A moral de tudo

22/12/2007 at 11:29 12 comentários

Estamos encerrando o mês de julho de 1902 no Uruguai. Acontece uma reunião entre a direção principal do Albion Football Club, e um grupo dos seus jogadores, encabeçados por Enrique Sardeson. Nada mais ilustrativo que deixar falar os próprios atores.

SARDESON: Bem, senhor. Desde a última vez que nos falamos, dois anos se passaram. Por isso, todos temos muito presente aquele momento. Você era dirigente do Albion e nós éramos jogadores: uns da primeira, outros da segunda. O real, o contreco, o que não se pode ignorar, é que os irmãos Céspedes, Nebel, Cuadra, Bouton Reyes, Castro e outros jovens, tiveram que sair do clube. Se foram para o nacional, por que não podiam continuar atuando no segundo quadro. Agora estão jogando bem no Nacional, demonstrando o quanto valiam antes no Albion.

DIRIGENTE: A comissão nunca ignorou suas qualidades.

SARDESON: Sem dúvida, negaram o primeiro quadro a eles, enquanto se mantinham neste quadro homens pesados, talvez cansados, e muito lentos.

DIRIGENTE: Os jovens querem tudo depressa…

SARDESON: Mais que a pressa, era a reclamação de uma necessidade imperiosa. Outros companheiros, assim como eu, pedíamos a sua inclusão no time titular.

DIRIGENTE: A Comissão Técnica não entendeu assim.

SARDESON: E assim foi, senhor, o Nacional cresceu, e nós nos apequenamos. Isso foi uma verdade incontestável; agora, acontece o mesmo.

DIRIGENTE: Essa é a SUA opinião. Agora, a Comissão não vê como vocês, e é quem tem a responsabilidade do clube.

SARDESON: De fato, senhor. A responsabilidade é de vocês. Mas não tenho dúvidas que nós estamos com a razão. Por isso, e voltando ao motivo da visita, aquele fato completa dois anos. Ficamos bem chateados, mas aceitamos. Hoje, porém, diante da reiteração, nós que estamos aqui e outros companheiros, não aceitaremos. A visita é para anunciar a nossa renúncia coletiva. Fundaremos um novo clube, e neste colocaremos as nossas vontades futebolísticas.

DIRIGENTE: Mas…vocês sabem o que é montar um novo centro esportivo? Sabem o que significa colocar todos os elementos que vocês desfrutam no Albion, sem preocupações?

SARDESON: O que sabemos é que temos uma idéia concebida, e estamos decididos a colocá-la em prática.

DIRIGENTE: Vocês têm camisetas, campo para jogar?

SARDESON: Não.

DIRIGENTE: Calções…sapatos…vocês têm dinheiro?

SARDESON: Não…também não. O que temos é um espírito livre que nos impulsiona. Sentimos amor pelo esporte, e temos a segurança de seguir fazendo amizades, o que no fim das contas, é que mais nos interessa.

DIRIGENTE: Pero…qué muchachos! Se vocês não tem nada, vão ficar vagabundeando. Vão permanecer errantes, uns boêmios. Como se diz na minha terra, serão uns “wanderers”. No fim das contas, acho que vocês estão equivocados, que estão fazendo tempestade em copo d’água. Mas eu gosto da juventude decidida, idealista, segura de si. Mesmo que, por esses motivos pequenos, pela forma que estão tratando o assunto, vocês vão ficar delirando e vagando como os “wanderers” do meu país.

contra-nacional.jpg

Assim foi criado o Montevideo Wanderers Football Club, baseado no apelido pejorativo do dirigente albionista. Hoje, o Albion disputa a Liga Metropolitana (a primeira divisão amadora do Uruguai) e os Wanderers estão na pré-Libertadores. Graças a esta história, os torcedores do alvinegro uruguaio se auto denominam “los vagabundos”, e o clube tem o apelido de “los bohemios”. Obdulio Varela, Bengoechea e Andrade são alguns dos atletas que jogaram no time dos desocupados. Assim se fazia o futebol nos bons tempos.

Contribuição enviada por Luís Felipe dos Santos. Este diálogo consta no site oficial do clube.

Entry filed under: Contribuições.

Mengo? Parrillada

12 Comentários Add your own

  • 1. Francisco Luz  |  22/12/2007 às 14:34

    Ninguém fala de futebol como os uruguaios.

  • 2. mardruck  |  22/12/2007 às 15:55

    Só por essa história merece ser campeão da Libertadores 2007.

  • 3. FERN  |  22/12/2007 às 21:55

    e o che ali do trapo não seria o Pablo Garcia?

    Francisco, é por que em si tratando de futebol o mundo é uma periferia que gira em torno de Montevideo.

  • 4. Larápio do Sanchotene  |  23/12/2007 às 15:48

    FERN,

    É o próprio. O Pablo García surgiu no Wanderers…

  • 5. gritodanacao  |  23/12/2007 às 18:51

    Será que Adriano tem jeito??? Mal se apresentou ao São Paulo e já é visto bebendo em balada. lei a matéria completa clicando no link.http://gritodanacao.wordpress.com/2007/12/24/adriano-mal-se-apresentou-ao-sao-paulo-e-ja-e-visto-bebendo-em-balada-no-rio-sera-que-tem-jeito/

  • 6. gritodanacao  |  23/12/2007 às 18:52

    Será que Adriano tem jeito??? Mal se apresentou ao São Paulo e já é visto bebendo em balada. lei a matéria completa clicando no link.
    http://gritodanacao.wordpress.com/2007/12/24/adriano-mal-se-apresentou-ao-sao-paulo-e-ja-e-visto-bebendo-em-balada-no-rio-sera-que-tem-jeito/

  • 7. FERN  |  23/12/2007 às 20:39

    Merchan Neves!

    valeu Larápio foi só pra confirmar se eu ainda enchergo direito.

  • 8. Larápio do Sanchotene  |  27/12/2007 às 09:15

    FERN, e eu que sei ser o Pablo García, só vejo o Fôfomeno naquela faixa…

  • 9. vitorvec  |  29/12/2007 às 14:12

    Meu histórico time de botão, de alguns sucessos no Gremio Futebol de Mesa, era o Wanderers.
    Ainda tenho o conjunto de ‘camisas’ dos botões guardado.

  • 10. Servando Balsemao  |  10/03/2008 às 18:13

    También comenzó su rica história en el futbol Enzo Francéscoli.
    Saludos a todos.

  • 11. douglasceconello  |  10/03/2008 às 18:30

    Saudações!

    Já homenageamos Enzo em um post. Este aqui:

    http://www.insanus.org/impedimento/arquivos/2006/05/vultos_sulameri_10.html

    Grande abraço e volte sempre.

  • 12. Servando Balsemao  |  10/03/2008 às 19:17

    Muchas gracias, exelente homenaje, pero si clasificamos a la copa del mundo de 2002 sin el, lo único que si se reclama era la falta de glória a nivel mundial, teniendo en aquella generación, grandes jugadores como Ruben Paz, Da Silva, Darío Pereira, Rodolfo Rodriguez, Hugo de León, Venáncio Ramos, Carlos Aguilera, Nelson Gutiérrez, Victor Diogo, Barrios, el propio Enzo y tantos otros mas.
    Saludos.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Subscribe to the comments via RSS Feed


Especial – Libertadores 2011

A bola da ImpedCopa

Toco e me voy

Feeds

web tracker

%d blogueiros gostam disto: