Cerro e o Bolívar, que jogam a Copa quase todo ano mas nunca com chances reais de conquistar o título. Outra coisa, a identificação com o futebol platino de força-raça-garra-marcação é mais coisa de gremista do que de colorado. O gremista típico seca a Seleção Brasileira (e todo e qualquer time brasileiro) e idolatra volantes de contenção, centroavantes trombadores e beques de fazenda. E é legal que seja assim. Essa é a identidade gremista, tão bem retratada pelo Peninha (ainda que de forma exagerada e caricata) no seu livro sobre o clube. O Inter é outra coisa, embora alguns colorados insistam em tentar enquadrar seu time no mesmo figurino gremista. O Inter também tem esse lado da força e da raça, é claro, mas o lado Rolo Compressor, a “Academia do Povo”, se impõem. Se não na prática (hoje o Inter, assim como quase todos os times brasileiros, é herdeiro do Grêmio 95-96), ao menos nos corações e mentes dos torcedores.

  • 72. Flávio  |  31/01/2008 às 17:32

    Correção: Cubilla.

  • 73. Aldo  |  31/01/2008 às 17:39

    Já ia corregir, por que Teofilo Cubillas( com “S” no final ) era peruano.

  • 74. Flávio  |  31/01/2008 às 17:42

    Sim, o uruguaio era Luis Cubilla.

  • 75. FERN  |  31/01/2008 às 22:15

    concordo em muito com o Aldo, Flávio e Dante, mas minha admiração pelo futebol Charrúa é total, irrestrita e atuallíssima, quem me acompanha por aqui sabe que sou trocedor do Grêmio e de La Celeste e este sentimente é absolutamente verdadeiro!

  • 76. Flávio  |  31/01/2008 às 22:25

    Um país com população inferior à da Região Metropolitana de Porto Alegre que conquistou duas Copas do Mundo, não sei quantas Copas América, duas medalhas de ouro olímpicas, oito Libertadores, seis mundiais de clubes… Mesmo que nunca mais ganhe nada de relevante, o futebol uruguaio pode ser considerado o mais bem-sucedido da história.
    Para encerrar:
    http://esporte.uol.com.br/futebol/ultimas/2008/01/31/ult59u144729.jhtm

  • Pode me xingar pelo “Brito casado com uma baiana”. Mas o fato é que o castilhano ratificou o que eu disse. Claro que não ratificou as minhas opiniões sobre Brasileiros, a cariocada enrustida daqui, uma paulista no Piratini.
    MAs ratificou o que eu havia dito acerca do que pensam os uruguaios sobre Brasileiros (e Gaúchos também, pois estes escolheram (é verdade que por influência suja de uma pauli-cariocada que ainda habita esta terra, mas escolheram) ser Brasileiros.

  • 65. dante  |  31/01/2008 at 14:06

    “declaro guerra às mentes embotadas”.

    Mentes embotadas pra ti, cosmopolita trouxa.

    Vai ver se no Uruguai, por exemplo, iriam aceitar uma primeira-dama forasteira. Olha na França o barulho que estão fazendo por causa de uma forasteira (Italiana) se tornar primeira-dama.

    É nessas de achar que estamos na época de globalização que os de fora com mais recursos vão “ENGLOBANDO” os mais fracos. Começa com a primeira-dama, vai depois pra Governadora.

    Por fim um dado histórico: Hitler, austríaco, presidiu a alemanha, deu no que deu.

    O que eu quero dizer é o seguinte. Para as mentes “abertas” é que esse papo de Liga Pampa é uma falácia, pelo que já disse o ALdo. O RS é uma falácia. Virou uma filial de SP. Não adianta ficar com esse papo de identificação, isso é balela. Se tu põe uma paulista no poder, como tu pode falar em tradição, pra chegar nos uruguaios e querer fazer um campeonato. Só gaymista trouxa pra achar que os uruguaios se identificam com o Gremio.

    Ps: Flávio, tu só pode estar de brincadeira. Time de força, que idolatra volantes de contenção. Papo furado. PQ quando o Ronaldinho gaúcho jogava aqui, deu lençol no Dunga, e coisa e tal. Eu não via nenhum constrangimento por parte da gremisatada em idolatrar o cara.
    Centroavantes trombadores. Tirando o Jardel, qual outro desse tipo deu certo nos ultimos tempos. Na história tiveram alguns. Mas houve o Gessy – perdoem a grafia, se estiver errada – e ele era habilidoso. Quem conhece a história do Gremio sabe disso. O próprio palhaço do Renato Portaluppi. Era trombador, mas jogava muito. Então esse papo é papo de bicha loca, papo de Peninha.

    E também não dá pra aceitar o seguinte. Dizer que todo o colorado sonha com a academia do povo é palhaçada. Com os apregoadores da academia do povo, o Inter sempre caía na Libertadores. O pragmático e ídolo Enio Andrade foi lá e levou o colorado pra final da Copa, contra o Nacional base da seleçao uruguaia. Então che, Pô, mais atinência aos fatos gurizada. Sem utopias, generalizações e senso comum (achar que todo colorado gosta de time de balé que o Gremio é o time da pancadaria.

  • 79. Flávio  |  01/02/2008 às 08:31

    Netto sem alma,

    Eu mesmo defini a teoria do Peninha como exagerada e caricata. É claro que o Grêmio teve estilistas como Aírton, Gessi e Sérgio Lopes, cracaços (e ídolos) como Renato e Ronaldinho. Revelou recentemente Anderson e Lucas. Mas o gremista tem sim essa coisa de idolatrar volantes de contenção (vide Sandro Goiano; pô, até Otacílio e Capitão Oliúde enganaram um tempo no Olímpico!) e de exigir um time de “pegada”. Essa tradição vem desde a época do Foguinho e se institucionalizou como a cara definitiva do Grêmio na Era Felipão. O gremista é o único torcedor de time grande que não chia quando o técnico escala quatro volantes. O Inter também teve seus volantes de contenção, mas historicamente, com raras exceções (Caçapava e Dunga), esse tipo de jogador sempre sofreu restrições da torcida colorada. Exs.: Ademir Kaeffer, Aírton Caixão, Anderson Papoula, Reginaldo Paulada, Clayton. Edinho, mesmo sendo um jogador passável, é detestado por quase todo colorado. E Ênio Andrade, embora formado na escola gaúcha e fiel a alguns de seus preceitos, nunca foi um retranqueiro. O Inter de 79/80 tinha Batista, Falcão, Jair, Valdomiro (Tonho), Bira Burro e Mário Sérgio. O Grêmio de 81/82 era Vilson Taddei, Paulo Isidoro, Tarciso (Renato), Baltazar (Tonho), Odair.

  • 80. dante, o cosmopolita trouxa  |  01/02/2008 às 09:05

    esse netto é um fanfarrão.

    falaí então sobre este time vendido do inter campeão da libertadores 2006, que não tinha nenhum gaúcho.

    no mais, a carapuça ficou ótima.

  • 81. Luís Felipe  |  01/02/2008 às 09:56

    Vai ver se no Uruguai, por exemplo, iriam aceitar uma primeira-dama forasteira.

    Netto, eu sei que tu morreu no meio da revolução, então não deve saber de algumas coisas.

    Por exemplo: na carteira de identidade da Yeda, da mulher do Britto e na minha, está escrito: NACIONALIDADE BRASILEIRA.

    A idéia de vocês era ótima, mas infelizmente não vingou. Sinto em lhe informar isto, deve ser duro. Mas o Rio Grande do Sul não é um país independente como vocês sonharam. E ninguém precisa de passaporte para atravessar o Mampituba.

  • 82. Flávio  |  01/02/2008 às 09:57

    Acho que Sobis e Tinga, por sinal, os dois melhores do time, eram gaúchos.
    E o Grêmio vice da Libertadores ano passado também era cheio de “forasteiros”.

  • 83. Luís Felipe  |  01/02/2008 às 10:00

    sobre esa história de tipo de jogador adorado pelo Grêmio ou pelo Inter, tenho lá minhas dúvidas.

    algum gremista reclamava daquele time que ganhava e dava espetáculo, com Cuca, Valdo e Assis?

    algum colorado reclama do time dedicado e cumpridor, sem brilho, que amordaçou o Barcelona em dezembro de 2006?

    existe muita lenda, mas acho que torcedor gosta mesmo é do time que ganha.

  • 84. Flávio  |  01/02/2008 às 10:41

    Sim, mas existe uma identidade (em parte lenda, mas ainda assim embasada na história). Teve o GrêmioShow do Ruralito-88 e o time do Tite em algumas partidas de 2001 (lembro especialmente de uma goleda sobre o River Plate na Copa Mercosul) que praticou um jogo bonito e ofensivo. Mas sempre associamos o Grêmio à força, raça e retranca. O Inter não chega a ser um bastião do futebol-arte ou um time tradicionalmente de toque de bola (como Cruzeiro, Santos e Flamengo), mas tem uma tradição maior de, digamos, ofensivismo. O grande charme do Gre-Nal do Século (de certa forma, uma vitória de Pirro) foi, além da quebra do tabu de trocentos clássicos sem vencer o rival, ter vencido com um jogador a menos e quatro atacantes.

  • 85. Lila  |  01/02/2008 às 11:08

    E ninguém precisa de passaporte para atravessar o Mampituba.

    Atualmente, nem pra Argentina e Uruguay…

  • 86. dante  |  01/02/2008 às 11:56

    “Acho que Sobis e Tinga, por sinal, os dois melhores do time, eram gaúchos.”

    fato, flávio.

    me enganei. eu quis dizer campeão mundial, não da líber. ali não tinha gaúchos.

    sem contar os estrangeiros que estão atualmente jogando no inter. e são vários.

  • 87. FERN  |  01/02/2008 às 20:09

    cuidado pra virar Clássico de várias séries.

  • 88. raphael  |  05/02/2008 às 19:26

    chega a ser loucura desse cara querer fazer esse campeonato. se ligou apenas em saber o número de equipes uruguaias que jogam campeonatos, mas mal sabe a situação econômica de cada um, pra começar. um cara que planeja tamanha revolução tem que fazer um estudo aprofundado, e não ficar brincando de organizar campeonatos. é o tipo de cara que deve achar que o francescoli ainda joga na seleção uruguaia.
    outro ponto é que chega a ser ridícula a idéia de alguns de querer aproximar o rio grande do sul com o uruguai, patético mesmo, coisa de recalcado.
    e bom, pra terminar, esse cara vive de spam pelo orkut, e até hoje nenhum uruguaio deu respaldo pra esse cara. na mídia gaúcha e do orkut ele até pode ter credibilidade, mas quero ver se no uruguai ele vai ser levado a sério. claro que não.
    eu só espero que esse cara se toque, porque rola uma vergonha alheia gigante o cara querer colocar juventude e danubio no mesmo patamar…

  • 89. FERN  |  08/02/2008 às 12:49

    raphael, sei de La Celeste e do fútol uruguayo mas do que vc pensa e a equiparação destes clubes se dão para o carcter financeiro da questão não futibolisco, não vem tirar uma de o sibichão do ponto não que tu não es, certo e outra não é nenhuma vontade de unir o RS ao URU, é sim uma proposta de liga para os clubes do território certo e esta poderia ser desenvolvida de várias formas, não só as propostas por minha pessoa, viu, tu ja perdei algum tempo em assistir ou ouvir jogos de La Celeste ou de clubes do URU, saiba que o faço constantemente, e da 1ª vez que uma publicidade tipo spam em veiculo de mídia utrugayo, a resposto em votos no site foi muy positiva, o que não quer dizer que seja fácil, normal ou rasoável aos Charrúas, mas simplesmente pereceu viável a eles e outra não existe nenhum impozição de cumprimento da idéia ela surgio e foi se desenvolvendo inclusive com opiniões charrúas e ficou assim se daí ela se elevar em relevancia só o povo pode decidir, mas respieto algumas de suas proposições

  • 90. Daniel  |  02/03/2008 às 21:54

    Wannabes portenhos-charruas em polvorosa.

    Precisam vencer campeonatos para ter algo melhor para postular. Ou, melhor, sair campeão.

    Nã nã nã nã.

  • 91. capitão nascimento  |  06/04/2008 às 05:02

    esse fern é um fanfarrão
    ñ guenta ver um homem uruguaio
    bicha loca

  • 92. imenezes  |  09/10/2008 às 11:50

    Joelzinho vive!!!!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Subscribe to the comments via RSS Feed


Especial – Libertadores 2011

A bola da ImpedCopa

Toco e me voy

Feeds

web tracker

%d blogueiros gostam disto: